Tabela sessao mod._esc...

503 views
416 views

Published on

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
503
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Tabela sessao mod._esc...

  1. 1. O Modelo de Auto-Avaliação assenta, na sua concepção e metodologia de aplicação, na apropriação da biblioteca escolar pela escola e no reconhecimento do seu valor, enquanto estrutura de apoio pedagógico ao serviço das aprendizagens. Procure os factores críticos de sucesso que correspondem a estes domínios/ subdomínios e, a partir deles, faça uma análise à situação da sua biblioteca escolar. Identifique pontos fracos e fortes e delineie estratégias que conduzam a uma maior apropriação e reconhecimento do valor da BE. Depois desta análise, identifique o domínio que requer mais atenção e que em função de mais algumas circunstâncias contextuais deva ser objecto de avaliação. Obs: - A tabela divide-se, por conveniência de gestão de espaço, em duas partes. Tabela – Parte 1 Indicadores Pontos fortes Pontos fracos A - Articulação curricular da biblioteca escolar com as estruturas de coordenação e supervisão pedagógica e com os docentes. • A BE colabora com o Conselho Pedagógico, integrando-se no PEA, no RIA e no PAA do Agrupamento. • A BE é rentabilizada por alguns docentes no âmbito das suas actividades lectivas, desenvolvidas de forma autónoma, ou em parceria com a BE. • A BE ainda não colabora com os departamentos no sentido de conhecer os diferentes currículos, programas e orientações curriculares, visando integrar-se nas suas planificações. 1
  2. 2. • A BE planificou o seu PAA em articulação com as actividades desenvolvidas por alguns Departamentos. • A BE organizou, em parceria com o Departamento de Línguas, a Semana da Poesia, tendo estado envolvidas nas várias actividades turmas do 1º, 2º e 3º Ciclos. • A BE organizou, em parceria com os Departamentos de Línguas e das Físico-Matemáticas, a comemoração do Dia Mundial da Alimentação, tendo estado envolvidas turmas do 5º ano e a turma do Curso de Educação e Formação Serviço de Mesa. • A BE organizou, em parceria com os Departamentos de Línguas e das Físico-Matemáticas, a comemoração do Dia da Água, tendo estado envolvidas turmas do 1º e 2º ciclos. • A BE contribui para o enriquecimento do trabalho das disciplinas de estudo acompanhado e da área de projecto, assegurando a inclusão da BE e dos seus recursos naquelas disciplinas. • A BE integrou, no seu espaço, uma exposição de trabalhos de alunos do 2º ciclo da Área de Projecto, visando conteúdos programáticos do Departamento de Ciências Sociais e Humanas, em particular, os do grupo de HGP, no âmbito das comemorações dos Duzentos Anos das Invasões Francesas. • A BE integrou, no seu espaço, uma exposição da • A BE ainda não colabora com os conselhos de turma com o objectivo de conhecer os diferentes projectos curriculares e de se envolver no planeamento das respectivas actividades, estratégias e recursos. • A colaboração da BE com os docentes das ACND ainda é frágil. • A participação da BE no PTE e no plano TIC é ainda muito frágil. • A BE ainda não desenvolve um trabalho persistente com o SAE do agrupamento, com o intuito de apoiar os planos de trabalho dos docentes de educação especial. • A BE ainda não colabora de forma sistemática com os docentes responsáveis por actividades de apoio educativo, em relação com as estratégias de recuperação, acompanhamento e desenvolvimento, definidas para os alunos. 2
  3. 3. responsabilidade do grupo de História sobre o Património da Amadora. • A BE organizou e integra neste momento no seu espaço uma exposição da responsabilidade do grupo de História comemorativa do Centenário da 1ª República. • A BE colabora com alguns docentes das turmas na concepção e realização de actividades no âmbito da formação cívica. • A BE apoia os docentes no desenvolvimento do Plano Nacional da Leitura e do ensino do Português como Língua Não Materna. • A BE é utilizada pelos docentes em actividades curriculares e formativas. • A utilização da BE é rentabilizada em actividades de estudo, leitura e pesquisa orientada. • O PAA da BE inclui actividades de apoio curricular aos alunos. • A equipa da BE auxilia no acompanhamento de turmas e alunos em trabalho orientado na BE. • A BE não colabora no planeamento e realização de actividades de substituição desenvolvidas no contexto do plano OTE. • A BE não participa com os docentes em actividades de sala de aula. • Os materiais didácticos produzidos pela BE são ainda em número bastante reduzido. • A BE ainda não faz a divulgação dos seus materiais. 3
