140 modelado de-negocios
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

140 modelado de-negocios

on

  • 1,003 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,003
Views on SlideShare
715
Embed Views
288

Actions

Likes
2
Downloads
1,437
Comments
0

4 Embeds 288

http://www3.gxtechnical.com 255
http://www.heuristica.com.br 18
http://www2.gxtechnical.com 13
http://gxportal.specialhosting.net 2

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment
  • Digamos que tenhamos conseguido desenvolver um carro elétrico para uma pessoa que foi aprovado pelas autoridades na mesma categoria de uma BICICLETA, de forma que pode ser utilizado por pessoas a partir dos 12 anos de idade, transitar por ciclovias etc.
  • O produto tem traçao nas quatro rodas, de forma que acessa qualquer tipo de terreno
  • e pode transitar em vias que são restritas a automóveis comuns
  • Quem se considera empreendedor, ou acha que virá a ser um empreendedor no futuro? Aos que levantaram a mão, parabéns! A boa notícia é que vocês vão mudar o mundo, contribuir para o desenvolvimento de nossa sociedade, de nosso país, da humanidade... A ma notícia, é que provavelmente a grande maioria de vocês vai falhar. Nada pessoal, apenas estatística ...e meu objetivo aqui hoje é ajudar a melhorar esse balanço, para o bem da humanidade. COMO? Mostrando uma metodologia que tem invertido a pirâmide de longevidade das startups.
  • Quem se considera empreendedor, ou acha que virá a ser um empreendedor no futuro? Aos que levantaram a mão, parabéns! A boa notícia é que vocês vão mudar o mundo, contribuir para o desenvolvimento de nossa sociedade, de nosso país, da humanidade... A ma notícia, é que provavelmente a grande maioria de vocês vai falhar. Nada pessoal, apenas estatística ...e meu objetivo aqui hoje é ajudar a melhorar esse balanço, para o bem da humanidade. COMO? Mostrando uma metodologia que tem invertido a pirâmide de longevidade das startups.
  • Quem se considera empreendedor, ou acha que virá a ser um empreendedor no futuro? Aos que levantaram a mão, parabéns! A boa notícia é que vocês vão mudar o mundo, contribuir para o desenvolvimento de nossa sociedade, de nosso país, da humanidade... A ma notícia, é que provavelmente a grande maioria de vocês vai falhar. Nada pessoal, apenas estatística ...e meu objetivo aqui hoje é ajudar a melhorar esse balanço, para o bem da humanidade. COMO? Mostrando uma metodologia que tem invertido a pirâmide de longevidade das startups.
  • Em 2003 e montei a Sonho Real – empresa dedicada à fabricação de kits para construção rápida de casas populares com um sistema inovador composto por pre-moldados à base de fibra de bambu e raspa de borracha. A Propuesta de valor era possibilitar a construção de uma casa em cerca de 30 dias com 50% do custo necessário no sistema convencional. Fizemos o plano de negócios, testamos o protótipo do produto, investimos cerca de R$ 100 mil em instalações, equipe, viagens etc. e finalmente lançamos o projeto piloto – para duas casas, comprando um terreno em Campo Grande, no Rio de Janeiro. Ou de repente vendi para o publico errado – talvez se tivesse lançado o mesmo sistema construtivo voltado para o publico premium, e com uma Propuesta de valor baseada na ecologia e na sustentabilidade, tivesse feito mais sucesso... Concluída a casa colocamos a venta. Seis meses depois conseguimos vender uma unidade – e o cara nos processou 90 dias depois por ter sido “enganado”, alegou não ter sido avisado que se tratava de uma construção alternativa... Fechamos a empresa e ainda estamos nos defendendo dessa ação. O QUE DEU ERRADO? se o produto estava 100% , testado, aprovado? Faltaram CLIENTES que se dispusessem a compra-lo. Até os operarios que trabalharam na obra disseram que se fosse para eles, prefeririam uma casa com o bom e velho tijolo - cimento.
