Relatório final

607 views

Published on

Relatório de autoavaliação da formação

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
607
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Relatório final

  1. 1. Aspectos positivos Aspectos negativos Balanço final • A opção b- • O tempo learning; estabelecido Esta formação teve, essencialmente, • A utilização da para as sessões aspectos positivos. A opção b-learning, plataforma on-line através da utilização da plataforma moodle Moodle; ultrapassou, por da RBE, facilitou a partilha de saberes e o • A partilha de vezes, o que acesso ao conhecimento através dos saberes e o acesso estava documentos disponibilizados para as ao conhecimento estipulado. diferentes sessões. Os fóruns foram o através dos recurso privilegiado para a publicação dos documentos diferentes trabalhos e intercâmbio entre disponibilizados formandos. para as diferentes A gestão da qualidade da BE decorre de sessões; uma auto-avaliação competente, com pleno • A utilização dos conhecimento do referencial orientador. fóruns para Conhecer o Modelo de Auto-Avaliação das publicação e Bibliotecas Escolares (MAA das BE) é, partilha dos portanto, premissa do professor- trabalhos; bibliotecário. Este é um actor fundamental • O conhecimento na organização de todo o processo de auto- do referencial avaliação da BE e envolvimento dos orientador da docentes no processo. Ao professor- auto-avaliação das bibliotecário compete divulgar em bibliotecas pedagógico o MAA das BE e o domínio a ser escolares; avaliado em cada ano. Ao professor- • O esclarecer de bibliotecário compete dar visibilidade ao questões que papel da BE (a falta de noção da biblioteca ainda eram como item diferencial da qualidade do ambíguas. ensino é ainda uma realidade) e favorecer o necessário envolvimento do agrupamento/escola. Ao professor- bibliotecário compete implementar o processo de auto-avaliação. Ao professor- bibliotecário compete gerir os recursos. Ao professor-bibliotecário compete dar a conhecer os resultados. O conhecimento do MAA das BE não se esgota na aplicação do mesmo, a análise dos resultados é fundamental e visa a sua integração no relatório de auto-avaliação do agrupamento/escola. Nesta formação, constatámos a importância da auto-avaliação da BE, sintetizada por Todd da seguinte forma: “ Para melhorar os resultados!”. O MAA das BE permite avaliar a qualidade e eficácia das BE, melhorar os serviços prestados, valorizar a contribuição da BE no processo de ensino-aprendizagem e consequente sucesso dos alunos; permite reflectir sobre as debilidades e definir planos de melhoria: “a avaliação não constitui um fim em si mesmo, mas um processo de melhoria e deve facultar informação de qualidade, capaz de apoiar a tomada de decisão” (MAA das BE), trata-se, portanto de colocar o ênfase, como Todd refere, nos outcomes; promover o “benchmarking”. Termino com uma citação de Cram (1999, cit. Na Newsletter RBE nº 5)): “ as bibliotecas criam valor através da transformação de recursos intangíveis num processo multiplicador de benefícios. Elas não gerem valor, antes gerem processos e actividades, tomando as decisões condutoras à criação de valor para os seus utilizadores e para a organização onde se integram”.

×