Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Introdução à filosofia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Introdução à filosofia

  • 8,149 views
Published

 

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
8,149
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4

Actions

Shares
Downloads
398
Comments
0
Likes
7

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. FILOSOFIA História da filosofia
  • 2. O SURGIMENTO DA FILOSOFIANA ANTIGA GRÉCIA
  • 3. A filosofia foi uma resposta dos gregos a problemas reais, levando em conta a contribuição de outrasculturas, mas assimilando emodificando seus conteúdos.
  • 4. A PALAVRA FILOSOFIA É GREGA,COMPOSTA POR DUAS OUTRAS. PHILOS Philo deriva-se de philia, que significaamizade, amor fraterno, respeito entre os iguais. SOPHIASophia quer dizer sabedoria e dela vem a palavra sophos, sábio.
  • 5. INVENTOR DA PALAVRA Atribui-se ao filósofo grego Pitágoras de Samos (que viveu no século V antes de Cristo) a invenção da palavra filosofia.Pitágoras teria afirmado que a sabedoriaplena e completa pertence aos deuses, mas que os homens podem desejá-la ou amá-la, tornando-se filósofos.
  • 6. A Filosofia, entendida comoaspiração ao conhecimento racional, lógico e sistemático da realidade natural e humana.
  • 7. Qual seria a utilidade da Filosofia?
  • 8. I. Se abandonar a ingenuidade e os pré-conceitos do senso comum for útil;II. Se não se deixar guiar pela submissão às idéias dominantes e aos poderes estabelecidos for útil;III. Se buscar compreender a significação do mundo, da cultura, da história for útil;IV. Se conhecer o sentido das criações humanas nas artes, nas ciências e na política for útil;V. Se dar a cada um de nós e à nossa sociedade os meios para serem conscientes de si e de suas ações numa prática que deseja a liberdade e a felicidade para todos for útil...
  • 9. ... então podemos dizer que a Filosofia é o mais útil de todos ossaberes de que os seres humanos são capazes.
  • 10. RESUMOA Filosofia surge quando se descobriu que averdade do mundo e dos humanos não era algosecreto e misterioso, que precisasse ser reveladopor divindades a alguns escolhidos, mas que, aocontrário, podia ser conhecida por todos, através darazão, que é a mesma em todos; quando sedescobriu que tal conhecimento depende do usocorreto da razão ou do pensamento e que, além daverdade poder ser conhecida por todos, podia, pelomesmo motivo, ser ensinada ou transmitida a todos.
  • 11. O QUE PERGUNTAVAM OS PRIMEIROS FILÓSOFOSI. Por que os seres nascem e morrem?II. Por que tudo muda ?III. Por que a doença invade os corpos, rouba-lhes a cor, a força?IV. Por que o que parecia uno se multiplica em tantos outros?V. Por que as coisas se tornam opostas ao que eram?VI. Por que nada permanece idêntico a si mesmo?
  • 12. Os historiadores da Filosofia dizem que ela possui data e local de nascimento: final do século VII e início do século VI antes de Cristo, nas colônias gregas da Ásia Menor (particularmente as queformavam uma região denominada Jônia), na cidade de Mileto.
  • 13. MITO E FILOSOFIAUm mito é uma narrativa sobre a origem de alguma coisa (origem dos astros, da Terra, dos homens, das plantas, dos animais, dofogo, da água, dos ventos, do bem e do mal, da saúde e da doença, da morte, dos instrumentos de trabalho, das raças, das guerras, do poder, etc.).
  • 14. COMO O MITO NARRA A ORIGEM DO MUNDO E DE TUDO O QUE NELE EXISTE?I. Encontrando o pai e a mãe das coisas e dos seres, isto é, tudo o que existe decorre de relações sexuais entre forças divinas pessoais.II. Encontrando uma rivalidade ou uma aliança entre os deuses que faz surgir alguma coisa no mundo.III.Encontrando as recompensas ou castigos que os deuses dão a quem os desobedece ou a quem os obedece.
  • 15. QUAIS SÃO AS DIFERENÇAS ENTRE FILOSOFIA E MITO? MITOSI. O mito pretendia narrar como as coisas eram ou tinham sido no passado imemorial, longínquo e fabuloso, voltando-se para o que era antes que tudo existisse tal como existe no presente.II. O mito narrava a origem através de genealogias e rivalidades ou alianças entre forças divinas sobrenaturais e personalizadas.III. O mito não se importava com contradições, com o fabuloso e o incompreensível, não só porque esses eram traços próprios da narrativa mítica, como também porque a confiança e a crença no mito vinham da autoridade religiosa do narrador.
