Your SlideShare is downloading. ×
0
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
18 jeremias e lamentações
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

18 jeremias e lamentações

2,603

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,603
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
198
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. 1 JEREMIAS E LAMENTAÇOES ESCOLA BÍBLICA VIRTUAL CLASSE: A BÍBLIA EM UM ANO PROFº: FRANCISCO TUDELA PIBPENHA -SP A Bíblia toda em um ano Volume 2 - Estudo 6
  • 2. 2
  • 3. 3 Enquanto os sacerdotes levavam a Deus as necessidades e pecados do povo por meio de ritos cerimoniais, os profetas levavam ao povo a vontade e, muitas vezes, a indignação de Deus por conta de sua apostasia.
  • 4. 4 O QUE É SER PROFETA NO VT  É aquele que faz a leitura dos sinais de Deus;  Os profetas viram os eventos históricos e os interpretaram como sendo a ação de Deus.  É aquele que anuncia; (assim diz o Senhor)  É aquele que denunciava os falsos profetas que legitimavam o desmando dos reis e governantes em nome de Deus.  Profetizaram (assim diz o Senhor) até João Batista. Lc 16.16 e Jr 31.31-34
  • 5. 5 O QUE É SER PROFETA NO NT Cremos que Deus existe e que se revelou. ver Hb 1.1-2.  A questão que se levanta é a seguinte:  Pode um ser que se comunica, o homem, ter sido criado por um Ser que não se comunica, Deus?  Um homem que se comunica (sinal de superioridade) não pode ter sido criado por alguém que não se comunica (sinal de inferioridade).  Como Deus se revelou: na natureza (Sl 19.1 e Rm 1.20), na história (nos atos redentores a favor de Israel), pelos profetas e, por fim, em Jesus Cristo.  Cremos que Deus se comunica, que falou suas verdades ao homem através de outros homens, e que estas verdades nos foram legadas na Bíblia.
  • 6. 6  Na Bíblia está a comunicação que Deus fez de si mesmo aos homens e é nosso referencial espiritual.  A Bíblia encerra toda a revelação de Deus.  Não quer dizer que Deus não se comunica mais.  Deus se comunica conosco através do Espírito Santo agindo em nossa consciência e quando oramos.  No NT, profeta é aquele que faz a leitura do evangelho, àqueles que não o conhecem, com auxílio do ES.  Paulo cita a profecia como um dom.  Um profeta, Ágabo, é citado em At 11.27.  João cita a vinda de 3 profetas Ap 11.1-14.
  • 7. 7 Há pregadores que dizem ter revelações especiais de Deus, e usam a Bíblia para justificar essa posição que dão a si mesmos, tal como os falsos profetas denunciados por Jeremias.
  • 8. 8 BIOGRAFIA DE JEREMIAS  Filho de Hilquias sacerdote no período da reforma do rei Josias e bisavô de Esdras, descendente de Abiatar chefe dos Levitas no templo de Jerusalém, na época de Davi, e foi desterrado para Anatote por Salomão (1Rs 2,26-27).  Jeremias tinha boa condição financeira que possibilitou a compra da fazenda penhorada de um parente falido.  Resistiu ao chamado alegando não saber expressar-se devido à sua pouca idade – 20 anos (1.6).  Não casou: Deus lhe mostrara que não faria sentido ter uma família num lugar dominado pelos Babilônios (16.2).  Jeremias é um dos nove personagens chamados Jeremias encontrados no AT.  Nome de significado incerto, aparece 158 vezes na Bíblia.
  • 9. 9 Nasceu no ano 648 a.C., na cidade Benjamita de Anatote, a 5 Km de Jerusalém. Jeremias nasceu no ano que nasceu Daniel
  • 10. 10 BIOGRAFIA DE JEREMIAS  Durante 40 anos (627-586 a.C.) foi profeta na capital de Judá, Jerusalém, e por 5 anos no Egito (Jr 43-44).  Chamado de Profeta chorão, por sentir profundamente o peso do julgamento que Deus enviava sobre os pecados do povo. Vocacionado profeta desde o ventre materno (1.5). O sacerdócio era hereditário, e em 626 a.C., com 20 anos, iniciou o seu ministério (1.9).
