Reengenharia de Processos - Benchmarking

13,416 views
13,099 views

Published on

1 Comment
12 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
13,416
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
12
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Reengenharia de Processos - Benchmarking

  1. 1. REENGENHARIA DEPROCESSOSBENCHMARKINGPedro Fontoura, Nathan Dal Ben, JuliaDornelles, Xiston Rodrigues e Rodrigo BressanProfessor José HenriquePaniaguaIntrodução a Gestão
  2. 2. ÍNDICE O que é Reengenharia O pioneiro da Reengenharia Objetivos da Reengenharia Pondo em prática a Reengenharia A Reengenharia de Processos Introdução ao Benchmarking Surgimento do Benchmarking Rank Xerox, pioneiros do Benchmarking O que é Benchmarking A quem se destina o Benchmarking
  3. 3. ÍNDICE Objetivos do Benchmarking Quando usar o Benchmarking Vantagens e desvantagens do Benchmarking Tipos de Benchmarking As fases do processo de Benchmarking Casos de Sucesso do Benchmarking Bibliografia
  4. 4. O QUE É REENGENHARIA Reengenharia é o ato de repensar e reprojetar deforma radical os processos de uma empresa paraobter grandes progressos em indicadores críticos dedesempenho como custos, qualidade, serviços eagilidade. É um sistema administrativo utilizado pelasorganizações para se manterem competitivasno mercado e alcançarem as suas metas,reformulando o seu modo de fazer negócios, suasatividades e tarefas e/ou processos.
  5. 5. O PIONEIRO DAREENGENHARIA Michael Martin Hammer (13 April 1948 – 3 Sept2008) foi o criador da Reengenharia. Em 1990 escreveu um artigo sobrereengenharia para a revista HarvardBusiness Review. Por volta de 1993publicou junto com James Champyo livro best-seller internacionalReengineering the Corporation.
  6. 6. OBJETIVOS DAREENGENHARIA Ajudar a melhorar e controlar as operações daempresa; Minizar as demoras e tempos “mortos” de processosda empresa; Tornar seus processos mais efetivos e eficientes; Eliminar erros e desperdícios; Reduzir custos;
  7. 7. UM POUCO MAIS SOBRE AREENGENHARIA O redesenho produz eficiência nos processosempresariais, pois a entrega de produtos é feita nomenor espaço de tempo possível, os produtos eserviços são otimizados, a satisfação dos clientes, alucratividade e o faturamento é crescente. A reengenharia vem modificar o perfil do processoempresarial, proporcionando mudanças importantespara a Estrutura Organizacional, os ValoresOrganizacionais e os Sistemas de Informação.Entretanto, essas mudanças criam resistências aosempregados que já se consolidaram numa forma detrabalho. Daí resulta a grande dificuldade para aorganização: barrar essas resistências e fazer comque eles entendam os benefícios deste novo sistema.
  8. 8. UM POUCO MAIS SOBRE AREENGENHARIA Como resolver esse problema?O mundo mudou, o mundo das certezas não existemais! Durante quanto tempo é possível sustentar omesmo produto, ou o mesmo cliente, ou a mesmatecnologia? Hoje a certeza é a mudança. Umadescoberta feita hoje em Twaian pode, amanhã, seabater sobre todos os "concorrentes" de um dadosegmento de mercado, portanto tudo que estavacertinho, bem dividido e resolvido pode desabar numpequeno instante.
