Aula específica eq_uerj_p1

  • 916 views
Uploaded on

 

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
916
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. CENTRO de ESTUDOS de HISTÓRIA e GEOGRAFIA - CEGH Aula Específica Parte 1Exame de Qualificação UERJ WWW.CEGH.COM.BR
  • 2. CENTRO de ESTUDOS de HISTÓRIA e GEOGRAFIA - CEGH UERJ - 2005 Um dos traços marcantes do atual período histórico, é pois, o papel verdadeiramente despótico da informação. Conforme já vimos, as novas condições técnicas deveriam permitir a ampliação do conhecimento do planeta, dos objetos que o formam, das sociedades que o habitam e dos homens em sua realidade intrínseca. Todavia, nas condições atuais, as técnicas da informação são principalmente utilizadas por um punhado de atores em função de seus objetos particulares (...) aprofundando assim os processos de criação de desigualdade. SANTOS, Milton. Por uma outra globalização. Rio de Janeiro: Record, 2000. As redes internacionais criadas pela globalização são criticadas pelo autor e por elas agirem no sentido de:• Reforçar interesses políticos, contrapondo objetivos econômicos.• Ampliar acumulação capitalista, difundindo a ideologia dominante.• Romper com a barreira espaço-tempo, desarticulando a estrutura do governo.• Favorecer os interesses da grande mídia, criando contradições entre as elites econômicas. WWW.CEGH.COM.BR
  • 3. CENTRO de ESTUDOS de HISTÓRIA e GEOGRAFIA - CEGH Resolução Para chegarmos a resposta da questão, devemos analisar as bases conceituais que sedimentam a informação concedidas no texto, pelo autor.• “o papel despótico da informação”: Nesse caso o autor se refere à utilização informação em tempos de globalização como a principal responsável pelo aprofundamento das diferenças econômicas e, sobretudo sociais no mundo contemporâneo.• “A técnica da informação utilizada por um punhado de atores”: neste caso, o autor lembra o papel de detenção do conhecimento por um pequeno número de corporações, capazes de desenhar novos arranjos geopolíticos e sociais em diferentes localidades do planeta. Temos, dessa maneira, um panorama de exclusão social gerado pela ação desses atores, que tendem cada à cada vez mais aprofundar as desigualdades sociais.• O resultado da análise das informações colocadas acima, converge para a opção “B”, que coloca a ideologia capitalista acentuada pela ação das corporações, que utilizam as técnicas da informação de forma, segundo o autor, despóticas. WWW.CEGH.COM.BR
  • 4. CENTRO de ESTUDOS de HISTÓRIA e GEOGRAFIA - CEGH UERJ - 2005 México Perto do Inferno Nos 10 anos de vigência do Tratado de Livre Comércio da América do Norte (NAFTA), o salário real da maioria dos trabalhadores diminuiu, aumentou a desigualdade e os trabalhadores do campo viram recair sobre suas costas o preço mais duro dos ajustes fiscais. SADER, Emir. Jornal do Brasil. 06/06/2004. Pelas informações acima, pode-se constatar a contradição entre índices econômicos favoráveis e crescimento de desigualdades sociais no México. Contradição semelhante verificou-se no Brasil na época do chamado “Milagre Econômico”. Essa contradição, considerando os casos de Brasil e México, está vinculada essencialmente ao processo de:• Endividamento interno.• Desemprego Estrutural.• Modernização Conservadora.• Concentração regional da riqueza. WWW.CEGH.COM.BR