  • Em 2003 e montei a Sonho Real – empresa dedicada à fabricação de kits para construção rápida de casas populares com um sistema inovador composto por pre-moldados à base de fibra de bambu e raspa de borracha. A Propuesta de valor era possibilitar a construção de uma casa em cerca de 30 dias com 50% do custo necessário no sistema convencional. Fizemos o plano de negócios, testamos o protótipo do produto, investimos cerca de R$ 100 mil em instalações, equipe, viagens etc. e finalmente lançamos o projeto piloto – para duas casas, comprando um terreno em Campo Grande, no Rio de Janeiro. Ou de repente vendi para o publico errado – talvez se tivesse lançado o mesmo sistema construtivo voltado para o publico premium, e com uma Propuesta de valor baseada na ecologia e na sustentabilidade, tivesse feito mais sucesso... Concluída a casa colocamos a venta. Seis meses depois conseguimos vender uma unidade – e o cara nos processou 90 dias depois por ter sido “enganado”, alegou não ter sido avisado que se tratava de uma construção alternativa... Fechamos a empresa e ainda estamos nos defendendo dessa ação. O QUE DEU ERRADO? se o produto estava 100% , testado, aprovado? Faltaram CLIENTES que se dispusessem a compra-lo. Até os operarios que trabalharam na obra disseram que se fosse para eles, prefeririam uma casa com o bom e velho tijolo - cimento.
  • Em 2003 e montei a Sonho Real – empresa dedicada à fabricação de kits para construção rápida de casas populares com um sistema inovador composto por pre-moldados à base de fibra de bambu e raspa de borracha. A Propuesta de valor era possibilitar a construção de uma casa em cerca de 30 dias com 50% do custo necessário no sistema convencional. Fizemos o plano de negócios, testamos o protótipo do produto, investimos cerca de R$ 100 mil em instalações, equipe, viagens etc. e finalmente lançamos o projeto piloto – para duas casas, comprando um terreno em Campo Grande, no Rio de Janeiro. Ou de repente vendi para o publico errado – talvez se tivesse lançado o mesmo sistema construtivo voltado para o publico premium, e com uma Propuesta de valor baseada na ecologia e na sustentabilidade, tivesse feito mais sucesso... Concluída a casa colocamos a venta. Seis meses depois conseguimos vender uma unidade – e o cara nos processou 90 dias depois por ter sido “enganado”, alegou não ter sido avisado que se tratava de uma construção alternativa... Fechamos a empresa e ainda estamos nos defendendo dessa ação. O QUE DEU ERRADO? se o produto estava 100% , testado, aprovado? Faltaram CLIENTES que se dispusessem a compra-lo. Até os operarios que trabalharam na obra disseram que se fosse para eles, prefeririam uma casa com o bom e velho tijolo - cimento.
  • Em 2003 e montei a Sonho Real – empresa dedicada à fabricação de kits para construção rápida de casas populares com um sistema inovador composto por pre-moldados à base de fibra de bambu e raspa de borracha. A Propuesta de valor era possibilitar a construção de uma casa em cerca de 30 dias com 50% do custo necessário no sistema convencional. Fizemos o plano de negócios, testamos o protótipo do produto, investimos cerca de R$ 100 mil em instalações, equipe, viagens etc. e finalmente lançamos o projeto piloto – para duas casas, comprando um terreno em Campo Grande, no Rio de Janeiro. Ou de repente vendi para o publico errado – talvez se tivesse lançado o mesmo sistema construtivo voltado para o publico premium, e com uma Propuesta de valor baseada na ecologia e na sustentabilidade, tivesse feito mais sucesso... Concluída a casa colocamos a venta. Seis meses depois conseguimos vender uma unidade – e o cara nos processou 90 dias depois por ter sido “enganado”, alegou não ter sido avisado que se tratava de uma construção alternativa... Fechamos a empresa e ainda estamos nos defendendo dessa ação. O QUE DEU ERRADO? se o produto estava 100% , testado, aprovado? Faltaram CLIENTES que se dispusessem a compra-lo. Até os operarios que trabalharam na obra disseram que se fosse para eles, prefeririam uma casa com o bom e velho tijolo - cimento.
