Instrumentos de Comunicação Externa

40,066
-1

Published on

Published in: Education
2 Comments
13 Likes
Statistics
Notes
  • Ajudou me bastante :)
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Olá. Será que é possível colocar por favor os restantes módulos, já que este é o N.º7. Está muito bem esquematizado.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total Views
40,066
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
621
Comments
2
Likes
13
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Instrumentos de Comunicação Externa

  1. 1. Professora: Germana Eiriz / 3O (germanaeiriz@hotmail.com)Técnicas e Práticas deComunicação eRelações PúblicasMódulo 7 - Instrumentos de Comunicação Externa (25H / 33TL) Início: 5 de novembro de 2012 Final: 8 de janeiro de 2013
  2. 2. Professora: Germana Eiriz / 3OTodas as organizações necessitam de ter um bom ambienteinterno, todavia, não faz qualquer sentido a existência de umaorganização sem um público externo. Em última instância, ospúblicos externos são a razão pela qual se criam asorganizações.Neste módulo os alunos deverão conhecer quem são estespúblicos externos e a forma como as organizações se dirigem aeles.Apresentação
  3. 3. Professora: Germana Eiriz / 3O• identificar os diferentes públicos externos;• conhecer as diferentes formas de comunicar com o público externo;• conhecer os diferentes suportes de comunicação externa;• aprofundar a relação entre os RP e os media;• conhecer o funcionamento dos media;• compreender a emergência dos novos media e a sua real importância;• elaborar um comunicado de imprensa;• organizar uma conferência de imprensa;• elaborar um dossier de imprensa;• efetuar um clipping;• realizar um evento.Objetivos de Aprendizagem
  4. 4. Professora: Germana Eiriz / 3O1. Comunicação Externa1.1 Contacto pessoal.• As Relações Interpessoais.1.2. Publicações.1.3. Meios de comunicação de massas.• Rádio, Cinema e TV.• Relacionamento com os media ( comunicados, conferências e dossiers de imprensa, clipping).1.4. Os novos Media.1.5. Realização de eventosÂmbito dos Conteúdos
  5. 5. Professora: Germana Eiriz / 3OAvaliação Sumativa:• Teste de avaliação sumativo: 11 de dezembro• Apresentação oral de trabalho de pares: 7 de janeiroAvaliação Formativa:• Atitudes, valores, comportamento, responsabilidade, assiduidade, participação…Avaliação
  6. 6. Professora: Germana Eiriz / 3O1. Comunicação Externa http://gendesignstudio.blogspot.pt/2010_10_01_archive.html
  7. 7. Professora: Germana Eiriz / 3O1. Comunicação Externa (continuação)Comunicação externa é a troca deinformações entre uma organização e outrasorganizações, grupos ou indivíduos fora desua estrutura formal. O objetivo dacomunicação externa é facilitar a cooperaçãoe colaboração com as outras partesinteressadas e apresentar uma imagemfavorável da organização para a sociedadecomo um todo.
  8. 8. Professora: Germana Eiriz / 3O1. Comunicação Externa (continuação)
  9. 9. Professora: Germana Eiriz / 3O1. Comunicação Externa (continuação)
  10. 10. Professora: Germana Eiriz / 3O1. Comunicação Externa (continuação)
  11. 11. Professora: Germana Eiriz / 3O1. Comunicação Externa (continuação)Público Externo (noção):- é conjunto de indivíduos que são segmentados por interesses comuns em relação à sociedade, e que, possam estar ligados direta ou indiretamente com uma organização.
  12. 12. Professora: Germana Eiriz / 3O 1. Comunicação Externa (continuação)Público Externo (exemplos): Acionistas da organização; Comunidade em geral (população); Concorrentes; Clientes / consumidores; Entidades em geral: bancos, sindicatos, escolas, ONGs, associações de classe; Fornecedores; Governo e autarquias locais; Imprensa (rádios, jornais, televisões etc); Revendedores / distribuidores.
