• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
SEER - agosto 2008
 

SEER - agosto 2008

on

  • 2,995 views

Apresentaão do SEER no CEFET de Goiânia, GO. agosto 2008

Apresentaão do SEER no CEFET de Goiânia, GO. agosto 2008

Statistics

Views

Total Views
2,995
Views on SlideShare
2,987
Embed Views
8

Actions

Likes
1
Downloads
58
Comments
0

1 Embed 8

http://www.slideshare.net 8

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    SEER - agosto 2008 SEER - agosto 2008 Presentation Transcript

    • Miguel Ángel Márdero Arellano – MCT/IBICT [email_address] Periódicos eletrônicos
    • Publicação e arquivamento Gerenciamento Configuração Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas
    • Publicação e Arquivamento
    •  
    • procedimentos + rotinas + produto editorial
    • Modelos de produção e fluxo da informação científica modelos de negócios Modelo Open Access de comunicação científica por assinatura acesso livre Rede OAI Open Archives Iniciative Convenção de Santa Fé 1999 Movimento de Acesso Livre Declaração de Budapeste 2001
      • Disponibilização livre
      • Ler
      • Download
      • Copiar
      • distribuir
      • Imprimir
      • pesquisar
        • referenciar o texto completo
      Open Access - Acesso Aberto
      • Atividades relacionadas com a elaboração de informações transmitidas por meios e canais eletrônicos de comunicação.
      • Controle do auto-arquivamento
      • Novos modelos de comunicação científica
      Editoração de Acesso Livre
      • Protocolo OAI-PMH
      • http://www.openarchives.org
      • Prove interoperabilidade entre arquivos digitais de texto completo na Rede, dando maior visibilidade e integração aos conteúdos das repositórios digitais.
      • Padroniza o diálogo entre dois tipos de parceiros institucionais:
          • Provedores de Dados
          • Provedores de Serviços
      Modelo Arquivos Abertos
    • Provedores de Dados Sistemas que utilizam o protocolo OAI-PHM como um meio de expor metadados. Esses provedores também podem oferecer acesso aberto a textos completos e a outros recursos. Harvesters Programas que utilizam a interface oferecida pelo protocolo OAI-PMH para coletar metadados. Eles importam os metadados dos provedores de dados e oferecem assim, a viabilidade de se construir novos serviços sobre esses dados coletados. Provedores de Serviços Os provedores de serviços utilizam os metadados coletados pelos harvesters via protocolo OAI-PHM como base para construção de novos serviços. Envolvidos no modelo OAI
    •  
    •  
    •  
      • Existem diferentes provedores de servi ç os baseados no protocolo Open Archive Initiative que fazem com que todos os reposit ó rios sejam interoper á veis.
          • - Arc - Callima
          • - Citabase - CYCLADES
          • - MyOAI - OAIster
          • - Perseus - SAIL-eprints
          • - Scirus - TORII
          • - OAIIECSP - PKP
      Modelo Arquivos Abertos
    • Configurações da revista - Passo 3.4
    •  
      • Serviços viabilizados:
          • Busca unificada
          • Descoberta de recursos via perfis de DSI - Atualização profissional via “harvesting pessoal” - Usuário escolhe de assunto e repositórios digitais - Busca periódica
          • Biblioteca digital - Extensões do protocolo endereçando interfaces entre módulos de biblioteca digital completa.
      Modelo Arquivos Abertos
      • Serviços viabilizados:
      • Formação de bases de dados (reutilização de metadados)
      • “ harvesting” como opção de coleta de informação livre na Web - acesso ao objeto digital referenciado - integração global - bases temáticas, qualificadas, orientadas por tipologia documentária
      • Estabelecimento de redes cooperativas - Cooperação via “harvesting” - Integração com outras redes - Regionalização
      Modelo Arquivos Abertos
      • Serviços viabilizados:
          • Biblioteca como publicadora - Kit E-prints - Preservação digital da memória acadêmica da comunidade
          • Catálogo coletivo de revistas eletrônicas livres - Busca simultânea - metabuscador - Texto completo - Opção às assinaturas convencionais - Usuário: sugestões e avaliação
