• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Resposta Imune & Hiv - Imunologia
 

Resposta Imune & Hiv - Imunologia

on

  • 15,499 views

2º semestre 09

2º semestre 09

Statistics

Views

Total Views
15,499
Views on SlideShare
15,424
Embed Views
75

Actions

Likes
0
Downloads
298
Comments
0

1 Embed 75

http://www.slideshare.net 75

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Resposta Imune & Hiv - Imunologia Resposta Imune & Hiv - Imunologia Presentation Transcript

    • UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA QUE TIPO DE VÍRUS É O HIV ? CURSOS DE ENFERMAGEM E FISIOTERAPIA DISCIPLINA DE IMUNOLOGIA RESPOSTA IMUNE & HIV Dr. Alexandre M. Fuentefria Prof. Adjunto da Universidade Federal do Pampa COMO É A ESTRUTURA DO HIV ? COMO É A ORGANIZAÇÃO DO GENOMA DO HIV ? # genes retrovirais responsáveis pela infectividade: gag, pol e env, ; # São os genes pode sofrer mutações rapidamente; # No interior de pró-vírus de DNA, os genes são flanqueados por Repetições Terminais Longas (LTR) em ambas as extremidades 5’ e 3’; Retrovírus Glicoproteína transmembrana (TM)= gp41 Glicoproteína de fixação (SU) = gp120 Proteína do capsídeo = p24 # HIV-1 (gp120 e gp41) & HIV-2 (gp130 e 41)
    • TR do RNAv COMO É A REPLICAÇÃO DO HIV ? RNAt do hospedeiro serve como primer Fixação Via fragmento SU = gp120 = (codificado env) nas CD4 Integração Receptor de quimiocina (em CD4) Inserção no DNA cromossômico Entrada ativa a gp41 TR do RNAv Tradução Integração Tradução Montagem COMO É A EPIDEMIOLOGIA DO HIV ? Montagem # 1981 # Homossexuais com Pneumocystis jiroveci # 1984 – isolamento do HIV # 2005 – 3 milhões de mortes
    • COMO É A TRANSMISSÃO DO FASES CLÍNICAS DO HIV HIV ? # A presença de outras DST aumenta em até 100 X o risco de transmissão sexual do HIV. # As taxas de transmissão vertical variam de 13 a 42%. # O risco estimado de transmissão após único contato com fluidos infectados pelo HIV é de < 0,1%. 1. Inf. 1ária 3. Latência 4. AIDS 2. Viremia FA PATOGÊNESE DO HIV RESPOSTA IMUNE AO HIV # Há desenvolvimento de respostas humoral e celular contra Ag virais; # São produzidos Ac neutralizantes dirigidos principalmente contra glicoproteínas de envelope (gp120 e gp41); # Respostas contra o Ag p24 são em geral mais eficientes do que aquelas dirigidas contra o vírus como um todo. Depleção de linfócitos CD4; Aumento de linfócitos T CD8); Aumento de Ac Anti-HIV; Aumento do N0 de macrófagos circulantes; Achados hematológicos;
    • INFECÇÕES OPORTUNISTAS NO HIV NEOPLASIAS MALIGNAS NO HIV SARCOMA DE KAPOSI Herpesvírus # Neoplasia do endotélio dos vasos Candidíase linfático Criptococose # Infecção pelo vírus Herpes • Ao longo dos anos, o número TCD4 diminui = Humano tipo o (HHV8) imunodeficiência Pneumonia – imunodeficiência CD4 < 500 cé/mm3 # Lesões roxas ou avermelhadas na • À medida que o nível de CD4+ diminui = pele risco de contrair infecções oportunistas Toxoplasmose # O que é um proto-oncogene ? – CD4+ < 200 cél/mm3 = susceptível a infecções oportunistas graves Micoses SC OP IMUNODIAGNÓSTICO DO HIV Soroconversão É a positivação da sorologia. É acompanhada de uma queda expressiva na quantidade de vírus no SOROCONVERSÃO plasma (carga viral), seguida pela recuperação parcial dos linfócitos T CD4+ no sangue periférico. # Na fase inicial da infecção não são detectados Ac contra HIV no soro (janela imunológica), logo pesquisa-se Ag. # Os Ac IgM, detectados por IF, precedem os Ac IgG detectados por Western blot; # Os Ac dirigidos contra proteínas p24 (cerne) e gp41 (transmembranas) podem ser detectados antes dos Ac contra os produtos do gene pot; Janela Imunológica Imunoló # Em geral, a soroconversão é precedida de antigenemia do HIV É o tempo compreendido entre a aquisição da infecção e a soroconversão. (predominantemente a p24 do HIV, determinada por imunoensaio É de seis a 12 semanas, com média 2,1 meses. enzimático).
    • IMUNODIAGNÓSTICO DO HIV Testes de detecção de anticorpos TRIAGEM DO HIV WESTERN-BLOT # ELISA prova de triagem básica para detecçao de Ac anti-HIV; # As proteínas do vírus nativas purificadas ou recombinantes são imobilizadas em pérolas. O soro que contém Ac anti-HIV liga-se a estas proteínas virais e posteriormente é adicionado o conjugado; # O ELISA é altamente sensível e específico; # Deve-se fazer triagem tanto para HIV-1 (gp120) quanto HIV-2 (gp130). Portaria nº 488/1998 do Ministério da Saúde Testes de detecção de anticorpos Contagem de células CD4+ em sangue periférico IMUNOFLUORESCÊNCIA INDIRETA Pode-se dividir a contagem de células T CD4+ em sangue periférico ode- cé perifé em quatro faixas: > 500/mm3: baixo risco de doença. 200 e 500/mm3: surgimento de sinais e sintomas menores. Risco moderado de desenvolvimento de doenças oportunistas. 50 e 200/mm3: alta probabilidade de doenças oportunistas. < 50/mm3: grave comprometimento de resposta imunitária. Alto risco de D.O.
    • Testes de amplificação do genoma do vírus Monitorização Valores elevados de partículas virais estão relacionados com um maior Carga Viral risco de progressão da doença, independente da contagem de células TCD4+. - Biologia Molecular Sugere-se sua monitorização a cada 3-4 meses. Em caso de início ou mudança de terapia antiretroviral, alguns autores recomendam uma dosagem da carga viral com 1 a 2 meses de tratamento. Amplicor HIV Nonitor Test Os resultados devem ser interpretados da seguinte maneira: maneira < 104 cópias de RNA por ml: baixo risco de progressão ou de piora da doença. NASBA (nucleic acid sequence based amplification) (nucleic amplification) PCR Real Time 104 e 105 cópias de RNA/ml: risco moderado de progressão ou de piora. > 105 cópias de RNA por ml: alto risco de progressão ou de piora da PCR in house doença. TRATAMENTO DO HIV Terapia anti-retroviral altamente ativa