Catolicismo

2,656
-1

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
2,656
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
67
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Catolicismo

  1. 1. CatolicismoProveniente do Cristianismo mais disseminada no mundo, o Catolicismo é a religiãoque tem maior número de adeptos no Brasil. Baseia-se na crença de que Jesus foi oMessias, enviado à Terra para redimir a Humanidade e restabelecer nosso laço deunião com Deus (daí o Novo Testamento, ou Nova Aliança). E também é uma doutrinaintrinsecamente ligada ao Judaísmo. Seu livro sagrado é a Bíblia, dividida em Velho eNovo Testamento. Do Velho Testamento, que corresponde ao período anterior aonascimento de Jesus, o Catolicismo aproveita não somente o Pentateuco (livrosatribuídos a Moisés), mas também agrega os chamados livros "deuterocanônicos":Tobias, Judite, Sabedoria, Eclesiástico, Baruque, Macabeus e alguns capítulos de Daniele Ester. Esses livros não são reconhecidos pelas religiões protestantes.O termo grego KATHOLICÓS significa “universal”, e foi aplicado à Igreja no sentido desua universalidade geográfica e conceitual. O termo “apostólica” vem da continuidadeda tradição e trabalho dos apóstolos, e o termo “romana” vem do fato da sedeprincipal estar situada em Roma.Este termo começou ser usada no século 2 da Era Cristã, traduzindo a idéia de que a fécristã já se achava disseminada por todo o planeta. No século 4 d.C., Santo Agostinhousou a designação "católica" para diferenciar a doutrina "verdadeira" das outras seitasde fundamentação cristã que começavam a surgir.Mas foi somente no século 16, mais precisamente após o Concílio de Trento (1571),que a expressão "Igreja Católica" passou a designar exclusivamente a Igreja que temseu centro no Vaticano. Cabe esclarecer que o Concílio de Trento aconteceu comoreação à Reforma Protestante, incitada pelo sacerdote alemão Martin Lutero.O Catolicismo ensina que o fiel deve obedecer as leis (dogmas) e não se manter nopecado. Mas quais são, afinal, os pecados? Pecar é não obedecer aos 10 Mandamentosde Moisés, incorrer num dos Sete Pecados Capitais, desrespeitar os 5 Mandamentos daIgreja ou ignorar os Mandamentos da Caridade.MANDAMENTOS DA CARIDADE: 1. AMARÁS AO SENHOR TEU DEUS DE TODO O TEU CORAÇÃO, DE TODA A TUA ALMA E DE TODA A TUA MENTE. 2. AMARÁS A TEU PRÓXIMO COMO A TI MESMO.SETE PECADOS CAPITAIS:Ira, gula, luxuria, avareza, inveja, soberba e preguiça.OS DEZ MANDAMENTOS DA LEI DE DEUS:Ensinada atualmente na catequese da Igreja Católica:
  2. 2. 1º Amar a Deus sobre todas as coisas2º Não invocar o Santo Nome de Deus em vão3º Guardar domingos e festas de guarda4º Honrar pai e mãe5º Não matar6º Guardar castidade nas palavras e nas obras7º Não roubar8º Não levantar falsos testemunhos9º Guardar castidade nos pensamentos e nos desejos10º Não cobiçar as coisas alheiasOS CINCO MANDAMENTOS DA IGREJA CATÓLICA:1- Participar da Missa aos Domingos e outras festas de guarda, ficando livre detrabalhos e de atividades que pudessem impedir a santificação desses diasNo Brasil os dias santos de guarda são:Santa Maria, Mãe de Deus - 01 de janeiroSantíssimo Corpo e Sangue de Cristo (Corpus Christi) - data variável entre maio ejunho: 1ª quinta-feira após o domingo da Santíssima TrindadeImaculada Conceição de Maria - 08 de dezembroNatal de Nosso Senhor Jesus Cristo - 25 de dezembroO termo "Missa" vem de missão, uma vez que, para os primeiros cristãos , o cultoprestado a Deus é a vida em ação de graças.É um ato solene com que os católicoscelebram o sacrifício de Jesus Cristo na cruz. O ritual revive dois momentos da Paixãode Cristo: A Última Ceia, quando Jesus celebra o Pessach, pronunciando a bençãosobre o pão e o vinho, antecipando o seu sacrifício da Cruz e concretizando o desejo deperpetuar a sua presença junto dos discípulos e se põe em lugar do cordeirosacrificado em memória da libertação do povo hebreu da escravidão do Egito atravésdas obras divinas e a Crucificação quando Jesus se oferece como cordeiro puro eimaculado para o sacrifício expiatório dos pecados de toda a humanidade, sela a NovaCriação. Por isso também se diz que a Santa Missa é sacrifício incruento, é ritual desacrifício de uma vítima expiatória, que carrega para si as penas e os pecados daquelesque o oferecem, mas sem derramamento de sangue. Assim, pelo mistério daordenação de Cristo que mandou os cristãos celebrar este mistério e fundamentadono ensinamento da sinagoga (João 6, 54-58), o sacrifício da Missa é, para os cristãos, omesmo sacrifício da Cruz.2- Confessar-se ao menos uma vez por ano.3- Receber o sacramento da Eucaristia (COMUNHÃO) pelo menos pela Páscoa4- Abster-se de comer carne e observar o jejum nos dias estabelecidos pela IgrejaDias de jejum: quarta-feira de cinzas e sexta-feira santa.Dias de abstinência de carne: sextas-feiras da quaresma.
