Your SlideShare is downloading. ×
Researching the Community of Inquiry Framework
Researching the Community of Inquiry Framework
Researching the Community of Inquiry Framework
Researching the Community of Inquiry Framework
Researching the Community of Inquiry Framework
Researching the Community of Inquiry Framework
Researching the Community of Inquiry Framework
Researching the Community of Inquiry Framework
Researching the Community of Inquiry Framework
Researching the Community of Inquiry Framework
Researching the Community of Inquiry Framework
Researching the Community of Inquiry Framework
Researching the Community of Inquiry Framework
Researching the Community of Inquiry Framework
Researching the Community of Inquiry Framework
Researching the Community of Inquiry Framework
Researching the Community of Inquiry Framework
Researching the Community of Inquiry Framework
Researching the Community of Inquiry Framework
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Researching the Community of Inquiry Framework

580

Published on

Researching the Community of Inquiry Framework

Researching the Community of Inquiry Framework

Published in: Education, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
580
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
10
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide
  • Caros Professores,  Colegas de Mestrado e Participantes, Gostaríamos antes de mais de agradecer a vossa presença neste Congresso e mais precisamente na nossa apresentação.    Somos a equipa Azul que é composta por mim, Marisol, Jorge, Olympia e Merlin.   Desde a sua publicação o modelo Comunidade de Inquirição (Community of Inquiry, CoI) tem gerado grande interesse entre pesquisadores na área da aprendizagem online   O artigo que serviu por base a esta apresentação pretende ser uma revisão da literatura e pesquisas recentes sobre o modelo CoI, em especial sobre a Presença Social, Cognitiva e de Ensino.  Pretende também identificar as possíveis direções a seguir para futuras pesquisas na área, nomeadamente na necessidade de estudos mais aprofundados sobre o relacionamento  entre os diferentes elementos do modelo e o impacto destes nos cursos online.
  • O nosso grupo irá então começar por esboçar as principais características do Modelo de Comunidade de Inquirição segundo Garrison et al. De salientar são assim os três tipos de presença pressupostos nesse modelo:   - Presença Social, - Presença Cognitiva e - Presença de Ensino O objetivo é descrever o estado de arte da atual investigação e quais os campos a serem ainda explorados nesta área.
  • Uma Comunidade segundo John Dewey é uma associação significativa, associação com base no interesse e esforço comum. A essência da comunidade é a comunicação, ..."   O modelo que será tratado nesta apresentação é o Modelo de Comunidade de Inquirição (CoI) desenvolvido por Garrison, Anderson e Archer. Este modelo consiste em três elementos: 1. Presença Social, 2. Presença Cognitiva  3. Presença de Ensino. Passo a detalhar um pouco mais a Presença Social.
  • A Presença Social na aprendizagem online é a capacidade inerente aos alunos de se projetarem social e emocionalmente, de forma a serem percebidos como "pessoas reais", na comunicação mediada por computadores.   A Presença Social como um dos elementos da Comunidade de Inquirição é o que tem vindo a ser mais investigada.    Pesquisas recentes  sugerem a existência de uma forte relação entre a presença social e os resultados da aprendizagem. Outras pesquisas sugerem ainda  que  as atividades que cultivam a presença social também aumentam a satisfação do aluno em relação à internet como um meio educacional.  A Presença Social é defenida por três categorias: - Comunicação Aberta - Coesão do grupo - Expressão afetiva Estudos recentes sugerem que um discurso crítico na aprendizagem online desenvolve-se tendo por base uma presença social. Esta presença social muda com a evolução de um ciclo de estudos. Os alunos podem estabelecer uma comunicação afetiva e desenvolver relações sociais, a partir do momento em que o grupo se sinta seguro para se comunicar abertamente. Por outro lado a coesão do grupo requer foco intelectual, requer uma percepção por parte dos alunos sobre quais os resultados da aprendizagem esperados e alcançados. Numa comunidade de aprendizagem online é necessário tempo para desenvolver um sentimento de confiança e camaradagem. Citado no artigo de Garriosn, Vaughan sugere que a comunicação afetiva e aberta seja necessária para estabelecer uma sentimento de comunidade e permitir uma coesão do grupo.    O reforço social torna-se contudo  no decorrer das discussões online, menos necessário e o foco muda para objectivos académicos. À laia de resumo, tornam-se necessários ainda estudos adicionais sobre como se desenvolve a Presença Social durante a discussão.   E mais, já que o aumento da sociabilidade dos participantes em cursos online leva a uma maior interação, e isto apresenta implicações diretas no desenvolvimento da presença cognitiva, é nessário aprofundar mais os estudos sobre a interação Presença Social e Presença Cognitiva, e também não se deve  esquecer a Presença de Ensino, como terceiro elemento da equação.
