001 movimentos migratórios e urbanização unidade 13

1,093 views
1,023 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,093
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
45
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

001 movimentos migratórios e urbanização unidade 13

  1. 1. Prof. Fernando A. Machniewicz Knapik Movimentos Migratórios e Urbanização
  2. 2. Migrantes, deslocados e refugiados ambientais Embora a figura do refugiado ambiental ainda não seja reconhecida pela Organização das Nações Unidas, calcula-se que existam hoje 50 milhões de pessoas obrigadas a deixar suas casas por problemas decorrentes de desastres naturais ou mudanças climáticas. Enquanto alguns especialistas propõem que o termo seja aplicado a todos que perderam seus lares devido a alterações do meio ambiente, outros acreditam que o melhor é fazer a distinção entre quem se desloca dentro do próprio país e os que são obrigados a cruzar fronteiras internacionais. Caso se concretizem as previsões de elevação do nível dos oceanos, também há o risco de algumas nações desaparecerem. Estimativas da ONU indicam que, em 2050, o número de refugiados ambientais estará entre 250 milhões e 1 bilhão de seres humanos.
  3. 3. A relevância atual da migração urbano-urbano pouco dinamismo das cidades pequenas que geram fluxos dessas para as cidades médias; fuga dos problemas urbanos nas metrópoles; deslocamento das indústrias para as cidades médias atraindo trabalhadores; deslocamento de parte da população jovem das pequenas cidades para as médias ou grandes em busca de oportunidades de estudos. a) Fatores que explicam a migração urbano-urbano:
  4. 4. A migração pendular ou diária crescimento das metrópoles e/ou das regiões metropolitanas; desenvolvimento de atividades terciárias e quaternárias nos espaços urbanos; distância espacial entre os locais de moradia, estudo e trabalho; aumento no tempo de deslocamento entre os pontos de circulação; deslocamento diário de trabalhadores do espaço urbano para o rural. b) causa para o aumento atual da migração pendular
  5. 5. a) Por que houve o incentivo ao processo imigratório de nordestinos para São Paulo? baixo preço da mão de obra desses trabalhadores, fundamentais para o notável crescimento econômico da capital e de sua Região Metropolitana. Ou seja, foi incentivado pela necessidade de maior contingente de trabalhadores para as diversas atividades econômicas em São Paulo. O impacto sobre São Paulo dos migrantes nordestinos
  6. 6. b) determinantes sociais e econômicas do processo migratório de nordestinos fragilidade econômica da região intensificação da concentração fundiária, às dificuldades climáticas para a prática da agropecuária. Por outro lado, no que concerne ao local de destino influenciado, em grande medida, pela oportunidade de empregos gerados, sobretudo, pela indústria e pela construção civil, além do setor de serviços e de comércio, E pela esperança de melhores condições de vida. Em resumo o processo migratório foi motivado pelas desigualdades regionais. O impacto sobre São Paulo dos migrantes nordestinos
  7. 7. http://noticias.uol.com.br/ultnot/multi/?hashId=bolivianos-preferem-jornadas- escravas-no-brasil-a-voltar-04028D1C3162E0892326&mediaId=12181186
  8. 8. Cidadão Zé Ramalho Composição: Lucio Barbosa Tá vendo aquele edifício moço Ajudei a levantar Foi um tempo de aflição Eram quatro condução Duas prá ir, duas prá voltar Hoje depois dele pronto Olho prá cima e fico tonto Mas me vem um cidadão E me diz desconfiado "Tu tá aí admirado? Ou tá querendo roubar?" Meu domingo tá perdido Vou prá casa entristecido Dá vontade de beber E prá aumentar meu tédio Eu nem posso olhar pro prédio Que eu ajudei a fazer... Tá vendo aquele colégio moço Eu também trabalhei lá Lá eu quase me arrebento Fiz a massa, pus cimento Ajudei a rebocar Minha filha inocente Vem prá mim toda contente "Pai vou me matricular" Mas me diz um cidadão: "Criança de pé no chão Aqui não pode estudar" Essa dor doeu mais forte Por que é que