Livro administração Linux - Certificação Linux LPI 1

4,070 views

Published on

Linux Certificação LPI-1
O livro Linux Certificação LPI-1 tem como objetivo ajudar o profissional a estudar a linha de certificação LPI 1, abordando todo o conteúdo exigido e preparando-o para a prova de certificação. Dentro do livro encontramos uma linguagem de fácil compreensão. Veja um trecho do livro:

Published in: Technology
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,070
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2,311
Actions
Shares
0
Downloads
178
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Livro administração Linux - Certificação Linux LPI 1

  1. 1. Nelson de Souza Jr Edição 02 - 2014
  2. 2. CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX Certificação LPI - 1 2ª Edição – 2014 Nelson de Souza Jr
  3. 3. ESTRUTURA LPI - 101 Tópico 101: Arquitetura de sistema 101.1 Identificando e configurando o hardware básico 101.2 Sistema de inicialização 101.3 Alterando o nível de execução do Linux Tópico 102: Instalação Linux e gerenciamento de pacotes 102.1 Organização do disco Linux 102.2 Gerenciador de boot 102.3 Gerenciando bibliotecas 102.4 Gerenciamento de pacotes .deb (Debian) e apt 102.5 Gerenciamento de pacotes .rpm (redhat) e yum Tópico 103: Comandos GNU e Unix 103.1 Trabalhando na linha 103.2 Filtrando os fluxos de saída 103.3 Gerenciamento de arquivos 103.4 Direcionando os fluxos a seu favor 103.5 Nascer, correr e morrer com um processo 103.6 Gerenciando prioridades dos processos 103.7 Pesquisando conteúdo de arquivos usando expressões regulares 103.8 Usando o editor vi Tópico 104: Dispositivos, sistema de arquivos Linux e padrão de Sistemas 104.1 Criando partições 104.2 Mantendo integridade das partições 104.3 Controlando a montagem do sistema de aquivos 104.4 Gerenciando quotas 104.5 Gerenciando permissões dos seus usuários 104.6 Links simbólicos 104.7 Procurando arquivos dentro do sistema de arquivos CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX LPI – 1 - 2ª edição – 2014 – www.linuxville.com.br 3
  4. 4. ESTRUTURA LPI – 102 Tópico 105: Programação em SHELL e Banco de dados 105.1 Customizando o ambiente de programação 105.2 Criando programas 105.3 Gerenciamento SQL Tópico 106: Interface do usuário e área de trabalho 106.1 Configurando o X11 106.2 Configurações do gerenciador gráfico 106.3 Acessibilidade Tópico 107: Tarefas administrativas 107.1 Gerenciando contas de usuários, grupos 107.2 Automatizando tarefas 107.3 Internacionalização Tópico 108: Serviços essenciais 108.1 Sistema de hora 108.2 Sistema de registros (Log) 108.3 Sistema de transferência de mensagens (MTA) 108.4 Gerenciando impressoras Tópico 109: Fundamentos de rede 109.1 Fundamentos de protocolos de rede 109.2 Configuração básica de rede 109.3 Resolução básica de problemas de rede 109.4 Configuração de cliente de resolução de nomes Tópico 110: Segurança 110.1 Tarefas administrativas de segurança 110.2 Configurando a segurança de um servidor 110.3 Configuração de criptografia de um servidor CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX LPI – 1 - 2ª edição – 2014 – www.linuxville.com.br 4
  5. 5. Sumário Tópico 101: Arquitetura de sistema...............................................................................9 101.1 Identificando e configurando o hardware básico..............................................................9 A importância da identificação de hardware........................................................................9 Identificando hardware........................................................................................................9 Informações de subsistemas.............................................................................................12 Dispositivos de armazenamento........................................................................................12 101.2 Sistema de inicialização.................................................................................................14 O gerenciador de boot.......................................................................................................14 Após a inicialização...........................................................................................................16 101.3 Alterando o nível de execução do Linux.........................................................................17 Finalização do sistema Linux.............................................................................................21 Tópico 102: Instalação Linux e gerenciamento de pacotes......................................23 102.1 Organização do disco Linux...........................................................................................23 Definindo partições............................................................................................................25 Mkfs para a formatação.....................................................................................................26 Definindo Volumes Lógicos (LVM).....................................................................................27 102.2 Gerenciador de boot......................................................................................................29 102.3 Gerenciando bibliotecas.................................................................................................29 102.4 Gerenciamento de pacotes .deb (Debian) e apt.............................................................30 Utilizando o apt-get para instalar pacotes..........................................................................31 102.5 Gerenciamento de pacotes .rpm (redhat) e yum............................................................32 Comparativo rpm yum:......................................................................................................33 Tópico 103: Comandos GNU e Unix............................................................................35 103.1 Trabalhando na