Gestão de projectos   a prática
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Gestão de projectos a prática

on

  • 87 views

 

Statistics

Views

Total Views
87
Views on SlideShare
87
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
4
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Gestão de projectos   a prática Gestão de projectos a prática Presentation Transcript

  • Estudo de uma Aplicação para a gestão de projectos O OpenProj Elaborado por: Professor Joaquim Afonso Mucuambi Tecnologias de Informação e de Comunicação- 12ªClasse Curso: Informática de Gestão IMAGN
  • Características básicas do OpenProj  Baseia-se no modelo diagrama de rede (modelo de rede PERT): As tarefas do projecto são criadas sob a forma de blocos interligados, formando uma rede.  A introdução dos dados é feita a partir de uma tabela. Paralelamente, é gerado automaticamente um gráfico de Gantt, auxiliando o processo de entrada de dados. 2
  •  Aceita relações de precedências entre tarefas do tipo Término- Inicio, Inicio-Inicio, Termino- Termino, e Inicio- Termino.  Permite estabelecer niveis hierarquicos de entre tarefas de resumo. Este aspecto é muito útil na criação da estrutura de decomposições do trabalho. Pode-se agrupar todas as tarefas relacionadas com uma determinada área. 3
  • Exemplo: A construção de uma habitação , podem associar-se todas as tarefas relacionadas com a pintura. Possui recursos para agrupar, filtrar e classificar as tarefas. Possui um conjunto padrão de relatórios, podendo o utilizador criar os seus próprios relatorios. 4
  • Tempo (Datas e folgas)  O calculo da rede é feito automaticamente com a introdução de dados.  Permite a definição de semana de trabalho, expediente de trabalho e feriados.  O calculo da rede pode ser feito do inicio para o fim ou do fim para o inicio.  Permite a utilização de datas programadas para as tarefas.  Permite a utilização do modelo probabilistico. 5
  • Recursos  Os recurso podem se associados directamente as tarefas.  Permite efetuar a redistribuição de recursos de forma manual ou automática. Custos Os custos são associados directamente as tarefas sob a forma de custos fixos ou de custos dos recursos associados. 6
  • Ambiente de trabalho do OpenProj 7
  •  1. Vista actual de trabalho.  2. Menu principal.  3. Barra de ferramentas.  4. Área gráfica.  5. Área para as tabelas.  6. Barra de visualização. 8
  • Elementos da barra de visualização  Grafico de Gantt  Diagrama de Rede  Recursos: Apresenta uma lista de recursos e informações relacionadas com estes.  Diagrama de EAP: Estrutura Analitica do Projecto.  Diagrama de RBS- Diagrama de Recursos.  Relatório. 9
  •  Uso da Tarefa: Oferece uma lista de tarefas que mostra os recursos atribuídos.  Uso do Recurso: Oferece uma lista de tarefas agrupadas por recursos.  Histograma: Útil para apresentar informações sobre um recurso ou um grupo de recurso de acordo com o calendário. 10
  • Criação de um novo projecto  Apos a abertura do programa, surgi-nos uma caixa de dialogo onde podemos aptar entre “Criar Projecto” ou Abrir Projecto. 11
  •  Ao clicar em Criar Projecto, vai aparecer uma outra caixa de dialogo de Novo Projecto. 12
  •  Para alem nome do projecto e do gerente, deverá ser fornecida a “Data de inicio” ou a Data de Término do projecto de acordo com a opção tomada em “Planejamento adiantado”. 13
  • 14
  • Informações do projecto  Inicio – data de inicio do projecto.  Termino – data conclusão do projecto. Inicialmente contém a data actual. Na inserção de dados conterá a data de termino do projecto conforme o calculo realizado pelo programa.  Planejamento adiantado – determina a data a considerar para montar a agenda ( Data de inicio ou a Data de Termino). Os cálculos para obter as datas das tarefas rede são feitas com base nesta opção. 15
  •  Data de inicio do projecto: Os cálculos são do inicio para o final da rede.  Data de termino do projecto: Os são efetuados do fim para o inicio da rede.  Data actual: data actual de acordo com o relógio do computador.  Data de Status: data da recolha dos correspondentes aos andamento do projecto.  Calendário base: Especifica os dias da semana e horários a serem considerados na agenda 16
  •  Para proceder a inserção dos dados relativos as tarefas deve proceder-se do seguinte modo.  1º Clicar na coluna Nome e digitar o nome da actividade.  2º Clicar na coluna Duração ou pressionar a tecla Tab e digitar a duração da tarefa que deve conter um número seguido de uma letra. 17 Uindade de tempo Letras a utilizar Minutos m Horas h Dias d Semanas s Meses ms
  •  Por exemplo na primeira actividade digite 8d indicando a duração de 8 dias. Caso não tenha a certeza do tempo de duração da actividade, pode digitar-se o símbolo ? Apos a letra (8d?), assim o programa vai entender que se trata de uma estimativa. Obs: No Openproj ao digitar o tempo de duração ele calcula automaticamente o valor das colunas Inicio e Término. 18
