Your SlideShare is downloading. ×
Monografia historia economica de redencao do gurgueia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Monografia historia economica de redencao do gurgueia

1,006
views

Published on

Monografia sobre a história econômica de Redenção do Gurgueia.

Monografia sobre a história econômica de Redenção do Gurgueia.


1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • UM TRABALHO SOBRE REDENÇÃO DO GURGUEIAQUE VALE A PENA LER...TIVE O PRIVILEGIO DE SER A ORIENTADORA
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,006
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PAIAUÍ – UESPI CURSOS DE LICENCIATURA PLENA – REGIME ESPECIAL CURSO: LICENCIATURA PLENA EM HISTÓRIA HISTÓRIA ECONÔMICA DE REDENÇÃO DO GURGUÉIA REDENÇÃO DO GURGUÉIA – PI WALBERT PESSOA BARBOSA DE CARVALHO NETO REDENÇÃO DO GURGUÉIA (PI), 10 DE JULHO DE 2006
  • 2. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PAIAUÍ – UESPI CURSOS DE LICENCIATURA PLENA – REGIME ESPECIAL CURSO: LICENCIATURA PLENA EM HISTÓRIA HISTÓRIA ECONÔMICA DE REDENÇÃO DO GURGUÉIA REDENÇÃO DO GURGUÉIA – PI WALBERT PESSOA BARBOSA DE CARVALHO NETO Monografia exigida como o trabalho final de conclusão do Curso de Licenciatura Plena em História – Regime Especial, da Universidade Estadual do Piauí, sob a orientação da Profª Especialista em docência superior e História do Brasil Maria de Fátima Ribeiro Lustosa REDENÇÃO DO GURGUÉIA (PI), 10 DE JULHO DE 2006
  • 3. HISTÓRIA ECONÔMICA DE REDENÇÃO DO GURGUÉIA REDENÇÃO DO GURGUÉIA – PI WALBERT PESSOA BARBOSA DE CARVALHO NETO Aprovado em ____ / ____ / ____ BANCA EXAMINADORA ___________________________________________ Profª Maria de Fátima Ribeiro Lustosa Especialista em Docência Ensino Superior e História do Brasil Presidente ___________________________________________ Profª Alice Fonseca dos Santos Nogueira Especialista em Docência Ensino Superior e Gestão Escolar Membro
  • 4. Dedicatória A Deus, que com certeza se faz presente em qualquer lugar que estivermos, a meus familiares, namorada e amigos que direta ou indiretamente me apoiaram nos momentos que mais precisei.
  • 5. AGRADECIMENTOS É impossível relacionar todas as pessoas que de uma forma ou de outra contribuíram para realização desta obra. Sem o apoio de inúmeras pessoas jamais teria concluído mais uma etapa de várias barreiras no campo do saber.À todos muito obrigado pelo privilégio de me proporcionar algo tão valioso. Primeiro quero agradecer ao Grande Arquiteto do Universo, Senhor de todas as coisas, por ter me dado força e iluminado meus caminhos em vários momentos de dificuldades ao longo desses quatro anos de estudo. Esse Deus que realiza tantas maravilhas no mundo, pode realizar em nós um milagre ainda maior. A Universidade Estadual do Piauí – UESPI que me proporcionou a oportunidade de realizar este curso tão sonhado por todos. À todos os professores, pela suas orientações, apoio e incentivo durante esses longos quatro anos de jornada e em especial a profª. Maria de Fátima que ministrou a disciplina Monografia. Não posso no entanto, deixar de mencionar algumas às quais devo agradecimentos especiais: meus pais Gustavo Chaves de Carvalho, Maria Ivanete Santos de Carvalho e irmãos, Cristovão Santos de Carvalho, Hugo Santos de Carvalho, Márgila Rochiele Santos de Carvalho, cunhada Maria da Conceição Arnaldo do Nascimento, Paulo George Mendes dos Santos e a minha namorada, Elaine Fonseca Guerra que tanto quero bem.
  • 6. Epigrafe “Pois o dinheiro é a gordura do corpo político, a qual, quando em excesso, lhe perturba a agilidade e, quando insuficiente, o torna enfermo”. Sir. William Petty, em Verbum Sapienti.
  • 7. APRESENTAÇÃO A economia de Redenção do Gurguéia, desde a sua origem, passou por momentos de instabilidade, sendo que outros setores da economia local teve um crescimento paulatinamente; tais como: comércio, industria, agricultura, pesca, pecuária como também outras atividades que são desenvolvidas para complementar a economia local. As informações colhidas neste trabalho são frutos de pesquisas, principalmente de pessoas entrevistadas entre todos os setores econômicos da região, que participaram desde o inicio da História econômica do município de Redenção do Gurguéia. Tudo isso foi possível graças a Escola dos Anales onde se aproveita vários fatores como fonte geradora de pesquisas rompendo definitivamente com o positivismo assim dando outro rumo a história. Este trabalho é resultado de uma pesquisa sobre o desenvolvimento econômico do município, pois espera-se com este trabalho, poder contribuir como fonte de informação para professores, estudantes e outras pessoas que, futuramente despertem o interesse pela trajetória econômica Redençoense.
