As novas tecnologias aplicadas à educação
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
5,624
On Slideshare
5,593
From Embeds
31
Number of Embeds
3

Actions

Shares
Downloads
98
Comments
0
Likes
0

Embeds 31

http://gaplopes.blogspot.pt 24
http://gaplopes.blogspot.com 6
http://gaplopes.blogspot.com.br 1

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Jocsan Pires SilvaPedagogo Esp. Professor de Psicologia da Educação, sociologia da Educação e Informática educativa.
  • 2. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Agenda Apresentação Objetivos Diversidade Tecnológica Objetos de Aprendizagem Interfaces Web 2.0
  • 3. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Objetivos da Palestra:  Estabelecer um panorama das tecnologias na educação e sua aplicação na prática pedagógica.  Apresentar conceitos relativos aos Objetos de Aprendizagem, sua utilização na prática pedagógica e fontes de obtenção na Internet.  Apresentar conceitos de Web 2.0 e sua aplicação na prática pedagógica no ensino apoiado pelas novas tecnologias.
  • 4. Diversidade Tecnológica
  • 5. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação O uso da Internet na escola é exigência da cibercultura, isto é, do novo ambiente comunicacional-cultural que surge com a interconexão mundial de computadores em forte expansão no início do século XXI. Novo espaço de sociabilidade, de organização, de informação, de conhecimento e de educação.(SILVA,2004)
  • 6. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação A educação do cidadão não pode estar alheia ao novo contexto socioeconômico-tecnológico, cuja característica geral não está mais na centralidade da produção fabril ou da mídia de massa, mas na informação digitalizada como nova infra-estrutura básica, como novo modo de produção. O computador e a Internet definem essa nova ambiência informacional e dão o tom da nova lógica comunicacional, que toma o lugar da distribuição em massa, própria da fábrica e da mídia clássica, até então símbolos societários.
  • 7. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Cibercultura quer dizer modos de vida e de comportamentos assimilados e transmitidos na vivência histórica e cotidiana marcada pelas tecnologias informáticas, mediando a comunicação e a informação via Internet. Na cibercultura, a lógica comunicacional supõe rede hipertextual, multiplicidade, interatividade, imaterialidade, virtualidade, tempo real, multissensorialidade e multidirecionalidade (Lemos, 2002; Levy, 1999).
  • 8. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação A contribuição da educação para a inclusão do aprendiz na cultura exige um aprendizado prévio por parte do professor. Uma vez que não basta convidar a um site para se promover inclusão na cibercultura, ele precisará se dar conta de pelo menos quatro exigências da cibercultura oportunamente favoráveis à educação cidadã.
  • 9. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação 1ª Exigência  O professor precisará se dar conta de que transitamos da mídia clássica para a mídia on-line.  A mensagem pode ser manipulada. 2ª Exigência  O professor precisará se dar conta do hipertexto próprio da tecnologia digital.  No ambiente on-line, os sites hipertextuais supõem:  a) intertextualidade: conexões com outros sites ou documentos;  b) intratextualidade: conexões com o mesmo documento;  c) multivocalidade: agregar multiplicidade de pontos de vistas;  d) navegabilidade: ambiente simples e de fácil acesso e transparência nas informações;  e) mixagem: integração de várias linguagens: sons, texto, imagens dinâmicas e estáticas, gráficos, mapas;  f)multimídia: integração de vários suportes midiáticos (Santos, 2003, p. 225).
  • 10. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação O professor estimula cada aluno a contribuir com novas informações e a criar e oferecer mais e melhores percursos, participando como co-autor do processo de comunicação e de aprendizagem. 3ª Exigência  O professor precisará se dar conta da interatividade como mudança fundamental do esquema clássico da comunicação  Interatividade é a modalidade comunicacional que ganha centralidade na cibercultura. O modo de comunicação interativa ameaça a lógica unívoca da mídia de massa.
  • 11. O QUE MUDA?
  • 12. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Na cibercultura, ocorre a transição da lógica da distribuição (transmissão) para a lógica da comunicação (interatividade). Isso significa modificação radical no esquema clássico da informação baseado na ligação unilateral emissor – mensagem – receptor:  a) o emissor não emite mais, no sentido que se entende habitualmente, uma mensagem fechada.  b) a mensagem é um mundo aberto ao recepetor, é modificável na medida em que responde às solicitações daquele que a consulta;  c) o  receptor não está mais em posição de recepção clássica, é convidado à livre criação, e a mensagem ganha  sentido sob sua intervenção.
