• Like
Sistema de coleta de dados - 05
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

Sistema de coleta de dados - 05

  • 147 views
Published

Banco de Dados - Sistemas pluviometricos

Banco de Dados - Sistemas pluviometricos

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
147
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
1
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Sistema de Coleta de dados Prof. Carlos Ruberto Fragoso Jr. Prof. Marllus G. F. Passos das Neves
  • 2. Resumo da aula  O Sistema de Informações de Recursos Hídricos;  A importância do sistema de coleta;  Tipos de dados;  Banco de dados;  Onde obter?  Como manipular os dados?
  • 3. Definição: Sistema de Informações  Conjunto integrado de partes que se articulam para uma finalidade comum  Sistema de coleta, tratamento, armazenamento e recuperação de informações sobre recursos hídricos e fatores intervenientes em sua gestão (art. 25 da Lei 9433/97)  Característica fundamental: capacidade de reunir um número amplo de registros, armazená-los, recuperá-los e transformá-los em informação
  • 4. Áreas que compõem o SRH  Sistema de aquisição, armazenamento e processamento de informações  Redes de monitoramento e análise de dados  Regionalização de dados  Sistema de informações geográficas  Sensoriamento remoto
  • 5. Importância  Estratégico para o gerenciamento dos recursos hídricos  Base para o desenvolvimento de projetos em vários segmentos da economia  Base para a elaboração de planos de recursos hídricos em bacias hidrográficas  Suporte para a operação de sistemas de recursos hídricos que envolvam múltiplos usos, sistemas de alerta, operação de reservatórios, etc.  Suporte à análise dos pedidos e deferimento de outorgas
  • 6. Princípios de Funcionamento  Descentralização na obtenção e na produção de dados e informações  Coordenação unificada do sistema  Garantia de acesso às informações para toda a sociedade Art. 26 da Lei 9433/97
  • 7. Atribuições  O Poder Executivo Federal deverá implantar e gerir o sistema de informações em âmbito nacional (art. 29 III), o Poder Executivo Estadual no âmbito estadual (art. 30 III), e as Agências de Águas na sua área de atuação (art. 44 IV, Lei 9433/97)  A Agência Nacional de Água - Superintendência de Informações Hidrológicas tem a atribuição de organizar, implantar e gerir o Sistema Nacional de Informações sobre Recursos Hídricos, atividades relacionadas à Hidrologia, Rede Hidrométrica e ao Banco de Dados Hidrológicos (art. 4 XIV, Lei 9984/00)  SEMARH – Secretaria Estadual de MA e RH de AL
  • 8. Tipos de Dados  Uso da água (demandas)  Problemas de dispersão  Experiências de organização  Disponibilidade  Precipitação  Vazão  Meteorológico  Água subterrânea  Sócio-Econômicos  Distribuição populacional  Indicadores Educacionais  Saúde Pública  Qualidade da água  Sedimentometria  Geográficos  Coordenadas  Limites geográficos  Relevo  Meio ambiente  Vegetação  Solo  Documentais / Gerenciais
  • 9. Características desejáveis  Facilidade de uso  Acesso fácil às informações  Robustez  Abrange vários tipos de dados e permite relacionamentos entre eles  Agilidade  Informações acessadas rapidamente, inclusive pela internet.  Fácil atualização  Usar mecanismos que facilite a alimentação (de preferência pela internet)  Versatilidade  Dispor de instrumentos automáticos de busca e análise para possibilitar cruzamentos de informações e elaboração de estatísticas  Permitir relacionamentos entre banco de dados
  • 10. Dificuldades  Desarticulação entre os sistemas de informações desenvolvidos no âmbito nacional e estadual  Baixa densidade de estações em grande parte das bacias (rede de monitoramento insuficiente)  Baixa capacidade de transformação dos dados em informação que dê subsídio à tomada de decisão  Falta de investimento em equipamentos e capacitação técnica das entidades responsáveis pela operação da rede de monitoramento
  • 11. Banco de Dados  Armazenamento de grande volume de dados  Gerenciamento de banco de dados  Tratamento de dados oriundos de diferentes fontes  Estabelecimento de formas ágeis de utilização e divulgação de informações  Uso de sistemas de informação geográfica
