Uploaded on

 

More in: Technology , Business
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
175
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
2
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. REFLEXÃO FINAL O poeta diz que “Tudo vale a pena quando a alma não é pequena” e a meu ver assim é. Apesar do desânimo, dos pensamentos “pecaminosos” que por vezes me assolavam a mente considero que valeu a pena fazer esta acção. Claro que foi muito difícil conjugar tudo o que normalmente faço com o trabalho e prazos exigentes desta acção. Momentos houve em que pus em causa a minha capacidade de gerir o tempo que tinha pelos trabalhos que era obrigada a realizar, pois a vida não parou para que a acção fosse feita. Valeu o facto de poder trabalhar no aconchego do lar, e de poder optar por trabalhar na cozinha ou na sala a horas ou a desoras se não fosse isso concerteza que não faria a acção, estar presente nas sessões teria sido impossível. Foi duro mas eu sou professora e professora que se preze quer saber sempre mais e não volta costas aos desafios. Como poderia eu fazê-lo se me propûs ser Professora Bibliotecária uma espécie de super-professora, sim porque o que me é pedido não é de pequena monta senão vejamos; tenho de desempenhar uma função especializada ao serviço da aprendizagem, é o professor bibliotecário o responsável para que a BE seja um instrumento de acção pedagógica. Tenho de saber construir, ajudar a construir e fornecer instrumentos aos utilizadores da BE que lhes permita desenvolverem conhecimentos, ensinar literacias específicas, ser agente do sucesso educativo. A BE tem de funcionar em articulação com toda a comunidade escolar, procurar parcerias, causar impacto e ter um lugar imprescindível no processo de ensino-aprendizagem. É por estas e por mais algumas razões que a avaliação da BE deve ser feita para que cada um com com base na sua realidade possa saber o que deve continuar a fazer o que deve evitar fazer e aquilo que no futuro terá de fazer, tendo sempre presente que cada BE é única. Há que saber também que aquilo que nos proposermos fazer tem de ser exequível, de nada vale querer a lua, e que Roma e Pavia não se fizeram num dia.
  • 2. Com disponibilidade para aprender e para perceber que tudo está em constante mudança, com passos seguros e tranquilos estou convicta que a BE ocupará na Escola o lugar que lhe é devido e há muito recusado. Lisboa, 16 de Dezembro de 2009 Fernanda Esberard