  3. 3. 5- Atender às necessidades materiais da Igreja, cada qual segundo as própriaspossibilidades.(DÍZIMO)No Catolicismo, o dogma é uma verdade revelada por Deus. Com isto o Dogma éimutável e definitivo (não pode ser revogado). Para que um ensinamento da Igrejaseja considerado um dogma é necessárias duas condições:1. O Sentido deve estar suficientemente manifestado;2. Esta doutrina deve ser definida pela Igreja como revelada.(PELO ESPIRITO SANTO)Lista dos dogmas proclamados pela Igreja Católica A Existência de Deus “A ideia de Deus não é inata em nós, mas temos a capacidade para conhecê-Lo comfacilidade, e de certo modo espontaneamente por meio de Sua obra" A Existência de Deus como Objeto de Fé “A existência de Deus não é apenas objeto do conhecimento da razão natural, mastambém é objeto da fé sobrenatural” A Unidade de Deus"Não existe mais que um único Deus "Deus é Eterno"Deus não tem princípio nem fim"Santíssima Trindade"Em Deus há três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo; e cada uma delas possui aessência divina que é numericamente a mesma "Jesus Cristo é verdadeiro Deus e filho de Deus por essência"O dogma diz que Jesus Cristo possui a infinita natureza divina com todas suasinfinitas perfeições, por haver sido engendrado eternamente por Deus."Jesus Cristo, ainda que homem, é Filho natural de Deus"O Pai celestial quando chegou a plenitude, enviou aos homens seu Filho, Jesus Cristo"através do Espírito Santo.Cristo imolou-se a si mesmo na cruz como verdadeiro e próprio sacrifício"Cristo, por sua natureza humana, era ao mesmo tempo sacerdote e oferenda, mas porsua natureza Divina, juntamente com o Pai e o Espírito Santo, era o que recebia osacrifício."
  4. 4. Cristo nos resgatou e reconciliou com Deus por meio do sacrifício de sua mortena cruz"Jesus Cristo quis oferecer-se a si mesmo a Deus Pai, como sacrifício apresentadosobre a ara da cruz em sua morte, para conseguir o eterno perdão da humanidade."Ao terceiro dia depois de sua morte, Cristo ressuscitou glorioso dentre osmortos."ao terceiro dia, ressuscitado por sua própria virtude, se levantou do sepulcro"Cristo subiu em corpo e alma aos céus e está sentado à direta de Deus Pai."ressuscitou dentre os mortos e subiu ao céu em Corpo e Alma"Tudo o que existe foi criado por Deus a partir do Nada"A criação do mundo do nada, não apenas é uma verdade fundamental da revelaçãocristã, mas também que ao mesmo tempo chega a alcançá-la a razão com apenas suasforças naturais, baseando-se nos argumentos cosmológicos e sobretudo no argumentoda contingência."Caráter temporal do mundo"O mundo teve princípio no tempo "Conservação do mundo"Deus conserva na existência a todas as coisas criadas "O homem é formado por corpo material e alma espiritual"a humana como comum constituída de corpo e alma"O pecado de Adão se propaga a todos seus descendentes por geração, não porimitação"Pecado, que é morte da alma, se propaga de Adão a todos seus descendentes porgeração e não por imitação, e que é inerente a cada indivíduo"O homem caído não pode redimir-se a si próprio"Somente um ato livre por parte do amor divino poderia restaurar a ordemsobrenatural, destruída pelo pecado"A Imaculada Conceição de Maria"A Santíssima Virgem Maria, no primeiro instante de sua conceição, foi por singulargraça e privilégio de Deus onipotente em previsão dos méritos de Cristo Jesus,Salvador do gênero humano, preservada imune de toda mancha de culpa original"Maria, Mãe de Deus"Maria gerara a Cristo segundo a natureza humana, mas quem dela nasce, ou seja, osujeito nascido não tem uma natureza humana, mas sim o suposto divino que asustenta, ou seja, o Verbo. Daí que o Filho de Maria é propriamente o Verbo quesubsiste na natureza humana; então Maria é verdadeira Mãe de Deus, posto que o
