Your SlideShare is downloading. ×
183 dietoterapia dm___2
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

183 dietoterapia dm___2

469
views

Published on

Published in: Education, Health & Medicine

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
469
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
34
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. DIETOTERAPIA NO DIABETES MELLITUS 1
  • 2. INTRODUÇÃO QUADRO 1 - Classificação de indivíduos segundo grau de tolerância à glicose segundo a ADA e OMS CLASSIFICAÇÃO Normal GJA TGD DM Glicemia de Jejum <100mg/dl ≥ 110 e <126mg/dl <126mg/dl ≥ 126mg/dl ou Glicemia após 2hs* e <140mg/dl e <140mg/dl e ≥ 140 200mg/dl ≥ 200mg/dl * Ingestão por via oral de 75g de glicose 2
  • 3. INTRODUÇÃO 7,8% da população brasileira entre 30 e 69 anos   Esse percentual deve aumentar devido a fatores desencadeantes como : dietas hipercalóricas industrialização estresse emocional sedentarismo obesidade aumento da espec. de vida 3
  • 4. Classificação do Diabetes mellitus: diferenças maiores entre Tipo 1 e Tipo 2  Tipo 1 – 10% dos casos – aparecimento em crianças e jovens – ausência de insulina por destruição das células beta – tendência a cetoacidose – não é hereditário  Tipo 2 – 90% dos casos – aparecimento na idade adulta e idosos – resistência do tecido alvo ou diminuição da secreção de insulina – história familiar freqüente – Obesidade em 80% 4
  • 5. Distribuição da Gordura Corporal e Risco /Nl Japoneses tendem a acumular gordura intra-abdominal sem desenvolver obesidade generalizada 5
  • 6. Fatores de Risco para o DM tipo 2: •idade ≥ 45 anos •história familiar de DM (pais, filhos, irmãos) •excesso de peso (IMC ≥25 Kg/m2) •sedentarismo •HDL-c baixo ou triglicérides elevados •HAS •doença coronariana •DM gestacional prévio 6
  • 7. Fatores de Risco para o DM tipo 2 • Macrossomia, abortos de repetição ou mortalidade perinatal • uso de medicações hiperglicemiantes (corticoides, tiazídicos, beta-bloqueadores • Alcoolismo • Dieta • Trauma emocional 7
  • 8. Educação Equilíbrio emocional DIETA Motivação pessoal MEDICAÇÃO EXERCÍCIO FÍSICO Apoio social e familiar Controle domiciliar da glicemia Disciplina e força de vontade 8
  • 9. OBJETIVO DO TRATAMENTO DIETOTERÁPICO  Manter, o mais próximo possível do normal, a glicemia, balanceando a ingestão de alimentos com a insulina (endógena ou exógena) ou agente oral;  Atingir níveis adequados de lipídios séricos  Promover quantidade suficiente de energia para atingir o peso corpóreo adequado  Prevenir e tratar as complicações agudas e crônicas  Melhorar saúde através de uma nutrição equilibrada 9
  • 10. Avaliação do estado nutricional Métodos objetivos Métodos Subjetivos Antropometria Exame físico Composição corpórea Parâmetro bioquímico Consumo alimentar Avaliação subjetiva global 10
  • 11. ANTROPOMETRIA  Peso atual ex.:80kg  Peso usual ex.: 70kg Peso ideal ou desejável PI = IMC desejado X estatura (m2) Ex.: PI = 24 kg/ m2 x 1,67 m2 = 66,9Kg  11
  • 12. Adequação do peso Peso atual x 100 Ex.: 80 x 100 = 119,6% peso ideal 66,9  Adequação do peso(%) Estado nutricional ≤70 Desnutrição grave 70,1 a 80 Desnutrição moderada 80,1 a 90 Desnutrição leve 90,1 a 110 Eutrofia 110,1 a 120 Sobrepeso >120 obesidade Fonte: Blackburn, G.L. & Thornton, P.A., 1979 12