linha......................................................................................................35 Variáveis especiais:...........................................................................................................36 Buscando documentação..................................................................................................37 Sequencia de comandos...................................................................................................38 103.2 Filtrando os fluxos de saída...........................................................................................39 103.3 Gerenciamento de arquivos...........................................................................................40 Permissões de arquivos....................................................................................................40 Tipos de arquivos:.............................................................................................................40 Tipos de permissões:.........................................................................................................40 Copiando e movendo arquivos e diretórios........................................................................41 Movendo arquivos.............................................................................................................41 Removendo arquivos e diretórios......................................................................................42 Usando caracteres coringas..............................................................................................42 Utilitários para manipulação dos arquivos.........................................................................43 103.4 Direcionando os fluxos a seu favor................................................................................43 Substituição comandos......................................................................................................44 Canalização de comandos................................................................................................45 103.5 Nascer, correr e morrer com um processo.....................................................................46 Colocando um processo em background...........................................................................46 Monitorando processos.....................................................................................................47 Finalizando processos.......................................................................................................49 CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX LPI – 1 - 2ª edição – 2014 – www.linuxville.com.br 5
  6. 6. 103.6 Gerenciando prioridades dos processos........................................................................50 103.7 Pesquisando conteúdo de arquivos usando expressões regulares................................52 103.8 Usando o editor vi..........................................................................................................53 Editor de arquivos..............................................................................................................53 Deletando texto.................................................................................................................53 Para salvar........................................................................................................................54 Outros................................................................................................................................54 Tópico 104: Dispositivos, sistema de arquivos Linux e padrão de Sistemas........56 104.1 Criando partições...........................................................................................................56 Formatando partições........................................................................................................58 104.2 Mantendo integridade das partições..............................................................................59 Outras ferramentas............................................................................................................60 Ferramentas de analise.....................................................................................................60 Monitorando o espaço do sistema de arquivos..................................................................61 104.3 Controlando a montagem do sistema de aquivos..........................................................62 104.4 Gerenciando quotas.......................................................................................................64 Arquivos especiais com permissões especiais..................................................................66 Atribuindo permissão suid.................................................................................................67 Permissão especial stick...................................................................................................67 Criação de arquivos e permissão padrão..........................................................................67 Alterado grupos.................................................................................................................68 104.6 Links simbólicos.............................................................................................................69 104.7 Arquivos dentro do sistema de arquivos e sua localização............................................70 Diretórios...........................................................................................................................70 Tópico 105: Programação em SHELL e Banco de dados.........................................72 105.1 Customizando o ambiente de programação...................................................................72 Variáveis............................................................................................................................72 Inicialização