0
CINÉTICA           QUÍMICA          site: www.flavioquimica.orgFacebook: Curso de Química - Prof. Flávio Carmo
1. CONDIÇÕES NECESSÁRIAS Há duas condições que são fundamentais (embora não sejam suficientes)para que uma reação química ...
2. COLISÃO FAVORÁVEL Considere, por exemplo, a reação entre gás hidrogênio e gás iodo,utilizando o modelo atômico de Dalto...
Para que as moléculas de H2 e I2 possam efetivamente reagir produzindoHI, elas devem colidir com energia suficiente e numa...
3. ENERGIA DE ATIVAÇÃO  Não basta, porém, que a colisão entre as partículas dos reagentes ocorranuma orientação favorável ...
4. COMPLEXO ATIVADO Quando a colisão entre as partículas dos reagentes ocorre numaorientação favorável e com energia igual...
OBSERVAÇÃO: Estudo Gráfico da Eat   Os produtos de uma reação química possuem também um conteúdoenergético, o qual se deno...
•   Reação endotérmica – E – Epp < Eat
OBSERVAÇÃO: Eat e a Velocidade  1. A energia de ativação representa um obstáculo na transformação dereagentes em produtos....
2. Por outro lado, a energia de ativação funciona como uma ―barreira desegurança‖ para muitas reações. Por exemplo, o H2 e...
3. Quando temos reações químicas semelhantes, como por exemplo:       mais rápida aquela que apresentar menor energia de  ...
4. INFLUÊNCIAS NA VELOCIDADE São diversos os fatores que podem influir na velocidade deuma reação química tornando-a mais ...
Uma peça de ferro metálico se oxida com relativa facilidade segundo aequação:                       4Fe(s) + 3O2(g)  2Fe2...
OBSERVAÇÃO: Mediante a realização de uma série de reações, foipossível estabelecer uma fila de reatividade comparativa dos...
OBSERVAÇÃO:• A reação de HCl(aq) com NaOH(aq) é rápida e exotérmica:             HCl(aq) + NaOH(aq)  NaCl(aq) + H2O(l) + ...
4. INFLUÊNCIAS NA VELOCIDADE São diversos os fatores que podem influir na velocidade deuma reação química tornando-a mais ...
Quanto maior a superfície de contato dos  reagentes envolvidos, maior a velocidade da              reação e vice-versa.Exe...
4. INFLUÊNCIAS NA VELOCIDADE São diversos os fatores que podem influir na velocidade deuma reação química tornando-a mais ...
4. INFLUÊNCIAS NA VELOCIDADE São diversos os fatores que podem influir na velocidade deuma reação química tornando-a mais ...
4. INFLUÊNCIAS NA VELOCIDADE São diversos os fatores que podem influir na velocidade deuma reação química tornando-a mais ...
Regra de Van’t Hoff: um aumento de 10°C faz com que a velocidade da reação dobre.                                       V2...
4. INFLUÊNCIAS NA VELOCIDADE São diversos os fatores que podem influir na velocidade deuma reação química tornando-a mais ...
4. INFLUÊNCIAS NA VELOCIDADE São diversos os fatores que podem influir na velocidade deuma reação química tornando-a mais ...
Um catalisador é urna substância que é adicionada ao processo, nãosendo consumido pelo mesmo, e que tem a função de altera...
• Catálise homogênea — quando o catalisador está na mesma fase que osreagentes, participa ativamente da transformação e é ...
1. Chama-se autocatálise a catálise provocada por uma substância formada na própriatransformação.2. Sabe-se que o catalisa...
AUTOCATÁLISE  É um tipo de reação na qual um dos produtos formados atua comocatalisador. Um exemplo é a reação que ocorre ...
Cinética química   aula 02
Cinética química   aula 02
Cinética química   aula 02
Cinética química   aula 02
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Cinética química aula 02

850

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
850
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
33
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Cinética química aula 02"

  1. 1. CINÉTICA QUÍMICA site: www.flavioquimica.orgFacebook: Curso de Química - Prof. Flávio Carmo
  2. 2. 1. CONDIÇÕES NECESSÁRIAS Há duas condições que são fundamentais (embora não sejam suficientes)para que uma reação química possa ocorrer:• Os reagentes devem entrar em contato.• Deve haver afinidade química entre os reagentes. Assim, se colocarmos em contato água, H2O(l), e monóxido de carbono,CO(g), não haverá reação, pois não há afinidade química entre essassubstâncias. H2O(l) + CO(g)  não há reação No entanto, se colocarmos em contato gás cloro, Cl2(g), e gás hidrogênio,H2(g), pode haver reação, pois há afinidade química entre essassubstâncias. A realização ou não de reação química, nesse caso, passa adepender de duas outras condições, ditas acessórias:• As partículas (moléculas, íons) dos reagentes devem colidir entre si.• A colisão entre as partículas dos reagentes deve ocorrer numa orientaçãofavorável, com energia suficiente para romper as ligações existentes nosreagentes.
