Independência da américa espanhola 2013

2,964 views
2,782 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,964
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
54
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Independência da américa espanhola 2013

  1. 1. Independência daIndependência da América EspanholaAmérica Espanhola
  2. 2. Bolívar, grande líder dasBolívar, grande líder das independências americanas.independências americanas.
  3. 3. ► Processo de emancipação das colôniasProcesso de emancipação das colônias espanholas no continente americanoespanholas no continente americano durante as primeiras décadas do séculodurante as primeiras décadas do século XIX,resulta das transformações nasXIX,resulta das transformações nas relações entre metrópole e colônia e darelações entre metrópole e colônia e da difusão das idéias liberais trazidas peladifusão das idéias liberais trazidas pela Revolução Francesa e pelaRevolução Francesa e pela independência dos EUA.independência dos EUA. ► Recebe influência também das mudançasRecebe influência também das mudanças na relação de poder na Europa emna relação de poder na Europa em conseqüência das guerras napoleônicas. conseqüência das guerras napoleônicas. 
  4. 4. ► Durante o século XVIII, a Espanha reformulaDurante o século XVIII, a Espanha reformula aspectos de seu pacto colonial. A suspensão doaspectos de seu pacto colonial. A suspensão do monopólio comercial da Casa de Contratação demonopólio comercial da Casa de Contratação de Sevilha dá maior flexibilidade às relaçõesSevilha dá maior flexibilidade às relações comerciais entre metrópole e colônia. Mas, aocomerciais entre metrópole e colônia. Mas, ao mesmo tempo, procura impedir omesmo tempo, procura impedir o desenvolvimento das manufaturas coloniais edesenvolvimento das manufaturas coloniais e combate o contrabando inglês. Essas medidascombate o contrabando inglês. Essas medidas contrariam os interesses da elite colonial, oscontrariam os interesses da elite colonial, os criollos (descendentes de espanhóis nascidos nacriollos (descendentes de espanhóis nascidos na América), que lideram a maioria dos movimentosAmérica), que lideram a maioria dos movimentos emancipacionistas. Eles são consideradosemancipacionistas. Eles são considerados inferiores pela elite e proibidos de ocupar cargosinferiores pela elite e proibidos de ocupar cargos públicos, civis ou militares. públicos, civis ou militares. 
  5. 5. ► As guerras travadas pelo Império NapoleônicoAs guerras travadas pelo Império Napoleônico alteram o equilíbrio de forças na Europa, que sealteram o equilíbrio de forças na Europa, que se reflete nos domínios coloniais. Em junho de 1808,reflete nos domínios coloniais. Em junho de 1808, Napoleão Bonaparte invade a Espanha, destronaNapoleão Bonaparte invade a Espanha, destrona o rei Carlos IV e seu respectivo herdeiro,o rei Carlos IV e seu respectivo herdeiro, Fernando VII. Impõe aos espanhóis umFernando VII. Impõe aos espanhóis um rei francês, seu irmão, José Napoleão (José I).rei francês, seu irmão, José Napoleão (José I). Na América, os cabildos (instituições municipaisNa América, os cabildos (instituições municipais que são a base da administração colonial), sobque são a base da administração colonial), sob comando dos criollos, declaram-se fiéis acomando dos criollos, declaram-se fiéis a Fernando VII e desligam-se do governo de José I.Fernando VII e desligam-se do governo de José I. Passam a exigir ainda maior autonomia, liberdadePassam a exigir ainda maior autonomia, liberdade comercial e igualdade com os espanhóis. comercial e igualdade com os espanhóis. 
  6. 6. ► Com a restauração da Monarquia após a derrotaCom a restauração da Monarquia após a derrota de Napoleão, a Espanha passa a reprimir osde Napoleão, a Espanha passa a reprimir os movimentos emancipacionistas. Diante dessamovimentos emancipacionistas. Diante dessa situação, a elite criolla decide-se pela rupturasituação, a elite criolla decide-se pela ruptura com a metrópole. Conta com a aprovação dacom a metrópole. Conta com a aprovação da Inglaterra, que, interessada na liberação dosInglaterra, que, interessada na liberação dos mercados latino-americanos para seus produtosmercados latino-americanos para seus produtos industrializados, contribui militar, financeira eindustrializados, contribui militar, financeira e diplomaticamente com as jovens nações. Odiplomaticamente com as jovens nações. O Paraguai proclama a independência em 1811 e aParaguai proclama a independência em 1811 e a Argentina, em 1816, com o apoio das forças doArgentina, em 1816, com o apoio das forças do general José de San Martín. No Uruguai, Joségeneral José de San Martín. No Uruguai, José Artigas lidera as lutas contra as tropasArtigas lidera as lutas contra as tropas espanholas e obtém vitória em 1811. espanholas e obtém vitória em 1811. 
  7. 7. ► No entanto, a região é dominada em 1821 peloNo entanto, a região é dominada em 1821 pelo rei dom João VI e anexada ao Brasil, sob o nomerei dom João VI e anexada ao Brasil, sob o nome de Província Cisplatina, até 1828, quandode Província Cisplatina, até 1828, quando consegue sua independência. San Martínconsegue sua independência. San Martín organiza também no Chile a luta contra aorganiza também no Chile a luta contra a Espanha e, com o auxílio do líder chilenoEspanha e, com o auxílio do líder chileno Bernardo O''Higginsjump: BAHFF, liberta o paísBernardo O''Higginsjump: BAHFF, liberta o país em 1818. Com isso, alcança o Peru e, com aem 1818. Com isso, alcança o Peru e, com a ajuda da esquadra marítima chefiada pelo oficialajuda da esquadra marítima chefiada pelo oficial inglês Lord Cockrane, torna-se independente doinglês Lord Cockrane, torna-se independente do país em 1822. Enquanto isso, no norte dapaís em 1822. Enquanto isso, no norte da América do Sul, Simón Bolívar atua nas lutasAmérica do Sul, Simón Bolívar atua nas lutas pela libertação da Venezuela (1819), da Colômbiapela libertação da Venezuela (1819), da Colômbia (1819), do Equador (1822) e da Bolívia (1825). (1819), do Equador (1822) e da Bolívia (1825). 
