Your SlideShare is downloading. ×
0
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Investigacao cientifica[1]
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Investigacao cientifica[1]

270

Published on

Investigação cientifica

Investigação cientifica

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
270
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
13
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Definição do Problema e Revisão Bibliográfica IIntrodução à Metodologia dePesquisa: da Teoria à Prática
  • 2. Passos em umainvestigação Científica1. Identificação do problema2. Formulação da pergunta ou hipótese3. Revisão da literatura4. Desenvolvimento do projeto de pesquisa 4.1. Selecionar o design 4.2. Coletar os dados 4.3. Analisar os dados5. Interpretar os resultados6. Partilhar / Divulgar os achados
  • 3. Como começar?1º desafio: seleção de um problema queseja significativo e apropriado parapesquisas científicas.Significativo: Gerar conhecimento que seja útil para opesquisador e/ou para sua profissão.Apropriado: Passível a ser submetido a um processosistemático de pesquisa e que este processo possagerar conhecimento para resolver o problema. Problemas que pedem opinião não são apropriados para pesquisa. OU se a pergunta pode ser respondida com um SIM ou NÃO.
  • 4. Identificação do Tópico Enquadrando o Problema  Propósito  Campo de Conhecimento  RecursosDes. Naturais Des. Experimentais
  • 5. Fontes de Idéias paraPesquisa1. Dúvidas / Questões clínicas2. Pesquisas prévias: 2.1. Pesquisas próprias 2.2. Pesquisas de outros3. Previsões teóricas4. Replicações5. Necessidade de explicação de umfenômeno6. Idéias de um mentor ou orientador
  • 6. Enquadrando um Problema de Pesquisa O que sobre este tópico me interessa? O que neste tópico é relevante para aminha prática? O que sobre este tópico ainda não foirespondido pela literatura? O que em relação a este tópicorepresenta preocupação para asociedade?
  • 7. Especificidade dos Problemas de Pesquisa1. Pesquisas Naturais: Amplamente formulados, e vão ganhando foco durante o desenvolvimento da pesquisa.2. Pesquisas Experimentais: Concisos e objetivamente focados.
  • 8. Um problema de Pesquisa Reflete:1. Propósito da condução da Pesquisa2. O quadro de referência teórica selecionado3. Recursos para implementar o projeto
  • 9. 1. Propósito da condução da Pesquisa Identifica porque o estudo está sendoconduzido. É o estabelecimento das metas específicas doprojeto de pesquisa. Desenhos Experimentais: Pesquisadoresinteressados em Descrever, Explicar ou Predizero fenômeno. Desenhos Naturais: Pesquisadoresinteressados em compreender os significados, eo fenômeno à medida que se envolvem nosetting natural. Dois exemplos: Étnográficos,Fenomenológicos.
  • 10. 2. O quadro de referência teóricaselecionado Paradigma Positivista (Desenho Tipo Experimental ): Questões diretas que objetivam conceitos OU Paradigma Natural ( Desenho Tipo Natural): explorar fatores múltiplos e inter- relacionados. OU Desenho que integre as duas abordagens
  • 11. 3. Recursos para implementar o projeto São as limitações concretas no Universo daPesquisa. O acesso a lugares, grupos, ou indivíduos ou aextensão a qual o tempo, dinheiro e outras fontessão necessárias e estarão disponíveis para opesquisador implementar o seu projeto depesquisa. Molda e determina o escopo do projeto depesquisa.
  • 12. A Pergunta de Pesquisa no Desenho Experimental:1. Identifica um tópico amplo2. Especifica uma área problema dentro do tópico3. Articula uma questão clara para guiar a investigaçãoO objetivo é articular os conceitos, aestruturas e o escopo dos conceitos que serão estudados. São desenvolvidas dedutivamente a partir dos princípiosteóricos que existem e são apresentados pela literatura.
  • 13. A Pergunta de Pesquisa no Desenho Experimental:As perguntas deverão conduzir a: 1. Descrição de um fenômeno 2. Explorar a relação entre fenômenos 3. Testar teorias ou modelos existentes 3 Níveis de Conhecimento ou desenvolvimento teórico: Nível 1. Pouco ou quase nada é conhecido sobre o tópico. Nível 2. O conhecimento descritivo é conhecido, mas as relações ainda não são compreendidas. Nível 3. Há um corpo de conhecimento e uma teoria bem definida
