rmandos do Curso                  EFA “Agente em Geriatria”
             Revista elaborada pelos Fo


        Prevenção Sé...
Prevenção Sénior




                                                                                     PREVENÇÃO DO ISO...
Prevenção Sénior




NO IDOSO




           A nossa sociedade confunde facilmente a                O Homem é um ser socia...
Prevenção Sénior
          As causas do isolamento social       acarreta consequências negativas para     é mais elevado, ...
Prevenção Sénior

combate do isolamento no idoso.
          Quatro mil idosos vão receber telemóveis dos
quais podem fazer...
Prevenção Sénior




A importância da Matemática
na 3ª Idade




        Em toda a história da humanidade o núme-         ...
Prevenção Sénior

siste em formar uma expressão matemática, com valor 24, usando os quatro nú-        chamada “quadrantes”...
Prevenção Sénior

                                                        heim          er
                               ...
Prevenção Sénior

                               com
                 dor d o idoso
         o cuidaheimer
  Cuidar     Al...
Prevenção Sénior
  60                                                                                       maioria dos ho...
Prevenção Sénior

         Importa salientar que o receio menos acentuado é o de abandono pela                          De...
LCE
                                                                    Prevenção Sénior



                              ...
Prevenção Sénior




A “Nossa” Sociedade – Respostas
Sociais para a Terceira Idade




        Parece muito longínquo o te...
Prevenção Sénior

de cuidados pluridisciplinares, flexíveis, acessíveis
e articulados de apoio social e saúde; Lar de Ido-...
Prevenção Sénior


       “Todas as pessoas deveriam fazer exames médicos para vigiar a
sua saúde, de acordo com a sua ida...
Com a aposentação
  Projecte a sua vida
  Procure ocupações saudáveis
  Pra se sentir activa.

  Se fizerem o que esta rev...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Revista "Prevenção Sénior"

4,171

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
4,171
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
116
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Revista "Prevenção Sénior"

