Quem faz mais refeições em casa e qual a sua pegada ecológica

192
-1

Published on

Quem faz mais refeições em casa e qual a sua pegada ecológica

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
192
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Quem faz mais refeições em casa e qual a sua pegada ecológica

  1. 1. Quem faz mais refeições em casa e qual a sua pegada ecológica? Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Departamento de Matemática Escola de Ciências e Tecnologia Licenciatura em Biologia e Geologia U.C. Bioestatística Luís Filipe Marinho Sampaio nº 33706 Jessica Eira Silva nº 33705 7 de Junho de 2011 Pedro Henrique Gomes Veiga nº 33698
  2. 2. Índice Resumo.......................................................................................................................................... 2 Introdução ..................................................................................................................................... 2 Material e métodos ....................................................................................................................... 3 Análise de resultados .................................................................................................................... 4 Idade dos inquiridos .................................................................................................................. 4 Género dos inquiridos ............................................................................................................... 5 Refeições feitas em casa vs género ........................................................................................... 5 Classe de idades vs refeições feitas em casa ............................................................................ 6 Pegada ecológica total .............................................................................................................. 7 Será que os inquiridos sabem que fazer refeições em casa influencia a pegada ecológica? ... 8 Conclusão ...................................................................................................................................... 9 Bibliografia .................................................................................................................................... 9 Resumo .......................................................................................................................................... 2 Introdução ..................................................................................................................................... 2 Material e métodos ........................................................................................................................ 3 Análise dos resultados ................................................................................................................... 4 Idade dos inquiridos .................................................................................................................. 4 Género dos inquiridos ............................................................................................................... 5 Refeições feitas em casa por semana vs género ........................................................................ 5 Classe de idades vs refeições feitas em casa ............................................................................. 6 Pegada ecológica total ............................................................................................................... 7 Será que os inquiridos sabem que fazer refeições em casa influência a pegada ecológica? ..... 8 Conclusão ...................................................................................................................................... 9 Bibliografia ................................................................................................................................. 10 1