  13. 13. Professora: Germana Eiriz / 3O1. Comunicação Externa (continuação)As organizações devem ter clareza de propósito eeficiência na mensagem.A responsabilidade do bom relacionamento com opúblico externo cabe a todos os colaboradores daempresa.Cada segmento de público externo deve ter otratamento adequado. Assim, a comunidade nãopoderá ter o mesmo tratamento que tem o consumidor,por exemplo.
  14. 14. Professora: Germana Eiriz / 3O1. Comunicação Externa (continuação)Relações com a comunidade:- a comunidade vai além dos vizinhos de umaorganização, é uma ampla vizinhança e constitui alocalidade no seu todo; não basta produzir bonsprodutos e oferecer bons serviços, é preciso associaro êxito da organização à comunidade, para que elanão seja apenas um espectador.É imprescindível que a organização mostre a estepúblico, o que faz, como faz e quem faz, poiscertamente assim ela superará qualquer distorção nasua imagem.
  15. 15. Professora: Germana Eiriz / 3O1. Comunicação Externa (continuação)Relações com o consumidor:- é o mais complexo dos públicos, pois exigem dasorganizações uma padronização de normas decomunicação e uma relação amistosa com o cliente. Onovo consumidor não aceita explicações em torno dasdesconsiderações oferecidos pelas organizaçõespúblicas e privadas; agora, ele é um questionadorexigente, que não somente compra produtos eserviços, ele é comunidade, cidadão, funcionário,formador de opinião.
  16. 16. Professora: Germana Eiriz / 3O1. Comunicação Externa (continuação)Relações com a imprensa:- são entre as funções de relações públicas, as quetêm por finalidade adquirir e manter a confiança dosdirigentes e colaboradores dos diversos órgãos dedivulgação (jornal, revista, rádio e televisão).Somente através de boas relações com a imprensa, éque as organizações podem evitar críticas infundadasou informações inverídicas que todo jornalista estásujeito a colher nas fontes de informações.
  17. 17. Professora: Germana Eiriz / 3O1. Comunicação Externa (continuação)Relações com os poderes públicos:- a democratização levou o país a buscar adescentralização de decisões para aproximá-las aocidadão. É este o ponto focal das relações com ospoderes públicos. O lobby é uma atividade essencialnos regimes democráticos, mas precisa ser feito demaneira clara e de forma identificável.
  18. 18. Professora: Germana Eiriz / 3O 1. Comunicação Externa (continuação)Ferramentas de Comunicação ExternaComunicação Institucional:- está relacionada com a imagem pública da organização etem como objetivo garantir a influência da organização nasociedade na qual está inserida. É diretamente relacionadacom a missão, os valores e a visão da organização. Entreas ferramentas que garantem a comunicação institucionalestão assessoria de imprensa, as relações públicas, omarketing social e cultural e a comunicação organizacional.
  19. 19. Professora: Germana Eiriz / 3O 1. Comunicação Externa (continuação)Ferramentas de Comunicação Externa (continuação)Assessoria de imprensa:- divulga as ações da empresa através de press- releases,coordenação de entrevistas, organização de eventos, entreoutros. Além disso, juntamente com o departamento demarketing, é responsável pela construção da imageminstitucional perante o seu público externo.
  20. 20. Professora: Germana Eiriz / 3O 1. Comunicação Externa (continuação)Ferramentas de Comunicação Externa (continuação)Comunicação organizacional:- envolve todas as ações relacionadas com a divulgação dosprodutos e está diretamente ligada ao setor de marketing;tem como objetivo principal aumentar as vendas econsequentemente o lucro da empresa. Entre as suasprincipais atividades estão o serviço de atendimento aocliente, pesquisas de mercado e produtos, promoção devendas e propagandas.
  21. 21. Professora: Germana Eiriz / 3O 1. Comunicação Externa (continuação)Ferramentas de Comunicação Externa (continuação)Relações Públicas:- tem como objetivo, juntamente com as outras áreas queformam a comunicação institucional, construir e preservar aimagem da organização perante todo o seu público deinteresse. É responsável pelas pesquisas de mercado e peloplaneamento estratégico de comunicação na organização.