  1. 1. rmandos do Curso EFA “Agente em Geriatria” Revista elaborada pelos Fo Prevenção Sénior Prevenção Sénior Prevenção SéniorvPre ençãoSénior Prevenção Sénior Prevenção Sénior Prevenção Sénior Prevenção Sénior Prevenção Sénior Prevenção Sénior Prevenção Sénior Prevenção Sénior Prevenção Sénior Prevenção Sénior Prevenção Sénior Prevenção Sénior Prevenção Sénior Prevenção Sénior Prevenção Sénior Prevenção Sénior Prevenção Sénior Sénior Prevenção Sénior Prevenção Prevenção Sénior Prevenção Sénior Prevenção Sénior no âmbito do Te ma de Vida “Pre venção Sénior”  Prevenção do isolamento do idoso  A importância da Matemática na 3ª idade  INQUÉRITO: Prevenção Sénior  A nossa sociedade: respostas sociais para a 3ª idade  Promover a saúde do idoso
  2. 2. Prevenção Sénior PREVENÇÃO DO ISOLAMENTO Editorial A “Prevenção Sénior” é, nos dos idosos é uma forma lúdica e cria- dias de hoje, um tema da actualidade, tiva de explorar e desenvolver as suas pois caminhamos num percurso lento capacidades mentais. É realizado um para o envelhecimento da população alerta para a prevenção de acidentes mundial. rodoviários e quedas que possam Assim, os formandos que acontecer no dia-a-dia, provocadas frequentam o curso de Agente em por fragilidades e outras causas. Faze- Geriatria, como futuros profissionais mos também questão de falar sobre desta área, entenderam, juntamente situações de risco, tal como as burlas, com a entidade promotora “Psico- assaltos e roubos. viana Consultores Lda”, abordar o Nela estão contidos os resul- assunto como tema de vida e deixá-lo tados e tratamento estatístico da in- aqui modestamente publicado. formação de um inquérito, aplicado A revista “Prevenção Sénior”, na Vila de Alvarães – Viana do Caste- como forma de ajudar a população lo, a 150 pessoas maiores de 65 anos, Parece indiscutível o percurso para o envelhecimento da população mun- idosa do nosso concelho, foca temas de modo a que se possa conhecer a dial. Considera-se que o envelhecimento da população é principalmente devido como: a prevenção do isolamento no realidade das nossas vilas sobre a pre- às baixas taxas de fecundidade, reforçado pelo declínio nos níveis de mortalidade, idoso, as causas e consequências deste venção sénior. em todas as idades. Este declínio da mortalidade deve-se à redução da mortalida- isolamento, sendo muito importante O primordial objectivo da de infantil, baseado no maior controlo das doenças infecciosas e ao aumento da a inserção do idoso em instituições, revista e dos formandos do curso é, longevidade dos indivíduos. por forma a que se mantenha vigiado para além da ajuda na promoção da A situação portuguesa não é muito contrastante daquela que é apresentada e junto de pessoas que o podem pro- qualidade de vida da população sé- a nível mundial. De acordo com os dados mais recentes do Instituto Nacional teger em situações mais desagradáveis nior, sugerir que uma nova vida co- de Estatística (INE, 2007), assistimos a um aumento da proporção da população e até complicadas da vida, que já de si meça com a aposentação, permitindo idosa na população total, que era de 17,1% em 2005 (1 810 100 indivíduos). A não é nada fácil. A promoção da saú- assim realizar novos projectos que esperança média de vida à nascença, em 2005, atingiu os valores de 74,9 anos para de nesta faixa etária é também um dos não foram realizados durante o seu os homens e de 81,4 anos para as mulheres. assuntos referidos nesta edição. normal percurso de vida. O envelhecimento populacional é mais notório nas mulheres, cuja pro- Por outro lado, abordamos porção se elevou a 19,3%, face a 14,8% nos homens. Este facto reflecte a maior aqui uma nova realidade, o idoso vol- Deixamos ficar aqui um lema: longevidade do sexo feminino. tado para novas áreas de interesse, tal “Cuidar é Prevenir e prevenir é cuidar”. As projecções efectuadas pelo INE (2007) até ao ano 2050, revelam uma como a matemática, que recorrendo tendência para o acentuar do envelhecimento da população, onde contribuem os às experiências e actividades diárias Os Formandos níveis de fecundidade abaixo do limiar de substituição de gerações, um contínuo aumento da esperança média de vida à nascença e um saldo migratório positivo mas moderado. Entre a população idosa, a percentagem de indivíduos com 85 e mais anos também continuará a aumentar, destacando-se uma vez mais a maior longevidade das mulheres. 2
  3. 3. Prevenção Sénior NO IDOSO A nossa sociedade confunde facilmente a O Homem é um ser social e necessita de co- Os idosos podem apresentar alguma dificul- imagem de envelhecer e da velhice, caracterizando municar. A comunicação é essencial para a sua sobre- dade em relacionar-se com as outras pessoas e com a terceira idade como uma fase da vida em declínio, vivência, em especial para o idoso, com vista à manu- o seu meio ambiente e este facto pode ser atribuído, tanto humano quanto social. Para muitas pessoas, a tenção das suas relações sociais, evitando a carência em parte, às alterações decorrentes do próprio pro- velhice começa a ser percebida como uma fase dolo- emocional e afectiva. A comunicação é importante e cesso de envelhecimento e agravado por processos rosa da vida, sem perspectivas, marcada pela presença facilita a interacção entre as pessoas. como o sedentarismo e a depressão. Esta dificulda- de doenças e perdas. Perda de trabalho, perda de fa- A comunicação pode ser verbal e não verbal. de de relacionamento, associada à inactividade pode mília, de estatuto social, …. O impacto causado pelo Esta última ocorre através das expressões faciais, dos propiciar um aumento do isolamento social, entre os envelhecimento tem alterado os hábitos e o quotidia- movimentos das mãos, braços, cabeça, sinais, símbo- mais velhos. no das pessoas idosas na sociedade, seja o seu papel los e gestos. A comunicação verbal é a mais utilizada na sua comunidade, família ou nas instituições. e permite um rápido conhecimento das vontades e A diminuição das actividades pode ser consi- motivações do outro, numa linguagem que ambos derada uma das maiores perdas do idoso, pois a sua dominam. A comunicação é uma troca de ideias e in- CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DO falta pode levar