Nodari sustentar consumo_producao_sustentável

267
-1

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
267
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Aumento na área plantada de 26,6% Aumento em ingrediente ativo de 139%
  • Historically, plant genetic resources were relatively freely exchanged in accordance with the idea that these resources were the common heritage of humankind. It should be noted that there are historical examples of specific governmental rules restricting the export of certain specialized and industrial breeding materials such as pepper from India, oil palm from Malaysia, coffee from Ethiopia and tea from Sri Lanka. It was with the advent of the “Seed Wars” in the 1980s and the negotiation of the Convention on Biological Diversity that developing countries made clear that this practice was not acceptable and that legal mechanisms to formally support this position were sought. Famine and the green revolution in the 1960s and 1970s: Originally, the goal of facilitating research was to be achieved by centralizing stores of germplasm in gene banks accessible to all rather than by having them haphazardly stored in various jurisdictions around the world What came to be known as the “Green Revolution” was instigated by the public sector and without the use of intellectual property rights in the late 1960s. The effects of the Green Revolution and in particular the problem of crop uniformity were experienced in very real terms in the 1970s with the corn blight in the United States and the failure of Besostaja, a high-yielding wheat planted almost exclusively in Ukraine during the harsh winter of 1971-2 In 1971, the FAO, the World Bank and the United Nations Development Programme founded the Consultative Group on International Agricultural Research (CGIAR). The CGIAR is an association of public and private donors that supports a network of 16 international research centers (IARCs) each with its own governing body The effects of the Green Revolution and in particular the problem of crop uniformity were experienced in very real terms in the 1970s with the corn blight in the United States and the failure of Besostaja, a high-yielding wheat planted almost exclusively in Ukraine during the harsh winter of 1971-2 In 1971, the FAO, the World Bank and the United Nations Development Programme founded the Consultative Group on International Agricultural Research (CGIAR). The CGIAR is an association of public and private donors that supports a network of 16 international research centers (IARCs) each with its own governing body
  • Incluyendo la conservacion in situs y exsitus de la agrobiodiversidad
  • MULTIFUNCTIONALITY Agriculture is complex It is multifunctional in its nature. It is a multi-output activity producing: commodities (i.e. food, feed, fiber, etc.) But also – non commodities (i.e. environmental services, landscape amenities, cultural heritage) Therefore – generation and delivery of AKST needs strengthening and redirection so that persistent socioeconomic inequities are addressed
  • Nodari sustentar consumo_producao_sustentável

    1. 1. Temas transversais Rio + 20Consumo e Produção Sustentável Rubens Onofre Nodari Prof. Titular, UFSC, Florianópolis, SC Programa de Pós-graduação em Recursos Genéticos Vegetais rubens.nodari@ufsc.br
    2. 2. Fases do uso de recursos genéticos??? Coletor-caçador 29jun0715 a 10 Sedentarismomil anos promoção colheita-semeadura domesticação seleção1950 Agricultura química Fertilizantes Agrotóxicos Sementes Transgenia Nanobiotecnologia Vida sintética
    3. 3. Práticas, Inovações eConhecimentos tradicionais:Quanto valem?Quais podem ser sustentáveis?
    4. 4. Tomate silvestre e tomate cultivado The massive fruit of cultivated tomato (right) next to the miniscule fruit of its progenitor (left). Doebley, et al., 2006.
    5. 5. Cultivos predominantes
    6. 6. DIVERSIDADE CULTURAL
    7. 7. Nuevas oportunidadesLas papas nativas han conservado un perfil tradicional en el ámbito rural andino, y son casi desconocidas para los consumidores urbanos. Sin embargo, en los últimos años, las papas nativas han encontrado un camino hacia mercados industrializados. Por su exquisitez y su alto valor nutritivoPapas nativas, papasandinas…Las papas nativas representanuna de las mayores coleccionesde biodiversidad de plantascultivadas. En el banco degermoplasma del CentroInternacional de la Papa (CIP),que tiene bajo custodia elmaterial genético de todas laspapas conocidas del mundo, seencuentran 4354 variedadesde papas nativas. Casi 95%tienen origen andino y sellaman comúnmente papasandinas. De éstas, 2694
    8. 8. Estruturas de Armazenamento Quilengues Quilengues - Huíla -Huíla Cuima -Huambo Cuima- Huambo Matala- Huíla Matala - HuílaQuipungo-Huíla Bailundo-Huambo Bailundo-Huambo Cuima- Quipungo - Huíla Cuima Huambo Huambo Fotos: Domingas Felícia Tomás, 2011
    9. 9. AgrobiodiversidadLa diversidad en los centros de diversidadgenética es resultado de factores de naturalezahistórica, ecológica, genética y cultural.