  • 16. QUAIS SÃO AS DIFERENÇAS ENTRE FILOSOFIA E MITO? FILOSOFIAI. A Filosofia, ao contrário, se preocupa em explicar como e por que, no passado, no presente e no futuro (isto é, na totalidade do tempo), as coisas são como são.II. A Filosofia, ao contrário, explica a produção natural das coisas por elementos e causas naturais e impessoais.III. A Filosofia, ao contrário, não admite contradições, fabulação e coisas incompreensíveis, mas exige que a explicação seja coerente, lógica e racional; além disso, a autoridade da explicação não vem da pessoa do filósofo, mas da razão, que é a mesma em todos os seres humanos.
  • 17. CONDIÇÕES HISTÓRICAS PARA O SURGIMENTO DA FILOSOFIAI. AS VIAGENS MARÍTIMAS,II. A INVENÇÃO DO CALENDÁRIO,III. A INVENÇÃO DA MOEDA,IV. O SURGIMENTO DA VIDA URBANA,V. A INVENÇÃO DA ESCRITA ALFABÉTICA,VI. A INVENÇÃO DA POLÍTICA.
  • 18. CONDIÇÕES HISTÓRICAS PARA O SURGIMENTO DA FILOSOFIAI. A idéia da lei como expressão da vontade de uma coletividade humana que decide por si mesma o que é melhor para si e como ela definirá suas relações internas.II. O surgimento de um espaço público, que faz aparecer um novo tipo de palavra ou de discurso, diferente daquele que era proferido pelo mito.III. Agora, com a polis, isto é, a cidade política, surge a palavra como direito de cada cidadão de emitir em público sua opinião.IV. A política, valorizando o humano, o pensamento, a discussão, a persuasão e a decisão racional.
  • 19. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DA FILOSOFIAI. Tendência à racionalidade, isto é, a razão e somente a razão, com seus princípios e regras, é o critério da explicação de alguma coisa;II. Tendência a oferecer respostas conclusivas para os problemas, isto é, colocado um problema, sua solução é submetida à análise, à crítica, à discussão e à demonstração, nunca sendo aceita como uma verdade, se não for provado racionalmente que é verdadeira;III. Recusa de explicações preestabelecidas e, portanto, exigência de que, para cada problema, seja investigada e encontrada a solução própria exigida por ele;IV. Tendência à generalização, isto é, mostrar que uma explicação tem validade para muitas coisas diferentes porque, sob a variação percebida pelos órgãos de nossos sentidos, o pensamento descobre semelhanças e identidades.
  • 20. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DA FILOSOFIA Exigência de que o pensamento apresente suas regras de funcionamento, isto é, o filósofo é aquele que justifica suas idéias provando que segue regras universais do pensamento. Para os gregos, é uma lei universal do pensamento que a contradição indica erro ou falsidade. Uma contradição acontece quando afirmo e nego a mesma coisa sobre uma mesma coisa (por exemplo: “Pedro é um meninoe não um menino”, “A noite é escura e clara”, “O infinito não tem limites e é limitado”). Assim, quando uma contradiçãoaparecer numa exposição filosófica, ela deve ser considerada falsa.
  • 21. QUATRO GRANDES ÉPOCAS DA GRÉCIAI. A da Grécia homérica, correspondente aos 400 anos narrados pelo poeta Homero, em seus dois grandes poemas, Ilíada e Odisséia;II. A da Grécia arcaica ou dos sete sábios, do século VII ao século V antes de Cristo, quando os gregos criam cidades como Atenas, Esparta, Tebas, Megara, Samos, etc., e predomina a economia urbana, baseada no artesanato e no comércio;III. A da Grécia clássica, nos séculos V e IV antes de Cristo, quando a democracia se desenvolve, a vida intelectual e artística entra no apogeu e Atenas domina a Grécia com seu império comercial e militar;IV. E, finalmente, a época helenística, a partir do final do século IV antes de Cristo, quando a Grécia passa para o poderio do império de Alexandre da Macedônia, e, depois, para as mãos do Império Romano, terminando a história de sua existência independente.
