Your SlideShare is downloading. ×

AnáLise E ComentáRio, 6ª SessãO

123

Published on

Published in: Travel, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
123
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. O Modelo da Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (conclusão). IIª parte da tarefa: Análise e comentário crítico ao Relatório de Avaliação Externa, da IGE, à Escola Secundária José Régio, de Vila do Conde. Após a leitura e análise de alguns Relatórios de Avaliação Externa, opto por me centrar no relatório elaborado acerca da minha escola, após a visita da IGE, a 26 e 27 de Janeiro do corrente ano. Na maioria dos relatórios, a BE não aparece referida explícitamente, não é valorizado o seu papel na “Prestação do Serviço Educativo”, nem no domínio “Organização e Gestão Escolar”( dois dos domínios que compõem o quadro de referência da IGE). No relatório relativo à Escola Secundária José Régio também se verifica essa situação. No ponto 1.1. Sucesso Académico (pág.6), depois de referir a relação entre a caracterização do meio e os resultados académicos dos alunos, pode ler-se : a escola implementa estratégias com o intuito de debelar fragilidades detectadas (…) a escola implementa projectos nacionais de combate ao insucesso escolar(…) o Plano Nacional de Leitura(…).Na escola José Régio, quem apresentou o projecto PNL e quem o continua a dinamizar é a BE…nunca aparecendo aqui uma referência explícita à BE! No ponto 4.3. Abertura à Inovação (pág.11), volta a referir a implementação do Plano Nacional de Leitura…sem referir o trabalho da BE. No ponto 4.4. Parcerias, Protocolos e Projectos (pág.12), afirma-se (…) como estratégia de reforço da sua acção educativa,(a escola)envolve-se em projectos de âmbito nacional(…)como a RBE e PNL(…)sem nunca referir a BE, nem a importante ligação entre o trabalho realizado pela BE em parceria com a BM! Resumindo e concluindo, o relatório da IGE é omisso em relação à BE e ao trabalho por ela desenvolvido. Poderíamos ser levados a pensar que a escola fora também omissa nessa valorização, mas, no caso da José Régio sei que isso não
  • 2. corresponde à realidade. A BE, na pessoa da coordenadora, fazia parte do Painel dos Coordenadores das Estruturas Pedagógicas. Aqui, as questões centraram-se nos números do sucesso e do abandono escolares e na forma como a escola monitorizava (ou não) esses resultados. Insistiram principalmente nas fragilidades e nos “pontos fracos”…No Painel do Pessoal Não Docente, a escola indicou também a funcionária da BE, que preparou um “dossier de evidências” relativas ao funcionamento da BE, sendo também aqui ignorado o trabalho desenvolvido. Talvez daqui a 4 anos o panorama seja diferente. Se não for ignorado, talvez o Modelo de Auto-Avaliação da BE venha a constituir-se como o motor desta necessária mudança. Vila do Conde, 9 de Dezembro de 2009. A formanda, Maria Fernanda Sampaio Gonçalves 2

×