• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Monografia td (final)
 

Monografia td (final)

on

  • 2,065 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,065
Views on SlideShare
2,063
Embed Views
2

Actions

Likes
0
Downloads
61
Comments
0

2 Embeds 2

http://www.lmodules.com 1
http://www.linkedin.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Monografia td (final) Monografia td (final) Document Transcript

    • PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Departamento de Ciência da Computação (Campus Poços de Caldas) Estratégias para Desenvolvimento de uma Aplicação no Contexto de Uso de um Provedor de Serviços Interativos em Televisão Digital Gabriel Massote Prado Poços de Caldas 2008
    • Gabriel Massote Prado Estratégias para Desenvolvimento de uma Aplicação no Contexto de Uso de um Provedor de Serviços Interativos em Televisão Digital Trabalho apresentado à disciplina de Trabalho de diplomação do Departamento de Ciência da Computação da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (Campus Poços de Caldas). Poços de Caldas 2008
    • FICHA CATALOGRÁFICA ELABORADA PELA BIBLIOTECA DA PUC Minas (Campus Poços de Caldas) Gabriel Massote Prado Estratégias para Desenvolvimento de uma Aplicação no Contexto de Uso de um Provedor de Serviços Interativos em Televisão Digital Trabalho apresentado à disciplina de Trabalho de Diplomação do Departamento de Ciência da Computação da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Poços de Caldas, 2008. (Campus Poços de Caldas). ___________________________________________________ Prof. Dr. João Benedito dos Santos Júnior (Orientador) – PUC Minas ___________________________________________________ Prof. M.Sc. Iran Calixto Abrão - PUC Minas
    • Agradecimentos Agradeço primeiramente a Deus por me proporcionar todas as oportunidades que me foram concedidas até hoje; minha família por estar sempre ao meu lado, me apoiando sempre quando necessito e por serem os responsáveis pólos meus estudos até hoje; aos meus amigos que me ajudam, me divertem e me ensinam sempre coisas novas e boas na vida e finalmente aos professores do Curso de Ciência da Computação pela base, oportunidades, confiança, amizade, qualidade do curso e por me ajudarem a chegar ao nível de conhecimento que possuo hoje; em especial a dois professores que me proporcionaram ótimas oportunidades e conselho durante o curso, o professor e orientador João Benedito dos Santos Junior no qual respeito bastante e agradeço pelas oportunidades, conselhos e ajudas já proporcionadas, e o professor e ex-orientador Iran Calixto Abrão que me ajudou e confiou em meu desempenho no começo do curso. Agradeço a todos de uma maneira muito especial por tudo que fizeram por mim. Que Deus abençoe todos.
    • Resumo Este trabalho de diplomação, desenvolvido no Laboratório de Televisão Digital da PUC Minas Poços de Caldas, está inserido no contexto de Televisão Digital Interativa e seu Canal de Retorno. O mesmo tem como objetivo estudar formas de implementar um protótipo de softwares no contexto de um Provedor de Serviços Interativos, que possa armazenar, analisar e gerar relatórios baseados nas informações resultantes da interação de telespectadores com programas interativos. Com este trabalho pretende-se fechar o ciclo da plataforma Java Interactive Television (JiTV) baseado no modelo de um sistema de Televisão Digital Interativa, contendo módulos na Emissora, Transmissão, Recepção (Telespectador) e Canal de retorno.
    • Abstract This work, developed in PUC Minas Poços de Caldas – TVDILab, is in the context of Digital Interactivity Television and Return Channel. The same has the objective to study ways to develop a software prototype in context of an Interactivity Provider Service that can save, analyze and generate reports based on resultant information of televiewer interaction with interactive programs. With this work, it pretend to conclude the cycle of Java Interactive Television (JiTV) based on the model of Digital Interactivity Television System.
    • Sumário 1. Introdução ............................................................................................................................... 11 1.1 Considerações Iniciais .................................................................................................... 11 1.2 Motivações e Objetivos .................................................................................................. 11 1.3 Estrutura do Trabalho ..................................................................................................... 12 2. Fundamentos da Televisão Digital Interativa ...................................................................... 14 2.1 Considerações Iniciais .................................................................................................... 14 2.2 Uma visão geral sobre Televisão Digital Interativa ....................................................... 14 2.3 O Sistema Brasileiro de Televisão Digital Terrestre...................................................... 18 2.4 Considerações finais....................................................................................................... 19 3. Arquitetura da Plataforma JiTV........................................................................................... 20 3.1 Considerações Iniciais .................................................................................................... 20 3.2 Plataforma JiTV - Programas Interativos ....................................................................... 20 3.3 Plataforma JiTV – Emissora........................................................................................... 21 3.4 Plataforma JiTV – Telespectador ................................................................................... 22 3.5 Considerações Finais ...................................................................................................... 24 4. Provedor de Serviços Interativos........................................................................................... 25 4.1 Considerações Iniciais .................................................................................................... 25 4.2 O Problema Estudado ..................................................................................................... 25 4.3 Ferramentas de Desenvolvimento .................................................................................. 27 4.3.1 Linguagem Java.............................................................................................................. 27 4.4 JiTV Aplicações ............................................................................................................. 28 4.5 JiTVPSI Studio............................................................................................................... 30 4.5.1 Configurações Locais ..................................................................................................... 32 4.5.2 Suporte Telespectador .................................................................................................... 33 4.5.3 Suporte Emissora............................................................................................................ 33 4.6 JiTVStudio PSI............................................................................................................... 34 4.7 Estrutura PSI desenvolvida............................................................................................. 37 4.8 Estrutura PSI desenvolvida com plataforma JiTV ......................................................... 40
    • 4.9 Considerações Finais ...................................................................................................... 42 5. Conclusões ............................................................................................................................... 43 5.1 Considerações Iniciais .................................................................................................... 43 5.2 Contribuições.................................................................................................................. 43 5.3 Trabalhos Futuros........................................................................................................... 44 5.4 Considerações Finais ...................................................................................................... 44 6. Referências Bibliográficas...................................................................................................... 46
