1
2
3
Olá, eu sou a Cristina, mas todos me tratam por Criz. Criz.
Tenho 16 anos e sou estudante. Estou muito apaixonada
        ...
Então, assim que chegamos a praia, pousamos as nossas
coisas e fomos dar um passeio. Hoje apeteceu-nos dar um
            ...
6
Eu muito calada e quieta no meu canto, ele perguntou-me:
                                              perguntou-me:
  -PP...
O chefe começo a fala comigo a di e :
         começou falar          dizer
                                dizer:
  - Tu ...
9
Ao    almoço    fiquei    a
conhecer todas as pessoas
que tinha de conviver
naquela casa até ter uma
oportunidade     de  ...
Depois do almoço, fui para o “meu” suposto quarto. Fiquei
                                  meu           quarto.
no quart...
O Micael vira-se para mim e disse:
            vira- p              disse:
  - Estás bem?
  - Sim – dando-lhe um sorriso.
...
- Sim também já estou cansada o dia de hoje foi muito
   Sim,                    cansada,
agitado – respondo eu Continua-m...
14
Quando eu acordei ele ainda
estava a d
   t         dormir, fui a cozinha
                   i   fi       ih
beber um copo...
Sentei-
  Sentei-me em cima de uma rocha e pus-me a pensar em
                              rocha, pus-
voz alta:
     alt...
Pelo caminho eu pergunto-lhe se ele sabe nadar e ele disse-
                    pergunto-                              dis...
Quando fui para o quarto com o Micael só nos riamos do
silêncio que se fez ao jantar e o dia que passamos juntos.
        ...
Eu contei-lhe tudo, afinal
 E contei-lh t d
        ti               fi l
ele mandou os outros
embora para me poder
ajudar...
Rapto11
Rapto11
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Rapto11

330 views
287 views

Published on

Published in: Business, Travel
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
330
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
12
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Rapto11