  4. 4. A - Promoção das literacias da informação, tecnológica e digital • A BE iniciou a produção de guiões de pesquisa de apoio ao trabalho de exploração dos recursos de informação pelos alunos, como, por exemplo, “Como Pesquisar para um Trabalho na NET”. • A BE participa em actividades de formação para docentes no domínio da literacia tecnológica e digital. A professora bibliotecária esteve a frequentar a acção de formação “Biblioteca Escolar, Literacias e Currículo”. • A equipa da BE apoia os alunos em actividades de pesquisa, consulta de sites, utilização adequada da Internet e realização de trabalhos. • A BE regista um aumento significativo da utilização dos vários recursos disponibilizados pela BE pelos alunos e docentes. • Os alunos trabalham na BE individualmente e/ou em grupo e realizam tarefas diferenciadas. • Os alunos cumprem as normas de actuação, de convivência e de trabalho, inerentes à organização e funcionamento da BE. • O plano de trabalho da BE só este ano lectivo vai começar a desenvolver actividades de formação de utilizadores com docentes. A BE apenas entrou para a RBE em Junho 2009. • A BE ainda não procede, em ligação com as estruturas de coordenação educativa e de supervisão pedagógica, ao levantamento nos currículos das competências de informação inerentes a cada departamento curricular com vista à definição de um currículo de competências transversais adequado a cada ano/ciclo de escolaridade. • A BE ainda não possui um modelo de pesquisa de informação a ser usado pelo agrupamento. • Os materiais informativos e de apoio produzidos pela BE com vista à adequada utilização da Internet são ainda insuficientes. • A BE ainda não tem disponível para os alunos nenhum modelo de literacia da informação. Neste momento a equipa da BE está a prepara o BIG 6 para disponibilizar aos alunos e divulgar aos professores. 4
  5. 5. B – Leitura e literacia • A BE disponibiliza uma colecção variada e adequada aos gostos, interesses e necessidades dos alunos. • A BE identifica novos públicos e adequa a colecção e as práticas às necessidades desses públicos, por exemplo os alunos dos CEF e dos Cursos Profissionais. • A BE promove acções formativas que ajudam a desenvolver as competências na área da leitura, como por exemplo, sessões de leitura; a realização de um concurso literário na modalidade “Conto” para todos os níveis de ensino do agrupamento; a comemoração da semana da poesia para o 1º, 2º e 3º ciclos com ateliers de escrita e com a leitura de poemas escritos pelos alunos e também poemas de autores; a realização da Feira do Livro, entre outras. • A BE incentiva o empréstimo domiciliário, verificando-se um aumento gradual dos livros requisitados. • A BE está informada relativamente às linhas de orientação do PNL, divulgando-as a todo o Agrupamento e apoiando a leitura orientada na sala de aula para o 1º, 2º e 3º ciclos e outras actividades que vão sendo propostas ao longo do ano lectivo. • A BE começou a incentivar a leitura em ambientes digitais, por exemplo, blogs, slideshare, youtube. • A BE apoia os alunos nas suas escolhas e conhece as • A BE ainda não articula com os departamentos curriculares o incentivo à leitura informativa no desenvolvimento de actividades de ensino e aprendizagem ou em projectos e acções. • A BE ainda não promoveu encontros com escritores. Está previsto este ano lectivo. • A BE ainda não colabora activamente com os outros docentes na construção de estratégias e actividades que melhorem as competências dos alunos ao nível da leitura e da literacia. • A BE não incentiva a criação de redes de trabalho a nível externo, com outras instituições, através de projectos neste domínio. • Ainda não se manifestam progressos evidentes nas competências de leitura dos alunos. • Os alunos ao desenvolverem os seus trabalhos na BE ainda interagem de forma débil com os equipamentos e os ambientes informacionais variados. • Não se observa ainda a participação activa dos alunos em actividades de promoção da leitura. 5