    • Lista de Figuras Figura 1 - Pseudo-Interativa .....................................................................................................15 Figura 2 – Interativa .................................................................................................................16 Figura 3 - Componentes de um pTVDi em uma aplicação ......................................................21 Figura 4 - Arquitetura da Plataforma JiTV na emissora...........................................................21 Figura 5 - Arquitetura da Plataforma JiTV no telespectador....................................................23 Figura 6 - JiTVAplicação Dengue............................................................................................29 Figura 7 - JiTVAplicação Eleição ............................................................................................29 Figura 8 - JiTV Aplicações - XML Interatividade ...................................................................30 Figura 9 - JiTVPSI Studio ........................................................................................................31 Figura 10 - JiTVPSI Studio - Janela Configuração ..................................................................32 Figura 11 - JiTVStudio PSI – Janela Configuração Filtro........................................................35 Figura 12 - JiTVStudio PSI – XML Configuração .................................................................35 Figura 13 - JiTVStudio PSI – XML Relatório ........................................................................36 Figura 14 - JiTVStudio PSI .....................................................................................................37 Figura 15 - Estrutura PSI desenvolvida....................................................................................39 Figura 16 - Estrutura PSI com plataforma JiTV.......................................................................41
    • Lista de Abreviaturas API Interface de Programação de Aplicativos JiTV Java Interactive Television JVM Java Virtual Machine pTVDi programa de televisão digital interativa ISDTV International System for Digital Television STB Set-Top Box TVDI Televisão Digital Interativa TVDILab Laboratório de Televisão Digital Interativa Puc Minas–Poços de Caldas MVC Model-view-controller
    • 11 1. Introdução 1.1 Considerações Iniciais Como os outros meios de comunicação em massa, a televisão não foge da tendência de uma evolução tecnológica e digital. Com essa evolução, o sistema atual (analógico) de televisão começa a migrar para um novo cenário, que em partes já está presente em algumas emissoras. Essa parcela de “novas” tecnologias que estão presentes nas emissoras pode ser representada pela origem da produção e criação de programas e programações digitalmente. Esse avanço gerou novas idéias sobre televisão para que pudessem ser estudadas e finalmente dar origem a um novo sistema, que é conhecido como Sistema de Televisão Digital (TVD) ou Sistema de Televisão Digital Interativa (TVDI). Existem diferenças entre os dois sistemas, mas a idéia de digitalizar todo o meio de televisão é a mesma. Um sistema de TVD ou TVDI consiste na produção de informação digital, transmissão dos dados por rádio-difusão e na recepção, possibilitando com que o telespectador possa assistir aos programas com sinal digital, assim, se diferenciando do sistema que é utilizado em território nacional, que possibilita uma produção digital, transmissão via rádio-difusão e recepção, só que possibilitando ao telespectador ainda um sinal analógico, e não o digital. [1] 1.2 Motivações e Objetivos Além de todo o sistema de TVDI, que engloba a produção de programas interativos, a transmissão e a recepção dos programas, a forma como que os dados gerados pela interação de um telespectador com um programa interativo serão tratados e armazenados, é de extrema importância para todo o sistema de TVDI. Esse processo tem como objetivo possibilitar à emissora, o tratamento de dados com a finalidade de gerar informações sobre uma votação,
    • 12 pesquisa, opiniões, entre outras. Para que esse processo de recebimento de informações, tratamento e geração de informações baseadas em respostas de interatividades possa acontecer e esteja dentro do contesto do sistema de TVDI, uma empresa, um modulo ou um Provedor de Serviços Interativos (PSI) deve existir em intermédio a emissora e ao telespectador. Toda essa infra-estrutura é nomeada de Canal de Retorno. [7] O tema do Trabalho de Diplomação foi inserido dentro do contesto do desenvolvimento de uma aplicação que armazene, trate, gere resultados das respostas de programas interativos e que tenha funcionalidades de um PSI. As motivações em desenvolver aplicações presentes no PSI são o interesse em estudar e em adquirir conhecimento em TVDI e a integração de um protótipo de PSI à plataforma JiTV (Java Interactive Television), para que pudesse ser fechado o ciclo de Emissora, Transmissão, Telespectador e Canal de Retorno, aproximando cada vez mais a plataforma de um sistema real de Televisão Digital Interativa. [5] [7] Para que um protótipo de um software PSI se iniciasse, inicialmente foram realizados estudos sobre TVDI e PSI, possibilitando o desenvolvimento de protótipos de softwares PSI na emissora e no PSI. Nos próximos capítulos serão explicados os assuntos estudados e os protótipos desenvolvidos. 1.3 Estrutura do Trabalho Como citado no item 1.2, o objetivo deste trabalho é explicar os fundamentos utilizados para o desenvolvimento de módulos no contexto de um Canal de Retorno e um PSI, e apresentar os módulos desenvolvidos para serem integrados com a plataforma JiTV. No capítulo 2 são abordados vários assuntos no contexto de TVDI, envolvendo assuntos no contexto mundial e brasileiro. No capítulo 3 são abordados aspectos e módulos da plataforma JiTV, desde os módulos da emissora, transmissão, recepção (telespectador) e canal de retorno.
    • 13 No capítulo 4 são apresentados experiências no desenvolvimento de protótipos referentes a softwares presentes em um PSI, demonstrando como informações resultantes de interações de telespectadores com programas interativos podem ser armazenadas, processadas e enviadas para a emissora para futuras avaliações ou para a criação de novos programas interativos. No capítulo 5 são apresentadas as conclusões relacionadas a todo o estudo no contexto de TVDI e Canal de Retorno, e aos protótipos desenvolvidos para integração à plataforma JiTV.
    • 14 2. Fundamentos da Televisão Digital Interativa 2.1 Considerações Iniciais Ao falar sobre Televisão Digital e Televisão Digital Interativa, muitas mudanças pode ser envolvidas, pois novas tecnologias implicam na adaptação do sistema analógico para o sistema Digital. As mudanças estão envolvidas desde a produção, envolvendo a transmissão, recepção e canal de retorno, podendo gerar muito tempo para que uma adaptação total ocorra. Do ponto de vista evolucionário todo o sistema está bastante avançado e mudanças na produção, transmissão e recepção já podem ser estudadas, analisadas e desenvolvidas. 2.2 Uma visão geral sobre Televisão Digital Interativa Ao abordar assuntos relacionados à Televisão Digital (TVD) e Televisão Digital Interativa (TVDI), muitas pessoas cometem o equívoco de pensarem que ambos os sistemas possuem as mesmas definições e conceitos, utilizando mesmas formas e meios para obterem um resultado final. Mas essas pessoas não sabem quais são as diferenças e o que pode mudar de uma definição para outra. Televisão Digital é diferente de Televisão Digital Interativa, ou seja, TVD significa que o processo de produção de toda a programação é feita digitalmente, sua transmissão pelo meio de rádio-difusão (analógico) e a sua recepção é feita de forma analógica, mas convertida para sinal digital para que o usuário (telespectador) possa assistir as programações disponíveis digitalmente. [1] [7] A diferença de um sistema TVDI em relação a um sistema TVD é a possibilidade de interação com o telespectador. Para que isso seja possível, é necessário que ocorram algumas mudanças na produção e na recepção, já que a transmissão é feita da mesma maneira do que no sistema de TVD. Na produção a mudança significativa é a adição de dados junto ao vídeo
    • 15 e áudio, para que na recepção os dados possam estar disponíveis para uma interação com o telespectador. Já a diferença na recepção é que além do vídeo e áudio, dados também são recebidos e possibilitando que sejam processados e transformados em algum modo de interação com o telespectador [1]. Em um sistema de TVDI o tratamento da interatividade no telespectador e que estará disponível em um programa interativo pode ser classificado de duas formas, o sistema Pseudo-Interativo (Figura 1) e o Interativo (Figura 2). O sistema Pseudo-Interativo se diferencia do Interativo quanto ao tratamento da interatividade, ou seja, a interatividade é processada e não retorna informações ao PSI pelo canal de retorno para possíveis tratamentos, sendo assim uma aplicação residente e restrita ao subsistema de recepção doméstica [1]. Figura 1 - Pseudo-Interativa Como mostra a figura 1, os programas interativos são produzidos pela emissora e, consequentemente, enviados através de um meio de transmissão e ao chegarem no STB aguardam uma interação do telespectador com uma aplicação interativa, sem retorno de informações para a emissora. Já o sistema Interativo retorna informações à emissora depois do processamento da interatividade, possibilitando que o PSI possa tratar os dados recebidos de todos os telespectadores e de todos os tipos de interatividades [1].