  9. 9. PONDO EM PRÁTICA AREENGENHARIA A metodologia da implementação de processos dereengenharia estrutura-se em quatro etapas:Preparação• Consiste emlistar osprocessos daempresa,selecionar umou maisprocessos aredefinir emobilizarrecursos para oprojetoPlanejamento• devem-segarantir osmeios (tempo,pessoas eorçamento(recursos)), estruturaras equipes detrabalho edistribuir tarefasImplementação• analisar osprocessosselecionados(responsável,envolvidos,pontos fracos epontos fortes),reinventar osprocessos(visãocliente/resultadoesperado),avaliar oimpacto damudança eimplementaressesAvaliação• medir ecomunicar osresultados,controlar oprocesso e geriro impacto dasalterações nosoutrosprocessos
  10. 10. A REENGENHARIA DEPROCESSOS A ciência da Reengenharia apresenta-se em trêsvertentes, em função do nível hierárquico visado: aReengenharia de processos, a Reengenharia defunções, e a Reengenharia organizacional daempresa. A Reengenharia de Processos, em traços gerais,permite às empresas diminuir os problemas deineficiência, alto custo e insatisfação dos clientes.
  11. 11. A REENGENHARIA DEPROCESSOS A Reengenharia de Processos é utilizada para que aempresa alvo se torne competitiva, utilizando seusmétodos de execução de tarefas, criandos novosmeios de comercialização para que assim exista umamaior eficiência organizacional e satisfação dosclientes dessas empresas.Na Reengenharia de Processos, a empresa tem queanalisar um método de trabalho observando osresultados desse processo e avaliando odesempenho final.
  12. 12. INTRODUÇÃO AOBENCHMARKING A globalização é o fenômeno mais importantepara a existência do Benchmarking. A queda debarreiras comerciais, o rápido avanço tecnológicoe o grande aumento das expectativas dos clientessão seus principais agentes. A procura de vantagens competitivas tornou-seum critério indispensável para a sobrevivência deuma organização. A empresa que não se adaptaas mudanças que vem ocorrendo de formaassutadoramente veloz tende a cair noesquecimento e, por sua vez, aodesaparecimento.
  13. 13. INTRODUÇÃO AOBENCHMARKING Por isso, a constante melhoria torna-se uma armamuito poderosa para aqueles que desejammanter-se competitivos. Sem este tipo depensamento, a sobrevivência da empresa podeficar comprimetida. Contudo, há uma ferramenta muito interessanteque existe para resolver tais problemas, oBenchmarking.
  14. 14. SURGIMENTO DOBENCHMARKING O Benchmarking surgiu como uma necessidadede informações e desejo de aprender depressa,como corrigir um problema empresarial. O Benchmarking (não conhecido por este nomena época) já era utilizado por Frederick Taylor nofinal do Séc. XIX quando este dividiu o trabalhonas fábricas em diversos processos, permitindoassim a comparação dos mesmos.
  15. 15. SURGIMENTO DOBENCHMARKING Já no início dos anos 70 começaram a aparecerempresas que puseram em marcha práticas comoa identificação de modelos a seguir dentro dasempresas concorrentes do seu sector ou mesmoa identificação interna de departamentos oupessoas que obtiveram melhores resultadosdentro da própria empresa para depois importarpara o resto da companhia esses procedimentosde modo a obter um maior rendimento.
  16. 16. RANK XEROX, PIONEIROS DOBENCHMARKING Foi nos EUA que o Benchmarking ganhouexpressão, individualidade e notoriedade,atribuindo-se à Rank Xerox Corporation opioneirismo na introdução da prática deBenchmarking na década de 70.
  17. 17. O QUE É BENCHMARKING Benchmarking é um processo de pesquisa,contínuo e sistemático, onde o administradorrealiza comparações de processos e práticas desua empresa com os de organizações que sãoreconhecidas como representantes das melhorespráticas administrativas, para avaliar produtos,serviços e métodos de trabalho, com o propósitode aprimoramento organizacional, procurando asuperioridade competitiva.
  18. 18. O QUE É BENCHMARKING A técnica de Benchmarking visa portanto, odesenvolvimento de estudos que comparem odesempenho com a concorrência e comreferenciais de excelência, objetivando atingiruma posição de liderança em qualidade. Estesestudos, organizados em projetos, devemidentificar serviços e processos de alto nível dequalidade em outras empresas, ou setores daprópria empresa, avaliar como tais resultados sãoobtidos, e incorporar o conhecimento, quandoaplicável à seus processos e serviços.
