Aula 04 de fisiologia   ventilação-perfusão
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Aula 04 de fisiologia ventilação-perfusão

on

  • 39,629 views

 

Statistics

Views

Total Views
39,629
Views on SlideShare
39,520
Embed Views
109

Actions

Likes
3
Downloads
294
Comments
0

2 Embeds 109

http://residenciapneumologiahujbb.wordpress.com 104
https://residenciapneumologiahujbb.wordpress.com 5

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Aula 04 de fisiologia   ventilação-perfusão Aula 04 de fisiologia ventilação-perfusão Presentation Transcript

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁHOSPITAL UNIVERSITÁRIO JOÃO DE BARROS BARRETORESIDÊNCIA MÉDICA EM PNEUMOLOGIA E TISIOLOGIA
    Fisiologia do Sistema Respiratório
    AULA 4 – VENTILAÇÃO/PERFUSÃO
    Odilton C. S. de Amaral
  • Fisiologia Respiratória
    Ventilação
    Difusão
    Fluxo de sangue, dissociação e metabolismo
    Relação de Ventilação-perfusão
    Transporte do Gás
    Mecanismo da Respiração
  • RELAÇÃO DE VENTILAÇÃO-PERFUSÃO
  • Ventilação-perfusão (V/Q)
    “é a razão existente entre a quantidade de ventilação e a quantidade de sangue que chega a esse pulmão , tendo como valores normais por volta de 0,8 a < 1”
    “ mede a funcionalidade do sistema respiratório”
    “O equilíbrio entre a ventilação (V) e o fluxo sanguíneo (Q) nas várias regiões do pulmão é essencial para troca gasosa adequada”
  • Introdução
    Troca gasosa ideal - volume de ar que entra no alvéolo (V) próximo ao volume de sangue (Q) que passa através do pulmão;
    Relação ventilação/perfusão (índice V/Q);
    Pulmão normal - relação deve estar abaixo de 1;
    pulmão não é todo ventilado a cada inspiração;
  • Introdução
    A relação ventilação/perfusão ideal é 1 ou seja V=P.A relação V/P no pulmão todo é cerca de 0,8.
    Distribuição da ventilação: a ventilação é maior na base pulmonar e vai decrescendo em direção ao ápice.                                                           
  • V/Q
    Alterações na relação:
    Índice V/Q ALTO – ventilação é alta e o fluxo sangüíneo é baixo, produz aumento de espaço morto , produzindo hipoxemia e hipercapnia .
    Índice V/Q BAIXO – ventilação baixa e o fluxo sangüíneo alto,shunt intrapulmonar, pode produzir uma hipoxemia com ou sem hipercapnia .
    Índice V/Q NULA - não há nem ventilação e nem perfusão sanguínea.
  • HIPOXEMIA
    Hipoventilação
    Limitação da difusão
    Shunt
    Desequilíbrio entre ventilação-perfusão
  • AR ALVEOLAR
    Comparação da composição do ar alveolar com o ar atmosférico
  • TRANSPORTE DE O2
    Redução de PO2 da atmosfera para mitocondrias.
    PO2 ar inspirado 150mmHg
    PO2 no alvéolo cai.
    PO2 do gás alveolar= remoção de O2 pelo capilar X renovação contínua Ventilação alveolar
    Variações em torno de 3 mmHg, porém é contínuo.
    Taxa de remoção de O2 do pulmão é comandada pelo consumo de 02 nos tecidos
    A PO2 alveolar é determinada pelo nível de ventilação pulmonar
    PULMÃO PERFEITO = PO2 do sangue arterial seria a mesma do gás alveolar.
  • Hipoventilação
    PO2 ALVEOLAR => taxa de remoção de O2 do sangue e a renovação de O2 ventilação alveolar ;
    Ventilação alveolar baixa => PO2 alveolar cai e PCO2 eleva.
    Causas: morfina e barbitúricos;
    SEMPRE: ↑ PCO2 ALVEOLAR E PCO2 ARTERIAL;
    ↓ PO2 ALVEOLAR E ARTERIAL
    Revertida adicionando O2 na inspiração.
  • HIPOXEMIA
    Hipoventilação
    Limitação da difusão
    Shunt
    Desequilíbrio entre ventilação-perfusão
  • Difusão e Shunt
    PO2 do sangue nunca se iguala a do gás alveolar;
    Diferença incalculavelmente pequena resultante da difusão incompleta do gás;