    • 16 Figura 2 – Interativa Como mostra a figura 2, os programas interativos são produzidos pela emissora e, consequentemente, enviados através de um meio de transmissão e ao chegarem no STB aguardam uma interação do telespectador com uma aplicação interativa, com retorno de informações para a emissora através do canal de retorno para armazenamento e processamento dessas informações pelo PSI. A estrutura de um sistema de Televisão Digital Interativa pode ser dividida em quatro partes: produção, transmissão, recepção e canal de retorno, onde reside o Provedor de Serviços Interativos (PSI). Na produção e recepção que estão as mudanças mais significativas para o modelo analógico ou até mesmo para o modelo de TVD (sem interatividade) [1]. A produção possui algumas mudanças significativas, e que são de extrema importância para que o sistema funcione corretamente. As mudanças estão na inserção de alguns componentes ou no trabalho conjunto desses componentes, que são: Gerador de Carrossel, Multiplexador e Codificação. Para que exista interatividade, dados devem ser integrados junto ao vídeo e ao áudio e, conseqüentemente, formando um único fluxo para que esses dados sejam transmitidos e recebidos pelo telespectador, ou melhor, pelo aparelho de recepção (Set- top Box). Todo esse processo de transformação de um conjunto de dados (possíveis interatividades) em um único fluxo elementar é feito pelo Gerador de Carrossel de Dados. Em
    • 17 seguida a responsabilidade é transferida para o Multiplexador que tem como objetivo fundir os fluxos de dados aos fluxos de vídeo e áudio para que possam ser codificados (digital – analógico), pois a transmissão é analógica e conseqüentemente muda-se a forma de representação da informação transmitida para cada telespectador [1]. O meio de transmissão utilizado no sistema atual de televisão tem a capacidade de enviar apenas uma programação para o telespectador. A novidade, ou se não a maior novidade junto com a possibilidade de interação com o telespectador, é a reformulação do meio de transmissão possibilitando que sejam transmitidas quatro programações simultâneas e com qualidade melhor do que o sistema analógico, possibilitando agregação dos dados. Para que as quatro programações e os dados pudessem ser transmitidos foi necessário realizar uma compressão nos sinais televisivos para que existisse espaço suficiente para as informações trafegarem. [1] Todas essas mudanças também implicam em alterações na recepção. No sistema analógico as informações chegavam ao televisor depois de passar por uma antena e um receptor analógico. No sistema de TVDI a diferença está na adição do Set-top Box (STB) entre a antena e o televisor, possibilitando que as informações sejam recebidas e processadas. O processo de recepção pode ser dividido em três partes: Decodificação, Demultiplexação e Visualização. Ao receber uma transmissão os dados são decodificados (analógico – digital), depois são demultiplexados, para que os fluxos de dados e vídeo / áudio possam ser separados e tratados pelo STB para serem mostrados ao telespectador na forma de um programa interativo ou não. Caso exista interatividade, o STB se responsabiliza por processar os dados e pela organização de quando a interatividade deve ser exibida. [3] Umas das partes mais importantes de um sistema de Televisão Digital Interativa está no canal de retorno, pois está envolvido com a revolução de todo o sistema, que é a interação com o telespectador. Quando existe alguma interação com o telespectador e ela é de forma interativa, existe uma necessidade de que as informações processadas no STB do telespectador sejam enviadas para a emissora. Essas informações, que podem ser dados do STB do telespectador, data de resposta e resposta da interatividade, são enviadas para emissora pelo canal de retorno, que é um link direto para envio de dados. Outro fator importante é que entre a emissora e o telespectador pode existir um outro módulo chamado Provedor de Serviços Interativos (PSI).
    • 18 O PSI pode ser uma empresa contratada pela emissora ou um módulo da emissora. Sendo assim o PSI pode exercer várias funções, como: gerar todas as interatividades que uma emissora precisa com seus respectivos filtros e também armazenar, tratar e processar os dados enviados pelos telespectadores após responder uma interatividade. Ou seja, quando uma interatividade é solicitada ao PSI, ele cria e retorna essa interatividade a emissora, que conseqüentemente envia a interatividade junto com o áudio e vídeo para o telespectador e, que ao interagir e concluir a interação retorna dados para o PSI trata-los de acordo com os filtros pré-definidos pela emissora quando esta solicitou a criação da interação. A figura 2 ilustra perfeitamente o comportamento explicado. 2.3 O Sistema Brasileiro de Televisão Digital Terrestre O Sistema Brasileiro de Televisão Digital Interativa é baseado no Sistema de Televisão Digital Japonês, se diferenciando, pois o padrão brasileiro possui adições ao padrão Japonês. Por utilizar um padrão Japonês o nome do padrão brasileiro foi modificado para ISDTV (International System for Digital Television). [2] Esse novo nome e conseqüentemente, um nome padrão tem como baixo nível as tecnologias japonesas (hardware) e a alto nível as tecnologias brasileiras (middleware e software). O middleware é a parte mais importante de uma arquitetura de um STB, pois com ele não existe a necessidade de desenvolvimento de várias versões de aplicações interativas. Ou seja, com a inexistência do middleware os desenvolvedores teriam que se preocupar em desenvolver suas aplicações baseada nas diversas versões de hardwares disponíveis nos STBs, mas com o middleware os desenvolvedores não precisam desenvolver versões diferentes, pois o middleware se responsabiliza pela comunicação com o hardware. Atualmente o Brasil desenvolve um middleware próprio, que se denomina Ginga e é associado à linguagem de programação JAVA [2].
    • 19 2.4 Considerações finais Este capítulo teve como objetivo abordar pontos importantes para a compreensão do funcionamento de todo o sistema de TVDI. O próximo capítulo tem como objetivo detalhar toda a plataforma JiTV que é desenvolvida na PUC Minas Poços de Caldas.