  8. 8. ► Em 1822, os dois líderes, Bolívar e SanEm 1822, os dois líderes, Bolívar e San Martín, reúnem-se na cidade deMartín, reúnem-se na cidade de Guayaquil, no Equador, para discutir oGuayaquil, no Equador, para discutir o futuro da América hispânica. Bolívarfuturo da América hispânica. Bolívar defende a unidade das ex-colônias e adefende a unidade das ex-colônias e a formação de uma federação de repúblicas,formação de uma federação de repúblicas, e San Martín é partidário de governose San Martín é partidário de governos formados por príncipes europeus. A teseformados por príncipes europeus. A tese de Bolívar volta a ser discutida node Bolívar volta a ser discutida no Congresso do Panamá, em 1826, mas éCongresso do Panamá, em 1826, mas é rejeitada. rejeitada. 
  9. 9. ► Em toda a América hispânica há participaçãoEm toda a América hispânica há participação popular nas lutas pela independência, mas apopular nas lutas pela independência, mas a elite criolla se mantém hegemônica. No México,elite criolla se mantém hegemônica. No México, no entanto, a mobilização popular adquireno entanto, a mobilização popular adquire contornos de revolução social: a massa dacontornos de revolução social: a massa da população, composta de índios e mestiços,população, composta de índios e mestiços, rebela-se ao mesmo tempo contra a dominaçãorebela-se ao mesmo tempo contra a dominação espanhola e contra os criollos. Liderados pelosespanhola e contra os criollos. Liderados pelos padres Hidalgo e Morelos, os camponesespadres Hidalgo e Morelos, os camponeses reivindicam o fim da escravidão, a divisão dasreivindicam o fim da escravidão, a divisão das terras e a abolição de tributos, mas sãoterras e a abolição de tributos, mas são derrotados.derrotados.
  10. 10. ► Os criollos assumem a liderança do movimentoOs criollos assumem a liderança do movimento pela independência, que se completa em 1821,pela independência, que se completa em 1821, quando o general Itúrbide se torna imperador doquando o general Itúrbide se torna imperador do México. O movimento pela emancipação propaga-México. O movimento pela emancipação propaga- se pela América Central (que havia sido anexadase pela América Central (que havia sido anexada por Itúrbide), resultando na formação dapor Itúrbide), resultando na formação da República Unida da América Central (1823-1838),República Unida da América Central (1823-1838), que mais tarde dá origem a Guatemala,que mais tarde dá origem a Guatemala, Honduras, Nicarágua, Costa Rica e El Salvador.Honduras, Nicarágua, Costa Rica e El Salvador. O Panamá obtém independência em 1821 e aO Panamá obtém independência em 1821 e a República Dominicana, em 1844. CubaRepública Dominicana, em 1844. Cuba permanece como a última possessão espanholapermanece como a última possessão espanhola no continente até a Guerra Hispano-Americana.no continente até a Guerra Hispano-Americana.
  11. 11. ► Ao contrário da América portuguesa, que mantémAo contrário da América portuguesa, que mantém a unidade territorial após a independência, aa unidade territorial após a independência, a América espanhola divide-se em várias nações,América espanhola divide-se em várias nações, apesar de tentativas de promover a unidade,apesar de tentativas de promover a unidade, como a Grã - Colômbia, reunindo Venezuela ecomo a Grã - Colômbia, reunindo Venezuela e Colômbia, de 1821 a 1830, a República Unida daColômbia, de 1821 a 1830, a República Unida da América Central e a Confederação Peru-América Central e a Confederação Peru- Boliviana, entre 1835 e 1838. ABoliviana, entre 1835 e 1838. A fragmentação política da América hispânica podefragmentação política da América hispânica pode ser explicada pelo próprio sistema colonial, umaser explicada pelo próprio sistema colonial, uma vez que as diversas regiões do império espanholvez que as diversas regiões do império espanhol eram isoladas entre si. Essa situação favoreceeram isoladas entre si. Essa situação favorece também o surgimento de lideranças locais fortes,também o surgimento de lideranças locais fortes, os caudilhos, dificultando a realização de umos caudilhos, dificultando a realização de um projeto de unidade colonial.projeto de unidade colonial.
  12. 12. ►   A CRISE DO SISTEMA COLONIALA CRISE DO SISTEMA COLONIAL ► O fim do Antigo Regime nas últimasO fim do Antigo Regime nas últimas décadas do século XVIII foi conseqüênciadécadas do século XVIII foi conseqüência das transformações ideológicas,das transformações ideológicas, econômicas e políticas produzidas peloeconômicas e políticas produzidas pelo Iluminismo, pela Revolução Industrial, pelaIluminismo, pela Revolução Industrial, pela independência dos Estados Unidos e pelaindependência dos Estados Unidos e pela Revolução Francesa. EstesRevolução Francesa. Estes acontecimentos, que se condicionaram eacontecimentos, que se condicionaram e se influenciaram reciprocamente,se influenciaram reciprocamente, desempenharam um papel decisivo nodesempenharam um papel decisivo no processo de independência da Américaprocesso de independência da América espanhola.espanhola.