  • 8. RESUMO A história da humanidade desde sua existência com seus estágios e avanços no que diz respeito a economia vem passando por grandes transformações no sentido de progresso, assim também o berço das civilizações como referencial a Antiga Grécia com uma economia baseada em peças de gado dando sentido ao avanço da pecuária. O Brasil na época das grandes navegações onde os homens de malícia aproveitam-se dos pobres ingênuos para se beneficiarem através das trocas de objetos por matéria prima. O Piauí com sua história na época de Domingos Jorge Velho e Afonso Mafrense, que fixaram aqui suas residências tomando posse das terras para introduzir as primeiras cabeças de gado no final do século XVII. Redenção do Gurguéia, que esta localizada na região sul do estado a 701 Km da capital Teresina, desde sua emancipação política no início da década de 60, com uma economia baseada na pecuária, agricultura, comércio, pesca, industria e outros que com certeza geram fontes de renda para o município, mas focalizando em especial a pecuária e agricultura como principal base de sustentação para a cidade e seus municípios.A base econômica do município de acordo com os dados da SMARI¹ de Redenção do Gurguéia – PI,(2006) está na agricultura familiar, a pecuária e a pesca, devido a grande contribuição do rio Gurguéia que corre na direção sul-norte do estado que banha o município num percurso de 36 Km de comprimento, tendo como principal afluente o Rio Paraím, desembocando no município de Redenção do Gurguéia.A área é conhecida como vazante em torno das margens do rio Gurguéia, possui um grande potencial para o desenvolvimento das atividades econômicas, alguns fatores de ordem econômica e ambiental interferem nesse
  • 9. desenvolvimento, falta de incentivo a agricultura, a pecuária, a pesca, perda do solo agricultável em decorrência do aumento na largura do leito no rio provocado pelas erosões, assoreamento, enchentes e redução do potencial pesqueiro. Mesmo tendo altos e baixos, a economia teve suporte no setor agropecuário no inicio da década de 60 até os dias atuais com a exploração dos serrados piauiense, associações, ampliação no setor privado e a indústria carvoeira alavancando o crescimento econômico e ajudando financeiramente muitas famílias; graças a pavimentação federal BR 135 – que inicia em Eliseu Martins e vai até a divisa do Piauí com a Bahia, passando pelos municípios de Jerumenha, Bertolínia, Manoel Emídio, Bom Jesus, Redenção do Gurguéia, Monte Alegre, Gilbués, Corrente, Cristalândia e a rodovia PI 257 que liga os municípios de Redenção do Gurguéia – Curimatá, a região é favorecida pelo escoamento de toda sua produção agrícola e o comércio apesar de ser ainda muito precário é também favorecido pela rodovia assim incentivando o intercambio comercial com outras cidades. 1. SMARI – Secretaria Municipal de Agricultura e Recursos Internos
  • 10. SUMÁRIO INTRODUÇÃO --------------------------------------------------------------------- 00 1. HISTÓRICO ECONÔMICO ----------------------------------------------------- 00 2. ASPECTOS ECONÔMICOS ----------------------------------------------------- 00 2.1 PECUÁRIA --------------------------------------------------------------------------- 00 2.2 AVICULTURA ---------------------------------------------------------------------- 00 2.3 AGRICULTURA--------------------------------------------------------------------- 00 2.4 COMÉRCIO ------------------------------------------------------------------------- 00 2.5 PESCA --------------------------------------------------------------------------------- 00 2.6 APICULTURA ----------------------------------------------------------------------- 00 2.7 INDÚSTRIA -------------------------------------------------------------------------- 00 2.8 EXTRATIVISMO ------------------------------------------------------------------- 00 2.9 HOTÉIS --------------------------------------------------------------------------------00 3. PRESTADORAS DE SERVIÇOS ----------------------------------------------- 00 4. MEIOS DE COMUNICAÇÃO -------------------------------------------------- 00 5. MEIOS DE TRANSPORTE ------------------------------------------------------ 00 CONCLUSÃO ------------------------------------------------------------------------00 BIBLIOGRAFIA ---------------------------------------------------------------------00 ANEXOS -------------------------------------------------------------------------------00
  • 11. ANEXOS Figura 1
  • 12. Figura 2 Figura 3
  • 13. Figura 4 Figura 5
  • 14. Figura 6 F.7. F.8.
  • 15. Figura 9 Figura 10
  • 16. Figura 11 Figura 12
  • 17. Figura 13 Figura 14
  • 18. Figura 15 Figura 16
  • 19. Figura 17 Figura 18
  • 20. LISTAS DE SIGLAS ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas SMARI - Secretaria Municipal de Agricultura e Recursos Internos MERCOSUL - Mercado e Comércio do Sul EMATER - Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural FEPEP – Federação dos Pescadores do Piauí APA - Área de Proteção Ambiental IBAMA- Instituto Brasileiro do Meio Ambiente CEPISA – Centrais Elétricas do Piauí S.A AGESPISA – Águas e Esgotos do Piauí S.A TELEPISA - Telecomunicações do Piauí S.A TELEMAR - Telecomunicações do Maranhão
  • 21. LISTAS DE ANEXOS
  • 22. INTRODUÇÃO A História econômica de Redenção do Gurguéia, antes mesmo de sua emancipação política vem se destacando de forma ainda não acelerada devido alguns fatores que não contribuíram para que o município desse um grande salto na sua economia que aos poucos vem se destacando, não deixando de mencionar os seus momentos de crise e as alternativas encontrados para superá-las. Ao ler cada capítulo, você desenvolvera novas idéias e ficará interessado em horizontes mais elevados, dos quais encontrará uma visão mais clara das coisas, principalmente do que diz respeito ao desenvolvimento econômico do município. Todos tem a capacidade de transformar a sua vida, ter sucesso e realizar seus sonhos. Aqui encontrará os princípios básicos e universais do triunfo humano, utilizados por pequenos e grandes comerciantes, industriais, grandes e pequenos empresários, pessoas de sucesso como ferramentas para progredir sempre. Aborda-se as experiências práticas através de relatos e entrevistas de pessoas bem sucedidas que participaram desse processo histórico. Neste trabalho o interessado pode perceber os métodos diferentes e eficazes de se abordar o crescimento na economia local através de entrevistas e documentos utilizados como fonte de pesquisa ao contrario da linha positivista Este trabalho de caráter cientifico tem uma importância fundamental para aqueles que procuram conhecer um pouco da trajetória econômica de Redenção do Gurguéia com suas derrotas e vitórias, pois é destinado a todos a aqueles que estão ou deveriam estar empenhados na luta diária por um futuro melhor. Foi elaborado com o objetivo de estimular a busca pela realização de um sonho possível: o desenvolvimento econômico de Redenção do Gurguéia que trata-se dos mais importantes setores econômicos do município, encontra-se em cinco capítulos. O primeiro trata-se do Histórico econômico que apresenta de forma transparente a origem da economia desde os tempos mais primitivos e sua evolução nos meios de produção, o Piauí com suas ricas fontes geradoras de renda em especial a pecuária e a agricultura que ainda
  • 23. hoje faz parte de uma das principais bases econômica do estado e em especial, Redenção do Gurguéia com suas vitórias e derrotas na economia; O segundo trata-se dos Aspectos econômicos dividido em subtópicos em que segue a seqüência, pecuária, avicultura, agricultura, comércio, pesca, apicultura, industrias, extrativismo, hotéis; o terceiro trata-se da Prestadoras de Serviços como: Correios, Casas Lotéricas, Cepisa, Agespisa, Telemar, o quarto trata-se dos Meios de Comunicações ( Rádio, Televisão, Telefone); o quinto trata-se dos Meios de Transportes que atendem as necessidades da população local como: moto-táxi, ônibus.
