Ri programa sociologia v 2013
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Ri programa sociologia v 2013

on

  • 796 views

Programa sobre Agenda Internacional Contemporânea: uma abordagem sociológica

Programa sobre Agenda Internacional Contemporânea: uma abordagem sociológica

Statistics

Views

Total Views
796
Views on SlideShare
796
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
19
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Ri programa sociologia v 2013 Document Transcript

  • 1. PONTIFÍCIA UNIVESIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS Departamento de Sociologia Prof. Felix Ruiz Sanchez Curso de Relações Internacionais SOCIOLOGIA V: Agenda Internacional Contemporânea: as abordagens sociológicas 2º Semestre/2013 Ementa: Avaliação das causas sociais e das formas políticas como a sociedade mundial vem enfrentando alguns dos principais problemas globais como a crise ecológica, o crescimento da desigualdade econômica entre Sul e Norte, o aumento da intolerância entre grupos sociais e as chamadas catástrofes humanitárias. Conteúdo Programático: No contexto da globalização e da emergência de uma sociedade mundial, o curso pretenderá discutir como essa sociedade vem enfrentando no plano da agenda internacional alguns dos chamados “novos temas”: a crise ecológica, a defesa de direitos humanos universais, as migrações internacionais e o crescimento da intolerância, o drama dos refugiados e deslocados internos nas guerras civis e o combate à pobreza e à fome, bem como o desafio de prover uma proteção maior às crianças e mulheres. Na análise dos atores políticos envolvidos nesse cenário internacional, o curso enfatizará o papel dos novos atores da sociedade civil mundial, como as organizações não-governamentais, os movimentos sociais e redes de movimentos, suas formas de atuação e os princípios que os norteiam. Cronograma das Aulas: 1ª Semana: Apresentação do Curso, Bibliografia, formas de Avaliação 2ª Semana: A Globalização e os “novos temas em Relações Internacionais”: A globalização faz com as questões referentes à crise ecológica, aos direitos humanos e ao combate à pobreza se tornem temas internacionais. O enfraquecimento dos Estados-Nação e o surgimento de uma sociedade mundial. Retrocessos no século XXI? Bibliografia: Lindegren Alves, J.A., Relações Internacionais e Temas Sociais: A Década das Conferências, cap.2, “Os “novos temas” e a cúpula precursora sobre a criança”, pags. 43 a 59. ______________, j.A., ____________. J.A., Os Direitos Humanos na Pós-Modernidade,Cap. 3: Cidadania, Direitos Humanos e Globalização, pags.43 à 65. Mignolo, Walter. Os esplendores e as misérias da “ciência”: colonialidade, geopolítica do conhecimento e pluri-versalidade epistêmica. In Sousa Santos, Boaventura de (org.). Conhecimento Prudente para uma vida decente, São Paulo, Cortez, 2006. 3ª Semana: A sociedade mundial e o enfrentamento da Crise Ecológica: As Conferências sobre Desenvolvimento Sustentável de 1972, 1992, 2002 e Rio+20 e os Tratados Multilaterais sobre Meio Ambiente; avanços e recuos Bibliografia: Lindgren Alves, J.A., Relações Internacionais e Temas Sociais: A Década das Conferências, cap.3, “A Rio-92 como conferência social”, pags.59 à 77. Porto-Gonçalves, C.W., Sustentando a Insustentabilidade, (documento digital) 4ª Semana: Abordagens sociológicas da crise ambiental: Sociologia do Risco e Politização das Tecnologias A modernidade como gênese da atual crise ecológica: as características do conhecimento, da sociedade e do Estado na era da sociedade de risco. Conhecimento, Tecnologia e Meio Ambiente nas negociações internacionais: ADPIC, CDB, Protocolo de Cartagena e Convenção de Estocolmo. Bibliografia Básica: Beck, Ulrich, Sociedade de Risco: rumo a outra modernidade, cap.1, “Sobre a lógica da distribuição de riqueza e da distribuição de riscos”, pags. 23 a 60.