  13. 13. ► As elites da América colonial encontraramAs elites da América colonial encontraram na filosofia iluminista o embasamentona filosofia iluminista o embasamento ideológico para seus ideais autonomistas.ideológico para seus ideais autonomistas. A luta pela liberdade política encontravaA luta pela liberdade política encontrava sua justificativa no direito dos povossua justificativa no direito dos povos oprimidos à rebelião contra os governosoprimidos à rebelião contra os governos tirânicos e á luta pela liberdade econômicatirânicos e á luta pela liberdade econômica na substituição do monopólio comercialna substituição do monopólio comercial pelo regime de livre concorrência.pelo regime de livre concorrência. ► ““A Revolução Industrial Inglesa: Viu-se aA Revolução Industrial Inglesa: Viu-se a necessidade de substituir o monopólionecessidade de substituir o monopólio comercial por livre concorrência”.comercial por livre concorrência”.
  14. 14. ► Por esta época a Revolução Industrial inglesa inaugurava aPor esta época a Revolução Industrial inglesa inaugurava a era da indústria fabril e da produção mecanizada. Aera da indústria fabril e da produção mecanizada. A exportação das mercadorias inglesas exigia a abertura dosexportação das mercadorias inglesas exigia a abertura dos mercados americanos ao livre comércio e esbarrava nosmercados americanos ao livre comércio e esbarrava nos entraves criados pelo pacto colonial. O monopólioentraves criados pelo pacto colonial. O monopólio comercial favorecia apenas as metrópoles que lucravamcomercial favorecia apenas as metrópoles que lucravam duplamente revendendo os produtos coloniais à Europa eduplamente revendendo os produtos coloniais à Europa e as manufaturas inglesas às suas colônias. Esta políticaas manufaturas inglesas às suas colônias. Esta política monopolista, entretanto, prejudicava tanto a burguesiamonopolista, entretanto, prejudicava tanto a burguesia inglesa quanto as elites coloniais, e, assim, oinglesa quanto as elites coloniais, e, assim, o desenvolvimento do moderno capitalismo industrialdesenvolvimento do moderno capitalismo industrial acelerou a crise do antigo sistema colonial mercantilista. Eacelerou a crise do antigo sistema colonial mercantilista. E a quebra do pacto colonial e sua substituição pelo livrea quebra do pacto colonial e sua substituição pelo livre comércio só poderia se fazer através da independência dascomércio só poderia se fazer através da independência das colônias em relação às antigas metrópoles.colônias em relação às antigas metrópoles.
  15. 15. ► ““A independência dos Estados Unidos e aA independência dos Estados Unidos e a Revolução Francesa aceleraram o fim do sistemaRevolução Francesa aceleraram o fim do sistema colonial luso-espanhol”.colonial luso-espanhol”. ► A independência das treze colônias e a formaçãoA independência das treze colônias e a formação dos Estados Unidos, primeiro país soberano dodos Estados Unidos, primeiro país soberano do Novo Mundo, tornaram-se o exemplo e a fonte deNovo Mundo, tornaram-se o exemplo e a fonte de inspiração para os movimentos latino –inspiração para os movimentos latino – americanos que lutavam pela emancipaçãoamericanos que lutavam pela emancipação política e pela ruptura do pacto colonial. Opolítica e pela ruptura do pacto colonial. O regime republicano, baseado no pensamentoregime republicano, baseado no pensamento iluminista, exerceu enorme fascínio sobre ailuminista, exerceu enorme fascínio sobre a aristocracia “criolla” da América Espanhola.aristocracia “criolla” da América Espanhola.
  16. 16. ► O maior impacto veio, entretanto, da RevoluçãoO maior impacto veio, entretanto, da Revolução Francesa, cujas conseqüências se fizeram sentirFrancesa, cujas conseqüências se fizeram sentir tanto na Europa quanto na América. A ascensãotanto na Europa quanto na América. A ascensão de Napoleão Bonaparte, a imposição dade Napoleão Bonaparte, a imposição da supremacia francesa à Europa e osupremacia francesa à Europa e o estabelecimento do Bloqueio Continental contra aestabelecimento do Bloqueio Continental contra a Inglaterra desferiram um golpe de morte noInglaterra desferiram um golpe de morte no decadente sistema colonial ibero-americano. Adecadente sistema colonial ibero-americano. A invasão de Portugal pelos franceses rompeu oinvasão de Portugal pelos franceses rompeu o pacto colonial luso-brasileiro e acelerou apacto colonial luso-brasileiro e acelerou a independência do Brasil, ao mesmo tempo emindependência do Brasil, ao mesmo tempo em que a ocupação da Espanha por Napoleão e aque a ocupação da Espanha por Napoleão e a imposição de José Bonaparte como rei do paísimposição de José Bonaparte como rei do país desencadearam as lutas de independência nasdesencadearam as lutas de independência nas colônias da América espanhola.colônias da América espanhola.
  17. 17. ► A CONJUNTURA HISPANO – AMERICANAA CONJUNTURA HISPANO – AMERICANA ► No início do século XIX, quando ocorreu oNo início do século XIX, quando ocorreu o choque entre a Revolução Industrialchoque entre a Revolução Industrial inglesa e a Revolução Francesa, o impérioinglesa e a Revolução Francesa, o império colonial espanhol na América estavacolonial espanhol na América estava dividido, em termos administrativos, emdividido, em termos administrativos, em quatro vice-reinados e quatro capitaniasquatro vice-reinados e quatro capitanias gerais.gerais. ► ““A administração colonial: vice-reinados eA administração colonial: vice-reinados e capitanias gerais. Os entraves docapitanias gerais. Os entraves do monopólio comercial”.monopólio comercial”.
