As frutas após as refeições engordam?

FALSO

As frutas fornecem as mesmas calorias, independentemente se forem
ingeridas ...
Ao contrário do que por vezes se pensa, as gorduras não são
necessariamente nocivas para a saúde. Aliás, constituem uma
im...
Tudo o que é consumido em excesso faz engordar porque todos os alimentos
fornecem calorias, uns mais, outros menos. O únic...
Apesar de alguns chás terem princípios activos que podem
ajudar a alterar o metabolismo, já que algumas plantas possuem
pr...
http://www.iom.edu/Object.File/Master/21/372/0.pd
f
Este valor energético diário deve ser distribuído
pelas várias refeiçõ...
Mulher
(para 2000 Kcal)

Homem
(para 2500 Kcal)

Proteínas

50 a 75 g

63 a 94 g

Hidratos de Carbono

275 a 300 g

344 a ...
Classificação

IMC

Magreza

<18,5

“Normal” ou Recomendável

18,5 -24,9

Pré-obeso

25-29,9

Obeso Grau 1

30-34,9

Obeso...
As frutas após as refeições engordam
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

As frutas após as refeições engordam

1,254 views
1,021 views

Published on

Sobre alimentação

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,254
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
18
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

As frutas após as refeições engordam

  1. 1. As frutas após as refeições engordam? FALSO As frutas fornecem as mesmas calorias, independentemente se forem ingeridas antes ou depois das refeições. No entanto se ingeridas antes, como contêm fibra, contribuem para uma saciedade mais rápida e assim evitar o consumo de outros alimentos. A ordem em que se ingerem os alimentos não influencia o total de calorias diárias! FALSO A água bebida durante as refeições engorda? A água não fornece calorias, pois não tem macronutrientes (proteínas, gorduras e hidratos de carbono). Portanto a água não engorda mesmo que bebida antes, durante ou depois das refeições. No entanto se bebida antes das refeições pode provocar uma sensação de saciedade mais rápida e assim evitar o consumo de outros alimentos. Beba agua como e quando preferir. A hidratação é muito importante para uma boa saúde saúde. Os alimentos integrais não engordam? FALSO Os alimentos integrais fornecem mais fibra que os refinados, mas a composição nos restantes nutrientes é semelhante. O que significa que para o mesmo peso fornecem um valor calórico semelhante. O interessante da fibra é que melhora o trânsito intestinal, contribui para reduzir os níveis de açúcar (glicose) e colesterol do sangue e previne doenças como o cancro. É aconselhado incluir na dieta produtos integrais por estas razões, mas não como método de emagrecimento. FALSO O azeite não engorda? O azeite é igual ao resto das gorduras, fornece 9 Kcal por grama, tanto se consumido em cru ou cozinhado, pelo que se deve moderar o seu consumo. As gorduras são necessárias na alimentação, devendo contribuir com cerca de 30% das Kcal diárias. A gordura fornecida pelo azeite é considerada uma das mais saudáveis, estando associada à redução mau colesterol, mas o consumo exagerado só porque é saudável deve ser evitado. Para fritar posso utilizar qualquer gordura? (falta foto) FALSO O aquecimento das gorduras a altas temperaturas causa a sua deterioração. A manteiga e as margarinas de origem vegetal, sólidas ou pastosas, não devem ser utilizadas para fritar. Tenha os seguintes cuidados na fritura dos alimentos: - Utilize azeite ou os óleos mais resistentes ao calor (óleo de amendoim, óleo de soja). - Utilize de preferência fritadeiras eléctricas e não ultrapasse os 180° C. - Substitua o óleo frequentemente e filtre-o após cada utilização. - Não utilize os óleos quando tem espuma ou uma cor acastanhada. - Não coma fritos quando se desconhece as condições em que foi realizada a fritura. As gorduras são prejudiciais à saúde FALSO