  • Em 2003 e montei a Sonho Real – empresa dedicada à fabricação de kits para construção rápida de casas populares com um sistema inovador composto por pre-moldados à base de fibra de bambu e raspa de borracha. A Propuesta de valor era possibilitar a construção de uma casa em cerca de 30 dias com 50% do custo necessário no sistema convencional. Fizemos o plano de negócios, testamos o protótipo do produto, investimos cerca de R$ 100 mil em instalações, equipe, viagens etc. e finalmente lançamos o projeto piloto – para duas casas, comprando um terreno em Campo Grande, no Rio de Janeiro. Ou de repente vendi para o publico errado – talvez se tivesse lançado o mesmo sistema construtivo voltado para o publico premium, e com uma Propuesta de valor baseada na ecologia e na sustentabilidade, tivesse feito mais sucesso... Concluída a casa colocamos a venta. Seis meses depois conseguimos vender uma unidade – e o cara nos processou 90 dias depois por ter sido “enganado”, alegou não ter sido avisado que se tratava de uma construção alternativa... Fechamos a empresa e ainda estamos nos defendendo dessa ação. O QUE DEU ERRADO? se o produto estava 100% , testado, aprovado? Faltaram CLIENTES que se dispusessem a compra-lo. Até os operarios que trabalharam na obra disseram que se fosse para eles, prefeririam uma casa com o bom e velho tijolo - cimento.
  • Em 2003 e montei a Sonho Real – empresa dedicada à fabricação de kits para construção rápida de casas populares com um sistema inovador composto por pre-moldados à base de fibra de bambu e raspa de borracha. A Propuesta de valor era possibilitar a construção de uma casa em cerca de 30 dias com 50% do custo necessário no sistema convencional. Fizemos o plano de negócios, testamos o protótipo do produto, investimos cerca de R$ 100 mil em instalações, equipe, viagens etc. e finalmente lançamos o projeto piloto – para duas casas, comprando um terreno em Campo Grande, no Rio de Janeiro. Ou de repente vendi para o publico errado – talvez se tivesse lançado o mesmo sistema construtivo voltado para o publico premium, e com uma Propuesta de valor baseada na ecologia e na sustentabilidade, tivesse feito mais sucesso... Concluída a casa colocamos a venta. Seis meses depois conseguimos vender uma unidade – e o cara nos processou 90 dias depois por ter sido “enganado”, alegou não ter sido avisado que se tratava de uma construção alternativa... Fechamos a empresa e ainda estamos nos defendendo dessa ação. O QUE DEU ERRADO? se o produto estava 100% , testado, aprovado? Faltaram CLIENTES que se dispusessem a compra-lo. Até os operarios que trabalharam na obra disseram que se fosse para eles, prefeririam uma casa com o bom e velho tijolo - cimento.
  • Matriz 2 x 2: Segmentos de clientes x Modelos de geração de renda E na essencia, essa é a causa do RISCO que nós, empreendedores, temos quando criamos um novo empreendimento. A questão principal é que cada empreendimento apresenta um conjunto enorme de possibilidades = ou seja, de “modelos” de negócio diferentes. Quer montar um restaurante? Para que tipo de CLIENTES? Popular, Premium, Executivos, Famílias? Qual a Propuesta de valor? Comida saborosa? Comida diferente? Comida rápida? Comida saudável? Quais os Canales para o cliente obter o produto? tiend próprias? Franquias? Entrega em casa? E por aí vai...