  • Para finalizar, todos já conhecem com certeza este cartoon: "Na Internet, ninguém sabe que sou um cão".    A Presença Social diz precisamente que se consegue "sentir" que um colega de curso não é um cão e que isso é determinante para o sucesso da aprendizagem online. O colega Jorge Forhilde iirá agora continuar com a segunda presença, a Presença Cognitiva.
  • A presença cognitiva é uma extensão pela qual os alunos são capazes de construir e confirmar o significado através de uma reflexão e discurso sustentado.   Esta presença é operacionalizada num modelo prático de inquirição, resultando num processo de quatro fases: um evento desencadeador, a exploração, a integração e a resolução.   A presença cognitiva é definida como um ciclo de inquirição prática, onde os participantes se movimentam, de forma deliberada, da compreensão do problema ou questão até à sua exploração , integração e aplicação .   A integração e a resolução são mais exigentes do que a exploração e, consequentemente, exige-se um maior tempo para reflexão.
  • São aspectos relevantes da presença cognitiva a concepção e o desenho da actividade de aprendizagem .   O desenvolvimento sustentado e a progressão através do ciclo da inquirição requerem actividades de aprendizagem bem concebidas , facilitação e direcção .
  • A literatura sobre a dinâmica de grupos revelou que os participantes necessitam de se conectar com o grupo para adoptarem uma tomada de decisão colaborativa, a qual segue quatro hipóteses: formar, estabelecer normas, lançar ideias e realizar.   Os grupos necessitam de clarificar os objectivos e o período de tempo em que trabalham em conjunto por forma a serem produtivos.   Por natureza os grupos não nascem coesos nem caminham naturalmente para as fases de integração e de resolução. São exigidas direcção e facilitação para estabelecer a coesão e assegurar o desenvolvimento da conversação.
  • Esta perspectiva sugere que a progressão da presença social deverá partir de uma comunicação aberta , passar pela coesão e chegar às conexões pessoais .   A pesquisa emergente sugere uma relação complementar entre a presença de ensino e a presença cognitiva . A presença social cria as bases para um discurso de nível superior.   A estrutura, a organização e a liderança, quando associadas à presença de ensino, proporcionam um ambiente onde a presença cognitiva pode ser desenvolvida.
  •   Como se verifica através do slide, a área da "Presença de Ensino" é constituída por 3 categorias e para cada uma está indicado um dos indicadores-chave:    - A categoria do desenho instrucional e organização centra-se na definição do currículo e nos métodos; - A facilitação do discurso é uma categoria ligada à partilha de significado pessoal; - A instrução direta tem como finalidade focar a discussão.       A presença de ensino consiste na concepção, facilitação e direcionamento de processos cognitivos e sociais, com o objectivo de alcançar resultados de aprendizagem com significado pessoal e com valor educacional.   A presença de ensino é um fator significativo na satisfação dos estudantes, na percepção da aprendizagem e no sentido de comunidade.      
  • O desenho instrucional e a organização consistem no tratamento de aspectos como: o planeamento e desenho da estrutura; o processo; a interação e os aspectos da avaliação do curso online.   Estes aspetos, desempenhados exclusivamente pelo formador, requerem da sua parte explicitação e transparência. Alguns exemplos de atividades poderão ser as apresentações em PowerPoint e a criação de um calendário para atividades individuais e de grupo.   Pode afirmar-se que o sucesso dos cursos online depende muito de uma estrutura do curso clara e consistente que apoie formadores empenhados e discussões dinâmicas.   A Facilitação do Discurso é o meio através do qual os alunos participam na interação e na construção da informação, aspecto que vem de encontro à investigação  que refere a importância da participação interativa de estudantes  e de formadores na eficácia de um curso online.   Esta categoria tem como indicadores as seguintes funções do formador: Identificar áreas de entendimento e desentendimento; Procurar  consenso/entendimento; Encorajar, reconhecer ou reforçar contribuições de estudantes; Estabelecer um ambiente de aprendizagem; Chamar os participantes e incentivar à participação; Avaliar a eficácia do processo   Esta categoria assume uma importância crítica para manter o interesse, a motivação e a atuação dos estudantes numa aprendizagem activa.
