Your SlideShare is downloading. ×
0
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Aula tecnologia aplicada a saúde
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Aula tecnologia aplicada a saúde

458

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
458
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
25
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1.  A informação é fundamental para a democratização da Saúde e o aprimoramento de sua gestão. A informatização das atividades do Sistema Único de Saúde (SUS), dentro de diretrizes tecnológicas adequadas, é essencial para a descentralização das atividades de saúde e viabilização do Controle Social sobre a utilização dos recursos disponíveis.
  • 2. Ao Departamento de Informática do SUS: DATASUS compete:  I - Promover, regulamentar e avaliar as ações de informatização do SUS, direcionadas à manutenção e ao desenvolvimento do sistema de informações em saúde e dos sistemas internos de gestão do Ministério da Saúde; 
  • 3.  II - desenvolver, pesquisar e incorporar produtos e serviços de tecnologia da informação que possibilitem a implementação de sistemas e a disseminação de informações necessárias às ações de saúde, em consonância com as diretrizes da Política Nacional de Saúde;
  • 4. III - manter o acervo das bases de dados necessários ao sistema de informações em saúde e aos sistemas internos de gestão institucional;  IV - assegurar aos gestores do SUS e aos órgãos congêneres o acesso aos serviços de tecnologia da informação e bases de dados mantidos pelo Ministério da Saúde; 
  • 5. V - definir programas de cooperação tecnológica com entidades de pesquisa e ensino para prospecção e transferência de tecnologia e metodologia no segmento de tecnologia da informação em saúde;  VI - apoiar os Estados, os Municípios e o Distrito Federal na informatização das atividades do SUS. 
  • 6. Ambulatoriais;  Cadastros Nacionais;  Epidemiológicos;  Financeiros;  Hospitalares;  Estruturantes;  Sociais;  Regulação;  Documentos. 
  • 7. • O DATASUS dispõe de programas de processamento de dados, de domínio público, voltados para a manutenção, administração e gestão de informações sobre o atendimento ambulatorial do SUS.
  • 8.  Tem como finalidade sistematizar as ações no atendimento dos estabelecimentos de saúde, contribuindo para a melhoria da gestão em saúde. Esse sistema pode ser instalado em qualquer versão de rede ambulatorial básica do SUS, independentemente de seu porte ou grau de complexidade. Sua manutenção é garantida pelo DATASUS, atendendo as atualizações legais definidas pelo próprio Ministério da Saúde.
  • 9. • • • • • Benefícios Possibilita agendar os atendimentos, além de coletar dados sobre o profissional que os realizaram; Permite o registro de dados como: agravos de notificação obrigatória, estado nutricional de usuários atendidos, atendimentos odontológicos, entre outros; Coleta dados dos atendimentos realizados pelas equipes do Programa de Agentes Comunitários de Saúde e do Programa de Saúde da Família (PACS/PSF) e; Gera informações do perfil de morbidade da população atendida para a gerência local, possibilitando sua exportação para o nível municipal.
  • 10.  Os dados gerados pelo SIASUS nas Unidades de Atendimento são consolidados e armazenados no Banco de Dados Nacional de Informações Ambulatoriais do SUS, que oferece aos gestores de saúde, pesquisadores e entidades da sociedade, informações sobre capacidade operacional dos prestadores de serviço (públicos e privados), orçamento e controle dos repasses dos recursos financeiros, custeio das Unidades Ambulatoriais, administração das atividades ambulatoriais a nível nacional.
  • 11.       Sistema descentralizado utilizado mensalmente pelas Unidades Prestadoras de Serviço para transcrição dos dados referentes aos atendimentos autorizados de alta complexidade (Autorização de Procedimento de Alta Complexidade – APAC), por paciente. As informações transcritas são validadas conforme regras vigentes pelo sistema APAC MAGNÈTICO e importados pelo sistema SIASUS, onde são processados e validados. Benefícios: Otimização da digitação e remessa dos dados. Funcionalidades Emissão de relatórios gerenciais.
  • 12. • • • • • Sistema descentralizado utilizado mensalmente pelas Unidades Prestadoras de Serviço para transcrição dos quantitativos dos atendimentos prestados nos ambulatórios (Boletim de Produção Ambulatorial - BPA), criticando-os conforme regras estabelecidas em portarias.    Os dados transcritos no sistema BPA MAGNÈTICO são importados para o sistema SIASUS, onde são processados e validados. Sua atualização de versão eventual, normalmente é relacionada a alterações nas tabelas do sistema, como publicação de regras em portarias ou ofícios da Secretaria Nacional de Atenção à Saúde. Benefícios: Otimização da digitação e remessa dos dados. Funcionalidades Emissão de relatórios gerenciais.