  • 13. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Os fundamentos da interatividade podem ser encontrados em sua complexidade nas disposições da mídia on-line. São três basicamente:  a) participação – intervenção: participar não é apenas responder "sim" ou "não" ou escolher uma opção dada, significa modificar a mensagem;  b) bidirecionalidade – hibridação: a comunicação é produção conjunta da emissão e da recepção, é co-criação, os dois pólos codificam e decodificam;  c) permutabilidade – potencialidade: a comunicação supõe múltiplas redes articulatórias de conexões e liberdade de trocas, associações e significações (cf. Silva, 2003, p. 100-155).
  • 14. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação 4ª Exigência  O professor precisará se dar conta de que pode potencializar a comunicação e a aprendizagem utilizando interfaces da Internet.  Inicialmente, o professor precisará distinguir "ferramenta" de "interface".  A ferramenta realiza a extensão do músculo e da habilidade humanos na fabricação, na arte.  Interface é um termo que na informática e na cibercultura ganha o sentido de dispositivo para encontro de duas ou mais faces em atitude comunicacional, dialógica ou polifônica.
  • 15. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação A ferramenta opera com o objeto material e a interface é um objeto virtual. A ferramenta está para a sociedade industrial como instrumento de fabricação, de manufatura. A interface está para a cibercultura como espaço on-line de encontro e de comunicação entre duas ou mais faces. É mais do que um mediador de interação ou tradutor de sensibilidades entre as faces. Isso sim seria "ferramenta", termo inadequado para exprimir o sentido de "ambiente", de "espaço" no ciberespaço ou "universo paralelo de zeros e uns" (Johnson, 2001, p. 19).
  • 16. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação A Internet comporta diversas interfaces. Cada interface reúne um conjunto de elementos de hardware e software destinados a possibilitar aos internautas trocas, intervenções, agregações, associações e significações como autoria e co-autoria. Panorama Diversidade Tecnológica aplicável à Educação.  TV Digital, Dash Board, AVA – Ambiente Virtual de Aprendizagem (EaD) EX: www.eproinfo.mec.gov.br  Objetos de Aprendizagem (Simulações, Jogos, Animações)  Interfaces Web 2.0 (Chat, Blog, Fórum, Flog, email, WebQuest, Twitter, Orkut, Podcast, Webinar)
  • 17. Objetos de Aprendizagem
  • 18. O b j tos d e Ap re nd izage m e È uma unidade de instrução/ensino que é reutilizável. Objetos de Aprendizagem podem ser definidos por "qualquer entidade, digital ou não digital, que possa ser utilizada, reutilizada ou referenciada durante o aprendizado suportado por tecnologias". Um exemplo brasileiro de construção de Objetos de Aprendizagem para a Educação Básica (Ensino Médio) é a Fábrica Virtual do RIVED. (BETTIO, MARTINS, 2004). São recursos digitais que possam ser reutilizados para dar suporte ao aprendizado, auxiliando tanto a modalidade à distância como a presencial.
  • 19.  Contudo, o Ministério da Educação (MEC, 2006) orienta que os objetos de aprendizagem devem objetivar: o aprimoramento da educação presencial e/ou a distância, como forma de incentivar a pesquisa e a construção de novos conhecimentos na melhoria da qualidade, equidade e eficiência dos sistemas públicos de ensino por meio da incorporação didática das novas tecnologias de informação e comunicação (Monteiro, 2006).