    10. 10. Pueblos en diferentes partes del mundo empezaranindependientemente cultivar y domesticar las plantas. (J. Newfield And K. Sutliff, Science p.1833, 29jun07)
    11. 11. O que consumimos?
    12. 12. COMA COMIDA, NÃO MUITO,PREFERENCIALMENTE PLANTAS. Michael Pollan. Em defesa da Comida
    13. 13. Evidencias apontam para o declínio de nutrientes em fruitas e hortícolas disponíveis nos USA e UK estudos de adubação encontraram relação inversa entre rendimento e concentração de minerais — denominado ‘‘efeito diluição’’; três estudos recentes da composição histórica dos alimentos revelaram declínio aparente da mediana de 5% a 40% ou mais em alguns minerais em grupos de hortícolas e talvez em frutas; um estudo também avaliou vitaminas e proteínas com resultados similares; e recente plantios lado a lado de cultivares de brócolis e grãos de alto ou baixo rendimento encontraram consistentemente correlações negativas entre rendimento e concentrações de minerais e proteínas, um reconhecido ‘‘efeito diluição’’ novo. Davis, D.R. 2009. HORTSCIENCE, V.44(1):15-19, 2009
    14. 14. Evidencias apontam para o declínio de nutrientes em trigos modernos disponíveis nos USARendimento foi praticamente o dobrocomparativo às variedades antigas;Todas as correlações entrerendimento e teor de minerais foramnegativasA taxa de declinio de seis minerais foide 0,33% ao ano (Fe, Zn, Cu, P, S eSe), o que corresponde a 22-39%num período de pouco mais de 100anos Davis, D.R. 2009. HORTSCIENCE, V.44(1):15- 19, 2009
    15. 15. Evidencias apontam para o declínio de nutrientes em 27 hibridos modernos de brocolis disponíveis nos USACorrelação negativa entre o tamanho da cabeçado brocolis e a concentração de minerais;No caso do Cálcio, a média da quantidade noshíbridos modernos foi de 3,4 mg/g – muito menorque a média de Cálcio de variedades dos anos1950 (12,9 mg/g) ou dos anos 1963 (9,4mg/g)Davis, D.R. 2009. HORTSCIENCE, V.44(1):15-19, 2009
    16. 16. EVIDÊNCIA DA LIGAÇÃO ENTRE BIODIVERSIDADE, NUTRIÇÃO E SAÚDE Escore de Diversidade Mortalidade (odds/ratio) 7 1 10 0,82 12 0,71 15 0,69 A Prospective Study of Diet Quality and Mortality in Women. Kant et al. JAMA.2000; 283: 2109-2115.