  5. 5. Verbo é Deus. Cristo: Verdadeiro Deus e Verdadeiro Homem"A Assunção de Maria"A Virgem Maria foi assumpta ao céu imediatamente depois que acabou sua vidaterrena; seu Corpo não sofreu nenhuma corrupção como sucederá com todos oshomens que ressuscitarão até o final dos tempos, passando pela decomposição."O Culto a Maria e aos santosAlém do culto a Jesus, o Catolicismo enfatiza o culto à Virgem Maria (mãe de JesusCristo) e a diversos santos. Este, aliás, foi um dos pontos de divergência mais sériosentre a Igreja Católica e outras correntes cristãs. Para os evangélicos, por exemplo, acrença no poder da Virgem e dos santos enquanto intermediadores entre Deus e oshomens constitui uma verdadeira heresia. No entanto, os teólogos católicosdiferenciam muito bem a adoração e a veneração: eles explicam que, na liturgiacatólica, somente Deus é adorado, na pessoa de Jesus, seu filho unigênito. O respeitoprestado à Virgem Maria e aos santos (estes últimos, pessoas que em vida tiveramuma conduta cristã impecável e exemplar) não constitui um rito de adoração.Vale ressaltar que o processo de canonização - que consagra uma pessoa como "santa"- é minucioso, estende-se ao longo de vários anos e baseiam-se numa série de relatos,pesquisas e provas testemunhais.A Igreja foi fundada pelo Deus e Homem, Jesus Cristo"Cristo fundou a Igreja, que Ele estabeleceu os fundamentos substanciais da mesma,no tocante a doutrina, culto e constituição"Cristo constituiu o Apóstolo São Pedro como primeiro entre os Apóstolos ecomo cabeça visível de toda Igreja, conferindo-lhe imediata e pessoalmente oprimado da jurisdição"O Romano Pontífice é o sucessor do bem-aventurado Pedro e tem o primado sobretodo rebanho"O Papa possui o pleno e supremo poder de jurisdição sobre toda Igreja, nãosomente em coisas de fé e costumes, mas também na disciplina e governo daIgreja"Conforme esta declaração, o poder do Papa é: de jurisdição, universal, supremo,pleno,ordinário, episcopal, imediato"O Papa é infalível sempre que se pronuncia ex-cátedra."Para compreender este dogma, convém ter na lembrança:Sujeito da infalibilidade papal é todo o Papa legítimo, em sua qualidade de sucessor dePedro e não outras pessoas ou organismos (ex.: congregações pontificais) a quem oPapa confere parte de sua autoridade magistral.O objeto da infalibilidade são as verdades de fé e costumes, reveladas ou em íntimaconexão com a revelação divina.A condição da infalibilidade é que o Papa fale ex-cátedra:
  6. 6. - Que fale como pastor e mestre de todos os fiéis fazendo uso de sua supremaautoridade.- Que tenha a intenção de definir alguma doutrina de fé ou costume para que sejaacreditada por todos os fiéis. As encíclicas pontificais não são definições ex-cátedra.A razão da infalibilidade é a assistência sobrenatural do Espírito Santo, que preserva osupremo mestre da Igreja de todo erro.A consequência da infalibilidade é que a definição ex-cátedra dos Papas sejam por simesmas irreformáveis, sem a intervenção ulterior de qualquer autoridade."A Igreja é infalível quando faz definição em matéria de fé e costumes"Estão sujeitos à infalibilidade: - O Papa, quando fala ex-cátedra - O episcopado pleno,com o Papa cabeça do episcopado, é infalível quando reunido em concílio universal oudisperso pelo rebanho da terra, ensina e promove uma verdade de fé ou de costumespara que todos os fiéis a sustentem".Os SacramentosO Batismo é verdadeiro Sacramento instituído por Jesus Cristo"Foi dado todo poder no céu e na terra; ide então e ensinai todas as pessoas,batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo"A Confirmação(CRISMA) é verdadeiro e próprio Sacramento"Este Sacramento concede aos batizados a fortaleza do Espírito Santo para que seconsolidem interiormente em sua vida sobrenatural e confessem exteriormente comvalentia sua fé em Jesus Cristo."A Confissão Sacramental dos pecados está prescrita por Direito Divino e é necessáriapara a salvação"Basta indicar a culpa da consciência apenas aos sacerdotes mediante confissãosecreta"A Igreja recebeu de Cristo o poder de perdoar os pecados cometidos após o Batismo"Foi comunicada aos Apóstolos e a seus legítimos sucessores o poder de perdoar e dereter os pecados para reconciliar aos fiéis caídos depois do Batismo" (através doEspírito Santo) A Eucaristia( comunhão) é verdadeiro Sacramento instituído por Cristo"Aquele que come Minha Carne e bebe Meu Sangue tem a vida eterna" Cristo está presente no sacramento do altar pela Transubstanciação de toda asubstância do pão em seu corpo e toda substância do vinho em seu sangue"Transubstanciação é uma conversão no sentido passivo; é o trânsito de uma coisa aoutra. Cessam as substâncias de Pão e Vinho, pois sucedem em seus lugares o Corpo eo Sangue de Cristo. A Transubstanciação é uma conversão milagrosa e singulardiferente das conversões naturais, porque não apenas a matéria como também aforma do pão e do vinho são convertidas; apenas os acidentes permanecem sem