  • 13. • • • • • • Sistema descentralizado responsável pela verificação das informações geradas pelo sistema SIASUS, através de dados referentes ao atendimento dos pacientes, enviados pelas Unidades Prestadoras de Serviço. É utilizado e atualizado mensalmente pelo DATASUS, inclusive para nova validação de movimento ambulatorial recebido das Secretarias (Municipais e Estaduais) que operam o SIASUS; Benefícios: Integridade das informações sobre  estabelecimentos de saúde. Funcionalidades Emissão de relatórios gerenciais e de erros; Atualização de versão eventual.
  • 14.    É uma série de aplicações voltadas para o cadastramento de informações utilizadas por todos os programas criados para operacionalizar o atendimento de saúde realizado pelo SUS. O Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde - CNES é a base cadastral para operacionalizar os Sistemas de Informações em Saúde hospitalar e ambulatorial, imprescindíveis a um gerenciamento eficaz e eficiente. Propicia ao gestor o conhecimento da realidade da rede assistencial existente e suas potencialidades, visando auxiliar no planejamento em saúde , em todos os níveis de governo.
  • 15. • • • • • • Sistema de cadastramento de Usuários do Sistema Único de Saúde permite a geração do Cartão Nacional de Saúde , que facilita a gestão do Sistema Único de Saúde e contribui para o aumento da eficiência no atendimento direto ao usuário. O cadastramento permite a construção de um banco de dados para diagnóstico, avaliação, planejamento e programação das ações de saúde. Benefícios Usuários: identificação imediata, rapidez no atendimento e marcação de exames e consultas com menor burocracia; Gestores: apoio ao planejamento na determinação de prioridades das ações de saúde; auxilio na otimização da distribuição de medicamentos adquiridos pelo SUS; Profissionais de saúde:  possibilidade de identificação imediata do usuário, maior rapidez e qualidade no atendimento aos pacientes e facilidade na marcação de consultas e exames.
  • 16. • • • • A CID-10 foi conceituada para padronizar e catalogar as doenças e problemas relacionados à saúde, tendo como referência a Nomenclatura Internacional de Doenças, estabelecida pela Organização Mundial de Saúde. Com base no compromisso assumido pelo Governo Brasileiro, a organização dos arquivos em meio magnético e sua implementação para disseminação eletrônica foi efetuada pelo DATASUS, possibilitando, assim, a implantação em todo o território nacional, nos registros de Morbidade Hospitalar e Ambulatorial, compatibilizando estes registros entre todos os sistemas que lidam com morbidade. Benefícios: Permite que programas e sistemas possam referenciar, de forma padronizada, as classificações; Auxilia a busca de informação diagnóstica para finalidades gerais.
  • 17.   O Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde – CNES visa ser a base para operacionalizar os Sistemas de Informações em Saúde, sendo estes imprescindíveis a um gerenciamento eficaz e eficiente do SUS. Automatizar todo o processo de coleta de dados feita nos estados e municípios sobre a capacidade física instalada, os serviços disponíveis e profissionais vinculados aos estabelecimentos de saúde, equipes de saúde da família, subsidiando os gestores (MS, SES, SMS, etc.) com dados de abrangência nacional para efeito de planejamento de ações em saúde.
  • 18. Sistema em desktop que atende a demanda de cadastramento de estabelecimentos de saúde privados de porte pequeno.  Benefícios:  Possibilita o cadastramento de um número maior de estabelecimentos privados;  Reduz a quantidade de campos a serem preenchidos, tornando o preenchimento mais simplificado;  Possui ajuda (Help) no preenchimento (padrão Windows);  O Banco de Dados está acoplado à aplicação (Firebird Embarcado). 
  • 19. • • • • • • O Sistema de Informação da Atenção Básica  foi implantado para o acompanhamento das ações e dos resultados das atividades realizadas pelas equipes do Programa Saúde da Família - PSF. O SIAB foi desenvolvido como instrumento gerencial dos Sistemas Locais de Saúde e incorporou em sua formulação conceitos como  território, problema e responsabilidade sanitária. Benefícios: Micro-espacialização de problemas de saúde e de avaliação de intervenções; Utilização mais ágil e oportuna da informação; Produção de indicadores capazes de cobrir todo o ciclo de organização das ações de saúde; Consolidação progressiva da informação partindo de níveis menos agregados para mais agregados.