  • 20. Apresentando os objetos de aprendizagem: Of line (sem conexão) Onde estão?Nos computadores das escolas: Linux Educacional•Vídeos da TV escola: A TV Escola é o canal da educação. É a televisãopública do Ministério da Educação destinada aos professores e educadores brasileiros,aos alunos e a todos interessados em aprender.http://tvescola.mec.gov.br/•Rived (Rede Internacional Virtual de Educação)http://rived.mec.gov.br•Gcompris (É um software educacional que apresentadiferentes atividades para crianças de 2 a 10 anos.http://gcompris.net/-pt-br-•Domínio Públicohttp://www.dominiopublico.gov.br
  • 21. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação On line (conetado)Quais são eles?•Portal do professor http://portaldoprofessor.mec.gov.br/index.html•Portas curtas da PetrobrásPorta Curtas•Banco Internacional de Objetos EducacionaisBanco Internacional de Objetos Educacionais•Vídeos do youtubehttp://www.youtube.com/•Domínio Público http://www.dominiopublico.gov.br•Portal Escolar (Seduc) O Portal Escolar é um espaço disponível na internet,coordenado e mantido pela Secretaria de Estado de Educação do Pará - SEDUC,http://www.portalescolar.pa.gov.br
  • 22. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação http://portaldoprofessor.mec.gov.br/index.html
  • 23. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Utilizar a busca para encontrar Objetos de Aprendizagem
  • 24. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação
  • 25. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação http://rived.mec.gov.br/site_objeto_lis.php
  • 26. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação No RIVED, os objetos estão acompanhados do guia do professor, com sugestões e orientações de uso, nos quais o professor encontra as vantagens de uso que os desenvolvedores pretendiam inserir nesse OA. Todavia, cada professor tem plena liberdade de usar os OA sem depender de estruturas rígidas e estáticas. Dependendo do tamanho desse objeto, o professor está livre para utilizar todo, ou apenas uma parte em sua exploração; isso está atrelado à necessidade do professor e a que proposta de ensino ele quer focar.Animação Interativa Lombriga encontrado na busca
  • 27. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação http://www.fisica.ufpb.br/~romero/objetosaprendizagem/Rived/40Morfo/index.html
  • 28. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Objeto de AprendizagemJogo das Tartarugas. Desenvolvido por José Walter, Christiano Lima, Carla Nunes e Alessandra Alves e aplicado no Coesi em 2007.Desenvolve a educação ambiental, coordenação motora fina e a cidadania aplicando conceitos de aprendizagem significativa. Jogar o Tartarugas http://www.elfland.com.br/jogos/tartarugas/index.html
  • 29. Web 2.0
  • 30. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação A Web 2.0 é um fenômeno social que gera e distribui conteúdo na web por si só, caracterizada pela comunicação aberta, descentralização de autoridade, liberdade para compartilhar e reusar, e a conversação como marketing; Características da Web 2.0:  Enquanto diversas partes interessadas continuam a debater a definição da aplicação da Web 2.0, um site Web 2.0 deve apresentar algumas características fundamentais, como:
  • 31. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Usar a Internet como Plataforma – entregar e permitir que os usuários usem aplicações através de um browser; Os usuários possuem os dados do site e exercitam o controle sob os mesmos; Desenvolver uma arquitetura de participação e democracia que encoraja os usuários adicionarem valor para as aplicações conforme as usam; Ter algum aspecto de rede social;
  • 32. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Estas Interfaces da Web 2.0 também configuram-se como espaço de trabalho do professor na atualidade. De que maneira o professor pode utilizá-las. Combinar Blogs, Wikis, Twitter, Chat, WebQuest, Podcast, Listas de Discussão? Cada professor, com seus aprendizes, pode criar possibilidades, as mais interessantes e diversas. É tempo de criar e partilhar on-line soluções locais. É tempo, até mesmo, de reinventar a velha sala de aula presencial a partir da dinâmica hipertextual e interativa das interfaces on-line.
  • 33. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Uma das formas é inserir a Internet na escola. "As crianças e os adolescentes de hoje são nativos do computador e da internet. Já os adultos são imigrantes. São relações muito diferentes", afirma a Melina Veiga, especialista em Tecnologias Interativas Aplicadas à Educação e professora do Centro Universitário UniÍtalo e professora de Informática do Colégio Santa Marcelina, em São Paulo. Um dos principais símbolos dessa nova geração é justamente a internet. Seja ela via computador, seja via celular. A pesquisa Kids Expert 2008, encomendada pelo canal infantil Cartoon Network, mostra que 60% das meninas entre 7 e 15 anos ficam entre 30 minutos e quatro horas por dia conectados. Entre os meninos, o percentual é de 55%. Mais de 6 500 crianças foram entrevistadas no ano passado.
  • 34. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação E o que essas crianças e esses adolescentes fazem na rede? Essa mesma pesquisa mostrou que eles passam boa parte do tempo em programas de mensagens instantâneas e redes sociais, como Orkut e Facebook, conversando com amigos e visitando álbuns de fotos - passatempos que não necessariamente acrescentam algo à formação intelectual. O tempo passado na Internet pode ser voltado para o aprendizado e a aquisição de conhecimentos. Há diversos sites que incentivam o desenvolvimento saudável de crianças e adolescentes, ampliando o seu universo cultural. Combinando informação com diversão, eles são, também, um excelente passatempo, que podem entreter e divertir os jovens
  • 35. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Exemplos de sites educativos: http://www.canalkids.com.br/portal/canal/index.htm
  • 36. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação
  • 37. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação http://www.sitiodosmiudos.pt/sitio.asp
  • 38. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação http://www.sitiodosmiudos.pt/810/default.asp
  • 39. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação http://www.ibge.gov.br/7a12/
  • 40. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação WebQuests  é uma metodologia que direciona o trabalho de pesquisa utilizando os recursos da Internet.  Metodologia, estudada, desenvolvida e disponibilizada por Bernie Dodge, no Educational Technology, San Diego State Universit em 1995, e disseminada no Brasil por Jarbas Novelino Barato. São produzidas para disponibilização na Internet e podem ser editadas em programas como: Front Page, NVU, Dreamweaver, Mozilla Composer.