    17. 17. Camu-camu• Comida de peixe (disseminação);• Exportado pelo Peru (manejo sustentado);• Vit C 6000 mg/100g (tecido fresco);• Adaptado a áreas ribeirinhas;• Desafio – adaptar fora de água. (Charles Clement)
    18. 18. BARUCumbaru, cumaru, coco-feijãoDipteryx alata (Papilionoideae)Castanha do cerrado Proteina 24,57 Carboidratos 25,80 Vitamina E 13,62 mg/100gSano, S.M.; Almeida S.P. Cerrado: ambiente e Flora. Planaltina, EMBRAPA,pp.247-285.1998. Almeida, S.P.; Proença, C.E.B.; Sano, S.M.; Ribeiro, J.F.Cerrado: espécies vegetais úteis. Planaltina, EMBRAPA, 464p. 1998
    19. 19. Consumoexacerbado(de luxo) de energia
    20. 20. Lições do passado
    21. 21. Contribuição da Ciência eda Tecnologia
    22. 22. IAASTD: The Reportswww.agassessment.org International Assessment of Agricultural Konwledge, Science and technology for Development
    23. 23. 3. Qual é o Problema? A agricultura atual é caracterizada por desconexões, tanto nos países desenvolvidos e em desenvolvimento: • Desconexões entre agricultura e ambiente • Desconexões entre consumidores e agricultores ou campo e cidade (rural e urbano) • Desconexões políticas e consequências (intencionais e não-intencionais)
    24. 24. Resultados do IAASTD:“Seguir pelo mesmo caminho não é uma opção.” -Bob Watson, Diretor IAASTD, 2008
    25. 25. O consumo de agrotóxicos aumentouBenbrook, C. 2004. Genetically engineered crops and pesticide use in the United States:The first nine years. At: http://www.biotech-info.net/Full_version_first_nine.pdf
    26. 26. Dados de Agrotóxicos Área: 26,6% Agrotóxicos: 139%FONTE: SINDAG e IBGE Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br
    27. 27. O Reducionismo e o Determinismo cientifico na CTNBioCiência precaucionária comoalternativa ao reducionismo científicoaplicado à biologia molecular
    28. 28. O reducionismo enquanto métodocientífico consiste em decompor o todo emsuas partes constituintes, até suas últimase menores partes possíveis.Tradicionalmente, o reducionismodeterminista vai mais longe, pois isola doambiente exterior estas menores partes,que compõem um todo, além de lhesatribuir propriedades e poderes, tais comoexplicar fenômenos complexos ou sersolução para problemas globaiscentenários.
    29. 29. 20 anos depois...Couzin-Frankel, J. The Promise of a Cure: 20 Years and Counting.Science, V.324, n.5934, pp. 1504 – 1507. 2009CREDITS: LIBRARY OF MEDICINE/WIKIPEDIA; SCIENCE; COURTESYOF RICHARD BOUCHER; CFF; COURTESY OF GREG DAVIS; USAFPHOTOGRAPHIC ARCHIVES/WIKIPEDIA; ZUMA PRESS/NEWSCOM
    30. 30. 20 anos depois...Distintas pessoas com uma mesmamutação para a doença apresentamsintomas diferentes.Mais de 1500 tipos de mutaçõesdiferentes podem causar a mesmadoença.Outros genes que igualmente produzemos mesmos sintomas foramdescobertos, bem como a associaçãocom outras doenças
    31. 31. • Spot no. 134 exclusivo em Bt (Campos Novos)
    32. 32. Residuos e metabólitos do glifosato e também datoxina Cry1Ac foram enncontrados em sangue demulheres não-grávidas, grávidas e em fetos.
    33. 33. snRNA, siRNA, miRNA, hnRNA, outros Regulação gênica tRNA RNA transportador DNA rRNA RNA ribossomal Ribossomas mRNA Proteína Metabólito FenótipoGenômica Transcriptômica Epigenética Proteômica Metabolômica Fenômica
    34. 34. Evolução das Formas de proteçãoIntelectual
    35. 35. ATÉ 1992Patrimônio da humanidadeDomínio PúblicoUsos não-rivaisUsos não excludente
    36. 36. CDB - Mudança de ParadigmaHerança comum Soberania NacionalAccesso irrestrito Acesso controladoMelhoramento público Melhoramento privadoSem DPIs DPIs (PBR & patentes)International CDB – 1993Undertaking 1983 Respuestas a Nuevas Demandas Tecnológicas: Agroindustria
    37. 37. HOJE• Propriedade intelectual - Patentes T R - Proteção de Cultivares I P - Lei de acesso S• Tratados Internacionais - OMPI - CDB - Protocolo de Nagoya - Protocolo de Cartagena - TIRFAA - OMC
    38. 38. Lei de Propriedade Industrial (Patentes – Lei n 9.279/96)Art. 10. Não se considera invenção nem modelo de utilidade: I - descobertas, teorias científicas e métodosmatemáticos; II - concepções puramente abstratas; III - esquemas, planos, princípios ou métodoscomerciais, contábeis, financeiros, educativos, publicitários,de sorteio e de fiscalização; IV - as obras literárias, arquitetônicas, artísticas ecientíficas ou qualquer criação estética; V - programas de computador em si; VI - apresentação de informações;
    39. 39. Direito dos AgricultoresA progressão das formas do sistema de proteçãointelectual não faz justiça aos vários participantes doprocesso.1989 – FAO: Resolução 5/89Direitos derivados de contribuições passadas,presentes e futuras na conservação, melhoramento edisponibilidade de recursos genéticos vegetais,particularmente aqueles nos centros deorigem/diversidade.• Necessidade de conservar seja reconhecida;• Manutenção de fontes de variação;• Proporcionar aos agricultores os benefícios dos recursosgenéticos.