    • 20 3. Arquitetura da Plataforma JiTV 3.1 Considerações Iniciais Com o objetivo de desenvolver uma plataforma que se enquadre no sistema de Televisão Digital Brasileiro, na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – PUC Minas – Poços de Caldas vem sendo desenvolvida no TVDILab (Laboratório de Televisão Digital Interativa) a plataforma JiTV (Java Interactive Television) sob a direção e supervisão do curso de Ciência da Computação. A plataforma JiTV, através de seus componentes e módulos de software, procura contemplar todo um sistema de TVDI, iniciando com a geração de toda a programação e programas, distribuição do carrossel de dados (fluxos de áudio, vídeo e dados) , em seguida a apresentação de programas interativos com conteúdo áudio-visual no STB do telespectador tanto em nível residente quanto com a utilização de canal de retorno. 3.2 Plataforma JiTV - Programas Interativos No contexto da plataforma JiTV, o programa é o principal elemento de uma aplicação interativa, sendo formado por elementos de mídia (áudio, vídeo e imagens), um sumário (ou sinopse) contendo descritores do conteúdo televisivo, e bytecodes (executáveis ou não) que agregam valor ao conteúdo áudio-visual Esses elementos podem ser demonstrados pela figura 3. [5].
    • 21 Figura 3 - Componentes de um pTVDi em uma aplicação Como padrão, foi adotado na Plataforma JiTV o uso de esquemas XML para definir os descritores de mídia e a programação e suas respectivas informações. 3.3 Plataforma JiTV – Emissora Dentro de um cenário de Televisão Digital Interativa, as emissoras devem estar preparadas para transmitir suas programações, em broadcasting, com áudio, vídeo e dados, possibilitando a transmissão de programas interativos. A figura 4 demonstra de um forma simplificada toda a estrutura do modulo emissora presente na plataforma JiTV [5]. Figura 4 - Arquitetura da Plataforma JiTV na emissora
    • 22 Na parte de produção, a plataforma oferece a aplicação JiTVStudio, que se responsabiliza por toda a parte de produção e edição de programações e programas. Com o JiTVStudio é possível gerenciar a estrutura da programação e de cada programa interativo que compõe a programação, além de informar quais são os elementos de mídia, seus formatos para distribuição, os dados para composição da sinopse e as interatividades presentes em um determinado programa interativo. Toda as informações dos programas são armazenadas em arquivos XML’s para serem enviados junto aos fluxos de áudio e vídeo [5]. Na parte de transmissão encontra-se o JiTVGCarrossel e o JiTVStreamer, que são de extrema importância para a organização dos dados para o envio das programações e programas interativos para os telespectadores. A função do JiTVGCarrossel é gerar toda uma estrutura de pastas e arquivos, ou seja, um sistema de arquivos JiTV contendo os dados referentes a todas informações que uma programação ou que um programa interativo possa ter, para que quando transmitidos para o STB do telespectador, toda a estrutura gerada na emissora possa ser instalada. Este sistema de arquivos estará residente no STB apenas pelo tempo em que ele estiver sintonizado. Já o JiTVStreamer tem como funcionalidade gerenciar os fluxos de áudio/vídeo e fluxo de dados, para que possam ser transmitidos de uma forma cíclica, com finalidade de atingir em broadcasting todos os telespectadores sintonizados[5]. 3.4 Plataforma JiTV – Telespectador A plataforma JiTV consiste de um conjunto de ferramentas para contemplar o ciclo de vida de um pTVDi, começando na emissora e tendo como ponto final o telespectador. Do ponto de vista do telespectador, a plataforma JiTV opera sobre a camada de middleware, fornecendo recursos de apresentação e interatividade e também um arcabouço de aplicativos residentes no STB e aplicativos não residentes no STB[5].
    • 23 Figura 5 - Arquitetura da Plataforma JiTV no telespectador Conforme a figura 5, o sinal digital é recebido pelo terminal de acesso e então é convertido para analógico. O áudio e o vídeo recebidos são entregues a camada de apresentação do JiTV, e o fluxo de dados gerado pelo carrossel na emissora, é formatado pela camada de middleware e posteriormente armazenado no STB de forma idêntica a estrutura existente na emissora[5]. O principal aplicativo na camada de apresentação é o JiTVPlayer, responsável pela exibição ao telespectador do áudio e vídeo. Acima da camada de apresentação encontram-se os aplicativos residentes e os aplicativos não residentes. Os aplicativos residentes são instalados no STB e estão disponíveis ao telespectador a qualquer momento. Esses aplicativos não são dependentes da emissora, nem da programação sendo transmitida. Os aplicativos não residentes são disponibilizados pelas emissoras e são transmitidos no fluxo de dados gerado pelo carrossel, esses aplicativos existem no STB enquanto a emissora responsável em distribuí-los mantiver uma cópia no carrossel de dados[5].
    • 24 3.5 Considerações Finais Este capítulo teve como objetivo demonstrar os módulos da plataforma JiTV que foram desenvolvidos no TVDILab da PUC Minas Poços de Caldas. Foram abordados aspectos da produção, transmissão e recepção da plataforma. O capítulo 4 tem como objetivo descrever os módulos desenvolvidos no contexto de Provedor de Serviços Interativos, podendo ser descritos como: JiTVPSI Studio, JiTVStudio PSI e JiTV Aplicações.