e customização do shell................................................................................72 Funções.............................................................................................................................72 Execução...........................................................................................................................73 105.2 Criando os programas....................................................................................................74 Testes aritméticos..............................................................................................................75 Testes com arquivos..........................................................................................................75 Os testes com variáveis contendo textos...........................................................................76 Instrução case...................................................................................................................76 Instrução for.......................................................................................................................76 Instrução de laço – until.....................................................................................................77 Instrução de laço – while...................................................................................................77 Fazendo as contas em shell..............................................................................................78 Substituição de comandos.................................................................................................78 Variáveis Array...................................................................................................................78 105.3 Gerenciamento SQL......................................................................................................80 Tipos de dados em uma tabela..........................................................................................82 Inserindo dados na tabela.................................................................................................83 Selecionando dados..........................................................................................................83 Atualizando dados.............................................................................................................84 Deletando os dados...........................................................................................................84 Integrando as tabelas........................................................................................................85 CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX LPI – 1 - 2ª edição – 2014 – www.linuxville.com.br 6
  7. 7. Tópico 106: Interface do usuário e área de trabalho.................................................88 106.1 Configurando o X11.......................................................................................................88 Compatibilidade.................................................................................................................88 As sessões do xorg.conf....................................................................................................89 ServerLayout.....................................................................................................................90 Variável DISPLAY..............................................................................................................91 106.2 Configurações do gerenciador gráfico............................................................................92 106.3 Acessibilidade................................................................................................................93 Orca...................................................................................................................................93 Tópico 107: Tarefas administrativas............................................................................96 107.1 Gerenciando contas de usuários, grupos.......................................................................96 Modelos de contas de usuário...........................................................................................96 Manutenindo informações do usuário................................................................................96 Onde ficam as senhas?.....................................................................................................98 Criando grupos..................................................................................................................99 107.2 Automatizando tarefas.................................................................................................100 107.3 Internacionalização......................................................................................................102 Fuso horário....................................................................................................................103 Tópico 108: Serviços essenciais...............................................................................106 108.1 Sistema de hora...........................................................................................................106 108.2 Sistema de registros (Log)...........................................................................................109 108.3 Sistema de transferência de mensagens (MTA)...........................................................111 Apelidos de conta (aliases)..............................................................................................112 Encaminhamento.............................................................................................................112 Monitoramento de Fila.....................................................................................................112 108.4 Gerenciando