    40. 40. Alternativa ao Reducionismo e o Determinismo cientificoCiência precaucionária!
    41. 41. Visão Holística... a pesquisa científica pode ser conduzidasob um pluralismo de estratégias, nãoapenas aquelas que se encaixam naabordagem descontextualizada, mas outrasque permitem investigação empírica quelevam completamente em conta asdimensões ecológicas, experienciais,sociais e culturais de fenômenos e práticas(como a agroecologia).Esta é a reivindicação do pluralismometodológico (Lacey, 2005).
    42. 42. Ciência precaucionáriaPrincípio da Precaução é inseparável da posição éticamais geral de que é irresponsável participar do tipo depesquisa que leva a inovações tecnocientíficas, a não serque pesquisas rigorosas e sistemáticas de dimensõescomparáveis sobre as conseqüências (riscos) ecológicase sociais a longo prazo de sua implementação, levandoem conta as condições socioeconômicas dasimplementações planejadas, sejam conduzidas, e a nãoser que pesquisas adequadas, localizadas num espaço dealternativas bem escolhido e pertinentes para a avaliaçãodo valor social geral (benefícios) das implementações,seja conduzida (Lacey, 2005; 2009).
    43. 43. Ciência precaucionáriaAssim, por se tratar de uma nova tecnologia econsiderando o reduzido conhecimento científico arespeito dos riscos de OGMs, torna-seindispensável que a liberação para plantio econsumo em larga escala de plantas transgênicasseja precedida de uma análise criteriosa de risco,respaldada em estudos de impacto ambiental,situações de riscos à saúde humana, bem como asimplicações sócio-econômicas e culturais, com autilização da estratégia holística e nãoreducionista/descontetualizada.
    44. 44. BiodiversidadeConstituição Federal - artigo 225 - parágrafo 1º:incumbe ao Poder Público, conforme o inciso II,“preservar a diversidade e a integridade dopatrimônio genético do País e fiscalizar asentidades dedicadas à pesquisa e manipulaçãode material genético”. Poder público - Sociedade
    45. 45. Diversificação dos sistemas agrícolas:policultivos e sistemasagroflorestais
    46. 46. Fonte: CIMA – ARPA- Tupaciretã/RS
    47. 47. Fonte: CIMA – ARPA- Tupaciretã/RS
    48. 48. Biopirataria O besouro e o tesouro Lamprocyphus augustus
    49. 49. Métricas da Paisagem Tamanho Fragmento Número de Fragmento % Cobertura Florestal% das Diferentes Classes de Uso e Cobertura do
    50. 50. Manejo e conservação da agrobiodiversidade do sistema formal e informal Fonte: Almekinders & de Boef (2000); Canci, I. (2006)
    51. 51. Pesquisa Participativa com 14 variedades de arrozPesquisa Participativa com 14 variedades dearroz
    52. 52. ENSAIO DE ARROZ DE SEQUEIRO COM VARIEDADE LOCALLEONILDO SCHMITZ - LINHA TIGRE – GUARACIABA – SC Variedades Produção kg/ha Produção sacas/ha Cultivar Caiapó 8.049,89 160,99 Rosa 15 7.495,68 149,91 Rosa 87 6.968,99 139,38 Mato Grosso 6.963,27 139,26 Davi 6.747,22 134,94 Davi Alto 6.262,21 125,24 Preto Argentino 6.111,23 122,22 Amarelo LS 5.643,67 112,87 Cascavel 5.344,22 106,88 Branco CH 4.844,15 96,88 Periquitinho 4.688,94 93,77 Branco NF 4.670,62 93,41 Léo 4.398,06 87,96 Nelson 3.185,44 63,70
    53. 53. COLEÇÃO DE SEMENTES CRIOULAS Fonte: CIMA – ARPA- Tupaciretã/RS
    54. 54. Paradoxo do melhoristaConsiderando que o melhoramento é umprocesso passo a passo:“As variedades comerciais permanecemdependentes da infusão genética das variedadescrioulas (locais) que estão deslocando ousubstituindo” (Tuxtill, 2000).
