Your SlideShare is downloading. ×
0
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Oriente médio i   conflitos internos
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Oriente médio i conflitos internos

357

Published on

Conflitos árabe-israelenses …

Conflitos árabe-israelenses

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
357
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
13
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. CONFLITOS ÁRABES x ISRAELENSESCONFLITOS ÁRABES x ISRAELENSES ee QUESTÃO PALESTINAQUESTÃO PALESTINA
  • 2. PALESTINA
  • 3.   Século XIX  Início do Movimento Sionista (movimento internacional dos judeus de “retorno à patria”)  Pátria = Canaã = Palestina Theodor Herzl – Líder do Movimento Sionista
  • 4. PÓS – 1ª GUERRA MUNDIAL PALESTINA SOB DOMÍNIO BRITÂNICO
  • 5. "O Governo de Sua Majestade vê com simpatia o estabelecimento na Palestina de um lar nacional para o povo judeu e envidará seus melhores esforços para facilitar a conquista desse objetivos, ficando claramente entendido que nada será feito que possa prejudicar os direitos religiosos e civis das comunidades não judaicas existentes na Palestina ou os direitos e condições políticas usufruídas pelos judeus em qualquer outro país." Agradeceria que o senhor levasse essa declaração ao conhecimento da Federação Sionista. Atenciosamente, Arthur James Balfour Primeiro Ministro Britânico DECLARAÇÃO BALFOUR (1918) Impulsiona o Movimento Sionista
  • 6. INICIAM-SE OS CONFLITOS JUDEUS  ALEGAM DIREITOS HISTÓRICOS SOBRE A PALESTINA PALESTINOS  ALEGAM DIREITOS ADQUIRIDOS, POIS NUNCA SAÍRAM DA PALESTINA 1947 – ONU APROVA A PARTILHA DA PALESTINA • Estado Judeu (Israel)  56,7% da áreas • Estado Palestino  42,6% da área • Jerusalém  Área Internacional sob administração da ONU
  • 7. Judeus chegando na Palestina pós fim da 2ª Guerra Mundial
  • 8. 1º CONFLITO  1ª GUERRA ÁRABE-ISRAELENSE (1948-49) Países Árabes (Egito, Síria, Jordânia, Líbano e Iraque) e povo palestino atacam Israel. Objetivos  Impedir a formação do Estado de Israel e expulsar os judeus da Palestina. RESULTADO DO 1º CONFLITO • Israel vence e ocupa parte do território dos Palestinos • Egito ocupa a Faixa de Gaza • Jordânia ocupa a Cisjordânia • Jerusalém é dividida: Parte Ocidental (domínio dos Judeus) e Parte Oriental (ocupação da Jordânia) • PALESTINOS FICAM SEM TERRITÓRIO (sem seu próprio Estado)
  • 9. QUESTÃO PALESTINA LUTA DO POVO PALESTINO PARA RECONQUISTAR SEUS TERRITÓRIOS
  • 10. • 1959 – Criação da Al Fatah • 1964 – Criação da OLP (Organização para Libertação da Palestina) • Posição Histórica => CONTRA A EXISTÊNCIA DO ESTADO DE ISRAEL ORGANIZAÇÃO DOS PALESTINOS
  • 11. 2º CONFLITO  GUERRA DOS SEIS DIAS • Egito, Jordânia e Síria preparam um novo ataque a Israel • Israel antecipa o ataque dos árabes e ataca primeiro RESULTADO DO 2º CONFLITO: Israel em apenas seis dias conquista: • Toda Faixa de Gaza (antes sob domínio egípcio) • Toda Península do Sinai (Território do Egito) • Toda a Cisjordânia (antes sob domínio da Jordânia) • Colinas de Golan (Território da Síria) • Toda cidade de Jerusalém 2º CONFLITO – Guerra dos Seis Dias 1967
  • 12. IMPORTÂNCIA DE CADA ÁREA CONQUISTADA NA GUERRA DOS SEIS DIAS PARA ISRAEL • Faixa de Gaza e Cisjordânia  Controle total sob a Palestina (sionismo) • Península do Sinai  Segurança Nacional (Proteção de suas fronteiras com o Egito) • Colinas de Golan  Área de Nascentes (Recursos Hídricos)
  • 13. PÓS – GUERRA DOS SEIS DIAS: AUMENTO DO SIONISMO (ISRAEL INCENTIVA A CRIAÇÃO DE ASSENTAMENTOS JUDAICOS NA FAIXA DE GAZA E NA CISJORDÂNIA
