Boas Práticas na Abordagem de Requisitos em Metodologias Ágeis

5,047 views
4,857 views

Published on

Palestra apresentada durante o 5° encontro da comunidade XPCE.
http://www.xpce.org/2011/08/22/quinto-encontro-xpce/

Published in: Technology, Business
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,047
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
592
Actions
Shares
0
Downloads
103
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Boas Práticas na Abordagem de Requisitos em Metodologias Ágeis

  1. 1. Boas práticas na Abordagem de <br />RequisitosemMetodologias Ágeis<br />@FernandaMelina<br />CSM, CSPO<br />fmelina.blogspot.com<br />
  2. 2. atender as expectativas dos clientes em funcionalidades, custos e prazos é um <br />dos maiores desafios nos projetos hoje.<br />
  3. 3. e como obter bons resultados?<br />
  4. 4. <ul><li>metodologias
  5. 5. profissionais disciplinados
  6. 6. pessoas comprometidas
  7. 7. valores e princípios</li></li></ul><li>Manifesto Ágil<br />
  8. 8. Indivíduos e Interações ao invés de processos e ferramentas<br />indivíduos einterações ao invés <br />de processos e ferramentas.<br />
  9. 9. software executável ao invés <br />de documentação.<br />
  10. 10. colaboração do cliente ao invés <br />de negociação de contratos.<br />
  11. 11. respostas rápidas às mudanças <br />ao invés de seguir planos.<br />
  12. 12. ?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />?<br />
  13. 13. aabordagem de requisitos em metodologias <br />ágeis, como qualquer proposta, pode permitir bons resultados a partir de sua combinação com impressões pessoais ligadas ao comportamento ágil de um profissional 2.0.<br />
  14. 14. abordagem ágil de requisitos no <br />contexto de desenvolvimento de software<br />
  15. 15. para a modelagem de <br />requisitos ser ágil...<br />...é necessário que <br />haja um ambiente propício.<br />
  16. 16. entraves<br />
  17. 17. acesso limitadoaos stakeholders.<br />
  18. 18. stakeholders do projeto NÃOsabem <br />o que querem.<br />
  19. 19. mudançade pensamento dos <br />stakeholders.<br />
  20. 20. conflitos de prioridades.<br />
  21. 21. muitas partes interessadas no projeto <br />querem participar.<br />
  22. 22. stakeholders querem fixar<br />soluções de tecnologia.<br />
  23. 23. stakeholders incapazes de ver <br />além da situação atual.<br />
  24. 24. stakeholders com receio de serem <br />rebaixados profissionalmente.<br />
  25. 25. stakeholders não compreendem <br />os artefatos de modelagem.<br />
  26. 26. desenvolvedores não compreendem<br />o domínio do problema.<br />
  27. 27. stakeholders são excessivamente<br />centrados em um tipo de exigência.<br />
  28. 28. stakeholders exigem formalidade<br />significativa com relação aos requisitos.<br />
  29. 29. desenvolvedores não entendem<br />as exigências.<br />
  30. 30. e o produto final?!<br />
  31. 31. como resolver?<br />
  32. 32. participação ativa dos stakeholders.<br />
  33. 33. adotar modelos inclusivos.<br />
  34. 34. fazer uma primeira abordagem de <br />forma abrangente.<br />
  35. 35. detalhar os requisitos Just In Time.<br />
  36. 36. tratar os requisitos em uma<br /> pilha de prioridades.<br />
  37. 37. o objetivo é implementaros requisitos <br />e não somente documentá-los.<br />
  38. 38. reconhecer que existem <br />muitos interessados.<br />
  39. 39. abordar requisitos independente<br />de plataforma.<br />
  40. 40. menor é melhor!<br />
  41. 41. rastreabilidade.<br />
  42. 42. explicar as técnicas.<br />
  43. 43. utilizar palavras apropriadas ao negócio.<br />
  44. 44. criar um ambiente descontraído.<br />
  45. 45. obter o apoio da altaadministração.<br />
  46. 46. tasafo.org<br />@fernandamelina<br />fmelina.blm@gmail.com<br />fmelina.blogspot.com<br />

×