  19. 19. A QUEM SE DESTINA OBENCHMARKING Podem beneficiar desta ferramenta de Gestão: Empresas indepentedemente da sua dimensãodos seguintes setores de atividade: Comércio Indústria Construção Transporte e logística Prestação de serviços a outras empresas Entidades empresariais que funcionam comoferramenta de apoio ao aconselhamento àsempresas.
  20. 20. OBJETIVOS DOBENCHMARKING O objetivo do benchmarking é facilitar e estimularas mudanças organizacionais e a melhoria dedesempenho através da aprendizagem com osoutros, portanto deve ser feito de modo aalcançar os seguintes objetivos: Melhorar o processo de trabalho Reformular as estratégias existentes Redução de custos e orçamento Realização de novos empreendimentos
  21. 21. QUANDO USAR OBENCHMARKING Existem alguns fatores desencadeadores na horade decidir quando usar esta ferramenta ou não,como por exemplo: Tentativas de melhorar as operações Revisão de estratégias existentes Mudanças de gerência Processo de redução de custos e/ou orçamentos Ataques competitivos/crises
  22. 22. VANTAGENS E DESVANTAGENSDO BENCHMARKING Benchmarking é: Um processo contínuo Uma procura que fornece informação valiosa Um processo de aprendizagem Um leque de oportunidades Uma análise aos processos Uma ferramenta de gestão, aplicável aosprocessos da empresa
  23. 23. VANTAGENS E DESVANTAGENSDO BENCHMARKING Benchmarking não é: Um ato isolado Um livro de receitas Uma cópia ou uma imitação Reinventar o que já foi inventado Uma constatação dos fatos Uma moda de gestão
  24. 24. VANTAGENS E DESVANTAGENSDO BENCHMARKING Tendo isso em vista, as vantagens da análise deBenchmarking são: Introduzir novos conceitos de avaliação Melhorar o conhecimento da própria organização Identificar áreas que devem ser alvos demelhorias Estabelecer objetivos viáveis e realistas Crair critério de prioridade no planejamento Favorecer um melhor conhecimento dosconcorrentes e do nível competitivo do mercado Aprender com os melhores
  25. 25. TIPOS DE BENCHMARKINGBenchmarkingCompetitivoou deConcorrênciaBenchmarkingInternoBenchmarkingGenérico ouEstratégicoBenchmarkingFuncional
  26. 26. TIPOS DE BENCHMARKINGBenchmarkingCompetitivo oudeConcorrência Compara processos, serviços, produtos e métodoscom empresas que são concorrentes diretas.Existe, no entanto, alguns obstáculos neste tipo deabordagem, que se centram basicamente naconfidencialidade e de encontrar empresas com amesma atividade que queiram partilharinformações, ou seja, expor suas fraquezas e/ouforças. Por causa disso, muitas vezes é necessáriocontratar uma consultoria externa para obterinformações sobre o Benchmarking Competitivo.
  27. 27. TIPOS DE BENCHMARKINGBenchmarkingInterno Compara funções dentro da organização, entredepartamentos ou entre unidades de negócio. É aprática de Benchmarking mais comum e é tambéma mais acessível, uma vez que permite um maiorconhecimento dos processos internos daorganização. A grande desvantagem é que aspráticas estarão sempre impregnadas com osmesmos paradigmas.
  28. 28. TIPOS DE BENCHMARKINGBenchmarkingGenérico ouEstratégico É o tipo de Benchmarking com o ponto de vistamais radical, uma vez que promove a análisefundamental de processos que cruzam variasfunções em setores que não estão relacionados,como por exemplo, o processo desde a entrada deum pedido até a entrega do produto ao cliente. Éneste tipo de Benchmarking que encontramos amaioria dos exemplos práticos e onde as empresasestão mais dispostas a colaborar e a ser maisverdadeiras.