  • 2. Lisboa, Marijane V., Cultura e natureza: o que o sofware tem a ver com os transgênicos? em Pretto, Nelson de Luca e Silveira, Sérgio Amadeu (orgs,) “Além das Redes de Colaboração”: internet, diversidade cultural e tecnologias do poder”, EDUFBA, Salvador, 2008. 5ª Semana: Justiça Ambiental no marco das relações internacionais: O conceito de dívida ecológica, e efeitos da globalização sobre a crise ambiental Bibliografia Básica: Alier, Joan Martinez, O Ecologismo dos Pobres, capítulo: A dívida ecológica, pag. 287-333. Porto-Gonçalves, Walter, A Globalização da Natureza e a Natureza da globalização”, Parte I, pag.38 à 52 e Parte II, pag.59 à 76. 6ª Semana: Etnias, grupos minoritários, nacionalismos, conflitos urbanos e direitos humanos: as complicadas relações entre cidadania, direitos humanos e Estados Nação. Bibliografia Básica: Arendt, Hanna, Origens do Totalitarismo, Parte II, cap.5, “O declínio do Estado-nação e o fim dos direitos do homem” pags. 330 à 339. Wacquant, Löic. Os condenados da cidade, Rio de Janeiro, Revan/IPPUR, 2001. Prólogo e Parte II. “Cinturão Vermelho e cinturão negro: América do Norte e França em comparação”. Lindgren Alves, J.A., Os Direitos Humanos na Pós-Modernidade,Cap. 10: “Direitos Humanos na Conjuntura Presente: Esboroamento sem Recuperação?”, pags.205 à 218, e Cap. 11:” Conclusão: O que sobrou dos Direitos Humanos”, pags.210 à 246. 7ª Semana: A invasão dos bárbaros do Sul: as grandes migrações na era do capitalismo, causas sociais das migrações do Sul para o Norte, os equívocos das políticas migratórias de contenção, o crescimento do racismo contra imigrantes e a emigração brasileira. Bibliografia Básica: Castles, Stephen. La era de la migración, Movimientos internacionales de población en el mundo moderno. Mexico, Universidad de Zacatecas, 2004. Sayad, Abdelmalek, A Imigração ou os Paradoxos da Alteridade, Cap. 9, “A Ordem da Imigração na Ordem das Nações”, ag.s 265 à 286. Sassen, S., Contrageografias da Globalização: A feminização da sobrevivência, em TRABALHO DOMÉSTICO E DE CUIDADO. Mármora, Lelia, Políticas de MigracionesenAmerica Latina: LasRespuestasGubernamentales y de la Sociedade civil em laDecada de los 90, em MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS: CONTRIBUIÇÕES PARA POLÍTICAS, pags. 33 a 44. Waqcquant, Löic. Las cárceles de la miseria, Madrid, Editorial Ensayo, 2000. 8ª Semana: Guerras civis e conflitos étnicos no pós-Guerra Fria: a intensificação dos conflitos militares na periferia do mundo desenvolvimento. Genocídios e “massacres administrativos”. Bibliografia Básica: Sémelin, Jacques, Purificar e Destruir; usos políticos dos massacres e dos genocídios, Capítulo III: Contexto Internacional, guerra e mídia, pags.157 a 231. MunangaKabengelê.,África: Trinta Anos de Processo de Independência, “Dossiê África/Brasil, Revista da O, nr.18. Lindgren Alves, J.A., Os Direitos Humanos na Pós-Modernidade, Cap. 6, “A Conferência de Durbhan contra o Racismo e a Responsabilidade de Todos”, pags. 113 à 141. Rufin, Jean Christophe, O Império e os Novos Bárbaros, Cap.5, O direito à guerra para todos”, pag.97 à 105. 9ª Semana: Refugiados, Deslocados Internos, “Refugiados Ambientais”, Direitos Humanos, Direitos Humanitários e Ajuda Humanitária : o drama dos refugiados e deslocados internos, o conflito entre a soberania nacional e os direitos humanos universais, o direito de ingerência e a atuação dos órgãos internacionais e das entidades humanitárias. O caso dos refugiados ambientais.
  • 3. Bibliografia Básica: Jean, F., The PlightoftheWorld’sRefugees em “World in Crisis”, MSF, pags.42 à 57. Guest, Ian e Bouchet-Saulnier, F, International Law and Reality: The Protection Gap em World in Crisis, MSF, PAGS.79 à 100. Marcolini, Adriana, As Perspectivas para os Refugiados no Século XXI, em REFUGIADOS:REALIDADE E PERSPECTIVAS, pags.197 a 210. Castles, S., Citizanshipandmigration. Globalizationandthepoliticsofbelonging. London, Macmillan Press.. 10ª Semana: A gênese da fome no Sul: integração no mercado mundial, acesso à terra e êxodo rural. Bibliografia Básica: Ziegler, Jean. Destruição em massa. Geopolítica da fome. São Paulo, Cortez Editora, 2013. Davis, M., Holocaustos Coloniais, “Notas sobre Definições” e Parte IV: “A Ecologia da Fome”, Capítulo 9, “As Origens do Terceiro Mundo”, pags. 287 à 321. Sen, Armatya, Desenvolvimento com Liberdade, cap.7 “Fomes Coletivas e outras Crises”. Pag.188 a 220. Shiva, Vandana, Monoculturas da Mente, pags.21 à 85 11ª Semana: A questão do crescimento populacional, fome, direitos reprodutivos e a situação das mulheres: o acesso aos alimentos, políticas de segurança alimentar e políticas de controle da natalidade. Bibliografia Básica: Sen, Amartya, Desenvolvimento como Liberdade, cap.9. “População, Alimento e Liberdade”. Lindgren Alves, Relações Internacionais e Temas Sociais, Cap. 5 “A Conferência de Cairo sobre População e Desenvolvimento e o Paradigma de Huntington, pags.149 a 181. Lindgren Alves, Relações Internacionais e Temas Sociais, Cap.7, “A Conferência de Beijing e os fundamentalismos”, pags.211 a 245. 