  3. 3. 2. COLISÃO FAVORÁVEL Considere, por exemplo, a reação entre gás hidrogênio e gás iodo,utilizando o modelo atômico de Dalton. H2 + I2  2 HI HI + HI I2 + H2 I2 H2
  4. 4. Para que as moléculas de H2 e I2 possam efetivamente reagir produzindoHI, elas devem colidir com energia suficiente e numa orientação favorável. Colisão Desfavorável Colisão Desfavorável Colisão favorável
  5. 5. 3. ENERGIA DE ATIVAÇÃO Não basta, porém, que a colisão entre as partículas dos reagentes ocorranuma orientação favorável para que ocorra reação, isto é, para que asligações entre os reagentes sejam rompidas e novas ligações sejamformadas, dando origem aos produtos. Para que a colisão seja efetiva, também é necessário que os reagentesadquiram uma quantidade de energia mínima, característica de cadareação, chamada energia de ativação. Energia de ativação é a quantidade mínima de energia necessária para que a colisão entre as partículas dos reagentes, feita numa orientação favorável, seja efetiva e, portanto, resulte em reação.Eativação = Enecessária para que a reação se inicie – Eprópria dos reagentes
  6. 6. 4. COMPLEXO ATIVADO Quando a colisão entre as partículas dos reagentes ocorre numaorientação favorável e com energia igual ou superior à energia deativação, forma-se primeiramente uma estrutura instável e intermediáriaentre os reagentes e os produtos, chamada complexo ativado. Complexo ativado de uma reação é uma estrutura intermediária e instável entre os reagentes e os produtos.Exemplo:
  7. 7. OBSERVAÇÃO: Estudo Gráfico da Eat Os produtos de uma reação química possuem também um conteúdoenergético, o qual se denomina energia própria dos produtos (Epp). Quandoo complexo ativado (instável) se rearranja para formar os produtos, ocorreliberação de energia, que pode ser calculada pela diferença: E – Epp.• Reação exotérmica – E – Epp > Eat
  8. 8. • Reação endotérmica – E – Epp < Eat
  9. 9. OBSERVAÇÃO: Eat e a Velocidade 1. A energia de ativação representa um obstáculo na transformação dereagentes em produtos.• Quanto maior for a energia de ativação a ser adquirida, mais difícil serápara os reagentes transpor esse obstáculo, e a reação ocorrerá maislentamente.• Por outro lado, quanto menor for a energia de ativação a ser adquirida,mais fácil será para os reagentes transpor esse obstáculo, e a reaçãoocorrerá mais rapidamente.
  10. 10. 2. Por outro lado, a energia de ativação funciona como uma ―barreira desegurança‖ para muitas reações. Por exemplo, o H2 e o O2 reagemexplosivamente resultando em água (2H2 + O2  2H2O). A reação, porém,não começa espontaneamente, porque a barreira representada pela energiade ativação ―segura‖ o início da reação; torna- se então necessária umachama, uma faísca elétrica, etc. para deflagrar a reação.
  11. 11. 3. Quando temos reações químicas semelhantes, como por exemplo: mais rápida aquela que apresentar menor energia de o; nocaso citado, a mais rápida a reação entre H2 e F2 (Eat. < E’at.):
  12. 12. 4. INFLUÊNCIAS NA VELOCIDADE São diversos os fatores que podem influir na velocidade deuma reação química tornando-a mais rápida ou mais lenta. Entre eles se destacam:• natureza dos reagentes
  13. 13. Uma peça de ferro metálico se oxida com relativa facilidade segundo aequação: 4Fe(s) + 3O2(g)  2Fe2O3(s) Já uma peça de metálica de prata se oxida com muita lentidão: 4Ag(s) + O2(g)  2Ag2O(s) A que se deve esta diferença de velocidades? A velocidade de uma reação depende das propriedades específicas e inerentes dos reagentes, quanto maior reatividade química, maior será a velocidade da reação.
  14. 14. OBSERVAÇÃO: Mediante a realização de uma série de reações, foipossível estabelecer uma fila de reatividade comparativa dos metais, quepode ser representada genericamente por:
  15. 15. OBSERVAÇÃO:• A reação de HCl(aq) com NaOH(aq) é rápida e exotérmica: HCl(aq) + NaOH(aq)  NaCl(aq) + H2O(l) + CALOR• A reação de CO(g) com NO2(g) é lenta: CO(g) + NO2(g)  CO2(g) + NO(g) + CALOR O que explica esta diferença nas velocidades?As espécies iônicas em solução aquosa reagem mais rápido que as espécies químicas moleculares.