  • 5. CENTRO de ESTUDOS de HISTÓRIA e GEOGRAFIA - CEGH Resolução Para resolvermos essa questão devemos recorrer à tabela colocada na questão aliada às informações do texto. Além disso devemos compreender como se procederam as transformações socioeconomicas no México após seu ingresso no NAFTA.• Ao observar a tabela vemos que o México possui um alto crescimento econômico, apresentando taxas que se equiparam à países desenvolvidos. Para isso, basta observar que sua economia (através da mensuração do PIB) está entre as dez maiores do mundo.• Porém a reportagem do Jornal do Brasil ao lado mostra uma situação adversa com relação ao padrão de vida da maioria da população, ou seja, a classe trabalhadora. Nesse caso vemos que não existe um compasso entre o crescimento econômico causado, entre outros motivos, pela instalação de fábricas, denominadas maquiladoras, em território mexicano. Esse tipo de manobra econômica, está associada, sobretudo, à diminuição dos custos de produção das indústrias americanas. Tal processo é facilitado devido à: pequena distância entre os dois países; emprego de mão-de-obra barata, praticando, assim, menores salários; permissividade por parte do governo mexicano, que empreende crescimento econômico às custas da diminuição de salários e das condições de vida da classe trabalhadora.• Como resultado dos fatores colocados acima, temos a comparação feita com o Brasil do período militar. Entre as décadas de 1960 e 1970 o país crescia economicamente à uma grande velocidade, porém o panorama social se mantinha estável, com altos índices de analfabetismo, mortalidade infantil, baixos índices de saneamento básico e baixa participação do governo em programas sociais. Houve, assim, uma modernização da economia, cada vez mais voltada para o setor produtivo, porém ainda mantendo deficiências nas questões relacionadas ao equilíbrio social. WWW.CEGH.COM.BR
  • 6. CENTRO de ESTUDOS de HISTÓRIA e GEOGRAFIA - CEGH UERJ - 2006 As reportagens abaixo mostram um novo papel do Brasil nas relações internacionais,particularmente na América do Sul, a partir da expansão de sua economia. Utilize-as para respondes às duas próximas questões Brasil avança na América do Sul Ministério admite pior cenárioA estratégia do governo de reafirmar a presença O Ministério das Minas e Energia afirmoudo Brasil na América do Sul, aliada ao processo ontem que o governo brasileiro está bastantede internacionalização de empresas brasileiras, preocupado com a situação na Bolívia, ondeestá fazendo com que o apelido de “Gigante do milhares de camponeses cercaram a capital, LaSul” saia dos discursos e vire realidade. A Paz, em protestos exigindo a nacionalização doexpansão econômica para os países vizinhos se setor de hidrocarbonetos. A Petrobras vemdeve.do lado do governo, à estratégia de operando na Bolívia desde 1996 e é hoje areafirmar a presença do Brasil no continente e, maior empresa do país, onde investiu US$1,5do lado das empresas, ao caminho natural da Bilhão.internacionalização pela proximidade do Adaptado de SCOFIELD, Gilberto. O Globo. 26/052005.mercado. Adaptado de CAETANO, Valderez. O Globo. 23/05/2005. WWW.CEGH.COM.BR
  • 7. CENTRO de ESTUDOS de HISTÓRIA e GEOGRAFIA - CEGH 1ª QuestãoO sistema de transporte, parte integrante do sistema logístico, é essencial para o crescimento da presença brasileira em outros países.Tal sistema é estruturado no espaço sulamericano, basicamente, a partir do processo de:• Circulação livre de mão-de-obra.• Unificação jurídica do sistema modal.• Nacionalização progressiva dos mercados.• Articulação gradual de etapas de produção. WWW.CEGH.COM.BR
  • 8. CENTRO de ESTUDOS de HISTÓRIA e GEOGRAFIA - CEGH Resolução da 1ª questão A resolução dessa questão está associada ao novo papel desempenhado pelo Brasil no âmbito regional do sub-continente sulamericano. Nesse novo contexto o país passa a desenvolver um uma espécie de poder imperialista na América do Sul. Com a entrada de empresas e trabalhadores brasileiros em países com menor expressão econômica no cenário fronteiriço. Sendo assim, podemos enumerar as seguintes características desse novo processo:2. O Brasil figurando como a maior potência econômica, apresentando o maior PIB do sub-continente sulamericano. Sendo somado a esse fator a questão populacional, o país