  6. 6. novidades literárias e de divulgação que melhor se adequam aos seus gostos. • A leitura e a literacia constam como meta no projecto educativo e curricular, em articulação com a BE. • Os alunos usam o livro e a BE para ler de forma recreativa, para se informar e para realizar trabalhos escolares. C – Apoio a actividades livres, extra- curriculares e de enriquecimento curricular. • A BE apoia as actividades livres de leitura, pesquisa, estudo e realização de trabalhos escolares, realizadas pelos alunos fora do horário lectivo e dos contextos formais de aprendizagem. • Na BE os alunos praticam técnicas de estudo variadas: pesquisam informação de diferentes tipos de documentos, tomam notas, elaboram fichas de leitura, resumos, produzem e editam trabalhos escritos recorrendo ao uso computador e da Internet. • Na BE os alunos desenvolvem hábitos de trabalho e aprendem a organizar a sua própria aprendizagem, revelando progressos na execução das tarefas. • Os alunos beneficiam de acesso livre e permanente à BE. • Os alunos utilizam a BE num clima de liberdade, respeito e descontracção. • Os alunos dispõem de condições favoráveis à utilização individual e em pequenos grupos. • Os alunos desfrutam de uma boa colecção na área da • As actividades culturais promovidas pela BE ainda se realizam de forma pontual. • Ainda não existem projectos e actividades propostos pelos alunos. • A nível de núcleos/clubes existe apenas o jornal da escola com o apoio e colaboração da BE. • A BE ainda não dispõe de monitores. • A BE ainda não participa nas AEC. 6
  7. 7. literatura infantil/juvenil. C - Projectos e parecerias • A BE organizou, em parceria com o Departamento de Línguas, a Semana da Poesia, tendo estado envolvidas nas várias actividades turmas do 1º, 2º e 3º Ciclos. • A BE organizou, em parceria com os Departamentos de Línguas e das Físico-Matemáticas, a comemoração do Dia Mundial da Alimentação, tendo estado envolvidas turmas do 5º ano e a turma do Curso de Educação e Formação Serviço de Mesa. • A BE organizou, em parceria com os Departamentos de Línguas e das Físico-Matemáticas, a comemoração do Dia da Água, tendo estado envolvidas turmas do 1º e 2º ciclos. • A BE contribui para o enriquecimento do trabalho das disciplinas de estudo acompanhado e da área de projecto, assegurando a inclusão da BE e dos seus recursos naquelas disciplinas. • A BE integrou, no seu espaço, uma exposição de trabalhos de alunos do 2º ciclo da Área de Projecto, visando conteúdos programáticos do Departamento de Ciências Sociais e Humanas, em particular, os do grupo de HGP, no âmbito das comemorações dos Duzentos Anos das Invasões Francesas. • A BE integrou, no seu espaço, uma exposição da responsabilidade do grupo de História sobre o Património da Amadora. • A BE ainda não desenvolve parcerias com outras entidades locais. • A BE não está implicada em projectos de âmbito regional, nacional ou internacional. • A BE não disponibiliza a outras escolas infra- estruturas, apoio técnico e serviços em rede. • A BE tem carência de recursos humanos. • A BE ainda não realiza um trabalho de proximidade com os pais, embora esteja previsto para este ano lectivo a vinda dos pais à BE para falarem da sua experiência pessoal e profissional. • A BE ainda não estabeleceu parcerias com a Junta de Freguesia, CM e BM. 7
  8. 8. • A BE organizou e integra neste momento no seu espaço uma exposição da responsabilidade do grupo de História comemorativa do Centenário da 1ª República. • A BE colabora com alguns docentes das turmas na concepção e realização de actividades no âmbito da formação cívica. • A BE apoia os docentes no desenvolvimento do Plano Nacional da Leitura e do ensino do Português como Língua Não Materna. • A professora bibliotecária participa sempre nas reuniões de trabalho agendadas pela coordenadora inter-concelhia. • A BE partilha experiências e recursos com algumas das BEs do Concelho da Amadora. • O horário da BE cobre quase na totalidade o período lectivo. A escola funciona em turno único. D - Articulação da biblioteca com a escola. Acesso e serviços prestados pela biblioteca • A Professora Bibliotecária promove, no Conselho Pedagógico, a missão relevante que a BE pode desempenhar para o sucesso educativo dos alunos. • A professora bibliotecária realiza reuniões com os Departamentos no sentido de sensibilizar todos os docentes • A BE ainda não articula os seus objectivos, recursos e actividades aos projectos curriculares das turmas. • A BE debate-se com falta de recursos humanos. • A articulação entre a BE e as estruturas de coordenação educativa e de supervisão 8