ao aparecimento de doenças físicas e formações. Ela é mais do que uma simples troca de ISOLAMENTO NO IDOSO mentais, auto-desvalorização, declínio da auto-estima, palavra. Inclui todas as facetas das nossas actividades São variadas as situações que podem levar desmotivação e solidão. Quando falamos de perdas, do quotidiano e das nossas relações pessoais. ao isolamento do idoso. Podemos encontrar causas incluímos, em especial, as perdas a nível biológico Que o Homem tem de envelhecer e por últi- biológicas, de saúde, ambientais, económicas, de se- que ocorrem no indivíduo à medida que envelhece, mo há-de um dia morrer, constitui uma das realidades gurança, etc. sem levar em linha de conta os hábitos alimentares, as básicas da vida. Não ter com quem comunicar, o es- Em alguns casos podemos encontrar uma condições de residência, o emprego, a saúde, a condi- tar desintegrado socialmente, não ver as pessoas, não conjugação de diversos factores propiciadores o que ção económica, que normalmente interferem com a partilhar afectos são, entre outras, algumas das fontes vem agravar a sua resolução, com vista à integração qualidade de vida do idoso. de desânimo que o isolamento social produz. da pessoa idosa no meio social que a rodeia. 3
  4. 4. Prevenção Sénior As causas do isolamento social acarreta consequências negativas para é mais elevado, obrigando a um olhar Pode e deve manter uma convivência do idoso são: o próprio, familiares e sociedade em mais atento por parte da comunidade, sã, respeitando o espaço dos outros e - a viuvez, geral. fazendo uma leitura dos sinais dados desenvolvendo novas amizades, à me- - a depressão, O desinteresse, desânimo e a pelos próprios, evitando a sua consu- dida que as antigas vão desaparecendo. - a reforma, apatia consequentes, levam o idoso a mação e orientando o idoso na procura Sair de casa, ter objectivos para - a saída de casa dos filhos, alimentar-se mal, a não cuidar da ima- de alternativas viáveis à resolução dos o dia-a-dia, frequentar instituições, - a distância geográfica de fami- gem pessoal, a ter mais dificuldade na problemas que estão na génese do seu como centros de dia e convívio, univer- liares, auto-administração da sua medicação problema. sidade sénior, programas de ginástica - as doenças, nomeadamente as e a sair menos do seu domicílio, au- Esta deve ser vista como uma destinados a esta população, acções de incapacitantes que limitam a mobilida- mentando a atrofia muscular, o agra- obrigação da sociedade em geral e não voluntariado, potenciam o desenvol- de, vamento de patologias pré-existentes e apenas das entidades competentes. vimento de novas relações, aumenta a - as alterações de equilíbrio, por as dificuldades de locomoção. A falta Sinalizar, alertar, dar visibilidade aos actividade física e mental, melhoram a diminuição de sensibilidade postural, de contactos e relacionamentos sociais casos mais graves de isolamento e de auto-estima e dão sentido à vida. - a perda de visão, aumenta o risco de depressão no idoso risco social, deve ser uma responsabi- A velhice, período carac- - o uso de medicamentos, como sendo que, não diagnosticada e tratada, lidade partilhada por todos na nossa terizado por perdas, como do(a) tranquilizantes e sedativos, pode apresentar consequências muito comunidade. companheiro(a) de toda a vida, do em- - o medo das quedas e fracturas, nefastas para o indivíduo. prego em consequência da reforma e - a incontinência urinária, O suicídio é a expressão mais outras, não deve ser encarada como a - as estações do ano, em espe- grave do isolamento social. O Alentejo EVITAR O ISOLAMENTO recta final mas antes como uma opor- cial o Outono e o Inverno, é uma das zonas do país que apresenta DO IDOSO tunidade de recomeço e concretização - as barreiras arquitectónicas, mais casos de suicídio em idosos, ex- Os idosos devem manter um de projectos até então postos em se- - a insegurança, plicado pelo isolamento em que muitos relacionamento próximo e constante gundo plano. - a perda de relações de vizi- vivem, dada a desertificação das zonas com familiares e amigos, seja por con- nhança, rurais e o abandono a que muitas pes- tactos pessoais, seja utilizando o tele- - a perda de capacidade econó- soas são votadas. Nos homens com fone e, mais recentemente, a internet. UM PROJECTO INOVA- mica. idade superior a 75 anos e que vivem Isto não implica que o idoso perca a DOR sós, sem qualquer rectaguarda familiar sua privacidade e individualidade ou O Governo Civil de Braga lan- O isolamento social do idoso ou de vizinhança, o risco de suicídio que passe a viver a vida dos seus filhos. çou um projecto inovador com vista ao 4
  5. 5. Prevenção Sénior combate do isolamento no idoso. Quatro mil idosos vão receber telemóveis dos quais podem fazer chamadas gratuitamente, sempre Se eu me Esquecer… que precisarem de contactar um familiar, a segurança social, os serviços de saúde ou a polícia. Tu lembras-me? A medida faz parte da iniciativa “Idade Maior”, promovida pelo Governador Civil de Braga, Fernando Moniz. “O objectivo é reduzir o isolamen- to e a solidão que muitas vezes levam à exclusão so- entos sobre Alzheimer cial”, explica o governador. Teste os seus conhecim A entrega dos telemóveis a maiores de 70 anos é só para aqueles que beneficiam do comple- Assinale as respostas correctas: mento solidário para idosos (CSI) e que, assim, pas- sam a estar contactáveis por um telemóvel aparente- 1. Quais os sintomas que aparecem na fase inicial da mente normal, mas que tem algumas particularidades. doença de Alzheimer? Neste telemóvel, as teclas estão pré-programadas. O a. Alucinações visuais e auditivas; número um liga para a família, o dois para os serviços b. Dificuldades em recordar acontecimentos recentes. de saúde, o três para a segurança social, o quatro para a PSP, o cinco para a GNR e o número seis para a 2. Quais os sintomas da fase intermédia da doença? Protecção Civil. a. Desorientação no espaço; b. Lapsos de memória significativos. ________________ - Coutinho, M. (2002). A Velhice e o Isolamento. O Castanheiren- 3. Como identificar a doença numa fase avançada? se. Retirado de www.cm-castanheiradepera.pt em 17/01/2010. a. O idoso apresenta perda de iniciativa; - Farmácia Saúde (2002). Alzheimer: A doença do esquecimento. b. O idoso apresenta incapacidade para conhecer Farmácia Saúde, 71, Lisboa, ANF. amigos e familiares. - INE (2007). Estatísticas Demográficas, 2005. Lisboa, Instituto Nacional de Estatística. 