  • A instrução direta corresponde à provisão de liderança intelectual e erudita do formador. Esta categoria pressupõe a partilha de conhecimento com um especialista de conteúdo. Tem como base determinados indicadores que avaliam o discurso e a eficácia do processo educativo. As responsabilidades do formador vão no sentido de facilitar a reflexão e o discurso através da apresentação de conteúdo, servindo-se de vários meios de avaliação e de feed-back. Assim, se entende o nível elevado de presença social/proximidade do formador aqui exigido. O elemento Presença de Ensino é o mais recente na conceptualização do modelo de Comunidade de Inquirição, por isso, ainda não tem uma estrutura estável. Exemplo disso é o facto de se discutir se este elemento tem 2 ou 3 categorias. O importante é entender o construto da Presença de Ensino, porque a compreensão da sua estrutura multidimensional tem implicações práticas para a Comunidade de Inquirição no apoio à presença social e cognitiva.      
  •   A Comunidade de Inquirição, para além de disponibilizar uma ferramenta útil, possui ainda um tipo de abordagem de natureza específica para o estudo da aprendizagem online.   Até agora, a metodologia utilizada pelo modelo CoI tinha uma natureza exploratória, muita da pesquisa já desenvolvida, poderia ser entendida com interpretativa, na medida em que tentava compreender as interações através de uma análise textual, servindo apenas para desenvolver propostas. Uma vez que estávamos apenas perante questões de validade, foi levantada a questão se deveríamos ou não modificar o protocolo para uma abordagem quantitativa.   Rourke e Anderson (2004) consideram que a transcrição online é descritiva, isto é qualitativa, no entanto não põem de lado a possibilidade de ser necessária uma transcrição para a inferência,  isto é uma transcrição quantitativa.   Na hipótese dos investigadores optarem por avançar para a inferência, devem-no fazer de forma consciente, isto é têm de ter um conhecimento de profundo de todos os passos necessários, só assim podem proceder à validação dos protocolos de codificação.   No slide seguinte iremos continuar a abordar as questões de natureza metodológicas  
  • O  modelo CoI é aquele que apresenta uma perspetiva global, permitindo, desta forma, identificar os efeitos da interação entre as dinâmicas sociais, nomeadamente entre a dinâmica cognitiva e a presença de ensino. Com a análise dos efeitos entre as dinâmicas sociais, a discussão sobre a utilidade do modelo da comunidade de inquirição na aprendizagem online é praticamente afastada. No entanto, os investigadores e os profissionais devem compreender adequadamente a interdependência existente entre os três elementos do modelo CoI, na medida em que cada um deles exerce uma influência recíproca sobre os restantes. Torna-se pois fundamental que seja compreendida a natureza específica dessa interação nos diversos contextos educativos (disciplinas, objetivos, conhecimentos pré adquiridos e natureza da comunicação). Não menos importante é de referir que se todos os elementos foram claramente definidos, verificando-se cumulativamente se as categorias são válidas face a esses elementos, por forma a que esses mesmos indicadores reflitam a essência das categorias. No próximo slide apresentamos uma perspetiva que vai desde a codificação até à necessidade de validação do próprio modelo.
  • Pretende-se pois que a informação obtida seja útil para a codificação, levantando-se aqui mais uma questão de natureza metodológica, isto é qual a unidade de análise que deverá ser utilizada.   A unidade de análise a utilizar é condicionada pelo tipo de pesquisa a efetuar e pelo contexto na qual a mesma se insere.   Apesar do esforço desenvolvido e do progresso a que se tem assistido, o modelo CoI ainda se encontra numa fase embrionária, existindo um amplo trabalho por efetuar, nomeadamente ao nível dos esquemas de codificação e ao nível da validação do próprio modelo, daí a necessidade de o alargar a outras áreas que não a educação.   Neste momento, perante os primeiros estudos, que nos permitem analisar a relação entre as dimensões do modelo e os resultados da aprendizagem, encontramo-nos aptos para abandonar a fase inicial e passar à fase seguinte, na qual devem coabitar tanto as abordagens qualitativas com as quantitativas, no estudo das comunidades de aprendizagem online.   O caminho a seguir passa pela utilização de instrumentos psicometricamente seguros, que permitam a análise  das amostras interdisciplinares e interinstitucionais dessas comunidades.   O recurso a abordagens qualitativas e quantitativas contribuirá para o aperfeiçoamento do modelo CoI, das categorias e dos indicadores.   Certamente  que no futuro não será motivo de menor preocupação, por parte dos investigadores, a forma como a presença de ensino pode ser medida num contexto de eficiência face aos restantes elementos do modelo.   Se até agora a investigação sobre o modelo CoI centrou-se apenas na análise individual dos diferentes elementos em separado, as pesquisas futuras deverão centrar as suas atenções  nas relações entre a Presença Social, Presença Cognitiva e Presença de Ensino.   Em seguida serão analisadas as questões de natureza conceptual e contextual.