impressoras............................................................................................113 Verificando as impressoras..............................................................................................114 Filas de impressão...........................................................................................................114 Remover impressão.........................................................................................................114 Enviar uma impressão.....................................................................................................115 Tópico 109: Fundamentos de rede............................................................................119 109.1 Fundamentos de protocolos de rede............................................................................119 Endereços privados.........................................................................................................120 Protocolos de internet......................................................................................................121 Portas utilizada pelos protocolos de rede........................................................................121 Rota padrão.....................................................................................................................122 109.2 Configuração básica de rede.......................................................................................127 109.3 Resolução básica de problemas de rede.....................................................................129 Serviços de rede..............................................................................................................130 109.4 Configuração de cliente de resolução de nomes..........................................................133 host..................................................................................................................................133 dig....................................................................................................................................133 Rastreamento de DNS.....................................................................................................134 Configuração de DNS......................................................................................................134 CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX LPI – 1 - 2ª edição – 2014 – www.linuxville.com.br 7
  8. 8. Tópico 110: Segurança................................................................................................136 110.1 Tarefas administrativas de segurança..........................................................................136 Definindo senhas para usuários......................................................................................136 Alterando propriedades dos usuários..............................................................................137 Verificando portas abertas no sistema.............................................................................138 Limitando a utilização de recursos do sistema Linux.......................................................142 Limitando comandos com o sudo....................................................................................143 110.2 Configurando a segurança de um servidor...................................................................144 Listando os serviços........................................................................................................144 Configurando quem pode acessar o serviço....................................................................144 110.3 Segurança com criptografia..........................................................................................147 Chaves de autenticação..................................................................................................147 Criando tuneis seguros com ssh......................................................................................149 Gerenciamento de chaves criptográficas.........................................................................149 Agora vamos criptografar um arquivo..............................................................................150 Exportando a chave publica.............................................................................................151 Importando a chave publica.............................................................................................151 CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX LPI – 1 - 2ª edição – 2014 – www.linuxville.com.br 8
  9. 9. Tópico 101: Arquitetura de sistema 101.1 Identificando e configurando o hardware básico A importância da identificação de hardware Se alguém me pergunta-se qual o maior problema de sistemas da computação eu diria sem titubear que é a incompatibilidade de hardware dos sistemas. Sem o sistema conhecer o hardware como ele aplicaria as devidas configurações? Os sistemas vêm durante muitos anos tentando deixar a detecção de hardware transparente para o usuário final. Identificar corretamente faz com que o sistema operacional utilize todas as funcionalidades do hardware, caso contrário ele pode executar comandos que não são destinados a ele podendo até causar instabilidade dentro do sistema. No Linux a detecção de hardware esta muito bem desenvolvida, ela já acontece nos primeiros instantes de inicialização do Linux. Identificando hardware Existem várias maneiras de identificar o hardware de um sistema Linux, são comandos que listam dispositivos e diretórios que contém informações. Vamos inicialmente aos comandos. Hoje a maioria dos dispositivos conectados nos nossos hardwares são PCI (Peripheral Component Interconnect — Interconector de Componentes Periféricos) e essa identificação pode ser feita com o comando lspci. Execute no terminal: $ lspci  00:00.0 Host bridge: Intel Corporation 2nd Generation Core Processor Controller (rev 09)  00:02.0 VGA compatible controller: Intel Corporation 2nd Generation