Plano de negócio - Cafeteria

17,681 views

Published on

Published in: Economy & Finance
0 Comments
8 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
17,681
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
10
Actions
Shares
0
Downloads
522
Comments
0
Likes
8
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Plano de negócio - Cafeteria

  1. 1. UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE – UNIVILLE<br />DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO<br />PLANO DE NEGÓCIO DE UMA CAFETERIA<br />GEOVANE DA SILVA<br />Joinville – SC<br />2010<br />GEOVANE DA SILVA<br />PLANO DE NEGÓCIO DE UMA CAFETERIA<br />Trabalho de conclusão de estágio apresentado ao curso de Administração da Universidade da Região de Joinville - Univille – como requisito parcial para obtenção do grau de Bacharel em Administração, sob orientação do Professor Claiton E. Amaral.<br />Joinville – SC<br />2010<br />Dedico esse trabalho a minha família, que em todos os momentos me apoiou e deu ânimo para continuar.<br />Agradeço ao meu orientador, professor Claiton E. do Amaral pelo apoio no desenvolvimento deste trabalho. E aos demais professores que me ajudaram no decorrer do ano.<br />RESUMO<br />Este trabalho apresenta um plano de negócios para verificar a viabilidade da abertura e montagem de uma cafeteria no centro de Joinville – SC. Tendo como objetivo auxiliar o empreendedor nesta difícil tarefa de implementar um novo negócio, servindo como um guia auxiliando na tomada as de decisões, utilizando este guia não apenas para a abertura, mas também para ser aperfeiçoado conforme a necessidade e mudanças estratégicas do empreendimento. Para a elaboração deste trabalho foram realizadas entrevistas com possíveis clientes e futuros fornecedores. Para a elaboração do plano financeiro foi realizado uma pesquisa de mercado com o objetivo de saber os preços praticados pela concorrência e qual o nível de satisfação dos clientes e por fim, depois dos índices calculados e analisados detectar a viabilidade do empreendimento. A projeção do empreendimento para retorno do investimento ficou-se estabelecido em 1 ano e 7 meses, tendo rentabilidade de 50,41% no primeiro ano e 76,66% no segundo ano. <br />Palavras – chave: Plano de negócio; cafeteria; empreendedorismo.<br />LISTA DE FIGURAS<br /> TOC h z c "Figura" Figura 1 - Organograma PAGEREF _Toc280126744 h 18<br />Figura 2 - Os processos administrativos PAGEREF _Toc280126745 h 22<br />Figura 3 - As causas mais comuns de falha nos negócios. PAGEREF _Toc280126746 h 25<br />Figura 4 - As vantagens de ser funcionário e de ser empreendedor. PAGEREF _Toc280126747 h 27<br />Figura 5 - Fluxograma de atendimento. PAGEREF _Toc280126748 h 54<br />Figura 6 - Mapa de localização PAGEREF _Toc280126749 h 55<br />Figura 7 - Layout. PAGEREF _Toc280126750 h 56<br />LISTA DE GRÁFICOS<br /> TOC h z c "Gráfico" Gráfico 1 - Idade dos entrevistados. PAGEREF _Toc280126756 h 42<br />Gráfico 2 - Sexo dos entrevistados. PAGEREF _Toc280126757 h 43<br />Gráfico 3 - Bairro onde reside. PAGEREF _Toc280126758 h 43<br />Gráfico 4 - Profissão dos entrevistados. PAGEREF _Toc280126759 h 44<br />Gráfico 5 - Renda dos entrevistados. PAGEREF _Toc280126760 h 45<br />Gráfico 6 - Preferência de lugar. PAGEREF _Toc280126761 h 45<br />Gráfico 7 - Freqüência de utilização. PAGEREF _Toc280126762 h 46<br />Gráfico 8 - Grau de importância. PAGEREF _Toc280126763 h 47<br />Gráfico 9 - Acesso a internet. PAGEREF _Toc280126764 h 47<br />Gráfico 10 - Freqüência de consumo dos produtos. PAGEREF _Toc280126765 h 48<br />Gráfico 11 - Métodos de receber informações. PAGEREF _Toc280126766 h 49<br />Gráfico 12 - Projeção das receitas. PAGEREF _Toc280126767 h 68<br />Gráfico 13 - Projeção das despesas fixas PAGEREF _Toc280126768 h 71<br />Gráfico 14 - Projeção da receita líquida. PAGEREF _Toc280126769 h 77<br />Gráfico 15 - Projeção da lucratividade do ano 01 ao ano 05. PAGEREF _Toc280126770 h 79<br />Gráfico 16 - Projeção da rentabilidade do ano 01 ao ano 05. PAGEREF _Toc280126771 h 80<br />LISTA DE QUADROS<br /> TOC h z c "Quadro" Quadro 1 - Fatores econômicos. PAGEREF _Toc280126772 h 33<br />Quadro 2 - Fatores tecnológicos PAGEREF _Toc280126773 h 34<br />Quadro 3 - Fatores sociais PAGEREF _Toc280126774 h 35<br />Quadro 4 - Fatores políticos PAGEREF _Toc280126775 h 35<br />Quadro 5 - Fatores meio ambiente PAGEREF _Toc280126776 h 36<br />Quadro 6 - Análise dos fornecedores PAGEREF _Toc280126777 h 38<br />Quadro 7 - Análise dos concorrentes PAGEREF _Toc280126778 h 38<br />Quadro 8 - Quadro funcional. PAGEREF _Toc280126779 h 53<br />LISTA DE TABELAS<br /> TOC h z c "Tabela" Tabela 1- Taxa de mortalidade das empresas. PAGEREF _Toc280126780 h 24<br />Tabela 2 - Análise dos concorrentes PAGEREF _Toc280126781 h 40<br />Tabela 3 - Projeção de investimentos. PAGEREF _Toc280126782 h 58<br />Tabela 4 - Preço médio de venda das mercadorias do mês 01 ao mês 06. PAGEREF _Toc280126783 h 59<br />Tabela 5 - Preço médio de venda das mercadorias do mês 07 ao mês 12. PAGEREF _Toc280126784 h 60<br />Tabela 6 - Quantidade média vendida do mês 01 ao mês 06. PAGEREF _Toc280126785 h 61<br />Tabela 7 - Quantidade média vendida do mês 07 ao mês 12. PAGEREF _Toc280126786 h 62<br />Tabela 8 - Quantidade média vendida do ano 01 ao ano 05. PAGEREF _Toc280126787 h 63<br />Tabela 9 - Preço médio de venda do ano 01 ao ano 05. PAGEREF _Toc280126788 h 64<br />Tabela 10 - Projeção das receitas do mês 01 ao mês 06. PAGEREF _Toc280126789 h 65<br />Tabela 11 - Projeção das receitas do mês 07 ao mês 12. PAGEREF _Toc280126790 h 66<br />Tabela 12 - Projeção das receitas do ano 01 ao ano 05. PAGEREF _Toc280126791 h 67<br />Tabela 13 - Projeção de despesas fixas do mês 01 ao mês 06. PAGEREF _Toc280126792 h 69<br />Tabela 14 - Projeção das despesas fixas do mês 07 ao mês 12. PAGEREF _Toc280126793 h 69<br />Tabela 15 - Projeção das despesas fixas do ano 01 ao ano 05. PAGEREF _Toc280126794 h 70<br />Tabela 16 - Projeção de custos e despesas variáveis do mês 01 ao mês 06. PAGEREF _Toc280126795 h 72<br />Tabela 17 - Projeção de custos e despesas variáveis do mês 07 ao mês 12. PAGEREF _Toc280126796 h 72<br />Tabela 18 - Projeção de custos e despesas variáveis do ano 01 ao ano 05. PAGEREF _Toc280126797 h 73<br />Tabela 19 - Projeção de custo do produto vendido do mês 01 ao mês 06. PAGEREF _Toc280126798 h 73<br />Tabela 20 - Projeção de custo do produto vendido do mês o7 ao mês 12. PAGEREF _Toc280126799 h 74<br />Tabela 21 - Projeção do custo do produto vendido do ano 01 ao ano 05. PAGEREF _Toc280126800 h 75<br />Tabela 22 - Projeção do DRE do mês 01 ao mês 06. PAGEREF _Toc280126801 h 76<br />Tabela 23 - Projeção do DRE do mês 07 ao mês 12. PAGEREF _Toc280126802 h 76<br />Tabela 24 - Projeção do DRE do ano 01 ao ano 05. PAGEREF _Toc280126803 h 76<br />Tabela 25 - Projeção da lucratividade do mês 01 ao mês 06. PAGEREF _Toc280126804 h 78<br />Tabela 26 - Projeção da lucratividade do mês 07 ao mês 12. PAGEREF _Toc280126805 h 78<br />Tabela 27 - Projeção da lucratividade do ano 01 ao ano 05. PAGEREF _Toc280126806 h 78<br />Tabela 28- Projeção da rentabilidade do ano 01 ao ano 05. PAGEREF _Toc280126807 h 79<br />Tabela 29 - Projeção do tempo de retorno do investimento. PAGEREF _Toc280126808 h 80<br />Tabela 30 - Ponto de equilíbrio do mês 01 ao mês 06. PAGEREF _Toc280126809 h 81<br />Tabela 31 - Ponto de equilíbrio do mês 07 ao mês 12. PAGEREF _Toc280126810 h 81<br />Tabela 32 - Ponto de equilíbrio do ao 01 ao ano 05. PAGEREF _Toc280126811 h 81<br />Tabela 33 - Análise TIR e VPL PAGEREF _Toc280126812 h 82<br />SUMÁRIO<br /> TOC o "1-3" p " " h z u RESUMO PAGEREF _Toc276188947 h 5<br />LISTA DE FIGURAS PAGEREF _Toc276188948 h 6<br />LISTA DE GRÁFICOS PAGEREF _Toc276188949 h 7<br />LISTA DE QUADROS PAGEREF _Toc276188950 h 8<br />LISTA DE TABELAS PAGEREF _Toc276188951 h 9<br />SUMÁRIO PAGEREF _Toc276188952 h 11<br />INTRODUÇÃO PAGEREF _Toc276188953 h 13<br />1 PROJETO PAGEREF _Toc276188954 h 14<br />1.1 Problema PAGEREF _Toc276188955 h 14<br />1.2 Objetivos PAGEREF _Toc276188956 h 14<br />1.2.1 Objetivo geral PAGEREF _Toc276188957 h 14<br />1.2.2 Objetivos específicos PAGEREF _Toc276188958 h 14<br />1.3 Justificativa PAGEREF _Toc276188959 h 15<br />1.4 Metodologia de estágio PAGEREF _Toc276188960 h 16<br />2 DEFINIÇÃO DO EMPREENDIMENTO PAGEREF _Toc276188961 h 17<br />2.1 Histórico da empresa PAGEREF _Toc276188962 h 17<br />2.3 Missão PAGEREF _Toc276188963 h 17<br />2.4 Visão PAGEREF _Toc276188964 h 18<br />2.4 Organograma da empresa PAGEREF _Toc276188965 h 18<br />2.5 Empreendedores PAGEREF _Toc276188966 h 19<br />2.6 Parcerias PAGEREF _Toc276188967 h 19<br />2.7 Produtos e serviços PAGEREF _Toc276188968 h 20<br />2.9 Tecnologia PAGEREF _Toc276188969 h 20<br />3 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA PAGEREF _Toc276188970 h 21<br />3.1 Administração PAGEREF _Toc276188971 h 21<br />3.2 Empreendedorismo PAGEREF _Toc276188972 h 22<br />3.2.1 O empreendedor PAGEREF _Toc276188973 h 25<br />3.2.2 Identificando oportunidades PAGEREF _Toc276188974 h 27<br />3.3 Plano de negócio PAGEREF _Toc276188975 h 29<br />3.3.1 Estrutura do plano de negócio PAGEREF _Toc276188976 h 30<br />4 ANÁLISE DO AMBIENTE PAGEREF _Toc276188977 h 33<br />4.1 Fatores econômicos PAGEREF _Toc276188978 h 33<br />4.2 Fatores tecnológicos PAGEREF _Toc276188979 h 34<br />4.3 Fatores sociais PAGEREF _Toc276188980 h 34<br />4.4 Fatores políticos PAGEREF _Toc276188981 h 35<br />4.5 Fatores de meio ambiente PAGEREF _Toc276188982 h 35<br />4.6 Fornecedores PAGEREF _Toc276188983 h 36<br />4.7 Concorrência PAGEREF _Toc276188984 h 38<br />4.8 Clientes PAGEREF _Toc276188985 h 40<br />4.9 Determinação da amostra PAGEREF _Toc276188986 h 40<br />4.9.1 Pesquisa de opinião PAGEREF _Toc276188987 h 41<br />5 ESTRUTURAÇÃO DO EMPREENDIMENTO PAGEREF _Toc276188988 h 51<br />5.1.4 Métodos de comercialização PAGEREF _Toc276188989 h 52<br />5.2.5 Controles de estoques PAGEREF _Toc276188990 h 56<br />5.3 Viabilidade econômico-financeira PAGEREF _Toc276188991 h 57<br />5.3.1 Projeção de investimentos PAGEREF _Toc276188992 h 57<br />5.3.2 Projeção de receitas PAGEREF _Toc276188993 h 58<br />5.3.3 Projeção de despesas fixas PAGEREF _Toc276188994 h 68<br />5.3.4 Projeção de custos e despesas variáveis PAGEREF _Toc276188995 h 71<br />5.3.5 Demonstrativo dos resultados PAGEREF _Toc276188996 h 75<br />5.4 Indicadores PAGEREF _Toc276188997 h 77<br />5.4.1 Lucratividade PAGEREF _Toc276188998 h 77<br />5.4.2 Rentabilidade PAGEREF _Toc276188999 h 79<br />5.4.3 Tempo de retorno de investimento PAGEREF _Toc276189000 h 80<br />5.4.5 Ponto de equilíbrio PAGEREF _Toc276189001 h 81<br />5.4.6 Taxa interna de retorno e Valor presente líquido PAGEREF _Toc276189002 h 82<br />5.5 Resultados obtidos PAGEREF _Toc276189003 h 82<br />5.6 Dificuldades encontradas PAGEREF _Toc276189004 h 83<br />CONCLUSÃO PAGEREF _Toc276189005 h 84<br />REFERÊNCIAS PAGEREF _Toc276189006 h 85<br />Apêndice A PAGEREF _Toc276189007 h 86<br />INTRODUÇÃO<br />Este trabalho teve como tema o desenvolvimento de um plano de negócio para abertura de uma cafeteria. O problema estudado visou verificar a viabilidade administrativo-financeira e de mercado da abertura dessa empresa, na cidade de Joinville.