4. Um doente de Alzheimer, numa fase avançada, - Moura, L.; Passos, H. & Camargos, A. (2005). A Importância da toma banho sozinho? comunicação com os idosos institucionalizados: Relato de Experiência. 8º a. Sim Encontro de Extensão de UFMG. Belo Horizonte. b. Não - Pereira, A. (2009). A Arte de Bem Envelhecer. Jornal do Centro de Saúde. Retirado de www.jornaldocentrodesaude.pt/dgs, em 15/01/2010. 5. A incontinência é muito frequente em idosos com - Radio da Mata Fm (2009). Depressão no Idoso. Retirado de Alzheimer, perante esta situação o cuidador deve: www.dihitt.com.br, em 15/01/2010. a. Introduzir fralda; - Ramilo, M.T. (2009). Envelhecer sem Drama. Jornal do Centro b. Fazer com que o idoso vá à casa de banho de tanto de Saúde. Retirado de www.jornaldocentrodesaude.pt, em 15/01/2010. em tanto tempo. Ilustrações dos Formandos - Roncon, J. (2008). Variáveis Psicossociais na Capacidade Funcio- nal e Qualidade de Vida de Pessoas Idosas. Dissertação de Mestrado, Braga, Universidade do Minho. - WHO (2000). Social Development and Ageing: Crisis or Op- portunity? Genebra, WHO. nalou, maiores são os seus conhecimentos sobre a Doença de Alzheimer.. Soluções: as respostas correctas são as B. Quantas mais respostas B assi- 5
  6. 6. Prevenção Sénior A importância da Matemática na 3ª Idade Em toda a história da humanidade o núme- interacção homem/computador, gerando a inclusão de forma coesa e organizada. Também possibilita que ro de idosos no planeta nunca foi tão grande. O do idoso junto ao convívio digital e também social o cidadão da terceira idade tenha acesso ao mundo do envelhecimento populacional, como consequência (Sebben, 2006). conhecimento científico e tecnológico, ao reconstruir do aumento da qualidade de vida, é um fenómeno Vários estudos têm sido desenvolvidos na e ao ampliar sua cultura matemática (Baraldi, 2004). mundial, que tende a crescer ao longo dos próximos tentativa de incluir a matemática de forma lúdica e Ao longo das sessões de Matemática para a cinquenta anos, levando a um aumento considerável criativa, explorando o que já é sabido e o que pode ser Vida, enquanto formandas, tivemos a oportunidade na presença da terceira idade no mercado de trabalho aprendido, sempre em confronto com as actividades de aprender a experimentar vários jogos, e com en- (Sales 2002, Pérez et al. 2006). Os idosos poderão en- diárias. O desenvolvimento dos conteúdos tem sido tusiasmo, comprovamos toda a teoria acerca da rela- contrar, no entanto, uma série de obstáculos para a feito por meio da resolução de problemas, de jogos ção benéfica entre a matemática, os jogos e a terceira concretização de seus trabalhos, tanto de ordem tec- e de quebra-cabeças. O trabalho com a Matemática idade. nológica como sensorial. Tais obstáculos podem ser possibilita a continuidade no progresso do raciocínio Um dos jogos mais populares, entre nós, é o trabalhados através da criação de um sistema de jo- lógico matemático - uns dos muitos elementos essen- “Jogo do 24”. Na sua versão mais simples são dados gos, composto de desafios lógicos e matemáticos, em ciais para a estruturação e manutenção da memória, quatro números inteiros de um a nove. A tarefa con- 6
  7. 7. Prevenção Sénior siste em formar uma expressão matemática, com valor 24, usando os quatro nú- chamada “quadrantes”. O objectivo do Sudoku é preencher os quadrados vazios meros dados uma só vez e qualquer conjunto de operações: soma (+), subtracção com números entre 1 e 9 (apenas um numero em cada quadrado). No entanto, (-), multiplicação (×) e divisão (÷). cada número só pode aparecer uma vez em cada linha (horizontal) e em cada co- Por exemplo, dados os números 4, 7, 8 e 8, são possíveis várias expressões luna (vertical). Consequentemente, apenas aparecerá uma vez em cada quadrante. com resultado 24: Fica abaixo o exemplo de um jogo preenchido por nós, nas sessões de formação, • 7 - (8 : 8) x 4 = 24 e outro para que possa exercitar. Boa Sorte! • 4 – (8 – 7) x 8=24 7 8 9 6 3 5 4 1 2 4 1 6 9 2 8 7 3 5 2 3 5 4 1 7 9 6 8 1 7 3 5 6 4 2 8 9 6 5 4 2 8 9 1 7 3 9 2 8 3 7 1 6 5 4 5 4 7 1 9 3 8 2 6 3 6 1 8 4 2 5 9 7 8 9 2 7 5 6 3 4 1 3 4 8 9 5 8 5 7 2 1 1 4 9 6 6 1 9 2 3 4 6 7 8 7 8 3 6 5 3 9 4 8 4 2 6 9 7 3 5 4 ___________________ Deixamos, aqui, oito cartas para que possa exercitar a mente. Poderá Baraldi, Maria Ivete (2004) Oficinas Matemáticas: Uma experiência com a Terceira idade. Universidade do ainda jogar online visitando o site Sagrado Coração – USC – Bauru http://www.sc.didaxis.pt/nm/ Jogo_do_24.htm Pérez, Elisenda Rentería; Wajnman, Simone; Oliveira, Ana Maria H. Camilo de. (2001). Análise dos deter- minantes da participação no mercado de trabalho dos idosos em São Paulo. Caxambu – MG Sales, Márcia Barros de. (2002). Desenvolvimento de um checklist para a avaliação de acessibilidade da Outro jogo bastante divul- web para usuários idosos. Dissertação de Mestrado - UFSC, Florianópolis. gado, com vários benefícios ao ní- vel da concentração e memória, é o Sebben, Naiara , Guedes, Aníbal Lopes, Stahlhöfer, Marizete Marciane, Guedes, Fernanda Lopes (2006). Sudoku. O Sudoku é jogado numa Desenvolvendo Jogos para a Terceira Idade. Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC). SC – Brasil grelha de 9x9 quadrados, dividida em sub-grelhas de 3x3 quadrados, 7
  8. 8. Prevenção Sénior heim er oso com Alz Cu idar o id . dor deve.. O Cuida Ilustrações dos Formandos 8