  • 20. • • • • • • O SI-PNI é um sistema desenvolvido para possibilitar aos gestores envolvidos no Programa Nacional de Imunização, a avaliação dinâmica do risco quanto à ocorrência de surtos ou epidemias, a partir do registro dos imunobiológicos aplicados e do quantitativo populacional vacinado, agregados por faixa etária, período de tempo e área geográfica. Benefícios: Registra, por faixa etária, as doses de imunobiológicos aplicadas e calcula a cobertura vacinal; Fornece informações sobre rotina e campanhas, taxa de abandono e envio de boletins de imunização; Gerencia os atendimentos, o estoque e a distribuição dos imunobiológicos; Possibilita o controle das perdas físicas e técnicas de vacinas em todas as instâncias;
  • 21. • • • • • O SisPreNatal é um software desenvolvido para acompanhamento adequado das gestantes inseridas no Programa de Humanização no Pré-Natal e Nascimento (PHPN), do Sistema Único de Saúde. Apresenta o elenco mínimo de procedimentos para uma assistência pré-natal adequada, ampliando esforços no sentido de reduzir as altas taxas de morbi-mortalidade materna, perinatal e neonatal. Benefícios: Fornece informações fundamentais para planejamento, acompanhamento e avaliação das ações desenvolvidas, através do Programa de Humanização no Pré-Natal e Nascimento; Melhora o acesso, cobertura e qualidade do acompanhamento pré-natal; Permite o repasse do incentivo financeiro aos municípios.
  • 22.  Os aplicativos financeiros desenvolvidos pelo DATASUS têm como finalidade apoiar o SUS no controle dos orçamentos públicos em saúde e dos pagamentos aos prestadores de serviços que realizaram procedimentos ambulatoriais e hospitalares em determinado período para os Estados e Municípios.
  • 23. SIOPS é um sistema disponibilizado pela internet que tem por objetivo apurar as receitas totais e os gastos em ações e serviços públicos de saúde.  Benefícios:  Propiciam insumos para a melhoria da gestão, diagnósticos do setor e formulação de políticas públicas;  Municia a sociedade civil e os conselhos de saúde para o exercício do controle sobre a gestão pública, ao disponibilizar os dados à população. 
  • 24.  O SGIF é um instrumento de gestão direcionado aos gestores federal, estadual e municipal, que facilita o controle de todos os desembolsos referentes à parcela do orçamento que visa financiar as ações e serviços em saúde. No que se refere aos atendimentos ambulatoriais e hospitalares, viabiliza a emissão de diversos relatórios, com o seu respectivo demonstrativo de imposto de renda e etc.
  • 25. • • • • Apresenta-se como ferramenta de gerenciamento dos atendimentos hospitalares, utilizada pelas Secretarias Municipais e Estaduais de Saúde, seus distritos e regionais. Desenvolvida para realizar captação, controle e cálculo dos valores brutos dos procedimentos hospitalares prestados no atendimento ao cidadão. Benefícios: É fonte de informação para tomada de decisão de gestores, auxiliando no planejamento de ações de saúde e atuação da Vigilância Sanitária e Epidemiologia; Produz relatórios detalhados, com grande abrangência de utilização pela equipe de controle do processamento e pela equipe de gestão do atendimento (Controle, Avaliação e Auditoria).
  • 26. O Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) foi criado pelo DATASUS para a obtenção regular de dados sobre mortalidade no país.  Benefícios:  Produção de estatísticas de mortalidade;  Construção dos principais indicadores de saúde;  Análises estatísticas, epidemiológicas e sóciodemográficas. 
  • 27. • • • • • O DATASUS desenvolveu o Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC) visando reunir informações epidemiológicas referentes aos nascimentos informados em todo território nacional. Sua implantação ocorreu de forma lenta e gradual em todas as Unidades da Federação. Benefícios: Subsidiar as intervenções relacionadas à saúde da mulher e da criança para todos os níveis do Sistema Único de Saúde (SUS); Como ações de atenção à gestante e ao recém-nascido; O acompanhamento da evolução das séries históricas do SINASC permite a identificação de prioridades de intervenção, o que contribui para efetiva melhoria do sistema.
  • 28.  São aplicativos voltados para o apoio a Programas Sociais do Governo.
  • 29. • • • • • O Bolsa Família é um sistema de informação que apoia os serviços de acompanhamento às famílias beneficiadas pelo Programa Bolsa Família, possibilitando o armazenamento de dados relativos ao cumprimento das condicionalidades acompanhamento nutricional dos membros das famílias no atendimento nas diversas áreas da unidade. Benefícios: Permite avaliação nutricional das fases do ciclo de vida (crianças menores de 7 anos e mulheres entre 10 e 60 anos); Acompanha as condicionalidades das famílias beneficiárias (se o membro for criança menor de 7 anos, se vacinou, ou não; caso o membro seja uma mulher entre 10 e 60 anos se fez ou não o pré-natal); Descreve de maneira contínua tendências e determinantes (na área alimentar e nutricional), caracterizando áreas geográficas, segmentos sociais e grupos populacionais de maior risco.
  • 30. Sistema utilizado para registro de ocorrências médicas que, baseado na avaliação do médico regulador, poderá enviar ou não uma ambulância. Também fará o controle logístico dessas ambulâncias para que o maior número possível de ocorrências seja atendido no menor espaço de tempo.  Benefícios:  Por ser um sistema local com acesso apenas por seus operadores, o quantitativo de usabilidade e acessibilidade pode ser avaliado pela quantidade de ligações telefônicas (por unidade). 
  • 31. DÚVIDAS?

×