<br />A idéia de abertura da empresa surgiu com a percepção nas mudanças de hábito das pessoas em geral, seguido da observação dos dados apresentados por pesquisas recentes, que demonstram que a área de cafeterias está em plena ascensão, porém com poucas opções, surgindo uma oportunidade de mercado a ser explorada.<br />O trabalho está dividido em cinco capítulos, o primeiro capítulo apresenta os principais objetivos do projeto, a metodologia utilizada para a coleta de dados e a justificativa <br />No segundo capítulo é apresentado o sumário executivo, ou seja, de forma resumida descreve-se a descrição da empresa, os empreendedores, o mercado potencial, missão, visão, concorrentes, perfil dos clientes, possíveis parcerias, fornecedores e uma amostra da estrutura organizacional da empresa.<br />O terceiro capítulo busca através de pesquisas científicas a visão de alguns autores sobre o planejamento do negócio, a estrutura organizacional a maneira correta da coleta e organização dos dados, a importância da direção e controle do empreendimento, o perfil do empreendedor, uma explanação da visão do marketing, política de preços e divulgação e mix de produtos.<br />O capítulo quarto trata da análise de mercadológica, que será realizado através das técnicas de pesquisa exploratória, na observação da concorrência, fornecedores e mercado alvo.<br />O quinto capítulo apresenta a “construção” do plano de negócios obtida através da pesquisas realizadas no capítulo anterior além da viabilidade do negócio e alguns índices financeiros são analisados para saber se os sócios devem manter a idéia inicial do empreendimento ou se deverão fazer algumas mudanças, ou até mesmo mudar o ramo de atividade.<br />1 PROJETO<br />Abaixo identificamos as premissas para elaboração do plano de negócio de uma cafeteria.<br />1.1 Problema<br />Quais fatores são fundamentais e determinantes para o desenvolvimento de um plano de negócio de uma cafeteria?<br />1.2 Objetivos<br />Apresenta-se a seguir os objetivo geral e objetivos específicos a serem alcançados no desenvolvimento desse estágio.<br />1.2.1 Objetivo geral<br />Analisar a viabilidade de implementação deste empreendimento, bem como, compreender os aspectos relevantes para o funcionamento do negócio.<br />1.2.2 Objetivos específicos<br />A seguir, apresentam-se os objetivos específicos a serem alcançados com o desenvolvimento deste estágio:<br />Verificar qual o investimento será necessário para implantar o plano de negócio;<br />Definir estratégias de marketing para divulgação do empreendimento;<br />Identificar as oportunidades e ameaças do mercado;<br />Analisar a viabilidade de parcerias para atrair clientes;<br />Identificar a quantidade de funcionários para o empreendimento, bem como, os treinamentos necessários para que os mesmos possam promover um atendimento condizente com o negócio.<br />1.3 Justificativa<br />Com o desenvolvimento desse projeto pretende-se definir os objetivos do negócio, analisar sua viabilidade, antecipando dificuldades que possivelmente venham a ocorrer.<br />Segundo informações do SEBRAE, as principais causas de fechamento de empresas no país estão ligadas aos problemas financeiros, inadimplência, falta de planejamento, de capital de giro e falta de clientes. Com a elaboração deste projeto pretende-se identificar essas possíveis falhas que normalmente acontecem e evitá-las para sim ter sucesso na execução do empreendimento.<br />Segundo Dornelas (2001, p. 96). <br /> Todo plano de negócios deve ser elaborado e utilizado seguindo algumas regras básicas, mas que não são estáticas e permitem ao empreendedor utilizar sua criatividade ou o bom senso, enfatizando um outro aspecto que mais interessa ao público-alvo do plano de negócios em questão. [...] Outra característica importante é que ele não deve estar apenas focado no aspecto financeiro. Indicadores de mercado,de capacitação interna da empresa e operacionais são igualmente importantes, pois estes fatores mostram a capacidade da empresa em “alavancar” os seus resultados financeiros no futuro.<br />Conforme dados divulgados pela Associação Brasileira da Indústria de café, em 2010 o consumo de café no Brasil teve um crescimento de 5%, com base nesses dados e aliado ao fato das pessoas estarem quase sempre sem tempo para realizar as suas refeições em casa, ou até mesmo devido ao mundo dos negócios ser muito dinâmico, com este plano de negócio busca-se desenvolver um projeto de um ambiente charmoso, no qual as pessoas poderão fazer um lanche, se encontrar com amigos, ler um jornal, uma revista, ou até mesmo tirar um tempo para pensar, ou planejar o dia.<br />Com este projeto, além da verificação da viabilidade do empreendimento, o trabalho desenvolvido servirá para o academico colocar em prática os conceitos aprendidos no curso de administração de empresas da Univille, atenuando, com isso, as dificuldades da passagem do mundo acadêmico para o profissional.<br />1.4 Metodologia de estágio<br />Para o desenvolvimento desse projeto, serão realizadas pesquisas bibliográficas para a sua fundamentação seguindo os conceitos e princípios de importantes autores, para poder ter uma base sólida para a execução do plano de negócio.<br />Pesquisas de mercado também serão realizadas, para a identificação das necessidades dos consumidores, essas pesquisas servirão para poder identificar algumas oportunidades de serviços que hoje não são desenvolvidas dentro do ramo de serviços de café expresso, até mesmo para criar um diferencial, alguma vantagem competitiva, essa pesquisa de mercado poderá ser feita através de preenchimento de formulários e entrevistas.<br />Visitas aos fornecedores serão planejadas, até para alinhar a questão de fornecimento dos produtos que serão comercializados na loja, desenvolvimento de algumas estratégias específicas de logística, pois como se trata de produtos perecíveis, eles precisam ser produzidos pelo fornecedor e deverão ser encaminhados o mais rápido possível para a venda aos consumidores. As visitas aos concorrentes serão realizadas para poder identificar os pontos fortes e fracos, utilizando essas informações para traçar estratégias para aprimorar o que está sendo feito e também para evitar as deficiências que hoje fazem parte dos negócios.<br />Depois que as informações forem coletadas, estas serão tabuladas para elaboração de gráficos que melhor possibilitem a análise e definição de estratégias.<br />2 DEFINIÇÃO DO EMPREENDIMENTO<br />A seguir os tópicos que correspondem a definição de empreendimento, histórico da empresa, a empresa, missão, organograma da empresa, empreendedores, parcerias, produtos, serviços e tecnologia.<br />2.1 Histórico da empresa<br />A idéia de montar uma cafeteria foi motivada pela constatação da falta de um ambiente mais tranqüilo na região, voltado ao atendimento de pessoas que trabalham em escritórios, pessoas muitas vezes sem tempo para freqüentar um restaurante e que dependem de uma refeição mais rápida a qualquer hora do dia.<br />A proposta da cafeteria é propiciar um ambiente tranqüilo, onde os clientes poderão tomar um café, fazer um lanche, ler um jornal ou revista, assistir ao noticiário, ou até mesmo uma conversa informal.<br />Proporcionará café da melhor qualidade, terá um atendimento condizente com a filosofia do empreendimento, refletindo também nas instalações, com isso trará mais conforto e qualidade para os clientes. O nome da cafeteria irá ser Sabor do café, atuará no mercado alimentício e estará localizada no centro de Joinville/SC.<br />2.3 Missão<br />A missão da cafeteria será Proporcionar um ambiente tranqüilo e agradável, garantindo assim a satisfação dos clientes.<br />2.4 Visão<br />E terá como visão, Ser referência no ramo de cafeterias, com inovação e qualidade no atendimento aos clientes em cinco anos.<br />2.4 Organograma da empresa<br />A estrutura organizacional do empreendimento será enxuta, com base na administração moderna, poderá sofrer modificações conforme crescimento do empreendimento.<br />Apresenta-se a seguir na figura 1 o organograma preliminar do empreendimento;<br />Figura SEQ Figura * ARABIC 1 - Organograma<br />Fonte: Primária (2010)<br />A gerência administrativa ficará responsável por toda as questões administrativas, financeira, contratação de pessoal, treinamento, contato com fornecedores, compra de equipamentos e produtos.<br />O sub gerente será responsável pelo funcionamento do empreendimento, suas funções serão de coordenar os trabalhos dos atendentes e do caixa, recebimento e conferência dos pedidos, também atenderá os clientes.<br />A função de atendente será de recepcionar e servir os clientes, preparando as bebidas, salgados e sobremesas, serão responsáveis pela limpeza dos equipamentos, das mesas, entre outros.<br />A função caixa atenderá os clientes com as solicitações de pagamentos, será responsável pela limpeza da cafeteria e em determinados casos poderá atender e servir os clientes. <br />2.5 Empreendedores<br />Geovane da Silva, 24 anos, formando em administração de empresas, trabalha a 2 anos em uma empresa de consultoria e corretagem de seguros, conhecimentos em finanças e administração geral.<br />Regiane Machado, 22 anos, experiência profissional no ramo de lojas conveniência, conhecimento em métodos de atendimento ao cliente e controles financeiros.<br />2.6 Parcerias<br />A cafeteria vislumbra firmar parceria com alguma empresa que preste serviços de telecomunicação, instalando serviço de internet sem fio e televisão a cabo, aplicando assim a promoção da empresa de telecomunicação.<br />Pretende-se fazer parte de associações do ramo para sempre estar atento as mudanças do mercado, tendências, novos produtos ou até mesmo para divulgar o empreendimento.<br />2.7 Produtos e serviços<br />A cafeteria terá uma variada gama de produtos como, sanduíches naturais, pastéis de forno, bolos, pudim, diversos salgados, bombons, refrigerantes, sucos, café de diversas formas de preparo, sendo que, alguns desses produtos já serão encaminhados pelos fornecedores de forma pronta ou pré-pronta, no caso dos pastéis de forno, cafés e sucos serão elaborados no momento do pedido.<br />O empreendimento contará com um serviço de tele entrega para as regiões que fiquem bem próxima da cafeteria, terá também serviço de internet sem fio, com acesso gratuito para os clientes, revistas, jornais e televisão a cabo.<br />2.9 Tecnologia<br />O empreendimento fará uso de equipamentos modernos de ótima qualidade, para elaboração dos cafés, filtros de água, evitando o uso da água direto da torneira, lâmpadas, refrigeradores e fornos que consomem menos energia.