  • O problema todo é esse... a gente tem um sem-numero de possibilidades, mas precisa escolher um. Não é assim? Quando a gente elabora o plano de negócio não é isso que a gente faz? TENHA A IDÉIA > IDENTIFIQUE MODELOS POSSÍVEIS > SELECIONE O QUE VOCÊ ACHA QUE É MELHOR > ELABORE UM PLANO DE NEGÓCIOS BASEADO EM SUAS HIPÓTESES E ALGUMA PESQUISA DE Fuentes, NORMALMENTE SECUNDÁRIAS > CAPTE CAPITAL COM ALGUM INVESTIDOR > DESENVOLVA O PRODUTO > FAÇA O LANÇAMENTO E COMECE A TESTAR AS HIPÓTESES 
  • O problema todo é esse... a gente tem um sem-numero de possibilidades, mas precisa escolher um. Não é assim? Quando a gente elabora o plano de negócio não é isso que a gente faz? TENHA A IDÉIA > IDENTIFIQUE MODELOS POSSÍVEIS > SELECIONE O QUE VOCÊ ACHA QUE É MELHOR > ELABORE UM PLANO DE NEGÓCIOS BASEADO EM SUAS HIPÓTESES E ALGUMA PESQUISA DE Fuentes, NORMALMENTE SECUNDÁRIAS > CAPTE CAPITAL COM ALGUM INVESTIDOR > DESENVOLVA O PRODUTO > FAÇA O LANÇAMENTO E COMECE A TESTAR AS HIPÓTESES 
  • O problema todo é esse... a gente tem um sem-numero de possibilidades, mas precisa escolher um. Não é assim? Quando a gente elabora o plano de negócio não é isso que a gente faz? TENHA A IDÉIA > IDENTIFIQUE MODELOS POSSÍVEIS > SELECIONE O QUE VOCÊ ACHA QUE É MELHOR > ELABORE UM PLANO DE NEGÓCIOS BASEADO EM SUAS HIPÓTESES E ALGUMA PESQUISA DE Fuentes, NORMALMENTE SECUNDÁRIAS > CAPTE CAPITAL COM ALGUM INVESTIDOR > DESENVOLVA O PRODUTO > FAÇA O LANÇAMENTO E COMECE A TESTAR AS HIPÓTESES 
  • O problema todo é esse... a gente tem um sem-numero de possibilidades, mas precisa escolher um. Não é assim? Quando a gente elabora o plano de negócio não é isso que a gente faz? TENHA A IDÉIA > IDENTIFIQUE MODELOS POSSÍVEIS > SELECIONE O QUE VOCÊ ACHA QUE É MELHOR > ELABORE UM PLANO DE NEGÓCIOS BASEADO EM SUAS HIPÓTESES E ALGUMA PESQUISA DE Fuentes, NORMALMENTE SECUNDÁRIAS > CAPTE CAPITAL COM ALGUM INVESTIDOR > DESENVOLVA O PRODUTO > FAÇA O LANÇAMENTO E COMECE A TESTAR AS HIPÓTESES 
  • O problema todo é esse... a gente tem um sem-numero de possibilidades, mas precisa escolher um. Não é assim? Quando a gente elabora o plano de negócio não é isso que a gente faz? TENHA A IDÉIA > IDENTIFIQUE MODELOS POSSÍVEIS > SELECIONE O QUE VOCÊ ACHA QUE É MELHOR > ELABORE UM PLANO DE NEGÓCIOS BASEADO EM SUAS HIPÓTESES E ALGUMA PESQUISA DE Fuentes, NORMALMENTE SECUNDÁRIAS > CAPTE CAPITAL COM ALGUM INVESTIDOR > DESENVOLVA O PRODUTO > FAÇA O LANÇAMENTO E COMECE A TESTAR AS HIPÓTESES 
  • Mas alguma coisa evidentemente está errada com esse modelo, porque mesmo assim, entre empresas cuidadosamente selecionadas pelas empresas de capital de risco – especialistas em identificar empreendimentos e empreendedores – apenas uma em dez “dá muito certo”, outra dá certo, quatro ou cinco ficam no zero a zero e de duas a tres fazem água. Ou seja, uma taxa de sucesso de dez, quinze por cento... É uma LOTERIA... muitos jogam e poucos ganham.