    55. 55. Zhu, Y.; Chen, H.; Fan, J.;Wang, Y. Li, Y.; Chen, J.;Fan, J.X.; Yang, S.; Hu, L.;Leung, H.; Mew, T.W.;Teng, P.S.; Wang, Z.;Mundt, C.C. Geneticdiversity and diseasecontrol in rice. Nature,v.406, p.718-722, 2000.
    56. 56. Zhu, Y.; Chen, H.; Fan, J.;Wang, Y. Li, Y.; Chen, J.;Fan, J.X.; Yang, S.; Hu, L.;Leung, H.; Mew, T.W.;Teng, P.S.; Wang, Z.;Mundt, C.C. Geneticdiversity and diseasecontrol in rice. Nature,v.406, p.718-722, 2000.
    57. 57. Newton A C, Swanston JS, Guy D C, Ellis R P(1998). Cereal varietymixtures reduce inputsand improve yield andquality — why isn’teverybody growingthem? J Inst Brew, 104:41–45 Figure 1 Reduced Rhynchosporium infection and increased yield corresponding with number of component varieties in winter barley mixtures. a) Increase in yield in relation to mixture component number. b) Disease reduction in relation to mixture component number.
    58. 58. “A Origem das Espécies” Darwin (1859) “...é experimentalmente provado que se semearmos um canteiro com uma espécie de gramínea e outro canteiro com um número variado de espécies de gramíneas, após um ano, um maior número de plantas e uma maior biomassa existirá no canteiro mais diverso...”
    59. 59. Resgate de Racas Crioulas Fonte: CIMA CAMPOS SULINO / ANCA – Candiota/RS
    60. 60. Guardiões da AgrobiodiversidadeDiagnóstico da Agrobiodiversidade: 17 variedades demilho, 7 de fava, 3 de amendoim, 10 de abóbora, 4 demelancia, 33 de feijão, 5 de pimenta, 3 de arroz, 2 melãoe de 2 quiabo (Dayrell et al., 2010). Isabel, Ilha da Ressaca (Matias Cardoso) Geraldo, Comunidade Touro (Serranópolis de Minas)
    61. 61. Que tipo de apostas ?Consumo/Produção local;Diversidade de espécies, variedades, formas deproduçao e serviços ambientais;Pesquisa participativa;Diálogo entre os conhecimentos científicos e osaber tradicional;Agroecologia.
    62. 62. Que tipo de agricultura ?Foco:Soberania alimentar e nutricional (diversidade)Agricultura familiar (sistemas complexos)Sustentabilidade (multiplicidade)Externalidades (benefícios e riscos)
    63. 63. 4. O maior desafio e a maior oportunidade:A pequena escala / agricultura familiar • Pequena escala/agricultura familiar sustentável: – Produz a maior parte do alimento global – São os maiores prestadores dos serviços ambientais e guardiões da biodiversidade – O alcance dos objetivos do desenvolvimento depende fortemente de Produtividade maior e sustentável • Necessidade critica: estratégias de políticas que contemplam a pequena-escala / agricultura familiar, incluindo Ciência, Tecnologia e Conhecimento Agronômico (AKST) desenhadas para melhorar a lucratividade do setor
    64. 64. 4. Desafios Críticos : Agricultura Multifuncional Mudanças dos paradigmas e foco da P&D
    65. 65. Curso sobre produção agroecológica – julho de 2006 Fonte: CIMA – Espírito Santo
    66. 66. . Desistir dos direitossobre essa herançasignifica liberar ocomplexo genético-industrial paradirecionar o progressotecnológico unicamentepara os lucros.Menace of the genetic-industrialcomplex (Berlan e Lewontin,1999)
    67. 67. Obrigadonodari@cca.ufsc.br
    68. 68. Principais DesafiosO desafio de reverter a degradação dos ecossistemas ao mesmo tempo que são supridas as demandas crescentes pelos seus serviços pode ser parcialmente vencido em alguns cenários…Necessidade de mudanças significativas em diferentes âmbitos (politicas, intituições e práticas…)
    69. 69. Intervenções necessárias• Economias e incentivos- Eliminação de subsídios que promovem o uso excessivo dos serviços dos ecossistemas;- Uso mais intensivo de instrumental econômico e abordagens baseadas no mercado para gestão dos serviços ecossistêmicos.