<br />3 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA<br />Neste capítulo, são abordados os principais conceitos e definições teóricas necessárias para o desenvolvimento e compreensão do trabalho. São apresentadas idéias de autores referentes à administração, empreendedorismo, como identificar de oportunidades, plano de negócio e estrutura do plano de negócio<br />3.1 Administração<br />A palavra administração vem do latim que significa direção, tendência para subordinação ou obediência, em outras palavras, significa aquele que realiza uma função sob o comando de outra pessoa.<br />Henri Fayol foi o pioneiro no reconhecimento de que a administração deveria ser vista como uma função separada das demais funções da empresa, devido a sua complexidade e importância para uma organização.<br />Chiavenato (2004), afirma que a administração é um fenômeno universal no mundo moderno. As organizações precisam alcançar objetivos em um cenário de concorrência acirrada, tomar decisões, coordenar múltiplas atividades, conduzir pessoas, avaliar o desempenho dirigido a metas, obter e alocar recursos.<br />Por isso a administração é fundamental na sociedade moderna, ela é imprescindível para a existência e sobrevivência das organizações, até por que, as organizações atuais estão cada vez maiores e se tornam complexas, dessa forma, necessitam que tenha administração, para conduzir as atividades da organização, almejando obter o sucesso e consequentemente obtendo lucro.<br />A administração tem como tarefa interpretar os objetivos da organização e transformá-los em ação por meio de 4 processos administrativos (Figura 2), esses processos são a chave para a verificação e solução dos problemas que afetam grande parte das organizações.<br />Conforme Maximiano (2000, p.27), “Entender a administração como processo que se compõe de outros processos e funções é a essência do chamado enfoque funcional, ou abordagem funcional da administração”.<br />Qualquer administração de uma empresa, sem distinção de tamanho, se souber utilizar corretamente os 4 processos administrativos, tem grande possibilidade de sempre manter a empresa competitiva no mercado que atuam.<br /> <br />Figura SEQ Figura * ARABIC 2 - Os processos administrativos<br />Fonte: Maximiano (2000).<br />A administração não está só ligada com organizações, ela pode ser muito bem aplicada em diversos locais, definindo e procurando realizar objetivos pessoais, como planos de carreira, metas pessoais, a dona de casa pode utilizar a administração para elaborar um orçamento de gastos domésticos, o professor para elaboração de um cronograma de aulas, são várias oportunidades que podem ter administração.<br />3.2 Empreendedorismo<br />O empreendedorismo é sem dúvida um combustível para o crescimento da economia do país, pois além de gerar riquezas tanto para o empreendedor na forma de lucro e para o país na forma de pagamento de impostos, ainda gera novas oportunidades de emprego para muita gente, fazendo com isso um ciclo onde todos podem ganhar.<br />Segundo Hisrich e Peters (2002, p. 33),<br />O papel do empreendedorismo no desenvolvimento econômico envolve mais do que apenas o aumento de produção e renda per capita; envolve iniciar e construir mudanças na estrutura do negócio e da sociedade. Tal mudança é acompanhada pelo crescimento e por maior produção, o que permite que mais riqueza seja dividida pelos vários participantes.<br />O autor Degen (1989) expõe da mesma forma que os autores Hisrich e Peters, sobre a necessidade do empreendedorismo para a formação de país melhor.<br />A riqueza de uma nação é medida por sua capacidade de produzir, em quantidade suficiente, os bens e serviços necessários ao bem estar da população. Por esse motivo, acreditamos que o melhor recurso de que dispomos para solucionar os graves problemas sócio-econômicos pelos quais o Brasil passa é a liberação da criatividade dos empreendedores, através da iniciativa, para produzir esses bens e serviços (DEGEN, 1989, p.9).<br />Muitos autores vêm colocando que o momento atual que estamos passando pode ate ser chamado de a era do empreendedorismo, pois está crescendo muito. Os empreendedores estão cada vez mais se especializando, eliminando barreiras comerciais e até mesmo culturais, estão desenvolvendo produtos ou serviços inovadores, cada vez mais surpreendendo os consumidores e sempre $buscando um diferencial competitivo.<br />Segundo Hisrich e Peters (2002, p.29), <br />Empreendedorismo é o processo de criar algo novo com valor dedicando o tempo e o esforço necessários, assumindo os riscos financeiros, psíquicos e sociais correspondentes e recebendo as conseqüentes recompensas da satisfação e independência econômica e pessoal.<br />O processo do empreendedorismo é algo que deve ser identificado e planejado com extrema compreensão de todos os aspectos pertinentes, pois o empreendedor estará assumindo grandes riscos financeiros com investimentos, compromissos que deverão ser cumpridos. O empreendedor deverá compreender que terá que dedicar tempo para o empreendimento, grande esforços para seguir os objetivos traçados, a fim de obter os resultados esperados.<br />Dornelas (2003), destaca que o empreendedorismo não é uma nova teoria administrativa que veio para resolver todos os problemas empresarias, o empreendedorismo permite que as empresas busquem a identificação de oportunidades, através da sistematização de ações internas baseadas na inovação.<br />Para Degen (1989, p.4), “O desenvolvimento de novos empreendimentos é fundamental, não só para aqueles que decidem viver diretamente de seu trabalho como empreendedores, mas também para os executivos que atuam em empresas”.<br />Dornelas (2001) afirma que boas idéias inovadoras, know-how, um bom planejamento e principalmente uma equipe competente e motivada, são elementos poderosos que, quando somados no momento adequado podem gerar negócios grandiosos.<br />Conforme Baron e Shane (2007, p. 5), <br />O empreendedorismo, como área de estudo de negócios, busca entender como as oportunidades para criar novos produtos ou serviços surgem e são descobertas ou criadas por pessoas específicas. Essas pessoas, então, usam diversos meios para explorá-las ou desenvolvê-las, produzindo assim uma vasta gama de efeitos.<br />Um fato que preocupa grande parte dos empreendedores são os índices de mortalidade dos empreendimentos, segundo dados divulgados pelo SEBRAE, aponta que entre os anos de 2002 a 2005 houve uma redução na taxa de mortalidade de 27,4%, conforme tabela 1 abaixo:<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 1- Taxa de mortalidade das empresas.<br />Anos de existência das empresasAno de constituição formal das empresas (Triênio 2002-2000)Taxa de mortalidade (A)Ano de constituição formal das empresas (Triênio 2005-2003)Taxa de mortalidade (B)Variação da taxa de mortalidade (B-A)Até 2 anos200249,40%200522,00%-27,40%Até 3 anos 200156,40%200431,30%-25,10%Até 4 anos 200059,90%200335,90%-24,00%<br />Fonte: SEBRAE (2009)<br />Segundo a pesquisa o índice de mortalidade está reduzindo, pois cada vez mais os empreendedores estão se qualificando mais, obtendo mais experiência antes de abrir o próprio negócio, dessa forma estão mais preparados para enfrentar os desafios, além do fato do ambiente econômico ter melhorado muito.<br />Chiavenato (2008), destaca alguns fatores, conforme figura 3 a seguir, devemos nos atentar a esses fatores são na maioria das vezes as possíveis causas de insucesso.<br />Figura SEQ Figura * ARABIC 3 - As causas mais comuns de falha nos negócios.<br />Fonte: Chiavento, (2008).<br />São fatores extremamente importantes e que devem ser identificados e corrigidos no início da execução do projeto, pois podem interferir no futuro, causando sério risco de comprometer a continuação do empreendimento.<br />“Nem todas evoluem igualmente, algumas saltam estágios, outras desenvolvem estágios paralelamente, outras, ainda, param de crescer e pouquíssimas chegam a percorrer todos os estágios” (DEGEN, 1989, p.4).<br />Conforme Drucker (1987, p.34), “O empreendimento é um comportamento, e não um traço de personalidade. E suas bases são o conceito e a teoria, e não a intuição”.<br />Para Dornelas (2001, p.21), “O contexto atual é propício para o surgimento de um número cada vez maior de empreendedores”.<br />Por esses motivos está crescendo o número de curso para capacitação para que cada vez mais os empreendedores estejam preparados para as adversidades que poderão ocorrer.<br />3.2.1 O empreendedor<br />O empreendedor é aquele que descobre uma oportunidade, com isso cria um negócio para assim obter retorno sob seu investimento feito, sempre correndo risco calculados.<br /> Conforme Schumpeter (1949 apud DORNELAS, 2001 p.37)” o empreendedor é aquele que destrói a ordem econômica existente pela introdução de novos produtos e serviços, pela criação de novas formas de organização”.<br />Segundo Dornelas (2001 p. 19), <br />Os empreendedores são pessoas diferenciadas, que possuem motivação singular, apaixonadas pelo que fazem, não se contentam em ser mais um na multidão, querem ser reconhecidas e admiradas, referenciadas e imitadas, querem deixar um legado.<br />Realmente, os empreendedores não buscam só os resultados financeiros, eles querem ser reconhecidos pelo esforço exercido em prol da realização do empreendimento, querem servir de exemplo para outras pessoas, até mesmo para a família, filhos, pais e etc.<br />Conforme Chiavenato (2008, p.7), <br />“Na verdade, o empreendedor é a pessoa que consegue fazer as coisas acontecerem, pois é dotado de sensibilidade para os negócios, tino financeiro e capacidade de identificar oportunidades. Com esse arsenal, transforma idéias em realidade, para beneficio próprio e para beneficio da comunidade. Por ter criatividade e um alto nível de energia, o empreendedor demonstra imaginação e perseverança, aspectos que, combinados adequadamente, o habilitam a transformar uma idéia simples e mal-estruturada em algo concreto e bem-sucedido no mercado<br />De acordo com Schumpeter (apud DORNELAS, 2001 p.37) “o empreendedor é mais conhecido como aquele que cria novos negócios”. <br />A grande maioria das pessoas que optam por ser empreendedores, pois buscam algumas vantagens que podem ter como, fazer o próprio horário, não ter chefe, entre outros.<br />Degen (1989, p.15), cita alguns motivos,<br />Existe uma grande variedade de motivos que levam as pessoas a ter seu próprio negócio. Alguns dos mais comuns são: vontade de ganhar muito dinheiro, mais do que seria possível na condição de empregado; desejo de sair da rotina e levar suas próprias idéias adiante; vontade de ser seu próprio patrão e não ter de dar satisfações a ninguém sobre seus atos; a necessidade de provar a si e aos outros de que é capaz de realizar um empreendimento e o desejo de desenvolver algo que traga benefícios, não só para si, mas para a sociedade.<br />Mesmo com todas essas vantagens, o futuro empreendedor deverá ter um planejamento muito bem elaborado, objetivando identificar se realmente é viável sair da empresa onde atua e já possui estabilidade, para montar o seu próprio empreendimento. Abaixo, identificamos as vantagens de ser empregado e as vantagens de ser dono do próprio negócio.<br />Figura SEQ Figura * ARABIC 4 - As vantagens de ser funcionário e de ser empreendedor.