  • 41. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u caçãoElementos Estruturantes de uma Webquest Introdução - Uma preparação para a aventura,dando a compreensão aos de que está interessado como que eles estão (Internet) e que faz uma atividade diferente. Tarefas – É definição do que os alunos terão de fazer, e quanto mais corresponderem aos objetivos que irão aprender mais estes se verão participantes na construção do conhecimento. Processo – São as regras, a forma como devem cumprir as tarefas, devem ser poucas, claras e possíveis de cumprir.
  • 42. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Recursos - É o momento de apresentar as fontes de informações necessárias para que a tarefa possa ser cumprida. Os caminhos percorridos para responder a um determinado desafio passam pelos mesmos nós (links sugeridos), mas, na elaboração das respostas cada equipe de alunos elabora seus próprios caminhos, conclusões e respostas. Avaliação – Momento de reflexão e aprendizagem, onde são apresentados os critérios de mensuração da atividade, individual e do grupo.
  • 43. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Conclusão - Ligada a avaliação, a conclusão nas WebQuests é uma forma de apresentar um resumo das aprendizagens, bem como, os pontos que poderão ser retomados em outros momentos.  No uso de WebQuest, são considerados nos momentos de avaliação e conclusão os objetivos educacionais, que são baseados na Taxionomia de Bloom que analisa três domínios: o cognitivo, o afetivo e o psicomotor.
  • 44. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação http://www.emack.com.br/bsb/webquest/webquest_bsb.php
  • 45. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u caçãohttp://www.emack.com.br/bsb/webquest/bsb/2008/origem_vida/origem_da_vida_etica.htm
  • 46. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Experiência Menstrando Christian Lindenberg  Twitter de Filosofia - http://twitter.com/filosofia_SE  Blog do Professor Christian http://blig.ig.com.br/filosofia_sergipe Aponta a baixa utilização do twitter pelos estudantes, servindo apenas para dar recados e informes sobre as aulas de Filosofia. E mostra uma utilização maior do blog, com a criação de categoria especifica para a escola, onde os alunos tiveram maior propriedade para publicar seus escritos. Mesmo assim considerou boa a utilização dessas interfaces e Video – utilizando blogs pretende aprimorar no ano letivo seguinte.
  • 47. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Post interessante sobre Twitter e uso na Educação http://www.vooz.com.br/blogs/o-twitter-e-a-educacao-21728.html.  Indaga a possibilidade de utilização educacional do Twitter. Recomenda o estudo lançado em 2008 pelas pesquisadoras Gabriela Grosseck e Carmen Holotescu. O estudo defende, por exemplo, a necessidade de se twittar dentro das salas de aulas, promovendo a rápida discussão de temas, e reforça a necessidade do Twitter ser utilizado como ferramenta educacional.  Outras dicas interessantes: compartilhamento de vídeos de aprendizagem; reenvio de tweets interessantes e divulgação de mensagens com os links do site, blog ou podcast da instituição de ensino. ão esqueça: faça enquetes, abra discussões, troque experiências com os alunos e aproveite a oportunidade para despertar o senso crítico e o poder de síntese dos discentes – uma das competências mais privilegiadas hoje no mercado de trabalho.  Mais importante do que divulgar informações é fazer com que a mensagem seja compreendida de forma clara, simples e sintética!
  • 48. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Sites utilizados na pesquisa de Artur Martinez:  a) http://www.eslpod.com – site de podcasts gerenciado pela Dr. Lucy Tse, PhD em Educação pela University of Southern California.
  • 49. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação b) http://www.kfwb.com – Rádio AM de Los Angeles, EUA. Veicula notícias 24 horas, informações do trânsito, condições climáticas, eventos etc.
  • 50. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação c) http://www.esl-lab.com – site de podcasts similar ao eslpod.com, mas encontramos aqui uma classificação dos exercícios entre fácil, médio e difícil.
