Your SlideShare is downloading. ×
0
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Caldas Moodle Presentation
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Caldas Moodle Presentation

625

Published on

Moodle use in Education

Moodle use in Education

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
625
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
16
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. EXPLORAÇÃO DE UM AMBIENTE DE APRENDIZAGEM COLABORATIVA SUPORTADO POR UMA PLATAFORMA LMS
    João Filipe Matos, Universidade de LisboaFernando Campos, Escola EB 2,3 Cardoso LopesMaria Elvira Monteiro, Escola Sec. c/3º Ciclo de São João da TalhaMaria João Horta, Escola EB 2,3 dos OlivaisVicência Maio, Escola Secundária c/3º Ciclo André de GouveiaVítor Fernandes, Escola Sec. c/3ºCiclo de São João da Talha
    13 Setembro, 2008
  • 2. O Projecto
    Finalidade
    Construção de uma comunidade virtual de aprendizagem [CVA] com recurso à plataforma Moodle
    Pressupostos
    a) O trabalho colaborativo e o envolvimento dos alunos em tarefas comuns, promove a participação na comunidade;
    b)A utilização de plataformas de gestão de aprendizagem, representa uma oportunidade de potenciar processos de interacção e comunicação com recurso a estratégias colaborativas.
    2
  • 3. O Projecto
    Objectivos
    Explorar um modelo de trabalho colaborativo na plataforma Moodle .
    Compreender como as interacções se fazem na plataforma e de que forma é que essas interacções conduzem os alunos às respostas dadas aos desafios de aprendizagem propostos pelos professores.
    Reflectir sobre as propostas de trabalho colaborativo a utilizar nestas situações de ensino e aprendizagem (os desafios lançados, as etapas de trabalho), sobre os materiais disponibilizados e sobre o tipo de ferramentas utilizadas .
    3
  • 4. Uma comunidade virtual de aprendizagem …
    “... corresponde a um grupo de pessoas, todas ligadas por um objectivo de aprendizagem ou de desenvolvimento comum e, tipicamente, uma comunidade virtual de aprendizagem é colaborativa, descentralizada e distribuída”. (Lewis & Allan, 2005).
    “…apresenta, como principal traço definidor e distintivo, a mediação colaborativa e tecnológica dos processos de interacção”. (Dias, 2008).
    4
  • 5. Aprendizagem
    Enquanto actividade eminentemente social e contextualizada.
    “Collaborative learning exercises are student centered and enable students to share authority and empower themselves with the responsibility of building on their foundational knowledge” (Mayer citado por Augar et al, 2006)
    5
  • 6. Quadro teórico
    O rationale do projecto está ancorado nas abordagens :
    socioconstrutivista (Vygotsky)
    cognição situada (Lave e Wenger, 1991)
    aprendizagem colaborativa (Dillenbourg, 1999)
    Implementação na plataforma de acordo com o modelo descrito por Reid et al. (1989).
    6
  • 7. “Com os outros aprendemos, descobrimos e… construímos”
    7
    uma comunidade de aprendizagem
  • 8. Modelo de AprendizagemColaborativa
    Com o objectivo de promover a emergência de uma comunidade de aprendizagem foi desenhado e construído, na plataforma Moodle, um ambiente virtual de aprendizagem que teve como referência o modelo de aprendizagem colaborativa descrito por Reidet al. (1989) e que contempla 5 fases:
    i. Envolvimento
    ii. Exploração
    iii. Transformação
    iv. Apresentação
    v. Reflexão
    8
  • 9. i. Envolvimento
    O envolvimento dos participantes foi estimulado através do fórum de discussão “Esplanada”.
    Este fórum teve por principal objectivo o convívio saudável e descontraído onde os
    participantes puderam dar-se a conhecer.
    9
  • 10. ii. Exploração
    A fase de exploração desenvolveu-se com recurso a um conjunto de desafios propostos através de fóruns de discussão.
    Nestes desafios os participantes foram convidados a pesquisar e a debater temas como
    • “Desenvolvimento sustentável”,
    • 11. “Gestão sustentável de recursos”,
    • 12. “O planeta está cansado! Vamos tratar dele?”
    • 13. “Resíduos perigosos... já ouviste falar?”.
    10
  • 14. iii. Transformação
    Produção de um texto jornalístico: uma notícia escrita de forma colaborativa, para através do desenvolvimento de competências, transformarem a informação pesquisada / trabalhada e debatida até essa fase em algo pessoal e criativo.
    Ferramenta de Wikis.
    11
  • 15. iv. Apresentação
    A fase de apresentação consistiu na divulgação e partilha dos textos produzidos, com a abertura dos Wikis de Grupo que passaram a estar visíveis para todos.
    12
  • 16. v. Reflexão
    Na (re)formulação das respostas dadas com base nos comentários dos mais velhos (Peer teaching), na necessidade de justificar e apresentar argumentos no jogo de papéis, nas situações em foram chamados a comentar ou a tomar posição sobre argumentos dos outros, provocou-se nos participantes, uma atitude crítica e reflexiva.
    13
  • 17. Recolha de dados
    Os dados recolhidos resultaram das actividades desenvolvidas na plataforma Moodle nos seis meses de duração do projecto e de dois questionários que se aplicaram, na plataforma, aos alunos.