  18. 18. ► Os vice-reinados existentes eram Nova EspanhaOs vice-reinados existentes eram Nova Espanha (México e parte do território atualmente(México e parte do território atualmente pertencente aos Estados Unidos), Nova Granadapertencente aos Estados Unidos), Nova Granada (Colômbia e Equador), Peru e Prata (Argentina,(Colômbia e Equador), Peru e Prata (Argentina, Uruguai, Bolívia e Paraguai). As capitanias geraisUruguai, Bolívia e Paraguai). As capitanias gerais eram Cuba, Guatemala, Venezuela e Chile. Oseram Cuba, Guatemala, Venezuela e Chile. Os cargos de vice-rei e capitão-geral eram exercidoscargos de vice-rei e capitão-geral eram exercidos por representantes da Coroa vindos diretamentepor representantes da Coroa vindos diretamente da Espanha, como o eram igualmente todos osda Espanha, como o eram igualmente todos os altos postos da administração colonial. Destaaltos postos da administração colonial. Desta forma, o aparelho político-administrativo colonialforma, o aparelho político-administrativo colonial era dominado e monopolizado por espanhóisera dominado e monopolizado por espanhóis natos.natos.
  19. 19. ► A economia colonial baseava-se na exportaçãoA economia colonial baseava-se na exportação de matérias-primas e, portanto, era dependentede matérias-primas e, portanto, era dependente do mercado externo monopolizado pela metrópoledo mercado externo monopolizado pela metrópole através do pacto colonial. A mineração baseava-através do pacto colonial. A mineração baseava- se na extração de ouro e prata e estavase na extração de ouro e prata e estava concentrada no México e na Bolívia. A agriculturaconcentrada no México e na Bolívia. A agricultura tropical desenvolveu-se na América Central e nastropical desenvolveu-se na América Central e nas Antilhas, com base no sistema de “plantation”, ouAntilhas, com base no sistema de “plantation”, ou seja, grandes propriedades monoculturas,seja, grandes propriedades monoculturas, trabalhadas por escravos. A pecuáriatrabalhadas por escravos. A pecuária concentrava-se principalmente no México e noconcentrava-se principalmente no México e no vice-reinado do Prata. O comércio era praticadovice-reinado do Prata. O comércio era praticado nas grandes cidades portuárias, como Buenosnas grandes cidades portuárias, como Buenos Aires, Valparaíso, Cartagena e Vera Cruz.Aires, Valparaíso, Cartagena e Vera Cruz.
  20. 20. ► A Espanha exercia o monopólio comercialA Espanha exercia o monopólio comercial entre suas colônias e a Europa, o queentre suas colônias e a Europa, o que afetava os interesses econômicos da eliteafetava os interesses econômicos da elite colonial, obrigada a vender, a baixoscolonial, obrigada a vender, a baixos preços, seus produtos à metrópole e delapreços, seus produtos à metrópole e dela comprar, a altos preços, as manufaturascomprar, a altos preços, as manufaturas importadas. O mesmo acontecia com osimportadas. O mesmo acontecia com os comerciantes e industriais ingleses,comerciantes e industriais ingleses, forçados a aceitar a intermediação daforçados a aceitar a intermediação da Espanha e impedidos de venderEspanha e impedidos de vender diretamente as suas mercadorias àdiretamente as suas mercadorias à América.América.
  21. 21. ► O fim do monopólio comercial interessava, assim,O fim do monopólio comercial interessava, assim, tanto à elite colonial como à burguesia inglesa, àtanto à elite colonial como à burguesia inglesa, à medida que ambas aumentariam seus lucros commedida que ambas aumentariam seus lucros com a adoção do livre comércio. Esta convergência dea adoção do livre comércio. Esta convergência de interesses foi um fator decisivo para a vitória dointeresses foi um fator decisivo para a vitória do movimento de independência hispano-americano.movimento de independência hispano-americano. ► ““A sociedade colonial: brancos, mestiços, índiosA sociedade colonial: brancos, mestiços, índios e negros. Os conflitos entre a aristocracia ‘criolla’e negros. Os conflitos entre a aristocracia ‘criolla’ e os ‘chapetones’.”.e os ‘chapetones’.”.
  22. 22. ► Por essa época a sociedade colonial era formadaPor essa época a sociedade colonial era formada por uma população de dez milhões de habitantes,por uma população de dez milhões de habitantes, divididos em diversas classes sociais. Osdivididos em diversas classes sociais. Os brancos constituíam cerca de três milhões ebrancos constituíam cerca de três milhões e trezentos mil e classificavam-se em chapetones etrezentos mil e classificavam-se em chapetones e criollos. Os chapetones, perto de trezentos mil,criollos. Os chapetones, perto de trezentos mil, eram os espanhóis natos que, monopolizando oeram os espanhóis natos que, monopolizando o poder político, dominavam os altos cargos dapoder político, dominavam os altos cargos da administração colonial. Os criollos, cerca de trêsadministração colonial. Os criollos, cerca de três milhões, eram descendentes de espanhóismilhões, eram descendentes de espanhóis nascidos na América e formavam a elitenascidos na América e formavam a elite econômica e intelectual da colônia, à qualeconômica e intelectual da colônia, à qual pertenciam os latifundiários, comerciantes,pertenciam os latifundiários, comerciantes, profissionais liberais e membros do baixo clero.profissionais liberais e membros do baixo clero.