  2. 2. Ao contrário do que por vezes se pensa, as gorduras não são necessariamente nocivas para a saúde. Aliás, constituem uma importante fonte de energia e são da maior importância para a renovação celular e para a sua integridade, uma vez que são componentes vitais das membranas celulares e ainda desempenham um papel essencial na absorção das vitaminas lipossolúveis. Para além disso, a gordura armazenada no organismo é imprescindível à regulação térmica e até à protecção mecânica dos vários órgãos. No entanto, existem gorduras mais e menos saudáveis. As gorduras monoinsaturadas e polinsaturadas, presentes no peixe, nas oleaginosas e nos óleos vegetais, como o azeite e os óleos de girassol e de milho, são benéficas para a saúde, já que ajudam a melhorar o funcionamento dos glóbulos brancos, a reduzir o mau colesterol e a prevenir doenças cardiovasculares e alguns tipos de cancro. FALSO Comer pão engorda O pão engorda apenas se for comido em exagero, tal como qualquer outro alimento. O pão é equilibrado, uma vez que fornece minerais (ferro e cálcio), vitaminas (complexo B) e, principalmente, hidratos de carbono, que são a nossa principal fonte de energia. É também uma excelente fonte de fibras, que ajudam a regular o organismo, já que facilitam o funcionamento intestinal e, graças à sua capacidade de absorção de água, promovem a saciedade. O pão é, sem dúvida, um alimento saudável e, por si só, não engorda. A carne vermelha faz mal à saúde. FALSO A carne vermelha (vaca, porco e carneiro) contém gordura saturada e colesterol. Porém, possui também nutrientes que são essenciais. É uma fonte muito importante de proteínas, que constituem a “matéria-prima” para a formação e renovação celular e são vitais para a defesa do organismo. E ainda fornece minerais, como o zinco e o ferro, essencial para evitar anemias, e vitaminas, em especial do complexo B, como a vitamina B12, indispensável ao bom funcionamento do nosso organismo. Para tornar a carne vermelha mais saudável, escolha pedaços magros e retire qualquer gordura extra antes de cozinhar. Os espinafres são a melhor fonte de ferro. FALSO O ferro presente na carne é absorvido com mais eficácia, sendo assimilado em cerca de 25%. Apesar disso, o ferro de origem vegetal também é importante do ponto de vista alimentar. A absorção do ferro ingerido aumenta se estiver presente na refeição uma fonte de vitamina C. Por isso, é aconselhável que se coma fruta, preferencialmente citrinos. A dieta mediterrânica é excessiva em gorduras. FALSO Vários estudos apontam que os povos mediterrânicos têm níveis de colesterol e uma taxa de doenças cardiovasculares e de cancro inferiores aos povos do norte da Europa. Ao contrário do que é comum pensar-se, a dieta mediterrânica é pobre em gorduras saturadas e rica em gorduras monoinsaturadas, que são saudáveis. Além disso, é uma alimentação à base de produtos frescos, que inclui mais cereais, legumes, frutas, leguminosas e oleaginosas que as outras dietas, sendo as principais fontes de proteínas o peixe, as aves, o queijo e o iogurte. Comer massas engorda. FALSO
  3. 3. Tudo o que é consumido em excesso faz engordar porque todos os alimentos fornecem calorias, uns mais, outros menos. O único isento de calorias é a água. Dela podemos abusar! A fama que as massas têm de serem altamente calóricas é injusta, elas são ricas em hidratos de carbono, mas têm baixo teor de gordura. Promovem a saciedade e são de fácil digestão. Por isso, são um alimento nutritivo e equilibrado e, se forem ingeridas nas proporções adequadas, não engordam. Os peixes gordos devem ser evitados. FALSO Todos os peixes são excelentes fontes de proteínas, vitaminas e minerais, como o fósforo e o iodo, e contêm um baixo teor de gordura saturada. Os peixes gordos (salmão, cavala, arenque, sardinha, peixe-espada, atum e truta) contêm ácidos gordos ómega 3, um tipo de gordura benéfica para a saúde, porque ajuda a reduzir o risco de doenças cardiovasculares, baixando a pressão sanguínea e os níveis de triglicéridos no sangue. Devido aos seus benefícios, devem ser consumidos pelo menos duas vezes por semana. Os mariscos fazem aumentar os níveis de colesterol. FALSO No passado, o marisco adquiriu uma má reputação por alguns tipos de marisco conterem níveis elevados de colesterol. Contudo, hoje sabemos que os níveis de colesterol no sangue estão relacionados com a ingestão de gorduras saturadas e não com o conteúdo dos alimentos. Visto que a maior parte dos mariscos é pobre em gorduras, não existe motivo para excluí-los da sua alimentação. O chocolate é nocivo para a saúde. FALSO O chocolate, tal como qualquer alimento rico em gordura, deve ser consumido com moderação. Em pequenas doses, é um alimento que, além de fazer bem ao espírito, já que contém substâncias que ajudam a descontrair e a melhorar a disposição, também faz bem ao corpo, uma vez que é uma boa fonte de magnésio e cálcio e tem propriedades antioxidantes e antiinflamatórias. Tomar chá emagrece. FALSO