  • Mas alguma coisa evidentemente está errada com esse modelo, porque mesmo assim, entre empresas cuidadosamente selecionadas pelas empresas de capital de risco – especialistas em identificar empreendimentos e empreendedores – apenas uma em dez “dá muito certo”, outra dá certo, quatro ou cinco ficam no zero a zero e de duas a tres fazem água. Ou seja, uma taxa de sucesso de dez, quinze por cento... É uma LOTERIA... muitos jogam e poucos ganham.
  • Agora... se você pudesse jogar em vários números, a sua chance melhoraria, certo? Ou melhor; se você pudesse saber qual é o cavalo vencedor antes de fazer a aposta, isso aumentaria as suas chances de sucesso, ne? Pois é.. esse é o conceito do BUSINESS MODEL GENERATION. Osterwalder, autor, em conjunto com Steven Blank (4 steps) e Erik Ries (Lean Startup) difundem a ideia de TESTAR TODAS AS HIPÓTESES PROMISSORAS e não apenas uma. Criar uma fase, pré-plano de negocios, que identifique de todas as possibilidades, qual a que tem mais chances de ganhar. Então, o processo consiste em: A) identificar opçōes (gerar hipóteses) B) validar fora do prédio (protótipos, entrevistas etc.) C) ajustar o modelo (e voltar a B ate "pegar")
  • Agora... se você pudesse jogar em vários números, a sua chance melhoraria, certo? Ou melhor; se você pudesse saber qual é o cavalo vencedor antes de fazer a aposta, isso aumentaria as suas chances de sucesso, ne? Pois é.. esse é o conceito do BUSINESS MODEL GENERATION. Osterwalder, autor, em conjunto com Steven Blank (4 steps) e Erik Ries (Lean Startup) difundem a ideia de TESTAR TODAS AS HIPÓTESES PROMISSORAS e não apenas uma. Criar uma fase, pré-plano de negocios, que identifique de todas as possibilidades, qual a que tem mais chances de ganhar. Então, o processo consiste em: A) identificar opçōes (gerar hipóteses) B) validar fora do prédio (protótipos, entrevistas etc.) C) ajustar o modelo (e voltar a B ate "pegar")
  • Agora... se você pudesse jogar em vários números, a sua chance melhoraria, certo? Ou melhor; se você pudesse saber qual é o cavalo vencedor antes de fazer a aposta, isso aumentaria as suas chances de sucesso, ne? Pois é.. esse é o conceito do BUSINESS MODEL GENERATION. Osterwalder, autor, em conjunto com Steven Blank (4 steps) e Erik Ries (Lean Startup) difundem a ideia de TESTAR TODAS AS HIPÓTESES PROMISSORAS e não apenas uma. Criar uma fase, pré-plano de negocios, que identifique de todas as possibilidades, qual a que tem mais chances de ganhar. Então, o processo consiste em: A) identificar opçōes (gerar hipóteses) B) validar fora do prédio (protótipos, entrevistas etc.) C) ajustar o modelo (e voltar a B ate "pegar")
  • Participação nos resultados venta Pay per use (a exemplo das bicicletas de Paris)
  • tiend (proprias ou franqueadas) Auto-atendimento (Internet?)
  • E aqui em o pulo do gato: em vez de selecionar um modelo em cima da prancheta, dentro da oficina, mediante brainstorming ou qualquer outra metodologia gerencial, o processo de apostar em cavalo vencedor é SAIR DO PRÉDIO E TESTAR AS HIPÓTESES junto ao mercado-alvo. Veja qual é a hipótese “vencedora” ANTES de fazer o plano de negócios. Antes de investir tempo e dinheiro num modelo que não é o mais rentável. Voce pode testar hipóteses de várias formas: desde simplesmente apresentar o modelo de negócios num powerpoint e perguntando o que os clientes acham a desenvolver um protótipo com funcionalidades mínimas e testar a aceitação das diferentes versões.