<br />Fonte: Chiavenato, (2008).<br />Agora cabe a cada pessoa realizar os levantamentos identificando as oportunidades, realizar uma análise detalhada sobre o futuro empreendimento, verificando se é realmente viável sair do emprego que tem para construir seu próprio negócio.<br />3.2.2 Identificando oportunidades<br />Para Baron e Shane (2007, p.54), “Uma oportunidade empreendedora é uma situação na qual uma pessoa pode explorar uma nova idéia de negócio que tem o potencial de gerar lucros”.<br />Segundo Degen (1989, p.5), “Todo negócio é iniciado explorando-se uma oportunidade identificada pelo empreendedor no mercado.<br />Conforme Hashimoto (2006, p.121), “As oportunidades estão sempre presentes e surgem, as vezes, quando e onde menos esperamos”.<br />Para Drucker (apud DORNELAS, 2003 p.18), “a inovação é o instrumento especifico dos empreendedores, o meio pelo qual eles exploram a mudança como uma oportunidade para um negócio diferente”.<br />Conforme Drucker (1987, p.75), “Muitas oportunidades exigem mais do que mera sorte ou intuição. Elas exigem que a empresa busque inovação, organize-se adequadamente e seja administrada de maneira a poder explorá-la”.<br />Para Drucker (1987, p.264), <br />A nova empresa, portanto, precisa começar com a pressuposição de que seu produto ou serviço pode encontrar clientes em mercados nos quais ninguém pensou, para usos que ninguém imaginou quando o produto ou serviço foi projetado, e que será comprado por clientes fora do seu campo de visão e até mesmo desconhecidos para a nova iniciativa.<br />Quando nos submetemos a avaliar e identificar oportunidades no mercado, temos que levar em consideração diversos fatores que podem ser usados para descartar uma oportunidade identificada.<br />Dolabela (1999, p.153), identifica algum desses fatores que podem afetar as oportunidades:<br />Sazonalidade: Em alguns negócios, como hotéis de praia, sorveterias, o comercio de cervejas, etc., as vendas oscilam em algumas épocas do ano. Havendo sazonalidade, deve-se estar preparado para enfrentá-las.<br />Efeitos da situação econômica: Deve-se medir a sensibilidade do produto às variações econômicas. Produtos mais baratos e de consumo necessário tem melhores condições de suportar crises.<br />Controle governamental: Os negócios sob controle governamental podem ter as regras alteradas a qualquer momento e nem sempre atendem aos requisitos de competência e qualidade.<br />Grau de disponibilidade de insumos: Deve-se verificar se as fontes de insumos, componentes e elementos necessários à empresa são de fácil acesso.<br />Ciclo de vida do setor: É fundamental avaliar o estágio do setor; se está em expansão, estagnação ou retração. Em qualquer um deles, podem-se encontrar oportunidades, mas o setor em expansão em geral a demanda é maior do que a oferta, e os clientes ainda não tem tradição de fidelidade aos fornecedores. Nos setores em estagnação ou retração, a concorrência é acirrada.<br />Lucratividade: A lucratividade é fator decisivo para a escolha do negócio. Se a lucratividade for alta, as chances de sucesso são maiores, e o negócio é menos vulnerável a situações adversas.<br />Mudanças que estão ocorrendo no setor: As mudanças são fontes de boas oportunidades, mas o empreendedor de sucesso deve percebê-las antes dos concorrentes. As tendências são fundamentais, mas não prevêem com exatidão as mudanças ou inflexões de um setor.<br />Efeitos da evolução tecnológica: A tecnologia deve ser objeto de observação do empreendedor, que precisa estar atento a tudo o que acontece no mundo.<br />Grau de imunidade a concorrência: O sucesso é mais provável se as barreiras dos concorrentes a entrada de outras empresas no mercado forem menores. As barreiras mais comuns são: capital, tecnologia, posição no mercado, poder da marca, fidelidade dos clientes, controle das fontes de matéria-prima, processo de produção a baixo custo, propriedade de licenças e localização do ponto comercial.<br />Adequação as características individuais: O empreendedor jamais pode esquecer que a empresa deve ser a exteriorização do seu mundo interior.<br />Potencial de lucro e crescimento: A paixão pelo negócio as vezes torna o futuro empreendedor cego as suas verdadeiras chances, impedindo-o de analisar seu potencial com frieza e de ouvir conselhos. <br />Antes mesmo de criarmos um plano de negócio devemos levar em consideração todas as oportunidades que temos em mãos, evitando assim, despendermos tempo em oportunidades que não agreguem valor ao negócio, devemos focar, nas oportunidades condizentes com a área de atuação e que total sentido com a política do negócio.<br />3.3 Plano de negócio<br />Dornelas (2003) expõe que depois da identificação, análise e decisão de explorar uma oportunidade, o próximo passo a ser tomado pelo empreendedor é o desenvolvimento de um plano de negócio, terá como finalidade ajudar no planejamento das atividades relacionadas ao projeto.<br />Segundo Baron e Shane (2007, p.186),<br />Um plano de negocio é muito mais do que um documento projetado para persuadir pessoas céticas a investir em um novo empreendimento. Também é um guia detalhado para a conversão de suas idéias e de sua visão em um negócio real e em funcionamento.<br />Conforme Dornelas (2001, p.96), “O plano de negócios é um documento usado para descrever um empreendimento e o modelo de negócios que sustenta a empresa”.<br />Segundo Dolabela (1999, p.65), “Atrás de uma oportunidade sempre existe uma idéia, mas somente um estudo de viabilidade, que pode ser feito através do plano de negócios, indicará seu potencial de transformar-se em um bom negócio”.<br />Para Dolabela (1999, p.81), “Para elaborar o plano de negócios, exigem-se conhecimentos sobre o setor do negócios e o contexto mercadológico, bem como percepção gerencial e habilidade em lidar com assuntos técnicos e legais, em diversas áreas, e em vencer barreiras no relacionamento interpessoal”.<br />Com o desenvolvimento do plano de negócios o empreendedor poderá traduzir os passos para a implementação do projeto, poderá ter uma percepção maior do empreendimento, bem como, reconhecer os riscos que estarão presentes.<br />Segundo Dornelas (2003, p.95), <br />O plano de negócios é uma ferramenta que se aplica tanto para lançamento de novos empreendimentos quanto ao planejamento de empresas maduras, ou seja, também é útil no caso do planejamento dos negócios e projetos já em andamento.<br />Dornelas (2001) afirma que todo o plano de negócio deverá ser elaborado seguindo algumas regras básicas, mas que não são estáticas, podendo assim, o empreendedor utilizar sua criatividade e bom senso, enfatizando um ou outro aspecto que mais interessa ao público alvo do plano de negócio que está sendo preparado.<br />Algumas dessas regras tem muito a ver com a estrutura do plano de negócios, pois cada autor defende uma posição, alguns preferem uma estrutura mais detalhada com vários elementos, outros já argumentam que a estrutura precisa ser simples para um bom entendimento.<br />3.3.1 Estrutura do plano de negócio<br />Para o desenvolvimento do plano de negócio, é necessário determinar uma estrutura a ser seguida. Não existe uma estrutura padrão, alguns autores elaboraram estruturas mais completas e outros desenvolveram uma estrutura mais simplificada, além do mais, cada negócio é diferente um do outro e possui necessidades específicas, cabe ao empreendedor avaliar qual a estrutura mais compatível com o empreendimento a ser desenvolvido.<br />Para Dornelas (2001, p. 99-102), a estrutura do plano tem que ter 12 aspectos:<br />Capa: A capa, apesar de não parecer, é uma das partes mais importantes do plano de negócios, pois é a primeira parte que é visualizada por quem lê o plano de negócios devendo, portanto ser feita de maneira limpa e com as informações necessárias e pertinentes.<br />Sumário: O sumário deve conter o título de cada seção do plano de negócios e a página respectiva onde se encontra, bem como os principais assuntos relacionados em cada seção.<br />Sumário executivo: O sumário executivo é a principal seção do plano de negócios. O sumário executivo fará o leitor decidir se continuará ou não a ler o plano de negócios. Portanto, deve ser escrito com muita atenção e revisado várias vezes, além de conter uma síntese das principais informações que constam no plano de negócios.<br />Análise estratégica: Nesta seção são definidos os rumos da empresa, sua visão e missão, sua situação atual, as potencialidades e ameaças externas, suas forças e fraquezas, seus objetivos e metas de negócio.<br />Descrição da empresa: Nesta seção deve-se descrever a empresa, seu histórico, crescimento, faturamento dos últimos anos, sua razão social, impostos, estrutura organizacional e legal, localização, parcerias, certificações de qualidade, serviços terceirizados.<br />Produtos e serviços: Esta seção do plano de negócios é destinada aos produtos e serviços da empresa; como são produzidos, quais os recursos utilizados, o ciclo de vida, os fatores tecnológicos envolvidos, o processo de pesquisa e desenvolvimento, os principais clientes atuais, se a empresa detém marca e/ou patente de algum produto.<br />Plano operacional: Esta seção deve apresentar as Ações que a empresa está planejando em seu sistema produtivo e o processo de produção, indicando o impacto que estas ações terão em seus parâmetros de avaliação de produção.<br />Plano de recursos humanos: Aqui devem ser apresentados os planos de desenvolvimento e treinamento de pessoal da empresa. Estas informações estão diretamente relacionadas com a capacidade de crescimento da empresa, especialmente quando esta atua em um mercado onde a detenção de tecnologia é considerada um fator estratégico de competitividade.<br />Análise de mercado: Na seção de análise de mercado, o autor do plano de negócios deve mostrar que os executivos da empresa conhecem muito bem o mercado consumidor do seu produto/serviço, como está segmentado, crescimento desse mercado, as características do consumidor e sua localização, se há sazonalidade e com agir nesse caso, análise da concorrência, sua participação de mercado e a dos principais concorrentes.<br />Estratégia de marketing: Deve-se mostrar com a empresa pretende vender seu produto/serviço e conquistar sues clientes, manter o interesse dos mesmos e aumentar a demanda. Deve abordar seus métodos de comercialização, diferenciais do produto/serviço para o cliente, política de preços, principais clientes, canais de distribuição e estratégias de promoção/comunicação e publicidade, bem como projeções de vendas.<br />Plano financeiro: A seção de finanças deve apresentar em números todas as ações planejadas para a empresa e as comprovações, através de projeções futuras de sucesso do negocio. Deve conter demonstrativo de fluxo de caixa com horizonte de, pelo menos, três anos, balanço patrimonial, analise do ponto de equilíbrio, necessidades de investimento, demonstrativo de resultados, análise de indicadores financeiros do negocio, como faturamento previsto, margem prevista, prazo de retorno sobre o investimento inicial (payback), taxa interna de retorno (TIR).