    • 25 4. Provedor de Serviços Interativos 4.1 Considerações Iniciais Este capítulo apresenta as ferramentas utilizadas para o desenvolvimento do módulo adicional a plataforma JiTV, que estão no contexto da linguagem Java e suas API’s. Posteriormente, são descritos os módulo desenvolvidos para a plataforma JiTV, inicialmente os módulos PSI presente no Canal de Retorno e Emissora e em seguida aplicações interativas para a validação de todo o sistema desenvolvido. 4.2 O Problema Estudado Como já foi descrito, um sistema de TVDI possui quatro partes essenciais, podendo ser descritas como: produção, transmissão, recepção e o canal de retorno. Baseando-se em um sistema de TVDI a plataforma JiTV tem como objetivo desenvolver todas as quatros partes para que seja concluído o ciclo de um programa interativo. Com as partes da emissora, transmissão e recepção já em desenvolvimento, e com protótipos em fases avançadas, a única parte que necessita de amplos estudos e, conseqüentemente, iniciar desenvolvimento de protótipos, é a parte referente ao canal de retorno e aos softwares que devem estar presente dentro de um PSI [7]. Com a necessidade de se implementar um protótipo de aplicações que demonstrem características referentes a um PSI, deu-se início a estudos sobre como devem ser desenvolvidas aplicações e quais ferramentas utilizar, para que não fujam do contexto dos padrões de TVDI e PSI. Como primeiro passo foi escolhido desenvolver duas aplicações interativas para a interação dos telespectadores, e a partir destas interações são geradas informações que serão
    • 26 enviadas para um protótipo de software presente em um PSI. Essas duas aplicações são representadas por: uma aplicação de Dengue (JiTVAplicação Dengue) e uma aplicação de Eleição (JiTVAplicação Eleição), que estimulam os telespectadores a interagirem com suas funcionalidades. Após o estudo de que as aplicações interativas devem ser desenvolvidas com a possibilidade de gerar resultados baseados nas interações dos telespectadores, existe a necessidade de desenvolver um protótipo de software PSI que esteja localizado entre o telespectador e a emissora. Este protótipo, chamado JiTVPSI Studio, tem como funcionalidades armazenar e tratar as informações geradas pela interação do telespectador com um programa interativo, além de gerar relatórios, baseados em filtros, que serão enviados para a emissora. O protótipo do software PSI também tem como objetivo o suporte à múltiplas conexões, ou seja, um software que possibilite que vários telespectadores enviem N respostas de suas interatividades. Para a validação dos dados armazenados no JiTVPSI Studio, necessita-se de um módulo na emissora que receba os dados processados, em forma de relatório, como resultado de pesquisas, votações, eleições, dentre outros. Este módulo tem como funcionalidade solicitar ao JiTVPSI Studio relatórios baseados em filtros definidos pela emissora e recebê-los para que possam ser armazenados e futuramente analisados. Dá - se o nome de JiTVStudio PSI a esse módulo. Todos os três módulos desenvolvidos procuraram seguir ao máximo o padrão MVC, com o objetivo de facilitar a manutenção e o entendimento do código. A divisão da estrutura foi feita em duas partes: parte visual, parte de controle e parte lógica. A parte visual demonstra toda a parte gráfica do módulo, ou seja, toda a parte em que o usuário pode interagir com o programa. A parte de controle funciona como intermédio entre as partes visuais e as partes lógicas, fazendo com que a parte visual apenas tenha acesso a parte de controle e o mesmo com as partes lógicas. Já a parte lógica possui toda a estrutura lógica do programa, podendo conter todas as formas de armazenar os dados, processá-los e organizá- los.
    • 27 4.3 Ferramentas de Desenvolvimento 4.3.1 Linguagem Java Java é uma linguagem orientada a objetos e que foi elaborada por um grupo de desenvolvedores da Sun MicroSystems com uma idéia inicial de ser integrada a projetos de software de produtos eletrônicos. O JAVA se diferencia das outras linguagens de programação por ser uma linguagem independente de plataforma. Por exemplo, a linguagem C quando compilada e executada em um sistema operacional Windows, o mesmo programa não poderá ser executado na plataforma Unix porque são dependentes de plataforma, a não ser que alterações no código sejam feitas. Já o JAVA tanto um programa desenvolvido em Windows ou em Unix, podem ser executados em ambos sem alterações. [4] A independência de plataforma só foi possível com a criação das JVMs (Máquinas Virtuais Java), que tem como função intermediar um código compilado e o processamento (como o código será processado dependendo do Sistema Operacional escolhido). Ou seja, a linguagem C possuí códigos *.c (teste.c) e quando compilados é gerado um bytecode e logo após já é processado com as características do sistema operacional em uso implicando numa dependência de plataforma, pois os bytecodes são respectivos ao Sistema Operacional utilizado. Já a linguagem JAVA possui códigos *.java (teste.java) e quando compilados é gerado um bytecode com especificações Sun, que são representados pelos arquivos *.class (teste.class). Diferente do C , em JAVA os bytecodes não são dependentes da plataforma e sim a Máquina Virtual Java presente no sistema operacional utilizado. Então o processo de execução de um código JAVA se consiste nas Máquinas Virtuais que são dependentes de plataforma e necessitam de uma versão para cada sistema operacional, assim possibilitando que uma vez gerado um bytecode JAVA, ou gerado um arquivo *.class, a Máquina Virtual Java presente no sistema operacional escolhido se responsabilize pela forma com que o os bytes serão processados, assim possibilitando uma independência de plataforma para códigos JAVA. [4] Além da vantagem de independência de plataforma, JAVA também possui muitas outras características que a torna uma das linguagens em mais ascensão no mercado atual. Características como simplicidade, alto nível de programação, segurança, multi-thread,
    • 28 sockets, processamentos distribuídos, familiarização com o XML, orientação a objetos e entre outras características. 4.4 JiTV Aplicações Como citado no começo do capítulo, para a validação do protótipo de um software PSI (JiTVPSI Studio), existe a necessidade de se desenvolver aplicações interativas que possibilitem a interação do telespectador. As aplicações interativas, JiTVAplicação Dengue e JiTVAplicação Eleição, foram desenvolvidas baseadas nos padrões de comunicação, armazenamento e visual adotados pela plataforma JiTV [7]. O funcionamento das aplicações são divididos em dois módulos: interação e envio. O módulo de interação pode ser descrito como o momento em que o telespectador estiver utilizando o programa interativo, e conseqüentemente, quando a utilização for encerrada o envio das informações será concluído. A aplicação interativa JiTVAplicação Dengue foi desenvolvida com o objetivo de simular uma pesquisa de dengue, possibilitando que o telespectador interaja com o programa interativo a afim de responder quatro perguntas referentes a possíveis causa da dengue. Logo após a interação do telespectador, os dados referentes ao STB e as respostas da interação são salvos em um arquivo XML e enviado para o JiTVPSI Studio, no qual armazenará todos os N tipos de informações referentes as respostas das interatividades. A aplicação JiTVAplicação Dengue pode ser representada pela figura 6 [7].