  9. 9. Prevenção Sénior com dor d o idoso o cuidaheimer Cuidar Alz Ilustrações dos Formandos CUIDAR O CUIDADOR DO IDOSO COM ALZHEIMER . O cuidador deve… r deve.. O Cuidado O Tesouro do Cuidador é o Cuidador Descansado… seu tempo livre! Idoso bem Tratado! Em caso de cansaço pedir ajuda a familiares Ter o direito de manter o mínimo de contacto Saber programar a sua vida. Ter tempo livro para fazer exercício ou profissionais. social com os seus familiares e/ou amigos. físico e outras actividades. Inquérito “Prevenção Sénior” Introdução Caracterização da amostra O grupo de formandos do curso EFA – B3 de Agente em Geriatria, cons- Após a elaboração do inquérito, com recurso a várias Áreas de Competên- tituído por 15 elementos, elaborou, no âmbito da temática “Prevenção Sénior”, cia, cada formando inquiriu 10 seniores, constituindo-se, assim, uma amostra de um Inquérito por questionário que foi passado a 150 seniores da Vila de Alvarães 150 elementos. Posteriormente, os dados foram analisados e retiradas as devidas e arredores. A amostra foi constituída por 68 pessoas do sexo masculino e 82 do conclusões. Assim, de acordo com o gráfico, a amostra é composta por 45% de sexo feminino, com idade superior a 65 anos. elementos do sexo masculino e 55% do sexo feminino. O inquérito pretendia recolher informações sobre a segurança na terceira No que respeita ao estado civil, é possível observar que a maioria dos idade, os seus hábitos ao nível da saúde, das relações sociais estabelecidas, das inquiridos é casado, apesar de haver uma grande diferença entre os elementos do principais ocupações e maiores receios desta faixa etária. sexo masculino (80,9%) e os do sexo feminino (58,5%). 9
  10. 10. Prevenção Sénior 60 maioria dos homens (69,1%) e das mulheres (50,0%) considerou que não se sente 50 só. No entanto, para aqueles que responderam “Sim” são as mulheres as mais 40 afectadas por este sentimento (46,3%) em comparação com 27,9% dos homens. Estes dados vêm, de alguma forma, reforçar a ideia de que são as mulheres as que 30 Homens Mulheres enviúvam mais cedo. 20 A solidão é encarada como problema social, pelo que a sociedade deve 10 criar mecanismos para não isolar este grupo etário. Segundo um estudo publicado 0 em 2009 no “Journal of Health and Social Behavior”, os idosos que não têm rela- Casado União de facto Viúvo Solteiro Divorciado ções familiares ou de amizade, ou que se sentem sozinhos apesar de terem outros Gráfico 1 – Estado civil da amostra por perto, tendem a ter uma pior saúde física e mental. No sentido de combater o isolamento e a solidão a sociedade criou alguns De acordo com o gráfico, há mais viúvas (32,9%) do que viúvos (17,6%), mecanismos, nomeadamente, Centros de dia ou de convívio. Assim, questiona- em conformidade com as estatísticas nacionais. Os números mais recentes do Ins- ram-se os idosos acerca dos programas que costumam frequentar. A maioria das tituto Nacional de Estatística sobre mortalidade mostram que em Portugal a es- pessoas que respondeu a este estudo afirma não frequentar qualquer tipo de pro- perança de vida das mulheres é superior à dos homens. Actualmente, um homem gramas de animação ou convívio (74,0%). Dos 150 inquiridos, apenas cerca de pode esperar viver 73,7 anos e uma mulher 80,6. (Fonte - Associação Nacional das 11% frequenta algum programa e 14,7% da amostra não respondeu. Farmácias - http://www.anf.pt) Outra forma de combater o isolamento e a solidão é, sem dúvida, a ma- Relativamente à Escolaridade, os indivíduos que constituem a amostra nutenção de uma ocupação. Com o objectivo de validar, ou não, esta afirmação, apresentam um grau de escolarização muito baixo. A grande maioria (80,9%) pos- questionaram-se os participantes e a grande maioria (homens e mulheres) respon- sui o 1º ciclo. Nas pessoas sem escolaridade, verifica-se uma grande diferença deu afirmativamente (88,7%). entre mulheres e homens, sendo as mulheres as que apresentam uma maior taxa De igual modo, tentou-se perceber quais as estratégias utilizadas para se de analfabetismo (31,7%) em comparação com os homens (8,8%). Este facto sentirem ocupados. Os resultados figuram na tabela seguinte: poderia ser explicado pela pouca importância que, à data, era atribuída à escolari- zação das mulheres. Ocupação dos tempos livres % Total (homens e mulheres) Sai de casa 74,0 Como a amostra é composta por seniores (pessoas com idade superior Telefona a filhos/familiares 64,7 a 65 anos) foi possível observar que, acerca da actividade profissional, a grande Convive com amigos 60,7 Procura companhia 44,7 maioria da amostra referiu estar reformado (94,7%). Excursões/turismo sénior 30,0 Relativamente aos rendimentos auferidos pretendia-se perceber se as pes- Desporto em grupo 5,3 soas consideravam que estes são suficientes para as suas necessidades. A maioria Jogos tradicionais 3,3 Outros 8,7 dos homens (66,2%) considerou que são suficientes. Em contrapartida, a maior Tabela 1 – Estratégias de ocupação de tempos livres (%) parte das mulheres (48,8%) considerou que não. Esta diferença pode ser explicada pela diferença de escolarização e da situação profissional anterior à reforma que coloca as mulheres numa situação menos favorável, recebendo reformas mínimas Procurou-se, ainda, conhecer o tipo de receios que as pessoas desta faixa por terem tido pequenos períodos de descontos. etária possuem. No que concerne à análise dos apoios que esta população poderá usufruir, O gráfico abaixo é elucidativo dos receios mais sentidos. mais especificamente o Apoio Domiciliário, é possível observar que a maioria 60 dos inquiridos não necessitam de um apoio extra, visto que 91,2% dos homens e 79,3% das mulheres responderam “não” quando interrogados a esse respeito. 50 Dos elementos que responderam afirmativamente à questão anterior 40 foi possível observar que o tipo de serviços que mais recebem é a alimentação 30 Homens (100%), seguido da higiene habitacional (83,3%). 20 Mulheres 10 Relações Sociais 0 Cientes que a solidão é um sentimento que afecta o ser humano provo- Abandono Solidão Doença Morte Falta de Viver num Assaltos Burlas da família dinheiro lar cando uma profunda sensação de vazio e isolamento, procurou-se inquirir a nossa amostra sobre esse aspecto. Relativamente ao facto de sentirem ou não solidão, a Gráfico 2 – Preocupações sentidas pelos indivíduos da amostra 10