      Modelo Arquivos Abertos
      • Serviços viabilizados:
          • Ambiente para submissão eletrônica de trabalhos de congresso em C & T - Submissão eletrônica - Avaliação/comentários on-line - Disponibilização Imediata - Impressão em papel e/ou em CD-ROM - Preservação digital das HP dos congressos
          • Edição de periódicos eletrônicos - Ambiente de submissão eletrônica - Revisão on-line - Comentários dos leitores
      Modelo Arquivos Abertos Modelo Arquivos Abertos
    • Beneficia aos responsáveis pelas publicações científicas, no controle através do auto-arquivamento de textos completos na Web, seguindo diretrizes de submissão on-line que estão sendo usadas em vários países do mundo Aumento no acesso > impacto da pesquisa científica Artigos publicados em repositórios de acesso aberto são citados entre 2.5 a 5.8 vezes mais do que aqueles em periódicos de acesso pago. Instituições Internacionais de fomento em C&T recomendam a disponibilização de trabalhos científicos em ambientes abertos através do auto-arquivamento na Web. Modelo Arquivos Abertos Modelo Arquivos Abertos
      • Vantagens para os autores:
        • Aumento no acesso e maior impacto da pesquisa científica.
        • Disseminação (+ rápida) dos resultados de pesquisa.
        • Mecanismo de discussão.
        • Troca de informações entre usuários e autores.
        • Revisão crítica aberta como sistema de avaliação.
        • Maior interação entre os pares em condições de igualdade.
        • Geração de versões de um mesmo documento.
        • Pré-print como opção de documento.
        • Auto-arquivamento (autor/instituição).
      Modelo Arquivos Abertos Modelo Arquivos Abertos
      • Características
          • Conteúdo heterogêneo
          • Tipologia dos documentos
          • Multidisciplinaridade
          • Acesso público transparente
          • Preservação Digital
      • Abrem a possibilidade de criar serviços que analisam padrões de pesquisa científica, usando links de citações de literatura especializada sem estarem limitados às bases de dados proprietárias, que cobrem apenas as revistas depositadas nessas bases.
      Modelo Arquivos Abertos Modelo Arquivos Abertos
      • Uso de repositórios digitais de acesso livre:
      • utilizar tecnologia aberta e poder ser acessados por diversos provedores de serviços nacionais e internacionais.
      • Políticas de repositórios institucionais:
      • incentivar o gerenciamento da publicação pelo pesquisador (auto-arquivamento)
      Modelo Arquivos Abertos Modelo Arquivos Abertos
    • OPEN CONFERENCE SYSTEMS OPEN JOURNAL SYSTEMS PKP OAI HARVESTER http://pkp.sfu.ca/
    • O SEER/OJS tem suporte para o sistema LOCKSS (Lots of Copies Keep Stuff Safe - Muitas Cópias Mantém as Coisas Seguras). LOCKSS é um software livre desenvolvido pela Biblioteca da Universidade de Stanford, que permite preservar revistas on-line escolhidas ao sondar os websites das mesmas por conteúdo recém publicado e arquivando-o. Cada arquivo é continuamente validado contra cópias de outras bibliotecas, e caso o conteúdo esteja corrompido ou perdido, as cópias são usadas para restauração.
    • Gerenciamento
      • A era digital não tem produzido um substituto do sistema de publicação científica tradicional, apenas um novo suplemento na área da provisão do acesso e da estimativa do impacto.
      Publicação Digital
    • Gerência da revista configuração e cadastro funções/usuários Fila de submissão Editor designa submissão a editor de seção ou a ele mesmo Edição da submissão Editor encaminha edição de textos, criação de layout e leitura de provas Submissão Autor envia texto, documentos, e preenche metadados Avaliação da submissão Autor acompanha e atende eventuais demandas do editor Edição da submissão Autor revisa edições e/ou provas Avaliação da submissão Editor verifica a submissão, gerencia avaliação e toma decisão editorial Gerência da edição Editor cria edições, agenda submissões e organiza sumário Publicação Acesso livre imediato ou mediante assinatura Escolha de avaliadores Editor solicita as avaliações Avaliação Avaliadores efetuam e encaminham avaliação Edição de texto Edição de layout Leitura de provas Arquivamento da submissão Registros ficam armazenados no sistema [aceitos e rejeitados] Edição atual e arquivos de edições anteriores da revista Acesso pelos leitores