    • 29 Figura 6 - JiTVAplicação Dengue Outra aplicação interativa desenvolvida foi a JiTVAplicação Eleição, que tem como objetivo simular uma eleição de uma cidade, estado ou país, possibilitando que o telespectador interaja com o programa interativo a afim de selecionar qual o candidato em que deseja votar. Logo após a interação e a confirmação do voto, os dados referentes ao STB e ao candidato votado são salvos em um arquivo XML e enviado para o JiTVPSI Studio, no qual armazenará todos os N tipos de informações referentes as respostas das interatividades. A aplicação JiTVAplicação Eleição pode ser representada pela figura 7 [7]. Figura 7 - JiTVAplicação Eleição
    • 30 Como já foi citado, os dados referentes a interação do usuário com o programa interativo, são salvos em um arquivo XML. Esse arquivo é dividido em duas partes: informações do STB do telespectador e informações da interatividade. Na parte referente as informações dos telespectadores são armazenados a emissora, identificação da interação, tipo de interatividade, ip (identificação STB), data e hora. Já na parte referente as informação da interação, são armazenadas todas as informações da interatividade respondida. Um exemplo de arquivo XML resultante da interação do telespectador com um programa interativo pode ser representado pela figura 8. Figura 8 - JiTV Aplicações - XML Interatividade 4.5 JiTVPSI Studio O foco principal deste trabalho é desenvolver um protótipo de um software que possua funções que um PSI pode prover às emissoras e aos telespectadores. Partindo deste principio e de que a aplicação deve estar no contexto de um sistema de TVDI e Canal de Retorno, o protótipo foi desenvolvido para a integração a plataforma JiTV e suas respectivas funcionalidades. Dá - se o nome de JiTVPSI Studio a esta aplicação [7]. O JiTVPSI Studio tem como objetivo prover serviços à emissora e aos telespectadores, para que todas as informações resultantes da interação de um telespectador com um programa
    • 31 interativo possam ser armazenadas e tratadas, para que quando a emissora necessitar de informações referentes a essas informações, que podem ser um resultado de votação, pesquisa, eleição, dentre outros , relatórios possam ser gerados e enviados para a emissora. Para prover serviços às emissoras e aos telespectadores, o JiTVPSI Studio foi dividido em três módulos: suporte ao telespectador, suporte à emissora e configurações locais. Uma observação importante é que dos três módulos, o único que o usuário pode interagir é o de configurações locais, pois os módulos de suporte ao telespectador e suporte à emissora são executados automaticamente, baseados nas configurações locais. Os três módulos são executados independentemente. O JiTVPSI Studio pode ser representado pela figura 9 [7]. Figura 9 - JiTVPSI Studio
    • 32 4.5.1 Configurações Locais O módulo de configurações locais pode ser considerado como chave para a aplicação JiTVPSI Studio pelo fato de configurar a aplicação com sua principal característica, o suporte a qualquer tipo de interatividade, ou seja, um suporte genérico. Esta configuração tem como objetivo possibilitar ao usuário cadastrar todas as interatividades que o JiTVPSI Studio poderá armazenar, tratar e gerar relatórios. A configuração é feita através de um janela em que o usuário cadastra as informações de uma certa interatividade, e que podem ser descritas como: emissora de origem, identificador global da emissora, identificador da interatividade, se possui criptografia ou não, numero de perguntas e numero de respostas. Logo após a configuração do suporte a uma interatividade, os dados referentes a essa nova configuração são adicionados a um arquivo XML que contém todas as interatividades cadastradas. Uma vez que a nova configuração é salva, o JiTVPSI Studio passará a ter suporte a esta interatividade, com isso, possibilitando tanto ao módulo telespectador e módulo emissora o acesso as informações referentes a essa nova interatividade cadastrada. A janela de configuração pode ser representada pela figura 10. Figura 10 - JiTVPSI Studio - Janela Configuração
    • 33 4.5.2 Suporte Telespectador O módulo presente no JiTVPSI Studio referente aos telespectadores, tem como objetivo armazenar de forma organizada, tratar e gerar relatórios de qualquer tipo de interatividade, tornando o protótipo genérico. Para que isso possa ocorrer, existe a necessidade de utilizar o módulo de configurações locais para que todas as informações referentes a um certo tipo de interatividade possam ser capturadas e armazenadas [7]. Essa configuração gera um arquivo XML de interatividades suportadas, para que possa ser utilizado como forma de comparação quando alguma requisição de informação chegar ao JiTVPSI Studio. Logo após o recebimento da requisição, uma verificação é feita para ser analisado a permissão de armazenamento da informação. Se no arquivo XML de interatividades cadastradas existir uma interatividade do tipo da requisição, os dados recebidos são armazenados localmente e organizados para uma melhor visualização de todos os dados recebidos. O funcionamento do módulo telespectador pode ser resumido em: requisição de armazenamento de informações, comparação da requisição com interatividades cadastradas e armazenamento de forma organizada das informações autorizadas. Com o módulo de configurações e o módulo telespectador, o JiTVPSI Studio consegue prover o armazenamento e a organização de N tipos de interatividades para que o módulo emissora possa utilizar esses dados para a geração de relatórios. 4.5.3 Suporte Emissora O módulo presente no JiTVPSI Studio referente à emissora, tem como objetivo receber um filtro criado no JiTVStudio PSI, processá-lo e retornar um relatório, baseado no filtro recebido., que contem as informações das interatividades armazenadas. Este módulo completa o ciclo de uma interatividade, que tem seu ciclo descrito na criação dos programas
    • 34 interativos, interação do telespectador, armazenamento em um software PSI e finalmente a obtenção dos dados em forma de relatórios [7]. Ao receber um arquivo XML contendo o filtro enviado pela emissora, os dados recebidos são analisados e com base nas informações presentes, nos filtros ativados e nas informações armazenadas pelo JiTVPSI Studio, é executado um processamento das informações para a geração de um simples relatório contendo os tipos de interatividades presentes no filtro e suas respectivas estatísticas. Logo após o processamento do filtro, os dados do relatório são armazenados em um arquivo XML. O relatório gerado contém descrições das interatividades que se enquadraram no filtro recebido, e para cada diferente resposta desta interatividade é demonstrado a porcentagem em relação ao total de interações. O arquivo XML referente ao relatório pode ser demonstrado pela figura 13 , presente no item 4.6. 4.6 JiTVStudio PSI Uma vez que as aplicações interativas ( JiTVAplicações ) e o JiTVPSI Studio estão em estados funcionais e conseguem implementar características presentes em programas interativos e em um PSI, existe a necessidade da criação de um módulo PSI na emissora que se responsabilize por solicitar relatórios referentes as interatividades armazenadas no JiTVPSI Studio. Estes relatórios tem como objetivo “alimentar” a emissora com informações sobre os estados iniciais e/ou finais de interações, podendo ser utilizados para a geração de resultados de uma votação, pesquisa, enquete, eleição, entre outros, e também, para a criação de novos programas interativos. Dá - se o nome de JiTVStudio PSI a este módulo em fase inicial [7]. O módulo JiTVStudio PSI pode ser dividido em duas partes: envio de filtros do JiTVPSI Studio e recebimento de relatórios do JiTVPSI Studio. O envio de filtros tem inicio com a configuração de propriedades referentes aos dados que devem ser filtrados no JiTVPSI Studio. As propriedades podem ser classificadas do seguintes tipos: interatividade, emissora, ip (id STB) e data. Uma vez que os filtros foram selecionados um arquivo XML é salvo em disco para que a qualquer momento que a emissora
    • 35 necessitar de receber relatórios, baseados nas propriedades setadas, para a geração de pesquisas ou a criação de novos programas interativos, o arquivo seja enviado ao JiTVPSI Studio para processamento. A janela de configuração e o arquivo XML contendo as propriedades dos filtros podem ser representados pelas figuras 11 e 12, respectivamente. Figura 11 - JiTVStudio PSI – Janela Configuração Filtro Figura 12 - JiTVStudio PSI – XML Configuração Logo após concluir o envio dos filtros, o módulo JiTVStudio PSI permanece em espera pelo recebimento de um arquivo XML que contem os dados do relatório processado
    • 36 pelo JiTVPSI Studio. Ao receber o arquivo, os dados são armazenados localmente (memória) e exibidos em uma tabela que possibilita a fácil visualização dos dados. O relatório é composto por estatísticas baseadas no tipo da interatividade, numero total de arquivos referentes a esta interatividade, porcentagem de cada tipo de resposta para cada tipo de interatividade e a resposta. O XML que representa o relatório pode ser representado pela figura 13. Figura 13 - JiTVStudio PSI – XML Relatório Outras formas de armazenamento puderam ser implementadas, visando futuras funcionalidades e como formas alternativas de armazenamento. Essas formas são: armazenamento em Banco de Dados MySQL e em e-mail. O armazenamento no banco de dados utiliza linhas de uma tabela, já o armazenamento por e-mail utiliza a forma de mensagens para cada relatório. O desenvolvimento do JiTVStudio PSI está em fase inicial e pode prover muitas funções além das já implementadas, tais como: suporte a mais filtros, melhor estrutura de armazenamento, utilização dos relatórios pela emissora, dentro outras. O protótipo inicial pode ser representado pela figura 14 [7].