Core Processor  00:16.0 Communication controller: Intel Corporation 6 Series/C200 MEI Controller #1 (rev 04)  00:1a.0 USB Controller: Intel Corporation 6 Series/C200 Series Host Controller #2 (rev 05)  00:1b.0 Audio device: Intel Corporation 6 Series/C200 inition Audio Controller (rev 05)  00:1c.0 PCI bridge: Intel Corporation 6 Series/C200 mily PCI Express Root Port 1 (rev b5)  00:1c.7 PCI bridge: Intel Corporation 6 Series/C200 Series PCI Express Root Port 8 (rev b5)  00:1d.0 USB Controller: Intel Corporation 6 Series/C200 Enhanced Host Controller #1 (rev 05)  00:1f.0 ISA bridge: Intel Corporation HM67 Express Chipset Family LPC Controller (rev 05)  00:1f.2 SATA controller: Intel Corporation 6 Series/C200 6 port SATA AHCI Controller (rev 05)  00:1f.3 SMBus: Intel Corporation 6 Series/C200 Series SMBus Controller (rev 05)  05:00.0 Ethernet controller: Realtek RTL8111/8168B PCI Gigabit Ethernet controller (rev 06)  09:00.0 Network controller: Intel Corporation Centrino Wireless­N 1030 (rev 34)  0b:00.0 USB Controller: Texas Instruments Device 8241 (rev 02)  O comando listou os dispositivos pci informando o endereço, tipo de dispositivo e a descrição do mesmo. Para detalhar mais as informações com a opção -v. Utilize a opção -s para especificar o dispositivo que você quer mais opções. $ lspci ... 09:00.0 Network controller: Intel Corporation Centrino Wireless­N 1030 (rev 34)  ... $ lspci ­s 09:00.0 ­v  09:00.0 Network controller: Intel Corporation Centrino Wireless­N 1030 (rev 34)  Subsystem: Intel Corporation Centrino Wireless­N 1030 BGN  Flags: bus master, fast devsel, latency 0, IRQ 49  Memory at f7e00000 (64­bit, non­prefetchable) [size=8K]  Capabilities: <access denied>  Kernel driver in use: iwlwifi  Kernel modules: iwlwifi  CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX LPI – 1 - 2ª edição – 2014 – www.linuxville.com.br 9 Drivers/módulos
  10. 10. Uma informação importante é a utilização dos módulos pelo sistema que pode indicar conforme o fabricante o módulo/driver correto. Você pode listar os módulos com o comando lsmod de modo a verificar as suas dependências e informações relevantes. A ausência do módulo pode indicar o não funcionamento do hardware. Veja: # lsmod  Module                  Size  Used by  fuse                   66891  2  ip6table_filter         2889  0  ip6_tables             19458  1 ip6table_filter  ebtable_nat             2009  0  ebtables               18135  1 ebtable_nat  ipt_MASQUERADE          2466  3  iptable_nat             6158  1  nf_nat                 22759  2 ipt_MASQUERADE,iptable_nat  nf_conntrack_ipv4       9506  4 iptable_nat,nf_nat  nf_defrag_ipv4          1483  1 nf_conntrack_ipv4  xt_state                1492  1  nf_conntrack           79453  5 ipt_MASQUERADE,iptable_nat,nf_nat,nf_conntrack_ipv4,xt_state  ipt_REJECT              2351  2  r8169                  51803  0  mii                     5335  1 r8169  ... O Módulo aparecendo na listagem indica que o módulo foi carregado no sistema, para buscar mais informações sobre o módulo utilize o comando modinfo módulo. O comando modinfo mostra as informações disponíveis do módulo. # modinfo r8169  filename:       /lib/modules/2.6.32­279.el6.x86_64/kernel/drivers/net/r8169.ko  firmware:       rtl_nic/rtl8168f­2.fw  firmware:       rtl_nic/rtl8168f­1.fw  firmware:       rtl_nic/rtl8105e­1.fw  firmware:       rtl_nic/rtl8168e­2.fw  firmware:       rtl_nic/rtl8168e­1.fw  firmware:       rtl_nic/rtl8168d­2.fw  firmware:       rtl_nic/rtl8168d­1.fw  version:        2.3LK­NAPI  license:        GPL  description:    RealTek RTL­8169 Gigabit Ethernet driver  author:         Realtek and the Linux r8169 crew <netdev@vger.kernel.org>  srcversion:     EF300A07BF468A9B37714A3  alias:          pci:v00000001d00008168sv*sd00002410bc*sc*i*  depends:        mii  vermagic:       2.6.32­279.el6.x86_64 SMP mod_unload modversions  parm:           use_dac:Enable PCI DAC. Unsafe on 32 bit PCI slot. (int)  ... Os módulos são carregados automaticamente na inicialização o sistema, porém existem casos que o seu carregamento manual é necessário. Um exemplo é a instalação de um novo hardware, onde o usuário não tem o módulo e precisa compilá-lo/instalá-lo manualmente no sistema Linux. O comando modprobe – manipula o carregamento de módulos. modprobe -r módulo = remove módulo modprobe módulo = carrega módulo CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX LPI – 1 - 2ª edição – 2014 – www.linuxville.com.br 10
  11. 11. Existem dispositivos que são carregados no sistema conhecidos como hotplug e coldplug, em resumo os dispositivos hotplug são dispositivos que podem ser removidos com o sistema ligado como um pendrive. Coldplug são dispositivos que necessitam de desligamento total do hardware/sistema para tal como exemplo: Processadores, memórias … Para listar as portas usb utilizamos o comando lsusb, veja: # lsusb  Bus 001 Device 001: ID 1d6b:0002 Linux Foundation 2.0 root hub  Bus 002 Device 001: ID 1d6b:0002 Linux Foundation 2.0 root hub  Bus 001 Device 002: ID 8087:0024 Intel Corp. Integrated Rate Matching Hub  Bus 002 Device 002: ID 8087:0024 Intel Corp. Integrated Rate Matching Hub  Bus 001 Device 003: ID 413c:2107 Dell Computer Corp.  Bus 001 Device 004: ID 04ca:0061 Lite­On Technology Corp.  