• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Desenvolvimento Profissional do Docente - Percursos da vida de um professor
 

Desenvolvimento Profissional do Docente - Percursos da vida de um professor

on

  • 644 views

 

Statistics

Views

Total Views
644
Views on SlideShare
644
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
16
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Desenvolvimento Profissional do Docente - Percursos da vida de um professor Desenvolvimento Profissional do Docente - Percursos da vida de um professor Presentation Transcript

    • Desenvolvimento profissional1. De que estamos a falar?2. Há ideias para o desenvolver?3. História(s) recente(s) do Grupo 5504. Desafios atuais5. Reflexões finais …
    • 1. De que estamos a falar? DP = Formação?! Envolvimento em projetos Leituras e debates Participação em seminários Aprender (para)(na)(da) prática Investigação-ação Reflexão (prática objeto de análise) Colaboração (tarefa comum)“Aprendizagem pessoal (…) oportunidades formais e informais (…) centradas nas necessidades” (Day, 2001)
    • 2. Há ideias para o desenvolver? O desenvolvimento do conhecimento profissional para ensinar • … do assunto (Informática) • … dos alunos • … do currículo • … do processo de condução do ensinoIntencionalidade e envolvimento… Resolução de problemas Estudos de casos Comunidades de aprendizagem Estudo de aulas (lesson study) (Duarte, 2011)
    • 2. Há ideias para o desenvolver?Comunidades de aprendizagem Partilhar um propósito … … melhorar a prática e a aprendizagem dos seus alunos … experimentar (novos) materiais curriculares (Sowder, 2007) Contexto para discutir boas experiências e dificuldades/frustrações (Mewborn, 2003)
    • 2. Há ideias para o desenvolver?As lesson study Desenvolver conhecimento na prática, orientado para a ação; Professores caminham juntos no ‘desenho’ de uma aula; Rotativamente, um implementa e os outros observam/registam. (Ruthven & Goodchild, 2008) Discutem a aula, introduzem alterações, podem refletir com apoio externo (Krainer, 2011)
    • 2. Há ideias para o desenvolver? Experiências de desenvolvimento profissionalAspetos (+) Dar sentido às experiências pessoais de ensino do professor (Llinares & Krainer, 2006 ) Desenvolver a perceção profissional Isomorfismo: experiências de DP e sala de aula (Sowder, 2007) Mudança individual - cultura escolar Colaboração: oportunidade para correr riscos
    • 3. História(s) recente(s) do Grupo 550 Disciplina TIC, 9º e 10º ano (2003) Prática, articulada, usada em contextoQue desafios para os novos professores? Turmas grandes, alunos mais novos, formação para todos, trabalho de projeto (conteúdo e processo)
    • 3. História(s) recente(s) do Grupo 550
    • 3. História(s) recente(s) do Grupo 550
    • 3. História(s) recente(s) do Grupo 550
    • 4. Desafios atuais …As TIC no 7º e 8º anosAs metas …Domínios: informação, produção e comunicação/colaboraçãoAutonomia e exploração guiadaNão obrigatoriedade de sequencialidadeDiagnóstico -> Decisões sobre o quêProjetos, resolução de problemas, prática contextualizadaColaboração (outras escolas)
    • 4. Desafios atuais …Não é possível realizar pequenos projetos quando se tem apenas 90minutos por semana, num único semestre. Ou bem que se conseguelecionar conteúdos ou bem que se desenvolve um projeto que precisa deconhecimentos consolidados para o fazer .Penso que pelo pouco tempo que temos de disciplina, deveremos apenasselecionar o mais essencial e sermos exigentes nessas aprendizagens.
    • 5. Reflexões finais …Como pensar o desenvolvimento profissional? 1) A intemporalidade das mensagens 2) A atualidade dos novos media sociais 3) Experiências ousadas e intensas
    • 5. Reflexões finais …1) A intemporalidade das mensagensEducação e experiênciaCriatividade, capacidade de raciocínio e espírito críticoA Pedagogia de Projetos Rejeita o computador e o software que ensina O LOGO, para além da linguagem: uma filosofia educacional, com o aluno no comando, explorando, criando e aprendendo com o erro.“A grande preocupação das escolas do presente é compartimentaro saber, em vez de oferecer contextos para compreendermos ummundo de diversidade, em que vivemos cada vez mais sequiososde saber e mais afogados em informação”
    • 5. Reflexões finais …2) A atualidade dos novos media sociaisÉ no mundo (real e virtual) dos media sociais que vai acontecergrande parte da vida profissional. • Como gerir a convivência entre duas gerações ? • Que competências para tirar partido das novas literacias ? • Como articular a aprendizagem dentro e fora da escola? Figueiredo (2010). A Geração 2.0 e os Novos Saberes
    • 5. Reflexões finais …3) Experiências ousadas e intensas • Um objetivo/tarefa comum • Condições para experimentar com os seus alunos • Colaboração e reflexão sobre a prática (ferramentas) • Envolvam a observação e análise do que fazem os alunos • Prolongadas no tempo Ir além das boas tarefas e desafios • A comunicação e a organização dos processos de trabalho • A monitorização das tarefas na sala de aula
    • O facto de a escola ser vivida pelos alunos como uma espécie de vida adiada é,certamente, o nosso pior adversário (Barbosa & al., 1993)Assim como há vida para além do deficit … também há vida para além dasmetas … e dos exames (Duarte, Novembro de 2012)
    • Referências bibliográficasDewey, J. (2010). Experiência e Educação. Tradução de Renata Gaspar. Rio de Janeiro: Petrópolis.Duarte, J. A. (2011). Tecnologias e Pensamento algébrico: um estudo sobre o conhecimentoprofissional dos professores. Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.Figueiredo, A. D. (2010). A geração 2.0 e os Novos Saberes. In Seminário “Papel dos Media” dasJornadas “Cá fora também se aprende”. Lisboa: Conselho Nacional de Educação.LLinares, S., & Krainer, K. (2006). Mathematics (student) teachers and teacher educators as learners.In A. Gutiérrez, & P. Boer (Eds.). Handbook of Research on the Psychology of Mathematics Education:Past, present and future (pp. 429-459). Rotherdam: Sense Publishers.Mewborn, D. S. (2003). Teaching, teachers’ knowledge, and their professional development. In J.Kilpatrick, W. G. Martin, & D. Schifter (Eds.), A Research Companion to Principles and Standards forSchool Mathematics (pp. 45-52). Reston: NCTM.Papert, S. (1985). Logo: Computadores e Educação. São Paulo: Editora Brasiliense.Ruthven, K., & Goodchild, S. (2008). Linking researching with teaching. In L. English (Ed.), Handbookof International Research in Mathematics Education (pp. 561-588). Mahwah, NJ: Laurence Erlbaum.Sowder, J. T. (2007). The mathematical education and development of teachers. In F. K. Lester (Ed.),Second handbook of research on mathematics teaching and learning: A project of the NationalCouncil of Teachers of Mathematics (Vol. I, pp. 157-223). Charlotte, NC: Information Age Publishing.