  22. 22. Professora: Germana Eiriz / 3O 1. Comunicação Externa (continuação)Ferramentas de Comunicação Externa (continuação)Jornalismo organizacional:- são ações relacionadas com o jornalismo aplicadas nacomunicação organizacional. Isso envolve desde orelacionamento com a media, até à elaboração de veículosvoltados para a comunicação tanto com o público internoquanto externo.
  23. 23. 1. Comunicação Externa (continuação) Professora: Germana Eiriz / 3OFerramentas de Comunicação Externa (continuação)Marketing Social e Cultural:- estão relacionados com o envolvimento da organização com questões sociais e culturais na sociedade na qual está incorporada. Pode ser apoio a causas ou campanhas sociais contra o cancro na mama, o uso de drogas, a mortalidade infantil, entre outros. No âmbito cultural, essas práticas podem envolver o apoio ou patrocínio ao desporto, literatura ou ciência.http://missaosorriso.continente.pt/http://sic.sapo.pt/online/sites%20sic/sic%20esperanca
  24. 24. 1.1 Contacto pessoal.As Relações Interpessoais. A comunicação humana compreende variadas formas, através das quais os homens transmitem e recebem ideias, impressões e imagens de toda ordem. Comunicação vem da palavras latina “communicare” que significa “pôr em comum”. Comunicação é convivência, baseada no consentimento espontâneo dos indivíduos.
  25. 25. Veículos ou Transmissores Mensagem Fonte ou Receptores emissor Expressão ou ouvintes Voz Vocabulário corporal Retorno ou Feed-backhttp://www.youtube.com/watch?v=_C3AmzKpJbQ
  26. 26. FeedbackO feedback no comportamento humano e nas relaçõesinterpessoais, é importante para o controlo edesenvolvimento pessoal e relacional. Para tornar-se umprocesso realmente útil, precisa ser, tanto quanto possível: Dirigido e oportuno. Específico ao contrário de geral. Solicitado ao contrário de imposto. Esclarecido para assegurar comunicação precisa. Compatível com as necessidades (motivação) de ambos, comunicador e recetor.
  27. 27. Comunicação segundo a quantidadede pessoas envolvidas no processo 1. Comunicação 2. Comunicação Interpessoal Intrapessoal 3. Comunicação 4. Comunicação Intragrupal Intergrupal 5. Comunicação de massa
  28. 28. Relações Interpessoais “Em situações de trabalho, compartilhadas por duas ou mais pessoas, há atividades predeterminadas a serem executadas, bem como interações e sentimentos recomendados, tais como: comunicação, cooperação, respeito, amizade.” Fela Moscovici
  29. 29. Quais os elementos que compõem na comunicação e a relação Os principais elementos são o interpessoal ? VERBAL E NÃO- VERBALhttp://www.youtube.com/watch?v=1ow1oDkhkjo
  30. 30. Comunicação Não-Verbal Esse canal corresponde às nossas atitudes e sentimentos para com os outros. Os signos não-verbais importantes são: 1. Linguagem do corpo; 2. Paralinguagens; 3. Vestuário.
  31. 31. 1. Linguagem do corpo Há cinco elementos importantes na linguagem corporal, a saber: a) Gestos; b) Toque; c) Expressão; d) Proxêmica. e) Postura do corpo;
  32. 32. 2. Paralinguagens Descreve os signos não-verbais Haaaaa; que acompanham a fala. Há Éeeeeee Hummm reações e emoções muitas vezes imediatas à mensagem do outro. E ela pode sugerir o estado emocional e ou sua alteração neurológica.
  33. 33. 3. Vestuário EngenheiroEste signo revela a personalidade, situação, status e trabalho das pessoas de certos grupos. ArquitetoComo parte do dia-dia é fundamental na Professor comunicação; o vestuário está presente visualmente em todas as pessoas e sociedades. Médico Árbitro Advogado
  34. 34. É ideal para descrever ideias, opiniões e argumentos que chamamos de abstratas.A fala é um código de signos regulados por convenções, como a sintaxe e a gramática. A fala utiliza idiomas e coloquialismos que fazem parte de uma cultura.