  3. 3. Resumo Será que ao fazeres refeições em casa estas a contribuir para um aumento ou uma diminuição da pegada ecológica? Ao longo deste trabalho incidimos a nossa atenção principalmente nesta questão tentando refutar ou confirmar a sua importância, tendo sido também possível evidenciar outros pontos (por exemplo, percentagem do género e idade dos inquiridos). Na averiguação desta questão fizemos cruzamentos de diversos dados por nós trabalhados, desde relacionar a quantidade de vezes que os inquiridos comem em casa com o do inquirido a arrolar a faixa etária dos inquiridos com a quantidade de refeições feitas em casa. Introdução O que é a pegada ecológica? A pegada ecológica é uma estimativa do impacto que o nosso estilo de vida tem sobre o planeta. Esta estimativa permite avaliar até que ponto a nossa forma de viver esta de acordo com a sua capacidade de disponibilizar e renovar os seus recursos naturais. A pegada ecológica foi criada para que as pessoas pudessem perceber a quantidade de recursos naturais que utilizam para suportar o seu estilo de vida. O estilo de vida de cada um de nós, passa pela cidade e casa onde vivemos, a alimentação que fazemos, a roupa que vestimos, os transportes que utilizamos, entre outros. Em suma, a pegada ecológica, é “a capacidade de uma geração transmitir à outra um planeta com tantos recursos como os que encontrou” (Relatório Brundtland)1. Este trabalho foi feito no âmbito da unidade curricular Bioestatística, com o intuito de percebermos as várias formas de trabalhar dados estatísticos. 1 Texto adaptado de: S.A., “O que é a Pegada Ecológica?”. Retirada de: http://conservacao.quercusancn.pt/content/view/46/70/, 7-06-2011 2
  4. 4. Através da análise do inquérito utilizado, decidimos ser importante o estudo da questão 2 “alimentação” mais especificamente do ponto 2.2 “Quantas refeições feitas em casa é que comes por semana”. O estudo desta variável torna-se interessante para termos uma percepção da pegada ecológica de acordo com o local onde efectuamos as nossas refeições. Material e métodos Neste trabalho de pesquisa, a recolha de dados deu-se pelo método de inquérito. Este foi retirado do site da GESAMB (Gestão ambiental e de resíduos) 2 . Utilizamos este inquérito fazendo algumas alterações, nomeadamente, a adição de duas questões a idade e o género. A sua distribuição foi feita na conveniência de cada um, sendo feita a familiares, amigos e conhecidos. O tamanho da amostra foi de cerca de 397 inquiridos, dos quais 30 foram distribuídos pelo nosso grupo. Na inserção dos resultados na base de dados, efectuaram-se algumas codificações como, por exemplo, a inserção dos dados referentes ao género, em que o género feminino foi representado pelo número 1 e o masculino pelo número 2. Outra codificação utilizada na inserção dos dados foi, por exemplo a da questão 2.1: a) Menos de 10 – corresponde a 25 pontos pois é um comportamento considerado como pouco ecológico; b) De 10 a 14 – corresponde a 20 pontos; c) De 14 a 18 – corresponde a 15 pontos; d) Mais de 18 – corresponde a 10 pois é um comportamento considerado muito ecológico. As restantes codificações já estavam estabelecidas no questionário. 2 http://www.gesamb.pt/upload/gesamb/img/Pegada_Ecologica.pdf, 7-06-2011. 3
  5. 5. Análise dos resultados Idade dos inquiridos Analisamos a idade dos inquiridos, para termos uma ideia geral de qual a distribuição, a nível de faixas etárias, dos nossos inquéritos. Tabela 1 – Distribuição, por faixas etárias, das idades dos inquiridos. Percentagem 46,84% 24,05% 18,23% 6,84% 4,05% Idades [7;22] [22;37[ [37;52[ [52;67[ [67;82[ 50% 45% 46,84% 40% 35% 30% 25% 24,05% 20% 15% 18,23% 10% 5% 6,84% 4,05% [52;67[ [67;82[ 0% [7;22] [22;37[ [37;52[ Figura 1 – Gráfico referente às idades dos inquiridos. Podemos verificar que a idade dos inquiridos incide principalmente na faixa etária de 7 a 22 anos (cerca de 50%). Os restantes 50% distribuem-se pelas restantes faixas etárias. 4
  6. 6. Género dos inquiridos No gráfico abaixo é possível verificar a percentagem de homens e mulheres a responder ao inquérito. Tabela 2 – Valor, em percentagem, dos géneros dos inquiridos. Percentagem Sexo Feminino 55,1 Masculino 44,9 100,0 Total Sexo (percentagem) 44,9% 55,1% Feminino Masculino Figura 2 – Gráfico referente ao género dos inquiridos. Podemos concluir que a nossa amostragem é composta maioritariamente por mulheres, cerca de 55,1%. Refeições feitas em casa por semana vs género O objectivo de analisarmos estas variáveis é, principalmente, vermos se existe uma grande variação entre o género e a quantidade de vezes que faz refeições em casa. Feminino Masculino Totais Tabela 3 – Quantidade de refeições feitas em casa vs género. <10 10 - 14 14 - 18 >18 13,10% 17,13% 8,06% 16,37% 11,08% 14,61% 5,54% 14,11% 24,18% 31,74% 13,60% 30,48% Totais 54,66% 45,34% 100% 5