  • 14. Questões para descrever umfenômeno:. Questões do nível 1.. São designadas a elicitar descrições de umtópico único, ou de uma população singular sobrea qual nada ou quase nada é conhecido.. Sempre que um corpo de conhecimento foidesenvolvido para uma população e não paraoutra.. Pode focar na mensuração de uma variável emuma dada população.. Levantamentos, estudos descritivos ouexploratórios, necessidades de avaliação estudos
  • 15. Questões para explorarrelações entre feômenos:. Questões do nível 2. Estuda relações entre fenômenos que jáforam descritos. “ Qual é a relação? ”. O tópico deve incluir no mínimo doisconceitos.
  • 16. Questões para Testar Conhecimento. Questões do nível 3. Perguntam sobre a relação de causa e efeito entre duasvariáveis ou entre uma teoria por trás.. Parte do pressuposto que há uma relação ( já demonstradaem estudos anteriores).. Testa os conceitos em ação, manipulando os efeitos queuma pode causar no outro.. Pode examinar altos níveis de abstração, incluindoprincípios, teorias, e modelos.. O nível mais complexo de desenhos experimentais.
  • 17. Tipos de Questão em Desenhos ExperimentaisNível Perguntas Nível de Possibilidades de abstração desenho1 O que é? Conceitos e Levantamento, O que são? constructos Exploratório , Descritivo, Estudo de Caso, Avaliação de necessidades2 Qual é a Relações Levantamentos relação? Correlações Observação Ex post facto3 Por quê? Princípios Experimental Teorias Quasi Experimental Modelos
  • 18. Dicas: No nível 1, tenha somente uma variável e uma população. No nível 2, no mínimo duas variáveis são necessárias. Se há uma causa ou um efeito a ser investigado, escreva aquestão no nível 2 ou 3. Se as palavras “ causa” , “efeito”, ou qualquer sinônimoaparece na pergunta, ou elimine estas palavras ou especifiqueo que elas são e como elas variam. Todas as variáveis devem ser escritas da forma que elasvariam. No nível 3, deverá ter duas variáveis que especificam umacausa e um efeito. Se a pergunta está escrita no nível 3, esteja certo que é éticoe possível manipular a variável causal. Se não, reescreva aquestão no nível 2.
  • 19. Questões nas PesquisasNaturais Inúmeras perspectivas filosóficas Similaridades na abordagem do problema Passos: Identificação de um tópico e uma amplaárea de conhecimento na qual o problema oufenômeno a ser estudado está inserido, isto se tornao campo a ser investigado. O campo natural no qual o fenômeno ocorreforma a base da descoberta onde quastões maisespecíficas e limitadas surgem no curso dacondução da pesquisa.
  • 20. Questões nas PesquisasNaturais À medida que novos insights e significados sãoobtidos, a definição inicial do problema pode serreformulada.. Baseado nestes novos insights e informaçõesque surgem do campo ou da ação da pesquisa, opesquisador formula perguntas pequenas econcisas, que em seguida são investigada. Estas perguntas “ pequenas” são contextuais esurgem indutivamente dentro do estudo a partir doesforço do pesquisador em compreender oproblema mais amplo.
  • 21. Questões nas PesquisasNaturaisO padrão interativo dequestionamento - coleta dos dados –reformulação das questõesrepresentam o formato das pesquisasnaturais.
  • 22. Perguntas nos Métodos Qualitativos1. EtnográficoAbordagem primária: descrição e interpretação dos padrões culturais de grupos e compreensão dos significados utilizados pelas pessoas para organizar e interpretar suas experiências.O pesquisador assume um papel de aprendiz, tendo ele que se primeiro experimentar para depois interpretar.Somente depois que o pesquisador identifica o fenômeno e seu “ setting” cultural, é que os questionamentos começam a ser desenvolvidos.
  • 23. Perguntas nos Métodos Qualitativos1. EtnográficoEstabelece o fenômeno, o setting ( circunstâncias), ou ambos.Estabelece o processo de pensamento e de ação necessários para compreender as fronteiras da cultura e da experiência humana que ocorre dentro daqueles limites.
  • 24. Perguntas nos Métodos Qualitativos2. FenomenológicoMeta principal: Revelar o significado da vivência deum fenômeno pelo ser humano através da descriçãodaquelas experiências e como elas são vividas peloindivíduo.Primeiro passo: Identificar o fenômeno a serinvestigado.Foca na perspectiva da experiência individual.Pergunta inicial ampla.
  • 25. Exercícios:1. Para testar a sua compreensão entre os diferentes níveis de questionamento nas pesquisas experimentais, selecione um problema em uma área de seu interesse. Em seguida formule o problema conforme os níveis 1, 2 e 3.2. Agora, utilize o mesmo problema e formule uma questão a ser investigada como uma pesquisa natural.3. Selecione 3 artigos na literatura e identifique as perguntas de pesquisa, ou os questionamentos. Após, caracterize a natureza de cada pesquisa usando o modelo a seguir:
