Mamografia 2
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
5,698
On Slideshare
5,698
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
100
Comments
0
Likes
4

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Paula Frassinetti
  • 2. Compressão Diminui e uniformiza a espessura da mama Diminui a dose de radiação Reduz a dispersão da radiação Aproxima a mama do filme, reduzindo distorções Reduz o efeito de “soma de estruturas”
  • 3. ASPECTOS FÍSICOS DA QUALIDADE EM MAMOGRAFIA O controle dos aspectos físicos da qualidade em mamografia deve visar a manutenção dos padrões de conformidade dos seguintes parâmetros: densidade ótica definição contraste ruído artefatos uniformidade
  • 4. Controle de Qualidade em Mamografia Controle de qualidade em mamografia representa o conjunto de testes para assegurar a qualidade da imagem em mamografia. Os testes têm como base os requisitos técnicos da mamografia estabelecidos na Portaria nº 453/98 do Ministério da Saúde, “Diretrizes de Proteção Radiológica em Radiodiagnóstico Médico e Odontológico”.
  • 5. Garantia de Qualidade Evitar que os equipamentos sejam operados fora de condições; Implementar e manter padrões de qualidade de imagem; Comprovar a eficácia do programa de treinamento.
  • 6. Requisitos Técnicos da Portaria nº 453/98
  • 7. Equipamentos básicos para o controle de qualidade na rotina mamográfica: Simulador radiográfico (Phantom de Mama) Densitômetro Sensitômetro Termômetro Lupa Contacto filme - écran Balança Espuma de borracha
  • 8. Avaliação da Qualidade da Imagem Produz-se a imagem a ser avaliada radiografando-se o fantoma.
  • 9. Qualidade da Imagem do Simulador Fibras ≥ 4 ( 0,7 mm) Discos (baixo contraste) ≥ 7 (1,5 % de contraste) Massas ≥ 4 (6 mm x 0,75 mm) Microcalcificações ≥ 4 (0,25 mm) Grades ≥ 4 (12 pl/mm)
  • 10. Definição (resolução espacial) Medida através de grades metálicas de 4, 6, 8 e 12 pl/mm [pares de linhas por mm]. Valor limite: ≥ a 12 pl/mm ( 4 grades)
  • 11. Limiar de Alto Contraste Medido através de 5 conjuntos de microcalcificações com os seguintes diâmetros aproximados: 0.45, 0.35, 0.30, 0.25 e 0.18 mm. Valor limite: visibilizar até o conjunto de 0.25 mm de diâmetro ( 4 grupos)
  • 12. Limiar de Baixo Contraste (linear) Medido através de um conjunto de fibras de baixo contraste de 13 mm de comprimento e com os seguintes diâmetros: 1.40, 1.20, 0.80, 0.70, 0.60 e 0.40 mm. Valor limite: visibilizar até a fibra de 0.70 mm (4 fibras)
  • 13. Limiar de Baixo Contraste (circular) Medido através um conjunto de discos de baixa densidade de 6 mm de diâmetro e com os seguintes contrastes: 5,5%, 4,7%, 4,0%, 3,3%, 2,6%, 2,0%, 1,5%. Valor limite: visibilizar até o disco de 1,5% contraste (7 discos)
  • 14. Massas Tumorais Medida através de 5 calotas esféricas de nylon que simulam massas tumorais com as seguintes medidas, em milímetros de diâmetro e altura: 9.5/3.4, 7.5/2.8, 5.5/2.0, 4.0/2.0 e 1.0/0.8 Valor limite: visibilizar até a calota de 4.0 mm de diâmetro e 2.0 mm de altura (4 massas)
  • 15. Controle de Qualidade - Mamografia Colimação dos Feixes de Raios -X• Garantir que o campode radiação estejacoincidente com o chassis.Com isto, se evita errosde posicionamento comoa exposição da paredetorácica das pacientes.• 28 kV / 20 mAs
  • 16. Desempenho do CAE Garantir que o sistema de controle automático de exposição mantenha a densidade ótica do filme dentro de uma faixa que permita alcançar o melhor enegrecimento e contraste da imagem.
  • 17. Desempenho do CAE
  • 18. Força de compressão da mama Garantir que o sistema de compressão exerça uma força entre 11 e 18 kg quando a mama é comprimida
  • 19. Alinhamento da Placa de Compressão• Garantir que a deformação da placa de compressão não ultrapasse a 5 mm
  • 20. Integridade dos Chassis Avaliar se o contato entre o filme e o écran está correto em cada um dos chassis utilizados no serviço.
  • 21. Periodicidade das medidas de controle de qualidade
  • 22. Causas possíveis de irregularidade no processamento
  • 23. Procedimentos de Trabalho Em mamografia devem ser usados: - Equipamentos projetados especificamente para este exame - Receptores de imagem específicos - Processadoras exclusivas - Negatoscópios com luminância de 3000 a 3500 nit
  • 24. Responsabilidades do médico radiologista ƒ Indicar incidências adicionais, para esclarecer o caso; ƒ Dar os laudos, seguindo a padronização do Serviço; ƒ Supervisionar o trabalho dos técnicos; ƒ Coordenar as ações de controle de qualidade; ƒ Verificação da manutenção dos aparelhos.
  • 25. Responsabilidades do técnico em Radiologiaƒ Planejar cada exame, de acordo com cada caso, escolhendo a técnica radiográfica ƒ Mostrar o exame ao médico da câmara clara e liberar a paciente. ƒ Deixar as mamografias em ordem, para liberação pelo médico responsável. ƒ Zelar pela manutenção da ordem no ambiente de trabalho.
  • 26. Responsabilidades do técnico em Radiologia ƒ Verificar e/ou executar a limpeza do material - écrans, câmara escura, processadora.ƒ Fazer e/ou repor os químicos na processadora. ƒ Acompanhar a manutenção do mamógrafo e da processadora. ƒ Zelar pela conservação do material - écrans, numerador, acessórios do mamógrafo.