C:\Fakepath\Ocidente Na Alta Idade MéDia

1,619 views

Published on

O Ocidente na Idade Média

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,619
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
38
Actions
Shares
0
Downloads
58
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

C:\Fakepath\Ocidente Na Alta Idade MéDia

  1. 2. No séc. VI o território que tinha pertencido ao Império Romano do Ocidente estava dividido em vários reinos bárbaros, dos quais se destacam o Reino dos Visigodos, Reino dos Francos e dos Suevos.
  2. 4. O Império Bizantino - Império Romano do Oriente no século VI consegue neste período reconquistar alguns territórios do Império Romano do Ocidente, entre os quais, o Reino Ostrogodo e o Reino Vândalo.
  3. 6. Nascimento do Islamismo: a Hégira consiste na “fuga” do profeta Maomé de Meca para Medina. Essa fuga deve-se ao facto das ideias monoteístas desse profeta terem gerado grande oposição na cidade de Meca. Anos mais tarde Maomé iria reconquistar a cidade de Meca e fazer dela a capital do seu Império religioso. Considera-se a contagem do tempo para o Islão a partir da data da Hégira.
  4. 7. Entre o século VII e X surgiu uma nova religião, a religião Islâmica que a partir de 622 une variados povos numa conquista progressiva de territórios que vão desde a Península Arábica à Pérsia, todo o Norte de África e Península Ibérica. Os Islâmicos só foram travados nos Pirenéus pelo príncipe Franco Carlos Martel, o que faria com que a civilização islâmica ficasse confinada, na Europa à Península Ibérica.
  5. 9. A expansão islâmica no séc. VIII já abrangia um enorme território a sul do Mediterrâneo e que ia desde a Península Ibérica (conquistada em 711) até a Índia (com parte do território conquistado em 711).
  6. 11. Surgiu no séc. IX entre 800 e 843 o primeiro império cristão criado depois da queda do Império Romano do ocidente. O Rei Franco Carlos Magno foi coroado imperador pelo Papa, no Natal de 800. O Império Carolíngio só durou durante a vida de Carlos Magno. Foi muito importante como referência política para os séculos que se seguiram.
  7. 13. Em 843 o Império Carolíngio foi dividido em 3 reinos e a partir dessa época esses mesmos reinos deixaram de ter força política porque quem governava eram os senhores feudais. A Europa cristã vivia uma época de regressão demográfica, com predomínio das actividades rurais, as cidades perderam importância e as populações viviam numa situação de isolamento.
  8. 15. No séc. X a Europa vivia uma situação difícil: a norte atacavam os Vikings a sul os Islâmicos e a leste os Húngaros e os Avaros. A situação das populações era de uma insegurança constante. Só a Igreja (através dos mosteiros e dos bispados) e a nobreza (exércitos privados) é que podiam garantir a segurança das populações.
  9. 17. 7 séculos passados sobre a queda do Império Romano do Ocidente, a Europa mantêm-se uma religião politicamente instável, com fronteiras mal demarcadas e sujeitas a constantes flutuações. A instituição politica mais importante era o Santo Império Romano Germano que no entanto não era um território unificado: o Imperador tinha apenas o titulo e muito pouco poder.
  10. 19. Vemos que as cruzadas, este fenómeno militar e religioso, tinha como principal objectivo a conquista da “Terra Santa” – Palestina. Eram as cruzadas do Oriente. No entanto, também a Península Ibérica era um local de Cruzada: eram as Cruzadas do Ocidente. O nascimento de Portugal está relacionado com as cruzadas do Ocidente.
  11. 20. A partir do século XI o Ocidente Cristão reagiu e iniciou um movimento de expansão militar e económica contra dois territórios dominados pelos Islâmicos e que os Europeus reivindicavam como seus: a Ocidente a Península Ibérica e a Oriente a Palestina. São as Cruzadas do Ocidente e do Oriente (séc. XI a XIV).

×