  • E aqui em o pulo do gato: em vez de selecionar um modelo em cima da prancheta, dentro da oficina, mediante brainstorming ou qualquer outra metodologia gerencial, o processo de apostar em cavalo vencedor é SAIR DO PRÉDIO E TESTAR AS HIPÓTESES junto ao mercado-alvo. Veja qual é a hipótese “vencedora” ANTES de fazer o plano de negócios. Antes de investir tempo e dinheiro num modelo que não é o mais rentável. Voce pode testar hipóteses de várias formas: desde simplesmente apresentar o modelo de negócios num powerpoint e perguntando o que os clientes acham a desenvolver um protótipo com funcionalidades mínimas e testar a aceitação das diferentes versões.
  • A maior dificuldade que normalmente surge é a falta (proposital) de modelos. A solução é apresentar exemplos de negócios diversos para mostrar que a criatividade no processo de elaboração não é só admitida, mas necessária. Apresentar link de “10 business models that rocketed 2010” Em grupos maiores, acima de 20 alunos, o processo precisa ser automatizado uma vez que a interação com o Professor com cada participante é limitada. Nesses casos usa-se a apresentação dos resultados por amostragem e formam-se grupos de trabalho que deverão interagir entre si durante as s para oferecer feedback e permitir aconselhamento mútuo. A avaliação é realizada pelo próprio mercado na fase de experimentação do protótipo.
  • A maior dificuldade que normalmente surge é a falta (proposital) de modelos. A solução é apresentar exemplos de negócios diversos para mostrar que a criatividade no processo de elaboração não é só admitida, mas necessária. Apresentar link de “10 business models that rocketed 2010” Em grupos maiores, acima de 20 alunos, o processo precisa ser automatizado uma vez que a interação com o Professor com cada participante é limitada. Nesses casos usa-se a apresentação dos resultados por amostragem e formam-se grupos de trabalho que deverão interagir entre si durante as s para oferecer feedback e permitir aconselhamento mútuo. A avaliação é realizada pelo próprio mercado na fase de experimentação do protótipo.
  • A maior dificuldade que normalmente surge é a falta (proposital) de modelos. A solução é apresentar exemplos de negócios diversos para mostrar que a criatividade no processo de elaboração não é só admitida, mas necessária. Apresentar link de “10 business models that rocketed 2010” Em grupos maiores, acima de 20 alunos, o processo precisa ser automatizado uma vez que a interação com o Professor com cada participante é limitada. Nesses casos usa-se a apresentação dos resultados por amostragem e formam-se grupos de trabalho que deverão interagir entre si durante as s para oferecer feedback e permitir aconselhamento mútuo. A avaliação é realizada pelo próprio mercado na fase de experimentação do protótipo.
  • A construção do modelo é feita, portanto em etapas com pouca imaginação e muita ação. O modelo de Osterwalder prevê nove blocos de construção: 1 SEGMENTOS DE CLIENTES 2 PropuestaS DE VALOR 3 MODELOS DE RENDA 4 Relación 5 Canales 6 PARCERIAS 7 Actividades-clave 8 RECURSOS-clave 9 ESTRUTURA DE Costos Para cada um, dá-se o conceito, geram-se as hipóteses, selecionam-se as opções mais viáveis e valida-se no mercado. Eu faço esse processo à razão de uma por semana – em doze semanas concluimos o processo – mas já vi fazerem em oito dias. A Unicamp tem um workshoque que começa no sábado com a geração das ideias e dos modelos, segunda a sexta os alunos testam cada suposição e selecionam o modelo vencedor, que apresentam no sábado seguinte. Porrada...