  4. 4. Apesar de alguns chás terem princípios activos que podem ajudar a alterar o metabolismo, já que algumas plantas possuem propriedades diuréticas, laxantes, etc., para perder peso é necessário que a pessoa mude o seu comportamento em relação à alimentação e passe a praticar actividade física. Sozinho, chá nenhum faz emagrecer! Diet é sem açúcar. FALSO Este é um dos maiores mitos em relação aos alimentos dietéticos. O que caracteriza um produto diet não é a falta de açúcar, mas a eliminação de algum nutriente que pode ser açúcar mas também sódio, gordura ou proteína, por exemplo. Em geral, os produtos diet dirigem-se a públicos específicos, diabéticos e hipertensos, por exemplo. Light é sem gordura. FALSO Este é outro equívoco comum. Na verdade, os produtos light são aqueles cujo valor calórico ou conteúdo de algum nutriente (açúcar, gordura, sódio) é baixo ou reduzido em pelo menos 30% quando comparado com o produto na sua apresentação normal. Ou seja, assim como ocorre com os produtos diet, os nutrientes restringidos nos produtos light podem ser vários. Só que, neste caso, ocorre uma redução em relação ao original e não necessariamente uma eliminação. Necessidades energéticas As necessidades energéticas variam de pessoa para pessoa em função do sexo, idade, altura, peso, actividade física, clima e outros factores. Por exemplo, para adultos saudáveis, com actividade física moderada, é aconselhável uma ingestão diária média de:
  5. 5. http://www.iom.edu/Object.File/Master/21/372/0.pd f Este valor energético diário deve ser distribuído pelas várias refeições ao longo do dia do seguinte modo: Mulher Homem % Pequeno-Almoço 300 Kcal 375 Kcal 15% Meio da Manhã 200 Kcal 250 Kcal 10% Almoço 600 a 700 Kcal 750 a 875 Kcal 30 a 35% Meio da Tarde 200 Kcal 250 Kcal 10% Jantar 600 a 700 Kcal 750 a 875 Kcal 30 a 35% O que são calorias? Normalmente, os valores energéticos aparecem apresentados em calorias, que são a medida da quantidade de energia que obtemos dos alimentos e das bebidas que consumimos. Esta energia pode ser expressa em quilocalorias (Kcal) ou em quilojoules (kJ), sendo que 1 Kcal equivale a aproximadamente 4 kJ. O organismo recebe calorias das proteínas, hidratos de carbono, gorduras e álcool, que são os nutrientes energéticos e que fornecem as seguintes calorias: - 1 g de proteínas fornece 4 Kcal - 1 g de hidratos de carbono fornece 4 Kcal - 1 g de gorduras fornece 9 Kcal - 1 g de álcool fornece 7 Kcal Os nutrientes energéticos devem ser ingeridos nas seguintes quantidades diárias:
  6. 6. Mulher (para 2000 Kcal) Homem (para 2500 Kcal) Proteínas 50 a 75 g 63 a 94 g Hidratos de Carbono 275 a 300 g 344 a 375 g Gorduras 67 a 78 g 83 a 97 g http://www.iom.edu/Object.File/Master/21/372/0.pdf O que corresponde a: - Proteínas: 10 a 15% do valor energético diário - Hidratos de carbono: 55 a 60% do valor energético diário - Gorduras: 30 a 35% do valor energético diário Como engordamos Mais do que vigiar o peso, é importante saber monitorizar quanta gordura temos e onde está acumulada, pois esta está correlacionada com o risco de co-morbilidade e mortalidade. Existem métodos sofisticados para fazer essa monitorização, como, por exemplo, a bio-impedância, mas há um método bem mais simples e que pode fazer em casa. Com a ajuda de uma balança e de uma fita métrica, pode calcular o seu índice de massa corporal (IMC) e a sua relação cintura/anca. IMC Índice de Massa Corporal IMC Relação Cintura/Anca O IMC é um indicador bastante útil para o despiste da obesidade, uma vez que tem uma boa correlação com a massa gorda. Calcula-se dividindo o peso (em kg) pelo quadrado da altura (em metros).
  7. 7. Classificação IMC Magreza <18,5 “Normal” ou Recomendável 18,5 -24,9 Pré-obeso 25-29,9 Obeso Grau 1 30-34,9 Obeso Grau 2 35-39,9 Obeso Grau 3 >40,0 “Obesity. Preventing and Managing the Global Epidemic.” Report of a WHO Consultation on Obesity. Geneve 1997. Calcule o seu IMC. Se for superior a 25, precisa de perder peso, o que passa por fazer uma alimentação saudável e exercício físico regular. Se necessário, consulte um Nutricionista/Médico. A relação cintura/anca calcula-se dividindo o valor do perímetro da cintura (cm) pelo valor do perímetro da anca (cm). Valores de referência: - Para as mulheres, o valor da divisão cintura/anca deve ser inferior a 0,80. - Para os homens, o valor da divisão cintura/ anca deve ser inferior a 0,90.

×