Bus 002 Device 003: ID 0bda:0158 Realtek Semiconductor Corp. USB 2.0 multicard reader  para detalhar a listagem dos dispositivos utilize-se as opções: -d para especificar o dispositivo -v para visualizar os detalhes # lsusb ­d 0bda:0158  Bus 002 Device 003: ID 0bda:0158 Realtek Semiconductor Corp. USB 2.0 multicard reader  # lsusb ­d 0bda:0158 ­v  Bus 002 Device 003: ID 0bda:0158 Realtek Semiconductor Corp. USB 2.0 multicard reader  Device Descriptor:    bLength                18    bDescriptorType         1    bcdUSB               2.00    bDeviceClass            0 (Defined at Interface level)    bDeviceSubClass         0    bDeviceProtocol         0    bMaxPacketSize0        64    idVendor           0x0bda Realtek Semiconductor Corp.    idProduct          0x0158 USB 2.0 multicard reader    bcdDevice           58.88    iManufacturer           1 Generic    iProduct                2 USB2.0­CRW    iSerial                 3 20071114173400000  ... Outros comandos de identificação de hardware usam o DMI (Desktop Management Interface) que é uma estrutura padrão para o acompanhamento de componentes de um hardware que exibe componentes do software que os controla. O DMI é desenvolvido pelo Task Force Distributed Management (DMTF) em normas de gestão. Antes da introdução do DMI, não existiam fontes padronizadas sobre os componentes de um computador. Para resgatar essas informações sobre nosso hardware podemos utilizar o comando dmidecode.  dmidecode – lista as informações da bios # dmidecode | more  # dmidecode 2.11  SMBIOS 2.6 present.  55 structures occupying 2356 bytes.  Table at 0x000EB850.  ... CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX LPI – 1 - 2ª edição – 2014 – www.linuxville.com.br 11
  12. 12. Handle 0x0004, DMI type 4, 42 bytes  Processor Information  Socket Designation: CPU 1  Type: Central Processor  Family: Core i5  Manufacturer: Intel             ID: A7 06 02 00 FF FB EB BF  Signature: Type 0, Family 6, Model 42, Stepping 7  Flags:  FPU (Floating­point unit on­chip)  VME (Virtual mode extension)  DE (Debugging extension)  PSE (Page size extension)  Informações de subsistemas Existem outras informações do hardware no sistema, são locais onde o Linux cria dinamicamente os dispositivos durante a detecção de hardware e inicialização da máquina. /proc – Diretório de sistema que armazena os recursos utilizados nos processos ativos, informações de hardware e opções do kernel. Alguns aquivos padrão do /proc: /proc/meminfo – informações sobre a memória /proc/swaps – áreas dedicadas a swap /proc/cpuinfo – informações sobre a cpu do sistema $ man proc /sys – O diretório utiliza o novo sysfs com suporte a dispositivos hotswap de hardware. Ele tem informações parecidas com o /proc/, sua organização esta posta de forma hierárquica. /dev – contém os dispositivos : dispositivos conectados ao sistema ( HD, impressora...); dispositivos criados pelo kernel (loop, urandon). Esses dispositivos são essenciais para que o sistema funcione adequadamente. O responsável pela criação destes dispositivos é sistema udevd que cria e remove os dispositivos. Dispositivos de armazenamento Os dispositivos de armazenamento estão do diretório de sistema /dev, o nome do dispositivo depende do tipo de tecnologia utilizada como exemplo: SATA/SCSI = SD IDE = HD O nome também varia conforme a ordem encontrada nos canais de comunicação do hardware com o sistema. Se um disco esta localizado no primeiro canal IDE e ele tem duas partições a primeira se chamara hda1 e a segunda hda2. CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX LPI – 1 - 2ª edição – 2014 – www.linuxville.com.br 12
  13. 13. Tabela de comparação: Tipo Dispositivo Descrição IDE /dev/hda1 Primeira partição do primeiro disco IDE IDE /dev/hdb3 Terceira partição do segundo disco IDE SATA/SCSI /dev/sdc2 Segunda partição do terceiro disco SATA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX LPI – 1 - 2ª edição – 2014 – www.linuxville.com.br 13
  14. 14. 101.2 Sistema de inicialização A inicialização do sistema começa pela BIOS (Basic Input Output System) que ativa o hardware básico. Uma vez inicializado o sistema de hardware a BIOS procura nos primeiros bytes do disco lendo os 512 bytes iniciais MBR (Master Boot Record) que contem o carregador de inicialização e este por sua vez inicializa o kernel do Linux, que monta por sua vez toda a estrutura de serviços. A ordem básica de inicialização é a seguinte: • Inicialização da BIOS • Leitura da MBR • Inicialização do gerenciador de boot Linux • Execução do kernel Linux • Montagem do sistema de arquivos • Inicialização dos serviços O gerenciador de boot O gerenciador de boot do Linux é o responsável pelo carregamento do kernel do Linux e ações de manutenção e recuperação de sistema. Com ele podemos paralisar a inicialização e interagir com a mesma, podemos passar parâmetros para o kernel e mudar seu modo de trabalho. O principal programa utilizado para gerenciar o boot é o grub. GNU GRUB1 é um gerenciador de boot de inicialização múltipla (Grand Unified Bootloader) que foi originalmente concebido e implementado por Erich Stefan Boleyn, ele é um carregador de inicialização é o primeiro programa de software que é executado quando um computador é iniciado. Ele é o responsável por carregar e transferir controle para o kernel do sistema operacional. O kernel, por sua vez, inicializa o restante do sistema. O arquivo de configuração do grub fica em: /boot/grub/grub.conf e /etc/grub.conf o último é um link para o diretório /boot, veja o conteúdo do arquivo grub.conf: Durante a inicialização é possível também passar os parâmetros para o kernel pelo grub com a sua intervenção. Por padrão o grub espera por alguns segundos para iniciar o kernel, nesse CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX LPI – 1 - 2ª edição – 2014 – www.linuxville.com.br 14
  15. 15. ponto podemos entrar na linha de comando do grub para a passagem de parâmetros. Faça o seguinte, inicialize o Linux e quando aparecer a tela do gerenciador de boot pressione a seta do teclado para baixo e siga as instruções abaixo: Procedimento para paralisação do boot na distribuição CentOS. 1) Pressione seta para baixo para parar o grub e em seguida tecle “e”. Note que existe um menu de orientação abaixo. 2) Tecle e (Edit) novamente para editar o parâmetro do kernel, selecione a linha vmlinuz 3) Linha do kernel 4) adicione init=/bin/bash e de um enter 5) Sistema inicializado com a inicialização alterada para o programa /bin/bash Nesse ponto temo a nossa disposição uma alternativa de boot com todos os comandos a nossa disposição. CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX LPI – 1 - 2ª edição – 2014 – www.linuxville.com.br 15