passa por um momento em sua estrutura demográfica, onde grande parte da população figura entre a classe produtiva, ou seja, a PEA (População Economicamente Ativa).3. O empobrecimento dos países vizinhos funciona como ingrediente para o domínio brasileiro em alguns países sulamericanos. Além disso, temos uma grande parte desses países inseridos entre os grandes detentores de recursos naturais do planeta, aumentando a cobiça de empresas brasileiras na exploração de seus territórios à baixos custos de instalação e operação, como se verificou no caso da Petrobras na Bolívia e mais recentemente da Usina de Itaipu na fronteira entre Brasil e Paraguai.4. Como resultado dos fatores colocados anteriormente, temos a alternativa “D” a resposta mais viável para a questão. Com os países vizinhos atuando como fornecedores de matéria-prima e o Brasil beneficiador desses recursos. Os transportes, como os gasodutos, operam na integração entre os países através da demanda colocada pelas etapas de produção e não pela organização e estruturação prévia por parte das entidades públicas das nações envolvidas. WWW.CEGH.COM.BR
  • 9. CENTRO de ESTUDOS de HISTÓRIA e GEOGRAFIA - CEGH 2ª Questão A atual crise boliviana põe em discussão as contradições existentes entre o exercício da soberania de um país e sua inserção nos fluxos globais. Uma dessas contradições, vivida hoje pela Bolívia, pode ser melhor explicitada pelo conflito verificado entre:• Autonomia política e privatização da produção.• Ideário liberal e desregulamentação da economia.• Participação popular e flexibilização da legislação trabalhista.• Fortalecimento do Estado e nacionalização do sistema financeiro. WWW.CEGH.COM.BR
  • 10. CENTRO de ESTUDOS de HISTÓRIA e GEOGRAFIA - CEGH Resolução da 2ª questãoPara entendermos a resposta da 2 ª questão, devemos compreender os termos dochamado Consenso de Washington. Este termo foi cunhado a partir do final dosanos 1990 e tinha como pressuposto a participação cada vez menor do Estado, quedeveria atuar apenas como um “fiscal” da economia e dos fluxos inter-empresariais.Nessa nova concepção, temos a disseminação do chamado Estado mínimo. Essepensamento e comumente conhecido como neoliberal, numa alusão ao pensamentoliberal inglês do século XVIII, onde Adam Smith, através de seu mais famoso livro,“A riqueza das Nações”, buscava como os mercados poderiam se auto-regularatravés da chamada “mão invisível”. Sendo assim, temos a partir do final do séculopassado e início deste, a disseminação da idéia de diminuição da participação doEstado em investimentos diretos, principalmente nos países conhecidos comosubdesenvolvidos ou periféricos, como é caso da Bolívia. O Neoliberalismo é umacaracterística própria do período da Globalização. Será através dessa ideologia queeconomias dominantes, como a estadunidense e dos demais eixos dominantes irãoaprofundar as diferenças sociais e econômicas entre as sociedades pelo mundo.Pelos motivos expostos temos como resultado mais coerente para a 2ª questão aalternativa “A”. Onde, dentro do contexto Neoliberal a Bolívia vem perdendoautonomia política em contraposição a privatização de seus meios de produção,como no caso do domínio da Petrobras das fontes de gás natural do país. WWW.CEGH.COM.BR
  • 11. CENTRO de ESTUDOS de HISTÓRIA e GEOGRAFIA - CEGH UERJ - 2006 Disneylândia Samba do approach (...) Venha provar meu brunch Música hindu contrabandeada Saiba que eu tenho approach Por ciganos poloneses faz sucesso Na hora do lanch No interior da Bolívia Eu ando de ferryboat (...) Eu tenho savoir-faire Multinacionais japonesas instalam Meu temperamento é ligth Empresas em Hong Kong e Minha casa é hi-tech Produzem com matéria-prima brasileira Toda hora rola um insigth Para competir no mercado americano (...) Titãs Zeca Baleiro Os fragmentos das letras de música fazem referência à várias dimensões do processo de globalização vigente no sistema capitalista, sobretudo, a partir da década de 1980. Uma característica econômica e uma tendência desse processo, respectivamente, são:• Estatização das empresas – homogeneização do consumo• Redução da intervenção estatal – padronização de culturas• Internacionalização dos processos de produção – diminuição da exclusão social.• Segmentação dos investimentos internacionais – diversificação dos modelos educacionais. WWW.CEGH.COM.BR
