Felicidade: O Que É E Por Que Almejamos Tanto?!?Por Francismar P LopesO homem sempre procurou a felicidade. Entretanto, o ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Felicidade oquee e_porquealmejamostanto_francismar_lopes

286 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
286
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Felicidade oquee e_porquealmejamostanto_francismar_lopes

  1. 1. Felicidade: O Que É E Por Que Almejamos Tanto?!?Por Francismar P LopesO homem sempre procurou a felicidade. Entretanto, o que vem a ser esta tão almejadaFELICIDADE?Segundo a enciclopédia livre, Wikipédia, a felicidade é um estado durável de plenitude,satisfação e equilíbrio físico e psíquico, em que o sofrimento e a inquietude sãotransformados em emoções ou sentimentos que vai desde o contentamento até a alegriaintensa ou júbilo. A felicidade tem, ainda, o significado de bem-estar espiritual ou pazinterior.Embora a felicidade seja objeto de estudo da filosofia, das religiões ou da psicologia, édifícil definir, rigorosamente, a felicidade e sua medida.Para a escritora e jornalista Clarice Lispector:"As pessoas mais felizes não têm as melhores coisas.Elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos.A felicidade aparece para aqueles que choram.Para aqueles que se machucam.Para aqueles que buscam e tentam sempre.Pense nisso!O que você tem, todo mundo pode ter.Mas o que você é...Ninguém pode ser.”“Não é a nossa condição, mas a têmpera da nossa alma que nos torna felizes.”, concluiVoltaire, escrito, ensaísta e filósofo iluminista francês.E Abraham Lincoln, político americano, afirma e nos exorta:“As pessoas são, em geral, tão felizes quanto decidem ser.”O conselho do grande poeta e jornalista Olavo Bilac é sempre válido:"Que fazer para ser como os felizes?Ama!”Fábio de Melo, sacerdote católico, escritor e professor, pondera:“Não entendo a tristeza como ausência de felicidade. Acho que elas coexistem. Somosfelizes e tristes. Felizes porque tentamos entender a nossa missão. Tristes porque assim temde ser. A tristeza nos empresta respeito ao outro e percepção mais aguçada da dor. Talveztristeza seja ausência de alegria, de riso fácil, não de felicidade.”Acredito que cada um de nós tem a sua concepção de felicidade em consonância com osvalores que lhe são fundamentais.Entretanto, seja qual for o seu conceito de felicidade, a contribuição de John Stuart Mill,filósofo e economista inglês, será sempre pertinente:"Pessoas felizes são aquelas cujas mentes estão fixadas em algum outro objeto que não sejaa própria felicidade; na felicidade dos outros, no aperfeiçoamento da humanidade, atémesmo em alguma arte ou busca empreendida não como meio, mas como fim ideal. Ao visarassim o outro elas encontram a felicidade casualmente."Montes Claros/MG, 05 de maio de 2013.

×