  23. 23. ► A contradição entre a estrutura econômica,A contradição entre a estrutura econômica, dominada elos criollos (partidários do livredominada elos criollos (partidários do livre comércio) e a estrutura política, controlada peloscomércio) e a estrutura política, controlada pelos chapetones (defensores do monopóliochapetones (defensores do monopólio metropolitano), foi também um dos fatoresmetropolitano), foi também um dos fatores importantes do processo de independência.importantes do processo de independência. ► Os mestiços, descendentes de espanhóis eOs mestiços, descendentes de espanhóis e índios, eram cerca de cinco milhões eíndios, eram cerca de cinco milhões e dedicavam-se ao pequeno comércio e aodedicavam-se ao pequeno comércio e ao artesanato, enquanto os índios, mais de dezartesanato, enquanto os índios, mais de dez milhões, constituíam a mão-de-obra explorada namilhões, constituíam a mão-de-obra explorada na mineração e na agricultura. Os negros, perto demineração e na agricultura. Os negros, perto de oitocentos mil, concentravam-se principalmenteoitocentos mil, concentravam-se principalmente nas Antilhas e formavam a mão-de-obra escravanas Antilhas e formavam a mão-de-obra escrava utilizada nas plantations tropicais.utilizada nas plantations tropicais.
  24. 24. ► Embora sendo esmagadora minoria, eramEmbora sendo esmagadora minoria, eram os criollos e os chapetones queos criollos e os chapetones que dominavam e determinavam a conduçãodominavam e determinavam a condução das relações econômicas e políticas dasdas relações econômicas e políticas das colônias hispano-americanas e era a elescolônias hispano-americanas e era a eles que interessava a ligação com a metrópoleque interessava a ligação com a metrópole ou o rompimento de laços com ela. Assim,ou o rompimento de laços com ela. Assim, a guerra de independência caracterizou-sea guerra de independência caracterizou-se por ser uma luta entre os criollos,por ser uma luta entre os criollos, apoiados pela Inglaterra, e os chapetones,apoiados pela Inglaterra, e os chapetones, apoiados pela Espanha, pelo domínio doapoiados pela Espanha, pelo domínio do aparelho político-administrativo.aparelho político-administrativo.
  25. 25. ► A elite colonial, dividia-se em:A elite colonial, dividia-se em:    CriollosCriollos – eram descendentes de espanhóis – eram descendentes de espanhóis nascidos na América. nascidos na América.  ChapetonesChapetones – eram pessoas nascidas na – eram pessoas nascidas na metrópole e que possuíam todos os privilégios emetrópole e que possuíam todos os privilégios e ocupavam os altos cargos administrativos. ocupavam os altos cargos administrativos.  Camada intermediariaCamada intermediaria  – era formada por – era formada por comerciantes, advogados, médicos, professores,comerciantes, advogados, médicos, professores, artesões, etc. artesões, etc.  Camada dominadaCamada dominada  – era formada pela grande – era formada pela grande maioria da população.maioria da população.
  26. 26. ► A GUERRA DE INDEPENDÊNCIAA GUERRA DE INDEPENDÊNCIA ► O processo de independência hispano-O processo de independência hispano- americano dividiu-se, grosso modo, emamericano dividiu-se, grosso modo, em três fases principais: os movimentostrês fases principais: os movimentos precursores (1780 – 1810), as rebeliõesprecursores (1780 – 1810), as rebeliões fracassadas (1810 – 1816) e as rebeliõesfracassadas (1810 – 1816) e as rebeliões vitoriosas (1817 – 1824).vitoriosas (1817 – 1824). ► ““Os movimentos precursores da guerra deOs movimentos precursores da guerra de independência: revoltas de Tupac Amaru eindependência: revoltas de Tupac Amaru e de Francisco Miranda”.de Francisco Miranda”.
  27. 27. ► Os movimentos precursores, deflagradosOs movimentos precursores, deflagrados prematuramente, foram severamente reprimidos pelasprematuramente, foram severamente reprimidos pelas autoridades metropolitanas. Ainda que derrotados,autoridades metropolitanas. Ainda que derrotados, contribuíram para enfraquecer a dominação colonial econtribuíram para enfraquecer a dominação colonial e amadurecer as condições para a guerra deamadurecer as condições para a guerra de independência travada posteriormente. A maisindependência travada posteriormente. A mais importante dessas insurreições iniciou-se no territórioimportante dessas insurreições iniciou-se no território peruano em 1780 e foi comandada por Tupac Amaru.peruano em 1780 e foi comandada por Tupac Amaru. Essa rebelião indígena mobilizou mais de sessenta milEssa rebelião indígena mobilizou mais de sessenta mil índios e só foi totalmente esmagada pelos espanhóis emíndios e só foi totalmente esmagada pelos espanhóis em 1783, quando foram igualmente reprimidas outras1783, quando foram igualmente reprimidas outras revoltas no Chile e na Venezuela. Inspirado no exemplorevoltas no Chile e na Venezuela. Inspirado no exemplo dos Estados Unidos, o criollo venezuelano Franciscodos Estados Unidos, o criollo venezuelano Francisco Miranda liderou, a partir desta época, vários levantes eMiranda liderou, a partir desta época, vários levantes e se tornou o maior precursor da independência hispano-se tornou o maior precursor da independência hispano- americana.americana.