  • Em 2006, Readmon e Lock, propõem um modelo sequencial, o qual, ao partir da Presença Social, define a Presença de Ensino e alcança a Presença Cognitiva   No entanto, o modelo CoI terá de ser alvo de mais pesquisas empíricas com a finalidade de verificar a sua aplicação à educação online, em termos gerais, analisando-se cumulativamente a influência de cada um dos elementos sobre os restantes  e de um modo globalizante o seu impacto sobre os resultados da aprendizagem.     O modelo CoI deverá ainda ser analisado à luz de outras variáveis, nomeadamente o recurso às tecnologias, as características pessoais dos estudantes e até dos próprios professores.   No slide seguinte apresentamos algumas questões de natureza prática que deverão ser levadas em consideração.
  • Em termos conceptuais e contextuais deverão ser definidas estratégias e orientações práticas sobre a Presença Social em ambientes online.   Do ponto de vista da Presença Cognitiva, importa pesquisar sobre o impacto produzido nos resultados da aprendizagem.   Uma outra preocupação a ter nas as pesquisas que venham a realizar-se no futuro, encontra-se associada à avaliação do impacto da introdução dos novos média em ambientes de aprendizagem online ou mistos, nomeadamente ao nível da Comunidade de Inquirição no seu geral e em particular ao nível da Presença Social, da Presença Cognitiva e da Presença de Ensino.   Deverá ainda ser investigada a ausência de Presença de Ensino em cenários educacionais diferenciados.   Para finalizarmos esta sequência de intervenções apresentamos algumas considerações finais  
  • Em suma, pode-se concluir que o modelo CoI, nomeadamente as questões revistas no artigo de Garrison e Arbaugh, têm implicações ao nível teórico e prático. Para tal é imprescindível que se proceda à compreensão do papel da Presença Social na criação de uma Comunidade de Inquirição, bem como à forma como desenhar, facilitar e direcionar a aprendizagem, tendo em vista o sucesso. Mas esse sucesso só é passível de obtenção se a comunicação se processar de forma aberta, se existir coesão do grupo e, não menos importante, que se conheça de forma clara os objetivos académicos, as fases da inquirição, estando atribuído à Presença de Ensino a necessidade de saber balancear a sua atuação entre a moderação e o discurso direcionado Em seguida segue-se um espaço para debate o qual decorrerá no Chat Local e será moderado pelo Jorge Forhilde.  
  • Em nome de toda a equipa, muito obrigada pela vossa atenção. 
  • Transcript

    • 1. C omunidade de I nquirição C ongresso S econd L ife e –L e@rning 3   | 15 de Junho de 2010 | 21h00   C omunicação E ducacional - M estrado em P edagogia do eL earning (4ª Edição)   O ngberg B luebird / António Quintas & M ysa R andt / Maria de Balsamão Mendes
    • 2. Índice
      • Comunidade de Inquirição
      • Presença Social
      • Presença Cognitiva
      • Presença de Ensino
      • Campos de Investigação
      • Considerações Finais
                                            Marisol Silvercloud Jorge Forhilde Olympia Pedalo Merlin LittleBoots
    • 3. Comunidade de Inquirição
      • Comunidade
      •    
      • "… community means meaningful association, association based on common interest and endeavor. The essence of community is communication , …" (John Dewey)
      •  
      •  
      PRESENÇA SOCIAL PRESENÇA COGNITIVA PRESENÇA DE ENSINO (Estructura/Processo) EXPERIÊNCIA EDUCACIONAL Suporte do discurso Negociação do Clima Social Seleção dos conteúdos Comunidade de Inquirição Meio de Comunicação
    • 4. Presença Social
      • Capacidade dos alunos de se projetarem social e emocionalmente, de forma a serem percebidos como "pessoas reais", na comunicação mediada por computadores.
    • 5.  
    • 6. Presença Cognitiva
      • Extensão pela qual os alunos são capazes de construir e confirmar o significado através de uma reflexão e discurso sustentado.
      •  
      • Operacionalizada num modelo prático de inquirição:
        • evento desencadeador
        • exploração
        • integração
        •   resolução
      •  
      • Ciclo de inquirição prática, onde os participantes se movimentam da compreensão do problema até à sua exploração, integração e aplicação.
