Século XVIII


Curiosidade                         Sistematização
 científica                               das
          ...
Iluminismo
• Ao   dealbar do século XVIII, a elite intelectual europeia
julgava-se a caminho de um futuro melhor. Os brilh...
Iluminismo
• O século XVIII é, por excelência, na Europa, o «século
  das Luzes». Como movimento cultural, o iluminismo
  ...
Iluminismo

• A razão crítica seria a principal
  responsável pela condução do espírito
  em direcção às grandes verdades,...
Iluminismo
• A fé na ciência, isto é, o «cientismo» constituiu um
  dos aspectos essenciais do movimento. A ciência
  teve...
Iluminismo
• Segundo os filósofos iluministas, o homem vivera, até
  então, na obscuridade, nas trevas. Seria, portanto,
 ...
Iluminismo
As principais características do Iluminismo são:
• Valorização da razão, considerada o mais importante instrume...
• As ideias dos pensadores iluministas
  ingleses encontraram grande aceitação
  na França do século XVIII, onde
  atingir...
• Dos franceses, Voltaire (1694-1770) foi o maior dos
filósofos iluministas e um dos maiores críticos do Antigo
Regime e d...
•Outro crítico do Antigo Regime foi
Montesquieu (1698-1755), que propunha
a divisão tripartida do poder: poder
executivo, ...
•Rousseau (1712-1778), outro pensador
francês, distinguiu-se dos demais
iluministas por criticar a burguesia e a
proprieda...
Iluminismo
    Contrato Social e Separação de
               Poderes                          Humanitarismo e Tolerância
•...
Contexto Intelectual da Época moderna

•Crença na excelência do
espírito humano                           •Progressos técn...
Meios de divulgação do Iluminismo
Enciclopédia   Esta volumosa obra, organizada pelos iluministas Diderot e D’Alembert
   ...
Projecto Pombalino de Inspiração
          Iluminista
• A intenção de centralizar o poder está na base
  da modernização d...
Projecto Pombalino de
         Inspiração Iluminista
• O terramoto de 1755 e a reconstrução de Lisboa com base
  num urban...
Planta da cidade de Lisboa antes do terramoto e
com os novos arruamentos (c.1760)
O conjunto , do mais puro racionalismo iluminista, abria-se
sobre o Tejo através da grandiosa Praça do Comércio
Projecto Pombalino de
    Inspiração Iluminista
• Considerando   a ignorância o maior
entrave ao progresso dos povos, a
fi...
Reformas do Ensino
• Constituição de uma vasta rede de escolas públicas (ensino
  primário).
• Fundação das Escolas Régias...
Reformas do Ensino
            Contine   Ilhas   Ultra   Total                   1   2   3   4   5   6
                   ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Iluminismo

48,705

Published on

Published in: Technology
3 Comments
7 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
48,705
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
19
Actions
Shares
0
Downloads
832
Comments
3
Likes
7
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Iluminismo