<br />Anexos: Esta seção deve conter informações adicionais julgadas relevantes para o melhor entendimento do plano de negócios. Por isso, não tem um limite de páginas ou exigências a serem seguidas.<br />Já para outros autores, defendem uma estrutura mais simplificada, pois informam que essa estrutura serve apenas de base para o desenvolvimento do projeto, conforme dito anteriormente depende da análise do empreendedor identificar qual estrutura atende as necessidades do negócio.<br />Para Degen (1989, p.187-189), citam sete tópicos essenciais para elaboração,<br />Capa do plano: A capa do plano deve conter a denominação do novo negócio, sua finalidade, bem como nome, endereço, telefone do futuro empreendedor que o está apresentando e a data em que foi elaborado.<br />Sumário: O sumário deve descrever em uma ou duas páginas o conceito do negocio, o produto, o mercado, a estratégia competitiva e os principais dados financeiros sobre o novo empreendimento. O objetivo do sumário é expor os fatos essenciais sobre o novo negócio e atrair o leitor, com o trailer de um filme, para ler o resto do plano.<br />Índice: O índice deve ordenar todos os principais tópicos do plano de negócio, indicando a página onde podem ser encontrados, a fim de facilitar sua leitura e manuseio para consultas. A boa organização do índice é importante, porque se for confuso pode predispor o leitor contra seu conteúdo. Portanto, um bom índice faz parte do marketing do próprio plano de negocio.<br />Descrição do negócio: A descrição do negócio é a parte mais importante do plano e deve apresentar o novo negócio em sua totalidade, começando com a oportunidade de negócio até os resultados esperados.<br />Análise financeira: É importante que a análise financeira seja clara e bem consubstanciada, através de dados e da própria descrição do negócio, para que não surjam dúvidas capazes de arruinar toda a credibilidade do plano do negócio. Uma boa análise financeira é fundamental para convencer possíveis investidores a se interessarem pelo novo negócio.<br />Análise dos riscos: A análise dos riscos é a descrição dos possíveis problemas que podem pôr em risco a realização do novo negócio, e das medidas para reduzir esses riscos.<br />Documentos anexos: Devem ser anexados todos os documentos e as informações suplementares necessários à consubstanciação do plano de negócio, mas que, por razões de clareza e simplicidade, não foram incluídos na descrição do negócio ou na análise financeira. Alguns desses possíveis documentos e informações são: curriculum vitae dos futuros empreendedores e da equipe gerencial; cartas de referencias; cartas de interesse sobre encomendas; pesquisas de mercado; projeções financeiras detalhadas; organograma e descrição dos cargos da organização; contrato social; registro de marcas e patentes; contratos de aluguel e outros documentos e informações relevantes ao plano de negócio.<br />Cabe ao empreendedor avaliar sua necessidade e dinâmica do empreendimento e optar por uma estrutura mais complexa e detalhada ou apenas uma estrutura de plano de negócios mais simplista, tudo isso deverá ser analisado com base na proposta do plano de negócio.<br />4 ANÁLISE DO AMBIENTE<br />Nesse capitulo será feita a análise do ambiente da área de atuação da empresa. Essa análise se faz necessária para que as estratégias de atuação se tornem mais assertivas.<br />Com o conhecimento do ambiente do ambiente de atuação é possível ter ações focadas no publico alvo, ver tendências de produtos, características culturais, assim obtendo o diferencial na área de comércio.<br />4.1 Fatores econômicos<br />Conforme quadro 1, relacionou-se os fatores econômicos que possam influenciar o empreendimento.<br />EventoAmeaçaOportunidadesAumento da renda populacionalAlimentos mais carosFacilidade de compra, devido cartõesMaior custo da mão de obra, aumentando a folha de pagamentoAumento dos custos com matéria primaFalta imediata de dinheiro em caixaCrescimento do poder de compraDiversificação dos produtosConquistar todos os tipos de públicosDiretrizesIncentivar o consumoAcompanhar as tendências e necessidades do mercadoPromover a divulgação dos produtos<br />Quadro SEQ Quadro * ARABIC 1 - Fatores econômicos.<br />Fonte: Primária (2010)<br />4.2 Fatores tecnológicos<br />No quadro 2, foram detalhados os fatores tecnológicos do empreendimento.<br />EventoAmeaçaOportunidadesEquipamentos sofisticadosInternet com fácil acessotelefoniaRápida obsolescência dos equipamentosMaior poder de escolha e pesquisa pelo clienteConsulta de preçosMelhoria continua nos processosCompras e vendas on lineRealizar pedidos pelo telefoneDiretrizesCriar divulgação através de e-mail e redes sociaisDisponibilizar recursos para investimento em P&DImplantar sistema de pedidos pelo telefone e on lineEstar sempre atualizado sobre lançamentos de novas tecnologias<br />Quadro SEQ Quadro * ARABIC 2 - Fatores tecnológicos<br />Fonte: Primária (2010)<br />4.3 Fatores sociais<br />Conforme quadro 3, estão relacionados os fatores sociais do plano de négocio.<br />EventoAmeaçaOportunidadesAumento da violênciaGrande circulação de pessoas no centroTempo muito escassoMaior índice de assaltoMaior possibilidade de concorrentesCriar um ambiente fechado e seguroMais pessoas ativas financeiramenteMaior procura por produtos para consumo rápidoDiretrizesInvestir em segurança do estabelecimentoDivulgar os produtos para atrair esses potenciais clientesPesquisar preferências desse público<br />Quadro SEQ Quadro * ARABIC 3 - Fatores sociais<br />Fonte: Primária (2010)<br />4.4 Fatores políticos<br />No quadro 4, estão relacionados os fatores políticos do plano de negócio.<br />EventoAmeaçaOportunidadesReforma tributáriaPossibilidade da elevação da carga tributáriaPossibilidade de incentivos fiscaisDiretrizesManter-se informado sobre projetos de reforma tributáriaProcurar não fazer muitas dívidas a longo prazo<br />Quadro SEQ Quadro * ARABIC 4 - Fatores políticos<br />Fonte: Primária (2010)<br />4.5 Fatores de meio ambiente<br />Conforme quadro 5, relacionou-se os fatores de meio ambiente que podem influenciar o empreendimento, bem como, as oportunidades.<br />EventoAmeaçaOportunidadesAquecimento globalSobras de alimentosFalta de água, poluição e calor excessivoContaminações e proliferação de bactériasAumento pela procura de alimentos mais leves e naturaisIncentivar o consumo responsávelDiretrizesTomar cuidado com a temperatura na armazenagem e transporte dos produtosProcurar embalagens recicláveis<br />Quadro SEQ Quadro * ARABIC 5 - Fatores meio ambiente<br />Fonte: Primária (2010).<br />4.6 Fornecedores<br />A análise dos fornecedores é realizada para identificar os principais e mais importantes fornecedores que a empresa utilizará e quais os produtos com que os fornecedores trabalham e a qualidade desses produtos, bem como, a localização da empresa, para verificar a logística, e os pontos fortes e fracos de cada um deles.<br />No quadro 6 abaixo, apresentam-se os fornecedores identificados: <br />InformaçõesFornecedoresNome do fornecedorTimoneiro-TimFlexLocalizaçãoItajaí SCProdutosDoces, balas, chicletes, bombons, barras de cereaisQualidadeProdutos de qualidadePreçosPreços baixosPontos fortesPossui uma grande variedade de produtos, entregam os produtos em caixas bem condicionadas.Pontos fracosDistante de JoinvilleNão existe flexibilidade para negociação de pagamentosNome do fornecedorEmpadas JerkeLocalizaçãoJoinville SCProdutosPastéis fritos, coxinhas, risoles, croquetes, empadas, kibes, esfihas, folhadosQualidadeProdutos de excelente qualidadePreçosPreços condizentes com a qualidadePontos fortesMarca muito conhecida em Joinville, boa localizada, grande variedade de produtos, sempre estão criando novos recheios, novos produtosPontos fracosFalta um pouco de comprometimento nos prazos de entrega, conforme informações, muitas vezes os produtos chegam depois do combinado.Nome do fornecedorCafé do CentroLocalizaçãoFlorianópolis SCProdutosCafé em grãosQualidadeProduto de excelente qualidadePreçosPreços baixosPontos fortesProdutos com qualidade e reconhecimento no mercado.Pontos fracosLocalizaçãoNome do fornecedorVonparLocalizaçãoJoinville SCProdutosRefrigerantes, sucos, chás e bebidas em geralQualidadeProdutos de ótima qualidadePreçosPreços condizentes com o mercadoPontos fortesRepresentante de grandes marcas, como Coca-cola, fanta, matte leão entre outros.Pontos fracosAtrasa, algumas vezes entregam produtos com em cima da validadeNome do fornecedorDistribuidora SardagnaLocalizaçãoJoinville SCProdutosSaches de açúcar, maionese, mostarda, copos plásticos, térmicos, embalagens para lanches.QualidadeProdutos de boa qualidadePreçosPreços baixosPontos fortesGrande variedade de produtos e proximidade com o estabelecimentoPontos fracosPrazo de entregaNome do fornecedorPanificadora Santo AntonioLocalizaçãoJoinville SCProdutosPastéis para assar, bolos, tortas salgadas, pudimQualidadeProdutos de boa qualidadePreçosPreços baixosPontos fortesSempre estão inovando, criando novas receitas novos produtosPontos fracosMuitas vezes não consegue atender a demanda<br />Quadro SEQ Quadro * ARABIC 6 - Análise dos fornecedores<br />Fonte: Primária (2010)<br />4.7 Concorrência<br />Na análise dos concorrentes foram consideradas as empresas que comercializam os mesmos tipos de alimentos e os que oferecem outras formas que servem de alternativa para quem busca a praticidade e refeições rápidas.<br />Abaixo no quadro 7, relaciona-se a localização dos concorrentes.<br />Quadro SEQ Quadro * ARABIC 7 - Análise dos concorrentes<br />Fonte: Primária (2010)<br />Foi realizada uma pesquisa exploratória, na intenção de conhecer cada um destes concorrentes, analisando principalmente os 4p’s, (praça, produto, preço, promoção). Esta pesquisa pode se visualizada a seguir:<br />C1 - O Quiosque: Espaço amplo com uma grande variedades de produtos, estão a bastante tempo no mercado e tem uma boa localização, pois ficam na frente de uma praça onde circulam muitas pessoas. Tem Ambiente aberto sem ar condicionado e local tem muito barulho e atendimento precário.<br />C2 - Lanchonete Kibeleza: Grande clientela, fica em local com grande circulação de pessoas. O ambiente é um pouco desorganizado e os equipamentos são antigos.<br />C3 - Lanchonete Fortaleza: Lanchonete com ambiente amplo, com preços acessíveis, mais não foca em somente em lanchonete, serve almoço e tem uma loja anexa com produtos de beleza, relógios entre outros.<br />C4 - Pastelaria Itália: Grande movimentação de pessoas, pois os pásteis são bem conhecidos, pela qualidade e preço, mas o ambiente é muito pequeno e os móveis são antigos.<br />C5 - Cafeterias e lanchonetes do shopping Mueller: Transmitem segurança para os clientes, os produtos são padronizados, tem uma ótima localização por estarem dentro de um conglomerado de lojas, o que atraem bastante clientes. Os preços são elevados em relação aos demais concorrentes.