    • Funções editoriais Editor gerente Editor Editor de seção Editor texto Editor layout Editor prova Administrador do sistema permissões autores avaliadores leitores
    • Configuração
    • Traduzido e customizado pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) em 2003, baseado no software Open Journal Systems, desenvolvido pelo Public Knowledge Project, da Universidade British Columbia.
    • Faz parte da nova geração de sistemas de gerenciamento de periódicos científicos, no Brasil ele surge como modelo alternativo de publicação para ampliar o acesso, a preservação e o impacto das pesquisas e dos resultados daí provenientes.
    • O Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas é um software desenvolvido para a construção e gestão de uma publicação periódica eletrônica.
    • O objetivo do sistema é reduzir o tempo, energia e custo das tarefas de secretaria e gerenciamento associadas à edição de uma revista, enquanto melhora o controle do processo editorial.
    • Procura melhorar a qualidade das publicações científicas através de um número de inovações, quais sejam, tornar as políticas da revista transparentes e melhorar a indexação dos artigos.
    • O SEER é o sistema utilizado atualmente por mais de 450 periódicos brasileiros, de diversas áreas do conhecimento de todas as regiões brasileiras.
    •  
    •  
    • versão 1
    • versão 2
      • Versão 1 Versão 2
      Avaliadores acessam a submissão pelo sistema, usando login e senha Poucas opções de configurações de acesso e segurança Ausência de Identificador de Objeto Digital (DOI) Acesso “1 clique”: permite aos avaliadores o uso de URL segura, sem a necessidade de criação de conta ou de efetuar o login , enviada por e-mail pelos editores. Variadas opções de configurações de acesso por função editorial e segurança Possibilidade de empregar o sistema de Identificador de Objeto Digital (DOI)
    • Versão 1 Versão 2 Apenas uma rodada de avaliação e edição de texto permitidas pelo sistema. Sem mensagem de confirmação de ação, como por exemplo, na confirmação do registro da decisão do avaliador. Diversas rodadas de avaliação e edição de texto, se necessário. Com mensagem de aviso para avaliador: “ Uma vez registrada a decisão, não será possível modificá-la. Deseja realmente proceder?”
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    • Documentos relacionados
      • Documentos disponíveis na Seção do SEER no site do Ibict:
      • “ Fluxos de Trabalho SEER v.2 ” - apresenta os fluxos de trabalho no sistema, incluindo os atores de cada etapa (PDF)
      • “ Apresentação Funções Editoriais SEER 2 ” – informações sobre os papéis editoriais previstos no sistema (Power Point)
      • “ Tutorial de Configuração SEER versão 2 ”, voltado para Editores Gerentes,apresenta informações a respeito da configuração, dentre elas a definição de papéis editoriais (Power Point)
      • “ Tutorial para Editores de Seção ” – guia para Editores ou Editores de Seção e informações sobre o processo de avaliação (Power Point)
      • “ Tutorial para Editores de Texto ” – guia para Editores que realizam a revisão gramatical das submissões aceitas (Power Point)
      • “ Tutorial para Leitores de Prova ” – guia para Editores que realizam a última leitura das composições HTML e/ou PDF (Power Point)
      • “ Tutorial de Criação de Edições e Publicação ” – guia para Editores sobre criação de edições, agendamento de submissões e publicação das edições (Power Point)
      • “ Tutorial de Avaliação de Artigos no SEER ” – guia para avaliadores e informações sobre o processo de avaliação (Power Point)
      • “ Tutorial de Submissão de trabalhos no SEER ” – direcionada para autores em potencial, pode ser usado por Editores para visualizar possíveis necessidades de informação dos autores (Power Point)
      • “ Manual OJS/SEER em uma hora ” (PDF)
    • Miguel Ángel Márdero Arellano – MCT/IBICT [email_address] Periódicos eletrônicos
    • Obrigado!