  11. 11. Prevenção Sénior Importa salientar que o receio menos acentuado é o de abandono pela De acordo com a tabela, 93,3% da amostra preocupa-se em ter a vacinação família (27,3%). em dia, 94% vai com regularidade ao médico e faz exames periódicos, 90,7% veri- fica periodicamente a sua tensão e 88% refere não ter hábitos tabágicos. Apesar da Segurança nossa qualidade de vida propiciar o sedentarismo e os níveis de colesterol terem No que concerne à Segurança, foram equacionadas algumas situações que aumentado significativamente, a nossa amostra referiu que costuma controlar o se encontram mencionadas na tabela seguinte: colesterol (94%). Apesar destes dados estarem todos acima dos 90%, ainda se regista algum Percentagem total (homens e mulheres) descuido relativamente à alimentação, uma vez que 21,3% afirma que não tem Sim Não NR uma dieta rica em frutos e vegetais. Do mesmo modo a maioria da amostra referiu Vitimas de burla 10,0 76,0 14,0 que também não pratica desporto com regularidade (63,3%). Conhecimento de algumas vítimas de burla 36,0 58,7 5,3 Vitima de assalto 16,7 80,0 3,3 Assistiu a sessões de esclarecimento 12,0 84,7 3,3 Abre a porta/fala com estranhos 7,3 90,3 2,0 Desabafa sobre a vida pessoal com estranhos 18,0 77,3 4,7 Vai ao multibanco sozinho 34,7 61,3 4,0 Conclusões Compra porta-a-porta 8,7 87,3 4,0 Informa desconhecidos de que vive só 4,0 80,3 15,3 Este estudo de carácter descritivo e qualitativo não teve a finalidade Tabela 2 - Conhecimento das regras de segurança de generalizar os dados para a população sénior da zona de Alvarães e ar- redores. No entanto, é possível tirar algumas conclusões que pensamos ser Pela análise da tabela verificou-se que a maioria das pessoas estava re- importantes: lativamente bem informada sobre questões de segurança, nomeadamente, não • as mulheres têm esperança média de vida superior, dado confirmado costumam abrir a porta a estranhos (90,3%), não costumam comprar objectos a pelo índice de viuvez superior neste grupo; pessoas que andam de porta em porta (87,3%) e não informam desconhecidos de • o tratamento dos dados confirma a baixa escolarização dos indivíduos que vivem sós (80,3%). No entanto, a maioria da nossa amostra refere que nunca inquiridos, surgindo um registo superior de analfabetismo nas mulheres; frequentou uma sessão de esclarecimento sobre questões de segurança (84,7%). • em contraponto com a opinião registada pelos homens, as mulheres con- Sublinhe-se que apesar da maioria (76%) não ter sido vítima de burla, 58,7% da sideram que os rendimentos auferidos não são suficientes para a satisfa- amostra admitiu conhecer alguém que já vivenciou essa experiência. ção das necessidades; • por outro lado, os dois grupos partilham a opinião de que não necessi- Saúde tam de apoios extra, constatando-se que os que responderam afirmativa- Pretendia-se, ainda, conhecer os principais hábitos de promoção da saúde mente se referem à alimentação e higiene habitacional; desta população. Nesse sentido, após ser interrogada, a maioria da nossa amostra • pese embora os inquiridos considerarem que não se sentem sós, é pos- revela não se sentir com saúde (66,7%). Apenas 30% dos inquiridos referiram sível verificar que as mulheres se sentem mais afectadas pela solidão do estar de plena saúde. que os homens; Relativamente aos comportamentos que demonstram preocupação com a • a maioria dos idosos revela conhecer e cumprir as mais elementares nor- promoção da sáude, obtivemos os seguintes resultados: mas de segurança para esta faixa etária, no entanto, nunca frequentaram uma sessão de esclarecimento nesse sentido; Sim Não NR • a investigação revela que os idosos com menor apoio social sofrem mais Tem a vacinação em dia 93,3 5,3 1,4 consequências ao nível da saúde; Vai regularmente ao médico 94,0 5,3 0,7 • a sociedade, ao longo dos tempos, tem desenvolvido mecanismos para Vigia a tensão arterial 90,7 8,6 0,7 combater o isolamento dos idosos. No entanto, a maioria dos inquiridos Controla o colesterol 94,0 5,3 0,7 referiu não usufruir de centros de saúde ou de convívio. Por outro lado, Tem dieta rica em frutos e vegetais 77,3 21,3 1,4 todos mantêm ocupações que envolvem o relacionamento interpessoal. Fuma 8,0 88,0 4,0 Pratica diariamente exercício físico 35,3 63,3 1,4 Tabela 3 – Cuidados para manutenção da saúde (%) 11
  12. 12. LCE Prevenção Sénior Lingu agem e Com Elderly home unica ção E stran geira No âmbito do tema de vida “Prevenção Sénior”, realizámos, em Lin- guagem e Comunicação Estrangeira, um texto em inglês sobre os cuidados que se deve ter numa casa para prevenir possíveis quedas. Língua Estrangeira Língua Portuguesa Elderly is a word used to describe a person who is old in age. They Idoso é uma palavra usada para descrever uma pessoa cuja idade é should be respected and very well treated, since they deserve everything, we mais avançada. Eles devem ser respeitados e muito bem tratados, uma vez know that they are adults but sometimes they act as if they were children, they que eles merecem tudo, nós sabemos que eles são adultos mas, às vezes, agem say whatever they think without weighing the consequence of their words. como se fossem crianças, dizendo o que pensam, sem pesar as consequências Normally they are more stubborn than children; however we ought not treat das suas palavras. Normalmente, são mais teimosos do que as crianças, no them as that. entanto, não devemos tratá-los como tal. The home of an elderly person should be suitable for their age, people A casa de um idoso deve ser adequada para a sua idade, as pessoas ought to be cautious of not letting tripping hazard throughout the house, devem ser cautelosas e não deixar objectos espalhados, tapetes e carpetes de- rugs and carpets should be removed even if they do not like the idea. They vem ser removidos, mesmo que eles não gostem da ideia. Os idosos devem should understand that this is for their well-being. An Elderly has to be made compreender que isto é para o seu bem. Devem também tomar consciência aware that they cannot enjoy some luxuries which they had when were young. que não podem usufruir de alguns luxos que tinham quando eram jovens. Por Therefore they should replace low standing furniture with suitable furniture conseguinte, deve-se remover as peças de mobília pequena por uma adequada for they age. à idade deles. In the bathroom a support should be put in order to facilitate the tasks Na casa-de-banho, deve ser colocado um suporte de forma a facilitar as the access and the utilization of bathtub and loo. It also should have a good as tarefas bem como o acesso e a utilização da banheira e da