  9. 9. para a missão da BE na escola e nas aprendizagens dos alunos. • A equipa da BE elaborou o Regulamento Interno da BE. • O Regulamento Interno da BE foi aprovado pelo Conselho Pedagógico. • O Regulamento Interno da BE está em anexo ao Regulamento Interno do Agrupamento. • O Regulamento Interno da BE está em anexo ao Projecto Educativo do Agrupamento. • O PAA da BE está inserido no PAA do Agrupamento. • A professora bibliotecária apresentou ao Conselho Pedagógico, o Modelo de Auto-Avaliação da BE proposto pela RBE, tendo definido o domínio a testar. • A professora bibliotecária apresentou aos diferentes Departamentos o Modelo de Auto-Avaliação da BE. • A equipa da BE realizou várias reuniões para operacionalizar o Modelo de Auto-Avaliação da BE na escola. • A BE adequa os seus objectivos, recursos e actividades ao currículo nacional e ao projecto curricular de escola. • Os órgãos de gestão apoiam a BE e envolvem-se na procura de soluções promotoras do seu funcionamento. • O horário da BE cobre quase na totalidade o período lectivo. pedagógica ainda é débil. • Ainda é baixa a percentagem de docentes que valoriza o papel da BE e a integra nas suas práticas de ensino/aprendizagem. • A escola ainda não encara a BE como um recurso fulcral no desenvolvimento do gosto pela leitura, na aquisição das literacias fundamentais, na progressão nas aprendizagens e no sucesso escolar. • A BE planifica com uma percentagem reduzida de docentes. • A BE ainda não se assume como pólo de fomento e de difusão cultural. 9
  10. 10. A escola funciona em turno único. • Apenas a BE da escola sede está integrada na RBE. • Os recursos e serviços da BE respondem , na generalidade, às metas e estratégias definidas no projecto educativo e projecto curricular. • A BE cria condições e é usada como recurso e como local de lazer e de trabalho. • A BE apoia os utilizadores no acesso à colecção, aos equipamentos, à leitura, à pesquisa e ao uso da informação. • A professora bibliotecária apresentou ao Conselho Pedagógico, o Modelo de Auto-Avaliação da BE proposto pela RBE, e o domínio a testar – Leitura e Literacia. • A professora bibliotecária apresentou aos diferentes Departamentos o Modelo de Auto-Avaliação da BE e o domínio a ser testado. • A equipa da BE realizou várias reuniões para operacionalizar o Modelo de Auto-Avaliação da BE na escola. • O relatório final do Modelo de Auto-Avaliação foi apresentado ao Conselho Pedagógico, que propôs acções de melhoria que, por sua vez, constam do PAA da BE para este ano lectivo. 10
  11. 11. D - Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços • A Professora Bibliotecária participa, de forma empenhada, no Conselho Pedagógico promovendo a missão da BE, a sua relação colaborativa com os professores, os seus projectos visando o sucesso educativo e a interacção com os coordenadores dos departamentos e o presidente do Conselho Pedagógico. • A equipa da BE realizou reuniões para definir estratégias de concretização do PAA da BE. • A Professora Bibliotecária apresentou, no Conselho Pedagógico a proposta de Regulamento Interno da BE, que foi aprovada. • A professora bibliotecária promove uma boa gestão dos recursos humanos, criando boas relações interpessoais com a equipa da BE. • A PB promove uma gestão integrada no sentido de rentabilizar os recursos e possibilidades de trabalho na escola. • A PB promove a mobilização da comunidade educativa, realizando reuniões com os Departamentos e alguns docentes, para o valor e para o trabalho da/com a BE. • A professora bibliotecária promove a articulação com o PNL. • A BE apresenta