  16. 16. Existem uma série de inicializações possíveis abaixo algumas: Comando Descrição Exemplo mem Limitando/Definindo a memoria a ser utilizada mem=1024M init Definindo o programa de inicialização Init=/bin/bash maxcpus Define o máximo de cpus utilizadas maxcpus=1 Verifique no site da referencia 2 onde você pode encontrar vários parâmetros para passar no momento do boot. Depois da inicialização do kernel e a montagem do sistema de arquivos inicia-se primeiro processo que esta localizado no /sbin/init. O init é o processo número 1 do sistema e ele é o responsável pela chamada de todos os outros processos. Utilize o comando ps ax | more para listar processos e veja: Utilize o comando pstree e procure o processo init: Após a inicialização A inicialização de um Linux pode ser verificada após sua inicialização com o comando dmesg que mostra os registros (logs) dos serviços durante o processo de boot. Com esse comando podemos ver possíveis problemas, carregamento correto ou não de algum serviço. CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX LPI – 1 - 2ª edição – 2014 – www.linuxville.com.br 16
  17. 17. dmesg – Exibe o buffer do kernel Linux more – Exibe a listagem com pausa O comando dmesg em ação: Você pode também verificar os logs de serviços no /var/log/messages que centraliza os registro das atividades. # tail /var/log/messages  Apr 14 09:39:57 localhost NetworkManager[1957]: <info>   domain name 'linuxville.com.br'  Apr 14 11:58:22 localhost dhclient[1970]: DHCPACK from 10.1.0.254 (xid=0x450ddda9)  Apr 14 11:58:22 localhost dhclient[1970]: bound to 10.1.5.62 ­­ renewal in 10670 seconds.  Apr 14 11:58:22 localhost NetworkManager[1957]: <info>   address 10.1.5.62  Apr 14 11:58:22 localhost NetworkManager[1957]: <info>   prefix 20 (255.255.240.0)  Apr 14 11:58:22 localhost NetworkManager[1957]: <info>   gateway 10.1.0.254  Apr 14 11:58:22 localhost NetworkManager[1957]: <info>   nameserver '10.1.0.254'  Apr 14 11:58:22 localhost NetworkManager[1957]: <info>   domain name 'linuxville.com.br'  101.3 Alterando o nível de execução do Linux Quando o Linux esta em execução ele esta em um modo que permite a execução de vários serviços, esse modo pode ser alterado em função da necessidade. Um exemplo deste nível de execução é uma manutenção no sistema de arquivos do servidor, esta necessitaria de uma remoção total dos usuários conectados e a paralisação de todos os processos que utilizam o sistema de arquivos. Com isso conseguimos adicionar segurança no ambiente para essa manutenção. Os níveis de execução mais conhecidos como runlevel são: ID Nome Descrição 0 Halt Desligamento do sistema 1 Single Execução de manutenção, fecha todas as conexões permitindo apenas o usuário local 2 Single-Network Execução de manutenção com suporte a rede. Não utilizado pela maioria das distribuições 3 Multi-user total Execução multiusuário plena CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX LPI – 1 - 2ª edição – 2014 – www.linuxville.com.br 17
  18. 18. 4 Não utilizado Ambiente gráfico para algumas distribuições 5 Multi-user total Execução multiusuário plena com suporte para o ambiente gráfico para algumas distribuições 6 Reboot Reinicialização do sistema Você pode definir o nível de execução do sistema na linha de comando o com o comando init ou telenit, veja: # runlevel N 5  # init 3  O comando init 3 fara com que os programas do nível 5 sejam finalizados e os do nível 3 executados, desta forma se você esta no nível 5 com o ambiente gráfico ativado ele sera finalizado indo para o nível 3 sem o suporte do ambiente gráfico. Durante a inicialização o Init dispara a inicialização dos serviços que pode seguir estratégias diferentes segundo a sua distribuição utilizada. O sistema de inicialização da distribuição pode ser: • SysVinit – padrão de inicialização de serviços 5; • Upstart – Gerenciador de serviços baseado em eventos; • Systemd – Gerenciador de serviços do sistema, utiliza sistemas de inicialização paralelo. Sistema Sysvinit Depois de o Kernel desempenhar suas tarefas, o controle do sistema é repassado para o init. O init tem a finalidade de carregar os demais processos, fazendo com que seus sistemas fiquem ativos e pronto para o uso. O sistema sysvinit trabalha de forma simples, suas tarefas de inicialização só são iniciadas após o encerramento da anterior, diferente do novo conceito chamado systemd aplicado em novas distribuições onde pode ser calculado o processo que ira iniciar primeiro. Ná época de criação do sysvinit os hardwares para servidores e estações de trabalho não eram de multiprocessamento, por isso nos dias de hoje este trabalho do systemd de inicializar serviços simultaneamente fez com que o boot da máquina seja mais rápido. No inicio se achava que o sysvinit iria conseguir se adaptar a nova forma de multiprocessamento, mais não foi o que ocorreu devido a sua programação. CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX LPI – 1 - 2ª edição – 2014 – www.linuxville.com.br 18 Exercício: Entre como root no sistema e altere entre os níveis de execução 5, 1, 3, 6 e 0
