CENTRAL DAS COOPERATIVAS DE ECONOMIA E CRÉDITO DO ESTADO DO RJ




Análise de Demonstrativos
       Financeiros
          ...
Plano Contábil das Instituições do
SFN - COSIF – Risco
 As instituições financeiras e demais
  instituições autorizadas a ...
Plano Contábil das Instituições do
SFN - COSIF - Risco
 A classificação da operação no nível de
  risco correspondente e d...
Plano Contábil das Instituições do
SFN - COSIF – Risco
 Aspesctos para avaliar o risco:
   situação econômico-financeira;
...
Plano Contábil das Instituições do
SFN - COSIF – Risco
 Aspesctos para avaliar o risco:
   situação econômico-financeira;
...
Plano Contábil das Instituições do
SFN - COSIF – Risco
 Aspesctos para avaliar o risco:
   pontualidade e atrasos nos paga...
Plano Contábil das Instituições do
SFN - COSIF – Risco
 Classificação da operação nos níveis de risco :
                  ...
Plano Contábil das Instituições do
SFN - COSIF - Risco
 CLD:       A provisão para fazer face aos créditos de
   liquidaçã...
Plano Contábil das Instituições
do SFN - COSIF – Risco
 Classificação da operação nos níveis de risco :
                  ...
Plano Contábil das Instituições do
SFN - COSIF - Risco
CLD: A operação classificada como de risco nível H deve
  ser trans...
Plano Contábil das Instituições do
SFN - COSIF - Risco
CLD:    A provisão para créditos de liquidação duvidosa
  deve ser ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Contabilidade i resumo 02

517

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
517
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Contabilidade i resumo 02

  1. 1. CENTRAL DAS COOPERATIVAS DE ECONOMIA E CRÉDITO DO ESTADO DO RJ Análise de Demonstrativos Financeiros RISCO Prof. MSc. Denilson Nogueira da Silva www.denilson.adm.br denilsonnogueira@uol.com.br Abr / 2005 1
  2. 2. Plano Contábil das Instituições do SFN - COSIF – Risco As instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil devem classificar as operações de crédito, em ordem crescente de risco, nos seguintes níveis: nivel AA; nivel A; nivel B; nivel C; nivel D; nivel E; nivel F; nivel G e nivel H. (Res 2682 art 1. I/IX) www.denilson.adm.br 2
  3. 3. Plano Contábil das Instituições do SFN - COSIF - Risco A classificação da operação no nível de risco correspondente e de responsa- bilidade da instituição detentora do cré- dito e deve ser efetuada com base em critérios consistentes e verificáveis, am- parada por informações internas e ex- ternas, contemplando, pelo menos, os seguintes aspectos: (Res 2682 art 2. I,II) www.denilson.adm.br 3
  4. 4. Plano Contábil das Instituições do SFN - COSIF – Risco Aspesctos para avaliar o risco: situação econômico-financeira; grau de endividamento; capacidade de geração de resultados; fluxo de caixa; administração e qualidade de controles; www.denilson.adm.br 4
  5. 5. Plano Contábil das Instituições do SFN - COSIF – Risco Aspesctos para avaliar o risco: situação econômico-financeira; grau de endividamento; capacidade de geração de resultados; fluxo de caixa; administração e qualidade de controles; www.denilson.adm.br 5
  6. 6. Plano Contábil das Instituições do SFN - COSIF – Risco Aspesctos para avaliar o risco: pontualidade e atrasos nos pagamentos; contingências; setor de atividade econômica; limite de crédito; natureza e finalidade da transação; características das garantias, particularmente quanto a suficiência e liquidez; www.denilson.adm.br 6
  7. 7. Plano Contábil das Instituições do SFN - COSIF – Risco Classificação da operação nos níveis de risco : Atraso Risco 15 a 30 dias B 31 a 60 dias C 61 a 90 dias D 91 a 120 dias E 121 a 150 dias F 151 a 180 dias G Superior a 180 dias H www.denilson.adm.br 7
  8. 8. Plano Contábil das Instituições do SFN - COSIF - Risco CLD: A provisão para fazer face aos créditos de liquidação duvidosa deve ser constituída mensalmente, não podendo ser inferior ao somatório decorrente da aplicação dos percentuais a seguir mencionados, sem prejuízo da responsabilidade dos administradores das instituições pela constituição de provisão em montantes suficientes para fazer face a perdas prováveis na realização dos créditos: (Res. 2682 art. 6º I/VIII). www.denilson.adm.br 8
  9. 9. Plano Contábil das Instituições do SFN - COSIF – Risco Classificação da operação nos níveis de risco : Risco Provisão A 0,5% B 1% C 3% D 10% E 30% F 50% G 70% H 100% www.denilson.adm.br 9
  10. 10. Plano Contábil das Instituições do SFN - COSIF - Risco CLD: A operação classificada como de risco nível H deve ser transferida para conta de compensação, com o correspondente debito em provisão, após decorridos 6 (seis) meses da sua classificação nesse nível de risco, desde que apresente atraso superior a 180 dias, não sendo admitido o registro em período inferior. A operação classificada na forma deste item deve permanecer registrada em conta de compensação pelo prazo mínimo de 5 (cinco) anos e enquanto não esgotados todos os procedimentos para cobrança. (Res. 2682 art. 7º e parágrafo único; Cta-Circ. 2899 item 12 VI) www.denilson.adm.br 10
  11. 11. Plano Contábil das Instituições do SFN - COSIF - Risco CLD: A provisão para créditos de liquidação duvidosa deve ser constituída sobre o valor contábil dos créditos mediante registro a débito de DESPESAS DE PROVISÕES OPERACIONAIS e a crédito da adequada conta de provisão para operações de crédito. No caso de insuficiência, reajusta-se o saldo das contas de provisão a débito da conta de despesa. No caso de excesso, reajusta-se o saldo das contas de provisão a crédito da conta de despesa, para os valores provisionados no período, ou a crédito de REVERSÃO DE PROVISÕES OPERACIONAIS, se já transitados em balanço. (Cta-Circ. 2899 item 12 III) www.denilson.adm.br 11
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×