  28. 28. ►Após os Estados Unidos, a segundaApós os Estados Unidos, a segunda independência da América foiindependência da América foi realizada pelos escravosrealizada pelos escravos trabalhadores das plantations que,trabalhadores das plantations que, em 1793, através de uma insurreiçãoem 1793, através de uma insurreição popular contra a elite brancapopular contra a elite branca libertaram o Haiti.libertaram o Haiti. ►““As rebeliões de independênciaAs rebeliões de independência fracassadas: a falta de apoio dafracassadas: a falta de apoio da Inglaterra e dos Estados Unidos”.Inglaterra e dos Estados Unidos”.
  29. 29. ► Em 1808, a ascensão de José Bonaparte ao tronoEm 1808, a ascensão de José Bonaparte ao trono da Espanha iria desencadear a guerra deda Espanha iria desencadear a guerra de independência na América espanhola, devido aosindependência na América espanhola, devido aos desdobramentos políticos daquela situação. Nadesdobramentos políticos daquela situação. Na Espanha, o povo pegou em armas contra aEspanha, o povo pegou em armas contra a dominação francesa; na América, os criollosdominação francesa; na América, os criollos pronunciaram-se pelo “lealismo” e se colocarampronunciaram-se pelo “lealismo” e se colocaram ao lado de Fernando VII, herdeiro legítimo deao lado de Fernando VII, herdeiro legítimo de Coroa espanhola. Os criollos, entretanto,Coroa espanhola. Os criollos, entretanto, evoluíram rapidamente do “lealismo” paraevoluíram rapidamente do “lealismo” para posições emancipacionistas e, em 1810,posições emancipacionistas e, em 1810, iniciaram a luta pela independência.iniciaram a luta pela independência.
  30. 30. ► O fracasso das rebeliões iniciadas em 1810, foi consequência,O fracasso das rebeliões iniciadas em 1810, foi consequência, em grande parte, da falta de apoio da Inglaterra, queem grande parte, da falta de apoio da Inglaterra, que empenhada na luta contra a França napoleônica, não pôdeempenhada na luta contra a França napoleônica, não pôde fornecer ajuda aos movimentos de independência lideradosfornecer ajuda aos movimentos de independência liderados pela aristocracia criolla. Os Estados Unidos, que possuíampela aristocracia criolla. Os Estados Unidos, que possuíam acordos comerciais com a Junta de Sevilha, também nãoacordos comerciais com a Junta de Sevilha, também não forneceram qualquer ajuda aos rebeldes hispano-americanos.forneceram qualquer ajuda aos rebeldes hispano-americanos. Em 1816, os movimentos emancipacionistas, isoladosEm 1816, os movimentos emancipacionistas, isolados internamente e sem apoio internacional, foraminternamente e sem apoio internacional, foram momentaneamente vencidos pelas tropas espanholas.momentaneamente vencidos pelas tropas espanholas. ► ““A vitória do movimento de independência: apoio da InglaterraA vitória do movimento de independência: apoio da Inglaterra e dos Estados Unidos. A doutrina Monroe”.e dos Estados Unidos. A doutrina Monroe”.
  31. 31. ► Após a derrota de Napoleão e 1815, a Inglaterra,Após a derrota de Napoleão e 1815, a Inglaterra, liberta da ameaça francesa, passou a apoiarliberta da ameaça francesa, passou a apoiar efetivamente as rebeliões de independência naefetivamente as rebeliões de independência na América, que se reiniciaram em 1817 e sóAmérica, que se reiniciaram em 1817 e só terminariam em 1824 com a derrota dosterminariam em 1824 com a derrota dos espanhóis e a emancipação de suas colôniasespanhóis e a emancipação de suas colônias americanas. Naquele ano Simon Bolívaramericanas. Naquele ano Simon Bolívar desencadeou a campanha militar que culminariadesencadeou a campanha militar que culminaria com a libertação da Venezuela, da Colômbia e docom a libertação da Venezuela, da Colômbia e do Equador e, mais ao sul, José de San MartínEquador e, mais ao sul, José de San Martín promovia a libertação da Argentina, do Chile e dopromovia a libertação da Argentina, do Chile e do Peru. Em 1822 os dois libertadores encontraram-Peru. Em 1822 os dois libertadores encontraram- se em Guayaquil, no Equador, onde San Martínse em Guayaquil, no Equador, onde San Martín entregou a Bolívar o comando supremo doentregou a Bolívar o comando supremo do exército de libertação.exército de libertação.
  32. 32. ► O processo de independência tornou-se irreversívelO processo de independência tornou-se irreversível quando, em 1823, os EUA proclamaram a Doutrina Monroe,quando, em 1823, os EUA proclamaram a Doutrina Monroe, opondo-se a qualquer tentativa de intervenção militar,opondo-se a qualquer tentativa de intervenção militar, imperialista ou colonizadora, da Santa Aliança, noimperialista ou colonizadora, da Santa Aliança, no continente americano. Em 1824, os últimos remanescentescontinente americano. Em 1824, os últimos remanescentes do exército espanhol foram definitivamente derrotados pelodo exército espanhol foram definitivamente derrotados pelo general Sucre, lugar-tenente de Bolivar, no interior dogeneral Sucre, lugar-tenente de Bolivar, no interior do Peru, na Batalha de Ayacucho. Ao norte, a independênciaPeru, na Batalha de Ayacucho. Ao norte, a independência do México fora realizada em 1822 pelo general Iturbide,do México fora realizada em 1822 pelo general Iturbide, que se sagrou imperador sob o nome de Agustín I. Um anoque se sagrou imperador sob o nome de Agustín I. Um ano de pois, foi obrigado a abdicar e, ao tentar retomar ode pois, foi obrigado a abdicar e, ao tentar retomar o poder, foi executado, adotando o país o regimepoder, foi executado, adotando o país o regime republicano. Em 1825, após a guerra de independência,republicano. Em 1825, após a guerra de independência, apenas as ilhas de Cuba e Porto Rico permaneceram sob oapenas as ilhas de Cuba e Porto Rico permaneceram sob o domínio espanhol.domínio espanhol.