<br />C6 - Lanchonetes ao redor do terminal: Ficam localizados em pontos de grande circulação, possuem uma grande variedade de produtos e com preços baixos. O ambiente normalmente é pequeno e sujo. Os atendentes não são bem preparados para avaliar a necessidade dos clientes.<br />Também foi realizado uma análise comparativa entre os estabelecimentos, analisando os seguintes quesitos: ambiente, atendimento, produtos, preço, localização, qualidade, higiene, organização e divulgação do empreendimento.<br />O resultado pode ser verificado na tabela 2, seguindo a pontuação de ( 0 ) não possui, ( 1 ) ruim, ( 2 ) regular, ( 3 ) bom, ( 4 ) ótimo e ( 5 ) excelente, avaliação foi realizada pelos sócios da Sabor do Café.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 2 - Análise dos concorrentes<br />Fonte: (Primária) 2010.<br />4.8 Clientes<br />O empreendimento que como objetivo atender pessoas que trabalham no centro de Joinville e que muitas vezes não tem tempo para fazer suas refeições nos restaurantes ou preferem tomar café no centro.<br />Com a pesquisa de mercado identificamos as oportunidades e as ameaças para a execução do empreendimento. <br />4.9 Determinação da amostra<br />Para chegarmos ao tamanho da amostra a ser pesquisada utilizou-se a fórmula, Barbetta(2007).<br />n0 = 1 <br /> E0²<br />n = N x n0<br /> N + n0<br />Onde:<br />N = tamanho da população;<br />E0 = erro amostral tolerável;<br />n0 = primeira aproximação do tamanho da amostra;<br />n = tamanho da amostra.<br />Para esta pesquisa o erro amostral considerado pelo pesquisador como admissível é de 10% na coleta dos dados junto aos consumidores.<br />Foi definido como público alvo a quantidade de pessoas que moram no centro, 5.133 pessoas (conforme IPPUJ) multiplicado por três, ou seja, 15.399 pessoas. Este fator deve-se aumento da população devido a atividade econômica, principalmente no horário comercial.<br />n0 = 1 = 100<br /> (0,1)²<br />n = 15399 x 100 = 99,35 pessoas<br /> 15399 + 100<br />Logo, o questionário será aplicado a 100 pessoas.<br />4.9.1 Pesquisa de opinião<br />O questionário aplicado (Apêndice A) possui doze perguntas, de cunho pessoal, para saber a idade, sexo, bairro onde mora, renda mensal, hábitos de consumo, preferências em lanches, quantidade de vezes que freqüentam e opinião sobre o que falta em uma cafeteria hoje em dia. <br />Essa pesquisa foi aplicada no centro de Joinville, onde a cafeteria será instalada.<br />A seguir serão demonstrados, através de gráficos, os resultados da pesquisa realizada com 100 pessoas.<br /> Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 1 - Idade dos entrevistados.<br /> Fonte: Primária (2010).<br />A maior porcentagem, representado 44% são de pessoas com idade entre 21 à 30 anos, seguido por pessoas com idade entre 16 à 20 anos, totalizando 25%.<br />Esse questionamento é favorável para o empreendimento, pois demonstra que a maioria dos entrevistados são pessoas jovens que tem um ritmo muito dinâmico e que muitas vezes deixam de fazer refeições completas para fazerem apenas fazem um lanche.<br /> Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 2 - Sexo dos entrevistados.<br /> Fonte: Primária (2010).<br />A maior parte dos entrevistados são mulheres representando 55% e homens totalizam 45%.<br />Com essa informação é importante determinar um ambiente que seja adequado para esse público, desde a forma de atendimento, produtos e o ambiente.<br /> Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 3 - Bairro onde reside.<br /> Fonte: Primária (2010).<br />O gráfico demonstra que a maioria dos entrevistados reside no bairro iririú, representando 25%, seguido pelos bairros espinheiros e aventureiro.<br /> Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 4 - Profissão dos entrevistados.<br /> Fonte: Primária (2010).<br />Grande parte dos entrevistados trabalha em atividades comerciais, predominantes no centro da cidade. Dos entrevistados 33% são vendedores e 20% são assistentes administrativos.<br />Com uma população voltada para a área comercial, com tempo escasso é uma boa porta de entrada para uma cafeteria nessa localidade.<br /> Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 5 - Renda dos entrevistados.<br /> Fonte: Primária (2010)<br />Conforme demonstra o gráfico da faixa salarial dos entrevistados, 59% são consumidores que possuem renda entre R$501,00 à R$1.500,00, seguido por 33% dos entrevistados que possuem renda entre R$1.501,00 à R$3.000,00.<br />São pessoas economicamente ativas que, segundo pesquisas do IBGE estão cada vez mais comprando produtos ou serviços.<br /> Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 6 - Preferência de lugar.<br /> Fonte: Primária (2010)<br />A maior parte dos entrevistados costuma fazer lanches em lanchonetes do centro, o que representa uma oportunidade significativa, seguido por pessoas que fazem lanches no shopping.<br /> Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 7 - Freqüência de utilização. <br /> Fonte: Primária (2010).<br />O gráfico demonstra que grande parte dos entrevistados freqüenta três ou mais vezes uma cafeteria durante a semana, seguido por 36% dos entrevistados que informaram que freqüentam uma vez por semana.<br />Conforme reposta dos entrevistados existe a demanda para a área de cafeterias, o que reforça ainda mais a abertura do empreendimento.<br /> Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 8 - Grau de importância.<br /> Fonte: Primária (2010).<br />Com a entrevista aplicada conseguiu-se detectar que os entrevistados consideram mais importante em uma cafeteria o atendimento representando 31% das respostas seguido pela qualidade e ambiente, representando 30% e 28% respectivamente.<br /> Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 9 - Acesso a internet.<br /> Fonte: Primária (2010).<br />A maioria dos entrevistados representando 73% informaram que utilizariam internet sem fio e 27% informaram que não utilizariam.<br /> Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 10 - Freqüência de consumo dos produtos.<br /> Fonte: Primária (2010).<br />Perguntado aos entrevistados a freqüência que consomem determinados produtos a média ficou entre às vezes e freqüentemente.<br /> Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 11 - Métodos de receber informações.<br /> Fonte: Primária (2010).<br />Através das informações coletadas identificamos que 58% dos entrevistados preferem saber de promoções ou ofertas no próprio estabelecimento e 25% gostariam de receber as informações através de panfletos.<br />A pergunta do questionário de número 12 era aberta e perguntava aos entrevistados o que faltava hoje em dia numa cafeteria, grande maioria argumentou que falta espaço físico e uma forma de atendimento mais condizente.<br />Analisando de uma forma geral o cenário é muito favorável para a abertura da cafeteria, conforme a pesquisa realizada o empreendimento será focada no atendimento ao público jovem com isso poderemos até direcionar o marketing para uma linguagem mais jovem.<br />Como o empreendimento estará localizado no cento de Joinville, invariavelmente os entrevistados trabalham em comércios ou empresas de serviços o que demonstra uma real necessidade de um ambiente para realizar lanches. O que ocorre é que muitas vezes essas pessoas precisam se deslocar para outros lugares ou até mesmo saem de casa sem tomar café e necessitam de um local onde possam consumir lanches práticos e rápidos.<br />Com a pesquisa de mercado conseguimos evidenciar que a renda dos entrevistados está entre R$ 501,00 à R$ 5.000,00 o que demonstra um poder de compra aceitável.<br />O que realmente chama a atenção é que 55% dos entrevistados costumam fazer lanches no centro de Joinville, isso abre uma oportunidade muito boa para entrar nesse mercado, já que conforme alguns mencionaram, não freqüentam o shopping durante a semana pois os produtos das cafeterias são muito caros.<br />A maioria dos entrevistados freqüentam três ou mais vezes uma cafeteria durante a semana, abre uma importante janela para atrair clientes para a cafeteria.<br />O que realmente podemos ter como um diferencial é que a satisfação do cliente e a fidelidade está mais ligado ao atendimento e a qualidade do que o preço dos produtos.<br />A disponibilização de internet sem fio será também um diferencial já que esse privilégio muitas vezes é apenas concedido nos shoppings.<br />Outra questão que é muito importante é a freqüência que os entrevistados consomem determinados produtos, podemos definir quais produtos efetivamente terão mais aceitação perante o mercado consumidor. A reposta dos entrevistados ficou entre às vezes e freqüentemente para os produtos listados no questionário.<br />A respeito da forma que os entrevistados gostariam de receber informações de promoções ou ofertas, optaram a maioria em receber no próprio local, será trabalhado no marketing interno para que atenda o cliente.<br />Com essas informações extremamente importantes, alinharemos ações estratégicas para alcançarmos os objetivos definidos, bem como, a satisfação do cliente.<br />5 ESTRUTURAÇÃO DO EMPREENDIMENTO<br />Neste capítulo é apresentado como o Sabor do café se portará no mercado, sua estrutura operacional e apresentar em números sua viabilidade econômica.<br />5.1 Estratégias de marketing<br />Em marketing será abordado o foco no mercado, argumento central de venda, diferenciais para o cliente, métodos de comercialização, canais de venda, políticas de crédito, políticas de inovação e estratégias de comunicação.<br />5.1.1 Foco de mercado<br />O público-alvo são pessoas que circulam pelo centro de Joinville, com idades entre 18 e 40 anos.<br />5.1.2 Argumento central de venda<br />Proporcionar ao cliente opções de lanches e bebidas práticas e rápidas de preparar.<br />5.1.3 Diferenciais para o cliente<br />Disponibilizar uma variada quantidade de produtos, atendendo todo o tipo de público, zelando pelo atendimento, com isso, atendendo as expectativas do cliente.<br />5.1.4 Métodos de comercialização<br />Será através de venda direta, no próprio balcão e também através de pedidos pela internet e telefone para clientes próximos da cafeteria.<br />5.1.5 Canais de vendas<br />Na própria cafeteria e através de internet.<br />5.1.6 Políticas de preço e crédito<br />Os preços serão fixados conforme a média aplicada pelo mercado, e de forma sustentável, que gere lucro para a empresa.<br />5.1.7 Políticas de inovação<br />As políticas de inovação da empresa envolvem a criação de um plano de fidelidade para o cliente e promoções em períodos de baixas vendas.<br />5.1.8 Estratégias de comunicação<br />As principais estratégias estabelecidas para a divulgação dos produtos, da cafeteria, e a apresentação geral da empresa ao mercado consumidor, serão basicamente as seguintes:<br />Criar um site para divulgação de todos os produtos, e até comunicar os lançamentos e promoções.<br />Divulgar a cafeteria em redes sociais.<br />Colocar materiais promocionais em pontos perto do estabelecimento.