    • 37 Figura 14 - JiTVStudio PSI 4.7 Estrutura PSI desenvolvida Com o desenvolvimento dos módulos JiTVPSI Studio, JiTVStudio PSI e JiTV Aplicações, pode-se dizer que uma estrutura foi desenvolvida para a validação de um software PSI no contexto do canal de retorno. Essa estrutura tem como objetivo adicionar a plataforma JiTV recursos que possam tratar as informações geradas pela interação dos telespectadores com os programas interativos. O funcionamento da estrutura começa com a interação do telespectador com uma aplicação interativa ( JiTV Aplicações ), simulando um telespectador interagindo com um
    • 38 programa. Após a interação e sua conclusão, o programa interativo gera um arquivo XML com os dados do STB e das informações resultantes da interação. Consequentemente essas informações são enviadas para o módulo JiTVPSI Studio. O JiTVPSI Studio possui duas funcionalidades importantes e que podem ser descritas como: prover suporte aos telespectadores e prover suporte as emissoras. O suporte aos telespectadores tem como funcionalidade disponibilizar o recebimento das informações geradas pelo programa interativo e armazena-las de forma que possam ser acessadas futuramente para a geração de relatórios. Já o suporte as emissoras tem como funcionalidade disponibilizar o recebimento de filtros vindos da emissora para que possam ser gerados relatórios com as informações armazenadas pelo módulo telespectador. Para a validação do módulo de suporte a emissoras presente no JiTVPSI Studio, foi desenvolvido o módulo JiTVStudio PSI que tem duas importantes funcionalidades. Uma delas é a criação de filtros para serem enviados para o JiTVPSI Studio e conseqüentemente processados e transformados em relatórios. Logo após o envio do filtro, o JiTVStudio PSI aguarda o processamento e o envio de um relatório por parte do JiTVPSI Studio para que possa ser armazenado e utilizado futuramente como uma formulação de pesquisas, eleições e estatísticas. Como meios alternativos de armazenamento de dados, foram desenvolvidos dois tipos de armazenamento além do em memória. Os dois meios de armazenamentos são: armazenamento em um banco de dados MySQL e em um e-mail criado para uso do programa.
    • 39 A estrutura desenvolvida pode ser representada pela figura 15. Figura 15 - Estrutura PSI desenvolvida Como mostra a figura 15, através das representações numéricas é possível descrever todos os módulos PSI desenvolvidos para a integração com a plataforma JiTV. - Número 1: representa o processo de solicitação de relatórios pela emissora (JiTVStudio PSI) para o JiTVPSI Studio. - Número 2: representa o processo após a interação de um telespectador com um programa interativo a partir do JiTVPlayer, ou seja, informações são geradas e enviadas para o JiTVPSI Studio para armazenamento. - Número 3: representa o processo de retorno dos relatórios solicitados pelo JiTVStudio PSI para serem armazenados e utilizados pela emissora.
    • 40 - Número 4: representa os processos alternativos de armazenamento dos relatórios recebidos pelo JiTVStudio PSI, podendo ser feito via banco de dados SQL ou via e-mail. 4.8 Estrutura PSI desenvolvida com plataforma JiTV Como parte do objetivo deste trabalho, a integração com a plataforma JiTV é de extrema importância para a conclusão do ciclo de um sistema de TDVI. Com a integração, a plataforma completa todo o ciclo de um sistema TVDI, que tem como partes funcionais os módulos: Emissora, Transmissão, Telespectador e Canal de Retorno. Para a adaptação da estrutura desenvolvida na plataforma JiTV devem ser adicionados dois módulos desenvolvidos nos já existentes e adicionado um novo módulo além dos presentes na plataforma. Os módulos a serem adicionados aos módulos existentes são representados pelas aplicações interativas e pelo módulo PSI na emissora. As aplicações interativas ( JiTV Aplicações ) passam a ter a funcionalidade de suporte de coleta de informações referentes ao STB e a interação com o usuário, e o envio dos dados para o módulo JiTVPSI Studio. Com isso, logo após a interação do telespectador, os dados podem ser enviados para o módulo JiTVPSI Studio. Na emissora, existe a necessidade de anexar o módulo JiTVStudio PSI para que o suporte a geração de filtros e recepção de relatórios do JiTVPSI Studio possam ser integrados. Assim, permitindo a emissora coletar informações presentes no JiTVPSI Studio, afim de criarem resultados parciais de pesquisas, eleições, dentre outros. O novo módulo que deve ser adicionado a plataforma JiTV chamado JiTVPSI Studio, possibilita que a plataforma trate as informações resultantes da interação do telespectador com os programas interativos, possibilitando que futuramente as informações coletadas sejam enviadas novamente aos telespectadores em forma de resultados de pesquisas, eleições e estatísticas. Essa nova configuração da plataforma permite que a plataforma feche todo o ciclo de um sistema de TVDI, criando a possibilidade que programações/programas interativos sejam
    • 41 produzidos e transmitidos para o telespectador. Quando a emissora disponibiliza ao telespectador programas interativos, e conseqüentemente, pode existir a interação com cada programa e ao final de cada interação,transparentemente, o envio das informações para o software PSI que armazena todas as informações e gera relatórios para o tratamento futuro das informações por parte da emissora. A estrutura descrita pode ser representada pela figura 16. Figura 16 - Estrutura PSI com plataforma JiTV Como mostra a figura 15, através das representações numéricas é possível descrever todos os ciclos da plataforma JiTV baseado em um sistema TVDI. - Número 1: representa todo o processo de produção de programas/programações interativas e sua transmissão para o telespectador sintonizado. - Número 2: representa o processo após a interação de um telespectador com um programa interativo a partir do JiTVPlayer, ou seja, informações são geradas e enviadas para o JiTVPSI Studio para armazenamento. - Número 3: representa o processo de solicitação de relatórios pela emissora
    • 42 (JiTVStudio PSI) para o JiTVPSI Studio. - Número 4: representa o processo de retorno dos relatórios solicitados pelo JiTVStudio PSI para serem armazenados e utilizados pela emissora. 4.9 Considerações Finais Este capítulo apresentou as ferramentas utilizadas para o desenvolvimento dos módulos adicionais a plataforma JiTV, que estão no contexto da linguagem Java e suas API’s. Também foi apresentado os módulos desenvolvidos para serem integrados a plataforma JiTV no contexto de Canal de Retorno, possibilitando o tratamento das informações geradas pela interação do telespectador com os programas interativos. No próximo capítulo serão apresentados as conclusões, contribuições e trabalhos futuros.
