Your SlideShare is downloading. ×
0
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Recuperação semestral
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Recuperação semestral

250

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
250
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Recuperação semestral 3os anos 1º Semestre
  • 2. Governos populistas • Governo JK (1955-1961 • Juscelino promove calmaria política, atendendo demandas dos militares e mantendo os sindicatos sob controle; • Aliança entre PTB e PSD formava a base de apoio de JK no congresso; • Os princípios de seu governo foram DESENVOLVIMENTO e ORDEM
  • 3. Juscelino • Os Cinquenta anos em Cinco • Criação da SUDENE; • Política Nacional Desenvolvimentista, com atração de capitais estrangeiros; • Crescimento do PIB três vezes maior do que os países da América Latina (7% ao ano); • Implantação da indústria automobilística feita com êxito; • Cria uma dependência dos derivados do petróleo e gera uma despesa altíssima com manutenção das estradas
  • 4. Brasília • Execução de um projeto antigo, remonta ao começo da República; • Justificativa: segurança e integração; • projeto planejado por Niemeyer; • em 1960 JK inaugura a nova capital do Brasil. • Problemas: • O governo tem gastos exorbitantes, que culminam em quadro de inflação; • A atração do capital estrangeiro.
  • 5. Jânio (1961) • governo desastrado, (proibições de lança perfume, biquini e briga de galo); • política independente no cenário da Guerra Fria; • condecoração de Che com a Ordem do Cruzeiro do Sul; • Apesar da neutralidade do governo de Jânio em relação a guerra fria, as suas medidas no campo econômico muito agradavam as potências capitalistas, e representavam segurança na América Latina; • renúncia
  • 6. Jango 1961-1964 • Crise no quadro político pela divisão das forças armadas entre apoiar ou vetar a volta de Jango; • Campanha da Legalidade; Resolução: Parlamentarismo • Organiza-se uma política menos direcionada ao pensamento partidário e mais ideológica, como ilustração temos a decadência das forças UDNistas e do PSD
  • 7. Jango • Plebiscito – presidencialismo • Ligas Camponesas; • Regulamentação do trabalho rural; • Fortalecimento do movimento estudantil, sendo representado pela UNE; • Divisão das forças da igreja. • Viabilização da Reforma Agrária; • Projeto de Reforma Urbana; • Extensão dos votos a analfabetos e camadas inferiores das forças armadas; • Medidas econômicas nacionalistas com maior intervencionismo por parte do Estado;
  • 8. • Plano Trienal: • Pretendia realizar a reforma agrária • Redução dos gastos públicos, mas manutenção dos investimentos • Aumento dos impostos incidentes sobre os grupos de renda mais alta. • Consequência: descontentamento força Jango a reformular ministérios e reconsiderar sua política financeira, atraindo forças mais conservadoras para a cúpula ministerial
  • 9. • Radicalização da atuação das Ligas Camponesas • Crescimento da oposição. • O setor militar passa a difundir a ideia de que somente através de um golpe a política brasileira seria restaurada. • Jango tenta implementar as reformas de base por meio de decretos anunciados em comícios.
  • 10. Governo militar (1964-1985) • Logo após o golpe, ficou claro que os militares se estabeleceriam no poder. • Embora o movimento tivesse contado com o apoio de civis – UDN, os militares não pretendiam entregar o poder. • Em abril de 1964 foi editado o ATO INSTITUCIONAL nº 1. • Ato institucional: Conjunto de leis promulgado sem a necessidade de aprovação popular ou pelo Congresso Nacional – Mecanismo ditatorial de controle do poder de Estado. • Os militares optaram pelo alinhamento ao bloco ocidental (EUA) – Os norte americanos prontamente reconheceram o governo militar logo após o golpe.
  • 11. AI1 • Nomeação do Gen. Humberto de Allencar Castello Branco para a Presidência. • A eleição do presidente e vice passaria a ser efetuada pelo Congresso Nacional. • As investigações contra crimes contra o Estado ou a Ordem Pública, política e social, poderiam ser instauradas contra indivíduos ou coletivamente. • Os Comandantes-em-Chefe das Forças Armadas, que assinavam o AI-1, poderiam cassar direitos políticos pelo prazo de 10 anos e anular mandatos legislativos.
  • 12. Castelo Branco (1964-1967) • Ao assumir a presidência, afirmava que seu objetivo era implantar uma “democracia restringida” – para ele, isso significava atuar na reformulação política e econômica do Estado, com o propósito de “combater o comunismo e promover a consolidação da democracia”. • Castelo Branco promoveu prisões arbitrárias e iniciou perseguições políticas e torturas aos opositores do regime, embora ainda estivesse em vigor o Habeas Corpus. • Lideranças sindicais e camponesas foram mortas ou desapareceram; governadores eleitos perderam seus mandatos. • Em 1966, a oposição saiu vitoriosa nas eleições estaduais em Minas e Rio de Janeiro. • O governo reagiu, editando o AI-2. Fim em todos os partidos políticos existentes e autorizava a formação de apenas duas legendas: a ARENA (Aliança Renovadora Nacional) e o MDB (Movimento Democrático Brasileiro). • A reação popular contra a arbitrariedade foi imediata.