  7. 7. mudar: continuamos vendo o pão e o vinho, mas substancialmente já não o são,porque neles está realmente o Corpo, o Sangue, Alma e Divindade de Cristo."A Unção dos enfermos é verdadeiro e próprio Sacramento instituído por Cristo."Existe algum enfermo entre nós? Façamos a unção do mesmo em nome do Senhor" A Ordem é verdadeiro e próprio Sacramento instituído por Cristo"Existe uma hierarquia instituída por ordenação Divina, que consta de Bispos,Presbíteros e Diáconos"O matrimônio é verdadeiro e próprio Sacramento"Cristo restaurou o matrimônio instituído e bendito por Deus, fazendo que recobrasseseu primitivo ideal da unidade e indissolubilidade e elevando-o a dignidade deSacramento." ( onde os noivos que fazem os votos de cumprimentos da lei domatrimônio e o padre é somente testemunha de Deus.**************A Morte e sua origem"A morte, na atual ordem de salvação, é consequência primitiva do pecado"Céu e o InfernoA recompensa máxima esperada pelo fiel católico é a salvação de sua alma, que após amorte adentrará o Paraíso e lá gozará de descanso eterno, junto de Deus Pai, dossantos e de Jesus Cristo.No caso de um cristão morrer com algumas "contas em aberto" com o plano celestial,ele terá de fazer acertos - que talvez incluam uma passagem pelo Purgatório, espéciede reino intermediário onde a alma será submetida a uma série de suplícios epenitências, a fim de se purificar. A intensidade dos castigos e o período depermanência nesse estágio vão depender do tipo de vida que a pessoa levou na Terra.Mas o grande castigo mesmo é a condenação da alma à perdição eterna, que aconteceno Inferno. É para lá que, de acordo com os preceitos católicos, são conduzidos ospecadores renitentes. Um suplício e tanto, que jamais se acaba e inclui o convívio comSatanás, o senhor das trevas e personificação de todo o Mal.O Fim do mundo e a Segunda Vinda de Cristo"No fim do mundo, Cristo, rodeado de majestade, virá de novo para julgar os homens"A Ressurreição dos Mortos no Último Dia"Aos que crêem em Jesus e comem de Seu corpo e bebem de Seu sangue, Ele lhespromete a ressurreição"
  8. 8. O Juízo Universal"Cristo, depois de seu retorno, julgará a todos os homens."HIERARQUIA:O PAPA é o chefe supremo da Igreja Católica Apostólica Romana, e além de SupremoPontífice da Igreja Universal e soberano do Vaticano ele acumula os títulos de Bispo deRoma, Primaz da Itália, Arcebispo e Metropolita da Província Romana e Patriarca doOcidente. O cargo de Papa é vitalício, eleito pelo Santo Colégio dos Cardeais reunidosem Roma, e é o único cargo hierárquico que se manteve desde os dias do ImpérioRomano. O Papa é o sucessor do apóstolo Pedro, o primeiro Bispo de Roma, nomeadopor Jesus a pedra fundamental da Igreja em Mateus 16, 17-19.Que diz (17) E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas,porque tu não revelaste a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus.(18) Poistambém eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e asportas do inferno não prevalecerão contra ela;(19) E eu te darei as chaves do reinodos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares naterra será desligado nos céus.A denominação CARDEAL apareceu no século VI e tem o significado de “superioreminente”, de onde provém o tratamento de “eminência”. O título é conferido a algunsBispos que funcionam como colaboradores e conselheiros imediatos do Papa, eservem como enviados, chefes de congregações e tribunais da Cúria Romana. A partirdo ano 1179, o Concílio de Latrão lhes conferiu o direito de eleger o papa no SacroColégio.O Cardeal pode provir de qualquer