  • 26. Questão Nível de Método de Recursos conhecimento pesquisa Necessários preferido1.2.3.
  • 27. Revisão da literatura:1. Ser o mais extensa possível2. Realizada de forma sistematizada3. Incluir o maior número de línguas possível ( cuidadocom as traduções!)4. Incluir relatos de pesquisas apresentados emcongressos, teses, etc.5. Selecionar os artigos que mais se aproximam do seuobjeto de pesquisa. Ao término desse processo , você terá se tornado um “especialista” no assunto!!
  • 28. Tipos de Revisão daLiteratura1. Revisão Integrativa: Sumariza as pesquisasrealizadas sobre determinado assunto construindoum conclusão a partir de muitos estudos realizadosseparadamente mas que investigam problemasidênticos ou similares.2. Revisão Teórica: O pesquisador esperaapresentar as teorias oferecidas para explicar umdeterminado fenômeno, e compará-lasconsiderando seu ponto de vista, a consistênciainterna de cada uma e a natureza de suaspredições.
  • 29. Tipos de Revisão daLiteratura3. Metodológica: O objetivo é examinar osmétodos e definições operacionais que podemestar sendo utilizados em uma determinadaárea do conhecimento. Representam sempreuma crítica às pesquisas existentes, discutindoos artefatos que produziram os resultados, queas medidas não são confiáveis, e/ou que ascondições limitam as conclusões que podemser alcançadas .
  • 30. 4. Revisão Quantitativa:Meta- AnáliseRefere a análise estatística de uma grandecoleção de resultados analisados com oobjetivo de integrar os resultados.Conota uma rigorosa alternativa paraadministrar a rápida expansão do número depesquisas publicadas.Forma sistemática de fazer uma revisão deliteratura.Foca nos resultados, re-analisa osresultados.
  • 31. Meta- Análise A premissa é que localizando e integrando estudos realizados separadamente sobre um mesmo tema, estaremos somando os resultados , ou seja mantendo a inferência científica como ponto central para validar esseconhecimento surgido por esta somatória,assim como as inferências envolvidas naanálise dos dados dos estudos primários.
  • 32. Meta- AnáliseEtapas:1. Definição do problema2. Coleta dos Dados3. Avaliação dos Dados4. Análise e Interpretação5. Relato dos Resultados
  • 33. Meta- Análise1. Definição do problema: Definição das variáveise do racional para relacionar uma variável a outra( definir as variáveis para selecionar os artigos,fazer a mesma perguntas “aos artigos”).2. Coleta dos Dados: Buscar todos os artigosreacionados com a área das variáveis escolhidas( pesquisadores, citação em outros artigos,sumários de congressos, pesquisas nãopublicadas, pesquisas via computador, etc.)
  • 34. Meta- Análise3. Avaliação dos dados: Depois de coletar os artigos,eles devem ser relacionados os artigos que sãorelevantes ao assunto e os que não são ( defina aspalavras chaves, como conseguiu os artigos, os bancode dados usados, etc.)4. Análise dos dados: Utilizar estudos com desenhossemelhantes para poder somar os “n” e então combinaras probabilidades5. Relatar os resultados: Introdução, Métodos,Resultados, Discussão, Conclusão.
  • 35. Críticas à Meta-Análise1. Mistura alhos e bugalhos: perguntas muito amplas,força estudos diferentes com medidas diferentesestarem juntos.2. Promove padrão de julgamento proporcional àqualidade dos estudos revisados.3. Pode ocorrer um tendência devido a amostra( “bias”)4. Pode ser usada com fins não éticos/científicos.
  • 36. The Cochrane LibraryUma fonte de soluções para osproblemas clínicos do dia-a-dia
  • 37. O que é a Cochrane Library ? Compedium de bancos de dados e instrumentos relacionados. Principal produto: The Cochrane Collaboration,
  • 38. The Cochrane Collaboration É uma rede de colaboradores voluntários internacionais ( profissionais de saúde, pesquisadores, consumidores, legisladores, cujo principais objetivos são produzir manter, e distribuir revisões sistemáticas sobre os efeitos das intervenções em saúde.
  • 39. História Archie Cochrane, um epidemiologista britânico percebeu o número sobre- humano de produção de informação clínica, e então elaborou uma forma de sumarizar criticamente as informações disponíveis.
  • 40. Como acessar? CD - ROM e on line , www.updateusa.com/cochrane.htm Em breve será adicionada ao Medline Em 1999, a coleção era composta de 522 revisões completas, e 492 em andamento em todo o mundo.

×