  29. 29. TIPOS DE BENCHMARKINGBenchmarkingFuncional Compara atividades funcionais semelhantes emempresas que não são diretamente concorrentes.Alguns autores vinculam o conceito debenchmarking funcional ao benchmarking genérico,pela possibilidade dos mesmos serem utilizadossem se levar em consideração a concorrênciadireta da organização que aprende ou patrocina oestudo e a organização "investigada".
  30. 30. AS FASES DO PROCESSO DEBENCHMARKINGPlanejamentoColeta internade informaçãoColetaexterna deinformaçãoMelhoria dodesempenhodo itemMelhoriacontínua
  31. 31. AS FASES DO PROCESSO DEBENCHMARKINGPlanejamento Identificação do item Obtenção do apoio da Direção Desenvolvimento do sistema de medida Desenvolvimento do plano de coleta deinformação Revisão dos planos Caracterização do item
  32. 32. AS FASES DO PROCESSO DEBENCHMARKINGColeta internade informação Coleta e análise de informação publicadaanteriormente Seleção de potenciais parceiros internos Caracterização do item em cada parceiro Coleta interna de dados Realização de visitas aos parceiros
  33. 33. AS FASES DO PROCESSO DEBENCHMARKINGColeta externade informaçãoAs atividades desta fase são uma repetição dasdescritas na fase anterior, porém com focoexterno. Elas estão dividas, para efetios deconcepção, em duas grandes atividades, que são: Coleta de informação publicada externamente Coleta de dados externos
  34. 34. AS FASES DO PROCESSO DEBENCHMARKINGMelhoria dodesempenhodo itemSua metodologia de implementação é crítica, poisrequer análises muito cuidadosas de grandequantidade de informação recolhida, bem como ainterpretação dos elementos no contexto daorganização. Envolve: Identificação das Ações Corretivas Desenvolvimento do Plano de Implementação Obtenção da Aprovação da Solução Implementação e Verificação da Solução
  35. 35. AS FASES DO PROCESSO DEBENCHMARKINGMelhoriacontinuaNesta altura, após terem sido alcançados os objetivos a quese propusera, a organização tem duas alternativas: direcionaros esforços para a melhoria de outro item e nada fazer peloprimeiro ou continuar a trabalhar na melhoria do desempenhodo item. Quando se abandonam os esforços de melhoriacontínua, o melhor que pode acontecer é que o desempenhose mantenha estável. No entanto, as organizaçõesconcorrentes poderão estar a trabalhar em melhoria contínua,o que vai provocar, num futuro próximo, um novo desvionegativo no desempenho do item. É claro que é preferívelcontinuar os esforços de melhoria do item, e para tal deverãoser realizadas duas atividades: Manutenção da base de dados.
  36. 36. CASOS DE SUCESSO DOBENCHMARKING Grandes empresas já aplicaram com sucesso oBenchmarking, algumas delas foram: IBM Motorola Avon Kodak
  37. 37. BIBLIOGRAFIA http://www.iapmei.pt/iapmei-bmkindex.php http://pt.wikipedia.org/wiki/Benchmarking http://amigonerd.net/humanas/administracao/benchmarking-gestao-de-conhecimento-e-reengenharia http://ogerente.com.br/novo/colunas_ler.php?canal=10&canallocal=31&canalsub2=101&id=1291 http://www.procosmospt.com/ReengenhariadeProcessos.html http://pt.wikipedia.org/wiki/Reengenharia http://pt.wikipedia.org/wiki/Reengenharia_de_processos
  38. 38. REENGENHARIA DEPROCESSOSBENCHMARKINGPedro Fontoura, Nathan Dal Ben, JuliaDornelles, Xiston Rodrigues e Rodrigo BressanProfessor José HenriquePaniaguaIntrodução a Gestão

×