mobiliário adequado e em quantidade, • A professora bibliotecária ainda não promove a operacionalização de programas de formação para as literacias que contribuam para as aprendizagens dos alunos e para o sucesso escolar. • A equipa da BE não possui formação na área das BEs. • A PB e a equipa da BE ainda não acompanham os alunos em trabalho orientado para as diferentes literacias, particularmente a tecnológica e digital. • A PB trabalha pontualmente com outras BEs. • O espaço físico da BE é reduzido para responder às solicitações da comunidade escolar e a uma utilização diversificada. • A organização do espaço e dos recursos tem algumas limitações devido ao espaço físico ser reduzido. • Os equipamentos, principalmente os computadores, ainda não são em número suficiente para as necessidades. • Os equipamentos de leitura também ainda não são em número suficiente 11
  12. 12. permitindo o acesso livre dos utilizadores à documentação e os equipamentos adaptam-se às possibilidades do espaço físico. • A professora bibliotecária apresentou, ao Conselho Pedagógico, o Modelo de Auto-Avaliação da BE proposto pela RBE e o domínio a testar – Leitura e Literacia. • A professora bibliotecária apresentou aos diferentes Departamentos o Modelo de Auto-Avaliação da BE. • A equipa da BE realizou várias reuniões para operacionalizar o Modelo de Auto-Avaliação da BE na escola. • A professora bibliotecária encontra-se a frequentar acções de formação na área das BEs. • A equipa da BE integra uma Assistente Operacional a tempo inteiro. • A PB e a equipa têm uma atitude proactiva. • A BE reflecte e integra os normativos definidos pelo ME/RBE. • O mobiliário é adequado em termos de ergonomia, quantidade, cor, altura à faixa etária e necessidade dos alunos, proporcionando boas condições de acomodação e o acesso livre dos utilizadores à documentação. • Ainda não existe uma articulação contínua entre a PB e o coordenador do PTE. • A BE só agora irá começar recorrer às ferramentas da WEB 2.0. D - Gestão da colecção/ da informação • A PB e a equipa procederam ao tratamento do fundo • A BE da escola sede ainda não promove uma 12
  13. 13. documental impresso: retiraram-se as etiquetas velhas, limparam-se os números de inventário anterior, procedeu-se à carimbagem e ao registo, fez-se a etiquetagem informática e respectiva colocação, organizaram-se os documentos pelas estantes em acesso directo e pela CDU e colocou-se a sinalética nas estantes. • A política documental encontra-se definida para a escola. • A política documental materializa-se num processo integrado e contínuo de avaliação da colecção, na inventariação de necessidades e na sua actualização. • O órgão de gestão tem atribuído anualmente uma verba para actualização da documentação. • A colecção é equilibrada em quantidade e entre as diferentes áreas, garantindo condições de acesso e uso a todos os utilizadores. • A equipa da BE incentiva a requisição domiciliária, visando o desenvolvimento de trabalhos curriculares em casa e a promoção da leitura recreativa. • A BE apresenta um sistema de classificação normalizado, usando a Classificação Decimal Universal. • Os alunos procuram os recursos documentais para se recrearem e/ou para o trabalho escolar. gestão integrada com as outras BEs do agrupamento. As outras BEs não estão integradas na RBE e o espaço físico da escola do 1º ciclo funciona como sala de aula. • A BE ainda não promove circulação do fundo documental no agrupamento. • Ainda são poucos os docentes que recorrem à documentação para a sua actividade lectiva e incentivam a sua utilização, apresentando propostas de trabalho conducentes ao seu uso. • A BE ainda não produz instrumentos de apoio ao uso da colecção. • O fundo documental ainda não está informatizado. Começará a sê-lo no decorrer deste ano lectivo. • Não existe catálogo online. • A BE ainda não criou instrumentos de promoção da colecção e de divulgação de recursos de informação, nem recorre a estratégias formativas e de interacção com os utilizadores. 13