  33. 33. ► AS CONSEQÜÊNCIAS DA INDEPENDÊNCIAAS CONSEQÜÊNCIAS DA INDEPENDÊNCIA ► Em 1826, Bolivar convocou os representantes dos paísesEm 1826, Bolivar convocou os representantes dos países recém-independentes para participarem da Conferência dorecém-independentes para participarem da Conferência do Panamá, cujo objetivo era a criação de uma confederaçãoPanamá, cujo objetivo era a criação de uma confederação pan-americana. O sonho boliviano de unidade políticapan-americana. O sonho boliviano de unidade política chocou-se, entretanto, com os interesses das oligarquiaschocou-se, entretanto, com os interesses das oligarquias locais e com a oposição da Inglaterra e dos Estadoslocais e com a oposição da Inglaterra e dos Estados Unidos, a quem não interessavam países unidos e fortes.Unidos, a quem não interessavam países unidos e fortes. Após o fracasso da Conferência do Panamá, a AméricaApós o fracasso da Conferência do Panamá, a América Latina fragmentou-se politicamente em quase duas dezenasLatina fragmentou-se politicamente em quase duas dezenas de pequenos Estados soberanos, governados pelasde pequenos Estados soberanos, governados pelas aristocracia criolla.aristocracia criolla. ► Outros fatores que interferiram nessa grande divisãoOutros fatores que interferiram nessa grande divisão política foram o isolamento geográfico das diversaspolítica foram o isolamento geográfico das diversas regiões, a compartimentação populacional, a divisãoregiões, a compartimentação populacional, a divisão administrativa colonial e a ausência de integraçãoadministrativa colonial e a ausência de integração econômica do continente. O pan-americanismo foi vencidoeconômica do continente. O pan-americanismo foi vencido pela política do “divida e domine”.pela política do “divida e domine”.
  34. 34. ► ““À emancipação e divisão política latino-americana segue-À emancipação e divisão política latino-americana segue- se nova dependência em reação à Inglaterra”.se nova dependência em reação à Inglaterra”. ► Assim, entre as principais consequências do processo deAssim, entre as principais consequências do processo de emancipação da América espanhola merecem destaque: aemancipação da América espanhola merecem destaque: a conquista da independência política, a consequente divisãoconquista da independência política, a consequente divisão política e a persistência da dependência econômica dospolítica e a persistência da dependência econômica dos novos Estados. O processo de independência propiciounovos Estados. O processo de independência propiciou sobretudo a emancipação política, ou seja, uma separaçãosobretudo a emancipação política, ou seja, uma separação da metrópole através da quebra do pacto colonial. Ada metrópole através da quebra do pacto colonial. A independência política não foi acompanhada de umaindependência política não foi acompanhada de uma revolução social ou econômica: as velhas estruturasrevolução social ou econômica: as velhas estruturas herdadas do passado colonial sobreviveram à guerra deherdadas do passado colonial sobreviveram à guerra de independência e foram conservadas intactas pelos novosindependência e foram conservadas intactas pelos novos Estados soberanos.Estados soberanos.
  35. 35. ► Assim, a divisão política e a manutenção dasAssim, a divisão política e a manutenção das estruturas coloniais contribuíram para perpetuarestruturas coloniais contribuíram para perpetuar a secular dependência econômica latino-a secular dependência econômica latino- americana, agora não mais em relação àamericana, agora não mais em relação à Espanha, mas em relação ao capitalismoEspanha, mas em relação ao capitalismo industrial inglês. As jovens repúblicas latino-industrial inglês. As jovens repúblicas latino- americanas, divididas e enfraquecidas,americanas, divididas e enfraquecidas, assumiram novamente o duplo papel de fontesassumiram novamente o duplo papel de fontes fornecedoras de matérias-primas essenciaisfornecedoras de matérias-primas essenciais agora à expansão do industrialismo e deagora à expansão do industrialismo e de mercados consumidores para as manufaturasmercados consumidores para as manufaturas produzidas pelo capitalismo inglês.produzidas pelo capitalismo inglês.
  36. 36. ►   ConclusãoConclusão ► O desfecho do processo de independência daO desfecho do processo de independência da América Espanhola no entanto, não significou aAmérica Espanhola no entanto, não significou a radical transformação da situação sócio-radical transformação da situação sócio- econômica vivida pelas populações latino-econômica vivida pelas populações latino- americanas. A dependência econômica emamericanas. A dependência econômica em relação às potências capitalistas e a manutençãorelação às potências capitalistas e a manutenção dos privilégios das elites locais fizeram com quedos privilégios das elites locais fizeram com que muitos dos problemas da antiga Américamuitos dos problemas da antiga América Hispânica permanecessem presentes ao logo daHispânica permanecessem presentes ao logo da História latino-americana.História latino-americana. ► Um exemplo disso foi à elite criolla que durante oUm exemplo disso foi à elite criolla que durante o processo de independência se viu tão empenhadaprocesso de independência se viu tão empenhada pelas idéias iluministas, evidenciando quepelas idéias iluministas, evidenciando que desejava a igualdade, mais não para todos.desejava a igualdade, mais não para todos.