  • 22. OS QUATRO GRANDES PERÍODOS DA FILOSOFIA GREGAI. Período pré-socrático ou cosmológico, do final do século VII ao final do século V a.C., quando a Filosofia se ocupa fundamentalmente com a origem do mundo e as causas das transformações na Natureza.II. Período socrático ou antropológico, do final do século V e todo o século IV a.C., quando a Filosofia investiga as questões humanas, isto é, a ética, a política e as técnicas (em grego, ântropos quer dizer homem; por isso o período recebeu o nome de antropológico).III. Período sistemático, do final do século IV ao final do século III a.C., quando a Filosofia busca reunir e sistematizar tudo quanto foi pensado sobre a cosmologia e a antropologia, interessando-se sobretudo em mostrar que tudo pode ser objeto do conhecimento filosófico, desde que as leis do pensamento e de suas demonstrações estejam firmemente estabelecidas para oferecer os critérios da verdade e da ciência.IV. Período helenístico ou greco-romano, do final do século III a.C. até o século VI depois de Cristo. Nesse longo período, que já alcança Roma e o pensamento dos primeiros Padres da Igreja, a Filosofia se ocupa sobretudo com as questões da ética, do conhecimento humano e das relações entre o homem e a Natureza e de ambos com Deus.
  • 23. ESCOLAS DA ANTIGA GRÉCIA (ACADEMIA)I. Escola Jônica: Tales de Mileto, Anaxímenes de Mileto, Anaximandro de Mileto e Heráclito de Éfeso;II. Escola Itálica: Pitágoras de Samos, Filolau de Crotona e Árquitas de Tarento;III. Escola Eleata: Parmênides de Eléia e Zenão de Eléia;IV. Escola da Pluralidade: Empédocles de Agrigento, Anaxágoras de Clazômena, Leucipo de Abdera e Demócrito de Abdera.
  • 24. Os noeses são as personalidades em que Rafael se inspirou para pintar o rosto dosdiferentes filósofos gregos. Isso é claramente uma homenagem às pessoas de seutempo: 1: Zenão de Cítio ou Zenão de Eléia 2: Epicuro 3: Frederico II, duque deMântua e Montferrat 4: Anicius Manlius Severinus Boethius ou Anaximandro ouEmpédocles 5: Averroes 6: Pitágoras 7: Alcibíades ou Alexandre, o Grande 8:Antístenes ou Xenofonte 9: Hipátia (Francesco Maria della Rovere or Raphaelsmistress Margherita.) 10: Ésquines ou Xenofonte 11: Parménides 12: Sócrates 13:Heráclito (Miguel Ângelo). 14: Platão segurando o Timeu (Leonardo da Vinci). 15:Aristóteles segurando Ética a Nicômaco 16: Diógenes de Sínope 17: Plotino 18:Euclides ou Arquimedes acompanhado de estudantes (Bramante) 19: Estrabão ouZoroastro (Baldassare Castiglione ou Pietro Bembo). 20: Ptolomeu R: Apeles (Rafael).
  • 25. A Escola de Atenas (Scuola di Atenas no original) é uma das mais famosas pinturas do renascentistaitaliano Rafael e representa a Academia de Platão. Foi pintada entre 1509 e 1510 na Stanza della Segnatura sob encomenda do Vaticano. A obra é um afresco em que aparecem ao centro Platão e Aristóteles. Platão segura o Timeu e aponta para o alto, sendo assim identificado com o ideal, o mundo inteligível. Aristóteles segura a Ética e tem a mão na horizontal, representando o terrestre, o mundo sensível.
  • 26. PRINCIPAIS PERÍODOS DA HISTÓRIA DA FILOSOFIA
  • 27. Pelo fato de estar na História e ter uma história, a Filosofia costuma ser apresentada em grandes períodos que acompanham, às vezes de maneira maispróxima, às vezes de maneira mais distante, os períodos em que os historiadores dividem a História da sociedade ocidental.
  • 28. OS PRINCIPAIS PERÍODOS DA FILOSOFIAI. Filosofia antiga (do século VI a.C. ao século VI d.C.).II. Filosofia patrística (do século I ao século VII).III. Filosofia medieval (do século VIII ao século XIV).IV. Filosofia da Renascença (do século XIV ao século XVI).V. Filosofia moderna (do século XVII a meados do século XVIII).VI. Filosofia da Ilustração ou Iluminismo (meados do século XVIII ao começo do século XIX).VII.Filosofia contemporânea.
  • 29. QUESTÕES DISCUTIDAS PELA FILOSOFIA CONTEMPORÂNEAI. História e progresso.II. As ciências e as técnicas.III.As utopias revolucionárias.IV.A cultura.V. O fim da Filosofia.VI.A maioridade da razão.VII.Infinito e finito.
  • 30. TEMAS, DISCIPLINAS E CAMPOS FILOSÓFICOSI. Ontologia ou metafísica.II. Lógica.III. Epistemologia.IV. Teoria do conhecimento.V. Ética.VI. Filosofia política.VII. Filosofia da História.VIII.Filosofia da arte ou estética.IX. Filosofia da linguagem.X. História da Filosofia.