  • 13. Casrelo Branco - Economia • O governo procurava, no setor econômico, uma forma de conter a inflação que chegava aos 100% ao ano. • Assim, lança o PAEG – Plano de Ação Econômica do Governo: a) Abertura para o capital exterior, consolidando uma fórmula tipicamente exportadora – altas na balança comercial. b) Controle nas linhas de crédito para o setor privado. c) Redução dos gastos públicos. d) Contenção dos salários. Fim da estabilidade (10 anos) – Criação do FGTS. e) FGTS faz “girar” os financiamentos no BNH. f) Revogação da “Lei de remessa de Lucros”, editada em 1962 pelo governo João Goulart.
  • 14. Costa e Silva (1967-68) • projeto econômico que visava retomar o crescimento sem aumentar a inflação. • As novas medidas incluíam o aumento da linha de crédito bancário para o setor privado e o controle de preços, por meio do CIP (Conselho Interministerial de Preços). • O governo fixou oficialmente os valores dos salários do setor público e do setor privado. • Os primeiros tempos do governo Costa e Silva foram marcados por protestos estudantis. • As táticas do comício relâmpago e das passeatas entusiasmavam os estudantes.
  • 15. • O AI-5 foi o principal instrumento de arbítrio da ditadura militar. • O general-presidente poderia, sem dar satisfações a ninguém, fechar o Congresso Nacional, cassar mandatos de parlamentares, demitir juízes, suspender garantias do Poder Judiciário, legislar por decretos, decretar estado de sítio, enfim, ter poderes tão vastos como os dos tiranos. • Luta armada
  • 16. Médici (1969-1974) • Repressão e silenciamento dos principais líderes da luta armada: Carlos Mariguella (1969) e Carlos Lamarca (1971). • O único movimento sobrevivente foi a Guerrilha do Araguaia, derrotada em 1975. • O governo aposta no aparato ideológico do crescimento da nação: • “Você constrói o Brasil” • “Ninguém segura este país”
  • 17. Geisel 1974-1979 • Início do processo de abertura política: “Lento, gradual e seguro”. Pacote de Abril (1977): • o presidente fecha o Congresso e passa a governar por decretos. • Eleição indireta para os governadores de estado. • Lei Falcão (1976) redução dos discursos no horário eleitoral. • Aumento do mandato presidencial (de 5 para 6 anos). • As decisões no Congresso passaram a depender apenas de maioria simples. • Um terço das cadeiras do Senado passaram a ser concedidas aos “Senadores Biônicos”.
  • 18. Figueiredo 1979-1985) • Continuidade ao processo de abertura política. • A ANISTIA veio em 1979, mas não beneficiou os condenados por sequestros e atentados políticos. • A reforma política implementada pelo Estado permitiu a volta do pluripartidarismo. • Ementa Dante de Oliveira – derrotada no Congresso. • Transição democrática: Paulo Maluf (PDS) X Tancredo Neves (PMDB)
  • 19. Sarney 1985-1990 • Desconfiança inicial – passado ligado a ditadura militar. • “Emendão” (85) – aumentar credibilidade. – Eleições presidenciais seriam restabelecidas. – Voto para analfabetos. – Liberdade partidária (incluindo o PCB e o PC do B). – Liberdade sindical. – Convocação de Assembléia Nacional Constituinte (formada por deputados eleitos para o Congresso Nacional em 1986). • Sucessão de planos econômicos. • PLANO CRUZADO (fev/86) – Dilson Funaro
  • 20. • Out/88 – Nova Constituição (“Constituição Cidadã”): – Eleições diretas e secretas (em todos os níveis). – Presidente: 5 anos (para Sarney) e 4 para os demais. – Voto facultativo para analfabetos e menores entre 16 e 18 anos. – Eleições para cargos executivos em dois turnos. – Habeas Corpus. – Fim da censura.
  • 21. Collor 1990-1992 • “Caçador de Marajás” • Discurso: COLLOR = novo, moderno. • Passado político pessoal e familiar ligado a ditadura militar. • PLANO COLLOR (mar/1990) – Zélia Cardoso de Mello: – 1 Cruzado Novo = 1 Cruzeiro. – Confisco de investimentos (até poupanças) – máximo equivalente a US$1200.
  • 22. Itamar 1992-1995 • Discreto e com passado honesto. • Continuidade de privatizações. • Mínimo de US$ 100,00. • Dificuldades econômicas (inflação média de 40% ao mês). • ABR/93: Plebiscito
  • 23. • Ago/93: FHC assume o Ministério da Fazenda. – 1000 Cruzeiros = 1 Cruzeiro Real. – Criação da URV (aproximadamente 1 dólar). • Jul/94: Início efetivo do PLANO REAL – 1 URV = 1 Real (2750 Cruzeiros Reais). – Redução de custos de produtos importados. • Modernização tecnológica. – Queda da inflação. – Estabilidade econômica. – Ampla popularidade. • FHC vence eleições presidenciais de 1994 em 1º Turno
  • 24. FHC 1995 - 2002 • Amparado pelo sucesso do Plano Real, é eleito no primeiro turno (54% dos votos válidos) • Continuidade de privatizações em ritmo acelerado . • Fim do monopólio estatal do petróleo e das telecomunicações • Manutenção de juros elevados para conter inflação • Avanço do MST – Choque com as forças policiais (Corumbiara e Eladorado dos Carajás)  MERCOSUL

×