  • 11. 11 A mensagem de Jeremias  No princípio conclama ao arrependimento sincero, pois com o retorno para Deus o juízo seria cancelado.  Quando o rolo da mensagem de Deus foi queimado pelo rei Jeoaquim (cap 36), declara que o juízo é inevitável e o melhor seria render-se aos Babilônios.  Após a queda de Jerusalém animou o povo aflito, pois Deus tinha o propósito de restaurá-los (31.31-34).  A aliança do Sinai fora quebrada e em breve haveria nova aliança.
  • 12. DESTRUIÇÃODESTRUIÇÃO DE JERUSALÉMDE JERUSALÉM E QUEDA DEE QUEDA DE JUDÁJUDÁ DESTRUIÇÃODESTRUIÇÃO DE JERUSALÉMDE JERUSALÉM E QUEDA DEE QUEDA DE JUDÁJUDÁ LIVRO DE JEREMIAS LIVRO DE LAMENTAÇÕES ADVERTÊNCIA PRANTO
  • 13. 13 O PROFETA REJEITADO (a) Por seus vizinhos, 11.21. (b) Por sua própria família, 12.6. (c) Pelos sacerdotes e profetas, 20.1-2. (d) Por seus amigos, 20.10. (e) Por todo o povo, 26.8. (f) Pelo rei, 36.26
  • 14. 14 O PROFETA IMPOPULAR  Foi desprezado e perseguido por suas profecias contra a monarquia, os falsos profetas, os sacerdotes e contra os injustos.  Foi acusado de traição por ordenar, a mando de Deus, que Judá se rendesse aos babilônicos.  Apoiou a reforma do rei Josias, que destruiu os santuários regionais e centralizou as atividades cultuais em Jerusalém, prejudicando os interesses de sua família de sacerdotes.
  • 15. 15 A ORDEM CRONOLÓGICA  Os fatos não estão em ordem cronológica.  Os capítulos 35 e 36, por exemplo, são anteriores ao tempo do capítulo 31.  O formato primitivo dos escritos era um rolo, e é provável que Jeremias, depois de ditar uma mensagem à Baruque, se lembrassem de outra que havia sido dada por Deus antes daquela já registrada.  Assim, uma nova mensagem era acrescentada à anterior.  Essa mistura de mensagens novas e antigas torna difícil saber qual a sequência certa.
  • 16. 16 ESTILO LITERÁRIO Há quatro tipos de texto no livro de Jeremias:  Mensagens de Deus (oráculos) em forma de poesia, como Jr 4.5-6.30  Relatos autobiográficos, como Jr 1.4-19  Relatos biográficos, como Jr 26.1-24  Discursos em prosa, como Jr 7.1-8.
  • 17. 17 OS 5 ÚLTIMOS REINADOS DE JUDÁ Jeremias iniciou seu ministério profético no reinado de Josias, mas seu ofício perpassou o reinado dos últimos cinco reis de Judá, durou 40 anos (1.1-3). 1 JOSIAS 640-609 2 JEOACAZ 609 3 JEOAQUIM 609-597 5 ZEDEQUIAS 597-587 4 JOAQUIM 597 Jeremias profetizou um século após Isaías; seus contemporâneos foram: Sofonias e Habacuque (no começo) e Daniel (no fim).
  • 18. 18 Contexto histórico  Jeremias viveu numa época que tinha como pano de fundo a disputa por um vasto território conhecido como Crescente Fértil, que vai do Egito à Mesopotâmia.  Enfrentavam-se pelo controle dessa região três grandes potências: Egito, Assíria e Babilônia.  Em 671, 23 anos antes do seu nascimento, a Assíria conquistara o Egito.  Enquanto isso, a Babilônia, a mais nova potência emergente, reunia forças para impor sua hegemonia sobre a região.  Em 612 Nínive, capital da Assíria caiu nas mãos dos babilônios. Jeremias morreu no ano 580 aC.