eu deixei o norte Eu me pus a me dizer Lá a seca castigava Mas o pouco que eu plantava Tinha direito a comer... Tá vendo aquela igreja moço Onde o padre diz amém Pus o sino e o badalo Enchi minha mão de calo Lá eu trabalhei também Lá foi que valeu a pena Tem quermesse, tem novena E o padre me deixa entrar Foi lá que Cristo me disse: "Rapaz deixe de tolice Não se deixe amedrontar Fui eu quem criou a terra Enchi o rio, fiz a serra Não deixei nada faltar Hoje o homem criou asa E na maioria das casas Eu também não posso entrar Fui eu quem criou a terra Enchi o rio, fiz a serra Não deixei nada faltar Hoje o homem criou asas E na maioria das casas Eu também não posso entrar" Hié! Hié! Hié! Hié! youtube - CIDADÃO - ZÉ RAMALHO
  9. 9. a) do que decorre cada um desses saldos? Saldo migratório positivo e de saldo migratório negativo Saldo positivo indica que o número de imigrantes é superior ao de emigrantes. O saldo migratório negativo ocorre quando o número de imigrantes é inferior ao de emigrantes. O saldo positivo decorre de fatores de atração, como a oferta de terras, na Amazônia, e de empregos, em São Paulo e Rio de Janeiro. O saldo negativo indica a existência de fatores de repulsão, como a estagnação econômica e o aumento da concentração fundiária.
  10. 10. b) Diferencie as causas do saldo migratório negativo das regiões Nordeste e Sul e aponte os respectivos destinos predominantes dos migrantes oriundos dessas duas regiões. Saldo migratório positivo e de saldo migratório negativo R. O saldo negativo no Nordeste relaciona-se à estagnação econômica no período anterior a 2000 e à busca de melhores condições de vida. Esta migração tem como principais destinos o Sudeste e as áreas de frentes pioneiras. O saldo negativo no Sul resulta da pressão demográfica no campo, o que obriga a busca de novas terras na Amazônia e no Centro- Oeste.
  11. 11. c) Justifique, à luz do momento histórico e do processo de ocupação do território brasileiro, o predomínio de saldos migratórios positivos no Centro-Oeste e Norte do país Saldo migratório positivo e de saldo migratório negativo R. Trata-se de áreas de ocupação recente, que receberam incentivos governamentais, a partir dos anos 70, tornando-se regiões de expansão da fronteira agrícola e de forte atração para populações oriundas, principalmente, da região Sul.
  12. 12. Enquanto um povo se uniu em 1989 sobre as ruínas de um muro que ia de Dresden a Berlim, outros muros são levantados na atualidade para separar os homens, tornando-os estrangeiros, inimigos. Observe as imagens
  13. 13. a) construído no ano de 1961, no contexto da Guerra Fria, caracterizada pela bipolarização política, ideológica e militar entre os blocos socialista e capitalista. Tornou-se símbolo da separação alemã e da Guerra Fria. a) CARACTERIZE o contexto histórico em que foi construído o muro de Berlim.
  14. 14. b)- atraídos pelas possibilidades de trabalho. - “maquiladoras”, instalaram-se nos últimos anos na fronteira com o objetivo de utilizar a mão-de-obra barata - O imigrante ao cruzar a fronteira pode sofrer prisões, conflitos com fazendeiros, fome ou afogamento. - imigrantes sem documentação gerou um maior controle nas fronteiras e a imposição de penalidades contra aqueles que empregam pessoas sem documentação. - com o reforço da fronteira californiana, a tensão maior encontra-se atualmente na fronteira do Arizona, onde o controle é menor; - O policiamento desta fronteira, é feita pelos fazendeiros da região gerando aumento da violência e das tensões. - Há protestos por parte de organizações não governamentais e de defensores dos direitos humanos. - a fronteira é também um lugar de tensão devido ao tráfico de drogas e armas. - As diferenças culturais e linguísticas também provocam o aumento de tensões étnicas e culturais na fronteira. b) aspectos relativos às tensões vividas na fronteira entre Estados Unidos e México, na atualidade.
  15. 15. Observe o mapa abaixo sobre os grandes fluxos migratórios no Brasil a partir de 1950.