  • 24. 1. HISTÓRICO ECONOMICO Desde de os tempos mais remotos até os dias atuais o mundo vem passando por grandes transformações nos diversos setores como: econômico, político e social. O homem desde sua origem procura várias formas para desenvolver suas habilidades, desta forma nasce a economia. No paleolítico o homem era nômade e vivia em cavernas, sua alimentação era constituída de raízes, frutos e carne, diante de tudo isso a longo prazo de tempo abandonou os lugares onde vivia e saiu em busca de novas terras. Fixou-se nos vales dos grandes rios e lagos. No neolítico o homem passa a desenvolver a agricultura, passou a cultivar o trigo, cevada e outros produtos, nesse momento passou a domesticar animais como: boi, cavalo, ovelha e outros. O homem também passou a extrair os recursos naturais e animais aos quais eram roupas de couro de animal, de linho e algodão. Na idade dos metais o homem já passou a extrair da terra os recursos minerais como: ouro, cobre e o bronze, todos esses estágios mostram de forma clara o progresso na agricultura e na utilização dos metais. Na Grécia antiga, peças de gado frequentemente serviam de moeda, o que ocasionou a pecuária às medidas de riqueza. As primeiras atividades econômicas no Brasil se deu por volta de 1.500 com a extração do pau-brasil e os escambos, como eram chamadas as trocas diretas; sem comércio e portanto sem moeda. No Brasil Português, o uso regular do dinheiro era limitado no plano interno, pois a política mercantilista de Lisboa implantou aqui uma estrutura de produção agropecuária voltada para o mercado externo e movida pelo braço escravo. Com os avanços da ciência e a evolução tecnológica ao longo desses anos percebe-se a modificação dos diversos níveis das sociedades, em destaque no meio econômico. O Brasil, com suas terras férteis, ricas em recursos hídricos e com um grande volume de exportações para o exterior ainda continua sendo um pais em fase de desenvolvimento devido fatores socioeconômicos, atualmente passa a despontar no MERCOSUL².
  • 25. Dentro desse contexto econômico, destaca-se o estado do Piauí, que tem sua economia basicamente voltada para o setor agropecuário, devido a sua história na época do bandeirante Domingos Jorge velho e Domingo Afonso Mafrense que iniciaram os primeiros núcleos de povoamento, onde domesticaram os índios, criaram gados e, fincaram varias fazendas. De lá para cá o Piauí passou por enormes mudanças e hoje integra-se ao sistema viário por meio de rodovias, ferrovias e aerovias. A pecuária que foi a primeira atividade econômica do Piauí e com certeza o motor da nossa colonização é atualmente um dos setores da economia que mais se destaca com a criação de bovinos, caprinos, ovinos e suínos. Na agricultura que teve seu inicio com os primeiros sitiantes que vieram no rastro das boiadas, juntos com os curraleiros e era praticada apenas como cultura de subsistência, hoje o estado ganha destaque no setor agrícola com os cerrados que estão localizados no sudoeste, parte do extremo sul que produzem em média 150.963 toneladas de soja por ano. A industria que teve inicio na segunda metade do século XVII, e sua evolução inicia em Parnaíba devido o seu pioneirismo no centro comercial e industrial do estado até os anos 60. 2. MERCOSUL- Mercado Consumidor do Sul. Dentre os 223 municípios do estado do Piauí encontra-se na antiga “Raposa” povoado que deu origem ao município de Redenção do Gurguéia, onde teve como primeiros moradores da localidade os senhores: Raimundo Nogueira, Vicente Tibório, Cosme Pereira e Paulino Pereira dos Santos.O município conta desde o inicio da sua povoação com a atividade agrícola e anos depois com a criação de gado, segundo alguns relatos não precisos o que se sabe sobre a origem do município no que diz respeito aos primeiros moradores é de que por volta de 1930, foi construída uma capela pelo senhor Antônio Pereira da qual a partir deste fato o município passara a se desenvolver.