sanita. Também lightning and the floor should also be anti-slippery. One shouldn’t have the deve ter uma boa iluminação e o chão deve ser anti-derrapante. Não se deve gas heater inside nor the medicines. The bathroom needs a good ventilation, ter o esquentador nem os medicamentos no seu interior. Esta divisão necessita the electric system has to be in good conditions, elderly people must leave the de uma boa ventilação e o sistema eléctrico deve estar em boas condições; os door unlock and use the hair-dryer outside the bathroom. idosos devem deixar a porta destrancada e utilizar o secador fora da casa-de- Furthermore, we should not neglect that the waxed floor can cause banho. painful and debilitating falls which might be permanent and deadly. Além disso, não devemos esquecer que o chão encerado pode causar In the kitchen we should make sure everything that the elderly person quedas dolorosas e debilitantes que podem ser permanentes e até mortais uses on a regular basis are within easy reach. One should have attention and Na cozinha, devemos certificar-nos que tudo o que idoso utiliza regu- check the refrigerator for out dated foods. The gas stove should be changed larmente está acessível facilmente. Devemos ter atenção e verificar se o frigo- to an electric stove, because elderly people have a diminished smell, therefore rífico não tem comida fora de prazo. O fogão a gás deve ser mudado para um the gas leak may be lethal. In the kitchen, remove the rugs from the floor, eléctrico, porque o idoso tem o olfacto diminuído, por isso uma fuga de gás scattered cables, displaced chairs. pode ser letal. Na cozinha, os tapetes devem ser removidos, bem como fios The gas should be closed, the knives put in safe place, the medicines espalhados e as cadeias desarrumadas. should not be left in the kitchen, the floor has to be dry, everything should O gás deve ser fechado, as facas colocadas num local seguro, os me- have a good lighting, the drawers and the objects have to be closed. dicamentos não devem ser deixados na cozinha, o chão deve estar seco, tudo deve ter uma boa iluminação, as gavetas e os objectos devem estar fechados. 12
  13. 13. Prevenção Sénior A “Nossa” Sociedade – Respostas Sociais para a Terceira Idade Parece muito longínquo o tempo em que os de dependência, que colocam os idosos desprotegi- São várias as respostas sociais existentes e avós tomavam conta dos netos quando os pais ti- dos face a uma família que não tem possibilidade de que podemos enumerar de forma sucinta: Centro de nham um trabalho fora de casa, que os obrigava a cuidar dos seus ancestrais. Convívio, trata-se de um equipamento de apoio a acti- estar ausentes. No entanto, hoje, a sociedade entrega Se é verdade que os mecanismos sociais para vidades sócio – recreativas e culturais, organizadas e essa tarefa do “cuidar” dos mais novos a instituições. este “problema” são vários, também é verdade que dinamizadas pelos idosos de uma pequena comuni- E os mais velhos? O que acontece?! a maior parte deles não consegue dar a resposta ade- dade.; Centro de Dia que consiste na prestação de um Mais do que terem perdido o estatuto que os quada à totalidade dos casos, por falta de recursos conjunto de serviços que contribuem para a manu- sentava à cabeceira da mesa durante a refeição que humanos profissionalizados e devidamente enqua- tenção dos idosos no seu meio sócio – familiar; Centro costumava reunir toda a família, passaram de cuida- drados. A resposta social não pode ser apenas um de Noite, ainda pouco divulgado e mais procurado nas dores a cuidados. equipamento. É fundamental que nessa estrutura im- grandes cidades, dirige-se a idosos com autonomia É do conhecimento de todos que o aumento pere uma actuação humanizada, personalizada e que que desenvolvem as suas actividades diárias no do- da população é uma realidade, assim como a inver- tenha em conta as necessidades reais e específicas micílio, mas que durante a noite, por motivo de isola- são da nossa pirâmide etária. Os avanços da ciência da cada situação, tendo sempre como preocupação mento, necessitam e procuram suporte; SAD – Serviço curam mais e mais depressa as doenças, aumentando os residentes, que são o centro de toda a actuação, de Apoio Domiciliário e ADI – Apoio Domiciliário Integra- a esperança de vida. Passamos, então, a ver o envelhe- e o meio familiar e social donde cada um provém, do, que são cuidados personalizados no domicílio. O cimento como algo natural, um processo contínuo que pois sendo parte das suas vivências deve continuar a SAD é procurado quando por motivo de doença ou acompanha o indivíduo durante toda a sua vida. No entanto, ser particularmente considerado no apoio às pessoas outro impedimento não possam assegurar as suas ne- é nesta fase da vida que surgem associadas situações idosas de acordo com os seus desejos e interesses. cessidades básicas. O ADI trata-se de um conjunto 13
  14. 14. Prevenção Sénior de cuidados pluridisciplinares, flexíveis, acessíveis e articulados de apoio social e saúde; Lar de Ido- sos, será a resposta social mais procurada depois do SAD. Trata-se de um estabelecimento onde são desenvolvidas as actividades de apoio social a ido- Promover a saúde do idoso sos através do alojamento colectivo, fornecimento de alimentação, cuidados de saúde, higiene e con- O nível de saúde de uma população depende doenças crónico-degenerativas e por fim, o controlo forto, fomentando o convívio e proporcionando da acção de diversos sectores que actuam na socieda- da medicação em doentes crónicos. a animação social e a ocupação dos tempos livres de, sendo que o sector da saúde é apenas um deles. Os trechos que seguem espelham parte das dos idosos. O Lar Residencial é uma resposta social As actividades ligadas à promoção da saúde conclusões redigidas por nós, formandos, após ter- com pouca utilização no nosso país e pouco divul- dos idosos devem ser realizadas junto dos mesmos e mos abordado e desenvolvido várias actividades no gada. Trata-se de um equipamento constituído por da sociedade como um todo, no sentido de assegurar âmbito da promoção da saúde no idoso. um conjunto de apartamentos com serviços de uti- adequados cuidados de higiene corporal, uma