<br />5.2 Estrutura operacional<br />A estrutura operacional abrange o que a empresa será fisicamente, como: quadro de funcionários e atribuições, fluxograma de atendimento, layout, tamanho da loja em área, política de compras e controles de estoques.<br />5.2.1 Estrutura funcional<br />O quadro 8, a seguir, demonstra a estrutura da empresa por cargos necessários para o início do empreendimento e suas devidas responsabilidades. <br />CargoQuantidadeAtribuiçõesGerência administrativa1- Processos administrativos- Administração financeira- Contratação de pessoal- Treinamento- Contato com fornecedores- Compra de equipamentos e produtosSub Gerente1- Coordenar o empreendimento- Recebimento de pedidos- Atendimento aos clientes- CaixaAtendente/Caixa1- Recepcionar os clientes- Limpeza dos equipamentos e da cafeteria- Atendimento dos clientes para pagamento<br />Quadro SEQ Quadro * ARABIC 8 - Quadro funcional.<br />Fonte: Primária (2010)<br />5.2.2 Fluxograma<br />Abaixo na figura 5, demonstramos o trajeto do atendimento ao cliente através do fluxograma.<br />Cliente entra na loja.<br />Atendente abordao cliente.<br />Cliente se dirige ao caixa para efetuar pagamento. <br />Atendente vê a necessidade do cliente e oferece opções.<br />Cliente efetua o pagamento. <br />Cliente escolhe o produto que deseja consumir <br />Cliente sai da cafeteria satisfeito. <br />FimProduto agrada?Não<br /> Sim<br />Atendente pergunta se deseja consumir na cafeteria ou levar<br />Negociaçãook?Não<br />Sim<br />1<br />Figura SEQ Figura * ARABIC 5 - Fluxograma de atendimento. <br />Fonte: Primária (2010) <br />5.2.3 Localização e layout<br />A Sabor do Café ficará localizada na rua Do Príncipe nº 330 no centro da cidade de Joinville SC, conforme figura 6. Essa localização foi escolhida devido ao fácil acesso e a grande circulação de pessoas próximas do local.<br />Figura SEQ Figura * ARABIC 6 - Mapa de localização<br />Fonte: Google maps (2010).<br />O layout da empresa conforme mostra a figura 6 mostra o espaço físico interno de 50 m2 que ficará divido da seguinte forma:<br />Na parte maior ficará área de atendimento com os balcões com as estufas com os produtos, contará com mesas e banquetas e televisão.<br />Na outra parte ficará o estoque e forno para assar os produtos que vem pré-cozidos. Anexo ao espaço de atendimento ficará o banheiro para os clientes.<br />Figura SEQ Figura * ARABIC 7 - Layout.<br />Fonte: Primária (2010)<br />5.2.4 Política de compras<br />No início das atividades de qualquer empresa, os fornecedores ainda não possuem a confiança total na empresa, devido ao fato dela ser nova no mercado.<br />Sendo assim, no início as compras terão que ser realizadas à vista. Após a primeira compra os fornecedores geralmente oferecem a opção de compra com pagamento para 30 dias ou mais.<br />5.2.5 Controles de estoques<br />Os estoques serão controlados pelo sub gerente, que receberá as mercadorias e as colocará no estoque. Será mantido um estoque mínimo de segurança e reposto sempre que necessário. Devido a cafeteria trabalhar com produtos perecíveis o estoque será mínimo, apenas de produtos que poderá ser congelados e posteriormente serem assados, estoque de café em grãos entre outros.<br />5.3 Viabilidade econômico-financeira<br />A estrutura de análise econômico-financeira é composta dos seguintes e principais elementos: projeção de investimento; projeção de receitas; projeção de despesas fixas; projeção de custos e despesas variáveis; demonstrativo dos resultados e indicadores.<br />Todas essas análises ajudam na visualização da empresa de uma perspectiva financeira, que é muito importante para um plano de negócio, pois indica se a empresa será viável ou não, e quais os recursos necessários para que isso aconteça.<br />5.3.1 Projeção de investimentos<br />O plano de investimento abrange todos os itens necessários para se abrir uma cafeteria, como: instalações, equipamentos, estoques e capital de giro.<br />A seguir, na tabela 3, constam os investimentos necessários.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 3 - Projeção de investimentos.<br />Fonte: Primária (2010).<br />Esse empreendimento tem como ponto positivo o valor relativamente baixo para investimento totalizando no primeiro ano em R$ 28.140,00 desse montante, 8,53% representa gasto com reformas, 48,83% com equipamentos, 14,21% com despesas pré operacionais e 28,43% para capital de giro.<br />Os sócios utilizaram recursos próprios para a abertura da empresa, sendo 50% para cada sócio.<br />5.3.2 Projeção de receitas<br />A projeção de vendas são as vendas de mercadorias, feito mês a mês no primeiro ano e até os próximos cinco anos, sendo que, os preços são baseados em médias de mercado.<br />Abaixo na tabela 4, apresenta os preços médios das mercadorias do mês 01 ao mês 06, com aumento de 5% a partir do 04 mês.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 4 - Preço médio de venda das mercadorias do mês 01 ao mês 06.<br />Fonte: Primária (2010).<br />A tabela 5 a seguir, apresenta os preços médios do mês 07 ao mês 12.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 5 - Preço médio de venda das mercadorias do mês 07 ao mês 12.<br />Fonte: Primária (2010).<br /> A tabela 6, a seguir, apresenta a quantidade média a ser vendida do mês 01 ao mês 06, que foram baseadas em médias observadas no mercado, com aumento de 5% a partir do mês 04.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 6 - Quantidade média vendida do mês 01 ao mês 06.<br />Fonte: Primária (2010).<br />Na tabela 7, demonstra a quantidade média vendida do mês 07 ao mês 12.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 7 - Quantidade média vendida do mês 07 ao mês 12.<br />Fonte: Primária (2010).<br />Na tabela 8 apresenta a quantidade média de mercadorias vendidas nos primeiros cinco anos.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 8 - Quantidade média vendida do ano 01 ao ano 05.<br />Fonte: Primária (2010).<br />Conforme tabela 9, apresenta o preço médio consolidado dos primeiros cinco anos.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 9 - Preço médio de venda do ano 01 ao ano 05.<br />Fonte: Primária (2010).<br />Na tabela 10 a seguir demonstra a projeção de receitas do mês 01 ao mês 06.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 10 - Projeção das receitas do mês 01 ao mês 06.<br />Fonte: Primária (2010).<br />Na tabela 11 apresenta a projeção das receitas do mês 07 ao mês 12.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 11 - Projeção das receitas do mês 07 ao mês 12.<br />Fonte: Primária (2010).<br />Na tabela 12 a seguir demonstra a projeção das receitas dos primeiros cinco anos.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 12 - Projeção das receitas do ano 01 ao ano 05.<br />Fonte: Primária (2010).<br />O total de receitas do primeiro ano é estimado em R$ 118.515,54, no ano seguinte terá um aumento de 10%. Segundo levantamento da Associação brasileira da indústria de café, o consumo fora do lar, onde predomina os cafés superiores e gourmet, apresentam taxas de crescimento positivas. Maiores investimentos em produtos e marketing interno do café impulsionaram as vendas das marcas mais conhecidas.<br />Essa informação reflete positivamente na área de atuação do empreendimento refletindo em seu faturamento.<br />Abaixo no gráfico 12, demonstra a projeção das receitas.<br />Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 12 - Projeção das receitas.<br />Fonte: Primária (2010).<br />5.3.3 Projeção de despesas fixas<br />Na tabela de despesas fixas, foram relacionadas as despesas operacionais, despesas administrativas e despesas financeiras.<br />Optou-se por alugar a máquina de café expresso devido ao seu alto custo, é mais vantajoso o aluguel.<br />Na tabela 13, estão as projeções de despesas do mês 01 ao mês 06.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 13 - Projeção de despesas fixas do mês 01 ao mês 06.<br />Fonte: Primária (2010).<br />Na tabela 14 a seguir, apresenta a projeção das despesas fixas do mês 07 ao mês 12.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 14 - Projeção das despesas fixas do mês 07 ao mês 12.<br />Fonte: Primária (2010).<br />Na tabela 15 a seguir apresenta a projeção de despesas fixas dos primeiros cinco anos.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 15 - Projeção das despesas fixas do ano 01 ao ano 05.<br />Fonte: Primária (2010).<br /> A despesas operacionais abrangem telecomunicações, salários e encargos, pró-labore, publicidade e aluguel de equipamentos, totalizando primeiro ano R$ 48.720,00.<br />Já as despesas administrativas abrangem o contador aluguel e outros gastos, totalizando R$ 12.240,00.<br />Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 13 - Projeção das despesas fixas<br />Fonte: Primária (2010).<br />5.3.4 Projeção de custos e despesas variáveis<br />A empresa está enquadrada no simples nacional, que rege os tributos pagos pelas empresas que tem faturamento bruto anual entre R$ 120.000,00 à R$ 2.400.000,00.<br />Para a área de atuação do empreendimento, a simples nacional prevê uma alíquota de 5,47%.<br />Conforme tabela 16, demonstramos a projeção de custos e despesas variáveis dos primeiros 6 meses.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 16 - Projeção de custos e despesas variáveis do mês 01 ao mês 06.<br />Fonte: (Primária) 2010.<br />Na tabela 17, identificamos a projeção de custos e despesas variáveis do 2º semestre.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 17 - Projeção de custos e despesas variáveis do mês 07 ao mês 12.<br />Fonte: (Primária) 2010.<br />Conforme tabela 18, relacionamos a projeção de custos e despesas variáveis até o 5º ano.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 18 - Projeção de custos e despesas variáveis do ano 01 ao ano 05.<br />Fonte: (Primária) 2010.<br />Na tabela 19, relacionamos os custos dos produtos vendidos do período do mês 01 ao mês 06.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 19 - Projeção de custo do produto vendido do mês 01 ao mês 06.<br />Fonte: (Primária) 2010.<br />Conforme tabela 20, relacionamos a projeção de custo do produto vendido do mês 07 ao mês 12.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 20 - Projeção de custo do produto vendido do mês o7 ao mês 12.<br />Fonte: (Primária) 2010.<br />Na tabela 21, identificamos a projeção do custo do produto vendido do ano 01 ao ano 05.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 21 - Projeção do custo do produto vendido do ano 01 ao ano 05.<br />Fonte: (Primária) 2010.<br />5.3.5 Demonstrativo dos resultados<br />O demonstrativo dos resultados apresenta a receita líquida, o lucro bruto e o lucro líquido, para verificação da viabilidade econômico-financeira.<br />Na tabela 22, a seguir apresenta a projeção do DRE do mês 01 ao mês 06.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 22 - Projeção do DRE do mês 01 ao mês 06.<br />Fonte: Primária (2010).<br />Conforme tabela 23, demonstramos a projeção do DRE do mês 07 ao mês 12.