  35. 35. Estabelecendo o contactoAuto – ApresentaçãoA forma como nos apresentamos para os outros dependerá da situação comunicativa.EstratégiasÉ uma pequena peça do meio da comunicação, que diz respeito ao comportamento ou à interação. Utilizamos variadas estratégias a todo momento, mesmo quando não percebemos. Algumas podem constituir um hábito e quando utilizadas repetidas vezes, tornam-se em rituais.
  36. 36. Estratégias Importantes Redundância Feedback Uso de repetição para O feedback pode ser enfatizar ideias enviado pelos canais importantes. não-verbal e verbal Perguntas e as respostas são As perguntas servem ajustadas ao para certificar o envio contacto e ao estilo da mensagem. da comunicação do emissor e receptor.
  37. 37. Estratégias Importantes (continuação) 1. Eliminar a Linguagem Negativa: Esta linguagem focaliza o que não pode ser feito. EX: não posso; não vou; não sou capaz; esqueci de; falhei; ignorei; reclamei de; precisei de; tive que; deveria; sempre; nunca. 2. Substituir a linguagem negativa pela positiva: O objetivo é salientar o que pode ser feito, alternativas e escolhas. EX: se...então; sugestão; ponto de vista; perspetivas; opção; bem-vindo; concordo; benefício; excelente.
  38. 38. Barreiras na Comunicação
  39. 39. Barreiras à comunicação Observa-se entre as pessoas no processo de comunicação. As barreiras são obstruções, muitas vezes desencadeadas pelas ideias ou valores, interferências físicas ou limitações decorrentes dos símbolos utilizados na comunicação.
  40. 40. Tipos de Barreiras Barreira Barreira Física ou Semântica Mecânica Barreira Humana
  41. 41. Barreira humana Barreira física Barreira semânticaLimitações pessoais. Espaço físico. Interpretação de palavras.Hábitos de ouvir. Distância. Tradução da linguagem.Emoções. Interferência física. Significado de sinais.Preocupações. Falhas mecânicas. Significado de símbolos.Sentimentos pessoais. Ruídos ambientais. Decodificação de gestos.Motivações. Ocorrências locais. Sentido das lembranças. Adapatado de CHIAVENATO, Idalberto. Administração e recursos humanos: fundamentos básicos. 2003, p.115.
  42. 42. Barreiras Mensagem Humanas filtradaFONTE Barreiras DESTINO Físicas Mensagem bloqueada Barreiras Semânticas Mensagem incorretaAdapatado de CHIAVENATO, Idalberto. Administração e recursos humanos: fundamentos básicos. 2003, p.116.
  43. 43. Barreiras Verbais  Uso inadequado da língua portuguesa.  Certos nomes insultuosos embora ditos em tom amistoso. Exemplos: boa vida, tubarão, vigarista, vagabundo.  Uso de palavras sérias embora ditas em tom jocoso. Exemplos: chefinho, senhor, mestre, meu guia.
  44. 44. Barreiras Não - Verbais  Proximidade excessiva do interlocutor, deixando-o desconfortável: geralmente mantemos uma distância ao redor de um metro, quando falamos com as pessoas.  Toques e empurrões constantes nos outros, o que faz com que o interlocutor se afaste.  Corpo com desvio de postura.  Mexer constantemente nas roupas e acessórios.  Não olhar para o interlocutor ou ter um olhar vago.
  45. 45. Comportamento comunicativo eficiente na relaçãointerpessoal 1. Utilizar estratégias eficazes; 2. Estabelecer empatia; 3. Apresentarmo-nos de forma clara; 4. Perceber a nós mesmos e aos outros; 5. Responder positivamente ao feedback recebido; 6. Mostrar a nossa aprovação aos outros; 7. Ser capaz de ouvir efetivamente os outros.