  • Este é um exemplo de uma empresa incubada na Nasajon que desenvolve aplicações para restaurantes. Tinhamos tres modelos possíveis para renda Um envolvia simplesmente o licenciamento do sistema Outro o fornecimento do sistema embarcado no iPad Então fizemos “landing pages” diferentes para cada modelo de negócios e colocamos na Internet durante uma semana, aplicando uma verga igual no Google. Ao clicar na pagina o cliente era avisado que o aplicativo estava em desenvolvimento e seria avisado oportunamente. Pelo numero de clics em cada pagina pudemos identificar qual era o modelo que criaria maior demanda.
  • Este é um exemplo de uma empresa incubada na Nasajon que desenvolve aplicações para restaurantes. Tinhamos tres modelos possíveis para renda Um envolvia simplesmente o licenciamento do sistema Outro o fornecimento do sistema embarcado no iPad Então fizemos “landing pages” diferentes para cada modelo de negócios e colocamos na Internet durante uma semana, aplicando uma verga igual no Google. Ao clicar na pagina o cliente era avisado que o aplicativo estava em desenvolvimento e seria avisado oportunamente. Pelo numero de clics em cada pagina pudemos identificar qual era o modelo que criaria maior demanda.
  • Conclusión disso tudo? O que importa, seja lá qual for a sua ideia de negócios, não é o PRODUTO ou SERVIÇO e sim os CLIENTES! Então, perca menos tempo elaborando projeto do produto e mais buscando os clientes que o consumirão – porque eles vão permitir que você vá evoluindo o seu produto aos poucos, de acordo com as demandas.
  • Y no solo caballos vencedores, si no que caballos vencedores en Uruguay. Posee el segundo mayor índice de educación en Latinoamérica (solo atras de Cuba) y un nivel superior al de Alemania o Japón según la ONU . Uruguay es en 2010 , el segundo país de América (luego de Canadá ), en el ranking de naciones más pacíficas del planeta . La esperanza de vida promedio, lo posiciona en el puesto 46 a nivel mundial, cuarto en la región . Es el país sudamericano con el menor Índice GINI . Uruguay se posiciona en el quinto puesto latinoamericano y entre los 50 primeros del mundo en Índice de Globalización . Índice de Facilidad de hacer negocios a 2010 según el Banco Mundial conserva el tercer puesto en Sudamérica , tras Chile , y Perú .
  • Es el voto que el alma pronuncia,
y que heroicos, sabremos cumplir. ¡Libertad, libertad, Orientales!
Este grito a la patria salvó.
que a sus bravos, en fieras batallas,
De entusiasmo sublime inflamó. De este don sacrosanto la gloria
 Merecimos. Tiranos ¡temblad!
Tiranos ¡temblad!
Tiranos ¡temblad!
¡Ah!

140 modelado de-negocios 140 modelado de-negocios Presentation Transcript

  • Modelado de Negócios Claudio Nasajon Sep/2011 © Claudio Nasajon (www.claudionasajon.com.br)
  •  
  •  
  •  
  • 1 2 3 Tipos de clientes
  • A B C Modelos de ingresos
  • Cliente Renta 1 2 3 ... A B C ... A1 A2 A3 B1 B2 B3 C1 C2 C3
  • Cliente Renta 1 2 3 ... A B C ... A1 A2 A3 B1 B2 B3 C1 C2 C3
  •  
  •  
  • Emprendedores deben estar dispuestos a fallar, mucho , antes de encontrar “ el camino”. © Claudio Nasajon (www.claudionasajon.com.br)
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • © Claudio Nasajon (www.claudionasajon.com.br)
  • © Claudio Nasajon (www.claudionasajon.com.br)
  • © Claudio Nasajon (www.claudionasajon.com.br)
  •  
  •  
  •  
  • Negócios tienen “n” modelos posibles
  • Método “tradicional”
  • Método “tradicional” Plan de Negócios
  • Método “tradicional” Plan de Negócios Funding
  • Plan de Negócios Funding Desarrollo Método “tradicional”
  • Método “tradicional” Plan de Negócios Funding Desarrollo Mercado
  • Método “tradicional”
  • 1º ano 2º ano 3º ano 4º ano 5º ano 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% Empresas constituídas entre 2001 y 2005 SEBRAE / 2011 © Claudio Nasajon (www.claudionasajon.com.br) 27% 38% 46% 50% 62% 73% 62% 54% 50% 38%
  • Y si pudiéramos predecir el ganador?
