Virtualização de servidores com tecnologia Linux

11,208 views

Published on

Virtualização de servidores com tecnologia Linux

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
11,208
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3,488
Actions
Shares
0
Downloads
300
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Virtualização de servidores com tecnologia Linux

  1. 1. Virtualização de servidores com tecnologia Linux SENAC TI Fernando Costa 28 de julho de 2010
  2. 2. Histórico: o problema Servidores centralizados possuem alto custo de aquisição e manutenção
  3. 3. Histórico: a solução Descentralizar (escalabilidade horizontal) • Baixo custo de aquisição (aparente) • Baixo custo de manutenção (aparente) – Melhorias de hardware mais acessíveis – Facilidade para aplicar correções (patches) sem interferir outros sistemas – Sistemas isolados implicam em maior segurança
  4. 4. Histórico: novos problemas • Mais equipamentos geram: – Mais gastos de energia – Maior espaço físico – Necessita melhor gerenciamento • Redução da eficiência (85% do tempo ocioso) ocioso Gastos estimados em US$ 10 mil/máquina ao ano
  5. 5. Solução: Virtualizar (desde 1959)
  6. 6. Virtualização Equilíbrio entre Centralizar x Descentralizar
  7. 7. O que é virtualização? Execução de instâncias de S.O.’s em um único computador • Compartilhar recursos físicos (processador, memória, disco rígido, ...)
  8. 8. Metáfora
  9. 9. Terminologia • Máquina virtual (VM) – Ambiente virtualizado onde um sistema operacional e seus aplicativos são executados. • Hospedeiro (Host) – Computador onde são executadas as máquinas virtuais. • Convidado (Guest) – Software que é executado dentro de uma máquina virtual. • Hipervisor (Hypervisor ou Virtual Machine Monitor) – Camada entre VMs e Host que controla as VMs.
  10. 10. Porque virtualizar? Economia e sustentabilidade: • Menor espaço físico • Redução de calor • Economia de energia • Menos contratos de hardware • Cabeamento reduzido • Economia no gerenciamento
  11. 11. Porque virtualizar? • Alta-disponibilidade e redundância acessíveis • Facilita o “disaster recovery” • Rápido provisionamento de novos servidores • Maior segurança
  12. 12. Quem pode virtualizar? • Qualquer empresa com mais de um servidor
  13. 13. Virtualizar com Linux • Xen (pronuncia ZEN) • VMWare • VirtualBox • Qemu • KVM • OpenVZ
  14. 14. Benchmark: Xen vs VMWare
  15. 15. Visão geral • Suporte ambientes heterogêneos (Linux, Windows, NetBSD, etc) • Isolamento de serviços • Facilidade de relocação e migração (Live- Migration)
  16. 16. Visão geral • Eliminação de todos os serviços (ftp, http, smtp) no sistema operacional host (máquina física) • Alocação de recursos para as necessidades específicas dos serviços executados em cada VM (máquina virtual) • Baixa redução de desempenho (em média 8%)
  17. 17. Visão geral • Possui uma versão paga e uma software livre. • Contribuidores do projeto incluem empresas como: Intel, IBM, HP, AMD, Novell, Red Hat e Citrix / XenSource.
  18. 18. Arquitetura
  19. 19. Desvantagem • Virtualização assistida por hardware – Depende do suporte do Hardware (Intel-VT ou AMD-V) • Para-virtualização – Sistema operacional deve ser portado para o XEN (sistemas portados: windows, linux, solaris, freebsd, etc)
  20. 20. Recursos • Capacidade de pausar, resumir, salvar e restaurar o estado de uma VM
  21. 21. Recursos
  22. 22. Recursos • Capacidade de dar para a VM acesso direto a um hardware • Suporte a hot-plug USB • Suporte a som nas VMs • Até 64GBs de memória em máquinas 32bits (PAE) • API de programação com chamadas XML-RPC • Esforço de colaboração para compatibilidade de formato de VM com Microsoft Virtual Server
  23. 23. Ferramentas • XM - Ferramenta que recebe instruções via linha de comando. # xm create maquinavirtual # xm help Usage: xm <subcommand> [args] Control, list and manipulate Xen guest instances
  24. 24. Ferramentas • Virtual Machine Manager - Ferramenta da RedHat para gerenciamento gráfico das VMs.
  25. 25. Ferramentas • Convirt (antigo XenMan)
  26. 26. Ferramentas • Enomalism – ferramenta de gerenciamento via web
  27. 27. Licença GNU/GPL
  28. 28. Visão geral • Virtualização de sistemas 32 e 64bits com processadores Intel e AMD • Virtualização plena (sem necessidade de portar S.O.) • Suporte a múltiplos S.O.’s • Suporte a Remote Desktop Protocol (RDP). • Testes e recuperação de desastres.
  29. 29. Visão geral • Arquivos de configuração das máquinas virtuais são armazenadas em XML, facilitando a portabilidade. • Suporte a Snapshot. • API pública para controle da VM. • Permite usar imagens de discos criadas no VMware. • Suporte a USB. • Suporte a iSCSI. • Integração a AMD-V e Intel Core i7.
  30. 30. Características • Amplo suporte a várias plataformas • Hosts: Windows, Solaris, Linux, Mac OS X • Convidados: Suporta quase todos os SO's • Integração profunda host / guest. • VirtualBox RDP Server para acesso remoto ao VMS • API aberta e modular
  31. 31. Características • Virtual SATA ou IDE: Até 32 discos • Virtual NICs: Gigabit ethernet E1000 • Controlador USB Virtual: USB 1.1 e 2.0; filtro de dispositivo USB • Suporte completo ACPI: As VMs refletem o nível de energia do HOST. • CD/DVD Virtual: Escrita de CD/DVD. • Procesador: Suporta Virtualização de Hardware(VT-x, AMD-V).
  32. 32. Características • Servidor RDP construído dentro de uma base de virtualização. • Acceso remoto a host. • Acceso a nível Boot. • USB remoto sobre RDP
  33. 33. Ferramentas • Administração por ferramenta gráfica
  34. 34. Ferramentas • phpVirtualBox – ferramenta de administração via web
  35. 35. Licença
  36. 36. Projeto Cauã US$ 36.70 dealextreme.com
  37. 37. Casos de sucesso • Caixa Econômica Federal • Rede de Farmácias • Procergs • SENAC TI • EMPREL: Prefeitura de Recife
  38. 38. Fernando Costa www.fernandocosta.com.br fernandocosta@gmail.com

×