  16. 16. 1. Fluxo 1: Nordeste (principalmente das áreas rurais) para os grandes centros urbanos do Sudeste (em especial São Paulo e Rio de Janeiro). 2. Teve sua maior expressão a partir da década de 1950. 3. Fluxo 2: Nordeste (principalmente áreas rurais) para a Amazônia. 4. Teve sua maior expressão a partir do final da década de 1960 e ao longo dos anos de 1970. 5. Fluxo 3: Nordeste e Sudeste (em especial Minas Gerais) para o Centro-Oeste, em decorrência do processo de ocupação desta região. 6. Teve início no final de década de 1950. 7. Fluxo 4: Dos estados da Região Sul e Sudeste (especialmente São Paulo e Minas Gerais) em direção aos estados do Centro-Oeste e Norte. 8. Teve sua expansão inicial a partir da década de 1960 para a região Centro-Oeste e da década de 1970 para a região Norte. a) Áreas envolvidas e década de início do fluxo.
  17. 17. 1. Fluxo 1: A busca por melhores condições de emprego e subsistência, com a transferência de população de uma região deprimida economicamente (sobretudo as áreas rurais do sertão nordestino) para uma região de grande crescimento econômico (SP e RJ), decorrente da expansão dos processos de industrialização e consolidação como centro do capitalismo nacional, no sudeste e da concentração fundiária no Nordeste 2. Fluxo 2: ocorreu em busca de ocupação econômica, seja na forma de mão-de-obra (garimpos, exploração madeireira, projetos agropecuários etc.) seja como no assentamento e ocupação de áreas rurais na condição de pequeno produtor familiar. A concentração fundiária no Nordeste foi fator que, também, contribuiu também para este fluxo migratório. b) Fator principal para ocorrência do fluxo migratório.
  18. 18. 3. Fluxo 3: gerado pelos programas de incentivo à ocupação do Centro-Oeste brasileiro, tendo como principal motor a construção de Brasília. Caracterizado pela migração de mão-de-obra ocupada nas obras de expansão da infra- estrutura (estradas, ferrovias, instalação de novas cidades) e como mão-de-obra agrícola. 4. Fluxo 4: representou a expansão da fronteira agrícola para as regiões Centro-Oeste e Norte do Brasil. Neste processo, podem se diferenciar, sobretudo, dois tipos de migrantes: os pequenos e médios produtores rurais do Sul e Sudeste . As dificuldades de desmembramento das propriedades agrícolas, por herança, na segunda e terceira geração foi fator que estimulou a diáspora* dos sulistas em direção ao Centro Oeste e Norte. b) Fator principal para ocorrência do fluxo migratório. * Dispersão de povos por motivos políticos ou religiosos
  19. 19. SPANGLISH O diário “El País” de 02/10/2000 publicou uma entrevista com Ilan Stavans, escritor e filólogo mexicano, autor do primeiro dicionário de spanglish, uma língua com origens nos subúrbios hispânicos de Miami, Los Angeles e Nova Iorque. Com cerca de 6000 palavras, esta língua nasceu do choque do Espanhol com o Inglês e é, segundo aquele filólogo, “uma nova maneira de ser hispânico nos Estados Unidos”. A entrevista termina com uma lista de algumas palavras a incluir no dicionário; por ex., culísimo =muito frio (do inglês cool). Fonte: Lexicon, Vocabulário de Filosofia, (http://ocanto.esenviseu.net/lexs.htm).
  20. 20. Com base no texto, a) explique qual é o fenômeno geográfico responsável por essa fusão de línguas, nos EUA. b) cite e explique uma conseqüência possível desse fenômeno geográfico. a) O fenômeno geográfico responsável por essa fusão é o intenso fluxo migratório internacional para os EUA. b) Entre as conseqüências possíveis pode-se destacar: 1. O aumento do desemprego e da informalidade principalmente nos setores econômicos de mão-de-obra menos qualificada e mais barata. 2. Aumento do dinamismo econômico a partir de duas situações: o crescimento do mercado interno e a remessa de divisas para o país de origem do imigrante. 3. Possíveis alterações no quadro político-eleitoral do país, devido à maior participação numérica dos imigrantes. 4. O crescimento da xenofobia da população nacional em relação aos estrangeiros, por enxergá-los como concorrentes diretos às poucas vagas de empregos e por responsabilizá-los pela queda na qualidade de vida.

×