Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
A revolta dos legumes   6ºb
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

A revolta dos legumes 6ºb

  • 291 views
Published

 

Published in Travel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
291
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. A revolta dos legumes: a era dos biológicos 6ºB Era uma vez uma família de legumes, em que todos se davam bem uns com osoutros. Eram todos muito unidos. Na família existiam os seguintes legumes: a batata, o alho francês, a beringela, otomate, a cenoura, o pepino e a alface. Eram sete legumes, todos muito inteligentes. O pai era uma batata e chamava-se Rei Batatão; a sua esposa era uma beringelae chamava-se Colorida; o filho mais velho era um alho francês, chamado France; a irmãdo meio era uma alface e chamava-se Polónia e a irmã mais nova era um tomate echamava-se Vermelhinha. Tinham, ainda ,dois tios, o Lados e a Soluções, que eram umcasal de pepinos. Um dia, os seus donos esqueceram-se de regar os legumes e esta família quasemorreu de sede. Por milagre, começou a chover, uma chuva miudinha, era pouca, masmelhor do que nada. Nesse dia, eles juraram vingança. Uns amigos que estavam a fazer um trabalho em grupo, sobre os legumes, para adisciplina de Ciências da Natureza, viram que eles estavam com sede e deram-lheságua. Os legumes ficaram muito agradecidos e conseguiram ouvir que eles estavamcom dificuldades em fazer o trabalho, por isso resolveram conversar com eles. Ao ouvi-los falar, uma menina perguntou: – Vocês falam? -Sim, – respondeu o Rei Batatão – é claro que nós falamos. Todos os legumesfalam! – Ainda bem… Então e podem ajudar-nos? – interrogou a menina. – Claro que sim! – afirmaram os legumes. Os legumes ajudaram-nos a fazer o trabalho, afinal eles também os tinhamajudado. Depois desse longo dia, foram todos para as suas casas. No dia seguinte, os amigos foram dar uma volta à praia e entraram numa gruta.De repente, a gruta fechou-se com pedras. Eles tentaram desviar as pedras, mas semsucesso. Continuaram a explorar a gruta, até que encontraram uma saída, mas antesdescobriram que aquela gruta tinha diamantes. Então, eles levaram alguns, mas prometeram que só os usariam em caso deemergência. Um dos meninos, o Afonso, teve uma ideia:
  • 2. – Já sei! E que tal se os utilizássemos para comprar sementes e semeássemosoutra família de legumes? – Boa ideia! – concordaram todos. No dia seguinte foram à loja do senhor Ambrósio para comprar as ditas sementes. O Afonso sugeriu que os plantassem na quinta do seu tio e todos concordaram. Passaram-se dias, semanas, meses… Finalmente os legumes, da nova família, nasceram. A família era constituída pelopai,o Sr. Broclini, pela mãe, a Sr. Couvina e pelos filhos, a Florbela, o Cenourinha e oNabinito. As duas famílias encontraram-se, conversaram e surgiu-lhes uma ideia queninguém tinha tido antes: – Já pensaram porque é que as crianças não gostam de legumes saudáveis,como nós? – questionou o Nabinito. – Por acaso, já tinha pensado nisso! – exclamou a Cenourinha. – Eu sei porquê, – disse o rei Batatão – é por causa das gomas, um inimigoaçucarado. Estamos em guerra desde há muito tempo… De repente, a Cenourinha exclamou: – Está na hora de uma revolta! – gritou ela – Acabou o tempo em que os legumeseram trocados pelas gomas. Vamos dar luta àqueles demónios cheios de açúcar! Viva aera dos biológicos! Quem está comigo? – Nós! – gritam todos, com entusiasmo. Assim, recomeçou a guerra entre legumes e gomas. A família das gomas tinha quatro elementos: o pai, chamado Gomanhão; a mãeque se chamava Gomanhona; a filha que era a Gominha e o filho, de nome GomaAçucarada. Esta família, também, era muito forte e preparou várias armas para abatalha. O rei Batatão disse para o Gomanhão: – Nós somos os melhores! Connosco podem preparar-se imensas coisas e somosmuito mais saudáveis do que vocês. Todos tinham os planos bem organizados. Os legumes prepararam-se, muito bem, para a batalha: – Temos que ser inteligentes para os derrotar. Metade, vai atacar pelo centro e aoutra metade, ataca pelas pontas do campo de batalha. Temos que destruir a casa ondeeles têm todas as suas armas. – afirmou o rei Batatão. Assim se iniciou a batalha. Eles deram tudo, por tudo.