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 23 - Projeção do DRE do mês 07 ao mês 12.<br />Fonte: Primária (2010).<br />Na tabela 24, demonstramos o DRE consolidado do ano 01 ao ano 05.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 24 - Projeção do DRE do ano 01 ao ano 05.<br />Fonte: Primária (2010).<br />Conforme gráfico 14, podemos perceber a ascensão do lucro líquido no período de 05 anos.<br />Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 14 - Projeção da receita líquida.<br />Fonte: Primária (2010).<br />5.4 Indicadores<br />Os indicadores das projeções financeiras vem com uma ferramenta para melhor visualização das mesmas, tendo como objetivo verificar a lucratividade, a rentabilidade, tempo de retorno do investimento e o ponto de equilíbrio da empresa.<br />5.4.1 Lucratividade<br />O indicador demonstra quantos por cento que representa a lucratividade da empresa. No primeiro ano é feito mês a mês e consolidado até o 5º ano.<br />Abaixo na tabela 25, demonstramos a lucratividade do mês 01 ao mês 06.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 25 - Projeção da lucratividade do mês 01 ao mês 06.<br />Fonte: (Primária) 2010.<br />Conforme tabela 26, demonstramos a projeção de lucratividade para o mês 07 ao mês 12.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 26 - Projeção da lucratividade do mês 07 ao mês 12.<br />Fonte: (Primária) 2010.<br />Conforme tabela 27, projetamos a lucratividade do ano 01 ao ano 05.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 27 - Projeção da lucratividade do ano 01 ao ano 05.<br />Fonte: (Primária) 2010.<br />Conforme gráfico 15, observamos a evolução da lucratividade para os primeiros cinco anos.<br />Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 15 - Projeção da lucratividade do ano 01 ao ano 05.<br />Fonte: (Primária) 2010.<br />5.4.2 Rentabilidade<br />O indicador mostra quantos por cento que representa a rentabilidade da empresa.<br />Abaixo, conforme tabela 28 identificamos a projeção da rentabilidade para os primeiros cinco anos.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 28- Projeção da rentabilidade do ano 01 ao ano 05.<br />Fonte: (Primária) 2010.<br />Conforme gráfico 16, podemos observar a evolução da rentabilidade no decorrer dos primeiros cinco anos.<br />Gráfico SEQ Gráfico * ARABIC 16 - Projeção da rentabilidade do ano 01 ao ano 05.<br />Fonte: (Primária) 2010.<br />5.4.3 Tempo de retorno de investimento<br />O indicador de retorno do investimento demonstra em quantos anos a empresa recupera o capital investido.<br />Conforme tabela 29, calculamos a projeção de retorno de investimento, que para esse empreendimento ficou-se estabelecido em 1 ano e 7 meses.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 29 - Projeção do tempo de retorno do investimento.<br />Fonte: (Primária) 2010.<br />5.4.5 Ponto de equilíbrio<br />O ponto de equilíbrio representa quanto a empresa precisa faturar para pagar todos os seus custos e despesas no período determinado.<br />Abaixo na tabela 30, demonstramos o ponto de equilíbrio do mês 01 ao mês 06.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 30 - Ponto de equilíbrio do mês 01 ao mês 06.<br />Fonte: (Primária) 2010.<br />Na tabela 31, identificamos o ponto de equilíbrio do mês 06 ao mês 12.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 31 - Ponto de equilíbrio do mês 07 ao mês 12.<br />Fonte: (Primária) 2010.<br />Conforme tabela 32, encontra-se o ponto de equilíbrio do ano 01 ao ano 05.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 32 - Ponto de equilíbrio do ao 01 ao ano 05.<br />Fonte: (Primária) 2010.<br />5.4.6 Taxa interna de retorno e Valor presente líquido<br />A taxa interna de retorno e o valor líquido são indicadores indispensáveis no plano de negócios, pois é um dos primeiros índices a serem avaliados pelos investidores.<br />Na tabela , pode-se acompanhar a TIR e o VPL deste plano de negócios.<br />Tabela SEQ Tabela * ARABIC 33 - Análise TIR e VPL<br />Fonte: (Primária) 2010.<br />Para a análise do taxa interna de retorno e valor presente líquido foi utilizado uma taxa média de atratividade de 15%.<br />5.5 Resultados obtidos<br />Com a elaboração do plano de negócio pode-se visualizar os possíveis fatos que ocorrem na abertura do empreendimento, e muitas vezes são utilizadas as reservas de uma vida toda para a concretização deste sonho.<br />O plano de negócios leva o empreendedor a percorrer e planejar todas as áreas da empresa, passando pelas áreas mercadológicas, operacionais e financeiras.<br />Com a pesquisa de mercado pôde-se concluir que existem muitas empresas do mesmo segmento, porém nenhuma atendendo por completo as necessidades dos clientes, diferencial crítico de sucesso do empreendimento proposto neste plano.<br />De acordo com as análises financeiras, verifica-se que os resultados são realistas, apresentando uma rentabilidade de 50,41% no primeiro ano e no segundo ano 76,66%, aumento significativo.<br />Através dos índices demonstrados neste plano conclui-se que o empreendimento é viável, que e os sócios poderão dar continuidade ao sonho do negócio próprio. Ressaltando a importância de sempre rever este plano e atualizá-lo se necessário, pois o sucesso do empreendimento dependerá da forma que os sócios administrarão a empresa.<br />5.6 Dificuldades encontradas<br />Percebeu-se a dificuldade e obter informações de alguns concorrentes, pois como se trata de um trabalho acadêmico o agendamento das visitas ficavam um pouco difíceis de serem realizadas.<br />CONCLUSÃO<br />Este trabalho de conclusão de curso foi muito gratificante, pois através dele pode-se verificar que com planejamento, direção e controle é possível montar uma empresa e fazer com que ela obtenha lucro, e os riscos de falência logo nos primeiros anos de existência, como apontam as estatísticas são minimizados se o empreendedor planejar e conhecer o mercado de atuação.<br />Nos dias atuais, onde muitas empresas morrem antes mesmo de completar um ano de existência, percebe-se como fundamental a elaboração de um bom plano de negócio, antes de aplicar o capital que muitas vezes é acumulado durante anos, em um sonho ou vontade irresponsável de ser dono do próprio negócio.<br />Ter o espírito empreendedor, coragem para assumir riscos e vontade de trabalhar para si já é um bom início, mas não o suficiente.<br />O plano de negócio tornou-se essencial para o empreendedor, antes da abertura de um negócio, pois é através dele que se conhecerá todo o ambiente em que a futura empresa estará inserida, as facilidades e dificuldades que serão enfrentadas, e através da análise financeira conhecer se o negócio é viável ou não, evitando-se aplicar o dinheiro em um negócio que não renderá aos investidores o retorno desejado. <br />No caso deste plano de negócio, para abertura de uma cafeteria, buscou-se primeiramente nas fundamentações teóricas, respaldo literário para o desenvolvimento das informações, e através dos dados adquiridos por pesquisas realizadas no próprio mercado, foi possível tomar um conhecimento ainda mais aprofundado do setor de atuação da empresa. <br />Diante de todos os estudos e pesquisas realizadas e utilizadas no desenvolvimento deste trabalho, chegou-se à conclusão que, se considerados rigidamente todos os dados, e seguidas todas as orientações estabelecidas neste plano de negócio, a abertura da empresa tornar-se viável, sendo incentivador realizar o investimento.<br />REFERÊNCIAS<br />BARON, Robert A.; SHANE, Scott A. Empreendedorismo. Uma visão do processo. São Paulo: Thomson, 2007.<br />CECCONELLO, Antonio Renato; AJZENTAL, Alberto. A construção do plano de negócio. São Paulo: Saraiva, 2008.<br />CHIAVENATO, Idalberto. Empreendedorismo. Dando asas ao espírito empreendedor. 2 ed. São Paulo: Saraiva, 2008.<br />______. Introdução à teoria geral da administração. 3.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.<br />DEGEN, Ronald Jean; MELLO, Álvaro Augusto Araújo. O empreendedor. Fundamentos da iniciativa empresarial. São Paulo: McGraw-Hill, 1989.<br />DOLABELA, Fernando. O segredo de Luísa. São Paulo: Cultura editores associados,1999.<br />DORNELAS, José Carlos Assis. Empreendedorismo. Transformando idéias em negócios. Rio de Janeiro: Campus, 2001.<br />______.Empreendedorismo corporativo. Como ser empreendedor, inovar e se diferenciar em organizações estabelecidas. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.<br />DRUCKER, Peter F. Inovação e espírito empreendedor. Prática e princípios. 2.ed. São Paulo: Pioneira, 1987.<br />HASHIMOTO, Marcos. Espírito empreendedor nas organizações. Aumentando a competividade através do intra-empreendedorismo. São Paulo: Saraiva, 2006.<br />HISRICH, Robert D.; PETERS, Michael P. Empreendedorismo. 5.ed. Porto Alegre: Bookman,2004.<br />MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaru. Introdução à administração. 5.ed. São Paulo: Atlas, 2000.<br />Apêndice A<br />Questionário de Pesquisa Acadêmica<br />Sou acadêmico do 4º ano do curso de administração de empresas da Univille, venho solicitar seu apoio com o preenchimento do formulário abaixo para a execução do Trabalho de conclusão de curso de uma cafeteria no centro de Joinville. Agradeço sua colaboração no desenvolvimento desta pesquisa.<br />1) Qual sua idade ? 2) Qual seu sexo ?<br />R:______________________ ( ) Masculino ( ) Feminino<br />3) Em que bairro você reside ? 4) Qual a sua profissão ?<br /> <br />R: ______________________ R:______________________<br />5) Qual a sua faixa salarial ? 6) Onde você costuma fazer lanches ? (Se <br />( ) Até R$ 500,00 necessário preencher mais de uma opção)<br />( ) De R$ 501,00 a R$ 1.500,00 ( ) No shopping center<br />( ) De R$ 1.501,00 a R$ 3.000,00 ( ) Em lanchonetes no centro<br />( ) De R$ 3.001,00 a R$ 5.000,00 ( ) Em lanchonetes no bairro<br />( ) Acima de R$ 5.001,00 ( ) Outros: Ex. .___________________<br />7) Em média quantas vezes durante a semana você freqüenta uma cafeteria ?<br />( ) 1 vez ( ) 2 vezes ( ) 3 vezes ou mais ( ) Não freqüento<br />8) Classifique de 1 à 5 quais itens você considera mais importante quando se trata de uma cafeteria ? (5 mais importante, 1 menos importante)<br />( ) Preço<br />( ) Qualidade<br />( ) Atendimento<br />( ) Ambiente<br />( ) Outros: Ex.___________________<br />9) Se a cafeteria disponibiliza-se internet sem fio gratuitamente, você utilizaria ?<br />( ) Sim ( ) Não<br />10) Com que freqüência você consome os seguintes produtos ?<br />ProdutosNuncaÀs vezesFreqüentementeGeralmenteSempreCafé expressoSucos naturaisRefrigeranteSanduíches naturaisTortas salgadasBolosPudimPastéisEmpadasKibeCroqueteEsfiha<br />11) Qual a forma que você como cliente gostaria de receber informações a respeito de promoções ou ofertas realizadas por este estabelecimento comercial ?<br />( )Panfletos<br />( )No próprio local<br />( )Rádio/Televisão<br />( )Internet<br />12) Na sua opinião o que está faltando em uma lanchonete no centro para que está atenda as suas necessidades ?<br />R:_________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________<br />

×