  37. 37. Outra RealidadeOutra Realidade ► Caudilhos: representantes das contradições políticas vividas naCaudilhos: representantes das contradições políticas vividas na América LatinaAmérica Latina
  38. 38. ► Os processos de independência dos paísesOs processos de independência dos países latino-americanos, em princípio, acenavam para alatino-americanos, em princípio, acenavam para a instalação de governos liberais e da democraciainstalação de governos liberais e da democracia na América. O atraso colonial seria finalmentena América. O atraso colonial seria finalmente abandonado pelas promessas de felicidade eabandonado pelas promessas de felicidade e igualdade tão fortemente disseminadas peloigualdade tão fortemente disseminadas pelo ideário iluminista. A França e os Estados Unidosideário iluminista. A França e os Estados Unidos transformaram-se em modelos de uma outratransformaram-se em modelos de uma outra possível conjuntura social, política e econômicapossível conjuntura social, política e econômica para as recém formadas nações americanas. Ospara as recém formadas nações americanas. Os antigos entraves do desenvolvimento seriamantigos entraves do desenvolvimento seriam superados com a modernização, a ampliação dossuperados com a modernização, a ampliação dos direitos políticos e a justiça dos órgãosdireitos políticos e a justiça dos órgãos representativos. representativos. 
  39. 39. ► No entanto, a origem desses movimentos deNo entanto, a origem desses movimentos de independência mostrava que as novasindependência mostrava que as novas instituições políticas a serem instaladas noinstituições políticas a serem instaladas no continente ofereciam uma possibilidade bemcontinente ofereciam uma possibilidade bem diferente. As democracias e constituições aquidiferente. As democracias e constituições aqui elaboradas não foram consequência da amplaelaboradas não foram consequência da ampla participação política de diferentes camadasparticipação política de diferentes camadas sociais. A elite criolla capitaneou o fim do pactosociais. A elite criolla capitaneou o fim do pacto colonial em vista das vantagens econômicascolonial em vista das vantagens econômicas oferecidas pelas grandes nações industriaisoferecidas pelas grandes nações industriais européias. Os almejos das populações menoseuropéias. Os almejos das populações menos favorecidas ficavam em um plano subalternofavorecidas ficavam em um plano subalterno controlado pelo “fosso político e ideológico” quecontrolado pelo “fosso político e ideológico” que colocou as elites latino-americanas em situaçãocolocou as elites latino-americanas em situação privilegiada. privilegiada. 
  40. 40. ► A grande maioria da população vivia à parte dasA grande maioria da população vivia à parte das implicações de uma ampla democracia. O poderimplicações de uma ampla democracia. O poder era instituído pelas leis e legitimado pelosera instituído pelas leis e legitimado pelos governos, porém, o seu centro decisório aindagovernos, porém, o seu centro decisório ainda estava atrelado a uma realidade sócio-econômicaestava atrelado a uma realidade sócio-econômica eminentemente agro-exportadora. Aeminentemente agro-exportadora. A impessoalidade e a igualdade de diretos dasimpessoalidade e a igualdade de diretos das repúblicas aqui criadas ainda conviviam com orepúblicas aqui criadas ainda conviviam com o desmando dos grandes proprietários, quedesmando dos grandes proprietários, que colocavam seus interesses acima das leis, dascolocavam seus interesses acima das leis, das constituições e do Estado. Dessa forma, osconstituições e do Estado. Dessa forma, os antigos laços de dependência vividos no interiorantigos laços de dependência vividos no interior da colônia pareciam somente ganhar uma novada colônia pareciam somente ganhar uma nova roupagem. roupagem. 
  41. 41. ► Nesse contexto, ganhou proeminente forçaNesse contexto, ganhou proeminente força a figura do caudilho. Descendente da elitea figura do caudilho. Descendente da elite colonial criolla, o caudilho usou de seucolonial criolla, o caudilho usou de seu poder econômico para o alcance daspoder econômico para o alcance das instituições políticas e,instituições políticas e, consequentemente, de seus interessesconsequentemente, de seus interesses pessoais. O desrespeito e o abuso àspessoais. O desrespeito e o abuso às instituições o permitiam até mesmo criarinstituições o permitiam até mesmo criar milícias que não reconheciam nenhummilícias que não reconheciam nenhum poder colocado acima de sua ganância.poder colocado acima de sua ganância. Dono de terras, ainda tinha o apoio –Dono de terras, ainda tinha o apoio – espontâneo ou coagido – de umaespontâneo ou coagido – de uma população desprovida de meios parapopulação desprovida de meios para sublevar-se contra o desmando e asublevar-se contra o desmando e a opressão do caudilho. opressão do caudilho. 
  42. 42. ► Tendo uma relação ambígua com os poderes, oTendo uma relação ambígua com os poderes, o caudilho somente reconhecia as instituições quecaudilho somente reconhecia as instituições que estivessem harmoniosamente submetidas àestivessem harmoniosamente submetidas à manutenção de seus privilégios. Transformando-manutenção de seus privilégios. Transformando- se em um tipo de experiência política observávelse em um tipo de experiência política observável em toda a América Latina, o caudilhismo foi umem toda a América Latina, o caudilhismo foi um fenômeno histórico vivenciado em países comofenômeno histórico vivenciado em países como Argentina, Brasil, Chile, Haiti e Peru. MesmoArgentina, Brasil, Chile, Haiti e Peru. Mesmo usando da força para preservar-se, o fenômenousando da força para preservar-se, o fenômeno caudilhista não resistiu às transformações docaudilhista não resistiu às transformações do tempo. Ao longo do século XX, os fenômenos detempo. Ao longo do século XX, os fenômenos de industrialização, urbanização e imigraçãoindustrialização, urbanização e imigração européia enfraqueceram o poder de atuação doseuropéia enfraqueceram o poder de atuação dos caudilhos.caudilhos.

×