  • 51. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação d) http://www.abc.net.au/triplej/listen/ - Rádio FM Triple J – Queensland, Austrália.
  • 52. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação e) http://www.bbc.co.uk/worldservice/learningenglish/newsenglish/witn/index.shtml - Criado pela BBC de Londres, este site é voltado para o ensino do idioma inglês e contempla notícias diárias narradas pelos locutores da BBC, em audiostreaming fornecido pelo próprio site.
  • 53. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Sugestões de Sites Educativos :Neste link pode ver o comentário dos 33 sites mais usados e comentados por educadores neste endereço -http://educarparacrescer.abril.com.br/comportamento/sites-educativos-504552.shtml. http://www.omeninomaluquinho.educacional.com.br/ http://www.estadinho.com.br/ http://www.cidadedamalta.pt/html/parque/parque_mae.htm http://www.smartkids.com.br/cms/d/jogos/quiz/descobrimento-do-brasil.html http://www.cambito.com.br/jogos.htm http://www.e-net.com.br/historia/ http://www.aprendendoebrincando.com.br/home/index.asp http:/www.nerisantos.com.br E o site do projeto tamar http://www.souamigodomar.com.br/
  • 54. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Mais Sugestões de Sites Educativos : http://www.dustbunny.com/afk/ http://www.bitebyte.com.br/ http://www.nextweb.com.br/castelo/ http://www.contandohistoria.com/ http://www.terra.com.br/criancas/ http://www.ecokids.com.br/ http://www.educfinanceira.com.br/ http://www.mingaudigital.com.br/ http://www.pequenoartista.com.br/ http://www.1papacaio.com.br/ http://www.recreionline.com.br/
  • 55. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Mais Outras Sugestões de Sites Educativos : http://www.radarkids.com.br/ http://www.saudeanimal.com.br/ http://supermundo.abril.com.br/ http://www.somatematica.com.br/ http://senna.globo.com/senninha/index.asp http://guiadoscuriosos.ig.com.br/ http://www.livroclip.com.br/ http://www.pintoresfamosos.com.br/ http://www.ferryhalim.com/orisinal/ http://educarparacrescer.abril.com.br/comportamento/www.cl
  • 56. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Estar on-line não significa estar incluído na cibercultura. Internet na escola não é garantia da inserção crítica das novas gerações e dos professores na cibercultura. O professor convida o aprendiz a um site, mas a aula continua sendo uma palestra para a absorção linear, passiva e individual, enquanto o professor permanece como o responsável pela produção e pela transmissão dos "conhecimentos".
  • 57. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação Professor e aprendizes experimentam a exploração navegando na Internet, mas o ambiente de aprendizagem não estimula fazer do hipertexto e da interatividade próprios da mídia on-line uma valiosa atitude de inclusão cidadã na cibercultura. Assim, mesmo com a Internet na escola, a educação pode continuar a ser o que ela sempre foi: distribuição de conteúdos empacotados para assimilação e repetição.
  • 58. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação OBRIGADO!Jocsan Piresjocsansilva@yahoo.com.br como professor crítico, souJocsansilva.blogspot.com um “aventureiro” responsável, predisposto à mudança, à aceitação do diferente. Paulo Freire
  • 59. As N ovas Te cnologias ap licad as a E d u cação http://objetoseducacionais2.mec.gov.br/handle/mec/11496 http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnica.html?id=21500 http://www.novainter.net/blog/tag/twitter/ Blog sobre tecnologias educacionais. IEEE LTSC. Disponível em http://ltsc.ieee.org/wg12/index.html. Acessado em 14/08/2007. JOHNSON, Steven. A cultura da interface: como o computador transforma nossa maneira de criar e de comunicar. Trad. Maria L. Borges. Rio de Janeiro: Zahar, 2001. LEVY, Pierre. Cibercultura. Trad. Carlos I. da Costa. São Paulo: Ed. 34, 1999. ________ . Inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. Trad. L. Rouanet. São Paulo: Loyola, 1998. MUZIO, J.; HEINS, T.; MUNDELL, R. Experiences with Reusable eLearning Objects: From Theory to Practice. Victoria, Canadá. 2001. NOVAK, J.D, CAÑAS, A. J. The Theory Underlying Concept Maps and How To Construct Them. Florida, Institute for Human and Machine Cognition, 2006. SILVA, Marco. Sala de aula interativa. Rio de Janeiro: Quartet, 2003.