  • 26. F.1 Vista aérea de Redenção do Gurguéia, junho de 2006 Redenção do Gurguéia, município com um grande potencial, cuja a economia é basicamente baseada em pecuária e agricultura de subsistência para a maioria da população local. Desde o inicio de sua fundação, de acordo com as pesquisas realizadas, observa-se o desinteresse de seus fundadores com o desenvolvimento econômico, pois, não tinham visão de futuro até mesmo porque eram subordinados pelas ordens de Bom Jesus que procurava lucrar com seus interesses políticos. As primeiras pessoas mencionadas que aqui chegaram por volta de 1940 vinham das regiões de Parnaguá e Corrente. Os habitantes na época eram todos de cultura rudimentar, voltadas para atividades agropastoris que mantinha o sustento das pessoas que viviam na ainda pequena vila. Redenção teve definitivamente sua mudança de nome devido a colaboração do padre Pedro Sanchez, ao celebrar uma missa em homenagem ao Sr. Bom Jesus da Lapa¹, em 20 de agosto de 1930. Em 05 de dezembro de 1962 o município se torna independente, assim tendo sua emancipação política e passando de “Raposa” para Redenção do Gurguéia suas terras foram desmembradas dos municípios de Bom Jesus e Monte Alegre, está localizada na micro região do Alto Médio Gurguéia e limita-se com as cidades de Bom Jesus ao Norte, Curimatá ao Sul e Monte Alegre ao Leste com uma área territorial de 2.437 Km², a vegetação e formada de: cerrados e caatinga.
  • 27. Com o passar dos tempos muda-se o quadro econômico de Redenção do Gurguéia com a instalação de agencias bancarias como: Banco do Brasil e Bradesco na década de 80 que com certeza foi um fator favorável ao desenvolvimento econômico e mudaria definitivamente a estrutura social da cidade. Atualmente a cidade não conta com os serviços do primeiro mencionado logo acima, as pessoas se deslocam até a cidade vizinha, Bom Jesus para tratar de negócios onde é beneficiada por tais agencias bancarias como: Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Caixa Econômica Federal e outros órgãos como : Secretaria de Fazenda, Receita Federal, Agência dos Correios junto ao Bradesco Postal, a população se encontra numa situação muito dependente. Hoje o município conta com uma boa produção de arroz, feijão, milho, fava- danta, mandioca, macaxeira, abacaxi, abóbora, melancia e de arvores frutíferas como: Manga, goiaba, araçá e outras mais, sendo que as duas primeiras mencionadas serve para o consumo e para abastecer o mercado interno e externo. O município apresenta- se em fase de crescimento considerável e hoje na cidade circula em média de 2.000.000,00 por mês e boa parte dessa quantia permanece na cidade. O comércio atacado, varejista é de fundamental importância na economia da cidade, sendo notável sua expansão e fortalecendo nos últimos anos. 1. Eleito Padroeiro do Lugar em 20 de agosto de 1930. A expansão da economia só não aconteceu de forma mais acelerada graças a Dom José Vasquez Dias² que com suas influencias políticas conseguiu o desvio da rodovia que antes passava por dento do município e hoje se encontra a margem esquerda do rio Gurguéia, estrada essa que inicia em Eliseu Martins e vai até a divisa do Piauí com a Bahia, a - BR 135 que hoje favorece de forma que facilita o escoamento de toda produção agrícola da região.
  • 28. 2. 4º Bispo Prelado e 1º Bispo Diocesano em 1957 – 1989. 2. ASPECTOS ECONÔMICOS 2.1. PECUÁRIA
  • 29. F.2 Gados pastando. Em Redenção do Gurguéia nos dias de hoje conta com as mais variadas criações de animais como: boi, carneiro, cabra, porco e aves. Os animais eram criados soltos há nove anos atrás em especial o boi, onde trafegavam pelas ruas do centro da cidade causando transtorno a população local. Nos dias de hoje ainda há uma pequena presença desses animais perambulando pelas ruas, avenidas e estradas, as vezes causando acidentes com vitimas fatais. Em quanto a criação desses animais, na maioria das vezes, são criados soltos nas várzeas entre a caatinga e o cerrado, durante o período da seca que começa em no mês de maio e se estende até janeiro. Durante o período da seca, os animais sofrem bastante com a falta d`água, o pasto perde seus nutrientes fincando enfraquecido e escasso, todos esses fatores devido a mudanças climáticas faz com que os vaqueiros levem o gado para outros lugares de pasto melhores. Os gados desde o principio até os dias de hoje carregam em si as marcas (ferro) de seus proprietários (fazendeiros) como identificação, isso significa dizer que ninguém poderia e nem pode tomar posse dos animais marcados. Alguns dos fazendeiros ainda criam também em suas belíssimas propriedades caprinos como: cabras, carneiros e suínos como: porco que serve apenas para sua alimentação.
  • 30. Na região hoje há um grande melhoramento na genética, os gados do município são mestiços e isso faz com que há uma certa adaptação para com o clima, as raças predominantes são: Guzerá, Gir, Nelore, Holandês, e o gado pé-duro. 2.2. AVICULTURA As aves como: galinha caipira, peru, cocár, pato e outros são criados em pequenas propriedades, uma vez que na cidade poucas pessoas criam esses animais de rapina em seus quintais. Sem nenhum método especifico, usando somente no consumo familiar. A galinha caipira é um prato muito apreciado por todos em variados ambientes tais como: bares, restaurantes e hotéis. Em torno do município hoje existem em atividade três granjas que abastecem, o município e as cidades vizinhas. A cidade conta com a granja da senhora Nonata que não dispõe de recurso técnicos, essa criação é feita ainda de maneira rústica onde as galinhas são criadas com patos e outras aves, mas com todas essas dificuldades ainda dá para complementar na renda e tirar daí o sustento de várias famílias F.3 Criatório de aves em Redenção do Gurguéia -PI 2.3. AGRICULTURA
  • 31. A agricultura é ainda a principal atividade econômica do Piauí e do município de Redenção do Guguéia. No que se refere ao desenvolvimento constata-se que ainda é antigo, onde são usados recursos e instrumentos rudimentares a onde depende de forma direta da força animal, do homem e as vezes mecânica. Dessa forma o seu nível de desenvolvimento pode ser caracterizado como: policultura, arcaico, e baixa produtividade com uma forte dependência dos fatores climáticos como: chuva e sol, no inverno há um aumento na produtividade e melhora na qualidade dos produtos. Na época das secas, os pequenos agricultores passam por grandes dificuldades, pois são obrigados a comprar os mesmos produtos pelo preço superior ao de quando foi vendido pelo mesmo. Muitos lavradores passam por momentos de sofrimento e as vezes prejuízos total nas plantações, ao plantar os produtos que por falta de chuvas acabam morrendo. No município há uma baixa produtividade devido procura além da oferta no mercado de trabalho, sem muitas técnicas a produção na lavoura é sem duvida nenhuma escassa; não esquecendo que a maioria dos pequenos agricultores desconhecem melhores técnicas para se trabalhar o solo e com isso a prática sempre é a mesma, de subsistência e extensiva. O lavrador por não ter condição financeira para comprar, ou mesmo pagar aluguel de máquinas como por exemplo trator, queima o mato resultando no enfraquecimento do solo, que leva de cinco a seis anos para se refazer, tanto nas margens dos rios, caatinga e cerrados dificultando cada vês mais sua renda. Não esquecendo que os pequenos agricultores contam ainda com o apoio da EMATER¹.