alimen- Não esqueça: um envelhecimento saudável lização comum para idosos com autonomia total tação e nutrição saudáveis, a prevenção ou controlo começa no presente para promover a tranquilidade ou parcial. Na maior parte das vezes estes serviços de hábitos tóxicos, a prevenção de acidentes, uma no futuro! estão associados a Centros Paroquiais, Irmandades satisfatória adaptação domiciliária, a vigilância de das Misericórdias e outras associações. doenças transmissíveis, o controlo e a prevenção de Estas as respostas sociais de apoio à ter- ceira idade são apoiadas pelo Centro Regional da Segurança Social, através de protocolos de coope- “A Organização mundial de Saúde propôs a seguinte meta “Saúde para todos ração que estabelece com as instituições públicas no ano 2000”, mas afinal não é bem assim. Para termos saúde para todos temos que ter ou privadas. políticas saudáveis com a criação de ambientes favoráveis à saúde para haver qualidade Importa referir que, do ponto de vista téc- de vida, …, para que a saúde chegue a toda a gente e não favoreça só alguns.” (Maria da nico, o que se pretende não é desenraizar as pes- Conceição Ferreira) soas do seu ambiente, mas circunstâncias diversas levam a que por vezes a institucionalização tenha “Para ter qualidade de vida devemos estar mais informados de tudo o que nos de ser equacionada, ainda que em última linha. O rodeia: ter uma vida equilibrada e organizada, ter hábitos alimentares mais correctos, ir ao que não pode, de forma alguma, acontecer é a des- médico com regularidade, ter uma vida activa, praticando exercício físico, por exemplo, responsabilização social por parte dos familiares em sociedade, partilhar com a família ou amigos os problemas.” (Paula Branco) em relação ao cidadão idoso. Compete à família vi- sitar o idoso, proporcionar-lhe momentos de lazer e saber, de forma simples, explicar-lhe as razões “Para muitas pessoas, ter saúde é ter uma boa casa, um trabalho, um carro, etc. pelas quais não fica aos seus cuidados de forma Mas a doença também existe e isso depende muitas vezes da vida que cada um de nós sistemática. leva. Assim devemos investir mais na prevenção do que depois na cura.” (Maria Lúcia Baptista) Trabalho realizado no âmbito do módulo Velhice : Ciclo Vital e Aspectos Sociais “Para ter um envelhecimento saudável é preciso….estar informado acerca do pro- cesso de envelhecimento, quer o idoso, a sua família e quem cuida também.” (Sandra Lima). Aos idosos, deve-se esclarecer que pode haver um envelhecimento saudável. Sem- pre que possam, devem fazer alguns passeios, frequentar locais públicos, jardins zooló- gicos, bibliotecas, teatro, passear na praça para não estarem em casa isolados.” (Lurdes Carvalho) 14
  15. 15. Prevenção Sénior “Todas as pessoas deveriam fazer exames médicos para vigiar a sua saúde, de acordo com a sua idade.” (Maria Fernanda Cunha) Algoritmo de actuação “É nessas visitas médicas dos idosos que são detectadas doen- em situação de ças….como a Diabetes, Hipertensão arterial, alterações cognitivas, per- da de visão e audição, ou apenas factores de risco que o idoso pode emergência ainda evitar.” (Amândio Meira) “Os idosos devem ser seguidos por alguém para avaliar se têm Este trabalho foi realizado no contexto do módulo de Pri- todo o conforto e se precisam de algo...Os familiares devem apoiar os meiros Socorros, tendo como principal objectivo a divulgação da idosos quando perdem o seu par” (Engrácia Dias) correcta actuação numa situação de engasgamento e chamada 112. “Mas também há factores de risco no idoso que devem ser ava- liados tais como: o abuso de álcool, tabagismo, vida sedentária e polime- dicação.” (Maria de Fátima Gonçalves) “Grande parte dos idosos têm problemas de saúde mais graves porque quando foram jovens não tiveram cuidado com a alimentação: consumiam mais açúcar, gorduras, salgados,…, e hoje em dia sofrem de doenças cardiovasculares, Diabetes, obesidade…” (Isabel Sousa) “Importa reduzir o consumo de sal, enlatados, salgados. Substi- tuir as gorduras animais por gorduras vegetais. Diminuir a ingestão de açucares e aumentar a ingestão de fibras” (Ângela Maria Barbosa) “As vacinas são muito importantes…Os idosos devem actualizar a vacina anti-tetâncica que se faz de dez em dez anos.” (Teresa Ribeiro) “ A gripe pode ser contraída quando há grande aglomeração de pessoas. A melhor prevenção é a vacinação mas pode ser prevenida se ti- vermos alguns cuidados de higiene como: tapar o nariz e a boca quando tossir ou espirrar, …, lavar frequentemente as mãos com água e sabão e sempre que se assoar.” (Maria Jesus Azevedo) “Controlar a medicação é muito importante: ter em atenção onde se guardam os medicamentos, avaliar se a pessoa é capaz de os tomar sozinha, se está a tomar os medicamentos conforme a prescrição médica…” (Virgínia Sá) “A prevenção de problemas e a promoção da saúde na pessoa idosa deve ser um dos principais objectivos da sociedade actual pois só assim se contribui para uma melhor sociedade.” (Arlinda Montenegro) 15
  16. 16. Com a aposentação Projecte a sua vida Procure ocupações saudáveis Pra se sentir activa. Se fizerem o que esta revista diz Verão que têm a ganhar Viver com mais saúde E alegria para dar. “O viver é sonhar para tudo ultrapassar“ Esperamos que esta revista tenha correspon- dido às suas necessidades e expectativas e seja útil e esclarecedora no futuro. Esperamos, ainda, que dela retire muitos “ensinamentos” e pense especialmente na PREVENÇÃO. Para nós foi um privilégio ter realizado este trabalho, desenvolver o tema de vida e verificar que adquirimos imensas competências. Os formandos do Curso EFA “Agente em Geriatria” Revista elaborada pelos formandos do Curso EFA B3 “Agente em Geriatria”, promovido pela PSICO- VIANA Lda, e a decorrer no Centro Social e Paroquial e na Junta de Freguesia da Vila de Alvarães, Viana do Castelo, no âmbito do Tema de Vida “Prevenção Sénior”. FORMANDOS: Amândio Meira, Ângela Barbosa, Engrácia Dias, Maria Arlinda Ramos, Maria da Con- ceição Ferreira, Maria de Fátima Gonçalves, Isabel Sousa, Maria de Jesus Azevedo, Maria Fernanda Cunha, Ma- ria Lúcia Baptista, Maria Lurdes Carvalho, Maria Teresa Ribeiro, Maria Virgínia Sá, Paula Branco e Sandra Lima.

×