  46. 46. 1.2. Publicações Professora: Germana Eiriz / 3O• Propõem-se a combater o desconhecimento a respeito da organização e a promover a integração dos seus públicos, ao mesmo tempo que pretende projetar a organização, para internamente assegurar uma boa produtividade e externamente aumentar as suas vendas e, consequentemente, os seus lucros. • Internamente: fortalecem o espirito de solidariedade e promovem ideias; • Externamente: projetam uma boa imagem da organização, mostrando-se, mostrando os seus produtos/serviços, a sua qualidade, a sua técnica. • Globalmente: contribuem para a conquista do seu maior objetivo: lucro.
  47. 47. 1.2. Publicações Professora: Germana Eiriz / 3OCaracterísticas:• Canal de comunicação instrumental • Objetivam projetar uma imagem e obter comportamentos favoráveis à organização.• Canal de comunicação unilateral • Não permitem um fluxo recíproco e constante entre a organização (emissor) e o público (recetor)• Canal de comunicação descendente • Espelha unicamente a informação oficial da organização• Canal de comunicação formal • Porta voz oficial da organização• Canal de comunicação coletivo • Destina-se ao grande público, heterogéneo e anónimo
  48. 48. 1.2. Publicações Professora: Germana Eiriz / 3O• Relatórios - são utilizados para o acompanhamento de alguns processos organizacionais, tendo uma certa periodicidade para sua elaboração, sendo necessária a avaliação de seus dados. Segundo Rego (1986, p. 141), eles são elaborados para um público especializado.• Circulares – Tem um formato e tamanho menor que os relatórios, e de acordo com Rego (1986, p. 141) "geralmente apresentam mais de uma cor; resultados de pesquisas e relatórios", ou seja, as circulares são utilizadas para comunicar resultados de pesquisas, relatórios, ações que devem ser acompanhadas por seus respetivos responsáveis, e geralmente ganham grande credibilidade dentro de uma organização se utilizadas de forma correta. Isto significa, com informações pertinentes e periodicidade definida.
  49. 49. 1.2. Publicações Professora: Germana Eiriz / 3O• Boletins – é um veículo da área jornalística. Rego (1986, p. 141) explica que ele "possui poucas páginas; linguagem média, embora possa atingir níveis baixos; texto que pode equilibrar-se com fotos, logotipo definido; geralmente impresso em uma só cor" . Os boletins podem conter matérias de interesse do público externo, dependendo do objetivo estabelecido para o mesmo.• Folhas soltas – é composta por uma página. Rego (1986, p. 141) entende que a folha solta "presta-se a veiculação de avisos e fatos de primeira mão; de utilização imediata; matérias curtas, objetivas, alto conteúdo". Elas devem ser utilizadas para informação imediata e ter um perfil único, fácil de ser identificado, quer seja por seu logotipo ou por seu formato.
  50. 50. 1.2. Publicações Professora: Germana Eiriz / 3OFolders – é desdobrável e possui tamanho pequeno. Os folders sãoutilizados para divulgação de serviços e podem ser elaborados para oscolaboradores, clientes e fornecedores da empresa.Jornais - pode ter como foco principal tanto o público interno, quanto oexterno dependendo de seu objetivo. Deve abranger matériasrelacionadas a diferentes temas como:• matérias institucionais que são as normas, regulamentos, avisos, produtos / serviços, desenvolvimento de alguma atividade interna, orientações sobre a utilização de determinado tipo de manual, etc;• de motivação apresentando estudos sobre um determinado tema recorrente no momento, como concursos, divulgação de prémios entre outros;• (…)
  51. 51. 1.2. Publicações Professora: Germana Eiriz / 3O• (…)• educativas sobre conhecimentos gerais como história, geografia, turismo etc;• de interesse feminino;• de entretenimento entre outras.Deve ter periodicidade definida, fotos e textos distintos para que desperteinteresse em diversos públicos.