  • 14. 1973 - 3º CONFLITO  GUERRA DO YOM KIPPUR • Países árabes realizam um ataque surpresa. • Resultado  Mais uma vitória de Israel 1975 – Israel expulsa militantes da OLP da Cisjordânia e da Faixa de Gaza Novo QG da OLP: Beirute - Líbano 1979 – ACORDO DE CAMP DAVID Anwar Sadat (Egito) => Passa a ser considerado traidor pelos defensores da causa Palestina. É assassinado em 1981 por um oficial egípcio.
  • 15. 1982 – OPERAÇÃO PAZ NA GALILÉIA • Israel invade o sul do Líbano (ocupação com objetivo de proteger o norte de Israel – Galiléia) • Tropas especiais de Israel avançam até a capital do Líbano (Beirute) para atacar e expulsar a OLP. • Nos arredores de Beirute dois assentamentos de palestinos Sabra e Chatila (sob controle de Israel) são atacados e massacrados por milícias Cristãs. Israel vê tudo, mas não protege os palestinos. • Obs. General Israelense responsável  ARIEL SHARON
  • 16. MASSACRE DE SABRA E CHATILA
  • 17. NOVO QG DA OLP  TUNÍSIA Nova postura de Arafat  Menos radical (CRIAÇÃO DE UM ESTADO PALESTINO QUE NÃO EXCLUA ISRAEL) ONU reconhece a OLP como legítima representante do povo palestino •Mais radicais consideram Arafat e a OLP como traidores • Crescem grupos terroristas radicais
  • 18. PALESTINA HAMAS JIHAD HEZBOLLAH
  • 19. 1987 – INÍCIO DA INTIFADA Intifada  Guerra das Pedras  Revolta popular palestina contra a ocupação israelense na Faixa de Gaza e na Cisjordânia (Organizada pelo Hamas)
  • 20. ACORDO DE OSLO - (1993) • Local  EUA • Intermediação  Diplomatas da Noruega • Partes  OLP (Yasser Arafat) e Israel (Ytizak Rabin) • Acordo  Autonomia para os Palestinos por 5 anos na Faixa de Gaza e na cidade de Jericó (Cisjordânia). Após 5 anos forma-se o Estado Independente da Palestina. ACORDO DE OSLO II - (1995) • Local  EUA • Partes  ANP (Yasser Arafat) e Israel (Ytizak Rabin) • Acordo  Aumenta as áreas sob controle dos Palestinos: • Seis cidades (Jenin, Naplouse, Tulkaren, Kalkiya, Rammallah e Belém; • Nablus controle parcial 1995 – Assassinato de Rabin - Responsável  Radical Judeu
  • 21. 1995 – 1996 => Ondas de atentados terroristas em Israel
  • 22. ELEIÇÕES EM ISRAEL VITÓRIA DO LIKUD (DIREITA) – 1996 1º Ministro => Benjamin Netanyahu FIM DAS NEGOCIAÇÕES
  • 23. VITÓRIA DO PARTIDO TRABALHISTA (ESQUERDA) 1º Ministro => Ehud Barak RETOMADA DAS NEGOCIAÇÕES (Devolução do Sul do Líbano) NOVAS ELEIÇÕES EM 1999
  • 24. LEVANTE DE JERUSALÉM OU NOVA INTIFADA - 2000 A crise começou no dia 28 de setembro, quando o político israelense Ariel Sharon visitou um local sagrado para os muçulmanos (Esplanada das Mesquitas). Os palestinos ficaram irados com a visita, e responderam com a destruição de um local sagrado judeu. Nas três semanas de conflito que se seguiram, mais de 100 pessoas foram mortas -a grande maioria palestinas.
  • 25. Ações de Sharon: • Separação do território de Israel das áreas habitadas pelos palestinos  MURO DA VERGONHA
  • 26. FATOS RECENTES • Em 2004 Yasser Arafat morre. •Após a morte de Arafat, o Grupo Hamas assume o poder, sofrendo forte oposição do Fatah •Em 06 de Junho deste ano assumiu a presidência Rami Hamdala, um acadêmico ligado à Fatah, mas com apoio dos EUA. • Nesta semana, foi assinalada a volta das negociações para o Tratado de paz entre Palestinos e Israelenses, sob o olhar da ONU e dos EUA.
  • 27. ENTRAVES AO PROCESSO DE PAZ • Destino de Jerusalém: • Judeus consideram Jerusalém sua capital eterna e indivisível; • Palestinos querem a parte oriental de Jerusalém como a capital de um futuro Estado Palestino. • Grupos radicais (árabes e judeus); • Dissenções internas islâmicas (xiitas X sunitas) • Refugiados Palestinos => Israel se recusa a aceitar o retorno de 3 milhões de palestinos refugiados; • Água => Palestinos querem uma divisão eqüitativa dos lençóis freáticos; Israel quer ter controle sobre 80% dos lençóis freáticos.

×