  16. 16. 4. INFLUÊNCIAS NA VELOCIDADE São diversos os fatores que podem influir na velocidade deuma reação química tornando-a mais rápida ou mais lenta. Entre eles se destacam:• natureza dos reagentes• superfície de contato
  17. 17. Quanto maior a superfície de contato dos reagentes envolvidos, maior a velocidade da reação e vice-versa.Exemplo:A efervescência no CaCO3(s) na forma de pó é mais acentuada (maior superfície de contato).
  18. 18. 4. INFLUÊNCIAS NA VELOCIDADE São diversos os fatores que podem influir na velocidade deuma reação química tornando-a mais rápida ou mais lenta. Entre eles se destacam:• natureza dos reagentes• superfície de contato• luz e eletricidade
  19. 19. 4. INFLUÊNCIAS NA VELOCIDADE São diversos os fatores que podem influir na velocidade deuma reação química tornando-a mais rápida ou mais lenta. Entre eles se destacam:• natureza dos reagentes• superfície de contato• luz e eletricidade• pressão
  20. 20. 4. INFLUÊNCIAS NA VELOCIDADE São diversos os fatores que podem influir na velocidade deuma reação química tornando-a mais rápida ou mais lenta. Entre eles se destacam:• natureza dos reagentes• superfície de contato• luz e eletricidade• pressão• temperatura
  21. 21. Regra de Van’t Hoff: um aumento de 10°C faz com que a velocidade da reação dobre. V2 = V1 x 2Δt/10 Lembre-se de que a regra de Van’t Hoff é apenas aproximada e bastante limitada. Não deveser seguida à risca para todas as reações. Cada reação específica deve ter o efeito quantitativoexato do aumento da velocidade em função da temperatura determinado experimentalmente.
  22. 22. 4. INFLUÊNCIAS NA VELOCIDADE São diversos os fatores que podem influir na velocidade deuma reação química tornando-a mais rápida ou mais lenta. Entre eles se destacam:• natureza dos reagentes• superfície de contato• luz e eletricidade• pressão• temperatura• concentração
  23. 23. 4. INFLUÊNCIAS NA VELOCIDADE São diversos os fatores que podem influir na velocidade deuma reação química tornando-a mais rápida ou mais lenta. Entre eles se destacam:• natureza dos reagentes• superfície de contato• luz e eletricidade• pressão• temperatura• Concentração• Catalisadores
  24. 24. Um catalisador é urna substância que é adicionada ao processo, nãosendo consumido pelo mesmo, e que tem a função de alterar a velocidade.O catalisador pode ser positivo (catalisador propriamente dito) ou negativo(inibidor). Catalisadores positivos promovem um caminho alternativo com a energiade ativação do processo mais baixa, aumentando a velocidade. Já osinibidores de reação diminuem a velocidade. Exemplo de catalisadorespositivos são as enzimas e de catalisadores negativos são os conservantesalimentícios.
  25. 25. • Catálise homogênea — quando o catalisador está na mesma fase que osreagentes, participa ativamente da transformação e é recuperadointegralmente no fim do processo. Admite-se nesse tipo de catálise a formação de um composto intermediáriomuito reativo.• Catálise heterogênea — quando o catalisador não está na mesma fase queos reagentes, mas proporciona uma superfície favorável a ocorrência datransformação química.
  26. 26. 1. Chama-se autocatálise a catálise provocada por uma substância formada na própriatransformação.2. Sabe-se que o catalisador não sofre alteração permanente em sua composiçãoquímica nem na quantidade, mas pode sofrer alteração em sua natureza física.3. Chama-se inibidor a espécie química que, com as moléculas reagentes, faz comque estas reajam a uma velocidade menor. Os inibidores são utilizados comoconservantes de alimentos, pois retardam a reação de decomposição; por exemplo, oEDTA cálcico dissódico e usado como conservante de margarinas (antioxidante).4. Um ativador ou promotor é a espécie química que, com o catalisador e as moléculasreagentes, faz com que estas reajam a uma velocidade ainda maior do que seestivessem apenas com o catalisador.5. Veneno é a espécie química que, com o catalisador e as moléculas reagentes, fazcom que estas reajam a uma velocidade menor do que se estivessem apenas com ocatalisador.6. Uma pequena quantidade de catalisador pode ter efeitos profundos na velocidadede uma transformação, o que e significativo nos sistemas biológicos. Nestes oscatalisadores são altamente específicos para cada reação e chamados de enzimas.
  27. 27. AUTOCATÁLISE É um tipo de reação na qual um dos produtos formados atua comocatalisador. Um exemplo é a reação que ocorre entre o cobre, Cu, e o ácidonítrico, HNO3: Inicialmente, a reação ocorre lentamente; porém, à medida que o dióxidode nitrogênio, NO2, é formado, ele age como catalisador, aumentandoviolentamente a velocidade da reação.
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×