  • 3. Os legumes estavam em vantagem, pois eram mais saudáveis. As gomas jáestavam cansadas e fracas. Os meninos, que estavam a assistir, gritavam pelas gomas. A batalha estava a terminar, mas de repente chegaram mais gomas e em boaforma. Todos os legumes pensaram em desistir, mas recarregaram forças e continuarama lutar. Esta luta parecia não ter fim, os legumes e as gomas lutavam cada vez, com maisintensidade e força, pela preferência das crianças. Quando todos se sentiram esgotados, pararam e disseram que tudo não passavade um mal entendido. Mas, a meio da noite, os legumes decidiram atacar as gomas. Abatalha durou até ao nascer do dia. – Estamos tão cansados! – reclamavam algumas gomas. – Temos tanta sede! – gritavam alguns dos legumes. Até que os legumes mais novos, que apenas estavam a assistir à batalha, tiverama ideia de ligar o sistema de rega. Assim os legumes, cheios de força, venceram as gomas e ficaram muitocontentes. Então, com esta vitória, as crianças passaram a consumir mais legumes. Por isso,as gomas juraram vingança. Passaram-se alguns dias e as gomas planearam uma tática para vencer oslegumes. Planearam encher os legumes de açúcar, para eles verem o quanto isso era bom.Atacaram. No entanto, os legumes venceram, mas disseram que nunca mais iriam lutar,porque o que as crianças podiam e deviam fazer, era comer mais legumes do quegomas. Claro que as gomas também se podiam comer, só que tinha que ser em menosquantidade. Assim foi. As gomas concordaram com os legumes e decidiram então fazer umpiquenique. Juntaram-se todos perto de uma árvore. Estava tudo a correr muito bem, até que um dos legumes viu que uma das gomasia começar a comer um chupa. – Não comas isso! – disse o legume – Tem muito conservantes e faz mal. – Então, não nos vamos zangar agora, quando finalmente somos amigos!respondeu a goma. – Não. Eu não me quero zangar. Estou apenas a avisar-te de que isso faz muitomal.
  • 4. – Não quero saber! – disse a goma. – Então come isso, depois vai-te doer a barriga. Mais tarde, não me venhas dizerque não te avisei! A goma comeu o chupa, sem preocupações. Mas acabou por ficar com dor debarriga. Teve que dar razão ao legume que a tinha avisado e durante a noite pediu-lheajuda. – Eu não te avisei? – questionou o legume. – Desculpa, devia ter-te dado razão. Ajuda-me por favor! – Vá, eu ajudo-te. Bebe muita água e come alguns legumes. Vais ver que issopassa. A goma agradeceu. Fez então o que o legume lhe sugeriu. A dor de barrigacomeçou a passar. No dia seguinte, foi ter com o legume para lhe agradecer. – Muito obrigada, se tu não me ajudasses, eu poderia estar muito mal. – disse agoma. – Eu sei, por isso é que te ajudei. – Bem, agora já sei que os legumes são melhores do que as gomas. Fazem bem!As crianças deviam gostar mais de legumes. – Infelizmente, não é assim…– admitiu a goma. As outras gomas ficaram admiradas com aquilo. Mas tiveram que concordar. Os legumes e as gomas, unidos, pediram às crianças comessem mais legumes emenos gomas e explicaram-lhes porquê. A partir desse dia, todas as crianças passaram a adorar os legumes e a comermais do que antes. Ficaram mais saudáveis. A revolta dos legumes, finalmente, deuresultado. FIM