Your SlideShare is downloading. ×
0
Teodicéia e teologia do AT
Teodicéia e teologia do AT
Teodicéia e teologia do AT
Teodicéia e teologia do AT
Teodicéia e teologia do AT
Teodicéia e teologia do AT
Teodicéia e teologia do AT
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Teodicéia e teologia do AT

3,181

Published on

Aula 3 - Final Teologia do AT, Teodicéia

Aula 3 - Final Teologia do AT, Teodicéia

Published in: Spiritual
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
3,181
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
69
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. 1. TEODICÉIA•O termo foi criado em 1710 pelo filósofo AlemãoGottfried Leibniz•O sofrimento é uma realidade tão presente entrepessoas boas e ruins que foi preciso cunhar umaexpressão chamada Teodicéia, a qual analisa e justifica aaparente discrepância entre bondade de Deus e amaldade presente na existência humana.•Segundo define Champlin, a palavra Teodicéia vem dogrego theos (Deus) + dike (justiça). No uso comum apalavra designa a controvérsia sobre como podemosreconciliar a existência do mal com a bondade e aonipotência de Deus.•Leibniz é citado pelo mesmo Champlin como aquele queusou o termo pela primeira vez em 1710. Assim, aTeodicéia é a “Teoria para justificar a bondade de Deusem vista da existência de maldade no mundo”. NaTeodicéia examinamos e exploramos argumentos quejustificam a conduta de Deus no mundo 1
  • 2. 1.1- O PROBLEMA DO MAL: O mais sério obstáculo à fé cristã• No que consiste o problema do mal? Pode-se apresentar o problema do mal a partir da enorme dificuldade de se sustentar concomitantemente as quatro proposições seguintes: – Deus existe; – Deus é totalmente bondoso; – Deus é todo-poderoso; – O mal existe.• O problema do mal se baseia basicamente na impossibilidade de sustentar as três primeiras afirmativas sem ter que negar ao mesmo tempo a quarta afirmativa. Caso contrário conclui-se que: – Se Deus existe, deseja todo o bem e é poderoso o suficiente para conseguir tudo o que deseja; então não deveria haver mal. – Se Deus existe e deseja apenas o bem, mas o mal existe então Deus não consegue tudo o que deseja. Portanto ele não é Todo-poderoso. – Se Deus existe e é Todo-poderoso, se o mal também existe; então, Deus deseja que o mal exista. Portanto, ele não é totalmente bondoso. – Finalmente, se Deus significa um Ser que ao mesmo tempo é totalmente bondoso e Todo-poderoso, e ainda assim o mal existe; então Deus não existe. 2
  • 3. 1.2-A DIFÍCIL TAREFA DE COMPREENDER O MAL E O SOFRIMENTO• Um Sumário de Três Concepções Teológicas e de Diferentes Cosmovisões Sobre o Tema• Primeira Concepção: Deus Determina e Controla Todas as Fatalidades;• Segunda Concepção: O mal e sofrimento são produzidos pela pessoa humana;• Terceira Concepção: Teísmo aberto e Teologia do Processo. 3
  • 4. 1.3-DEUS E A RELAÇÃO COM O MAL• se o mal não é algo separado de Deus e ao mesmo tempo não pode proceder de Deus, então o que é? O problema pode ser exposto da seguinte forma: – Deus é o autor de tudo que existe; – O mal é algo que existe; – Portanto, Deus é o autor do mal.• Rejeitar a primeira premissa leva indubitavelmente ao dualismo.• Negar a segunda premissa leva a uma forma de panteísmo e ambas as concepções não são aceitas pelo teísmo clássico.• Por outro lado, negar que Deus não criou todas as coisas é minar a sua soberania, porém afirmar que é o criador de tudo pode levar à conclusão que Deus é o autor do mal. 4
  • 5. 1.4- CAUSAS DO SOFRIMENTONossa própria culpa;Calamidades naturais;Forças demoníacas;Desejos maus ;O próprio Deus? 5
  • 6. 2. O PROPÓSITO DIVINO ACERCA DO SOFRIMENTO• Segundo LEWIS CHAFER o sofrimento pode ser: – PREVENTIVO ( 2Cor 12:1-10); cf. Rm 8:34; – CORRETIVO (Hb 12:3-15), pois tem como resultados possíveis tanto a santidade quanto o fruto pacífico da justiça (cf. também Jo 15:2; 1 Co 11:29-32; 1 Jo 5:16). – EDUCATIVO. Os cristãos podem ser ampliados em sua vida espiritual pelo sofrimento. Ainda que Filho, Cristo aprendeu a obediência pelas coisas que Ele sofreu (Hb 5:8).• Contudo a Bíblia avança em alguns outros propósitos: – Para pôr à prova o caráter, Jo 42:1-6; Rm 5:3-5; – Para ajudar os outros em situações assemelhadas, II Cor 1:3-7; – Para ensinar acerca da obediência, Hb 2:10,17,18; 5:8,9; – Para provar o valor da fé, I Pedro 1.6-7; – Para conduzir à dependência de Deus, II Co 12:7-10. ; – Para a glória de Deus, Jo 9:1-3. 6
  • 7. 2.1- UMA CONCLUSÃO QUASE CONCLUSIVA• O maior sofredor que existiu: Jesus; – Em plena tragédia da Segunda Guerra Mundial, dizia Dietrich Bonhoeffer: “somente um Deus que sofre pode nos ajudar”• O céu como parte da resposta;• A cabana em chamas e a borboleta. 7

×