  • 12. Implantação da Infra-estrutura
  • 13. Sistemas de Gerenciamento de Bancos de Dados  Forma de organizar os dados em um banco  O sistema relacional é o mais utilizado  Representação de arquivos como tabelas, onde cada linha é um registro e cada coluna um campo  Banco de dados é um conjunto de tabelas que podem ser ordenadas por uma ou mais colunas  A correta organização do desenho de um banco de dados é fundamental para seu bom desempenho  Evitar incluir nas tabelas colunas que sejam derivadas de outras colunas para evitar ocupação desnecessária de espaço  Evitar a ocorrência de itens repetitivos numa tabela para minimizar a ocorrência de espaços vazios no arquivo
  • 14. Entrada de Dados no Sistema de Informação  Evitar a multiplicação de etapas de transcrição de dados  Utilizar máscaras de edição para evitar que dados com formato incorreto sejam digitados  Utilizar mecanismos de verificações internas na entrada de dados antes dos mesmos serem incorporados ao banco (evitar ocorrência de erros aleatórios)  Utilizar consulta “on line” à tabela (mostrar no momento da entrada dos dados a que valores correspondem certos códigos digitados  No momento da digitação de um parâmetro de qualidade da água poderia ser mostrado os limites para uma determinada classe  No momento da digitação da vazão de um rio poderia ser mostrado as vazões máxima e mínima daquele dia Nenhum sistema pode fornecer informações de melhor qualidade que os dados que o alimentam
  • 15. Integridade dos Dados  Os programas devem ser testados para evitar erros de programação  Fazer cópias de segurança periódicas  Proteção contra acessos não autorizados  Manutenção dos componentes eletrônicos
  • 16. Sistema Nacional de Informações de Recursos Hídricos  Constituído por uma rede de diversos bancos de dados e informações  Alimentação está a cargo de entidades públicas federais, estaduais e municipais sendo coordenada de forma unificada  A maior parte das estações sob a responsabilidade da ANA são operadas de forma convencional e as automáticas (221 pluviométricas e 224 fluviométricas) utilizam o sistema de transmissão por telemetria (via satélite, telefone, rádio)  Os dados são armazenados no banco de dados HIDRO e são disponibilizados pela internet  A rede está tecnologicamente defasada (3 meses entre a coleta e a disponibilização) e necessita de modernização
  • 17. Recursos Humanos e Organizacionais •Usuários Intervenientes •Suporte e Atendimento •Capacitação •Órgãos Intervenientes Infra-estrutura Computacional •Servidores •Estações de Trabalho •Recursos de Comunicação •Software Básico e de Sistema Base de dados Protocolo de Integração Barramento de Serviços Interface SNIRH Subsistema Subsistema Subsistema Interface Sistemas Internos/ Externos Sistema SistemaSistema Plataforma de Integração !( !( !(!( !( !(!( !( !( !(!( !( !( !(!( !( !( !(!( !( !( !( !( !(!( !( !( !( !( !( !( !( !(!(!( !( !( !( !( !( !(!(!( !( !(!(!( !(!( !( !(!( !( !(!( !( !( !(!(!( !( !( !( !( !( !( !( !( !( !( !(!(!( !( Águas Superficiais Planejamento e Gestão Regulação de Usos Rede Hidrológica Inteligência Hídrica Inteligência Geográfica Inteligência Documental Elementos de Suporte (segurança, metadados, ...) Complementos Hidrologia
  • 18.  Reúne informações sobre usos de recursos hídricos em todo o território nacional  Visa possibilitar a regulação do uso dos recursos hídricos em bacias com dominialidade repartidas entre União e Estados  Processos associados:  Cadastro de Usuários (CNARH)  Outorga de uso em corpos hídricos  Cobrança de usos em corpos hídricos  Fiscalização de usos em corpos hídricos de domínio da União  Recebimento e disponibilização aos gestores estaduais de dados de usuários e maneira a permitir a coerência no exercício da regulação dos usos SUBSISTEMA: REGULAÇÃO DE USOS