  • 19. 19
  • 20. 20 Contexto histórico  No meio dessa disputa estava Judá, que se encontrava dividida em relação a quem deveria apoiar.  Um partido apoiava o Egito, outro a Assíria e outro a Babilônia.  Jeremias, um levita do interior recebeu a incumbência de Deus para desempenhar uma missão nada popular:  Conclamar todo Judá a render-se ao império babilônico como uma disciplina ordenada pelo Senhor
  • 21. 21
  • 22. 22 Contexto religioso Israel violava a lei praticando a idolatria, desrespeitando o dia do sábado e não libertavam os escravos no Ano do Jubileu. Os alvos de Jeremias eram os sacerdotes, governantes, profetas e todos aqueles que seguiam o legalismo do "proceder popular“.
  • 23. 23 SINOPSE  Jr 1- 45: A vida de Jeremias e as mensagens ao povo.  Jr 2.1 ao 3.10: A infidelidade do povo de Deus.  Jr 3.11 ao 4.4: “Volte, ó Israel”  Jr 4.5-31: Desastre iminente  Jr 5: Corrupção nacional  Jr 6: Deus entrega seu povo ao inimigo.6.30  Jr 7.1 ao 8.3: Jeremias no Templo (nasce Ezequiel)  Jr 8 ao 11.17:A aliança violada  Jr 11.18 ao 12.17: Plano para matar Jeremias
  • 24. 24  Jr 13: Parábola encenada – a peça de roupa (cinto ou calção) que Jeremias esconde para apodrecer, como Jerusalém.(época Joaquim)  Jr 14.1 ao 15.9: A mais longa e grave seca.  Jr 15.10 ao 16: Jeremias se queixa e Deus o consola e orienta.  Jr 17: O ponteiro de gravar pedras e o pecado no coração.  Jr 18: Deus remodela o povo como o oleiro e o barro  Jr 19.1 ao 20.6: Jeremias é preso ao tronco (19.11)  Jr 20.7-18: “Maldito o dia em que eu nasci”
  • 25. 25  Jr 21: Zedequias pede um milagre  Jr 22: Advertência a Jeoaquim (sepultado como jumento -22.19)  Jr 23: Repreensão aos falsos profetas (10 a 14).  Jr 24: Dois cestos de figos: os de Judá e os exilados.  Jr 25: Invasão iminente (por 23 anos Jeremias a anunciara) e exílio por 70 anos.  Jr 26: Jeremias ameaçado de morte  Jr. 27 ao 28: Rebelião ou submissão? Jeremias anda com uma canga no pescoço como sinal de submissão à Babilônia.
  • 26. 26  Jr 29: Carta aos exilados  Jr 30 ao 31: Promessa de nova aliança.  Jr 32 ao 33: Jeremias, preso, compra um campo. A alegria e a prosperidade retornariam.  Jr 34: Senhores enganam escravos (Zedequias e Dt 15.12-18)  Jr 35 e 36 (volta 10 anos atrás): os Recabitas, Jeoaquim queima o rolo.  Jr 37 ao 38: Jeremias é preso. Zedequias é espancado e preso numa cela subterrânea, no pátio do palácio é alimentado com pão (37.21), colocado num poço e dele resgatado (38.8-13)
  • 27. 27  Jr 39.1 ao 40.6: Jerusalém é tomada  Jr 4.7 ao 41.18: O governador é assassinado  Jr 42.1 ao 43.7: Fuga para o Egito  Jr 43.8 ao 44.30: Um apelo vindo do Egito  Jr 45: Baruque (cap relacionado com o 36)  Jr 46 ao 51: Profecias contra as nações. 51.11 profetisa a tomada da Babilônia pelos Medos através de Ciro no ano 539 aC.  Jr 52: Pós-escrito histórico – completa o cap 39, semelhante a 2 Rs 25. Jeremias termina em 51.64
  • 28. 28 Lamentações de Jeremias (recitado pelos judeus no muro das lamentações)
  • 29. 29  Autor: O Livro de Lamentações não identifica explicitamente o seu autor.  Segundo a tradição o profeta Jeremias o escreveu.  O autor foi testemunha dos babilônios destruindo Jerusalém. (2 Cr 35.25; 36.21-22).  Quando foi escrito: 586 e 575 AC, durante ou logo após a queda de Jerusalém.  Propósito: Como resultado da idolatria contínua e sem arrependimento de Judá, Deus permitiu que os babilônios assediassem, saqueassem, queimassem e destruíssem a cidade de Jerusalém.  O Templo de Salomão, que tinha existido por 400 anos, foi totalmente queimado.
