Projeto Bolsa Alfabetização    Gabriele Agostini Martins             2012
Projeto de Iniciação Científica:Leitura e Escrita na perspectiva escolar atual:Uma vivência no Projeto Bolsa Alfabetização
ResumoEste trabalho tem como objetivo verificar como étratada a alfabetização nos anos iniciais deescolarização, bem como ...
Caracterização da Escola Pesquisada           Escola Estadual Joaquim NabucoA escola localiza-se na ZonaNorte      de     ...
Caracterização Geral da PesquisaA classe observada foi o 2º ano B, do período da manhã de2012, composta por 34 alunos matr...
Hipóteses de Leitura e Escrita - 2º B                             08/02/12 09/04/12 01/06/12 12/09/12 Pré-Silábico        ...
Dados ColetadosA professora seleciona dos diferentes livros didáticos,atividades variadas e mistura os métodos, desde ativ...
Dificuldades encontradasA classe é muito heterogênea, apresenta problemas  de indisciplina constante, o que dificulta o  t...
Intervenções da ProfessoraComo os alunos chegaram quase todos pré-silábicos, aprofessora acabou trabalhando de forma mais ...
Exemplos de Atividades
Dia do Índio
Uso de letras móveis
Recorte de panfletos de supermercados e escrita            dos nomes dos produtos
Coletânea de atividades do Ler e Escrever
Lição de casa:Escrever uma história sobre a vaca
Carta para o Papai Noel
Resultados da PesquisaMesmo com todas as dificuldades encontradas, com omodo de trabalho tradicional da professora regente...
A escola precisa criar um ambiente alfabetizador de fato e proporsituações de práticas sociais de uso das escritas para qu...
Depoimentos da equipe gestora sobre o              Aluno PesquisadorSegundo a direção, “a cada ano que passa as pesquisado...
Considerações finais:          Por que participar do projeto?Participar do Projeto Bolsa Alfabetização possibilitou-mecres...
BibliografiaFERREIRO, Emília. Reflexões sobre alfabetização. Coleção Questões daNossa Época – Volume 14. São Paulo. Editor...
LER E ESCREVER: Guia de Planejamento e Orientações Didáticas;Professor Alfabetizador – 2º ano (1ª série) – Volume 1. São P...
RODRIGUES, Almir Sandro, SILVA, Ana Tereza Reis da, PARIZ, JosianeDomingas Bertoja e Triches, Natalina. Teorias da Aprendi...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Apresentação no II Seminário de Investigação Didática do Projeto Bolsa Alfabetização - UNINOVE

1,030
-1

Published on

Apresentação de slides sobre minha pesquisa científica vinculada ao Projeto Bolsa Alfabetização, apresentado no II Seminário de Investigação Didática do Projeto Bolsa Alfabetização, em 01 de dezembro de 2012.

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,030
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • uninove
  • Apresentação no II Seminário de Investigação Didática do Projeto Bolsa Alfabetização - UNINOVE