  • 19. Subsistema Regulação de Usos Gestão de Outorga Base Corporativa Suporte à Decisão Formalização Gestão de Condicionantes Arrecadação de Recursos Administração Financeira Aplicação de Recursos Planejamento Ficha de Cobrança Ajuste de Uso Declaração de Reserva de Disponibilidade Hídrica (DRDH) Certificado de Sustentabilidade da Obra Hídrica(CERTOH) Inteligência Geográfica Interface de Integração Cobrança Gestão de Recursos Declarações e Certificados Outorga Segurança Cadastro de Usuários Declaração de Uso Cadastro Demandas e Denúncias Planejamento de Campanhas Execução de Campanhas Auto de Infração Controle de Processos Fiscalização Cadastro de Poços Cadastro de Registros Cadastro de Usuários Pré-Análise
  • 20. Subsistema de Inteligência Geográfica 1) Baseado na codificação de Otto Pfafstetter para bacias hidrográficas. The codes store topological hydrograph information (montante e jusante) 2) Hidrografia é dividida em trechos de rios 3) É gerada a área de contribuição para cada trecho de rio 7721 77237725 7727
  • 21. Subsistema de Inteligência Geográfica Usuários de Água Estações Reservatórios Camadas Geográficas • População • Uso do solo • Vegetação • Geologia • ...
  • 22. Rede de Monitoramento  Rede pluviométrica  Densidade média nacional de 1 estação/954 km2  Densidade média da rede operada pela ANA de 1 estação/3500 km2  Maior concentração na bacia do rio Paraná  Rede fluviométrica  Densidade média nacional de 1 estação /1903 km2  Densidade média da rede operada pela ANA de 1 estação/4842 km2  Maior concentração na bacia do rio Paraná  Rede qualidade da água  Maioria da estações da ANA monitoram os parâmetros pH, OD, condutividade elétrica, temperatura e turbidez  Operação terceirizada e realizada por várias instituições  Rede sedimentométrica
  • 23. Portal SNIRH – Publicação de Informações Publicação de Informações na internet através do link
  • 24. Sistema Nacional de Informações sobre Recursos Hídricos  Estações em operação no país  8760 pluviométricas  4133 fluviométricas  948 qualidade da água  537 medições sedimentométricas  Estações administradas pela ANA  2473 pluviométricas  1726 fluviométricas  420 qualidade da água  420 sedimentométricas  59 evaporimétricas
  • 25. Rede Pluviométrica
  • 26. Pluviômetro
  • 27. Posto fluviométrico
  • 28. Posto fluviométrico
  • 29. Onde obter os dados?  INMET  ANA  SEMARH  CPTEC  Embrapa  FEPAGRO  Setor elétrico  Defesa Civil
  • 30. INMET
  • 31. Estações convecionais e automáticas
  • 32. ANA  http://www.ana.gov.br/
  • 33. ANA  http://hidroweb.ana.gov.br/
  • 34. HidroWeb
  • 35. Códigos?
  • 36. Esquema de codificação  Postos pluviométricos latitude e longitude  Postos fluviométricos código Otto de cada bacia hidrográfica
  • 37. HidroWeb
  • 38. HidroWeb
  • 39. HidroWeb
  • 40. HidroWeb
  • 41. HidroWeb
  • 42. HidroWeb
  • 43. HidroWeb
  • 44. SEMARH/AL
  • 45. SEMARH/AL
  • 46. SEMARH/AL
  • 47. SNIRH – Interface Nova http://snirh.ana.gov.br/
  • 48. SNIRH – WebServices
  • 49. SNIRH
  • 50. Formato dos dados da ANA  Access  ASCII (TXT)
  • 51. Formato dos dados da ANA  Access  ASCII (TXT)
  • 52. Problemas com arquivos  Datas misturadas  Níveis de consistencia misturados  Vírgula x ponto decimal
  • 53. O Banco de Dados Hidro  Permite o gerenciamento da base de dados armazenada centralizadamente em um banco de dados relacional  Permite a entrada de dados por parte das entidades que operam a rede de monitoramento  Calcula funções hidrometeorológica básicas  Vizualização de gráficos e imagens  A alimentação realizada através de relatórios enviados pelas operadoras  Suporta dados de inventário (rios e estações) e de séries históricas  Pode ser acessado de forma local ou remota (intranet ou internet) hidroweb.ana.gov.br  Permite a exportação de registros para arquivos de intercâmbio
  • 54. HidroWeb + Hidro
  • 55. Usuário Intranet Firewall Servidor de Banco de Dados Hidro Usuário Banco de Dados Central (SQL Server ou Oracle) Internet Hidro Usuário Ambiente Externo Banco de Dados (Access) Hidro Hidro Usuário
  • 56. Formato TXT
  • 57. Formato TXT  Excel  Programas
  • 58. Trabalho de Hidrologia  Para a sua bacia, baixar todas as informações existentes no SNIRH (estações Pluviométricas, Fluviométricas, clima, resumo de descarga, sedimentos,…)  Calcular as estatísticas básicas para precipitação em cada posto:  Média anual  Totais anuais  Médias mensais  Médias trimestrais (sazonalidade)  Calcular as isoetas da Precipitação Média Anual para a sua bacia