Dominio B Indicadores B1 E B3

  • 226 views
Uploaded on

 

More in: Technology , Travel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
226
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. TRABALHO DA 4ª SESSÃO DOMÍNIO B - INDICADORES B1 e B3 PLANO DE AVALIAÇÃO PARA REALIZAR ESTE TRABALHO OPTEI POR ESCOLHER O DOMÍNIO B LEITURA E LITERACIA * INDICADOR - B1 - TRABALHO DA BIBLIOTECA ESCOLAR AO SERVIÇO DA PROMOÇÃO DA LEITURA NA ESCOLA; * INDICADOR – B2 – IMPACTO DO TRABALHO DA BIBLIOTECA ESCOLAR NAS ATITUDES E COMPETÊNCIAS DOS ALUNOS, NO ÂMBITO DA LEITURA E DA LITERACIA .
  • 2. “A finalidade central do processo de auto-avaliação das bibliotecas escolares reside na criação de um ciclo com vista a uma melhoria contínua do trabalho que é desenvolvido.” (Rede das Bibliotecas Escolares, 2009). Este trabalho é realizado através de Processos e de Impactos/Outcomes: os primeiros traduzem o trabalho efectuado pela escola e a sua biblioteca como, por exemplo, as actividades e os serviços; os segundos significam os benefícios adquiridos pelos utilizadores através da utilização da biblioteca, que se traduzem numa “mudança de conhecimento, competências, atitudes, valores, níveis de sucesso, bem-estar, inclusão, etc.” (Rede das Bibliotecas Escolares, 2009). Antes de implementar a avaliação será feita uma reunião com a equipa da biblioteca, nessa reunião serão identificados os pontos fortes, os aspectos a necessitar de desenvolvimento e os aspectos ainda não implementados. Para o efeito será utilizada um grelha de análise onde constarão os seguintes pontos: Domínio a avaliar; Indicadores; Pontos Fortes; Pontos fracos a desenvolver; pontos ainda não implementados. Desssa reunião sairá um grupo responsável pela orientação e condução do processo de auto-avaliação, distribuição e definição de tarefas. Desse grupo farão parte os elementos da equipa da BE que irão trabalhar em estreita colaboração com a direcção da escola/agrupamento, permitido assim que exista articulação entre a auto-avaliação da BE e a auto-avaliação da escola/agrupamento. Muitos foram os que já fizeram a auto-avaliação da BE “só que não a efectuam de uma maneira formal” (McNamara, (1997-2008). Por essa razão não poderam retirar conclusões do que foi feito e não podem estabelecer novas metas para trabalhos futuros. Resultando destas situações um dispêndio de energia, recursos e custos desnecessários. 2
  • 3. Para que tais situações não se repitam é necessário um cuidadoso trabalho de planificação. Equipas de trabalho e tarefas bem definidas; levantamento das necessidades; definição da amostra; metodologia de investigação/acção; timings; análise e interpretação correcta da informação; elaboração do relatório final; apresentação de resultados. O planeamento da avaliação, deve ser feito atempadamente e atempadamente deve ser escolhido o Domínio a avaliar para determinar o que se irá fazer. Tendo em conta o que diz McNamara, (1997-2008) deveremos: • Estabelecer prioridades em relação ao que queremos saber, pois a avaliação do programa depende da fidedignidade da informação que recolhermos. Quanto mais centrados estivermos na avaliação que pretendemos fazer, mais eficiente será o nosso trabalho com menos dispêndio de tempo e de custos. • Saber a quem se destinam os os resultados da avaliação; • Saber que tipo de informação necessitamos em termos de processo; • Saber quais as fontes de informação a utilizar. 3
  • 4. B. Leitura e Literacia Indicadores Factores de Sucesso Evidências Acções para melhoria/exemplos B.1 – Trabalho da BE • A BE disponibiliza uma colecção variada e • Questionários aos alunos ; •Trabalhar articuladamente com todos os ao serviço da promoção adequada aos gostos, interesses e necessidades • Questionário aos professores ; docentes; da leitura na escola dos utilizadores; •Percentagemde empréstimos domiciliários • Definir prioridades e traçar estratégias de • A BE identifica novos públicos e adequa a •Taxa de utilização informal de BE melhoria; colecção e as práticas às necessidades desses •Frequência com que determinados recursos • Comunicar esses resultados ao director, públicos. são utilizados; Cons. Pedagógico, D. Turma, Ass. Pais assim • A BE identifica problemáticas e dificuldades •Taxa de utilização da BE para actividades como a todos os intervenientes no processo neste domínio e propõe acções que melhorem as de leitura programada/articulada com outros educativo; situações identificadas. professores; • Fomentar a utilização do Programa • A BE promove a leitura dos conjuntos de •Reuniões com a direcção e outras estruturas Bibliobase; obras infanto-juvenis recomendados pelo PNL; da escola; • Registar, catalogar e classificar todo o fundo • A BE insentiva o empréstimo domiciliário; • Materiais de apoio produzidos; documental