  • 12. CENTRO de ESTUDOS de HISTÓRIA e GEOGRAFIA - CEGH Resolução Mais uma vez o tema Globalização é contemplado na prova do vestibular da UERJ. Para chegarmos a resposta, devemos entender que o processo de Globalização opera em diferentes dimensão, não apenas no que tange a economia, como pode inicialmente parecer. Nessa questão devemos observar a dimensão econômica associada às questões culturais que orbitam e torno do processo de globalização. Algumas características são comuns para esse período, tais como:3. Homogeneização da cultura: Será através da disseminação da chamada cultura de massa, houve um igualitarismo dos costumes seguindo o modo de vida ocidental imposto através das mídias que massificam os gostos e determinam padrões de consumo. Será a partir desse pressuposto que veremos eclodirem em várias localidades do mundo empresas que ultrapassam a fronteira de seus países de origem, como citado na primeira letra. Atualmente, através da rápida transmissão de informações e através dos avanços em transportes de cargas, podemos comprar produtos de outros países em questão de segundos.4. Essa nova capacidade do mercado de atingir localidades distantes, será validada pelo novo papel exercido pelo Estado, apenas regulamentador, deixando os mercados livres para atuarem nas dimensões, que através dos avanços da comunicação e transportes, puderam chegar aos espaços que anteriormente não chegavam. WWW.CEGH.COM.BR
  • 13. CENTRO de ESTUDOS de HISTÓRIA e GEOGRAFIA - CEGH UERJ – 2006 Radiografia do século XX no seu final Metade da população do mundo – cerca de 3 bilhões de pessoas – vive subalimentada, enquanto outros 10% sofrem graves deficiências alimentícias, totalizando 60% dos habitantes com algum tipo de problema de nutrição. De outro lado, 15% das pessoas do mundo estão subalimentadas. Alimentos não faltam, há excedentes agrícolas – conforme os critérios de mercado, não das necessidades humanas – de 15%. Adaptado de SADER, Emir. In MACELLIN, R. de. Passaporte para a História. São Paulo: Editora do Brasil, 2004 . Com base nos dados apresentados no texto, um aspecto marcante da conjuntura macroeconômica mundial do final do século passado e início deste milênio é:• Aumento da desigualdade social, devido ao desenvolvimento diferenciado entre os países.• Elevação das taxas de desemprego estrutural, em decorrência da concentração industrial nos países desenvolvidos.• Baixa produtividade agrícola, em função do acelerado crescimento demográfico nos países do hemisfério sul.• Distribuição desigual de alimentos, pelo esgotamento de áreas agricultáveis nos países desenvolvidos. WWW.CEGH.COM.BR
  • 14. CENTRO de ESTUDOS de HISTÓRIA e GEOGRAFIA - CEGH ResoluçãoEssa questão deve ser analisada de acordo com as alternativas apresentadas. Vamos enumerar asalternativas e suas explicações:(D) As áreas agricultáveis nos países desenvolvidos não estão esgotadas. No atual momento do comerciointernacional, os países centrais, vem buscando adquirir os gêneros alimentícios que não produzidos emseu território através da importação de países produtores, que em sua maioria são subdesenvolvidos. Essefator não é verdadeiro nem válido para a resolução da questão.