  •  
  •  
  • Para quien creamos valor? Tur Def Ejec Business Generation Canvas Asociados Actividades Propuesta Relación Clientes Recursos Canales Costos Modelo de ingresos
  • Tur Def Ejec ppu venta Club Como los clientes estarian dispuestos a pagar? Business Generation Canvas Asociados Actividades Propuesta Relación Clientes Recursos Canales Costos Modelo de ingresos
  • Tur Def Ejec ppu venta Club Auto tiend Cuales son los canales posibles para entregar la oferta? Business Generation Canvas Asociados Actividades Propuesta Relación Clientes Recursos Canales Costos Modelo de ingresos
  • Tur Def Ejec Auto tiend e- pres. ppu Club venta Que tipo de relación cada segmento demanda? Business Generation Canvas Asociados Actividades Propuesta Relación Clientes Recursos Canales Costos Modelo de ingresos
  • e- pres. acess econ agil Que benefícios agregamos para el cliente de forma diferenciada? Tur Def Ejec Auto tiend ppu Club venta Business Generation Canvas Asociados Actividades Propuesta Relación Clientes Recursos Canales Costos Modelo de ingresos
  • Auto Tiend e- pres. acess econ agil TI Ntwk Tur Def Ejec ppu Club venta Cuales son las Actividades-clave? Business Generation Canvas Asociados Actividades Propuesta Relación Clientes Recursos Canales Costos Modelo de ingresos
  • Auto Tiend e- pres. acess econ agil TI Ntwk ofic. Tur Def Ejec ppu Club venta Que recursos físicos, humanos y financeiros se necesitan? Business Generation Canvas Asociados Actividades Propuesta Relación Clientes Recursos Canales Costos Modelo de ingresos
  • Web Tiend e- pres. acess econ agil TI Ntwk ofic. Gov Ag. Tur Def Ejec ppu Club venta Quienes son los Asociados-clave? Business Generation Canvas Asociados Actividades Propuesta Relación Clientes Recursos Canales Costos Modelo de ingresos
  • Auto Tiend e- pres. TI Ntwk ofic. Gov Ag. Outsrc rh/Loc Local proprio RH próprio acess econ agil Tur Def Ejec ppu Club venta Cuales son los Costos de cada modelo? Business Generation Canvas Asociados Actividades Propuesta Relación Clientes Recursos Canales Costos Modelo de ingresos
  •  
  • 1 - Generar hipótesis (modelos) #1 #2 #3
  • 2- Probar las hipótesis © Claudio Nasajon (www.claudionasajon.com.br) Encuestas Fake pages MPV
  •  
  • 3 – Ajustar el modelo © Claudio Nasajon (www.claudionasajon.com.br)
  • Educación emprendedora
  •  
  •  
  • © Claudio Nasajon (www.claudionasajon.com.br)
    • www.claudionasajon.com.br
    • Business Model Canvas
    • Plano de Actividades
    • Links úteis – vídeos – bibliografia
  • MePede © Claudio Nasajon (www.claudionasajon.com.br)
  • MePede © Claudio Nasajon (www.claudionasajon.com.br)
  • Conclusión Cada negócio admite vários modelos Cambie las hipótesis por pruebas para seleccionar el mejor modelo ANTES del PN. Revise el modelo después de cada prueba
  •  
  •  
  •