  • 32. F.4 Lavoura de feijão e milho 2.4.COMÉRCIO O primeiro estabelecimento comercial a funcionar regularmente foi escrito na junta de comércio do Estado no ano de 1942 e era de propriedade de José Dário dos Santos, nessa época Redenção do Gurguéia contava apenas com um comércio de vendas a varejo. 1. EMATER – Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural. O comércio de Redenção do Gurguéia que vem aumentando de forma bem acelerada nos últimos anos, no começo do mês entre os dias primeiro e quinze há bastante movimento na cidade pois é a data em que os aposentados recebem seus benefícios, os funcionários públicos ou privados recebem seus salários. No mês de agosto a cidade comemora os festejos onde chegam vários comerciantes de outras regiões como: comerciantes de feira livre, que vem dos estados da Bahia, Pernambuco, Ceará e outras. Que ao chegar se alojam nas praças, avenidas principais como por exemplo na avenida Álvaro Mendes, Getúlio Vargas, em fim nos arredores da cidade onde vendem confecções em geral.
  • 33. Hoje em Redenção do Gurguéia devido seu crescimento demográfico conta com os seguintes comércios: 03 hotéis, 02 restaurantes, 01 locadora de vídeo Game, 01 locadora de DVD, 04 lojas de moveis e eletro domestico, 02 farmácias, 02 padarias, 05 lojas de causados e confecções, 14 bares, 04 clubes de festas e eventos, 04 lojas de materiais de construções, 01 funerária,13 açougues, 01 posto de gasolina, 01 empresa de ônibus, 13 supermercados incluindo grandes e pequenos. F.5. Supermercado Progresso e Drogaria / julho de 2006. Segundo Wagner Rego Ferreira¹, relata que seu estabelecimento foi fundado no final da década de 80, estabelecimento este que estar situado a avenida Álvaro Mendes e, que passaram pela administração alguns de seus familiares como: irmãos e parentes. No inicio, contava apenas com 04 funcionários e hoje devido ao crescimento na sua estrutura conta com um quadro mais elevado, 09 funcionários incluindo mulher e filhos, assim prestando melhores serviços a clientela. A partir desses dados colhidos percebe-se o notável avanço do comércio e na economia de Redenção do Gurguéia.
  • 34. Na região hoje conta com duas casas de materiais de construções sendo que, alguns dos supermercados também dispõe desses produtos, mas em especial, a cidade é beneficiada com a A.M Material de Construção² e M.M Construção³. O estabelecimento A.M Material de Construção contava com um quadro de funcionário muito pequeno e hoje em 2006 apesar do desenvolvimento econômico na região o quadro de funcionários continua o mesmo. F.6. A.M Material de Construção, julho de 2006. 1. Comerciante Local e proprietário do Supermercado Progresso 2. Adelaide Moreira comerciante local e proprietária do estabelecimento. 3. Marcos Material de Construção, proprietário do estabelecimento. 2.5. PESCA A pesca é uma das principais atividades econômicas do município. Onde conta com uma estrutura ainda precária. Numa entrevista com o senhor Raimundo Cosme de Lima¹ a respeito das atividades pesqueiras na região, o município conta com 33 associados cadastrados na colônia Z-31 que esta localizada no município vizinho, cidade de Curimatá. As pessoas que praticam a atividade não vivem apenas da pesca más também da agricultura.
  • 35. F.7. F.8. Credencial da Federação dos Pescadores do Piauí. Credencial da capitania do Porto de Fortaleza. A pesca conta com grande contribuição do rio Gurguéia que corre na direção sul-norte do estado que banha o município num percurso de 36 Km de comprimento, tendo como principal afluente o Rio Paraím, desembocando no município de Redenção do Gurguéia. 1. Raimundo Cosme de Lima, Credenciado pela FEPEP mais conhecido como Dunga pescador. O rio Gurguéia possui um grande potencial para o desenvolvimento de atividades econômicas, alguns fatores de ordem econômica e ambiental interferem nesse desenvolvimento, falta de incentivo a agricultura, a pecuária, a pesca, perda do solo agricultável em decorrência do aumento na largura do leito no rio provocado pelas erosões, assoreamento, enchentes e redução do potencial pesqueiro. Nos dias de hoje no município é pescado em média 1.900Kg de peixes por semana, quantia esta que é equivalente a R$ 5.700,00, esse dinheiro permanece na cidade pois todo esse peixes são vendidos e consumidos em Redenção do Gurugéia.