  1. 1. 1
  2. 2. 2
  3. 3. 3
  4. 4. Olá, eu sou a Cristina, mas todos me tratam por Criz. Criz. Tenho 16 anos e sou estudante. Estou muito apaixonada estudante. por um rapaz e que por consequência, tive uma aventura com ele... ele... “Era verão com um daqueles dias bem quentes e eu e a q q minha amiga Rita fomos á praia. Nós encontramo-nos na praia. ó encontramo- praia á 3 anos, ela era da minha turma de escola, e ficamos a saber que frequentávamos a mesma praia.praia. Normalmente pela manhã, ainda o sol a nascer e sem N l t l hã id l estar ninguém na praia ( a não ser nós as duas ) vamos dar um passeio pela praia. praia. Eu trato-a por Ritinha tem 15 anos e também é trato- Ritinha, estudante. estudante. Quando estamos de férias em Sesimbra nós e os nossos amigos gostamos muito de sair para estarmos j juntos. juntos. Principalmente a noite, e a tarde, mas de manhã p não, porque o pessoal gosta é de ficar a dormir, e não tem ã ã paciência para estar a acordar de manhã. Então, eu e a manhã. Ritinha vamos as duas á praia. Levamos uma bola, praia. raquetes, cartas, raquetes cartas e boa disposição e é tudo o que nós precisamos para ter um dia fantástico 4
  5. 5. Então, assim que chegamos a praia, pousamos as nossas coisas e fomos dar um passeio. Hoje apeteceu-nos dar um passeio. apeteceu- passeio maior. Quando já estávamos a voltar para as nossa maior. coisas, a Ritinha queria dar um mergulho. Eu disse-lhe para mergulho. disse- ela ir a água, para eu ficar com as coisas dela, ela deu-me g ,p , deu- os calções e o telemóvel, eu entretanto sentei-me na areia sentei- e ela foi mergulhar. mergulhar. Entre tanto um rapaz apareceu por trás de mim, apontou- apontou- me uma arma as costas e di t disse: disse: - Disfarça e cumprimenta-me. cumprimenta-me. Eu muito assustada fiz o que ele mandou. mandou. Deixei cair as coisas da Rita enquanto o estava a cumprimenta- cumprimenta-lo, ele agarrou-me, puxou-me para dentro de agarrou- puxou- uma carrinha beje, e a primeira coisa que faço quando entro na carrinha é ir à janela e vejo a Rita fora de água janela, numa praia quase deserta, a olhar para tudo quanto era sítio á minha procura. procura. Dentro da carrinha o rapaz que me raptou começou a falar comigo. comigo. Apresentou-se: Apresentou-se: - Eu sou o Micael e durante algum tempo vais ficar comigo. comigo. 5
  6. 6. 6
  7. 7. Eu muito calada e quieta no meu canto, ele perguntou-me: perguntou-me: -PPara onde queres ir? d i? - Para casa! – respondo eu - Não! – disse ele num tom carinhoso. – Queres ir para uma carinhoso. barraca, caravana, ou uma casa grande? b d? Eu pensei um bocado, e eu como não era parva nenhuma não ia escolher uma barraca, então disse com uma voz fininha e baixa: baixa: - Uma casa grande. grande. Assim que ele obteve a minha resposta pegou no telemóvel, marcou um número qualquer e assim que atenderam do outro lado, ele disse: disse: - Oi, casa grande – e desligou o telefone. telefone. Foi sentado a meu lado o caminho todo. todo. Quando chegamos amarrou-me os braços e disse-me que eu amarrou- disse- ia falar com o chefe, abriu a porta da carrinha e quando saímos eu fiquei parada de boca aberta a ver um palácio daqueles. daqueles. Entrando em casa, o Micael levou-me a sala do chefe, levou- mandou- mandou-me sentar, desamarrou-me e saiu. desamarrou- saiu. 7
  8. 8. O chefe começo a fala comigo a di e : começou falar dizer dizer: - Tu esta semana vais estar todos os dias com um rapaz diferente, e estás a vontade para andar pela casa toda. , p p toda. Agora vais com uma empregada escolher roupa na sala, e tens 1000 euros para gastar em roupa e acessórios. acessórios. A empregada era uma rapariga nova chamava-se nova, chamava- Vanessa. Vanessa. Mostrou- Mostrou-me a casa toda e em seguida fomos para a sala ver as roupas. roupas. 8
  9. 9. 9
  10. 10. Ao almoço fiquei a conhecer todas as pessoas que tinha de conviver naquela casa até ter uma oportunidade de fugir daquela casa. casa. Fiquei de boca aberta ao ver todas as pessoas que estavam na mesa, pois eles eram 4 raptores e três deles eu conhecia, o Luís, o meu ex-namorado, o ex- d Fred, o meu amigo conselheiro, e o Miguel por quem comecei a gostar quando acabei com o Tiago. Por um lado fiquei Tiago. contente por conhecer toda a gente, mas por outro t t lado fiquei confusa por serem eles. eles. 10
  11. 11. Depois do almoço, fui para o “meu” suposto quarto. Fiquei meu quarto. no quarto durante algum tempo a perguntar-me “no porquê perguntar- de serem eles os raptores!” Entretanto a Vanessa bate á porta. Ela foi lá para me dar porta. concelhos e sugestões sobre o que tinha d fazer para que lh õ b i h de f nada de mal me acontece-se. acontece-se. Ficamos as duas a tarde toda a conversar e a descobrir coisas uma da outra naquela situação só tinha mais que outra, aceitar a amizade dela, pois não tinha mais ninguém para conversar e desabafar. desabafar. Fomos jantar. Depois do jantar o chefe chamou-me a sala jantar. chamou- dele. dele. Muito calmamente começou a falar que no final da semana teria de escolher com qual dos quatro rapazes teria de ficar. Acabada a conversa fui para a sala onde estavam ficar. todos sentados nos sofás a ouvir música e a ver t l i ã td td fá i úi televisão, eu sentei-me no meio do Fred e do Micael, a pensar no que sentei- o chefe disse. disse. 11
  12. 12. O Micael vira-se para mim e disse: vira- p disse: - Estás bem? - Sim – dando-lhe um sorriso. dando- sorriso. - Sabes – diz ele com um ar de felicidade – a noite de hoje, o dia de amanhã e a noite de amanhã fico contigo. contigo. - Ok! – digo eu. eu. Eu não me podia queixar, afinal estava a ser tratada ã como uma princesa. Ao longo vejo a Vanessa a acenar- princesa. acenar- me para ir ter com ela, fomos as duas para o jardim, estendemo-nos no chão e a olhar para as estrelas, eram estendemo- td hã lh tl lindas! Passando um bocado aparece o Miguel e estende-se a estende- meu l d agarrando a minha mão. lado d h mão.ã Continua- Continua-mos a falar de estrelas até que se fez uma pausa de silêncio, e o Micael perguntou-me: perguntou-me: - Vamos para o quarto dormir? 12