  14. 14. • A BE ainda não usa a página WEB para difusão da informação. Tabela – Parte 2 Indicadores Acções de comunicação e de trabalho com a escola que contribuam para uma melhorar apropriação da BE e reconhecimento do seu valor. A - Articulação curricular da biblioteca escolar com as estruturas de coordenação e supervisão pedagógica e com os docentes. • Promover a participação periódica da BE nas reuniões de planificação das estruturas de coordenação educativa e de supervisão pedagógica. • Organizar acções informais de formação sobre a BE junto dos docentes. • Apresentar aos docentes sugestões de trabalho conjunto em torno do tratamento de diferentes unidades de ensino ou temas. • Melhorar a comunicação entre a BE e os docentes no sentido de facilitar a actualização e adequação dos recursos às suas necessidades. • Aprofundar e desenvolver de forma sistemática a articulação com as áreas de Estudo Acompanhado e Área de Projecto. • Produzir e partilhar materiais utilizados noutras escolas e na BE. 14
  15. 15. • Promover a integração dos novos docentes no trabalho da BE. • Promover reuniões da BE com os docentes responsáveis pelos SAE. • Integrar a PB na equipa PTE, de acordo com a legislação em vigor. • Introduzir uma política orientada para o ensino sistemático e em contexto curricular de competências de informação. • Incentivar a formação dos docentes e da equipa da BE na área da literacia da informação. A - Promoção das literacias da informação, tecnológica e digital • Organizar com os directores de turma um calendário de sessões de formação de utilizadores. • Introduzir uma política orientada para o ensino sistemático e em contexto curricular de competências de informação, tecnológicas e digitais. • Produzir e partilhar materiais para a formação com outras escolas e BEs. • Incentivar a formação dos docentes e da equipa da BE na área da literacia da informação. • Estabelecer um plano articulado e progressivo para o desenvolvimento das competências de informação. • Aumentar o nível de incorporação das TIC nos serviços informativos e educativos oferecidos pela BE. • Adoptar um modelo de pesquisa uniforme para toda a escola. • Envolver os alunos na vida da BE, criando um grupo de monitores ou “amigos” da BE. B - Leitura e literacia • Utilizar a WEB e outras fontes de informação na pesquisa e identificação de livros/autores e de materiais do interesse dos alunos. • Promover a leitura e a escrita através de actividades diversas (feira do livro, concursos de leitura e de escrita, sessões de leitura). • Desenvolver uma acção sistemática na promoção de obras literárias ou de divulgação, na realização de exposições, de 15
  16. 16. debates e na criação de grupos de leitura. • Elaborar guiões com o objectivo de desenvolver boas práticas de literacia. • Inventariar as necessidades em termos de livros e outros recursos. • Sensibilizar a escola para a importância da leitura como suporte e progressão das aprendizagens. • Promover o trabalho articulado e uma colaboração activa com os departamentos e os docentes através da concepção/participação em programas/projectos relacionados com a leitura. • Apoiar e reforçar o desenvolvimento do PNL e a sua divulgação em todo o Agrupamento. • Reforçar e incentivar o trabalho colaborativo com os professores de Língua Portuguesa. • Aprofundar o trabalho colaborativo com a escola do 1º ciclo em actividades diversas no âmbito da leitura. • Promover o trabalho articulado e uma colaboração activa com os departamentos e os docentes através da concepção/participação em programas/projectos relacionados com a leitura. • Melhorar a oferta de actividades de promoção da leitura e de apoio ao desenvolvimento de competências no âmbito da leitura, da escrita e das literacias. • Dialogar com os alunos com vista à identificação de interesses e necessidades no campo da leitura e da literacia. C - Apoio a actividades livres, extra- curriculares e de enriquecimento curricular. • Reforçar a articulação com as áreas de estudo acompanhado/apoio ao estudo. • Aumentar a participação da BE na dinamização de actividades culturais. • Melhorar os mecanismos de promoção e marketing da BE, valorizando e divulgando junto da comunidade educativa e local o seu programa de animação cultural. • Solicitar o envolvimento e colaboração dos pais/EE e da comunidade na organização e financiamento dos eventos. 16