  52. 52. 1.3. Meios de comunicação demassas Professora: Germana Eiriz / 3Ohttps://www.youtube.com/watch?v=LdAixs1TFRgModelo de comunicação de LasswellLasswell propõe que a descrição “adequada” de um atocomunicacional pressupõe respostas às seguintes questões:a) Quemb) Diz o quêc) Através de que canald) Com que efeito
  53. 53. 1.3. Meios de comunicação de Professora: Germana Eiriz / 3OmassasModelo de comunicaçãode Lasswellhttp://www.youtube.com/watch?v=bibckHFG1Rw
  54. 54. TELEVISÃO Professora: Germana Eiriz / 3OVantagens- Meio audiovisual de grande impacto;- Possibilita os mais elevados níveis de qualidade e de penetração emtodos os segmentos da população;- Possibilita uma cobertura nacional e tem capacidade de obterresultados rápidos, em termos de cobertura e impacto;- Tem um custo por contacto muito baixo devido à sua eficácia;- É um excelente veículo para a demonstração do produto.Desvantagens- Orçamentos elevados para alcançar um mínimo impacto;- Dificuldade em alcançar um target muito específico;- Saturação publicitária do meio e as características técnicas obrigam aum planeamento a longo prazo;- O tempo de vida de um spot televisivo é normalmente curto;- Impossibilidade de regionalização.
  55. 55. IMPRENSA Professora: Germana Eiriz / 3OVantagens- Maior tempo de exposição da comunicação com o alvo;- Possibilidade de um contacto direto com o público de forma dinâmica;- Grande flexibilidade (regionalização, possibilidade de segmentação,variedade de formatos e localizações);- Possibilidade de uma boa reprodução a cores;- Não exige elevados orçamentos para um mínimo impacto.Desvantagens- Baixos índices de cobertura, sobretudo em alguns segmentos dapopulação;- Fidelidade da audiência de cada suporte deste meio obriga a umamaior diversificação de meios para garantir um mínimo de cobertura;- Saturação publicitária nos principais suportes e condicionamentos deordem técnica obrigam a um planeamento a longo prazo.
  56. 56. RÁDIO Professora: Germana Eiriz / 3OVantagens- Possibilita a obtenção de elevados índices de repetição;- Custo por contacto baixo;- Excelente meio no que diz respeito ao diálogo direto com o público;- Elevada capacidade de exploração musical, tornando-o uminstrumento fundamental na veiculação de um jingle;- Custo de produção muito baixos e timings de produção muito curtos.Desvantagens- Níveis de cobertura muito baixos;- Fraca identificação / demonstração do produto;- Rápido esgotamento da comunicação utilizada devido aos elevadosníveis de repetição.
  57. 57. Relacionamento com os media Professora: Germana Eiriz / 3OComunicados deImprensaO comunicado de imprensa oupress release é uma ferramentaprivilegiada, muito utilizada peloassessor para anunciar umnovo produto, uma decisãoimportante, o lançamento deuma campanha, etcDeve ser redigido sob a formade uma notícia, para facilitar atarefa aojornalista que por norma estásobrecarregado de trabalho.
  58. 58. Relacionamento com os media Professora: Germana Eiriz / 3OConferências deImprensaQuando o assunto que sepretende comunicar é derelevância inquestionávelou suscetível de provocarquestões por parte dosjornalistas, nestes casos,pode-se convocar umaconferência de imprensaem vez de se enviarapenas o press release.
  59. 59. Relacionamento com os media Professora: Germana Eiriz / 3ODossiês de ImprensaÉ um auxiliar precioso paraqualquer jornalista que sedesloque à conferência, ondesão focados todos os aspetosda exposição.Este dossier só deve serentregue no fim da conferênciapara evitar que os jornalistasna posse do mesmo resolvamausentar-se de imediato.
  60. 60. Relacionamento com os media Professora: Germana Eiriz / 3OClippingO termo "clipping" é originário do verboinglês to clip, que significa "cortar,reduzir", e pode ter dois significados.- O primeiro indica tratar-se de umresumo das principais notíciasveiculadas na imprensa sobre tema,assunto específico, pessoa física oujurídica (empresa) indicados por quemcontrata o serviço;- O segundo designa a própria atividade.