    • 7. Presença Cognitiva
      •  
      • Aspectos relevantes:
        • concepção
        • desenho da atividade de aprendizagem
      •  
      •  
      • O desenvolvimento sustentado e a progressão através do ciclo da inquirição requerem :
        • atividades de aprendizagem bem concebidas
        • facilitação
        • direção
    • 8. Presença Cognitiva
      • Necessidade de conexão com o grupo para adotar uma tomada de decisão colaborativa:
        • formar
        • estabelecer normas
        • lançar ideias
        • realizar
      •  
      •  
      • Para estabelecer a coesão e assegurar o desenvolvimento da conversação são exigidas:
        • direção
        • facilitação
    • 9. Presença Cognitiva
      • Progressão da presença social:
        • parte de uma comunicação aberta
        • passa pela coesão
        • chega às conexões pessoais
      •  
      • Relação complementar entre:
        • presença de ensino
        • presença cognitiva
      •  
      • A estrutura, a organização e a liderança, associadas à presença de ensino, proporcionam um ambiente onde a presença cognitiva pode ser desenvolvida.
    • 10. Presença de Ensino
    • 11. Presença de Ensino
    • 12. Presença de Ensino
    • 13. Campos de Investigação Metodologia | Conceção e Contexto | Prática
      • Comunidade de Inquirição
      •  
      •  
        • Ferramenta útil e abordagem específica para o estudo da aprendizagem online
        •  
        •  
        •     Natureza Exploratória                     Questões de Validade
        •  
        •  
        •    Pesquisa interpretativa                      Mudar o protocolo?
        •       (Transcrição qualitativa)                              ( Transcrição quantitativa)  
        •  
    • 14. Campos de Investigação Metodologia | Conceção e Contexto | Prática
      • Modelo CoI
      •  
      •  
      • Prespectiva global: Interação entre a dinâmica cognitiva e a presença de ensino
      •  
      •  
      •   Afastamento da discussão sobre a utilidade do Modelo na aprendizagem online
      •  
      •  
      • Compreender interdepêndencia entre os três elementos do Modelo e a respectiva interacção nos contextos educativos.
    • 15. Campos de Investigação Metodologia | Conceção e Contexto | Prática
      • Necessidade de codificar a informação obtida
      •  
      •  
      • Definição da unidade de análise
      •  
      •  
      •  
      • Tipo de pesquisa                                                      Contexto
      •  
      •  
      •  
      •            Coabitação de abordagens quantitativas e qualitativas
      • (Aperfeiçoamento do Modelo CoI - Análise das 3 dimensões )
    • 16. Campos de Investigação Metodologia | Conceção e Contexto  | Prática
      •   Proposta de Readmon e Lock (2006)
      •  
      •  
      • Relacionamento entre os três elementos do Modelo
      •  
      •  
      • Definição de um Modelo Sequencial
      •  
      • Verificar a aplicação à educação online e analisar o seu impacto sobre os resultados da aprendizagem
      •  
      •  
      •  
      •  
    • 17. Campos de Investigação Metodologia | Concepção e Contexto  | Prática   Definição de estratégias e orientações sobre a Presença Social em ambientes online;   Ao nível da Presença Cognitiva pesquisar sobre o impacto produzido nos resultados da aprendizagem;    Avaliar o impacto da introdução dos média em ambientes de aprendizagem online;   Investigar a ausência da presença de ensino em cenários educacionais diferenciados.    
    • 18. Considerações Finais
      •  
      •   Modelo CoI
      •  
      •  
      •  
      •   Implicações ao nível teórico e prático
      •  
      •  
      •                                                                         
      •  
      • Compreender papel                                    Determinar a forma
      • Presença Social na                                      como desenhar, fa-
      • criação da CoI                                               cilitar e direccionar
      •                                                                        a aprendizagem    
      •  
      •  
      •   Presença de Ensino deverá balancear a sua actuação entre a moderação e o discurso direccionado 
      •  
      •  
    • 19.
      •  
      • Obrigada pela vossa atenção!
      •  
      http://www.mysarandt.com/sloodle | http://cadernodigital.pbworks.com/ Fernando Faria | Mª João Spilker | Nuno Oliveira | Paula Silva Bibliografia Garrison, D.R. & Arbaugh, J.R. (2007). Researching the community of inquiry framework: Review, issues, and future directions. In Internet and Higher Education 10 (2007), 157-172

    ×