  13. 13. - Sim também já estou cansada o dia de hoje foi muito Sim, cansada, agitado – respondo eu Continua-mos a falar de estrelas até Continua- que se fez uma pausa de silêncio, e o Micael perguntou- perguntou- me: me: - Vamos para o quarto dormir? - Sim, também já estou cansada, o dia de hoje foi muito agitado – respondo eu Quando cheguei ao quarto fui buscar o pijama e fui-me fui- vestir para a casa-de-banho. Quando saí já estava o Micael casa-de-banho. deitado na cama á minha espera para apagar a luz. luz. luz, ... Eu d i i- E deitei-me e ele apagou a l deitei l agarrou-se a mim e agarrou- i adormeceu. adormeceu. Quando cheguei ao quarto fui buscar o pijama e fui-me fui- vestir para a casa-de-banho. Quando saí já estava o Micael casa-de-banho. deitado na cama á minha espera para apagar a luz. luz. Eu deitei-me e ele apagou a luz, agarrou-se a mim e deitei- agarrou- adormeceu. adormeceu. ... 13
  14. 14. 14
  15. 15. Quando eu acordei ele ainda estava a d t dormir, fui a cozinha i fi ih beber um copo de água e fiquei a conversa com a Vanessa. Depois Vanessa. fui para o quarto antes que toda a gente acorda-se. Quando cheguei acorda-se. ao quarto o Micael já não estava lá, fui-me vestir e entretanto a fui- Vanessa foi ter comigo ao quarto, V f it i t e eu perguntei-lhe: perguntei-lhe: - Sabes onde está o Micael? - Nã t Não, também não sei onde se bé ã i d meteu o chefe, os cozinheiros e os outros! – disse Vanessa admirada. admirada. – Vamos para a sala? - Vamos – respondo eu Antes de ir-mos para a sala ir- fomos dar uma volta á casa, á procura de alguém, e começamos a ouvir barulho na sala de jantar, estavam todos lá a conversar. conversar. Tomei o pequeno-almoço e fui T i pequeno- l fi para o jardim. jardim.
  16. 16. Sentei- Sentei-me em cima de uma rocha e pus-me a pensar em rocha, pus- voz alta: alta: - Eles deixam-me completamente á vontade, posso fazer deixam- o que quiser e o que me apetecer. apetecer. Com isto estava o Micael a ouvir-me a falar em voz alta e ouvir- meteu- meteu-se nos meus pensamentos: pensamentos: -Sim, cada um dos rapazes faz o que quer contigo, se te deixa á vontade ou se te controla. controla. Eu fiquei um pouco atrapalhada, mas depois pensei para mim: mim: -Se todos fossem assim não vou ter problemas nenhuns. nenhuns. O Micael perguntou-me quais eram os hobyes que eu tinha perguntou- e que gostava de fazer, eu disse-lhe que os hobyes que eu disse- gostava muito d fazer era natação, i ao ginásio, e a i de f ã ir iái dança, e o que me estava a apetecer naquele momento era nadar. Logo de seguida ele disse-me: nadar. disse-me: -Vamos para a piscina? - Sim, vamos, mas primeiro temos de ir ao quarto mudar de roupa – disse eu. eu.
  17. 17. Pelo caminho eu pergunto-lhe se ele sabe nadar e ele disse- pergunto- disse- me: me: - Sei o básico, o crawl, costas e mais ou menos bruços. bruços. - Então e mariposa? – perguntei eu. eu. - Não! – disse ele um pouco envergonhado. envergonhado. - E queres aprender? - Se fores boa professora! – disse ele a brincar. brincar. Desmanchamo- Desmanchamo-nos a rir! Quando eu saltei para a piscina, ele disse que também q queria aprender a saltar. p saltar. Enfim, passamos o dia todo na piscina, mas á tarde já não estávamos sozinhos, foi para lá o Fred e o Miguel. O Tiago e o Miguel. chefe estavam a falar de qualquer coisa, e por isso não nos fizeram companhia, mas foi muito divertido. divertido. Ao jantar estávamos muito calados, e o chefe só perguntava se estava tudo bem se aconteceu alguma coisa. bem, coisa.
  18. 18. Quando fui para o quarto com o Micael só nos riamos do silêncio que se fez ao jantar e o dia que passamos juntos. juntos. Depois pomos um monte d almofadas no chão e começamos de l fd hã a conversar. conversar. De repente o Tiago bate á porta e pergunta: pergunta: - Precisam d alguma coisa? Uma á i de l i? água, estão tão animados! ãã i d Ao qual o Micael responde: responde: - Não, obrigado! Se quisermos alguma coisa nós vamos buscar. buscar. Passado mais um bocado, o Fred e o Miguel batem á porta: porta: - Podemos? – dizendo em coro. coro. - Sim! – diz o Micael – entrem para conversar-mos. conversar-mos. Começamos a falar do dia que tivemos e começaram a falar das antigas brincadeiras que tiveram com os amigos, e eu lembrei-me l lembrei- l bi logo d minha melhor amiga, a E da i h lh i Ema, que quando d eu estava triste comigo própria, ela dizia-me sempre “sou o dizia- que sou porque o nunca o quis ser!” e eu animo-me logo animo- porque o que ela me diz faz-me sentir viva mas naquele diz, faz- viva, momento não a tinha lá para me poder dizer as palavras que tanto eu queria ouvir no momento. momento. Depois o Micael apercebeu-se de que eu não estava bem, e p apercebeu- p q , disse ao Fred e ao Miguel que nós queria-mos dormir, para ele queria- compreender o que se estava a passar comigo. comigo.
  19. 19. Eu contei-lhe tudo, afinal E contei-lh t d ti fi l ele mandou os outros embora para me poder ajudar a tirar a t iste a aj da ti a tristeza que no momento estava dentro de mim. Depois mim. para me animar começou animar, a mandar-me almofadas e mandar- a fazer cócegas. cócegas. Ouve uma altura que eu fiquei com a cara mesmo frente a ele, e ouve uma química entre nós. nós. Continuamos a brincar um com o outro, era quase uma da manhã quando nos fomos deitar. deitar. ...

×