  • 30. 30 Estrutura Literária São 5 cantos fúnebres , chamados de “Pentateuco da dor”. Descrevem, de modo doloroso e poético, a destruição de Jerusalém pelos babilônicos em 586 AC, e os acontecimentos que se sucederam a essa catástrofe nacional
  • 31. 31 Estrutura Literária •Os poemas foram escritos de forma simétrica, formando cada capítulo com 22 versículos , de acordo com as letras do alfabeto hebraico; • A exceção é o capítulo 3, que é composto de 66 versículos: 3 versos para cada letra do alfabeto; • O capítulo 5 não forma acróstico, provavelmente para dar maior liberdade ao profeta de expressar-se à Deus em oração.
  • 32. 32 Contexto histórico  O livro de Lamentações, expressa a dor pela destruição da cidade: “Todo o esplendor fugiu da cidade de Sião. Seus líderes são como corças que não encontram pastagem; sem forças fugiram diante do perseguidor” (Lm 1.6).  O Salmo 137.1 também mostra a aflição que se abatia sobre o povo: “Junto aos rios da Babilônia nós nos sentamos e choramos com saudade de Sião”.
  • 33. 33 As condições de Jerusalém eram terríveis: fome, sede, matanças, incêndios, saques e exílio 2Rs 24-25. Durante o cerco de 2,5 anos doenças endêmicas e a morte era comuns (2Rs 25.1, Ez 5.12). A fome foi tão grave que alguns recorreram ao canibalismo, comendo os próprios filhos (Lm 2.20; 4.10; Ez 5.10). CENÁRIO DA TRAGÉDIA
  • 34. PF faz operação contra quadrilha que compartilha pornografia infantil na internet. Em Minas, são cumpridos 12 mandados de prisão, busca e apreensão Pedro Leopoldo, Carbonita, Itabira, Abaeté, Uberaba e Uberlândia, Itajubá, Ouro Fino. Luana Cruz Publicação: 28/06/2012 08:35 Atualização: 28/06/2012 13:43 34 De acordo com a polícia, também foram identificados outros crimes como estupro dos próprios filhos, seqüestros, assassinatos e atos de canibalismo. CANIBALISMO ENTRE OS CHINESES- Publicado em 13 de agosto de 2013 The Next Magazine, uma publicação semanal de Hong Kong, informou que os cadáveres infantis e fetos são os suplementos para a saúde e beleza na China. Não só a placenta é considerada um bem para a beleza, mas também fetos abortados são procurados como iguarias. Em Guangdong, partes do corpo podem ser comprados através de hospitais. http://santaterezinhahoje.wordpress.com/2013/08/13/canibalismo-entre-os-chineses/
  • 35. 35 Mesmo mantendo-se fiéis ao Senhor esse grupo sofreu juntamente com os demais que experimentaram o julgamento de Deus pelos seus pecados. Foi no meio desse sofrimento que este remanescente fiel pode dizer: "As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, pois as suas misericórdias não têm fim" Lm 3.22 . CENÁRIO DA TRAGÉDIA
  • 36. 36 A destruição da cidade de Jerusalém, vista por Jeremias. 589 a.C.