  7. 7. 17,13% 18% 16% 14% 12% 16,37% 14,61% 14,11% 13,10% 11,08% 10% Feminino 8,06% 8% Masculino 5,54% 6% 4% 2% 0% <10 10 - 14 (10-14) 14 - 18 >18 Figura 3 – Gráfico que relaciona a quantidade de vezes que os inquiridos comem em casa com o género Se admitirmos que, as refeições consideradas no inquérito, são o pequenoalmoço, o almoço, o lanche e o jantar, podemos ver que nem todas as pessoas efectuam essas refeições em casa. Para efectuar todas as refeições em casa, o inquirido terá de fazer pelo menos 28 refeições em casa, por semana. Através da análise do gráfico podemos ver que cerca de 31% das pessoas, fazem mais de 18 refeições em casa, por semana. Por outro lado, cerca de 24% das pessoas inquiridas efectuam menos de 10 refeições em casa, o que significa que pelo menos 18 refeições fazem fora de casa. Classe de idades vs refeições feitas em casa Nesta variável, efectuamos uma escala de idades, de modo a agrupar as faixas etárias para podermos tirar algumas conclusões acerca disso. Os intervalos utilizados forma: [7;22]; [22;37[; [37;52[; [52;67[; [67;82[ Tabela 4 – Classe de idades vs quantidade de refeições feitas em casa [7;22] [22;37[ [37;52[ [52;67[ [67;82[ Totais <10 13,92% 6,33% 5,32% 2,28% 2,53% 30,38% 10-14 4,56% 3,29% 4,30% 1,01% 0,51% 13,67% 14-18 15,70% 8,10% 4,81% 2,28% 0,76% 31,65% >18 12,66% 6,33% 3,80% 1,27% 0,25% 24,31% Totais 46,84% 24,05% 18,23% 6,84% 4,05% 100% 6
  8. 8. 16,00% 14,00% 12,00% 10,00% <10 10-14 (10-14) 8,00% 14-18 6,00% >18 4,00% 2,00% 0,00% [7;22] [22;37[ [37;52[ [52;67[ [67;82[ Figura 4 - Gráfico que relaciona a faixa etária dos inquiridos com a quantidade de refeições feitas em casa. A grande diferença que vemos neste gráfico é na faixa etária dos 67 aos 82, onde podemos verificar que a maior parte dos inquiridos faz refeições em casa. Pegada ecológica total Nesta variável fizemos uma escala de valores e classificamos essa escala quanto à soma que daria origem ao valor da pegada ecológica: 125 a 313 – Muito bom; 314 a 502 – Bom; 503 a 691 – Razoável; 692 a 880 – Mau; Tabela 5 – Soma dos valores da pegada ecológica total Classe MUITO BOM BOM RAZOÁVEL MAU TOTAL Percentagem 12,34% 71,03% 16,12% 0,50% 100% 7
  9. 9. 80% 70% 71,03% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 16,12% 12,34% 0,50% 0% MUITO BOM BOM RAZOÁVEL MAU Figura 5 – Soma dos valores da pegada ecológica total É notório que a maior parte dos inquiridos têm um comportamento, considerado por nós, bom pois 71,03% têm esse comportamento. Isto reflecte a boa consciência ecológica por parte dos inquiridos. Será que os inquiridos sabem que fazer refeições em casa influência a pegada ecológica? Tabela 6 – Influência que a nossa questão (2.1) faz na PE total Pontos obtidos MUITO BOM BOM RAZOÁVEL na questão 2.1 15,57% 66,39% 18,03% 10 5,55% 75,92% 16,66% 15 8% 76% 16% 20 12,50% 64,58% 21,87% 25 PE Total 41,62% 282,89% 72,56% MAU 0% 1,85% 0% 1,04% 2,89% 8
  10. 10. 80% 70% 60% 50% 10 40% 15 30% 20 25 20% 10% 0% MUITO BOM BOM RAZOÁVEL RASOÁVEL MAU Figura 6 – Gráfico que relaciona a pontuação da nossa questão (2.1) com a pegada ecológica total A pegada ecológica em geral é boa, como podemos concluir no gráfico da pegada ecológica total. Das pessoas que responderam que comiam mais de 18 vezes em casa por semana, 0% obteve um valor final de pegada ecológica considerado mau. Também há que ver que, cerca de 1% das pessoas que comem mais de 18 vezes em casa, tiveram um mau resultado na soma dos valores da sua pegada ecológica. Por outro lado cerca de 16% das pessoas que obtiveram resultado muito bom na soma da sua pegada ecológica, comem menos de 10 vezes em casa. Conclusão Com este trabalho, podemos concluir que as pessoas com idades compreendidas entre os 7 e 22 anos fazem mais refeições em casa por semana. Outra conclusão que podemos retirar deste trabalho é que as mulheres dizem fazer mais refeições em casa do que os homens. Por fim podemos concluir que os inquiridos, na questão em estudo, deram respostas que coincidiam com a sua pegada ecológica em geral. Por exemplo, um inquirido que respondeu à nossa questão com a classificação entre 15 pontos e 20 pontos apresenta em geral uma pegada ecológica boa. 9
  11. 11. Bibliografia  http://conservacao.quercusancn.pt/content/view/46/70/, 7-06-2011;  MARTINS, Maria Eugénia Graça e outros, 2007, Análise de Dados: texto de apoio para os professores do 1.º ciclo/Maria Eugénia Graça Martins, Luísa Canto e Castro Loura, Maria de Fátima Mendes; ISBN 978-972-742-261-6; 10

×