  • 36. Para que seja realizada a atividade pesqueira, os pescadores usam canoas, tarrafas e redes. Os peixes mais consumidos na região são: curimatá, piau, surubim, mandubé, branquinha, mandi, traíra, piranha e sardinha, já os peixes que tem maior saída no mercado são: curimatá e piau. Todos esses peixes são pescados nos rios e lagoas: rio Paraím, rio Gurguéia, e com mais freqüência na lagoa do peixe onde são contadas em média 30 pessoas que praticam a pesca clandestina. O peixe constitui a alimentação básica da população local e é vendido nas ruas, em suas casas e nas cidades vizinhas de Bom Jesus e Curimatá pois a cidade ainda não é beneficiada por uma colônia de pescadores. F.9. Rio Gurguéia julho de 2006 2.6. APICULTURA A economia de Redenção do Gurguéia fundamenta-se além das atividades de trabalho já mencionadas nos capítulos anteriores, como: comércio, agricultura, pecuária, pesca e outros conta também com a grande contribuição das abelhas para a extração de mel. O município desde a fundação da AGROMEL¹, no final do ano de 1998 conta com mel de altíssima qualidade do tipo exportação e importação e que atende também o mercado internacional onde no inicio da Associação contava com 16 associados.
  • 37. A estrutura atende as exigências do Ministério Público, com uma marcenaria onde as caixas são confeccionadas e reformadas, salas adequadas e em perfeito estado, laboratórios que dispõe de alguns equipamentos de ultima geração que agiliza e facilita o trabalho no que diz respeito a produção do mel como: Mesa desaperculadora, garfo desaperculador, desaperculadora centrifugada e decantadores onde todo o mel já produzido é estocado pronto para venda. A região onde predomina flores com própoles escuros, este que não atende as exigências do mercado internacional, mas isso não quer dizer que na região não atende essas exigências do mercado externo, pois há flores com própoles mais claros só que, com menor freqüência. O mel mais procurado pelo mercado consumidor é o mais escuro pelo fato de que a região conta com uma abundância de flores com própoles escuros devido a sua vegetação. Em média são produzidos 17.280 litros, equivalente a 23.846,4Kg de mel por ano no que corresponde a R$ 119.232,00. Hoje á Agromel conta com apenas oito associados e não produz mais devido alguns dos membros que não deram continuidade ao projeto. Não só o mel mas também a marcenaria e o caju complementam a economia do município. A primeira na confecção e reformas da caixas como também 1. Associação Comunitária Rural AGROMEL. na fabricação de móveis. O quadro de funcionário é de 8 a 10, depende do aumento ou da diminuição dos produtos encomendados pelos clientes. O segundo não só como ponte de apoio para a abelha, mas também se aproveita o pênduculo para produzir, poupas, doces e sucos e a castanha que serve apenas para o consumo local, ainda.
  • 38. F.10. Laboratório da Associação Comunitária Rural AGROMEL 2.7. INDÚSTRIA O setor industrial atualmente em Redenção do Gurguéia é muito precário, tempos atrás o município era beneficiado com algumas indústrias que atendia o mercado interno e externo. A exemplo disso a fábrica de farinha que viveu seu apogeu nos anos de 1979 à 1983, onde trabalhavam 60 pessoas diretamente e indiretamente, abastecendo a industria de farinha com mandioca que logo mais seria transformada no produto de consumo, isso era possível devido a boa estrutura no que se refere a equipamentos motorizados, onde funcionava 15 motores elétricos que proporcionavam qualidade, e eficiência para abastecer a cidade de Picos, algumas das cidades do Ceará e toda região próxima de Redenção do Gurguéia. Nos dias atuais o município conta com boas promessas a serem concretizadas no setor industrial, breve Redenção do Gurguéia contará com uma indústria de carvão, a J.B Carbon. Numa entrevista feita com senhor Aldemes de Souza
  • 39. Nunes¹ a respeito da mais nova fonte geradora de empregos da região, diz que em primeiro plano era explorar a terra para o plantio da soja, isso não foi possível porque a área era beneficiada de madeira para a produção do carvão podendo assim fazer um bom aproveitamento das árvores que seriam derrubadas, não esquecendo que toda a área a ser trabalhada conta com total apoio do IBAMA que controla a área a ser desmatada. O carvão que será produzido atenderia o mercado externo, saindo de Redenção do Gurguéia para São Luis e logo mais para Alemanha, Portugal e Argentina. Isso não foi possível devido a intervenção por parte do Estado. A J.B Carbon empregará 570 pessoas no Município, num total de 2.000 mil funcionários entre as cidades do Morro Cabeça do Tempo, Curimatá e Redenção do Gurguéia, essas pessoas com ajudada de equipamentos motorizados produziram em média de 200 mil toneladas de carvão por mês. 2.8. EXTRATIVISMO A economia do município de Redenção do Gurguéia tem como fator primordial para suplementar na renda de varias famílias, alguns dos recursos naturais como: extrativismo vegetal, extrativismo animal e extrativismo mineral sendo que o primeiro mencionado caracteriza-se pela extração da castanha do caju que é vendida em Bom Jesus e compradas por comerciantes de Teresina. 1. Aldemes de Souza Nunes, encarregado da indústria carvoeira. A madeira ( pau darco, aroeira, Jurema, catinga de porco, candei, birro, mulatinha, catuaba, cedro, violeto, Pau Brasil e outros.) que serve para fabricação de moveis, cabos, ripas, cercas e remédios e etc. O buriti também é muito consumido na região, dessa espécie de palmeira se extrai da fruta uma massa que serve para fazer sucos, doces e popas e a vassoura.