    70. 70. Intervenções necessárias• Sociais e comportamentais- Medidas para reduzir o consumo total dos serviços dos ecossistemas gerenciados de forma não sustentável;- Melhoria na comunicação e educação;- Envolvimento de grupos de interesse particularmente dependentes dos serviços dos ecossistemas ou afetados por sua degradação, inclusive mulheres, povos nativos e jovens.
    71. 71. Intervenções necessárias• Tecnológicas-promoção de tecnologias que permitam maior rendimento das lavouras sem impactos negativos por uso de água, nutrientes eagrotóxicos;- Recuperação dos serviços dos ecossistemas- Promoção de tecnologias para aumentar a eficiência da energia e reduzir as emissões de gases do efeito estufa.
    72. 72. Intervenções necessárias• Conhecimento- Uso de todas as formas de conhecimento e informação pertinentes em avaliações e tomada de decisão , incluindo conhecimento tradicional e científico;- Incremento e manutenção da capacitação humana e institucional para avaliar as consequências das mudanças nos ecossistemas para o bem estar humano, e para agir com base nessas avaliações.
    73. 73. ReferênciaMillennium Assessment Reports. Relatório da Avaliação Ecossistêmica do Milênio. Disponível em: <http://www.maweb.org>. Acesso em: 10 de maio de 2011.
    74. 74. ReferênciasINSTITUT FÜR ÖKOLOGISCHE WIRTSCHAFTSFORSCHUNG et al. Positionpaper for sustainable plant and animal breeding. Berlin, 2004.CENTRO ECOLÓGICO; MDA. Biodiversidade: passado, presente e futuro dahumanidade. Brasília, 2006. Disponível emhttp://www.centroecologico.org.br Acesso em 8 maio 2010.CONVENTION ON BIOLOGICAL DIVERSITY. COP 3, 4, 5, 8 Decisions.Disponível em http://www.cbd.int/decisions/cop/ Acesso em 8 maio 2010.FAO. Report on the state of the world’s plant genetic resources for foodand agriculture. Roma, 1996. Disponível em http://www.fao.org Acesso em10 maio 2010.HAMMER, Karl; ARROWSMITH, Nancy; GLADIS, Thomas. Agrobiodiversitywith emphasis on plant genetic resources. Naturwissenschaften (Berlin), n.90, jun. 2003.TUXILL, John. The biodiversity that people made. WorldWatch Institute(Washington), maio/jun. 2000.NODARI, R. O., Tenfen, S.Z.A., DONAZZOLO, J. Biodiversidade: ameaçase contaminação por transgenes. Revista Internacional de Direito eCidadania. , v.Abril, p.1 - 13, 2011
    75. 75. Fijación de carbono en diferentessistemas de cultivo (t CO2/ha) Cultivos comercializables Orgánico Convenc. Diferencia  Por encima de la biomasa 3,76 4,95 - 1,18 de la tierra  Biomasa de las raíces 1,44 0,89 0,55 Cultivos intercalados  Por encima de la biomasa 0,55 0,22 0,33 de la tierra  Biomasa de las raíces 0,22 0,09 0,13 Adventicias (“malezas”)  Por encima de la biomasa 0,22 0,04 0,17 de la tierra  Biomasa de las raíces 0,04 0,01 0,03 EFICIENCIA DE FIJACIÓN : 42,8 21,6
    1. A particular slide catching your eye?

      Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

    ×