  19. 19. Sistema Upstart Surgiu antes do inicio do multiprocessamento e com propósito de reformular o sysvinit e fazer com que a inicialização fosse baseada em avaliação de eventos. Uma explicação rápida de eventos é que um evento pode inicializar um serviço que pode mandar uma instrução para inicializar outro serviço e assim sucessivamente. Sistema Systemd Algumas distribuições GNU/Linux já utilizam o systemd ao invés do sysvinit. As novas versões da distribuição Fedora e Centos 7 RC são uma delas. Mudanças: Com os Hardwares de alto desempenho no mercado, o sistema criado chamado systemd faz com que a inicialização do sistema tome por uma ativação dos serviços em paralelo. A inicialização baseada em systemd torna-se mais rápida que a sysvinit. Se sua distribuição o utiliza, você pode acessar o diretório /etc/init.d e ver que não há mais tantos scripts para gerenciamento de serviços. Veja alguns comandos: Listar os serviços: # systemctl list­units  UNIT                      LOAD   ACTIVE SUB       JOB DESCRIPTION  proc­sys...misc.automount loaded active waiting       Arbitrary Executable File Formats File System Automount Point  sys­devi...th­hci0.device loaded active plugged       /sys/devices/pci0000:00/0000:00:1a.0/usb1/1­1/1­1.4/1­ 1.4:1.0/bluetooth/hci0  sys­devi...d­card0.device loaded active plugged       6 Series/C200 Series Chipset Family High Definition Audio Controller  sys­devi...et­p1p1.device loaded active plugged       RTL8111/8168B PCI Express Gigabit Ethernet controller  sys­devi...t­wlan0.device loaded active plugged       Centrino Wireless­N 1030  sys­devi...da­sda1.device loaded active plugged       ST9500325AS  sys­devi...da­sda2.device loaded active plugged       ST9500325AS  sys­devi...da­sda3.device loaded active plugged       ST9500325AS  sys­devi...da­sda4.device loaded active plugged       ST9500325AS  sys­devi...da­sda5.device loaded active plugged       ST9500325AS  sys­devi...da­sda6.device loaded active plugged       ST9500325AS  sys­devi...ock­sda.device loaded active plugged       ST9500325AS  sys­devi...y­ttyS0.device loaded active plugged       /sys/devices/platform/serial8250/tty/ttyS0  sys­devi...y­ttyS1.device loaded active plugged       /sys/devices/platform/serial8250/tty/ttyS1  sys­devi...y­ttyS2.device loaded active plugged       /sys/devices/platform/serial8250/tty/ttyS2  sys­devi...y­ttyS3.device loaded active plugged       /sys/devices/platform/serial8250/tty/ttyS3  sys­devi...et­tun0.device loaded active plugged       /sys/devices/virtual/net/tun0  sys­devi...­virbr0.device loaded active plugged       /sys/devices/virtual/net/virbr0  sys­devi...x2dnic.device loaded active plugged       /sys/devices/virtual/net/virbr0­nic  sys­devi...­virbr1.device loaded active plugged       /sys/devices/virtual/net/virbr1  sys­devi...x2dnic.device loaded active plugged       /sys/devices/virtual/net/virbr1­nic  sys­devi...ty­tty0.device loaded active plugged       /sys/devices/virtual/tty/tty0  Listar todos os valores e serviços # systemctl all  Verificar o estado de um serviço específico # systemctl status sshd.service  CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX LPI – 1 - 2ª edição – 2014 – www.linuxville.com.br 19
  20. 20. Parar, iniciar ou reinicializar o serviço: # systemctl stop|start|restart sshd.service  Desabilitar ou habilitar a inicialização automática: # systemctl disable|enable sshd.service  Formas de tratamento dos serviços: SysVinit – manipulação básica service <service> status service status –all service <service> start|stop SysVinit – configuração básica /etc/inittab system boot si::sysinit:/etc/rc.d/rc.sysinit id:3:initdefault: l3:3:wait:/etc/rc.d/rc 3 control-alt-delete ca::ctrlaltdel:/sbin/shutdown -t3 -r now Alteração de nível telinit <runlevel> upstart – manipulação básica initctl status <job> initctl list initctl start|stop servico upstart – configuração básica /etc/init/ system boot startup event /etc/init/rcS.conf /etc/rc.d/rc.sysinit exec telinit $runlevel runlevel event /etc/init/rc.conf -> /etc/rc.d/rc $RUNLEVEL /etc/init/control-alt-delete Systemd - manipulação básica systemctl list-units –all systemctl status <unit> systemctl start|stop <unit> Systemd - configuração básica /etc/systemd/system, /lib/systemd/system system boot default-target -> multiuser.target wants basic.target wants sysinit.target control-alt-delete ctrl-alt-del.target Change target systemctl isolate <target> CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX LPI – 1 - 2ª edição – 2014 – www.linuxville.com.br 20
  21. 21. Finalização do sistema Linux Um sistema Linux pode ser finalizado pelos comandos: shutdown – O comando envia um sinal para o sistema desligar, ou seja, todos os processos são avisados que o Linux vai parar e então os mesmos fecham suas alocações de recursos para o encerramento total do sistema. Ele alterna para o runlevel 0 que é o desligamento do sistema. O comando ainda oferece algumas opções como: -hh:mm = horário para desligamento exemplo: -22:30 +m = Dentro m minutos exemplo: +5 now = agora Veja: # shutdown 8:00  Shutdown scheduled for Tue, 03 Jun 2014 08:00:00 ­0300, use 'shutdown ­c' to cancel.  # shutdown ­c   #  # shutdown +15 "Vamos desligar pessoal :) "  Shutdown scheduled for Mon, 02 Jun 2014 22:43:46 ­0300, use 'shutdown ­c' to cancel.  #  Broadcast message from root@bumblebee.linuxville.com.br (Mon, 02 Jun 2014 22:28:46 ­0300):  Vamos desligar pessoal :)  The system is going down for power­off at Mon, 02 Jun 2014 22:43:46 ­0300!  # shutdown ­c  reboot – O comando reboot apenas muda para o runlevel 6 e reinicializa o sistema. Halt – Desliga o sistema Linux poweoff – Desliga o sistema Linux Links interessantes http://www.zago.eti.br/hard/hardware-identificar.html http://www.ibm.com/developerworks/library/l-lpic1-v3-101-3/index.html http://www.linux.com/archive/feature/114107 https://wiki.archlinux.org/index.php/Systemd CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX LPI – 1 - 2ª edição – 2014 – www.linuxville.com.br 21
  22. 22. Exercícios 1) Quais comandos identificam dispositivos no sistema Linux? Marque todas alternativas corretas. a) ( ) lsub b) ( ) lspci c) ( ) dmidecode d) ( ) cat /proc/cpu 2) Como identificar o módulo utilizado por um dispositivo pci? a) ( ) lspci -s END b) ( ) lspci -s END -v c) ( ) lspci -s END -V d) ( ) Nenhuma das respostas 3) Qual comando descarrega um módulo? a) ( ) lsremove módulo b) ( ) modinfo módulo c) ( ) modprobe módulo d) ( ) modprobe -r módulo 4) Qual a localização das configurações do gerenciador de boot grub? a) ( ) /root/grub.conf b) ( ) /boot/grub.conf c) ( ) /etc/grub.conf d) ( ) /etc/grub.d/grub.conf 5) Qual parâmetro do kernel pode mudar a inicialização do sistem? a) ( ) initial 5 b) ( ) /sbin/init c) ( ) init=/bin/shell d) ( ) init=/bin/bash CURSO DE ADMINISTRAÇÃO LINUX LPI – 1 - 2ª edição – 2014 – www.linuxville.com.br 22

×