(C) O argumento utilizado nessa questão lembra as teorias populacionais Malthusianas. Tinha comoprincipal pressuposto o crescimento populacional em progressão geométrica e a produção de alimentos emprogressão aritmética. Como resultado dessa equação temos a deficiência na produção de alimentos emfunção do aumento populacional. A deficiência existe, porém está relacionada com a má distribuição dosalimentos produzidos, enquanto nos espaços desenvolvidos existem excedentes, enquanto nos espaçossubdesenvolvidos faltam recursos.(B) Realmente existe uma elevação do desemprego estrutural no contexto do processo de globalização,porém não existe o processo de concentração industrial nos países desenvolvidos. Houve o movimentocontrário nas últimas décadas, com a disseminação das unidades industriais pelo mundo. Esse processo foinomeado de desindustrialização ou desconcentração espacial da industrial.(A) Essa alternativa constitui a verdadeira resposta para a questão colocada. Como havíamos visto emquestões anteriores, o processo de globalização apenas acentuou as desigualdades sociais, devido aoaumento da competitividade entre as empresas e a diminuição do papel estatal no cotidiano dassociedades. WWW.CEGH.COM.BR
  • 15. CENTRO de ESTUDOS de HISTÓRIA e GEOGRAFIA - CEGH UERJ - 2006A General Motors classifica o complexo industrial de Gravataí (RS) como o mais moderno e eficiente dogrupo em todo mundo. Com todas as inovações tecnológicas, a produtividade da nova fábrica deve seruma das mais altas. Até os líderes sindicais americanos foram conferir de perto se o novo conceito deprodução pode provocar desemprego. De fato, o número de postos de trabalho é reduzido na fábrica, mascresce na cadeia de fornecedores. Adaptado de Exame. 14/06/2000. Nas últimas décadas do século XX, ocorreram mudanças na estrutura produtiva, inclusive no setor secundário. Tais transformações, considerada por muitos autores como a 3ª Revolução Industrial, produziram impactos na dinâmica do mercado de trabalho e, consequêntemente, do movimento sindical. A correta associação entre as transformações na estrutura produtiva e na organização sindical, no período referido, está descrita em: • Automação – redução do número de sindicatos patronais. • Flexibilização – desaparecimento dos interesses por categoria • Terceirização – enfraquecimento da articulação entre trabalhadores • Desindustrialização – precariedade de legitimação das centrais sindicais WWW.CEGH.COM.BR
  • 16. CENTRO de ESTUDOS de HISTÓRIA e GEOGRAFIA - CEGH ResoluçãoA questão acima suscita os conhecimentos referentes ao processo da 3ª Revolução Industriale suas características.Um dos principais pressupostos da 3ª Revolução Industrial ou RevoluçãoTécnico-Científico-Informacional (segundo Milton Santos), está associado à flexibilização dos contratos detrabalho em decorrência do aumento da competitividade no mercado, impulsionando aredução nos custos de produção. Essa redução, passa por políticas internas, como aracionalização no uso de materiais, até a redução dos postos de trabalho, com a ascensãodos processos de terceirização.TERCEIRIZAÇÃO: Método de redução de custos, através da contratação de empresasprestadoras de serviço, desvinculando a contratante dos encargos trabalhistas e diminuindoseus custos. Em contrapartida, existe uma diminuição de direitos trabalhistas, concedidos aoempregado, em prol da prestação de serviços à um baixo custo. Esse fenômeno está emconstante expansão pelo mundo, basta observar fatia cada vez maior que o setor terciáriovem ocupando na participação das economias nacionais.TERCIARIZAÇÃO: Esse processo possui um nome parecido, porém, suas carcteristicas sãodistintas da anterior. Nesse caso temos um aumento da participação do setor terciário e não oaumento do número de terceirizações. Apesar dessa diferenciação, os processos estãointerligados, o primeiro como causa e o segundo como consequência. WWW.CEGH.COM.BR