  • 40. O extrativismo animal se destaca em Redenção do Gurguéia como por exemplo na caça predatória que é comum na região, os caçadores se infiltram nas matas em busca de animais para consumir, vender e até mesmo utilizar o couro como prêmio. Na região há 40Km conta com a APA¹ do Rangel órgão do IBAMA², mas conta somente com o prédio e nada pode fazer para diminuir esta prática que ameaça a fauna. O extrativismo mineral não se destaca tanto como os outros já mencionados, há tempo atrás encontrava-se jazidas de ouro e prata na região, hoje é predominante a procura por pedras como por exemplo: cascalho, granito, mármore, calcário que aparecem com abundância. 2.9. HOTÉIS O município hoje conta com três hotéis e pousadas como por exemplo: Hosana Pousada, Hotel da Viúva e Pousa Multe Churrascaria, o município não oferece mais pousadas e hotéis devido a ausência do seu potencial turístico. Dos três hotéis mencionados o primeiro oferece mais opção ao hospede, com uma estrutura mais agradável e preço também superior aos outros, o cliente ao optar por se hospedar no Hosana Pousada terá a seu dispor quartos com suítes e ar condicionados, TVs, vídeo cassete, duas camas, uma de casal e outra de solteiro além do bom atendimento a refeição, já os outros oferecem um bom atendimento e dormitórios simples. 1. APA - Área de Proteção Ambiental 2. IBAMA – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente
  • 41. F.11 Hosana Pousada – Hotel em Redenção do Gurguéia-PI
  • 42. 3. PRESTADORAS DE SERVIÇOS O município de Redenção do Gurguéia nos dias de Hoje conta ao seu dispor com as seguintes prestadoras de serviços: CEPISA, AGESPISA, CORREIOS, LOTERIA CASA DA SORTE e TELEMAR. Redenção do Gurguéia conta com os serviços da CEPISA¹ este órgão estatal que é responsável por toda energia do estado do Piauí, e no município desde 1977. Em uma entrevista com senhor José Neurismam Lopes Fernandes, um dos primeiros funcionários relata que a prestadora de serviços elétricos foi inaugurada no dia 07 de julho de 1977 mas só passou a funcionar no final do mesmo ano. Na época contava com apenas 01 funcionário cujo o nome era Cristóvão de Sousa Nepomuceno² que faleceu em julho de 2006. Antes da CEPISA fornecer energia ao município, a situação era muito precária a energia era através de velas e lamparinas. “A energia chega as casas”, “que maravilhoso para a população local” esse 1.CEPISA – Centrais Elétricas do Piauí S.A 2. Primeiro funcionário da CEPISA em Redenção do Gurguéia _PI
  • 43. bem de serviço chega a Redenção do Gurguéia para beneficiar uma “população em média de 2.500 a 2.800 habitantes”, através da Barragem de Boa Esperança percorrendo a cidade de Gudalupe, na quela época a energia chegava na subestação com 34,5V e saía com 13V. Com todo esse avanço a cidade de Redenção do Gurguéia também foi crescendo seu número de habitantes e espaço físico, a energia já causava transtorno ao usuário danificando aparelhos eletrodomésticos como por exemplo: televisão, som, lâmpadas, receptores de parabólicas, geladeiras em fim uma variedades de aparelhos. Com o crescimento demográfico do município o fornecimento de energia passa por verdadeira reforma referente a ampliação na rede de transformadores que passa a sair com uma potencia de 69,5V portanto acabando com os transtorno que causava a população. Hoje apesar de tantas transformações no município e na Cepisa o quadro de funcionário conta com apenas 02, Crislâneo Lemos Nepomuceno e José Neurismam Lopes Fernandes. F.12. Subestação de energia das CEPISA em Redenção do Guguéia –PI AGESPISA –
  • 44. O município de Redenção do Gurguéia conta com os serviços da AGESPISA¹ desde 05 de julho de 1978 quando foi inaugurada. Segundo Almir Fonseca Lemos², um dos entrevistados, o município antes de ser beneficiada pelo órgão responsável era muito precária uma vez que nem todos poderiam ter um poço cacimbão em suas residências, o que tornava a situação mais cada vez mais difícil para a população que na época que era de 3.500 habitantes, para amenizar o problema da água as pessoas contavam com um poço cacimbão que abastecia toda cidade. No inicio em que passara funcionar no dia 05 de setembro do mesmo ano a fornecedora de água contava apenas com dois funcionários e com uma estrutura ainda precária ao contrario de hoje que dispõe de tratamentos mais rigorosos e um fornecimento da água mais eficiente. F.13. Estabelecimento da AGESPISA em Redenção do Gurguéia –PI 1. Águas e Esgotos do Piauí S.A 2. 1º funcionário da AGESPISA CORREIOS - Numa entrevista com o senhor Alzimar de Sousa Nunes,¹ primeiro funcionário dos correios, relata que antes de ser instalada a agência dos correios em Redenção do
  • 45. Gurguéia as correspondência eram feitas através de animal como por exemplo, burros que eram conduzidos pelos mensageiros, Bartolomeu e Raimundo que traziam as mensagens que chegavam na cidade de Bom Jesus. As correspondências chegavam com mais eficiência no inicio da década 70 graças a um automóvel que pertencia a prefeitura municipal. O município de Redenção do Gurguéia conta com os serviços dos Correios desde abril de 1974, e este por sua vez agilizava os serviços para com a população como por exemplo; os aposentados passam a receber seus benefícios; as correspondências chegavam nas casas através de um mensageiro dos correios e outros serviços que com certeza trouxe melhorias para população local. F.14. Agência dos Correios Em Redenção do Gurguéia-PI 1. Alzimar de Sousa Nunes 1º funcionário dos correios trabalhou 9 anos CASA LOTERICA – Desde julho de 2001 Redenção do Gurguéia conta com os serviços da Caixa Econômica Federal através do posto de atendimento credenciado, Loteria Casa da
  • 46. Sorte, onde varias pessoas recebem suas aposentadorias, benefícios do governo; pagam conta de água, luz, telefone e outras. A população local dispõe de outros privilégios além desses citados anteriormente como: depósitos, saques da mesma agência e de outras como por exemplo: Banco do Brasil em que o cliente pode sacar até no máximo R$ 200,00 diário. F.15. Loteria Casa da Sorte
  • 47. 4. MEIOS DE COMUNICAÇÃO O município de Redenção do Gurguéia dispõe a seu favor os seguintes meios de comunicação: Televisão, Telefone, Rádio e Internet, sendo que este ultimo citado oferece serviço precário. A 1ª televisão da cidade chegou em julho de 1982 era de propriedade do senhor José Milton Vogado dos Santos, na época infelizmente não existia torre para emitir o sinal que veio somente no ano de 1986. A 1ª emissora de rádio chegou um pouco mais tarde, mas isso não quer dizer que o município não recebia sinal de outras emissoras como: Rádio Recor, Rádio Globo e outras. O município de Redenção do Gurguéia é beneficiada com a 1ª emissora de rádio no dia 18 de setembro de 1998, Rádio Redenção FM, com apenas um canal FM 88.1Mrz. Telefone- A cidade só foi beneficiada com o sistema de telefonia a partir do ano de 1984 com um sistema muito precário, mas no ano de 1988 houve uma melhora para a população local com a inauguração do posto telefônico que naquela época pertencia ao estado cujo nome era TELEPISA¹. 1. TELEPISA –Telecomunicações do Piauí S.A Hoje com a empresa privada de telefonia a TELEMAR², o município dispõe de vários telefones públicos sendo que mais de 30% da população tem em suas casas um telefone fixo. Redenção do Gurguéia ainda é carente no sistema de telefonia celular, pois há promessas para instalação de uma torre este ano.