  • 37. 37 LAMENTAÇÕESLAMENTAÇÕES PARTE 4PARTE 2 PARTE 5PARTE 3 A derrota, humilhação, sofrimento e pecado de Jerusalém 1.1-11 Falando ao mundo sobre seu castigo 1.12-19 Uma oração por ajuda em grande aflição 1.20-22
  • 38. 38 PARTE 4 PARTE 5PARTE 3 LAMENTAÇÕESLAMENTAÇÕES PARTE 1 PARTE 2 Como o próprio Deus destruiu Israel 2.1-10 O sofrimento do profeta, exortação à oração 2.11-19 A oração angustiada de Judá 2.20-22
  • 39. 39 PARTE 4PARTE 2 PARTE 5 LAMENTAÇÕESLAMENTAÇÕES PARTE 1 A severidade do castigo e pensamentos de misericórdia 3.1-24 Submissão e humildade trazem misericórdia 3.35-39 O arrependimento deles chega tarde demais 3.40-47 O profeta e o povo confiam em Deus 3.48-66
  • 40. 40 LAMENTAÇÕESLAMENTAÇÕES PARTE 1 PARTE 2 PARTE 5PARTE 3 A devastação do povo e de seus líderes 4.1-11 A desobediência e seus resultados 4.12-20 Edom será castigado e Israel será ajudado 4.21,22
  • 41. 41 LAMENTAÇÕESLAMENTAÇÕES PARTE 1 PARTE 4PARTE 2 PARTE 3 Uma lembrança de seu estado lamentável 5.1-10 Ninguém está isento do sofrimento 5.11-14 Todo o orgulho e a alegria se foram 5.15-18 O apelo final desesperado 5.19-22
  • 42. 42 RESUMO  Jeremias entende que os babilônios foram o instrumento de Deus para trazer juízo sobre Jerusalém (Lm 1.12-15, 2.1-8, 4.11).  O pecado e a rebelião foram as causas da ira de Deus (Lm 1.8-9, 4.13, 5.16).  Após a angústia, a contrição e o arrependimento (Lm 3.40-42, 5.21-22).  Discorre a respeito da soberania, justiça, moralidade e julgamento de Deus e a esperança da benção futura.
  • 43. 43 CONCLUSÕES  Diferentemente de Jó, que lamenta sua condição pessoal, Jeremias trata do sofrimento nacional.  Demonstra as conseqüências do juízo de Deus pelo pecado (Lm. 1.18) e do sentimento de culpa por causa de desobediência (1.8; 2.14; 3.40).  Há esperança em meio ao caos, pois o Senhor preservará sua aliança com Israel (3.19-39).  A tribulação não será o fim, pois Deus prometeu restaurar o Seu povo (Lm. 3.25-30; Dt. 30; Rm. 11).
  • 44. 44  Jeremias morreu por volta de 580 aC, com 70 anos, exilado no Egito.  Uma tradição judaica diz que foi apedrejado até a morte por compatriotas que com ele fugiram para lá.  A alcunha de profeta chorão não lhe cabe bem.  Um profeta que anunciou desgraças ao seu próprio povo mesmo quando preso a um tronco ou numa cisterna cheia de lama merece um título mais justo.
  • 45. 45  Toda a Bíblia em um ano: Ester a Malaquias; Dusilek, Darci; 10ª Ed. Rio de Janeiro; Ed. Horizonal, 2011  A História de Israel no A T; Schltz Samuel J.; Ed. Sociedade Religiosa Edições Vida Nova; 1977  Bíblia De Estudo NVI, Barker; São Paulo; Ed. Vida; 2003  Manual Bíblico SBB; trad. Noronha, Lailah; São Paulo; Ed. Sociedade Bíblica do Brasil; 2008  Textos Bíblicos extraídos: Bíblia Sagrada Nova Versão Internacional; São Paulo; Ed. Vida; 2001  BRUCCE, F. F. Comentário Bíblico NVI. São Paulo, Ed. Vida, 1ª edição, 2008  http://www.ctadoradores.com.br/Mergulhando/  Reflexões extraídas: Páginas da World Wide Web  http://www.youtube.com/watch?v=szetiVfmJA(Filme Jeremias)  Programa ROTA 66 – Sayão, Luiz – Rádio transmundial 45
  • 46. 46
  • 47. 47 Situação sócio-política  Josias – filho de Amom  640 - 609 a.C. - 30 anos - Caps. 1-20  Jeremias nasceu durante a ditadura do rei Manassés, que foi sucedido por Amom, um ditador sanguinário.  Uma revolta popular matou Amom e o pequeno Josias, com apenas 8 anos assumiu o trono, obviamente auxiliado por tutores.  Quando o exército egípcio passava pelo território de Judá, em direção ao norte, para amparar a Assíria, Josias o intercepta em Megido e é morto.  Jeremias lamentou profundamente a morte de Josias e lhe compôs um cântico fúnebre (2 Cr 35.25).
  • 48. 48  Jeoacaz – tinha 23 anos, filho de Josias  609 a.C. 3 meses  Nada sabemos a respeito do relacionamento de Jeremias com esse rei. (Nada foi escrito em seu tempo).  Ao voltar da Assíria o faraó Neco depõe Jeoacaz e coloca Eliaquim no trono (609 a.C.), e muda seu nome para Jeoaquim.
