• Like
Contribuições da Psicologia para Projeto de Formação Continuada Em Língua Portuguesa
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

Contribuições da Psicologia para Projeto de Formação Continuada Em Língua Portuguesa

  • 140 views
Published

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
140
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Universidade Criança Ido Rio dos Sinos -UNISINOS Psicologia da do Vale Professora Luciana Castoldi Contribuições da Psicologia para Projeto de CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE Portuguesa. Formação Continuada em Língua DE GÊNERO Andressa Cyrre Orientadoras: Ana Maria Mattos Guimarães e Sílvia P. C. Benetti Autoras: Andressa Cyrre - UFCSPA ; Tanise de Oliveira Fernandes - UNISINOS . Introdução Possuem uma atitude masculina fraca e Introdução Discussão passiva, permitindo-se dominar e assim de A construção de identidade de gênero nos alguma forma compensar a inferioridade meninos e meninas implica na apropriação feminina de suas parceiras¹. nos contextos que A Psicologia Escolar atua O dose s e n t e t r a b a l huniversoe n d e a p o n our p r elementos do o p r e t masculino t a possibilidades que fazem parte, designado pelo de inserção da Psicologia em Essa simbiose mãe/bebê desenvolvimento de envolvem o processo de intensa e sem feminino a interrupção impedirá questões que influenciam educandos, e nas que ele passe pelos pesquisa que pertence¹. Linguística Aplicada no sexo a da área de Este trabalho apresenta âmbito do que irá abordar algumas causas do projeto “Por uma Formação conflitos edípicos necessários ¹. este processo, como as de inclusão para a um estudo formação de sua identidade de gênero. Sem se C o n t i n u a d a acontece e r a t i v a p a r a o C o o p nesse processo nos Partimos do princípio de que a escola distúrbio que a apresenta como objeto paterno, odiversidade, interferência do um contexto de filho não Desenvolvimento os fazem se identificar com meninos, que do Processo Educativo de Leitura e Produção Textual Escrita no Ensino passará a competir pela mãe com depai, ao pluralidade e, fundamentalmente, o relações coisas do universo feminino, afetando seu invés de desejar nos inserirmosa nas escolas Fundamental”. humanas. Ao tê-la, passará querer ser comportamento. Baseado na compreensão ela ¹ ³. O psicanalítica,de ensino-aprendizagem está processo procuraremos percebê-las como um sistema este trabalho dará ênfase na permeado por questões filho, e as implicações social complexo, onde sujeitos e grupos se relação entre pais e sociais, institucionais e Conclusãode diferentes maneiras e níveis para individuais surgimento no distúrbio de gênero.esta articulam disso no que influenciam diretamente dinâmica. Nesse sentido, é importante para um alcançar o que o ensino objetiva ². Apesar de estudos comprovarem as citações projeto de grande porte o envolvimento de Desenvolvimento feitas, seria simplista demais tomar essas estudantes de Psicologia, que podem colaborar Considerações Finais considerações como a explicação conclusiva com conduta e impulsos enriquecimento do olhar A seu saber psi no femininos apresentados para questões tão complexas que envolvem a sobre a meninosseus alunos e suas relações. por escola, na infância são considerados O trabalho das bolsistas de Psicologia neste construção da identidade de gênero e como um distúrbio de identidade de gênero, projeto ainda está se configurando pelas orientação sexual. Sobre a responsabilidade por não serem comportamentos adequados ao observações em processo nas escolas e com Objetivoque pertencem. Isso geralmente ocorre Geral: dos pais nesse distúrbio, suas atitudes não sexo o desvelar de suas realidades. são intencionais, na sua concepção estão quando o menino, durante o processo de • Compreender e problematizar os gênero, não aspectos que oferecendo o desenvolvimento deste criação A partir do que há melhor para a trabalho, construção de identidade de acreditamos que, nas diferentes realidades dos filhos, e não esperam que isso possa se e n c o n t r a noecontexto m o d e l o m a s c u l i n o configuram n n h u m escolar. gerar algo que vá trazer sofrimento e culpa a escolares que se apresentam, podemos, consistente para se identificar, devido a forte Objetivos Específicos: entre ele e sua mãe, para osdo diálogo e parceria entre a Linguística partir envolvidos. simbiose estabelecida Aplicada e Psicologia, construir intervenções que não dá espaço para isso acontecer¹. que venham a colaborar conjuntamente na • Observar o desenvolvimento de aulas de Língua Na maioria das vezes, as mães desses Referências ensino e do aprendizado da língua melhora do Portuguesa, com suaacondição de mulher meninos tiveram finalidade de verificar portuguesa e nas questões psicológicas neles situações em que a ajuda psicológica possa se desvalorizada desde a infância, e tentam implicadas. fazer necessária; feminilidade inferiorizada com compensar sua (1)STOLLER, Robert J. Masculinidade e •Identificar inconscientede ser homem, que se no o desejo situações de inclusão escolar feminilidade : apresentações do gênero. Referências processo de educação de do filho, a verificar realizará com o nascimento forma vendo Porto Alegre: Artes Médicas, 1993. possíveisasituações conflitantes; neste masculinidade tanto almejada, e (2)BOWLBY, John. (2000) Formação segura : (1) Joly, M. C. R. A. Uma base do psicólogo • estabelecendo uma ligação muitorelações entre Analisar como se configuram as forte com a Aplicações a educação teoria do apego. 1. Revista escolar e clínicas da no terceiro milênio. ed. alunos/alunos mãe desvalorizará a imagem criança. Esta em processo de inclusão e Porto Alegre: Artes e Educacional, 4(2), pp. 51-55. Psicologia Escolar Médicas, 1989. professoresnãocontexto de sala de aula. buscar paterna, no dando espaço para o filho (3)KUSNETZOFF, Juan de 2011. Obtido em http:// Recuperado em 1 de maio Carlos. Introdução à www.scielo.br/pdf/pee/v4n2/v4n2a06.pdf psicopatologia psicanalítica. Rio Escolar: Desafios de Janeiro: • Estudar possibilidades no pai, o único modelo um modelo masculino que ajudem a mediação (2) Martínez, A. M. (2007). Inclusão Nova o Psicólogo. 1982-1997. A. M. Psicologia escolar para Fronteira, Em: Martínez, dessas irá encontrar é o materno ¹ ². que relações. e compromisso social: novos discursos, novas práticas, Os pais desses meninos dificilmente serão pp. 95-114. (2ª.ed.). Campinas, SP: Editora Alínea. uma imagem presente significativa em suas Contato: decyrre@hotmail.com Metodologia vidas, até porque a mãe dominadora não permitirá sua interferência. Trata-se de uma pesquisa-ação. Contato: tanise.fernandes@hotmail.com Etapas a percorrer: Observação de 4 horas-aula; decyrre@hotmail.com filmagem de 8 horas-aula sequênciais; entrevista com roteiro com os professores, alunos com foco em questões de inclusão.Tuesday, August 21, 12