  •  3º A proxima coluna a digitar é a Predecessoras. Deve digitar-se nesta coluna o código das tarefas precedentes ( numero situado a esquerda da tabela ) a que se esta a registar. Caso haja mais de uma actividade precedente separamo-las com ponto e virgula (;).  4º A coluna seguinte é a Nome do Recurso. Nesta coluna deve-se introduzir –se o nome dos recurso a serem utilizados para a realização das tarefas. 19
  • Calendário de trabalho 20
  • Operações associados á definição do periodo de trabalho  Marcação de um determinado dia como feriado- deve seleccionar-se o dia pretendindo (no exemplo escolher um dia como feriado), e posteriormente seleccnionar a opção Periodo de folga.  Alterar o horario de trabalho- Definir por exemplo aos Sabados so se trabalha a parte da manhã, das 9h00 horas ate as 12h30. para isso é necessário seleccionar no calendário o S, correspondente ao sabado e de seguida21
  • 22
  •  Criação de um novo calendario- Quando o calendário padrão mão atender as necessidades do nosso projecto, é recomendável que se defina um novo calendário antes de se fornecer a lista das tarefas.  Clicando no botão Novo, seguindo de uma das opções Criar um novo calendário base ou Criar uma copia do calendário. 23
  • 24
  • Definição dos recursos  Para aceder ao local onde vão ser inseridos os recursos, deve ir-se ao menu Exibir e seleccionar o comando Recursos.  Ou então procurar na barra de visualização a folha de recursos.  Teremos o Nome: O tipo de trabalho ou material. 25
  •  RBS: nome do cargo ou hierarquia do recurso.  Tipo: recursos podem de dois tipos: ◦ Trabalho – permite definir pessoas ou equipamentos de trabalho em horas (por exemplo: pintor). ◦ Material – permite definir recursos de materiais, como por ex. acessorios ou outros itens consumivéis utilizados para realizar as tarefas num determinado projecto, atribuindo o26
  •  Email-campo refernte ao endereço electronico associado ao recurso.  Rotulo do material – campo onde se introduz a unidade. Por exemplo metros, toneladas, ou caixas para os recursos do tipo material.  Grupo – pode atribuir-se um nome a um grupo de recursos, por ex. 3 mecanicos no projecto. Pode-se escrever Mecanicos no campo Grupo para estes 3 trabalhadores. 27
  •  Máximo de unidades: Percentagem do tempo associado a tarefa. Por ex. pode informa-se que o recurso pintor estara dedicado durante 50% do seu tempo total diário a uma tarefa.  No caso de materiais, indica-se o numero de unidades necessarias para a realização da tarefa.  Taxa padrão- custo do trabalho em horario de trabalho. (valor da hora de trabalho – trabalhador e o custo por unidade para os materiais). 28
  •  Taxa de hora extra: custo do trabalho em horas extra.( se for um material esta campo não se aplica).  Custo/Uso: taxa definida para a utilização de um recurso.  Acumular: como e quando os custos do recurso deverão ser imputados (impostos) ao custo de uma tarefa. Podem ser: ◦ Inicio: Custos são imputados assim que a tarefa á iniciada. ◦ Rateado: A imputação do custo é proporcional á percentagem de execução da tarefa. ◦ Fim: Os custos não são imputados até que o trabalho restante seja igual a zero (custo imputado 29
  • Relatórios  Estes relatórios são uteis no sentido de imprimir os dados do projecto.  Clicamos sobre o menu Exibir seguido do comando Relatórios ou clicar no ícone situado na barra de visualização. Tipos de Relatório. 30
  • 31
  • Tipos de relatórios  Project Details: relatorio que fornece um visão geral sobre o projecto.  Resource Information: relatorio que fornece informações sobre os recursos, nomeadamente o Tipo, email, e o Rotulo do Material.  Task Information: ralatorio que fornece informações sobre as tarefas nomeadamente a duração, a data de inicio e de término, as precedencias e recursos associados.  Who Does That: relatorio que permite imprimir uma lista de tarefas e os respectivos recursos atribuidos , bem como a quantidade de trabalho agendado. 32
  •  Observa-se também que a Área grafica ( situada a direita da tabela) o programa vai montando automaticamente o Gráfico de Gantt. EXERCICIO PRÁTICO  Crie um Projecto para a reparação de uma Maquina da Empresa Global elaborando um diagrama de rede (PERT). 33
  • 34 Código Actividades Precedência imediata Duraçõe s (Dias) A Verificar as anomalias - 8 B Desmontar a maquina da fundação A 4 C Transportar partes da maquina ate a oficina de reparações B 1 D Desmontar a maquina C 6 E Reparar as partes da maquina C 19 F Pintar a maquina – 1ª demão E 1 G Pintar a maquina – 2 ª demão F 1 H Construir nova fundação D 5 I Transportar partes reformadas ate á fabrica G 1 J Montar a maquina I 6 K Posicionar a maquina montada sobre a fundação H; J 2 L Efectuar os testes finais K 2 M Entrega L 0