12ª Semana: Repensando os rumos da Humanidade Bibliografia Básica: DUPAS, G., o Mito do Progressoem NOVOS ESTUDOS:CEBRAP, nº 77, março de 2007. 13ª Semana: Seminários 14ª Semana: Seminários 15ª Semana: Seminários 16ª Semana: Seminários 17ª Semana: Conclusão do Curso. Avaliação do Curso Metodologia: o Curso constituirá de aulas expositivas e debates sobre textos indicados para leitura, bem como de seminários realizados por grupos de alunos. Avaliação: A avaliação será composta pela nota coletiva e individual da apresentação oral do seminário e do trabalho escrito entregue ao fim do curso. Caso os alunos não obtenham avaliação suficiente para serem aprovados, poderão realizar prova final versando sobre o conjunto do conteúdo do curso. Bibliografia: Alier, Joan Martinez, O Ecologismo dos Pobres, capítulo: A dívida ecológica, Contexto, São Paulo, 2007. Arendt, Hanna, Origens do Totalitarismo, São Paulo, Companhia das Letras, 1997. Beck, Ulrich, Sociedade de Risco: rumo a outra modernidade, São Paulo, Editora 34, 2010.
  • 4. __________, “Sobre a Tchernobil econômica” em Liberdade ou Capitalismo: Ulrich Beck conversa com JohannesWillms, Editora UNESP, 2002. Castles, S., EnvironmentalChange and forcedmigration: makingsense of the debate, UNHCR. Davis, M., Holocaustos Coloniais, Rio de Janeiro, Record, 2002. Dupas, Gilberto, A questão ambiental e o futuro da humanidade, em “Política Externa”, vol.16, nº1, junho/julho/agosto de 2007. Dupas, G., o Mito do Progressoem NOVOS ESTUDOS:CEBRAP, nº 77, março de 2007, São Paulo Guest, Ian e Bouchet-Saulnier, F, International Law and Reality: The Protection Gap em World in Crisis, MSF, Londres e Nova Iorque, Routledge, 1997. InternationalAssesmentofAgriculturalKnowledge, Science and Technology for Devolpment, Síntesis temática, Island Press. Jean, F., The PlightoftheWorld’sRefugees em “World in Crisis”, MSF, Londres e Nova Iorque, Routledge, 1997. Lindgren Alves, Relações Internacionais e Temas Sociais, Brasília, IBRI, 2001. Lindgren Alves, J.A., Os Direitos Humanos na Pós-Modernidade, São Paulo, Perspectiva, 2005. Lisboa, M., Cultura e natureza: o que o sofware tem a ver com os transgênicos? em Pretto, Nelson de Luca e Silveira, Sérgio Amadeu (orgs,) “Além das Redes de Colaboração”: internet, diversidade cultural e tecnologias do poder”, Salvador, EDUFBA, 2008. Malerba, Juliana, Yasuni cinco anos depois: contribuições e desafios para o controle social e normativo sobre as empresas transnacionais brasileiras, em EMPRESAS TRANSNACIONAIS BRASILEIRAS NA AMÉRICA LATINA: UM DEBATE NECESSÁRIO, São Paulo, Expressão Popular. 2009. Marcolini, Adriana, As Perspectivas para os Refugiados no Século XXI, em REFUGIADOS:REALIDADE E PERSPECTIVAS, Brasília, CSEM/MDH;Edições Loyola, 2003. Mármora, Lelia, Políticas de MigracionesenAmerica Latina: LasRespuestasGubernamentales y de la Sociedade civil em laDecada de los 90, em MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS: CONTRIBUIÇÕES PARA POLÍTICAS, Brasília, CNPD, 2001. MunangaKabengelê.,África: Trinta Anos de Processo de Independência, “Dossiê África/Brasil, Revista da USP, nr.18, 1993. Petersen, P, Agriculturas ou impérios alimentares? Em PUCViva, set/dez/2010, Apropuc. Porto-Gonçalves, Walter, A Globalização da Natureza e a Natureza da globalização”, Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, 2006. Porto-Gonçalves, C.W., Sustentando a Insustentabilidade, versão digital, 2012. Ribeiro, W.C.,A Ordem Ambiental Internacional, Editora Contexto, São Paulo, 2005. Rouanet, Sérgio, Universalismo Concreto e Diversidade Cultural, em Vieira, Lizst (org.) “Identidade e Globalização”, Rio de Janeiro, Editora Record, 2009, pag. 15 a 31. Rufin, Jean Christophe, O Império e os Novos Bárbaros, Record, Rio de Janeiro, 1991. Sassen, S., Contrageografias da Globalização: A feminização da sobrevivência, em TRABALHO DOMÉSTICO E DE CUIDADO: Por outro paradigma de sustentabilidade da vida humana, São Paulo, SOF, 2008. Sayad, Abdelmalek, A Imigração ou os Paradoxos da Alteridade [1991}, São Paulo, Edusp, 1998. Sémelin, Jacques, Purificar e Destruir; usos políticos dos massacres e dos genocídios, Rio de Janeiro, DIFEL, 2009. Sen, Amartya, Desenvolvimento como Liberdade, São PauloCompanhia das Letras, 2004. Shiva, Vandana, Monoculturas da Mente, São Paulo, Editora Gaia, 2003