  • 49. 49  Jeoaquim– tinha 25 anos, filho mais velho de Josias (1.3)  609-597 a.C.-11 anos - Caps. 12.7; 13.27; 21; 25; 27; 28; 33; 35; 36; 45  Reinou de 608 a 597 a.C. e foi um vassalo do poder egípcio.  No começo de seu governo Jeoaquim preocupa-se em construir um novo palácio, num momento de crise econômica, pois Judá era obrigado a pagar tributos ao Egito.  Jeremias e outro profeta, Urias, declaram o governo de Jeoaquim como ganancioso, assassino e violento, por não cumprir sua função real de exercer a justiça, o direito e proteger os mais fracos.  Denunciam a falsa segurança anunciada pelos profetas (a maioria dos profetas pronunciava profecias otimistas, de conquistas e independência).  O povo tinha confiança no Templo, quase superstição, Deus sempre protegeria Jerusalém, como em 701(2 Rs18-19 e Is 36-37)
  • 50. 50  Jeremias diz ao rei que quando morrer não merece ser sepultado, mas como um jumento deveria ser jogado para fora das muralhas de Jerusalém, porque, ao contrário de seu pai Josias, "não conhece o Senhor".  Jeoaquim ordena sua prisão.  Urias foge para o Egito, é capturado e morto. (26.20-23)  Jeremias é protegido pela família de Safã (cap 26-24), uma família de escribas que o apoiaria nos anos seguintes.
  • 51. 51  No ano seguinte Jeremias envia Baruque para lê-las no Templo.  Nabucodonosor atacava a cidade filistéia de Ascalon, vizinha de Judá e Jeremias estava convencido de que através de Nabucodonoor Deus castigaria Judá (27.5-11).  Jeoaquim manda queimar o escrito e prender os dois, que se escondem e não são encontrados.  Posteriormente, Jeremias e Baruque o re-escrevem.  Baruque recebeu a promessa de escapar do massacre futuro e em 43.5-6 se cumpre No 4° ano do governo de Jeoaquim, 605 a.C Jeremias chama o escriba Baruque para registrar as profecias de julgamento contra a nação.(36.1-32).
  • 52. 52  Foi-lhe proibida a entrada no Templo, vai ao pátio do Templo e anuncia a destruição de Jerusalém,  É preso, surrado e colocado no tronco por uma noite, só não é morto porque alguém se lembrou do profeta Miquéias, que, um século antes, pregara destino parecido para o Templo nada sofrera.(Jr 26.18).  Neste período Nabucodonosor derrota o farão Neco em Carquemis, 605 a.C., subjuga a Síria, Judá e cidades dos Filisteus, e Jeoaquim se mostra fiel aos babilônios  Em 600 a.C. Egito e Babilônia travam uma batalha de desempate no sudoeste da Palestina, neste momento Jeoaquim se rebela contra a Babilônia.  Jeoaquim morre, provavelmente assassinado, seu filho Joaquim, com 18 anos, assume e 3 meses depois os babilônios tomam Jerusalém.
  • 53. 53  Joaquim e 10000 judeus (2 Rs 24.14), dentre eles Ezequiel são exilados para a Babilônia, foi libertado 36 anos depois pelo filho e sucessor de Nabucodonosor (2 Rs 25.27-30).  A deportação de Joaquim com a corte e a classe dirigente tinha o intuito de impedir qualquer possibilidade de revolta, e junto foram os utensílios do templo.  O primeiro aposentado da Bíblia. 52.33,34  No seu lugar, os babilônios deixaram seu tio, outro filho de Josias, de nome Matanias e mudam seu nome para Zedequias.
  • 54. 54  Zedequias – 21 anos, filho de Josias (1.3)  597-587 a.C. - 11 anos. - Caps. 24; 29; 37; 38; 51.59,60  Filho mais novo de Josias e foi o último rei de Judá.  Jeremias escreveu aos exilados (29.1-23) para desfazer as ilusões alimentadas por falsos profetas.  A falsa profecia de Hananias 32.1,2  A resposta de Jeremias 28.15 e 28.17  Quem prende Jeremias 37.13  Zedequias e Jeremias: viajavam juntos 51.59; pede que ore em “nosso favor” 37.3, confidencias 38.19.