    A diferença pode se tornar maior:
    Exercício
    Espessamento da membrana alvélo-capilar
    Inalação de mistura pobre em O2.
  • DIFUSÃO
    Transferência de O2 para tecidos
    Depressão de PO2 arterial por difusão e shunt
  • Difusão e Shunt
    Outra razão PO2 art ≤ PO2 gás alveolar;
    Sangue desviado shunt:
    “Sangue que entra no sistema arterial sem passar pelas áreas ventiladas do pulmão”
    Sangue da aa. Brônquica é coletado pelas veias pulmonares após perfusão nos brônquios e redução de O2;
    Peq. Qtde de sangue coronariano que drena direto p/ VE pelas veias cardíacas mínimas;
    O efeito dessa adição é a ↓ PO2 arterial.
  • SHUNT
    “Uma caracteristíca importante do shunt é a impossibilidade de abolir a hipoxemiapor meio de fornecimento de O2 a 100%, pois o sangue desviado que contorna os alvéolos ventilados nunca é exposto a PO2 alveolar mais alta, continuando ,portanto, a reduzir a PO2 arterial”
    Teste diagnóstico útil?
  • Ventilação-perfusão
    Mais comum causa de hipoxemia;
    Desequilíbrio=>transferência de gases comprometida;
    • Tanto a vel. do corante (ventilação) qto a vel. da água bombeada (fluxo) influenciam a concentração
  • A – PO2 e PCO2 com V/Q normal.
    PO2 ar inspirado150/PCO2 0
    Sangue venoso misto PO2 40 e PCO2 45.
    Equilíbrio => 100 e 40
    B – Obstrução da ventilação e fluxo inalterado. O2 ↓ e CO2 ↑
    Relação V/Q => 0.
    C – Obstrução do fluxo de sangue. O2 ↑ ↓ e CO2 ↓
    Relação V/Q => tendendo ao infinito.
  • Ponto venoso misto – PO2 40 e PCO2 45
    Composição normal do gás alveolar
    PO2 100 e PCO2 40
    Ponto de inspiração I – PO2 150 e PCO2 0
    Diagrama O2-CO2 e linha da relação ventilação perfusão.
  • Troca gasosa regional no pulmão
    Ventilação aumenta lentamente A=>B
    Fluxo c/ mais rapidez
  • Troca gasosa no pulmão
    V/Q alta no ápice e baixa na base
    V/Q alta=> PO2 alta e PCO2 baixa.
    PO2 elevada ápice => Tbc
  • Troca gasosa do pulmão
    V/Q
    PO2
    PCO2
    PH
  • Desequilíbrio Ventilação-perfusão
    Altera a troca gasosa?captação de O2 e eliminação de CO2?
    V/Q desigual não consegue manter PO2 arterial alta PCO2 tão baixa quanto pulmão homogêneo sadio;
    Ventilação e fluxo sanguíneos desiguais resultam em redução de PO2 arterial;
    Em geral: hipoxemia e hipercapnia.
    Incremento de ventilação corrige a PCO2; Hipoxemia não (curva de dissociação de O2) ;
  • Desequilíbrio Ventilação-perfusão
    Alguns pacientes c/ V/Q ALTERADA apresentam PCO2 arterial normal;
    Quimiorreceptores percebem ↑ PCO2 alveolar => estímulo ventilatório (aula 6 ) => normaliza PCO2 arterial pelo incremento de V.
    As unidades Pulmonares com V/Q ALTA são ineficientes na eliminação de CO2;
    Incremento = Ventilação desperdiçada = ESPAÇO MORTO ALVEOLAR.
  • Distribuição das relações ventilação-perfusão
    Infusão em veia periférica;
    Mistura de gases inertes c/ variada solubilidade;
    Medição das concentrações dos gases no sangue arterial e no gás expirado;
    Usada mais em pesquisa do que em lab. Função pulmonar.
  • Distribuição das relações ventilação-perfusão
    Pessoa jovem normal
    Dispersão estreita e ausência de shunt.;
    Toda V e Q se aproximam do V/Q normal(1,0);
    Não há fluxo p/ seção não ventilada;
  • Distribuição das relações ventilação-perfusão
    Adulto DPOC
    Considerável fluxo p/ seção V/Q entre 0,03 e 0,3
    Sangue pouco oxigenado irá reduzir a PO2 arterial
    Hipoxemia arterial e PCO2 arterial normal.
  • FIM
    Acessem a aula no Blog da Pneumologia:
    http://residenciapneumologiahujbb.wordpress.com.br/