  61. 61. Professora: Germana Eiriz / 3O1.4. Os novos Media.http://www.youtube.com/watch?v=mv4I7FwQ83g&feature=relatedhttp://www.webartigos.com/artigos/as-ferramentas-de-comunicacao-externa-a-disposicao-das-empresas-na-internet/20627/
  62. 62. Professora: Germana Eiriz / 3O1.5. Realização deeventos
  63. 63. Noção Eventos“ Acontecimento planeado que ocorre num dado tempo e lugar quevisa promover a relação organização anfitriã e público de interesse,com vista ao alcance de determinados objetivos” (Ana Santiago)“Momento único no tempo celebrado através de uma cerimónia eritual com vista a satisfazer necessidades específicas” (J. Goldblatt)“ Acontecimento único ou pouco frequente que ocorre fora de umprograma normal de atividades de patrocínios” (Donald Getz)“ Para o cliente ou convidado, o evento é uma oportunidade parausufruir de uma experiência de lazer, cultural, social fora do ciclonormal da vida diária” (Donald Getz) Professora: Germana Eiriz / 1O
  64. 64. Objetivos dos Eventosa) PARA O PARTICIPANTE • É uma experiência única • Proporciona momentos de felicidade, alegria, convívio, descontração • Desperta interesse e causa impactob) PARA O GESTOR DE EVENTOS • Tem lugar num curto espaço de tempo • Requer um planeamento cuidado • Apresenta um elevado grau de risco • Deve ser recordado como algo positivo • Causa impacto e desperta interesse • Permite o contacto com fornecedores/serviços • Materializa sonhos Professora: Germana Eiriz / 1O
  65. 65. Objetivos dos Eventos (continuação)c) PARA O PATROCINADOR • Atinge o público-alvo • Divulga a marca/empresa/produto • Potencia vendas • Conquista novos mercadosd) PARA OS MEDIA • Desperta interesse • Causa impacto • Procura uma novidade/diferença • É uma notícia Professora: Germana Eiriz / 1O
  66. 66. Objetivos genéricos dos eventos. CONVIVERAPRESENTAR FIDELIZAR INAUGURARPROMOVER FESTEJAR ENVOLVERPARTILHAR AGRADECER EXPERIMENTARDIVULGAR Professora: Germana Eiriz / 1O
  67. 67. Parceiros de Eventos • Organização anfitriã • Comunidade local • Fornecedores • Patrocinadores • Media • Equipa do evento • Participantes e espetadores Professora: Germana Eiriz / 1O
  68. 68. Classificação dos eventos: Periodicidade DimensãoEsporádicos Pequeno (até 200 pax)Periódicos Médio (200-600 pax)De oportunidade Grande (+ 600 pax) Mega (milhares) Abrangência Natureza/FinalidadeLocais CulturaisRegionais ComerciaisNacionais InstitucionaisInternacionais/Mundiais Desportivos/de Competição Científicos/Educação Entretenimento/Lazer Políticos/De Estado Sociais/Particulares Professora: Germana Eiriz / 1O
  69. 69. Classificação dos eventos (continuação): Zona de Acção Público-AlvoInternos à instituição CorporativosExternos à instituição Clientes Fornecedores Crianças Jovens Famílias Seniores Mulheres/Homens Professora: Germana Eiriz / 1O
  70. 70. Tipos de Eventos ENCONTROS TÉCNICOS OU CIENTÍFICOSConferência MeetingCongresso Mesa RedondaConvenção PainelDebate Palestra ou ColóquioFollow up SeminárioForum SimpósioJornada Workshop Professora: Germana Eiriz / 1O
  71. 71. Tipos de Eventos (continuação) EVENTOS DESPORTIVOS Campeonato Encontro Festival Gincana Olimpíadas Torneio Professora: Germana Eiriz / 1O
  72. 72. Tipos de Eventos (continuação). EVENTOS COMERCIAIS E INSTITUCIONAISExposição ConcursoFeira Lançamento da 1ª pedraLançamento de livro Inauguração de instalaçõesMostra Inauguração de estátuas,Salão bustos, retratosPrograma de visitas Tomada de posse Professora: Germana Eiriz / 1O

×