  • 55. 55  Zedequias pagou altos tributos aos babilônicos e, quando deixou de pagá- los, firmou um acordo com o Egito.  Jeremias opõe-se, e afirma a rendição imediata (38.17); acusado de favorecer ao inimigo é espancado e preso por muito tempo numa cela subterrânea e depois transferido para o pátio do palácio e alimentado com pão (37.21)  Posteriormente é colocado num poço para morrer de fome (38.6)  É salvo pela intervenção de um oficial do palácio 38.13.
  • 56. 56  Em 587 Nabucodonosor sitia Jerusalém por (18 meses), o exército entra saqueia a cidade, a incendeia e derruba as muralhas (39.1-8).  Em Ribla (na Síria), manda executar os filhos de Zedequias diante dos seus olhos, e mata os nobres de Judá.(39.6)  Fura os olhos de Zedequias e o leva preso.  Ocorre a segunda deportação que durou 70 anos.  Em Judá ficou o povo lavrador da terra (39.10)  Jeremias recebeu a oferta de uma vida confortável na corte, preferiu ficar em Judá. (40.5 e 6).  Gedalias é o novo governador de Judá
  • 57. 57  Gedalias/exílio  586 – 580 a.C. – 6 anos – Caps 41, 42  Gedalias, filho de Aicam (41.2) que salvara Jeremias (26.24)  Três meses depois Ismael, da dinastia de Davi, assassina Gedalias 41.3  O povo foge para o Egito, temendo uma represália babilônica e leva Jeremias junto. (43.7).  No Egito, em Tafnes, cidade a leste do delta do Nilo, Jeremias, com 70 anos, repreende a idolatria que seus conterrâneos ali praticavam (44.17-19) (Rainha dos Céus = deusa da fertilidade Astarote).  Depois disso nada mais sabemos sobre Jeremias.
  • 58. 58 OS RELACIONAMENTO DE JEREMIAS  Como companheiros os recabitas, considerados excêntricos em Jerusalém: Ebede, Meleque e Baruque.  Viviam do lado de fora dos muros, isolados de todos.  Não bebiam vinho, não construíam casas, nem cultivavam.  Habitavam em tendas, como os patriarcas hebreus.  Deus ordena que Jeremias os convide a irem ao Templo.  “O Senhor dirigiu estas palavras a Jeremias: Vá à comunidade dos recabitas, convide-os a virem a uma das salas do templo do Senhor e ofereça-lhes vinho para beber”. (35.1,2).  Por que oferecer vinho aos recabitas.  Algo que eles certamente recusariam?  Que sentido havia em tentá-los?
  • 59. 59 OS RECABITAS  Ler 35. 5 a 10.  Ordens dadas por Jonadabe (2 Rs 10.15-23) há duzentos anos.  Os descendentes de Jonadabe não se desviaram delas.  Ler 35. 13 a 16 .  A questão não era a abstenção de vinho, nem o fato de habitarem em tendas.  A questão era a obediência às instruções de seu patriarca.
  • 60. Recapitulando o contexto Profetas antes do Exílio Profeta Ano Rei em Judá Rei em Israel Jonas 762 Uzias Jeroboão II Amós 750 Oséias 740 Uzias e Jotão Jeroboão II, Zacarias, Salum, Menaém Isaías 740 a 680 Uzias, Jotão, Acaz , Ezequias e Manassés Menaém, Pecas,Oséias (último rei).Miquéias 727 a 710 Joel Indefinido Jotão, Acaz, Ezequias Nenhum. O Reino do Norte foi tomado pelos assírios, o povo levado cativo. Outros povos foram trazidos para ocupar Israel, e com eles outros deuses. Obadias Indefinido Indefinido, talvez Manassés, Amom ou JosiasNaum Sofonias 630 a 625 Josias Habacuque ~ 607 Joacaz e Jeoaquim Jeremias e Lamentaçõ es 625 a 586 e 588 a.C Josias, Joacaz , Jeoaquim, Zedequias, e Joaquim. Queda de Jerusalém: 587 ou 586 Nenhum. Assíria sucumbira à Babilônia assim como o Egito

×