    • 43 5. Conclusões 5.1 Considerações Iniciais A principal novidade de um sistema de TVDI é a possibilidade de envio de dados junto ao fluxo de áudio/vídeo, assim possibilitando a criação de programas interativos. Uma vez que os telespectadores interagem com um programa, a forma com que as informações resultantes desta interação são de muita importância para a emissora. Com isso, surge a possibilidade de retorno das informações até a emissora através do Canal de Retorno e do PSI. Como a plataforma JiTV é baseada no sistema de TVDI, surge a necessidade de iniciar estudos e implementações relacionadas ao Canal de Retorno e ao PSI criando protótipos funcionais para a integração à plataforma. 5.2 Contribuições Com os estudos e os protótipos desenvolvidos, pôde ser observado resultados no contexto de TVDI e da plataforma JiTV. Os documentos criados e protótipos desenvolvidos são de relevante importância para o TVDILab, tendo como objetivo integrar a plataforma, ajudar e incentivar trabalhos futuros. Segue as contribuições para a plataforma JiTV: • Aplicações funcionais JiTVAplicação Dengue e JiTVAplicação Eleição • Protótipo funcional JiTVPSI Studio • Protótipo inicial JiTVStudio PSI
    • 44 5.3 Trabalhos Futuros Desde o inicio da plataforma JiTV, o TVDILab tem como objetivo manter a plataforma em constante desenvolvimento possibilitando que novas funcionalidades sejam integradas e continuem sendo aperfeiçoadas. Partindo deste princípio que a cada ano novos trabalhos são iniciados no contexto da plataforma. Com o inicio do desenvolvimento de um novo módulo que até então não existia na plataforma JiTV, estudos significativos ainda devem ser aplicados no contexto de um PSI e em seus módulos presentes na plataforma JiTV. Dentre os três módulos abordados neste trabalho, os módulos JiTVPSI Studio e JiTVStudio PSI necessitam de melhorias para que possam atender todas as necessidades de um software PSI no contexto de um sistema TVDI. As melhorias relacionadas ao JiTVStudio PSI podem ser classificadas como: novos filtros, formas de armazenamento, organização dos relatórios, dentre outras. Já as melhorias relacionadas ao JiTVPSI Studio pode ser classificadas como: melhor suporte ao processamento dos filtros, novas formas de armazenamento, dentre outras. Outros trabalho futuro interessante é a integração do JiTVPSI Studio a plataforma JiTV. 5.4 Considerações Finais Este trabalho contribui para a área de TVDI no Brasil e para a plataforma JiTV desenvolvida no TVDILab na PUC Minas Campus Poços de Caldas. Através dos softwares PSI desenvolvidos, a plataforma JiTV agrega a funcionalidade de tratamento de informações resultantes da interação do usuário com um programa interativo, possibilitando a geração de resultados de pesquisas, votações, eleições, dentre outros.
    • 45 A plataforma JiTV vem evoluindo constantemente, e com este trabalho integrado, possibilita a plataforma fechar o ciclo de um sistema de TVDI composto por emissora, transmissão, telespectador e canal de retorno.
    • 46 6. Referências Bibliográficas [1] FERNANDES, J.; LEMOS, G.; SILVEIRA, G. Introdução à Televisão Digital Interativa: Arquitetura, Protocolos, Padrões e Práticas. Jornada de Atualização em Informática do Congresso da Sociedade Brasileira de Computação – Salvador – BA, Agosto 2004. [2] LEITE, L. E. C. BATISTA, C. E. C. F. SOUZA FILHO, G. L.; KULESZA, R.; ALVES, L. G. P.; BRESSAN, G.; RODRIGUES, R. F.; SOARES, L. F. G. – FlexTV – Uma Pr oposta de Arquitetura de Middleware para o Sistema Brasileiro de TV Digital. – Revista de Engenharia de Computação e Sistemas Digitais – PCS – EPUSP – 2005, pp 29 – 49. [3] Piccolo, L. S. G.: Arquitetura do Set-top Box para TV Digital Interativa - Instituto de Computação – Unicamp [4] Sun Microsystem. Internet. < http://java.sun.com/docs/books/tutorial/getStarted/index.html > - Acessado em 12 de Outubro de 2008. [5] SANTOS JUNIOR, J. B.; ABRÃO, I.C.; LIMA, A.N.B.; ÁVILA, P. M.: JiTV – Uma Plataforma para Prototipação de Programas de Televisão Digital Interativa:Produção, Distribuição, Formatação, Apresentação e Interatividade. In:XIII Simpósio Brasileiro de Sistemas Multimídia e Web, 2007, Gramado - RS.Anais do WebMedia2007. WTA - Workshop on Tools and Applications. 2007. v1. [6] Apache Software Foundation < http://commons.apache.org/email/userguide.html > - Acessado em 08 de Outubro de 2008. [7] Prado, G. M. & SANTOS JR., J. B. DOS: Uma Proposta de Arquitetura de Software para um Provedor de Serviços Interativos em Televisão Digital. Anais de Resumos do 16º Seminário de Iniciação Científica da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – PUC Minas. Belo Horizonte. Outubro de 2008.
    • 47 [8] Santos Jr., J. B. dos; Abrão, I.C.; Barrere, E; Avila, P.M.; Massote, G.; Santos, M.: A Platform for Difusion Interactive Multimedia Content: An Approach Focused on IPTV System and Broadcasting Digital Television System. EATIS 2008 - Euro American Conference on Telematics and Information Systems. Aracaju-SE. Brasil, September-2008. [9] SANTOS JUNIOR, J. B.; ABRÃO, I. C.; Lima, A, N. B.; Loiola, M. A.; Ávila, P. M.; Marques, H. N.; Kuehne, B. T.: Prototyping Interactive Digital Television Programs Using Java and XML: A Platform for Developers and Viewers. In: EuroITV2007. Amsterdam, The Netherlands. Proceedings of EuroITV, 2007. [10] Santos Jr., J. B. dos; Abrão, I.C.; Barrere, E; Avila, P.M.: Interactive Digital Television Programs: Formatting, Presentation and Interaction with the Viewer. European Interactive TV Conference - EuroITV2008. Salzburg. Austria, July-2008.