  1. 1. Século XVIII Curiosidade Sistematização científica das observações Método Experimental + Quantificação/ Aplicação da Matemática Revolução Científica Desenvolvi Gosto pelo Mentalidad mento das saber e Racional Ciências
  2. 2. Iluminismo • Ao dealbar do século XVIII, a elite intelectual europeia julgava-se a caminho de um futuro melhor. Os brilhantes resultados obtidos pelo experimentalismo tinham conduzido à convicção de que o raciocínio humano era um dom prodigioso, com potencialidades quase ilimitadas. • A crença no valor da Razão como motor do progresso rapidamente extravasou o campo científico para se aplicar à reflexão sobre o funcionamento das sociedades em geral. • Acreditava-se que a Razão seria a Luz que guiaria a Humanidade.
  3. 3. Iluminismo • O século XVIII é, por excelência, na Europa, o «século das Luzes». Como movimento cultural, o iluminismo expressava uma nova forma de conceber o ser humano, conferindo um inegável valor às faculdades intelectuais do homem. Mais do que uma filosofia, o iluminismo constituía uma mentalidade, uma concepção unitária do mundo e da vida, cujo aspecto fundamental se traduzia numa fé extraordinária nas forças da razão, que seria capaz de resolver definitivamente os problemas da vida, da ciência e do homem.
  4. 4. Iluminismo • A razão crítica seria a principal responsável pela condução do espírito em direcção às grandes verdades, que fariam do homem um ser autónomo, pensante e actuante.
  5. 5. Iluminismo • A fé na ciência, isto é, o «cientismo» constituiu um dos aspectos essenciais do movimento. A ciência teve, aliás, um papel de relevo no movimento filosófico do «Século das Luzes», assumindo-se como um agente poderoso de progresso social pelo facto de permitir uma melhoria considerável das condições de vida do homem. Os progressos científicos verificados ficaram, incontestavelmente, a dever-se a uma confiança quase ilimitada nas possibilidades infinitas da inteligência humana.
  6. 6. Iluminismo • Segundo os filósofos iluministas, o homem vivera, até então, na obscuridade, nas trevas. Seria, portanto, necessário libertá-lo, iluminando-o, de forma a que pudesse ainda desfrutar das vantagens do progresso. A difusão do iluminismo criava, inclusivamente, uma fé imensa no progresso de toda a humanidade. • O espírito e a filosofia das luzes são fundamentalmente burgueses: exprimem as aspirações de um grupo social que, apesar de controlar o grande comércio, de investir, de criar novas formas de riqueza, se via apartado da vida política dos Estados em benefício da nobreza.
  7. 7. Iluminismo As principais características do Iluminismo são: • Valorização da razão, considerada o mais importante instrumento para se alcançar qualquer tipo de conhecimento; • Valorização do questionamento, da investigação e da experiência como forma de conhecimento tanto da natureza quanto da sociedade, política ou economia; • Crença nas leis naturais, normas da natureza que regem todas as transformações que ocorrem no comportamento humano, nas sociedades e na natureza; • Crença nos direitos naturais, que todos os indivíduos possuem em relação à vida, à liberdade, à posse de bens materiais; • Crítica ao absolutismo, ao mercantilismo e aos privilégios da nobreza e do clero; • Defesa da liberdade política e económica e da igualdade de todos perante a lei; • Crítica à Igreja Católica, embora não se excluísse a crença em Deus. FILHO, Milton B. B. História Moderna e Contemporânea. São Paulo, Scipione.1993
  8. 8. • As ideias dos pensadores iluministas ingleses encontraram grande aceitação na França do século XVIII, onde atingiram o seu auge. Investigando problemas políticos, religiosos e culturais, os franceses procuraram idealizar uma sociedade na qual houvesse liberdade e justiça social.
  9. 9. • Dos franceses, Voltaire (1694-1770) foi o maior dos filósofos iluministas e um dos maiores críticos do Antigo Regime e da Igreja. Defendeu a liberdade de pensamento e de expressão. Como forma de governo, era a favor de uma monarquia esclarecida, na qual o governante fizesse reformas influenciado pelas ideias iluministas.
  10. 10. •Outro crítico do Antigo Regime foi Montesquieu (1698-1755), que propunha a divisão tripartida do poder: poder executivo, poder legislativo e judicial, mantendo-se os três em equilíbrio permanente. •Escreveu “O Espírito das Leis” e “Cartas Persas”. Defendeu ainda a posição de que somente as pessoas de boa renda poderiam ter direitos políticos, ou seja, direito de votar e de candidatar-se a cargos públicos.
  11. 11. •Rousseau (1712-1778), outro pensador francês, distinguiu-se dos demais iluministas por criticar a burguesia e a propriedade privada. Considerava os homens bons por natureza e capazes de viver em harmonia, não fosse alguns terem se apoderado da terra, dando origem à desigualdade e aos conflitos sociais. Propunha um governo no qual o povo participasse politicamente e a vontade da maioria determinasse as decisões políticas. Expôs suas ideias principalmente em duas obras: “O Contrato Social” e “Discurso Sobre a Origem da Desigualdade.”