Ordem secular, portanto há Cardeais Bispos,Cardeais Presbíteros (maior número dentro do Sacro Colégio, encarregados dosdeveres pastorais e administrativos no Vaticano) e Cardeais Diáconos (númerolimitado de cardeais encarregados das missões de ajuda aos pobres na cidade deRoma).O termo BISPO vem da palavra grega EPISKOPOI, que significa“supervisor”, e os Bispos são considerados os sucessores dos Apóstolos, aos quaisJesus confiou a tríplice missão de magistério, ordem e jurisdição. Os Bispos sãonomeados pelo Papa, recebendo jurisdição ordinária sobre os fiéis de sua Diocese ouCircunscrição Eclesiástica, composta por Paróquias.Diocese: oriundo da palavra grega “ DIOKESIS” que significa administração da casa,esta denominação antiga das províncias administrativas romanas depois foi aplicadaàs circunscrições eclesiásticas da Igreja Católica. O administrador da antiga dioceseromana se chamava VIGARIUS, um funcionário da ordem eqüestre diretamentecomandada pelo Imperador, e posteriormente o termo VIGÁRIO também foi aplicadoao religioso administrador de uma diocese católica
  9. 9. Paróquias: termo derivado do grego PAROIKIA, que significa a “ segunda casa” , e seaplica na Igreja Católica às subdivisões da Diocese, cada uma delas confiada a umPároco.A pedra do anel do bispo é a ametista, símbolo de fidelidade à Igreja, seu Báculo oubastão pastoral representa sua função de conduzir o rebanho de fiéis a ele confiado, eo uso de uma Cruz peitoral, meias e sandálias vermelhas, luvas de púrpura e mitra sedeve a antigas tradições orientais. Ao assumir, cargo episcopal, cada Bispo escolhe umbrasão de armas e um lema que definirá o ideal de seu ministério. Alguns Bisposassumem autoridade sobre outros Bispos da região, e são denominados Arcebispos,outros assumem as funções de Cardeal.Na extremidade final da linha hierárquica da Igreja, existem duas Ordens: o clerosecular, ou Ordens Maiores, e o clero regular, ou ordens fechadas, cujos religiosos sesubmetem a regras específicas de vida ou tipos de atividades, como é o caso dosmonges.As ordens Maiores se compõem de: • Diáconos (DIACONATO) • Padres (PRESBITERATO) • BISPOS (EPISCOPADO)As Ordens Regulares são: • Ordem de São Bento (monges beneditinos) • Companhia de Jesus (padres jesuítas) • Irmãos Maristas • Irmãos Rogacionistas • Ordem dos Salvatorianos • Ordem dos Franciscanos • Irmãos Dominicanos • Ordem dos Salesianos • Irmãs PaulinasLeigos (fiéis)
  10. 10. A maioria dos membros da Igreja Católica são leigos, que têm a missão detestemunhar e difundir o Evangelho, bem como uma vocação própria a de procurar oReino de Deus iluminando e ordenando as realidades temporais segundo Deus,correspondendo assim ao chamamento à santidade e ao apostolado, dirigido a todosos batizados. Mas, mesmo assim, eles devem também participar das mais diversasformas no governo e administração das suas igrejas locais. A origem da palavra leigo,vem do grego "Laos theon", que significa o "Povo de Deus".Antigamente relegado para um papel secundário pela hierarquia eclesiástica, os leigoshoje, tornaram-se cada vez mais importantes e influentes no seio da vida eclesialporque, desde o Concílio do VaticanoII, eles gozam de igualdade em relação ao clero,em termos de dignidade, mas não de funções. Desde então, os leigos tornaram-se,como por exemplo, mais ativos e dinâmicos na administração das igrejas, naangariação de fundos, na organização e participação de expressões de culto (sendo,como por exemplo, acólitos, leitores ou membros da cantoria) e de outras atividadesparoquiais ou diocesanas, na catequese, no apostolado, na evangelização, nasolidariedade social, entre outras áreas.Atualmente, os leigos podem ser divididos em dois grupos: o dos católicos nãopraticantes, que tende ser cada vez maior nos países desenvolvidos e ocidentais; e odos católicos praticantes. Mas esta classificação não está oficializada pela IgrejaCatólica.Fontes de consulta:http://www.brazilsite.com.br/religiao/catolica/cat02.htmhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Hierarquia_catolicahttp://pt.wikipedia.org/wiki/Dogmas_da_Igreja_Catolica

×