  17. 17. • Incentivar o empréstimo domiciliário, nomeadamente nos períodos de férias. • Melhorar a difusão dos recursos existentes na BE. C – Projectos e parecerias • Aumentar o grau de intervenção da BE na comunidade educativa através da concepção de projectos relevantes de sua iniciativa. • Organizar encontros para comunicação e partilha de experiências. • Organizar visitas a BEs e BM. • Envolver os pais/EE num programa de promoção da leitura . • Aproveitar ocasiões como o Natal e feiras do livro para trazer os pais/EE à escola e promover uma “campanha” de oferta de um livro para a BE. D - Articulação da biblioteca com a escola. Acesso e serviços prestados pela biblioteca • Reforçar a articulação de objectivos e de trabalho com departamentos e docentes. • Manter um diálogo constante com o director, partilhando dificuldades e sucessos. • Ser proactivo e sugerir projectos e actividades junto do conselho pedagógico, dos departamentos e docentes. • Divulgar recursos e sugerir projectos e actividades. • Recorrer a diferentes meios e ambientes incluindo aqueles que faculta a WEB 2.0 para promover os recursos da BE e as actividades que realiza. • Criar dinâmicas de promoção cultural e difundir essas práticas formando públicos, promovendo a escola e a BE como pólo cultural. • Alterar práticas de acordo com a identificação dos pontos fortes e fracos. 17
  18. 18. • Integrar os resultados da auto-avaliação da BE na auto-avaliação da escola. D - Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços • Identificar e partilhar sucessos e insuficiências e problemáticas, partilhando-as com o órgão de gestão e a escola. • Realizar reuniões com os Departamentos, com o objectivo de definir a missão, os objectivos e a acção da BE. • Precisar esses objectivos, integrando-os no conjunto de objectivos definidos pela escola, contidos no Projecto Educativo e Curricular e no Plano Anual de Actividades. • Reforçar a acção da BE no apoio ao funcionamento da escola e às actividades de ensino/aprendizagem. • Desenhar e planificar, conjunta e articuladamente com os docentes, projectos/actividades inerentes ao cumprimento dos diferentes domínios implicados no funcionamento da BE. • Aprofundar os conhecimentos pessoais (professora bibliotecária e equipa) através de formação contínua junto de CFAE ou outras entidades formadoras. • Utilizar e divulgar, junto dos órgãos de administração e gestão, os resultados da auto-avaliação como registos significativos do investimento na melhoria das condições da BE. • Aprofundar a articulação com a equipa PTE para rentabilizar equipamentos e possibilidades de trabalho. D - Gestão da colecção/ da informação • Elaborar o documento que oriente a gestão da colecção. • Enriquecer o fundo documental impresso e não impresso de acordo com as necessidades dos alunos. • Fazer consultas aos departamentos acerca dos fundos documentais a adquirir. • Iniciar a informatização do fundo documental impresso. • Formação em Porbase. 18
  19. 19. • Explorar e difundir o uso de recursos online e incentivar o recurso de dispositivos da WEB para produzir e difundir informação. • Promover e divulgar a colecção e difundir a informação. • Aproveitar as possibilidades da WEB e recorrer aos novos dispositivos para produzir, difundir e comunicar a informação. Perante a análise da situação, qual dos domínios lhe parece dever ser já objecto de avaliação? Indique, se necessário outros factores que foram considerados. O domínio Apoio ao Desenvolvimento Curricular, porque é preciso reforçar o trabalho colaborativo com todos os docentes responsáveis pelas ACND; estabelecer uma actividade de apoio junto dos docentes responsáveis pelos apoios educativos; sensibilizar para a utilização dos recursos da BE por parte dos docentes no âmbito da actividade lectiva; participar activamente no PTE; fomentar o ensino das competências de informação e promover o uso das TIC e da Internet como ferramentas de acesso, produção e comunicação da informação e como recurso de aprendizagem. É fundamental que as estruturas de coordenação educativa, supervisão pedagógica e os docentes tomem consciência de que a BE apresenta muitas fragilidades neste domínio. Filomena Azevedo 13/11/2010 19

×