  • 13. • IMC 13
  • 14. Circunferência da Cintura 14
  • 15. COMPOSIÇÃO CORPORAL - Bioimpedância - Prega cutânea 15
  • 16. •Parâmetro bioquímico •Consumo alimentar (QFA ou R24hs) Nome:________________ Data:___/___/___ Refeição/Hora Alimentos Quantidades Café da manhã 7:00 Pão com margarina Leite com chocolate 1 unidade, 2 pontas de faca 1 copo grande, 1 c de sopa Almoço 12:00 Macarrão ao sugo Frango assado Salada de frutas (maça, laranja, uva) 1 prato cheio 1 coxa sem pele 1 tigelinha 16
  • 17. GASTO ENERGÉTICO FAO/OMS Homem: TMB= (11,3 x P) + (16 x A) + 901 Mulher: TMB= (8,7 x P) – (25 x A) + 862 Ex.: TMB = (8,7 x 80) – (25 x 1,67) + 862 TMB = 1515,25 Kcal VCT= TMB x FA VCT = 1515,25 x 1,3 VCT = 1969,83 Kcal FA leve =1,3 FA moderado= 1,4 FA intenso = 1,5 17
  • 18. TERAPIA NUTRICIONAL Balanço entre dieta, medicamentos e atividade física  Energia  Horário das refeições  Ingestão de CHO  Facilitar a entrada dos nutrientes nas células  Impedir grandes elevações nos níveis de açúcar no sangue  Mantém um EN adequado (que deve ser alcançado de forma gradativa) – alimentação equilibrada   HÁBITOS ALIMENTARES 18
  • 19. TERAPIA NUTRICIONAL NO DM TIPO 1 • Plano alimentar baseado na ingestão habitual • Integrar terapia insulínica com alimentação usual e exercício física • Monitorar os níveis de glicemia para ajuste da dose de insulina à quantidade de alimentos ingerida 19
  • 20. TERAPIA NUTRICIONAL NO DM TIPO 2 Atingir e manter normais a glicemia, os lipídios séricos e a pressão arterial  Dietas hipocalórias - manutenção de peso  Restrição de 250 a 500Kcal  Plano alimentar com redução de gordura  Aumento da atividade física  5 a 9kg – melhora dislipidemia e HA  20
  • 21. ATIVIDADE FÍSICA  Existem várias vantagens, tanto metabólicas como psicológicas em um programa de atividade física  A prescrição de exercícios em pacientes diabéticos deve levar em conta o controle metabólico do paciente e a presença de complicações 21
  • 22. TRATAMENTO MEDICAMENTOSO Pode-se ministrar: - medicação que atue na melhor produção de insulina - medicação que diminua a resistência à atuação da insulina - combinando das duas  22
  • 23. Redução na incidência de DM2 com estilo de vida: DPP 30 28,9 25 Incidência Cumulativa De DM2 (%) 21,7 20 14,4 15 10 5 0 N Engl J Med 2002, 346: 393 placebo metformina exercicio 23
  • 24. FAÇA AS ESCOLHAS CERTAS! FAÇA AS ESCOLHAS CERTAS! 24
  • 25. Plano Alimentar  Controle metabólico da glicose, lipídios e pressóricos  Deve atender as necessidades individuais  Nutricionalmente adequado  Fracionado 25
  • 26. 26
  • 27. NUTRIENTES → Construtores Proteínas → Energéticos Carboidratos e lipídios → Reguladores Vitaminas, sais minerais, água e fibras 27
  • 28. PROTEÍNAS • 0,8 a 1g/kg ou 15% • Peixes • Desincentivar o excesso Nefropatia – 0,8g/kg de peso 28
  • 29. GORDURAS • 30% VCT • saturada < 10% VCT • colesterol < 300mg LDL > 100mg/dl • Saturada < 7% VCT • Colesterol < 200mg 29
  • 30. 30
  • 31. Vitaminas  Hidrossolúveis: Complexo B e vitamina C  Lipossolúveis: A, D, E, K MINERAIS  Cálcio, Fósforo, Cobre, Potássio, Sódio, Iodo, Ferro, Magnésio, Zinco 31
  • 32. CARBOIDRATOS 55%  Açúcar X Amido  IG  Açúcar = pão, arroz, batata  Frutas e leite X amido 32
  • 33. 33