    1. 1. Projeto Bolsa Alfabetização Gabriele Agostini Martins 2012
    2. 2. Projeto de Iniciação Científica:Leitura e Escrita na perspectiva escolar atual:Uma vivência no Projeto Bolsa Alfabetização
    3. 3. ResumoEste trabalho tem como objetivo verificar como étratada a alfabetização nos anos iniciais deescolarização, bem como identificar algumassituações didáticas eficazes para o aprendizado dosalunos. Para o estudo da rotina de leitura e escrita noâmbito escolar, além da pesquisa bibliográfica, foirealizada uma pesquisa de campo qualitativa em umaEscola Estadual de Ensino Fundamental do Estado deSão Paulo, ligada ao projeto Bolsa Alfabetização.
    4. 4. Caracterização da Escola Pesquisada Escola Estadual Joaquim NabucoA escola localiza-se na ZonaNorte de São Paulo,pertencendo à Diretoria deEnsino Centro. Atende alunos do1º ao 5º ano do EnsinoFundamental, totalizando 660alunos, 57 professores e 4 alunaspesquisadoras.
    5. 5. Caracterização Geral da PesquisaA classe observada foi o 2º ano B, do período da manhã de2012, composta por 34 alunos matriculados com 8 anos deidade e 2 alunos com NEE (Deficiências Múltiplas eSíndrome de Down) com 10 anos de idade. Cerca de 10alunos da turma apresentam dificuldades com relação àleitura e escrita e a indisciplina é constante, talvez devido àfalta de planejamento prévio da professora.
    6. 6. Hipóteses de Leitura e Escrita - 2º B 08/02/12 09/04/12 01/06/12 12/09/12 Pré-Silábico 26 10 5 3 Silábico sem valor sonoro 4 4 4 1 Silábico com valor sonoro 1 16 2 3 Silábico alfabético 0 2 13 2 Alfabético 0 0 8 19
    7. 7. Dados ColetadosA professora seleciona dos diferentes livros didáticos,atividades variadas e mistura os métodos, desde atividades decartilhas antigas, que priorizam as sílabas, como tambématividades que envolvem cantigas, parlendas, bilhetes e opróprio estudo da língua (gramática), porém, ao invés detrabalhar com os livros dos alunos, passa atividades na lousa,para que eles realizem a cópia. Para que tenha algumautilidade didática, a cópia tem de ser ressignificada pelosprofessores, não pode apenas cumprir o papel de encher ocaderno do aluno ou ocupar o tempo deles. A cópia tem deter um significado para ser produtivo.
    8. 8. Dificuldades encontradasA classe é muito heterogênea, apresenta problemas de indisciplina constante, o que dificulta o trabalho em sala de aula.Os alunos chegaram sem conhecimentos nenhum sobre a língua escrita no 2º ano, o que fez com que a professora mudasse o foco para conseguir alfabetizá-los antes de dar os temas propostos para o 2º ano.
    9. 9. Intervenções da ProfessoraComo os alunos chegaram quase todos pré-silábicos, aprofessora acabou trabalhando de forma mais tradicional comeles, para garantir a alfabetização da turma, porém, pecou nasintervenções. Em poucos momentos ela fez trabalhos emgrupos/duplas, e quando questionada, não intervia de modo afazer o aluno pensar, refletir, acabava dando a resposta.Os momentos de leitura também não foram significativos, nãohavia leitura diária e sabemos que o professor é o modelo a serseguido para o aluno adquirir as competências leitoras eescritoras.
    10. 10. Exemplos de Atividades
    11. 11. Dia do Índio
    12. 12. Uso de letras móveis
    13. 13. Recorte de panfletos de supermercados e escrita dos nomes dos produtos
    14. 14. Coletânea de atividades do Ler e Escrever
    15. 15. Lição de casa:Escrever uma história sobre a vaca
    16. 16. Carta para o Papai Noel
    17. 17. Resultados da PesquisaMesmo com todas as dificuldades encontradas, com omodo de trabalho tradicional da professora regente, aclasse avançou de forma muito significativa.Porém, o que fica evidenciado é que a alfabetização ainda étratada como antigamente: cópia e memorização.Desta forma, o aluno está sendo alfabetizado apenas paracontinuar na escola e dar sequência aos ciclos escolares enão para desenvolver as competência leitora e escritorapara usar socialmente.
    18. 18. A escola precisa criar um ambiente alfabetizador de fato e proporsituações de práticas sociais de uso das escritas para que aaprendizagem tenha sentido. Ensinar os diferentes gêneros comocartas, bilhetes, receitas, contos e até mesmo o e-mail, que sãoobjetos comuns da cultura escrita, é a forma mais fácil de colocar oaluno em contato com o que é realmente escrever. Neste momento,os alunos têm a oportunidade de mostrar o que aprenderam, quandopodem dialogar com a realidade.Segundo Ferreiro (2009, p.39): “As crianças – todas as crianças,garanto – estão dispostas para a aventura da aprendizageminteligente.” Se o professor souber conduzir a aprendizagem e intervirde forma a acrescentar conhecimentos úteis aos alunos, todos elesserão capazes de participar da cultura letrada, cultura esta que desdea Educação Infantil já deve ser facilitada para as crianças.
    19. 19. Depoimentos da equipe gestora sobre o Aluno PesquisadorSegundo a direção, “a cada ano que passa as pesquisadorasficam melhores, cada vez mais participativas e envolvidascom o trabalho na sala de aula”. A coordenadora e aprofessora regente da sala pesquisada concordam: “foi omelhor projeto que o governo ‘inventou’, pois além daexperiência que a pesquisadora ganha, a sala de aula fluimelhor com a presença de duas pessoas dando suporte aosalunos”.
    20. 20. Considerações finais: Por que participar do projeto?Participar do Projeto Bolsa Alfabetização possibilitou-mecrescimento como profissional, pois pude observar asdificuldades e os sucessos anônimos que acontecem dentroda sala de aula. Acompanhar o avanço dos alunos durante umano letivo é muito prazeroso, principalmente quando vocêcontribui para isso. É uma experiência única, que todos osestudantes de licenciaturas, em geral, deveriam passar, poiscom certeza, as práticas docentes melhorariam em grandeescala e os alunos aprenderiam muito mais.
    21. 21. BibliografiaFERREIRO, Emília. Reflexões sobre alfabetização. Coleção Questões daNossa Época – Volume 14. São Paulo. Editora Cortez, 2001.FERREIRO, Emília. Passado e presente dos verbos ler e escrever. ColeçãoQuestões da Nossa Época – Volume 95. São Paulo. Editora Cortez, 2009.GARCIA, Marisa. Programa Bolsa Alfabetização. FDE – disponível emhttp://lereescrever.fde.sp.gov.br/SysPublic/InternaBolsaAlfabetizacao.aspx?alkfjlklkjaslkA=270&manudjsns=1&tpMat=0&FiltroDeNoticias=3
    22. 22. LER E ESCREVER: Guia de Planejamento e Orientações Didáticas;Professor Alfabetizador – 2º ano (1ª série) – Volume 1. São Paulo. FDE.2010.LERNER, Delia. Ler e Escrever na Escola: O real, o possível e o necessário.Porto Alegre. Editora Artmed, 2002.LERNER, Delia. La investigación didáctica en el marco de la formacióndocente inicial – Palestra proferida na FDE em 28/09/2012.ORIENTAÇÕES CURRICULARES DO ESTADO DE SÃO PAULO: LínguaPortuguesa e Matemática – ciclo I. Secretaria da Educação. São Paulo.FDE. 2008
    23. 23. RODRIGUES, Almir Sandro, SILVA, Ana Tereza Reis da, PARIZ, JosianeDomingas Bertoja e Triches, Natalina. Teorias da Aprendizagem. Curitiba.Editora IESDE BRASIL S/A, 2005.WEISZ, Telma. Alfabetizar no contexto da cultura escrita. Revista NovaEscola. Edição 251 página 35. Disponível emhttp://revistaescola.abril.com.br/fundamental-1/telma-weisz-fala-alfabetizacao-escolas-publicas-ultimas-decadas-683815.shtml

    ×