    Assim, no final do projecto, os dados obtidos e que vieram a merecer tratamento, foram os seguintes:
    i. Os logs individuais de acesso à plataforma de todos os alunos participantes;
    ii. Os registos escritos nos diversos fóruns
    iii. O registo escrito do chat final
    iv. Os textos dos wikis
    v. As respostas aos questionários
    14
  • 18. Um olhar sobre alguns dados
    De uma forma geral as actividades Wiki e o Chat tiveram um nível de participação inferior à participação em fóruns de discussão que atingiu os 51,3% dos quais a maior fatia cabe aos fóruns relacionados com os desafios propostos.
    15
  • 19. Fóruns e aprendizagem colaborativa - registos
    Fóruns sociais (esplanada):
    Exemplo típico da forma de escrita utilizada:“Bem xinxerament, A minhas ferias Foram Dormir, Dormir, Dormir, Jogar PC,Dormir, Andar de bixicleta, e ...... Dormir..Enkuanto a estudar..... bem ... NADA!!!Mas no 2º Periodo tem de ser.. XD :P Fikem....”
    Fóruns para espaço de trabalho (desafios):
    Nos fóruns conseguiu-se atingir o objectivo da troca de ideias e da partilha de recursos.Dizem, por exemplo, quase todos estes alunos que,“Ao ler as intervenções nos fóruns aprendi coisas novas” e que“A pesquisa na Internet sobre os assuntos abordados foi importante para esclarecer dúvidas que tinha”.
    16
  • 20. Registosescritos no WiKi
    Análise de conteúdo
    • identificou-se como variável de inferência a transformação da informação conducente à escrita colaborativa de um artigo.
    • 21. os artigos reflectiram as opiniões dos alunos face à co-incineração.
    Análise da participação
    17
  • 22. 18
    Questionário - resultados
  • 23. A maioria diz não ter tido dificuldades de acesso a esta plataforma específica, mesmo os que nunca tinham usado o Moodle.
    Cerca de dois terços destes jovens considerou bem organizada a apresentação dos conteúdos e dos recursos e sobre os temas, quase todos disseram que eram, ou interessantes ou muito interessantes.
    19
    Questionário - resultados
  • 24. As ferramentas consideradas mais úteis para a resolução dos desafios, foram os fóruns, seguido do chat.
    Quase todos consideram que as TIC tornam o trabalho mais motivador
    20
    Questionário - resultados
  • 25. Utilidade das ferramentas colaborativas opinião dos alunos
    21
    [%]
  • 26. O que os alunos mais valorizaram …
    22
    [%]
  • 27. Reflexões
    • Houve sempre a preocupação de incentivar a colaboração e pensamos que também nesta comunidade se chegou ao referido por Harasim et. al. (1995):
    • 28. as comunidades de aprendizagem que se constituem online, conduzem o aluno a situações de expressar ideias por escrito que requerem um esforço intelectual e, geralmente, ajudam a compreensão e a retenção.
    • 29. São os próprios alunos que o dizem:
    • 30. “Ao ler as intervenções nos fóruns aprendi coisas novas”;
    • 31. “Descobri formas diferentes de colaborar com os colegas e professores”;
    • 32. “A pesquisa na Internet sobre os assuntos abordados foi importante para esclarecer dúvidas que tinha”
    • 33. “Percebi que há formas diferentes de tratar os mesmos assuntos”.
  • E nós… o que aprendemos com este projecto ?
    • Que é possível criar um ambiente de aprendizagem no Moodle, em que os alunos se sintam motivados a aprender.
    • 34. Que é possível alcançar o sentido de Comunidade entre os participantes durante um ano lectivo.
    • 35. Que é possível criar ambientes pedagogicamente “ricos” de modo a proporcionar aos alunos uma aprendizagem colaborativa .
    24
  • 36. E nós… o que aprendemos com este projecto ?
    Que o modelo colaborativo de Reid, funcionando como referência na construção do ambiente de aprendizagem, foi estruturante para o projecto.
    Que é necessário plataformas tecnológicas que funcionem de forma fiável e que ao mesmo tempo sejam flexíveis.
    25
  • 37. 26
    Referências
    • Dias, P. (2002).Comunidades de conhecimento e aprendizagem colaborativa,inRedes de Aprendizagem, Redes de Conhecimento. CNE. Disponível online em http://scholar.lib.vt.edu/ejournals/JTE/v7n1/pdf/gokhale.pdf. Acedido a 12 de Janeiro de 2008.
    • 38. Dillenbourg P. (1999). What do you mean by collaborative learning?. in P. Dillenbourg (Ed). Collaborative-learning: Cognitive and Computational Approaches. (pp.1-19). Oxford: Elsevier.
    • 39. Harasim, L., Hiltz, S., Yeles, L., Turoff, M. (1995). Learning Networks: a field guide to teaching and learning online. Massachusetts: MIT Press.
    • 40. Lave, J., Wenger E.(1991). Situated learning, legitimate peripheral participation. Cambridge University Press, New York
    • 41. Lewis, D. Allan, B.(2005). Virtual Learning Communities: a guide for practitioners. Open University Press e McGraw-Hill Education.
  • 27
    • Reid, J., Forrestal, P., & Cook, J. (1989). Small group learning in the classroom. Portsmouth, NH: Heinemann.
    • 42. Vygotsky, L. (1992). Educational psychology. Winter Park, FL: PMD Publicatio.
    Obrigad@ !

×