Felicidade oquee e_porquealmejamostanto_francismar_lopes
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Felicidade oquee e_porquealmejamostanto_francismar_lopes

  • 320 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
320
On Slideshare
320
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Felicidade: O Que É E Por Que Almejamos Tanto?!?Por Francismar P LopesO homem sempre procurou a felicidade. Entretanto, o que vem a ser esta tão almejadaFELICIDADE?Segundo a enciclopédia livre, Wikipédia, a felicidade é um estado durável de plenitude,satisfação e equilíbrio físico e psíquico, em que o sofrimento e a inquietude sãotransformados em emoções ou sentimentos que vai desde o contentamento até a alegriaintensa ou júbilo. A felicidade tem, ainda, o significado de bem-estar espiritual ou pazinterior.Embora a felicidade seja objeto de estudo da filosofia, das religiões ou da psicologia, édifícil definir, rigorosamente, a felicidade e sua medida.Para a escritora e jornalista Clarice Lispector:"As pessoas mais felizes não têm as melhores coisas.Elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos.A felicidade aparece para aqueles que choram.Para aqueles que se machucam.Para aqueles que buscam e tentam sempre.Pense nisso!O que você tem, todo mundo pode ter.Mas o que você é...Ninguém pode ser.”“Não é a nossa condição, mas a têmpera da nossa alma que nos torna felizes.”, concluiVoltaire, escrito, ensaísta e filósofo iluminista francês.E Abraham Lincoln, político americano, afirma e nos exorta:“As pessoas são, em geral, tão felizes quanto decidem ser.”O conselho do grande poeta e jornalista Olavo Bilac é sempre válido:"Que fazer para ser como os felizes?Ama!”Fábio de Melo, sacerdote católico, escritor e professor, pondera:“Não entendo a tristeza como ausência de felicidade. Acho que elas coexistem. Somosfelizes e tristes. Felizes porque tentamos entender a nossa missão. Tristes porque assim temde ser. A tristeza nos empresta respeito ao outro e percepção mais aguçada da dor. Talveztristeza seja ausência de alegria, de riso fácil, não de felicidade.”Acredito que cada um de nós tem a sua concepção de felicidade em consonância com osvalores que lhe são fundamentais.Entretanto, seja qual for o seu conceito de felicidade, a contribuição de John Stuart Mill,filósofo e economista inglês, será sempre pertinente:"Pessoas felizes são aquelas cujas mentes estão fixadas em algum outro objeto que não sejaa própria felicidade; na felicidade dos outros, no aperfeiçoamento da humanidade, atémesmo em alguma arte ou busca empreendida não como meio, mas como fim ideal. Ao visarassim o outro elas encontram a felicidade casualmente."Montes Claros/MG, 05 de maio de 2013.