da BE no Bibliobase; • A BE incentiva a utilização do passaporte do • Consulta do Plano Anual de Actividades da • Melhorar a participação dos alunos em nas leitor; BE; actividades da BE; • A BE premeia os melhores leitores; • Aumentar a requisição domiciliária; • A BE promove a ida à Biblioteca D. Diniz •Consciencializar os utilizadores da para a hora do conto; importância da devolução do material •A BE promove a hora do conto semanal; requisitado; •A BE incentiva a utilização da biblioteca pelo • Aumentar o número de docentes que menos uma vez por semana (no contexto turma utilizem a BE seja para o desenvolvimento da 1º ciclo) actividade docente seja para sua fruição; • Para apoiar as escolhas dos alunos /professores • Desenvolver estratégias que envolvam mais a equipa da biblioteca desloca-se com encarregados de educação/pais nas actividades frequência a livrarias a fim de divulgar junto de leitura em casa e se possível na BE.. dos alunos/professores as novidades literárias; • Divulgar as actividades da BE e trabalhos dos alunos na plataforma Moodle e na página • A BE promove a escrita através de fichas de da Escola. leitura; • A BE promove encontros com escritores; • A BE promove a Feira do livro; • A BE utiliza variados instrumentos de divulgação da sua colecção e utiliza variados 4
  • 5. instrumentos de divulgação/comunicação das suas actividades; • A BE organizaça de iniciativas no âmbito da promoção da leitura: - Hora do Conto; - - Leitura partilhada (aluno/professor, aluno/aluno); • A BE promove a actividade Cartas ao Pai Natal; B.3 – Impacto do • Os alunos usam o livro e a Be para ler de • Observação do trabalho dos alunos; • Melhorar a oferta de actividades de trabalho da BE nas forma recreativa, para se infornar ou para •Estatísticas de utilização da BE para promoção da leitura e de apoio ao atitudes e competências realizar trabalhos escolares; actividades de leitura. desenvolvimento de competências no âmbito dos alunos, no âmbito • Os alunos desenvolvem trabalhos onde •Estatística de requisição domiciliária; da leitura, da escrita e das literacias; da leitura e a literacia. interagem com equipamentos e ambientes •Observação da utilização da BE ; • Promover o diálogo com os docentes no informacionais variados; •Trabalhos realizados pelos alunos; sentido de garantir um esforço conjunto para • Questionários aos professores ; que o desenvolvimento de competências de • Reconhecimento dos professores das diversas • Observação das atitudes e competências leitura, estudo e investigação seja disciplinas na melhoria dos alunos nas dos alunos; adequadamente inserido nos diferentes competências de leitura e interpretação de • Estatísticas de utilização das diversas currículos e actividades; textos; zonas da BE; • Dialogar com os alunos com vista à • Aumento dos empréstimos domiciliários; • Registo de actividades e projectos; identificação de interesses e necessidades no • Aumento do número de utilizadores campo da leitura e da literacia; alunos/professores; • Encorajar os alunos a participar em • Aumento de utilizadores para a realização de actividades livres no âmbitoo da leitura trabalhos de grupo; • Desenvolver estratégias para a utilização da • Maior facilidade na pesquisa de informação informação em diferentes suportes. em todos os suportes; • Promover concursos de leitura para 1º ciclo, • Os alunos começam a ter consciência da importância da BE. Uma vez a auto-avaliação feita os resultados serão comunicados à direcção da escola/agrupamento; ao Conselho Pedagógico e demais intervenientes no processo. Os resultados da avaliação são importantes, porque nos mostram o que fazemos, como estamos a fazer e aquilo que ainda não conseguimos fazer. 5
  • 6. A comunicação dos dados obtidos permitirá uma “análise colectiva e uma reflexão da escola/agrupamento sobre esses resultados, e a identificação das acções de melhoria” (Rede das Bibliotecas Escolares, 2009). Seja qual for a opção tomada, desde o início ao fim da auto-avaliação terá ter de ser sempre tida em conta a realidade da escola/agrupamento cada realidade é diferente. Os resultados obtidos e posterior análise nunca poderão ser feitos por comparação de escolas ou de professores bibliotecários porque não é esse o espírito que preside à auto-avaliação da BE. Não será por esse caminho que a biblioteca se tornará imprescindível na ESCOLA. “A biblioteca escolar proporciona informação e ideias fundamentais para sermos bem sucedidos na sociedade actual, baseada na informação e no conhecimento. A biblioteca escolar desenvolve nos estudantes competências para a aprendizagem ao longo da vida e desenvolve a imaginação, permitindo-lhes tornarem-se cidadãos responsáveis.” Directrizes da IFLA/UNESCO para Bibliotecas Escolares, 2002, Fernanda Esberard 6