  12. 12. Iluminismo Contrato Social e Separação de Poderes Humanitarismo e Tolerância • À estrutura da sociedade de ordens, • Os iluministas insurgiram-se contra os iluministas contrapõe uma os atropelos à dignidade moral, sociedade assente nos direitos efectuada pelo direito penal – Cesare naturais do homem: igualdade Beccare Sobre os Delitos e as Penas. liberdade. • Outra bandeira das luzes foi a • É através do contrato social que o tolerância religiosa: reforço da povo, delega no soberano a defesa da liberdade de consciência. possibilidade de governo, desde que, este a exerça no supremo interesse • Defesa da separação entre a igreja e dos governados. o Estado. • Ainda que legitimado pelo contrato • Crença no deísmo. social, o poder político não poderia • Combate à intolerância, ao fanatismo cair no despotismo, daí a proposta da e à superstição, características das divisão de poderes. trevas e não da luz irradiada pela Razão
  13. 13. Contexto Intelectual da Época moderna •Crença na excelência do espírito humano •Progressos técnico-científicos • Prática da •Filosofia de Locke: busca da observação/Experimentação felicidade na base da tolerância • Racionalismo ILUMINISMO •Primado da Razão na compreensão do mundo •Visão optimista do destino da Humanidade Contestação da Tradição Defesa do Progresso • Privilégios e distinções sociais • Direito natural • Origem divina do poder •Contrato social • Concentração do poder •Soberania popular • Fanatismo, dogma e tradição •Divisão de poderes •Tolerância religiosa
  14. 14. Meios de divulgação do Iluminismo Enciclopédia Esta volumosa obra, organizada pelos iluministas Diderot e D’Alembert Ou e escrita por grandes pensadores e cientistas, sintetizava o Dicionário conhecimento e as ideias vigentes na época. Racional das Súmula das realizações dos séculos XVII e XVIII, os seus artigos Ciências e permitiram um contacto fácil e rápido com os avanços da ciência e da das artes técnica e com o mundo das ideias do Iluminismo. Salões Em meados do século (…) Fontaenelle, Montesquieu e outros encontravam-se no salão de Madame Tencin: No salão dela deixaram de ter importância questões relativas ao estatuto e à classe social (…) e apenas os melhores argumentos venciam os mais fracos Ulrich Im Holf, A Europa no Século das luzes, Ed. Presença Cafés Contam-se em Paris seiscentos ou setecentos cafés(…). Alguns funcionam como ponte de reunião académica; aí se julgam os autores; aí se constrói a sua posição e valor(…) Sébastien Mercier, Quadros de Paris Imprensa Permitiu a rápida e mais barata impressão de livros, dos quais se destaca L'Encyclopèdie.
  15. 15. Projecto Pombalino de Inspiração Iluminista • A intenção de centralizar o poder está na base da modernização do Estado. Junta do Comércio (1755)  Erário Régio (1761) Junta da Providência Literária (1770) Reforço da cobrança das receitas do estado Reorganização dos tribunais e disciplina da organização militar
  16. 16. Projecto Pombalino de Inspiração Iluminista • O terramoto de 1755 e a reconstrução de Lisboa com base num urbanismo moderno • O plano arquitectónico de Manuel da Maia e Eugénio dos Santos traduziu-se numa planta quadriculada e com características uniformizadas onde as ruas eram paralelas entre si e perpendiculares ao rio. • As ruas estavam dotadas com sistemas de esgotos, águas pluviais e de saneamento. • Os edifícios tinham um estilo semelhante, eram sóbrios e harmoniosos, geralmente compostos por três a quatro andares, sendo o rés-do-chão reservado ao comércio.
  17. 17. Planta da cidade de Lisboa antes do terramoto e com os novos arruamentos (c.1760)
  18. 18. O conjunto , do mais puro racionalismo iluminista, abria-se sobre o Tejo através da grandiosa Praça do Comércio
  19. 19. Projecto Pombalino de Inspiração Iluminista • Considerando a ignorância o maior entrave ao progresso dos povos, a filosofia iluminista colocou o ensino no centro das preocupações dos governantes.
  20. 20. Reformas do Ensino • Constituição de uma vasta rede de escolas públicas (ensino primário). • Fundação das Escolas Régias para o ensino das Humanidades - Gramática, Retórica, Grego e Filosofia). • Fundação do Real Colégio dos Nobres. • Fundação da Aula do Comércio. • Reformulação da Universidade de Coimbra e extinção da Universidade de Évora. • Aplicação de novos métodos de ensino de acordo com as indicações de Luís António Verney. Estas reformas constituem o primeiro passo na laicização do ensino
  21. 21. Reformas do Ensino Contine Ilhas Ultra Total 1 2 3 4 5 6 a a a a a nte Soma mar n o n o n o a n n n o o o Mestres 440 15 24 479 Teologia 7 7 de ler - Cânones/ Leis 1 1 1 1 5 2 360 4 0 0 8 8 1 Latim 205 10 21 236 3 0 Medicina 8 2 3 1 14 Grego 31 3 4 38 - - Matemática 5 5 Retórica 39 3 7 49 - - - - - C. Filosófico - - - - - - -- Filosofia 28 3 4 35 1 1 1 2 8 1 193 6 0 4 0 3 1 Total 837 Somas 3 2
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×