  • 48. Internet – o mais novo recurso de comunicação que proporciona informações imediatas. Redenção do Gurguéia passa a contar com este serviço apenas no ano de 2.000 sendo que nem todos tem acesso a esse recurso, infelizmente hoje a “população” não tem a seu dispor esse meio de comunicação por ser de alto custo (via satélite) pois os lugares que são beneficiados com esses recurso são: a Prefeitura Municipal, Câmara Municipal, Secretaria Municipal de Saúde e Secretaria Municipal de Educação . 2. TELEMAR – Telecomunicações do Maranhão
  • 49. 5. MEIOS DE TRANSPORTE Os meios de transportes da cidade evolui bastante desde sua emancipação quando algumas pessoas ainda faziam comércio em outras cidades através de animal quadrúpede como por exemplo: burro e jumento, animais resistentes para esse tipo de trabalho. No ano de 1978 Redenção do Gurguéia é beneficiada com a 1ª empresa de ônibus a entrar dentro da cidade, Princesa do Sul de origem da capital Teresina e fazia o percurso entre as cidades de Teresina - PI, Floriano - PI, entrando na cidade de Redenção do Gurguéia- PI até chegar na cidade de Corrente-PI. Anos depois outra empresa passa a entrar na cidade a Transpiauí que também é de origem da capital do estado, fazendo o percurso de Teresina, Floriano, Bom Jesus, Redenção do Gurguéia, Corrente e Brasília –DF. Mas a cidade só passara a ter uma empresa de origem local no dia 19 de março de 1997, a Auto Viação Campos Verdes que na época tinha apenas dois funcionários e um ônibus para fazer o transportes de passageiros entre as cidades de Redenção do Gurguéia, Bom Jesus e Curimatá. Nos dias atuais a empresa conta com 5 funcionários, uma frota de quatro ônibus e suas concessões ampliadas como por exemplo Morro da Cabeça no Tempo – PI a Currais – PI, prestando serviço interestadual, eventual e turismo, graças ao grande apoio da população ao dar preferência em suas viagens. A cidade também é beneficiada com o transporte de motocicletas onde conta com 12 moto taxistas prestando um bom serviço a população, com todos esses avanços e melhorias na economia da cidade aumentou o número de motos, carros, caminhões, tratores.
  • 50. F.16. Foto aérea da Empresa de ônibus rodoviário Auto Viação Campos Verdes e Auto Posto Campos Verdes.
  • 51. CONCLUSÃO Nota-se que ao longo dos anos apesar de suas dificuldades, o município de Redenção do Gurguéia vem se destacando em alguns setores da economia como por exemplo:o comércio ganha mais destaque com suas lojas de confecções, armarinhos, supermercados, bares, açougues, casas de materiais de construções em fim uma variedades de estabelecimentos comerciais que sustentam a economia do município. A cidade com um grande potencial, cuja economia é basicamente baseada em pecuária e agricultura de subsistência para a maioria da população local, poderia tomar outro rumo na sua economia, desde o inicio de sua fundação, de acordo com as pesquisas realizadas, observa-se o desinteresse de seus fundadores com o desenvolvimento econômico, pois não tinham visão de futuro até mesmo porque eram subordinados pelas ordens de Bom Jesus que procuravam lucrar com seus interesses políticos. Outro fator que contribui bastante para que Redenção do Gurguéia não desenvolvesse de forma mais ampla foi a mudança da rodovia principal para a margem esquerda do rio Gurguéia assim beneficiando o município de Bom Jesus.
  • 52. BIBLIOGRAFIA Pesquisa oral, dias 06, 07, 08 e 09 de julho de 2006 Entrevistados, Almir Fonseca Lemos, José Neurismam Lopes Fernades, Wagner Rego Ferreira, Raimundo Cosme de Lima, Solimar de Oliveira Parente, Alzimar de Sousa Nunes, Ailon dos Santos Vogado, Maria Adalia Nogueira de Sousa, Gildemaria Nogueira de Sousa, José Benedito Arnaldo de Sousa, Gustavo Chaves de Carvalho, Aldemes de Sousa Nunes.